Você está na página 1de 44

A Embrastec, uma empresa de 100% capital nacional, fundada em 1991, em Ribeirão Preto,

interior do estado de São Paulo, dedicou-se primeiramente ao desenvolvimento de Dispositivos


de Proteção Contra Surtos (DPS), somente dois anos depois, em 1993, após vários testes, iniciou
a sua fabricação e comercialização.

Ao longo desses anos participamos do desenvolvimento e divulgação desses equipamentos,


até que no ano 2004, finalmente o DPS passou a ser um ítem obrigatório nas instalações elétricas
de acordo com a norma ABNT 5410. O assunto foi abordado com maior profundidade com a
recente publicação na nova versão da ABNT 5419 em 2015, onde a proteção dos equipamentos
ganhou um capítulo inteiro .

Sempre investindo em pesquisas, contamos com a Linha mais completa de DPS, proporcio-
nando proteção para redes elétricas, de dados, de sinais, de voz, composta por uma grade de pro-
dutos com mais de 500 modelos.

Buscando o máximo de qualidade, submetemos nossos equipamentos a testes em vários


laboratórios de ensaios, tais como o Laboratório de Integração e Testes - LIT do Instituto Nacional
de Pesquisas Espaciais - INPE em São José dos Campos (SP), Laboratório de Alta Tensão da
UNICAMP em Campinas (SP) e o Laboratório de Compatibilidade Eletromagnética do Instituto de
Tecnologia para o Desenvolvimento - LACTEC em Curitiba (PR).

Inauguramos em 2019, nosso LAT (Laboratório de Alta Tensão), um dos mais modernos labo-
ratórios do Brasil, com capacidade de geração de impulsos de 50kV, com correntes de 20kA (onda
10/350ms) e 100kA (onda 8/20ms), valores típicos para ensaio de DPS Classe I, II e III.

Por se tratar de um assunto novo na norma brasileira, desenvolvemos este manual, visando
esclarecer e facilitar a especificação dos Dispositivos de Proteção contra Surtos, contendo inicial-
mente um breve relato sobre como ocorre o fenômeno e como surgem os raios e os transientes na
instalação elétrica.

Em seguida informamos a classificação e as características mínimas desses Dispositivos de


acordo com as Normas ABNT 5419, ABNT 5410, NBR IEC 61643-1.

Posteriormente apresentamos nossa Linha Completa, com as suas respectivas aplicações


e características técnicas e mecânicas.

Em sintonia, com o conceito do Eco-Eletro, que visa minimizar o descarte de equipamentos


eletrônicos no meio ambiente, e sua conseqüente contaminação, os Dispositivos Embrastec, ao
protegê-los, colabora com a preservação da NATUREZA, um dever de TODOS !

Com a nossa equipe técnica estamos a disposição dos nossos clientes para buscar soluções,
seja com o desenvolvimento de projetos ou de novos produtos.

Já desenvolvemos produtos para atender a necessidades de vários clientes tais como:


SIEMENS, AUTOBAN, TRIXTEC, TSE, TELEFÔNICA, INFRAERO, METRO-SP, entre outros.

Pois satisfazer nossos clientes é a nossa maior vocação!

Contamos com uma vasta rede de distribuidores e revendas em todo o território nacional.

Consulte-nos ! !

Equipe Embrastec.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 02
LABORATÓRIO DE ALTA TENSÃO
Pensando constantemente Capacidade de ensaio de 50kV
em melhoria contínua, Corrente de até 100kA na onda 8/20µs
a Embrastec instalou no início de 2019 Corrente de até 20kA na onda 10/350µs
um dos mais completos e modernos além de outras formas de onda
Laboratórios
de Alta Tensão do Brasil Ensaios de tipo para
.DPS Classe I, II e III

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 03
O que são Raios?
Raios são descargas atmosféricas que ocorrem entre nuvens ou entre nuvens e a terra. Essas descargas atmos-
féricas são ricas em corrente e tensão e têm uma grande capacidade destrutiva, podendo atingir as edificações e ins-
talações elétricas, sendo estas últimas o objeto de nosso estudo.

E como ocorrem?
As nuvens são eletricamente carregadas, tanto com cargas negativas quanto positivas, as quais se mantém equi-
libradas. Com o acúmulo de partículas de água, há um desequilíbrio elétrico e há um aumento das cargas negativas
que se deslocam gradativamente para a parte inferior da nuvem (2) e as positivas (1) conseqüentemente para a parte
superior. Ao mesmo tempo as cargas positivas da terra se deslocam para a superfície, sendo atraídas pelas cargas ne
gativas da nuvem. As cargas negativas da nuvem geram um traçador descendente(5) e as cargas positivas(6) da terra
geram um traçador ascendente, quando eles se encontram quebram a isolação do ar, e as cargas negativas são drena
das para a terra, esse encontro é chamado de RAIO (7).

2 7

+ ++ ++

E como se proteger?
A norma ABNT 5419:2015 (versão atualizada e publicada em 22/05/2015), trata especificamente da
Proteção contra Descargas Atmosféricas (PDA). Segundo a Norma não há métodos capazes de impedir a
ocorrência de descargas atmosféricas, as quais são perigosas às pessoas e às estruturas.
No entanto há medidas de proteção que devem ser aplicadas. Vejamos:
Uma PDA é composta do SPDA ( Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas ) e das MPS
(Medidas de Proteção contra Surtos).
Ao se especificar uma MPS, deve-se analisar a equipotencialização, o roteamento do cabos e a apli-
cação dos DPS ( Dispositivo de Proteção contra Surtos ) o qual é responsável pela proteção da instalação
elétrica e dos equipamentos eletro-eletrônicos. Ambos se complementam e juntos proporcionam proteção
aos usuários.

O que são transientes, surtos ou sobretensões?


Transientes, surtos ou sobretensões são variações bruscas de energia que podem danificar tanto as
instalações elétricas, como os equipamentos elétricos ou eletrônicos. Sua origem pode ser tanto por ocor-
rência de descargas atmosféricas (RAIOS), como por manobras das concessionárias. Podem atingir tanto
as redes elétricas como as redes telefônicas, de dados ou de sinais.

Como surgem os transientes em uma instalação?


As causas do surgimento de transientes nas instalações, são divididas de acordo com o ponto de im-
pacto das descargas atmosféricas:
Diretas em uma estrutura ;
Diretas nas linhas elétricas ou tubulações metálicas;
Nas proximidades de uma estrutura;
Nas proximidades das linhas elétricas ou tubulações metálicas.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 04
Descargas atmosféricas diretas nas estruturas
Quando as descargas atmosféricas atingem diretamente a
instalação elétrica, ou o sistema de para-raios, ou a estrutura,
todos os elementos que compõem essa edificação,inclusive o
aterramento ficam energizados.
Este tipo de transientes por serem injetados diretamente nos
(*) elementos da instalação elétrica são muito ricos em corrente,
portanto são capazes de produzirem um dano muito grande à
instalação e aos equipamentos(*).
A Norma 5419:2015 denominou essa fonte de dano de S1.

Descargas atmosféricas nas proximidades de uma estrutura


Os transientes com origem em descargas atmosféricas nas
proximidades das estruturas possuem menor capacidade de
destruição, do que aqueles com origem em descargas diretas.
Entenda o fenômeno:
Quando descargas atmosféricas tem seu ponto de impacto
(3) próximo das estruturas (1), ou árvores (2), as ondas eletro-
(2)
magnéticas oriundas desse fenômeno induzem nos condutores
(1)
(6) metálicos (3) que estiverem nas proximidades.
Descargas atmosféricas que atingem o solo (4) também podem
(4) (5)
induzir no sistema de aterramento (5) das instalações elétricas.
Esses transientes contaminam a instalação elétrica e danificam
os equipamentos eletro-eletrônicos (6) ali instalados.
A Norma 5419:2015 denominou essa fonte de dano de S2.

Descargas atmosféricas diretas nas Linhas Elétricas


ou Tubulações Metálicas
Quando as descargas atmosféricas tem seu ponto de impacto
diretamente nas linhas elétricas ou tubulações metálicas
conectadas à estrutura, a corrente injetada no circuito é muito
(*)
500mts alta, portanto são capazes de produzir um dano muito maior
às instalações e aos equipamentos.
A Norma 5419:2015 denominou essa fonte de dano de S3.

Descargas atmosféricas nas proximidades de uma


Linha Elétrica ou Tubulações Metálicas
Os transientes com origem em descargas atmosféricas nas
proximidades das Linhas Elétricas ou Tubulações Metálicas
possuem menor capacidade de destruição, do que aqueles
com origem em descargas diretas.
Quando descargas atmosféricas tem seu ponto de impacto
(*)
500mts próximo das Linhas Elétricas ou Tubulações Metálicas, as
ondas eletromagnéticas oriundas desse fenômeno induzem
nos condutores metálicos que estiverem nas proximidades e
se propagam até um ponto onde possa descarregar.
A Norma 5419:2015 denominou essa fonte de dano de S4.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 05
O que é DPS?
DPS, é a sigla utilizada para o Dispositivo de Proteção contra Surtos.
O DPS é o dispositivo preconizado pela norma ABNT 5410 e 5419, para proteger as instalações elétricas e os equipamentos
eletro-eletrônicos contra surtos, sobretensões ou transientes diretos ou indiretos, independentemente da origem, se por descargas
atmosféricas ou por manobras da concessionária.
Como ele se classifica, a sua correta especificação e instalação veremos logo a frente.

E o aterramento em conformidade com a norma, é suficiente para proteger a


instalação elétrica e os equipamentos contra transientes?
Com certeza não, pois o sistema de aterramento é apenas um dos componentes, é através dele que o (DPS) Dispositivo
de Proteção contra Surtos conduzem e dispersam os transientes no solo.
Portanto o aterramento não protege contra transientes ou surtos.
O sistema perfeito é composto de:
- eletrodos de aterramento;
- ligação eqüipotencial;
- e DPS, que é o principal elemento.
Sendo assim qualquer instalação sem um desses componentes estará com a sua segurança comprometida.
Vale lembrar que o aterramento tem outras finalidades, tais como drenar a tensões eletrostáticas que se formam nos equipa-
mentos eletrônicos e principalmente proteger os seus usuários de choques elétricos.

O DPS instalado sem aterramento irá proteger os equipamentos eletrônicos?


Primeiramente, vamos esclarecer alguns pontos importantes:
A LEI FEDERAL Nº 11.337, de 26 de JULHO DE 2006, sancionada pelo Presidente Lula, com vigência a partir de dezembro
de 2007, estipulou:
¨Art. 1o As edificações cuja construção se inicie a partir da vigência desta Lei deverão obrigatoriamente possuir sistema de
aterramento e instalações elétricas compatíveis com a utilização do condutor-terra de proteção, bem como tomadas com o terceiro
contato correspondente.¨
No entanto, não podemos esquecer que o parque instalado, na sua grande maioria, não possui o sistema de aterramento.
Porém, no Brasil é muito comum o sistema TN-C, onde o neutro é aterrado.
Nesses casos o condutor de neutro aterrado (PEN) pode ser utilizado pelo DPS como aterramento.
Nos demais casos, para que o DPS ofereça total proteção ele necessita do sistema de aterramento para desviar os surtos e
transientes que atingem uma instalação elétrica.

E o para-raios (SPDA) do prédio, protege os equipamentos?


Não. Os para-raios são indicados para proteger as estruturas das edificações e os indivíduos que se encontram em seu
interior, sem oferecer nenhuma proteção aos equipamentos eletro-eletrônicos.
De acordo com a Norma ABNT 5419:2015 - Parte 1 - Item 3.41, o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas é
composto de um sistema externo (para-raios) e um sistema interno (DPS).

A instalação de DPS é obrigatória?


Sim, é obrigatório.
A norma ABNT 5410/2004, em seu item 5.4.2.1 estabelece que todas as edificações dentro do território brasileiro, que forem
alimentadas total ou parcialmente por linha aérea, e se situarem onde há a ocorrência de trovoadas em mais de 25 dias por ano,
devem ser providas de DPS;(Zona de influências externas AQ2).
Quando partes da instalação estão situadas no exterior das edificações, expostas a descargas diretas, ( Zona de influências
externas AQ3) o DPS também é obrigatório.

Não confundir com os equipamentos abaixo, veja as suas indicações:


Estabilizador de tensão: São indicados para compensar as variações de tensão da rede elétrica, com uma tolerância
de aproximadamente 15% . Não protege contra raios ou curto-circuitos.
No-break: São indicados para suprir a alimentação de um determinado equipamento a ele plugado, por um certo período,
quando houver a interrupção do fornecimento da rede elétrica. Também não protege contra raios.
Fusível: Protegem as instalações contra curto-circuitos. Também não protege contra raios.
Disjuntor: Protegem contra sobrecargas e curto-circuitos. Assim como os fusíveis também não protegem contra surtos de
origem em descargas atmosféricas ou de manobra. Esse tipo de equipamento não percebe a ação dos surtos.
Dispositivo (DR): Protegem contra fuga de corrente para o aterramento, protegendo as pessoas contra choques elétricos
tanto por contato acidental como falha do sistema.
Filtro de linha: Usados muitas vezes como extensão de tomadas, e quando bem construídos, filtram ruídos em uma certa
freqüência da rede elétrica.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 06
Como se classificam os DPS?
A Norma ABNT 5410/2004 utilizou como embasamento a Norma ABNT-IEC 61643 para classificar os DPS, para cada nível de
proteção, sendo três tipos: Classe I, Classe II e Classe III. Os Dispositivos devem ser instalados de maneira coordenada, produ-
zindo um efeito cascata, ou seja primeiramente são instalados os DPS com maior capacidade de exposição ao surtos, depois os
com capacidade média e finalmente os DPS mais sensíveis. Veja abaixo:

Classe I: DPS destinado à proteção contra sobretensões provocadas por descargas atmosféricas diretas na estrutura ou nas linhas
elétricas que adentram essa edificação, com alta capacidade de exposição aos surtos, com capacidade mínima de 12,5 kA de corrente
de impulso (Iimp), conforme a Norma ABNT 5410, item 6.3.5.2.4 -¨d¨ ;
Classe II: DPS destinado à proteção contra sobretensões provocadas por descargas atmosféricas nas proximidades da estrutura ou
das linhas elétricas que adentram essa edificação,ou seja descargas indiretas, assim também contra sobretensões de manobra,
com capacidade mínima de exposição aos surtos, de 5 kA de corrente nominal (In) conforme a Norma ABNT 5410, item 6.3.5.2.4 -¨d¨;
Classe III: DPS destinado à proteção dos equipamentos eletro-eletrônicos, sendo uma proteção fina, de ajuste, proporcionando
uma menor tensão residual, com isso uma proteção efetiva para os equipamentos.
Indicado para proteção de redes elétricas, de dados e sinais.

Da Norma ABNT NBR 5410:2004


Item 6.3.5.2.4-¨d¨ corrente nominal de descarga (In) e corrente de impulso (Iimp) - Na seleção da corrente nominal de descarga e/ou da
corrente de impulso do DPS, distinguem-se três situações:
- quando o DPS for destinado à proteção contra sobretensões de origem atmosférica transmitidas pela linha externa de alimentação e
Classe I Classe II

contra sobretensões de manobra, sua corrente nominal de descarga (In) não deve ser inferior a 5 kA (8/20ms) para cada modo de proteção.
Todavia, In não deve ser inferior a 20 kA (8/20ms) em redes trifásicas, ou a 10 kA (8/20ms) em redes monofásicas,quando o DPS for usado entre
o neutro e PE, no esquema de conexão 3 indicado na figura 13 (pag.131 da Norma ABNT NBR 5410:2004);
- quando o DPS for destinado à proteção contra sobretensões provocadas por descargas atmosféricas diretas sobre a edificação ou em
suas proximidades, sua corrente de impulso Iimp deve ser determinado com base na IEC 61312-1; se o valor da corrente não puder ser determi-
nado, Iimp não deve ser inferior a 12,5 kA para cada modo de proteção. No caso de DPS usado entre neutro e PE, no esquema de conexão 3
ver figura 13 (pag.131 da Norma ABNT NBR 5410:2004), Iimp também não deve ser inferior a 50 kA para uma rede trifásica ou 25 kA para uma rede
monofásica;
- quando o DPS for destinado, simultaneamente, à proteção contra todas as sobretensões relacionadas nas duas situações anteriores, os
valores de In e Iimp do DPS devem ser determinados, individualmente, como especificado acima.

Nota: O ensaio para a determinação da corrente de impulso ( Iimp ) de um DPS é baseado num valor de crista de corrente, dado em kA, e num
valor de carga, dado em coulombs (A.s). Não é fixada uma forma de onda particular para a realização desse ensaio e, portanto, essa forma de
onda pode ser a 10/350ms, 10/700ms, a 10/1000ms ou , ainda a 8/20ms, não se descartando outras. Também não são fixadas restrições quanto
ao tipo de DPS que pode ser submetido a tal ensaio - curto-circuitante, não curto-circuitante, ou combinado.

Item 5.4.2.2.1- Toda linha externa de sinal, seja de telefonia, de comunicação de dados, de vídeo ou qualquer outro sinal eletrônico, deve ser
Classe III

provida de proteção contra surtos nos pontos de entrada e/ou saída da edificação 6.3.5.3.
Nota: A prescrição é aplicável a linhas metálicas e abrange não apenas as linhas que se conectam a uma rede pública, como, por exemplo,
as de telefonia ou de TV por assinatura, mas também as linhas associadas a antenas externas e as linhas de interligação com edificações vi-
zinhas.

Para-Raio de
Baixa Tensão DPS CLASSE III

Fase REDE ELÉTRICA COMPUTADOR


COM FAX-MODEM

F
U F
S U
I S
V I
E V
L E
L

TELEFAX-I
IMPRESSORA

NO BREAK
ou
ESTABILIZADOR
LINHA TELEFÔNICA
Aterramento

DPS CLASSE II
DPS CLASSE I
MODELO TRIFÁSICO
MODELO TRIFÁSICO
DG
DG Entrada
Entrada Fase
Fase
Fase
Fase Fase
Fase Neutro
Neutro
(*) (*)

Aterramento
Aterramento
(*) Caso o disjuntor do quadro
for maior que 100 A, utilizar
fusíveis/disjuntor em série com
o DPS

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 07
O objetivo das normas técnicas mencionadas até agora é proporcionar o máximo de proteção para as instalações
elétricas e edificações. Como já vimos anteriormente, o sistema de proteção contra raios compreende um sistema
interno, DPS e um externo SPDA.
Através da utilização conjunta, é feita a proteção completa da edificação e da instalação elétrica e conseqüente-
mente dos equipamentos eletro-eletrônicos.
Para a perfeita utilização dos dois sistemas, eles devem ser instalados de forma ordenada, através de Zonas de
Proteção contra Raios (ZPR).

E o que são zonas de proteção contra raios?

É importante ficar claro que para evitar os efeitos de descargas atmosféricas tem que se utilizar a proteção
como CONCEITO.
Para utilizar proteção como conceito, tem que se pensar no sistema todo, tanto externo quanto interno, ou seja,
o SPDA e DPS respectivamente. Por isso é importante fazer a blindagem da edificação e da instalação.
A norma ABNT 5419:2015 estabeleceu o índice de blindagem, utilizando Zonas de Proteção contra Raios (ZPR).
Veja abaixo.

Zonas Externas:

ZPR 0 - Zona fora da estrutura e próxima ao volume de proteção imposto pelo SPDA, subdividida em 0A e 0B;.
ZPR 0A - Zona em que os objetos estão expostos a descargas de raios diretas, fora do volume de proteção do SPDA.
Neste caso o campo magnético não foi atenuado.
ZPR 0B - Nesta zona os objetos também estão fora da estrutura, porém o campo magnético foi atenuado, pela presença
do SPDA; portanto esta dentro do volume de proteção imposto pelo SPDA; portanto exposta a correntes parciais do
valor total da descarga atmosférica;

Zonas Internas:

ZPR 1 - Zona em que os objetos não estão expostos a descargas de raios diretas. A corrente da descarga já foi atenu-
ada pela zona 0B. Portanto neste caso o campo magnético foi atenuado, pois houve uma distribuição da corrente pelos
elementos da edificação, SPDA e DPS Classe I, instalado entre a ZPR 0B e ZPR1.
ZPR 2 / ZPR 3 - Zonas em que os objetos não estão expostos a descargas de raios diretas, e a corrente da descarga já
foi atenuada pelas demais zonas de proteção e divisões da corrente nos circuitos e por outros DPSs instalados no sis-
tema. Neste caso o campo magnético esta atenuado.
Lembramos que devemos ter DPSs instalados na transição entre as Zonas de Proteção.

ZPR 0A

ZPR 0A
ZPR 0B

ZPR 1
ZPR 1
ZPR 2
ZPR 3
ZPR 0B ZPR 0B

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 08
Resumindo:
A Norma ABNT 5410/2004 classificou os DPS, em três classes:
Classe I, Classe II e Classe III. Os Dispositivos devem ser instalados de maneira coordenada, produzindo um efeito
cascata, ou seja primeiramente são instalados os DPS com maior capacidade de exposição ao surtos, depois os com
capacidade média e finalmente dos DPS mais sensíveis.
Veja o quadro abaixo:
Classe I: DPS com capacidade mínima de 12,5 kA de corrente de impulso (Iimp), indicado para ser instalado no quadro
geral, destinado a proteção contra descargas diretas nas estruturas ou nas linhas elétricas;
Classe II: DPS com capacidade mínima de 5 kA de corrente nominal (In); indicado para ser instalado nos quadros de
distribuição; destinado à proteção contra descargas indiretas, ou seja nas proximidades das estruturas ou das linhas
elétricas; assim também contra sobretensões por manobras das concessionárias,
Classe III: DPS com capacidade de proporcionar uma menor tensão residual, devendo ser instalado próximo aos
equipamentos eletro-eletrônicos. Indicado para proteção de redes elétricas, de dados e sinais.

Características mínimas exigidas Medida


pela ABNT 5410 mínima OBS.
CLASSE Indicação Onde Instalar
dos
Imax
(Corrente máxima)
Iimp
(Corrente impluso)
In (#)
(Corrente nominal) condutores
(8/20ms) (10/350ms) (8/20ms)

Descargas diretas Na transição Em sistema TN-S,


I (IEC) na estrutura ou
60 kA 12,5 kA 30 kA da ZPR 0B para 16mm
2 TT, utilizar DPS para
B (VDE) nas linhas metálicas a ZPR 1 (QGBT) Neutro
- Fonte de Dano S1 e S3 -
Descargas próximas Na transição da
II (IEC) Pode ser instalado em
da estrutura ou ZPR1 para a ZPR 2
15 kA -- 5 kA das linhas metálicas (*) Por exemplo: QD 6 mm 2 conjunto com DPS
C (VDE) Classe I
- Fonte de Dano S2 e S4 -
Descargas próximas ZPR3 Lembrar de todos pontos
III (IEC) da estrutura ou
(**) (**) (**) Próximo ao -- de entrada, como dados,
D (VDE) das linhas metálicas (*) equipamento sinais, etc
- Fonte de Dano S2 e S4 -

Observações:
(#) Corrente Nominal é aquela que o DPS deve suportar no mínimo 15 aplicações.
(*) Os DPS Classe II e Classe III também são indicados para proteger transientes com origem em manobras da concessionária.
(**) Para DPS Classe III, a Norma não especifica correntes mínimas, por se tratar de uma proteção refinada, próximo ao equipamento.
Supõe-se que as demais Classes de DPS foram utilizadas.

Informações técnicas básicas para identificação do DPS (Dispositivo de Proteção Contra Surtos)
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
GABINETE CONEXÃO SINALIZAÇÃO DE DEFEITO ¹
2 2
Caixa plástica, não propagante à chama. Plug In - 6,0 mm a 25 mm Plug in Ecobox Desarme Termomecânico
2 2
Grau : VO- Ul94, EcoBox - 6,0 mm a 25 mm ON (Verde) - Perfeito estado Indicação Verde - Perfeito estado
Temperatura: - 40ºC até 80ºC OFF (Vermelho) - Substituir Indicação Vermelha - Substituir DPS
- Classe II / C - - Classe I / B -

15kA 20kA 30kA 45 kA 50 kA 60 kA 75 kA 90 kA 120 kA 200 kA


Corrente máxima de surto
- onda 8/20 ms - 15kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 60 kA 75 kA 90 kA 120 kA 200 kA
I n - Corrente nominal 5 kA 10 kA 15 kA 20 kA 25 kA 30 kA 35 kA 50 kA 60 kA 100 kA
I imp - Corrente impulso
- onda 10/350 ms -
-- -- -- -- -- 12,5 kA 15 kA 20 kA 25 kA 40 kA
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643

150 VCA
Uc - Tensão de disparo 75 VCA 175 VCA 275 VCA 385 VCA 485 VCA Tempo de resposta <25 ns
NEUTRO
Nível de proteção - Up < 0,7 kV < 0,5 kV < 0,7 kV < 0,9 kV < 1,5 kV < 1,6 kV Dispositivo de proteção (**) sim
(**) OBS: Para quadros com disjuntor geral (fusíveis) acima de 100A, é necessário instalar fusíveis/disjuntores de 32A a montante do DPS .

*Informações sujeitas a alterações sem aviso prévio ¹ Verificar a disponibilidade de versões com sinalização de defeito por LED.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 9
Veja abaixo como instalar o DPS nos esquemas de aterramento,lembramos que abaixo demonstramos apenas
a instalação no modo comum, para o modo transverso, deve-se instalar DPS entre as partes vivas.
Esquema de aterramento TN-C As funções de neutro e de proteção são combinadas em um único
condutor ao longo da instalação. (ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.1-c)
QGBT QD
L1 L1
L2 L2
L3 L3
PEN
(*) (*)
Equipamento
eletro-eletrônico

Aterramento
da alimentação Aterramento

Esquema de aterramento TN-S O condutor neutro e o condutor de proteção são separados após a
origem e seguem separados por toda a instalação. (ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.1-a)
QGBT QD
L1 L1
L2 L2
N L3 L3
N
PE
PE
(*) (*)
Equipamento
eletro-eletrônico

Aterramento
da alimentação

Esquema de aterramento TN-C-S As funções de neutro e de proteção são combinados em um único


condutor em parte da instalação e seguem separados em outra parte da instalação.
(ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.1-b)
QGBT QD
L1 L1
L2 L2
L3 L3
PEN N
PE
(*)
(*)
Equipamento
eletro-eletrônico

Aterramento
Aterramento
da alimentação

Esquema de aterramento TT Possui um ponto da alimentação diretamente aterrado, estando os


equipamentos da instalação ligados a eletrodos de aterramento eletricamente distintos do eletrodo de aterra-
mento da alimentação. (ABNT NBR 5410:2004 - 4.2.2.2.2)
QGBT QD
L1 L1
ATENÇÃO
L2 L2 Nesse caso, o DPS entre o Neutro e o
L3 L3
N aterramento deverá ser de capacidade
maior, haja vista que os DPS das fases
(*) (*) estão direcionados para o Neutro, e
esse DPS será responsável por descarregar
Equipamento toda a corrente para o aterramento.
eletro-eletrônico

Aterramento Aterramento
da alimentação

(*) Utilizar fusível/disjuntor em série com o DPS, quando o disjuntor geral do quadro for igual ou maior que 100 A.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 10
Abaixo demonstramos a instalação no modo COMUM e no modo DIFERENCIAL (transverso) , para o sistema de
aterramento TN-S. O modo Diferencial está previsto na Norma ABNT 5410:2004 - 6.3.5.2.2 -Nota 1 (pag.130).
Para outros tipos de aterramento consulte a página 10.
Lembramos que o modo comum consiste na instalação do DPS entre o aterramento e as fases / neutro.
O modo diferencial (transverso) consiste na instalação de DPS entre os condutores vivos (fases).
Salientamos que a instalação no modo diferencial, é um complemento do modo comum e jamais deve ser utilizado
sozinho; a sua função é limitar a tensão residual, após a atuação dos DPS instalados em modo comum.

Resumindo, os DPS instalados em modo comum, desviam o transiente (surto elétrico) para o aterramento; no entanto
há uma tensão residual mínima, estabelecida pela Norma ABNT 5410:2004 - 6.3.5.2.4 “a”, e caso o projetista queira
limitar essa tensão a um valor menor do que o indicado pelos DPS de modo comum, pode-se acrescentar os DPS em
modo diferencial, com a função de reduzir tal tensão.

MODO COMUM:
MODELO MONOFÁSICO MODELO BIFÁSICO MODELO TRIFÁSICO
Entrada DG DG DG
Entrada Entrada
Fase Fase Fase
Neutro Fase Fase
Neutro Fase
(* ) (* ) Neutro
(* )

Aterramento Aterramento Aterramento

MODO COMUM e TRANSVERSO:


MODELO MONOFÁSICO MODELO BIFÁSICO MODELO TRIFÁSICO
Entrada DG DG DG
Entrada Entrada
Fase Fase Fase
Neutro Fase Fase
Neutro Fase
(* ) (* ) Neutro

(* )

Aterramento Aterramento
Aterramento

Recomendações importantes:
Falha do DPS e proteção contra sobrecorrente, de acordo com ABNT 5410:2004 - 6.3.5.2.5
Utilizar fusível ou disjuntor a montante dos DPS, indicamos 32A, nos casos abaixo:
(*)
a) Quando o disjuntor geral (fusíveis) do quadro em que o DPS for instalado for maior ou igual a 100 ampères;
b) Quando a corrente de curto circuito do quadro for superior à 5kA

Condutores de conexão do DPS, de acordo com ABNT 5419-4:2015


2
a) Para DPS Classe I a seção nominal do condutor das ligações DPS-PE deve ser no mínimo 16mm.
2
b) Para DPS Classe II a seção nominal do condutor das ligações DPS - PE deve ser no mínimo 6mm.

c) Para ambos casos o comprimento dos condutores deve ser o mais curto possível, de preferência não
deve exceder 0,5m.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 11
Fluxograma
Existe SPDA
externo?
Não Sim
É alimentado
por linhas aéreas?

A instalação Utilizar DPS Classe I


Não tem partes Sim no quadro geral
expostas ? (QGBT)
ABNT 5410:2004
item 5.4.2.1.1- b;
item 6.3.5.2.1-b
Utilizar DPS Classe II,
no quadro geral (QGBT);
ABNT 5410:2004
item 5.4.2.1.1- a;
item 6.3.5.2.1-a

A instalação possui
Não quadros de distribuição Sim
com distância superior
a 10m do QGBT?

Utilizar DPS
Classe II
nos quadros de
distribuição

Instalar DPS Classe III,


para a proteção dos equipamentos eletro-eletrônicos,
que estão conectados a outras redes, tais como:
Sinais, Antenas, Dados, etc.
De acordo com o item 5.4.2.2.1
da Norma ABNT 5410:2004

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 12
Duplo Desarme
1
(desconexão térmica combinada
Sinalização visual com desconexão mecânica)
de atuação Muito mais segurança!!

Câmara Blindada
(Componentes Encapsulados
Injetado em Termoplástico em resina epoxi anti-chama)
anti-chama (V0 - UL94)

Conexão sem Polaridade


(Conexão L/ N/ PE)

Disponível com Conexão para cabos


Sinalização Remota de 6mm² a 25mm²
(Conexão L/ N/ PE)
Contato Base/Módulo
(estampado em latão niquelado
com molas em aço inoxidável
de alta pressão) Fixação:
trilho DIN TS35

Câmara Blindada 1 Sinalização visual de atuação:


(Componentes Encapsulados COR VERDE: DPS funcionando
em resina epoxi anti-chama) COR VERMELHA: Trocar DPS ¹

Conexão para terminais Conexão sem Polaridade


(Conexão L/ N/ PE)
Conexão para cabos
de 6mm² a 25mm²
(Conexão L/ N/ PE)
Disponível com
Sinalização Remota
Injetado em Termoplástico
anti-chama (V0 - UL94)
Dispositivo de proteção
contra sobrecorrente:
Fixação: 100A/ 5kA
trilho DIN TS35 (Desconexão Termomecânica )
Disponível nas tensões: Muito mais segurança!!
Neutro
75 Vac Principais informações Disponível
175 Vac impressas na frontal nas correntes:
275 Vac 15 kA
385 Vac do DPS 20 kA
485 Vac 30 kA
690 Vac 45 kA
50 kA
60 kA
75 kA
Nível de proteção (tensão residual) 90 kA
muito abaixo do valor mínimo 120 kA
estabelecido pela Norma 200 kA
ABNT 5410:2004
Possibilitando menor estresse
aos equipamentos.
Disponível nas
Classes I e II
Proibida a reprodução total ou parcial. Todos os direitos reservados.
¹ Verificar a disponibilidade de versões com sinalização de defeito através de LED.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 13
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Plug-In foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro geral/distribuição, com fixaçao em trilho TS 35.
É composta de MÓDULO e BASE, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar (exceto para os
modelos com sinalização remota, disponíveis apenas na versão monopolar).
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 atende as características da Classe I e II , norma NBR IEC
61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS


Módulos: Dimensões:
Caixa plástica, Sinalização Remota: na/nf
Modelos: injetada em Termoplástico anti-chama Para versões com Sinalização
de 60kA a 90 kA Grau : VO- UL94, Remota, basta incluir “SR”
47 mm

Temperatura: - 40ºC até 80ºC ao código da base.


Câmara Blindada (evita arco voltaico)
Sinalização de defeito: ON (Verde) - perfeito estado Por exemplo:
17 mm 45 mm OFF (Vermelho) - substituir Base monopolar
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643-1 Código 310001SR
47 mm

Modelos: Máximo Fusível de back-up: 100 A Obs.: Todos os módulos


120 kA (quando o fusível ou disjuntor do quadro em já possuem o dispositivo “SR”
e 200 kA que o DPS for instalado, for maior que 100A,
utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com
34 mm Borne com conexão
45 mm o DPS) Veja exemplo na página 12. 2
até 1,5 mm
Peso: 52 gr (110gr p/120 kA e 200 kA)
Veja a instalação na página 28 com a opção de utilização
em conjunto com o módulo ALERTA.

CLASSE I + II

MODELOS Neutro 175 Vac 275 Vac 385 Vac 485 Vac
Código 310060 310090 310099 310N02 310160 310190 310199 310102 310260 310290 310299 310202 310360 310390 310399 310302 310460 310490 310499 310402
I imp - corrente impulso
- onda 10/350 ms - 12,5 kA 20 kA 25 kA 40 kA 12,5 kA 20 kA 25 kA 40 kA 12,5 kA 20 kA 25 kA 40 kA 12,5 kA 20 kA 25 kA 40 kA 12,5 kA 20 kA 25 kA 40 kA
Corrente máxima de surto
- onda 8/20 ms -
60 kA 90 kA 120 kA 200 kA 60 kA 90 kA 120 kA 200 kA 60 kA 90 kA 120 kA 200 kA 60 kA 90 kA 120 kA 200 kA 60 kA 90 kA 120 kA 200 kA
I n - corrente nominal
- onda 8/20 ms - 30 kA 50 kA 60 kA 100 kA 30 kA 50 kA 60 kA 100 kA 30 kA 50 kA 60 kA 100 kA 30 kA 50 kA 60 kA 100 kA 30 kA 50 kA 60 kA 100 kA
Q (carga) 6,5 As 10 As 12,5 As 20 As 6,5 As 10 As 12,5 As 20 As 6,5 As 10 As 12,5 As 20 As 6,5 As 10 As 12,5 As 20 As 6,5 As 10 As 12,5 As 20 As
Energia específica 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W 0,32MJ/W 0,5MJ/W 0,625MJ/W 1,0MJ/W
Un - Tensão nominal - 127 VCA 227 VCA 380 VCA 440 VCA
Uc - Tensão de disparo
150 VCA 175 VCA / 225 VDC 275 VCA / 350 VDC 385 VCA / 510 VDC 485 VCA / 615 VDC
Grau de proteção IP20 IP20 IP20 IP20 IP20
Nível de proteção - Up < 0,7 kV < 0,7 kV < 0,9 kV < 1,5 kV < 1,6 kV
Tensão impulso
suportável >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns
Dispositivo de proteção (*) sim sim sim sim sim
(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, que sera indicada pela posição OFF (Vermelho) no visor.

Bases:
Monopolar Bipolar Tripolar Tetrapolar Monopolar para
Modelo
Módulo 120 e 200 kA
Código 310001 310002 310003 310004 310005

Dimensões
65 mm

65 mm
65 mm

65 mm
65 mm

m
90 m 36 mm 90 m
m
m 36 mm 90 m
m
18 mm 54 mm
90 m 72 mm m
90 m
Peso 65 gr 130 gr 195 gr 260 gr 100 gr
2 2
Conexão 16 mm a 25 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 14
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Plug-In foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro geral/distribuição, com fixaçao em trilho TS 35.
É composta de MÓDULO e BASE, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar(exceto para os
modelos com sinalização remota, disponíveis apenas na versão monopolar).
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 atende as características da Classe I e II , norma NBR IEC
61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS


Caixa plástica, Sinalização Remota: na/nf
Módulos: injetada em Termoplástico anti-chama Para versões com Sinalização
Grau : VO- UL94, Remota, basta incluir “SR”
Temperatura: - 40ºC até 80ºC ao código da base.
Câmara Blindada (evita arco voltaico)
Sinalização de defeito: ON (Verde) - perfeito estado Por exemplo:
OFF (Vermelho) - substituir Base monopolar
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643-1 Código 310001SR
Máximo Fusível de back-up: 100 A Obs.: Todos os módulos
Dimensões (quando o fusível ou disjuntor do quadro em já possuem o dispositivo “SR”
que o DPS for instalado, for maior que 100A,
utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com
Borne com conexão
o DPS) Veja exemplo na página 12. 2
Modelos: até 1,5 mm
47 mm

de 15kA a 50 kA Peso: 52 gr

Veja a instalação na página 28 com a opção de utilização


17 mm 45 mm em conjunto com o módulo ALERTA.

CLASSE II / C
MODELOS Neutro 175 Vca 275 Vca 385 Vca 485 Vca
Código 310015 310020 310030 310045 310050 310115 310120 310130 310145 310150 310215 310220 310230 310245 310250 310315 310320310330 310345 310350 310415 310420 310430 310445 310450
Corrente max. de surto 15 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 15 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 15 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 15 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 15 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA
- onda 8/20 ms -
I n - corrente nominal
- onda 8/20 ms - 5 kA 10kA 15kA 20kA 25kA 5 kA 10kA 15kA 20kA 25kA 5 kA 10kA 15kA 20kA 25kA 5 kA 10kA 15kA 20kA 25kA 5 kA 10kA 15kA 20kA 25kA
Máx.energia absorvida(2ms) 160J 225J 330J 525J 570J 180J 270J 400J 630J 690J 280J 420J 620J 980J 1088J 360J 560J 810J 1320J 1380J 470J 680J 990J 1630J 1820J
Un - Tensão nominal 127 VCA 227 VCA 380 VCA 440 VCA
Uc - Tensão de disparo 150 VCA 175 VCA / 225 VDC 275 VCA / 350 VDC 385 VCA / 510 VDC 485 VCA /615 VDC
Grau de proteção IP20 IP20 IP20 IP20 IP20
Nível de proteção - Up < 0,7 kV < 0,7 kV < 0,9 kV < 1,5 kV < 1,6 kV
Tensão impulso
suportável >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns
Dispositivo
de proteção (*) sim sim sim sim sim
(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, que sera indicada pela posição OFF (Vermelho) no visor.

Bases:
Modelo Monopolar Bipolar Tripolar Tetrapolar

Código 310001 310002 310003 310004

Dimensões
65 mm

65 mm
65 mm
65 mm

m
90 m 36 mm 90 m
m
m
18 mm 54 mm
90 m 72 mm m
90 m
Peso 65 gr 130 gr 195 gr 260 gr
2 2
Conexão 6 mm a 25 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 15
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Ecobox foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixação em trilho TS 35.
Veja o modo de instalação na página 12.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características das Classes I e II, norma NBR IEC
61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675.
A Linha DPS ECOBOX, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
Caixa plástica, Sinalização de defeito local ¹:
injetada em Termoplástico anti-chama
Grau : VO- Ul94, Verde - Perfeito estado
Vermelho - Substituir
Temperatura: - 40ºC até 80ºC
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643 Sinalização Remota: na/nf
Câmara Blindada (evita arco voltaico) Para versões com Sinalização Remota,
basta Incluir “SR” ao código.
Máximo Fusível de back-up: 100 A Por exemplo:
(quando o fusível ou disjuntor do quadro em DPS 275V/45kA - Código 810245SR
que o DPS for instalado, for maior que 100A, # Veja a instalação com a opção de utilização em conjunto
utilizar fusível/disjuntor em série de 32A. com o módulo ALERTA. (pag.28) Borne com conexão
Veja exemplo na página 12. até 1,5 mm
2

(120 e 200 kA) (15 a 90 kA)


¹ Verificar a disponibilidade de versões com sinalização de defeito por LED

Corrente max. de surto


- onda 8/20 ms -
15 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 60 kA 75 kA 90 kA 120 kA 200 kA
I n - corrente nominal 5 kA 10 kA 15 kA 20 kA 25 kA 30kA 35kA 50kA 60kA 100kA
- onda 8/20 ms -
Iimp - corrente impulso -- -- -- -- --
- onda 10/350 ms -
12,5kA 15kA 20kA 25kA 40kA
Classe - IEC 61643-1 II II II II II I + II I + II I + II I + II I + II

690 Vca
227 VCA 380 VCA 440 VCA 600 VCA
385 VCA 690 VCA
1150 VCC

< 2,5 kV

Classe I Classe II Dimensões:


Códigos Modelo Corrente Máx. Códigos Modelo Corrente Máx.
810060 NEUTRO 810015 NEUTRO
810160 175 V 810115 175 V
810260 275 V 60 kA 810215 275 V 15 kA
65 mm
52 mm

810360 385 V 810315 385 V


810460 485 V 810415 485 V
810075 NEUTRO 810020 NEUTRO
810175 175 V 810120 175 V m
810275 275 V 75 kA 810220 275 V 20 kA 90 m
18 mm
810375 385 V 810320 385 V
810475 485 V 810420 485 V
810090 NEUTRO 810030 NEUTRO
810190 175 V 810130 175 V
90 kA 30 kA
65 mm
52 mm

810290 275 V 810230 275 V


810390 385 V 810330 385 V
810490 485 V 810430 485 V
810099 NEUTRO 810045 NEUTRO
810199 175 V 810145 175 V
45 kA m
810299 275 V 120 kA 810245 275 V 36 mm 90 m
810399 385 V 810345 385 V
810499 485 V 810445 485 V
810N02 NEUTRO 810050 NEUTRO
810102 175 V 810150 175 V
Peso: 102 gr / 178 gr
810202 275 V 200 kA 810250 275 V 50 kA
810302 385 V 810350 385 V 2 2
810402 485 V 810450 485 V Conexão: 6 mm a 25 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 16
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Ecobox SAD, foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica. A tecnologia SAD, proporciona ao DPS maior eficiência, pois são mais rápidos, proporcionando uma
menor tensão residual. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixação em trilho TS 35.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS

Caixa plástica, Máximo Fusível de back-up: 100 A


injetada em Termoplástico anti-chama (quando o fusível ou disjuntor do quadro em
Grau : VO- Ul94, que o DPS for instalado, for maior que 100A,
Temperatura: - 40ºC até 80ºC utilizar fusível/disjuntor de 32A em série com
o DPS) Veja exemplo na página 12.
Câmara Blindada (evita arco voltaico)
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643
Sinalização de defeito local: Verde - Perfeito estado
Vermelho - Substituir

Tecnologia de Proteção: SAD (Diodo de Avalanche de Silício), coordenado com MOV(varistor de


oxido de zinco) de” back-up”

CLASSE II / C
MODELOS 175 V 275 V
Código 810110S 810120S 810210S 310220S
Corrente nominal de surto 10 kA 20 kA 10 kA 20 kA
- onda 8/20 ms -
Uc - Tensão de disparo 175 VAC / 225 VDC 275 VAC / 350 VDC
Grau de proteção IP20 IP20
Nível de proteção - Up < 435 V < 585 V
Tensão impulso
suportável > 6 kV > 6 kV
Tempo de resposta < 1 ns < 1 ns
Dispositivo
de proteção (*) sim sim

Dimensões:
65 mm
52 mm

m
90 m
18 mm

Peso: 102 gr
2 2
Conexão: 6 mm a 25 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 17
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Ecobox foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixação em trilho TS 35.
Veja o modo de instalação na página 12.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características das Classes I e II, norma NBR IEC
61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675.
A Linha DPS ECOBOX, disponível nas versões monopolar, bipolar, tripolar e tetrapolar.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
Caixa plástica, Máximo Fusível de back-up: 100 A
injetada em Termoplástico anti-chama (quando o fusível ou disjuntor do quadro em
Grau : VO- UL94, que o DPS for instalado, for maior que 100A,
Temperatura: - 40ºC até 80ºC utilizar fusível/disjuntor em série de 32A
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643 Veja exemplo na página 12.

Câmara Blindada (evita arco voltaico)


Sinalização de defeito local: Verde - Perfeito estado
Vermelho - Substituir

MODELOS Neutro 175 Vca 275 Vca 385 Vca 485 Vca
Un - Tensão nominal 127 VCA 227 VCA 380 VCA 440 VCA Corrente max. de surto
- onda 8/20 ms - 15 kA 20 kA 30 kA 45 kA 50 kA 60 kA 75 kA 90 kA
Uc - Tensão de disparo 150 VCA 175 VCA 275 VCA 385 VCA 485 VCA I n - corrente nominal
- onda 8/20 ms -
5 kA 10 kA 15 kA 20 kA 25 kA 30kA 35kA 50kA
Grau de proteção IP20 IP20 IP20 IP20 IP20
Iimp - corrente impulso -- -- -- -- -- 12,5kA 15kA 20kA
Nível de proteção - Up < 0,7 kV < 0,7 kV < 0,9 kV < 1,5 kV < 1,6 kV - onda 10/350 ms -

Tensão impulso Classe - IEC 61643-1 II II II II II I + II I + II I + II


suportável >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns

Bipolar Bipolar + Neutro Tripolar Tetrapolar


Código Modelo Tensão Código Modelo Tensão Código Modelo Tensão Código Modelo Tensão
820115 175 V 821115 175 V 830115 175 V 831115 175 V
820215 15 KA - BIPOLAR
275 V 821215 275 V 830215 275 V 831215 275 V
15 KA - BIPOLAR + 15 KA - TRIPOLAR 15 KA - TRIPOLAR +
820315 385 V 821315 NEUTRO 385 V 830315 385 V 831315 NEUTRO 385 V
820415 485 V 821415 485 V 830415 485 V 831415 485 V

820120 175 V 821120 175 V 830120 175 V 831120 175 V


820220 275 V 821220 275 V 830220 275 V 831220 275 V
20 KA - BIPOLAR 20 KA - BIPOLAR + 20 KA - TRIPOLAR 20 KA - TRIPOLAR +
820320 385 V 821320 NEUTRO 385 V 830320 385 V 831320 NEUTRO 385 V
820420 485 V 821420 485 V 830420 485 V 831420 485 V

820130 175 V 821130 175 V 830130 175 V 831130 175 V


820230 275 V 821230 275 V 830230 275 V 831230 275 V
30 KA - BIPOLAR 30 KA - BIPOLAR + 30 KA - TRIPOLAr 30 KA - TRIPOLAR +
820330 385 V 821330 NEUTRO 385 V 830330 385 V 831330 NEUTRO 385 V
820430 485 V 821430 485 V 830430 485 V 831430 485 V

820145 175 V 821145 175 V 830145 175 V 831145 175 V


820245 275 V 821245 275 V 830245 275 V 831245 275 V
45 KA - BIPOLAR 45 KA - BIPOLAR + 45 KA - TRIPOLAR 45 KA - TRIPOLAR +
820345 385 V 821345 NEUTRO 385 V 830345 385 V 831345 NEUTRO 385 V
820445 485 V 821445 485 V 830445 485 V 831445 485 V

820150 175 V 821150 175 V 830150 175 V 831150 175 V


820250 275 V 821250 275 V 830250 275 V 831250 275 V
50 KA - BIPOLAR 50 KA - BIPOLAR + 50 KA - TRIPOLAR 50 KA - TRIPOLAR +
820350 385 V 821350 NEUTRO 385 V 830350 385 V 831350 NEUTRO 385 V
820450 485 V 821450 485 V 830450 485 V 831450 485 V

820160 175 V 821160 175 V 830160 175 V 831160 175 V


820260 275 V 821260 275 V 830260 275 V 831260 275 V
60 KA - BIPOLAR 60 KA - BIPOLAR + 60 KA - TRIPOLAR 60 KA - TRIPOLAR +
820360 385 V 821360 NEUTRO 385 V 830360 385 V 831360 NEUTRO 385 V
820460 485 V 821460 485 V 830460 485 V 831460 485 V

820175 175 V 821175 175 V 830175 175 V 831175 175 V


820275 75 KA - BIPOLAR
275 V 821275 275 V 830275 275 V 831275 275 V
75 KA - BIPOLAR + 75 KA - TRIPOLAR 75 KA - TRIPOLAR +
820375 385 V 821375 NEUTRO 385 V 830375 385 V 831375 NEUTRO 385 V
820475 485 V 821475 485 V 830475 485 V 831475 485 V
820190 175 V 821190 175 V 830190 175 V 831190 175 V
820290 275 V 821290 275 V 830290 275 V 831290 275 V
90 KA - BIPOLAR 90 KA - BIPOLAR + 90 KA - TRIPOLAR 90 KA - TRIPOLAR +
820390 385 V 821390 NEUTRO 385 V 830390 385 V 831390 NEUTRO 385 V
820490 485 V 821490 485 V 830490 485 V 831490 485 V

Dimensões
65 mm
52 mm
65 mm
52 mm

65 mm
52 mm
65 mm
52 mm

m
36 mm 90 m 54 mm
90 m
m 54 mm
90 m
m 72 mm m
90 m

Peso 178 gr 272 gr 272 gr 348 gr


2 2
Conexão 6 mm a 25 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 18
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Plug In foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixação em trilho TS 35.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe I e II , norma NBR-IEC
61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS

Caixa plástica, DPS Classe I


DPS Classe I injetada em Termoplástico anti-chama Varistor + Centelhador
Spark Gap+Varistor Grau : VO- UL94, para N/PE
Versões em: Temperatura: - 40ºC até 80ºC
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643
175V/275V/385V/485V Módulos: Dimensões:
Câmara Blindada (evita arco voltaico)
Sinalização de defeito local: ON (Verde) - Perfeito estado

47 mm
Módulos: Dimensões: OFF (Vermelho) - Substituir
(25/50 kA)
Máximo Fusível de back-up: 100 A
(quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS 17 mm 45 mm
for instalado, for maior que 100 A, utilizar fusível ou
47 mm

disjuntor de 32 A em série com o DPS).

47 mm
Sinalização Remota NA/NF
Para versões com Sinalização Remota, basta incluir
34 mm
45 mm ‘‘SR’’ ao código. Por exemplo: (50/120 kA) 34 mm
45 m m
Modelo 275V-60/120kA
Código: 310299SGSR

MODELOS NEUTRO/PE 175Vac 275Vac 385Vac 485Vac


25/50kA 50/120kA 25/50kA 60/120kA 25/50kA 60/120kA 25/50kA 60/120kA 25/50kA 60/120kA
Código 310050CT 310099CT 310150SG 310199SG 310250SG 310299SG 310350SG 310399SG 310450SG 310499SG

Uc - Máxima Tensão de Operação Contínua 150 VAC 150 VAC 175 VAC 175 VAC 275 VAC 275 VAC 385 VAC 385 VAC 485 VAC 485 VAC
- (Tensão disparo) -
200 VDC 200 VDC 225 VDC 225 VDC 350 VDC 350 VDC 505 VDC 505 VDC 615 VDC 615 VDC
Imax - corrente max. de surto 50 kA 120 kA 50 kA 120 kA 50 kA 120 kA 50 kA 120 kA
- onda 8/20 ms -
50 kA 120 kA
In - corrente nominal 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA
- onda 8/20 ms -
Iimp - corrente impulso
- onda 10/350 ms - 25 kA 50 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA
Grau de proteção IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20

Nível de proteção - Up < 1,1 kV < 1,1 kV < 1,1 kV < 1,1 kV < 1,3 kV < 1,3 kV < 2,3 kV < 2,3 kV < 2,5 kV < 2,5 kV
Tensão impulso
suportável
>6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV
Tempo de resposta <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns

Classe - IEC 61643-1 I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II

Modelo Monopolar Bipolar Tripolar (TNC) Tripolar+N (TNS)


Código 310005 310006 310007 310008

Bases:
65 mm
65 mm

65 mm
65 mm

Dimensões
m
36 mm 90 m 72 mm m
90 m 108 mm 144 mm
m
90 m 90 m
m

Peso 130 gr 260 gr 390 gr 520 gr


2 2
Conexão 16 mm a 25 mm (flexível/rígido)

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 19
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS Ecobox foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica. Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro de distribuição, com fixação em trilho TS 35.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe I e II , norma NBR IEC
61643-1, assim também como da Classe ¨B¨ e “C”, norma DIN VDE 0675.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS

DPS Classe I Caixa plástica, DPS Classe I


Spark Gap injetada em Termoplástico anti-chama Centelhador
Versões em: Grau : VO- UL94, para N/PE
Temperatura: - 40ºC até 80ºC
175V/275V/385V/485V TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643
Câmara Blindada (evita arco voltaico)
Sinalização de defeito local: Verde - Perfeito estado
Vermelho - Substituir
Máximo Fusível de back-up: 100 A
(quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS
for instalado, for maior que 100 A, utilizar fusível ou
disjuntor de 32 A em série com o DPS).
(25/50 kA)
Sinalização Remota NA/NF
(60/120 kA) Para versões com Sinalização Remota, basta incluir
‘‘SR’’ ao código. Por exemplo: (25/50 kA)
Modelo 275V-60/120kA
Código: 810299SGSR
(50/120 kA)

MODELOS NEUTRO/PE 175Vac 275Vac 385Vac 485Vac


25/50kA 50/120kA 25/50kA 60/120kA 25/50kA 60/120kA 25/50kA 60/120kA 25/50kA 60/120kA
Código 810050CT 810099CT 810150SG 810199SG 810250SG 810299SG 810350SG 810399SG 810450SG 810499SG

Uc - Máxima Tensão de Operação Contínua 150 VAC 150 VAC 175 VAC 175 VAC 275 VAC 275 VAC 385 VAC 385 VAC 485 VAC 485 VAC
- (Tensão disparo) -
200 VDC 200 VDC 225 VDC 225 VDC 350 VDC 350 VDC 505 VDC 505 VDC 615 VDC 615 VDC
Imax - corrente max. de surto 50 kA 120 kA 50 kA 120 kA 50 kA 120 kA 50 kA 120 kA
- onda 8/20 ms -
50 kA 120 kA
In - corrente nominal 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA
- onda 8/20 ms -
Iimp - corrente impulso
- onda 10/350 ms - 25 kA 50 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA 25 kA 60 kA
Carga - Q- 12,5 As 25 As 12,5 As 30 As 12,5 As 30 As 12,5 As 30 As 12,5 As 30 As
Grau de proteção IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20

Nível de proteção - Up < 1,1 kV < 1,1 kV < 1,1 kV < 1,1 kV < 1,3 kV < 1,3 kV < 2,3 kV < 2,3 kV < 2,5 kV < 2,5 kV
Tensão impulso
suportável
>6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV >6 kV
Tempo de resposta <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns <100 ns

Classe - IEC 61643-1 I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II I +II

Dimensões
65 mm
52 mm

65 mm
52 mm

m
m 90 m
36 mm 90 m 18 mm
(DPS - Spark Gap / Centelhador 50/120kA ) (DPS - Spark Gap / Centelhador 25/50kA)
Peso: 205 gr 110 gr
Conexão 16 a 25 mm² 16 a 25 mm²

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 20
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS VDC foram desenvolvidos para proteção de
equipamentos/instalações alimentadas em corrente contínua (VDC). Deverá ser instalado após os disjuntores do quadro
de distribuição, com fixação em trilho TS 35.
Disponível na versão Ecobox e na versão Plug-In.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características das Classes II, norma NBR-IEC
61643-1 e IEC 61643-21.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
Módulo Caixa plástica, Sinalização Remota: na/nf
(Linha Plug-In) injetada em Termoplástico anti-chama Para versões com Sinalização
Grau : VO- UL94, Remota, basta incluir “SR”
Temperatura: - 40ºC até 80ºC ao código.
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643 Por exemplo:
Câmara Blindada (evita arco voltaico) Modelo 48Vdc/45kA
Sinalização de defeito local: Verde - Perfeito estado Código M110484SR
Vermelho - Substituir
(O DPS possuí um Dispositivo interno, que o desconecta do
circuito ao final de sua vida útil, cfe. NBR-IEC 61643-1:2007).
EcoBox Máximo Fusível de back-up: 100 A
(quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS
for instalado, for maior que 100A, utilizar fusível/disjuntor Borne com conexão
Base até 1,5 mm2
(Linha Plug-In) de 32A em série com o DPS).

MODELOS 24 VCC 24 VCC 48 VCC 48 VCC 60 VCC 60 VCC 75 VCC 75 VCC 125 VCC 125 VCC
Código - Ecobox M110242 M110244 M110482 M110484 M110602 M110604 M110752 M110754 M111252 M111254
Código - Plug In P110242 P110244 P110482 P110484 P110602 P110604 P110752 P110754 P111252 P111254
Un - Tensão nominal 24 VCC 24 VCC 48 VCC 48 VCC 60 VCC 60 VCC 75 VCC 75 VCC 125 VCC 125 VCC
Uc - Tensão de disparo 31 VCC 31 VCC 65 VCC 65 VCC 85 VCC 85 VCC 100 VCC 100 VCC 125 VCC 125 VCC
Tensão Residual ( à 5kA) 138 V 138 V 190 V 190 V 300 V 300 V 350 V 350 V 450 V 450 V
Up - Nível de proteção 200 V 200 V 300 V 300 V 400 V 400 V 420 V 420 V 600 V 600 V
Grau de proteção IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20 IP20
Corrente max. de surto
- onda 8/20 ms - 20 kA 45 kA 20 kA 45 kA 20 kA 45 kA 20 kA 45 kA 20 kA 45 kA
I n - corrente nominal
- onda 8/20 ms - 10 kA 20 kA 10 kA 20 kA 10 kA 20 kA 10 kA 20 kA 10 kA 20 kA
Resistência a curto-circuito
- (com máx.fusível back-up) - 5 kA 5 kA 5 kA 5 kA 5 kA 5 kA 5 kA 5 kA 5 kA 5 kA
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns
Classe - IEC 61643-1 II / C II / C II / C II / C II / C II / C II / C II / C II / C II / C

Dimensões Linha Ecobox Linha Plug-In


65 mm
47 mm
65 mm
52 mm

m
90 m
18 mm
17 mm 45 mm
m
90 m
18 mm
Módulo Base Monopolar
Monopolar
Código 310001

Peso 102 gr 52 gr 65 gr
2 2
Conexão 6 mm a 25 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 21
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS E-Conect foram desenvolvidos para proteger a
instalação elétrica, sendo plugado diretamente no medidor da concessionária ou no disjuntor geral do quadro.
Veja o modo de instalação abaixo.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classes II, norma NBR IEC
61643-1, assim também como da Classe ¨C¨ , norma DIN VDE 0675.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS

Caixa plástica,
injetada em Termoplástico anti-chama
Grau : VO- UL94,
Temperatura: - 40ºC até 80ºC
Câmara Blindada (evita arco voltaico)
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643
Sinalização de defeito local: Verde - Perfeito estado
Vermelho - Substituir
Máximo Fusível de back-up: 100 A
(quando o fusível ou disjuntor do quadro em que o DPS
for instalado, for maior que 100A, utilizar fusível/disjuntor
de 32A em série com o DPS).

Terminal (Borne) Recuado Terminal (Borne) Avançado


Dimensões:
MODELOS 175 V 275 V
Código 910115 910120 910215 910220
Corrente nominal de surto 5 kA 10 kA 5 kA 10 kA
- onda 8/20 ms -
Corrente máxima de surto
- onda 8/20 ms - 10 kA 20 kA 10 kA 20 kA

Uc - Tensão de disparo 175 VAC / 225 VDC 275 VAC / 350 VDC
Grau de proteção IP20 IP20
Nível de proteção - Up < 0,7 KV < 0,9 kV
Tensão impulso
Peso: 102 gr suportável > 6 kV > 6 kV
Tempo de resposta < 25 ns < 25 ns
2
Conexão: < 25 mm Dispositivo
de proteção (*) sim sim

Instalação muito simples:


Conectar diretamente no
medidor, através do seu terminal;

Em seguida, interligar um dos seus


condutores (verde) ao aterramento,
e o seu outro condutor (vermelho),
conectar à fase após o disjuntor
geral do quadro.

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 22
A EMBRASTEC foi a primeira indústria a fabricar DPS específicos para Sistemas Fotovoltaicos no Brasil.
Os DPS destinados à proteção de arranjos fotovoltaicos possuem características específicas que os diferenciam dos
modelos indicados para corrente alternada.
Os DPS - FV Embrastec (Dispositivos de Proteção contra Surtos para Sistemas Fotovoltaicos) foram desenvolvidos
rigorosamente de acordo com as Normas IEC 61643-31, EN 50539-11 e NBR-IEC 61643-1.
IMPORTANTE: Mesmo que o inversor tenha DPS integrado, a instalação de DPS externos, em redundância, facilita a
manutenção e diminui o risco de dano ao inversor.

Sinalização visual de atuação:


COR VERDE: DPS funcionando
COR VERMELHA: Trocar DPS

Injetado em Termoplástico
anti-chama (V0 - UL94)

Conexão para cabos


de 6mm² a 25mm²

Modo Seguro de Desconexão


- Câmara de extinção de arco -
Exigência Normas:
EN 50539-11/IEC 61643-31

Câmara Blindada
(Varistor Encapsulado
em compartimento separado do
Dispositivo de Desconexão)

Disponível
Principais informações impressas
nas tensões: na frontal do DPS
500Vcc
750Vcc
1000Vcc
1200Vcc +/- +/-
1500Vac
Disponível
nas correntes:
20 kA
45 kA
60 kA

Disponível nas
GND
Classes I e II

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 23
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS SFV, foram desenvolvidos para proteção de
equipamentos/instalações alimentadas em corrente contínua (VDC), específicos para Sistemas Fotovoltáicos.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe I, Norma NBR-IEC
61643-1, assim também como as Normas IEC 61643-31 e EN 50539-11.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS

Caixa plástica,
injetada em Termoplástico anti-chama
Grau : VO- UL94, Borne com conexão
Temperatura: - 40ºC até 80ºC até 1,5 mm2
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643
Câmara Blindada (evita arco voltaíco)
Câmara de Extinção de Arco Sinalização Remota: na/nf
(de acordo com a IEC 61643-31 e EN50539-11) Para versões com Sinalização
Remota, basta incluir “SR”
Sinalização de defeito local: Verde - Perfeito estado
ao código.
Vermelho - Substituir
Por exemplo:
Máximo Fusível de back-up: 100 A Modelo 500Vdc/45kA
Código M135004SR
Aplicação em Sistemas ON-Grid e OFF-Grid

MODELOS 500 VCC 750 VCC 1000 VCC


Código - Ecobox M135006 M137506 M131K60 Dimensões
Linha DCbox
UCPV - Max.Tensão de Operação 500 VCC 750 VCC
(L1-L2 / L1-T / L2-T) 1000 VCC Tripolar
Up - Nível de Proteção (L1-L2 / L1-T / L2-T) <2,2 kV <2,8 kV <3,5 kV
Grau de proteção
65 mm

IP20 IP20 IP20


52 mm

Corrente de impulso
- onda 10/350 ms - 12,5 kA 12,5 kA 12,5 kA
I n - corrente nominal / I max 30 / 60kA 30 / 60kA
72 mm
90 m
m
- onda 8/20 ms - 30 / 60kA
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns Peso: 305 gr

Classe - IEC 61643-1 I + II I + II I + II Conexão 2


16 mm a 25 mm
2

Pólos Tripolar Tripolar Tripolar


Forma de proteção ‘ Y ’ (#) ‘ Y ’ (#) ‘ Y ’ (#)
(#) Forma de Proteção ‘Y’, trata-se de proteção no Modo Comum (L1-T / L2-T) e no Modo Transverso (L1-L2), portanto proporcionando maior proteção.

Exemplo Sistema com Inversor BIFÁSICO


Painel Fotovoltáico Disjuntores/Seccionadora Inversor Disjuntores
VCC VCA
Distância
> 10mts DC AC
kWh

Medidor

DPS - DC DPS - DC DPS - AC

Aterramento

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 24
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos da Linha DPS SFV, foram desenvolvidos para proteção de
equipamentos/instalações alimentadas em corrente contínua (VDC), específicos para Sistemas Fotovoltáicos.
Disponíveis nas versões Ecobox e Plug-In.
Em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe II, Norma NBR-IEC
61643-1, assim também como as Normas IEC 61643-31 e EN 50539-11.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS


Caixa plástica, Sinalização Remota: na/nf
injetada em Termoplástico anti-chama Para versões com Sinalização
Grau : VO- UL94, Remota, basta incluir “SR”
Temperatura: - 40ºC até 80ºC ao código.
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643 Por exemplo:
Câmara Blindada (evita arco voltaíco) Modelo 500Vcc/45kA
Câmara de Extinção de Arco Código M135004SR
(de acordo com a IEC 61643-31 e EN50539-11)
Sinalização de defeito local: Verde - Perfeito estado
Vermelho - Substituir
Máximo Fusível de back-up: 100 A
Borne com conexão
Aplicação em Sistemas ON-Grid e OFF-Grid
até 1,5 mm2

MODELOS 500 VCC 750 VCC 1000 VCC 1200 VCC 1500 VCC
Código - Ecobox M135004 M137504 M131K45 M131K24 M131K54
Dimensões
Código - Plug In P115004 P117504 P111K45 Linha DCbox Linha Plug-In
UCPV - Max.Tensão de Operação 500 VCC 750 VCC 1000 VCC 1200 VCC 1500 VCC Base Tripolar FV
(L1-L2 / L1-T / L2-T) Tripolar Módulo
Código 310009
Up - Nível de Proteção (L1-L2 / L1-T / L2-T) <2,2 kV <2,8 kV <3,5 kV <4,6 kV <5,3 kV

65 mm
Grau de proteção IP20 IP20 IP20 IP20 IP20
65 mm

47 mm
52 mm

Corrente max. de surto


- onda 8/20 ms - 45 kA 45 kA 45 kA 45 kA 45 kA 54 mm m
17 mm 4 5 mm 90 m
I n - corrente nominal 20 kA 20 kA 20 kA 20 kA 20 kA
72 mm
90 m
m
- onda 8/20 ms -
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns Peso: 305 gr Peso: 52 gr Peso: 195 gr

Classe - IEC 61643-1 II II II II II Conexão 2


6 mm a 25 mm
2

Pólos Tripolar (*) Tripolar (*) Tripolar (*) Tripolar (*) Tripolar (*)
Forma de proteção ‘ Y ’ (#) ‘ Y ’ (#) ‘ Y ’ (#) ‘ Y ’ (#) ‘ Y ’ (#)

(*) Para os modelos da Linha Plug-in, os módulos são individuais, portanto utilizar três módulos conectados em uma base Tripolar FV (Código 310009).
(#) Forma de Proteção ‘Y’, trata-se de proteção no Modo Comum (L1-T / L2-T) e no Modo Transverso (L1-L2), portanto proporcionando maior proteção.
Exemplo Sistema com Inversor BIFÁSICO
Painel Fotovoltáico Disjuntores/Seccionadora Inversor Disjuntores
VCC VCA
Distância
> 10mts DC AC
kWh

Medidor

DPS - DC DPS - DC DPS - AC

Aterramento

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 25
A linha de String Box da Embrastec foi projetada em várias configurações, as quais podem ser compostas de acordo
com a necessidade. A tensão máxima de operação é determinada pelo DPS utilizado.
Especialmente projetada para:
- Seccionamento do circuito entre a série fotovoltaica e o inversor;
- Proteção do inversor e/ou das séries fotovoltaicas contra surtos elétricos.

Composta com dispositivo de proteção contra surtos elétricos Classe I+II ou Classe II, DPS em conformidade com as
Normas IEC 61643-31 e EN 50539
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS
1E / 1S 2E / 2S
Caixa plástica, em ABS Configurações: Configurações: Configurações: 4E / 2S
Anti-chama - UL94 V0 2E / 1S 3E / 1S 6E / 2S
Proteção UV
Temperatura: - 40ºC até 80ºC
IP : 65 (opção com IP 40)

Chave Seccionadora 25A x 1000VDC IP30 25A x 1000VDC IP30 25A x 1000VDC IP30
(Norma aplicável - IEC 60947-3) 3 Pólos 3 Pólos (1S) / 4 Pólos (2S) 4 Pólos

Fusíveis 10,3 x 38mm 10,3 x 38mm


(não utilizado) (somente para 3E)
(Norma aplicável - IEC 60269-2-4-6) 1000 VDC . gPV 1000 VDC . gPV

Dimensões: 215 x 235 x 110mm 215 x 307 x 110mm 409 x 307 x 110mm

Peso 1500 gr 2200 gr 4400 gr

Composição do Código:
S = Seccionadora Grau de Proteção 4 = IP40
D = Disjuntor **
x x x x x x x da caixa 6 = IP65

*1 = S/F Fusíveis Nº de Saídas 1


2 = 15A 2
1
2
Nº de Entradas
05 = 500 VDC 3
07 = 750 VDC
Tensão do DPS
4
10 = 1000 VDC U CPV (VDC) Imáx do DPS 2 = 20kA 6
4 = 45kA

* String Box sem a utilização de fusíveis gPV. Somente possível em configuração de uma ou duas entradas
** O uso de DISJUNTOR, somente para 1 ou 2 entradas de 500VDC cada, ou 1 entrada com tensão de 750 ou 1000Vcc.

Estrutura: OFF
ON

ON ON
Vermelho = Trocar Vermelho = Trocar Vermelho = Trocar Vermelho = Trocar Vermelho = Trocar Vermelho = Trocar
L1 L2 L1 L2
DPS Fotovoltáico DPS Fotovoltáico

Uc 1000 V DC Uc 1000 V DC
Imax 45 kA (8/20 ms) Imax 45 kA (8/20 ms)
In 20 kA (8/20 ms)
OFF In 20 kA (8/20 ms) OFF
Up < 3,5 kV Up < 3,5 kV

Classe II max. 100A Classe II max. 100A

ON

OFF

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 26
A Linha Alerta foi desenvolvida para possibilitar ao usuário que não dispõe de um sistema de automação,
monitorar o estado dos DPS, Classe I e Classe II.
Abaixo demonstramos a sua instalação com os DPS.

O módulo Alerta, é instalado no quadro, devendo


ser conectado à sinalização remota dos DPS,
Classe I e II.

LED Verde Acesso: DPS em perfeito estado;

LED Vermelho Piscando: Em conjunto com um


. BIP sonoro, indica que
. um ou mais DPS a ele .
. acoplado não está . nte
. . operante, substituir . e

pat
. imediatamente. I
P
IN

Esquema de ligação:
2 2
a) Utilizar cabo flexível entre 0,50 mm e 1,5 mm;
b) Conectar o pino 1 do Módulo Alerta, no pino “n.f.” do DPS 1;
c) Conectar o pino “c” do DPS 1 ao pino “n.f.” do DPS 2;
d) Conectar o pino “c” do DPS 2 ao pino “n.f.” do DPS 3;
e) Conectar o pino “c” do DPS 3 ao pino “2” do Módulo Alerta.
Obs. Caso possua mais DPS instalados, basta seguir a mesma
sequência para os demais DPS.

“e”
“d” “c” “b” 2
c n.f. 1
x x x x x
x x x x x x x x x

x x
x x x

DPS 3 DPS 2 DPS 1 Alerta

x x x x x

Entrada
AC do Módulo Alerta

Dimensões
48 mm
71 mm

m
90 m
20 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 27
Os DPS (Dispositivos de Proteção Contra Surtos) E - LED foram desenvolvidos para proteger os sistemas de
iluminação pública, com tecnologia LED.
Indicado para proteção tanto da Luminária LED quanto do controlador eletrônico - LED.
Podendo ser instalado tanto na caixa de ligações quanto no topo dos postes, próximo das Luminárias.
Projetado em material polimérico, com proteção IP66. Composto de Varistores de Óxido de Zinco, dispostos no
modo comum e transverso proporcionando alta capacidade de exposição à surtos aliada a uma baixa tensão residual.
Possui um dispositivo que o desconecta do circuito, quando finda a sua vida útil, com sinalização local.
Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as características da Classe II,
conforme a norma IEC 61643-11..

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS


Caixa plástica,
injetada em Termoplástico anti-chama
Grau : VO- UL94,
Temperatura: - 40ºC até 80ºC
TOV - Sobretensão temporária - Atende a IEC 61643
Câmara Blindada (evita arco voltaíco)
Sinalização de defeito: LED “apagado” = substituir
Máximo Fusível de back-up: 16 A
Instalação em série ou paralelo

E-LED MODELOS Dimensões


Código 960215 960220 961215 961220 960320
Imax - Corrente máxima de surto (8/20ms) 15 kA 20 kA 15 kA 20 kA 20 kA
In - Corrente nominal (8/20ms) 5 kA 10 kA 5 kA 10 kA 10 kA
Un - Tensão Nominal 100 a 240VAC 100 a 240VAC 90 a 320VAC
Uc - Máxima tensão de operação 275 VAC / 350 VDC 275 VAC / 350 VDC 385 VAC / 505 VDC
Up - Nível de proteção
≤ 0,9 kV @ 5kA ≤ 0,9 kV @ 5kA
≤ 1,0 kV @ 10kA ≤ 1,0 kV @ 10kA ≤ 1,5 kV @ 10kA
Tecnologia de proteção MOV (Varistor) MOV + Centelhador MOV (Varistor)
Grau de proteção IP66 IP66 IP66
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns
Classe - IEC 61643-11 II / T2 II / T2 II / T2
Condutores protegidos 2 2 2
Corrente nominal da carga 10A 10A 10A
Cabo de ligação (bitola/comprimento) 1,0mm² / 150mm de comprimento
Modo de proteção
L1/ L2 (N) PE (modo comum) Peso: 60 gr
L1 L2 (N) (modo transverso)

Instalação em Paralelo Instalação em Série Luminária LED


Luminária ou (2)

Controlador LED
Aterramento

Aterramento

(1)
F1 F1 F2 PE
F1 F1 F2 PE (IN) (OUT) (N)
(IN) (OUT) (N)

Neste caso, a F1 ficará em série,


Neste caso, não
interrompendo a alimentação em
utilizar a F1(out)
caso de atuação do DPS.
Utilizar F1(IN) - para entrada e Instalação na caixa técnica (1) ou
F1 (OUT) - para saída.
na Luminária (2)

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 28
Os Dispositivos de Proteção Contra Surtos -DPS Para -Raio de Baixa Tensão foram
desenvolvidos para proteger as redes de distribuição de baixa tensão.
Projetado em material polimérico, com proteção UV, portanto indicado para instalações
externas.Composto de Varistores de Óxido de Zinco, sem centelhadores em série.
Possui um dispositivo que o desconecta do circuito, quando finda a sua vida útil.

Esta Linha está em conformidade com a norma ABNT 5410/2004 e atende as


características da Classe II, conforme a norma IEC 61643-1, assim também como da
Classe “C”, conforme norma DIN VDE 0675.
Disponível em duas versões, para rede convencional ou rede isolada. .

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS


Caixa plástica, injetada em material polimérico não propagante à chama,
GABINETE
Grau : VO- UL94,

Para-Raio BTC Para-Raio BTI Para-Raio BTC Para-Raio BTI Para-Raio BTC Para-Raio BTI Para-Raio BTC Para-Raio BTI
MODELOS 280V/20kA 280V/20kA 440V/20kA 440V/20kA 280V/40kA 280V/40kA 440V/40kA 440V/40kA

Código 800220 801220 800420 801420 800240 801240 800440 801440


Tipo Rede Rede Isolada Rede Rede Isolada Rede Rede Isolada Rede Rede Isolada
convencional convencional convencional convencional
Un - Tensão de max. de operação contínua 280 VCA 280 VCA 440 VCA 440 VCA 280 VCA 280 VCA 440 VCA 440 VCA
Uref - Tensão de Referência @ 1mA (+/- 10%) 430 V 430 V 750 V 750 V 430 V 430 V 750 V 750 V
I n - corrente nominal 10 kA 10 kA 10 kA 10 kA 20 kA 20 kA 20 kA 20 kA
Corrente máxima de surto
- onda 8/20 ms - 20 kA 20 kA 20 kA 20 kA 40 kA 40 kA 40 kA 40 kA
Tensão residual-Valor de crista < 1,3 kV < 1,3 kV < 1,8 kV < 1,8 kV < 1,3 kV < 1,3 kV < 1,8 kV < 1,8 kV
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns
Dispositivo de proteção (*) sim sim sim sim sim sim sim sim
Proteção de Sobrecorrente Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável Não Aplicável
Grau de Proteção IP 66 IP 66 IP 66 IP 66 IP 66 IP 66 IP 66 IP 66

(*) Em caso de queima do módulo protetor, ocorre a desconexão automática do circuito, isolando o protetor dos condutores, sendo de fácil visualização (figura 01 abaixo).

MODELO MONOFÁSICO MODELO BIFÁSICO MODELO TRIFÁSICO Desconexão:


Fase Fase Fase

Fase Fase

Neutro Neutro Fase A desconexão é


através de uma
lâmina que se
desprende do
protetor, sendo
Neutro de fácil visualição.

Figura 01

Produto Testado Dimensões: Rede Convencional: Rede Isolada:


77 mm

57 mm

UNICAMP

55 mm

Peso 230 gr

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 29
Os DPS da Linha Plug and Play, foram desenvolvidos para proteger equipamentos eletro-eletrônicos em geral.
Apresenta uma fácil instalação sem a necessidade de conhecimentos técnicos, sendo de simples plugagem, ou seja,
basta conectar o protetor entre o equipamento a ser protegido e a rede que o alimenta (elétrica, telefônica, de dados, de
sinais, etc.).
É indicado para o usuário comum, residências, profissionais liberais, pequenas empresas, escritórios, etc..
Esta linha é bivolt, portanto versátil na sua utilização, veja abaixo os modelos disponíveis.

Eletro 2000 Telefax

Finalidade: Proteção para a rede elétrica de equipamentos com Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para uma
consumo até 2000 watts (bivolt). linha telefônica.
Aplicação: Microcomputadores s/ modem, copiadoras, microondas, Aplicação: Microcomputadores, modem ADSL, fac-símiles,
geladeiras, freezers, aparelhos de som, equipamentos médico-
secretárias eletrônicas, telefones s/ fio, etc.
hospitalares, etc.
REDE ELÉTRICA COMPUTADOR
MICROONDAS COPIADORA COM FAX-MODEM

TELEFAX
ELETRO - 2000
F
U F
S U
I S
V I
F E V
U L E
S F L
I U
V S
E I
L V
E
L

IMPRESSORA
NO BREAK
ou
ESTABILIZADOR NO BREAK
REDE ELÉTRICA ou
COMPUTADOR LINHA TELEFÔNICA ESTABILIZADOR

CÓDIGO: 401002 - 10A CÓDIGO: 402002 - 10A


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

POTÊNCIA 1200W ( 127V ) / 2200W ( 220V ) CONEXÃO ( rede elétrica ) Cabo de 1,2m com plug 2P+T ( entrada )
- conforme NBR 14136 - 2 tomadas 2P+T ( saída )
TENSÃO NOMINAL 110 a 240Vac @ 50/60 Hz

FUSÍVEIS 10A (1 por fase) - (Acompanha 2 fusíveis reserva) CONEXÃO ( linha telefônica ) Conector RJ 12 fêmea ( entrada/saída )
Acompanha Cabo de 1.2 m c/conector RJ12 macho
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 275Vac
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms MÓDULO ELETRICSYSTEM
TEMPO DE RESPOSTA < 25ns POTÊNCIA 1200W ( 127V ) / 2200W ( 220V )
FORMA DE PROTEÇÃO (F-N)/ (F-T)/ (N-T) Ligação Monofásica TENSÃO NOMINAL 110 a 240Vac @ 50/60 Hz
(F1-F2)/ (F1-T)/ (F2-T) Ligação Bifásica FUSÍVEIS 10A (1 por fase) - (Acompanha 2 fusíveis reserva)
CONEXÃO ( rede elétrica ) Cabo de 1.2m com plug 2P+T ( entrada ) MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 275Vac/ 350Vcc
- conforme NBR 14136 - 2 tomadas 2P+T ( saída )
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
TEMPO DE RESPOSTA < 25ns
FORMA DE PROTEÇÃO (F-N)/ (F-T)/ (N-T) Ligação Monofásica
(F1-F2)/ (F1-T)/ (F2-T) Ligação Bifásica
Dimensões:

F
MÓDULO TELESYSTEM - I
U
S
I
V
E
F
U
S
I
60 mm TENSÃO DE NOMINAL 48V
L V
E
L

FUSÍVEIS 0,25A ( 1 por fase ) - (Acompanha 1 fusível reserva)


95 mm
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 50Vca/ 65Vcc
140 mm MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
TEMPO DE RESPOSTA < 25ns
CONDUTORES PROTEGIDOS 1 par
Peso bruto: 640 g
Peso líquido: 560 g

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 30
Os DPS da Linha Plug and Play, foram desenvolvidos para proteger equipamentos eletro-eletrônicos em geral.
Apresenta uma fácil instalação sem a necessidade de conhecimentos técnicos, sendo de simples plugagem, ou seja,
basta conectar o protetor entre o equipamento a ser protegido e a rede que o alimenta (elétrica, telefônica, de dados, de
sinais, etc.).
É indicado para o usuário comum, residências, profissionais liberais, pequenas empresas, escritórios, etc..
Esta linha é bivolt, portanto versátil na sua utilização, veja abaixo os modelos disponíveis.

Antena 2000 Intercomp

Finalidade: Proteção para a rede elétrica (100 a 240 Vca) e para


comunicação de dados, CAT5, CAT6 e alimentação elétrica em
Finalidade: Proteção para a rede elétrica (bivolt) e para uma corrente contínua via cabo UTP, “PoE” Power Over Ethernet .
conexão de antena (vhf/vhs).
Aplicação: Modems, Rádio transmissores de dados/voz via RF
Aplicação: Televisores com antenas externas, tv a cabo, (rádio frequência) e demais equipamentos alimentados via cabo UTP.
home-teather, vídeo cassetes, modem ADSL, etc.
APARELHO CÓDIGO: 405008 - Intercomp - Conector Rj45 - CAT5
REDE DE
ELÉTRICA
SOM 405008e - Intercomp - Conector Rj45 - CAT6
Antena 2000
405308 - Intercomp “PoE+” - 30Vcc
F
U
S
I
V
E
L
405608 - Intercomp “PoE+” - 60Vcc

TELEVISOR
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
VIDEO CASSETE OU DVD MÓDULO ELETRICSYSTEM
POTÊNCIA 1200W ( 127V ) / 2200W ( 220V )
CÓDIGO: 403002 - 10A
TENSÃO NOMINAL 110 a 240Vac @ 50/60 Hz
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS FUSÍVEIS 10A ( 1 por fase ) - (Acompanha 2 fusíveis reserva)

CONEXÃO ( rede elétrica ) Cabo de 1,2m com plug 2P+T ( entrada ) MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 275Vac/ 350Vcc
- conforme NBR 14136 - 2 tomadas 2P+T ( saída ) MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
CONEXÃO ( sinal VHF/VHS/UHF ) Conector (F) 75 - fêmea ( entrada/ saída)
acompanha cabo de 1,2ms TEMPO DE RESPOSTA < 25ns
FORMA DE PROTEÇÃO (F-N)/ (F-T)/ (N-T) Ligação Monofásica
MÓDULO ELETRICSYSTEM
(F1-F2)/ (F1-T)/ (F2-T) Ligação Bifásica
POTÊNCIA 1200W ( 127V ) / 2200W ( 220V )
CONEXÃO ( rede elétrica ) Cabo de 1,2m com plug 2P+T ( entrada )
TENSÃO NOMINAL 110 a 240Vac @ 50/60 Hz - conforme NBR 14136 - 2 tomadas 2P+T ( saída )
FUSÍVEIS 10A (1 por fase) - (Acompanha 2 fusíveis reserva)
MÓDULO LINKSYSTEM CAT5 e CAT6
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 275Vac/ 350Vcc
TENSÃO NOMINAL 12 Vcc
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 15 Vcc
TEMPO DE RESPOSTA < 25ns
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
FORMA DE PROTEÇÃO (F-N)/ (F-T)/ (N-T) Ligação Monofásica
TEMPO DE RESPOSTA < 25ns
(F1-F2)/ (F1-T)/ (F2-T) Ligação Bifásica
CONDUTORES PROTEGIDOS Rj45 - CAT5 (pinos 1, 2, 3 e 6) / Rj45 - CAT6 ( 1 ao 8)
CONEXÃO ( dados ) Conectores RJ45 fêmea ( entrada/ saída ) ou
MÓDULOS -ANTENASYSTEM Conectores Coaxial fêmea ( entrada/ saída )
TENSÃO NOMINAL 30V MÓDULO LINKSYSTEM PoE
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 30Vac/ 38Vcc DADOS
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms TENSÃO NOMINAL 15Vcc
TEMPO DE RESPOSTA < 25ns MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 15Vcc
CONDUTORES PROTEGIDOS 1 par ( coaxial ) PoE+
TENSÃO NOMINAL 30Vcc 60Vcc
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 35Vcc 65Vcc
Dimensões:
60 mm
F
U

MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms


S F
I U
V S
E I
L V
E
L

TEMPO DE RESPOSTA < 25ns


95 mm
CONDUTORES PROTEGIDOS Pinos 1, 2, 3 e 6 (Dados)
Peso bruto: 640 g Pinos 4,5,7 e 8 (Vcc - PoE)
140 mm
Peso líquido: 560 g

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 31
ELETRICSYSTEM DCSYSTEM
Finalidade: Proteção para a Aplicação: Indicado para proteger
equipamentos que utilizam alimentação
rede elétrica de equipamentos em 12Vcc, 24Vcc, 38Vcc, 48Vcc e 60
com consumo até 1000 watts. Vcc, respectivamente. Estes modelos
Aplicação: Indicado para estão disponíveis em duas versões,
proteger a alimentação com um par e com dois pares. Deverá
ser utilizado um protetor para cada cabo
elétrica de equipamentos (com um par ou dois pares), não tendo
eletrônicos em geral. limite de protetores. Para outras
tensões, consulte nossa central de
atendimento.
Obs.: este produto pode ser instalado
em corrente alternada, no entanto deve-
se observar a correta tensão de disparo.
Vide no quadro abaixo.

CÓDIGO DOS MÓDULOS


Modelo:
F501002 (Módulo Flex Eletricsystem - Monofásico/Bifásico) Dcsystem
F501003 (Módulo Flex Eletricsystem - Trifásico - 220/227Vac)
F501303 (Módulo Flex Eletricsystem - Trifásico - 385 Vac)
F501403 (Módulo Flex Eletricsystem - Trifásico - 485 Vac)

CÓDIGO DAS BASES: ALIMENTAÇÃO EXTERNA


EQUIPAMENTO aterramento (em corrente contínua)
F500003 - Base Flex 2 contatos + terra (Borne c/ Parafusos)
F500004 - Base Flex 3 contatos + terra (Borne c/ Parafusos)
F500007 - Base Flex 4 contatos + terra (Borne c/ Parafusos) CÓDIGO DOS MÓDULOS:

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS MODELO 2 CONDUTORES 4 CONDUTORES

CONEXÃO ( rede elétrica ) Borne 1,5 mm ( entrada e saída) Dcsystem 12V F507121 F507122
In (corrente nominal) 10 ampères Dcsystem 18V F507181 F507182
TENSÃO NOMINAL e Up Dcsystem 24V F507241 F507242
Dcsystem 36V F507381 F507382
F501002 100 a 240Vac (mono/bifásico)
Dcsystem 48V F507481 F507482
Nível de Proteção (Up) < 1,3kV
Dcsystem 60V F507601 F507601
F501003 227Vac (trifásico)
Dcsystem 125V F507125* -
Nível de Proteção (Up) < 1,3kV
F501303 380Vac (trifásico) CÓDIGO DAS BASES:
Nível de Proteção (Up) < 1,6kV
F500003 - Base Flex 2 condutores + terra (Borne c/ Parafusos)
F501403 440Vac (trifásico) F500007 - Base Flex 4 condutores + terra (Borne c/ Parafusos)
Nível de Proteção (Up) < 1,8kV
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO CONEXÃO Borne para cabo de 1,5 mm²

275Vca/ 350Vcc In (corrente nominal) 5 ampères


F501002
Tecnologia de proteção 3 Estágios: (centelhadores a gás/
F501003 275Vca/ 350Vcc varistores e
F501303 385Vca/ 500Vcc diodos supressores)
MÁX. CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
F501403 485Vca/ 650Vcc
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns MODELO Un - Tensão Nominal Uc - Tensão de Disparo
FORMA DE PROTEÇÃO Modo Comum e Transverso (Máxima Tensão de Operação)

Dcsystem 12V 12V 14Vac / 18Vcc


FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35
Dcsystem 18V 18V 20Vac / 26Vcc
Dcsystem 24V 24V 25Vac / 31Vcc
Dimensões
48 mm

Dcsystem 38V 38V 40Vac / 56Vcc


71 mm

Dcsystem 48V 48V 50Vac / 65Vcc


Dcsystem 60V 60V 60Vac / 85Vcc
Dcsystem 125V 125V 95Vac / 125Vcc*
m
90 m * A Máxima Tensão de Operação (Uc ), no modelo F507125 em corrente alternada,
20 mm
é menor que a Tensão Nominal.
Peso aproximado: 110g

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 32
TELESYSTEM TELESYSTEM E1
Finalidade: Proteção para a linha Finalidade: Proteção para a linha
telefônica. telefônica E1.
Aplicação: Indicado para proteger Aplicação: Indicado para proteger
centrais telefônicas em geral. Não tem modem que utilizam E1 para recepção
limites de linhas ou ramais. de linhas telefônicas digitais.
Cada protetor Telesystem protege uma Cada protetor Telesystem E1 protege
ou duas linhas ou ramais, devendo ser uma das comunicações RX/TX,
utilizada a quantidade de protetores devendo ser utilizados dois protetores,
necessária. Os protetores deverão ser uma para o cabo do RX e outro para o
aterrados. cabo do TX. Os protetores deverão ser
Obs.: Para proteção da rede elétrica, aterrados.
utilize o modelo Eletricsystem. Obs.: Para proteção da rede elétrica,
utilize o modelo Eletricsystem.

MODEM
DA
DG Modelo:
CONCESSIONÁRIA

Telesystem
Modelo:
Telesystem E1

Modelo:
Modelo: Telesystem
Telesystem
RX
TX CENTRAL
CENTRAL TELEFÔNICA
TELEFÔNICA RAMAIS
RAMAIS Modelo: EXTERNOS
Modelo: EXTERNOS
Eletricsystem
Eletricsystem

RAMAIS INTERNOS
RAMAIS INTERNOS
Rede Eletrica
Rede Eletrica 100 a 240 Vac
100 a 240 Vac
Aterramento
Aterramento

CÓDIGO DOS MÓDULOS CÓDIGO DOS MÓDULOS


F502002 (Módulo Flex Telesystem - 01 linha) F5020E1 (Módulo Flex Telesystem - E1)
F502004 (Módulo Flex Telesystem - 02 linhas) CÓDIGO DAS BASES:
CÓDIGO DAS BASES: F500012 - Base Flex - Conector BNC
F500003 - Base Flex 2 contatos + terra (Borne c/ Parafusos) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
CONEXÃO Conector BNC
F500007 - Base Flex 4 contatos + terra (Borne c/ Parafusos)
CONEXÃO ATERRAMENTO Terminal de Aterramento
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
TENSÃO NOMINAL 48Vcc
CONEXÃO Borne 1,5 mm (entrada e saída) MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 50Vac/ 65Vcc
TENSÃO NOMINAL 48Vcc MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 50Vac/ 65Vcc TEMPO DE RESPOSTA < 1ns
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms FORMA DE PROTEÇÃO 1 par por linha
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35
FORMA DE PROTEÇÃO 1 par por linha
FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35

Dimensões
48 mm
71 mm

m
90 m
20 mm
Peso aproximado: 110g

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 33
RS SYSTEM LINKSYSTEM
Aplicação: Indicado para proteger Aplicação: Indicado para proteger
equipamentos que utilizam comunicação de dados via tecnologia
comunicação de dados padrão RS 232, Ethernet, Fast Ethernet e Gigabit
RS 422 ou 485. Estes modelos estão Ethernet.
disponíveis em duas versões, com dois
ou três condutores protegidos. pares. Disponível nos modelos:
Deverá ser utilizado um protetor para Linksystem - Cat5
cada cabo (com 2 ou 3 condutores), não Linksystem - Cat6
tendo limite de protetores, os quais Linksystem - ‘‘PoE+’’ 30V
também deverão ser fixados em um Linksystem - ‘‘PoE+’’ 60V
trilho DIN (Ts35).
Para proteção da rede elétrica utilize o Para a proteção da rede elétrica utilizar
modelo Eletricsystem. o modelo Eletricsystem.

Modelo:
Modemsystem
HUB, ROTEADOR OU SWITCH

Modelo: (TRASMISSOR/RECEPTOR)
Eletricsystem SINAL DE DADOS Modelo:
Eletricsystem
Modelo:
Linksystem

Rede Eletrica Modelo:


100 a 240 Vac Eletricsystem Rede Eletrica
aterramento 100 a 240 Vac
Aterramento

CÓDIGO DOS MÓDULOS CÓDIGO DO MÓDULO


F506002 Módulo Flex Rs System - 02 condutores F505002 Módulo Flex Linksystem - Cat5
F506003 Módulo Flex Rs System - 03 condutores F505008 Módulo Flex Linksystem - Cat6
F506004 Módulo Flex Rs System - 04 condutores F505308 Módulo Flex Linksystem - PoE+ 30V
F506052 Módulo Flex Rs System - 5V 02 condutores F505608 Módulo Flex Linksystem - PoE+ 60V
F506302 Módulo Flex Rs System - 30V 02 condutores
CÓDIGO DA BASE
F506303 Módulo Flex Rs System - 30V 03 condutores
F506304 Módulo Flex Rs System - 30V 04 condutores F500045 Base Flex RJ45 Cat5
CÓDIGO DAS BASES: F500046 Base Flex RJ45 Cat6/PoE
F500003 - Base Flex 2 contatos + terra (Borne c/ Parafusos)
F500004 - Base Flex 3 contatos + terra (Borne c/ Parafusos) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
F500007 - Base Flex 4 contatos + terra (Borne c/ Parafusos) CONEXÃO (dados) Conector RJ45 Fêmea Blindado (entrada/saída)
CONEXÃO (aterramento) Terminal de aterramento
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
TENSÃO NOMINAL (dados) 15Vcc
CONEXÃO Borne 1,5 mm (entrada e saída)
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 15Vcc
MODELOS F506052 F506002 F506302
TENSÃO NOMINAL (PoE) PoE+30V PoE+ 60V
F506003 F506303
F506304 30Vcc 60Vcc
F506004
TENSÃO NOMINAL 5Vcc 12Vcc 30Vcc MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 35Vcc 65Vcc
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 11Vcc 14Vcc 31Vcc
TEMPO DE RESPOSTA < 1 ns
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
CONDUTORES PROTEGIDOS Cat5: pinos 1, 2, 3 e 6 (Dados)
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns
Cat6: pinos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8
CONDUTORES PROTEGIDOS 2, 3 ou 4 condutores protegidos
PoE: pinos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8
FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35
FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35
Dimensões PRINCIPAIS PADRÕES E 802.3, 802.3u, 802.3ab, 802.3z, 802.3x, 802.1p
48 mm

PROTOCOLOS IEEE 802.1q, 802.1d, 802.1w, 802.1s, 802.1ax,


71 mm

802.3ad, 802.3af e 802.3at

CABEAMENTO SUPORTADO 10BASE-T Cabo UTP categoria 3, 4, 5


100BASE-TX Cabo UTP categoria 5, 5e
1000BASE-T Cabo UTP categoria 5e, 6
m
Peso aproximado: 110g 90 m
20 mm

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 34
ALARMSYSTEM CAMERASYSTEM
Aplicação: Indicado para proteger a Aplicação: Indicado para proteger
rede elétrica e a entrada da linha camêras, multiplexadores, quads e
telefônica das centrais de alarmes. Está monitores. Compatível com as principais
disponível em duas versões 110 Volts e tecnologias: HDCVI, HDTVI, AHD e SD.
220 Volts. Sua instalação é bem simples Estes modelos estão disponíveis com
basta conectá-lo entre a rede (elétrica e conector BNC, conector “F “, para cabo
telefônica) e a Central de Alarme. Veja coaxial e com bornes p/ cabo UTP(par
abaixo como sua instalação é bem trançado).
simples: Deverá ser utilizado um protetor para
cada câmera, ou para cada porta do
quad, ou multiplexador ou monitor, pois
as duas extremidades deverão ser
protegidas.
Para a proteção da rede elétrica utilize o
modelo Eletricsystem.

CÂMERA MULTIPLEXADOR/QUAD ou
Modelos: MONITOR
Camerasystem

Central
de
alarme Linha telefônica
Rede elétrica
aterramento
Rede Rede
Elétrica Modelos: Elétrica
Eletricsystem
aterramento aterramento

CÓDIGO DO MÓDULO CÓDIGO DOS MÓDULOS


F514222 Módulo Flex Alarmesystem F512001 Módulo Flex Camerasystem
CÓDIGO DAS BASES: F512003 Módulo Flex Camerasysten UTP
CÓDIGO DAS BASES:
F500007 Base Flex 4 condutores + terra (borne c/ parafuso F500012 Base Flex conector ‘‘BNC’’
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS F500013 Base Flex conector ‘‘F’’
F500007 Base Flex 2 condutores + terra ‘‘Bornes’’
CONEXÃO (elétrica/ telefonia) Cabo de 1,5mm²
CONEXÃO (aterramento) Terminal de aterramento CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
TENSÃO NOMINAL (linha telefônica) 48V CONEXÃO (sinal) Conector ‘‘BNC’’, ‘‘F’’ ou
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 50Vac/ 65Vcc Borne 1,5mm²
TENSÃO NOMINAL (rede elétrica) 100 a 240Vac @ 50/60Hz CONEXÃO (aterramento) Conector de aterramento
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 275Vac/ 350Vcc TENSÃO NOMINAL 2Vpp
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000A @ 8/20 ms MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 7.1Vcc
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms
CONDUTORES PROTEGIDOS 2 condutores (linha telefônica) e TEMPO DE RESPOSTA < 1ns
2 condutores (rede elétrica) CONDUTORES PROTEGIDOS 2 condutores
FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35 TECNOLOGIAS COMPATÍVEIS HDCVI, HDTVI, AHD E SD
FIXAÇÃO Trilho DIN Ts35

Dimensões
48 mm
71 mm

m
90 m
20 mm

Peso aproximado: 110g

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 35
DPS CLASSE III - INOX - RS SYSTEM DPS CLASSE III - INOX - DCSYSTEM
Aplicação: Indicado para proteger equipamentos que utilizam Aplicação: Indicado para proteger equipamentos que utilizam
comunicação de dados padrão RS 232, RS 422 ou 485. Proteção alimentação em 12Vcc, 24Vcc, 38Vcc, 48Vcc, 60 Vcc e 125Vcc,
para dois condutores. respectivamente. Proteção para dois condutores.

MODO DE INSTALAÇÃO DPS INOX: Rs system e Dcsystem CÓDIGO - Inox Dcsystem 2 Condutores
Ox507121 DPS Inox Classe III - DC System 12V
(TRASMISSOR/RECEPTOR) Ox507181 DPS Inox Classe III - DC System 18V
DPS
Linha Inox SINAL DE DADOS Ox507241 DPS Inox Classe III - DC System 24V
Ox507381 DPS Inox Classe III - DC System 38V
Ox507481 DPS Inox Classe III - DC System 48V
Ox507601 DPS Inox Classe III - DC System 60V
Ox507125 DPS Inox Classe III - DC System 125V*
Ox507127 DPS Inox Classe III - DC System 127V
Ox507220 DPS Inox Classe III - DC System 220V
Aterramento CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
CONEXÃO Cabo flexível de 1,5mm²
CORRENTE NOMINAL 5A
TENSÃO NOMINAL
MODELO Tensão Nominal - Un Máxima Tensão de
CÓDIGO Operação - Uc

Ox506002 DPS Inox Classe III - RS system 2 condutores Ox507121 12V 14Vac / 18Vcc
Ox507181 18V 20Vac / 26Vcc
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
Ox507241 24V 25Vac / 31Vcc
CONEXÃO Cabo flexível de 1,5mm² Ox507381 38V 40Vac / 56Vcc
TENSÃO NOMINAL 12Vcc Ox507481 48V 50Vac / 65Vcc
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 14Vac/ 18Vcc Ox507601 60V 60Vac / 85Vcc
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000A @ 8/20 ms Ox507125 125V 95Vac / 125Vcc*
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns Ox507601 127V 175Vac / 270Vcc
CONDUTORES PROTEGIDOS 2 condutores Ox507125 220V 275Vac / 350Vcc
ACONDICIONAMENTO Invólucro cilÍndrico de aço inox MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000A @ 8/20 ms
com rosca NPT 1/2 polegada.
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns
TECNOLOGIA DE PROTEÇÃO 3 estágios (centelhador a gás,
varistor e diodos supressores)
ACONDICIONAMENTO Invólucro cilindrico em aço inox
com rosca NPT 1/2 polegada.
* A Máxima Tensão de Operação (Uc ), no modelo Ox507125 em corrente
alternada, é menor que a Tensão Nominal.
Dimensões 67

22
42

26

15

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 36
Para obtenção de uma rede de automação ROBUSTA e CONFIÁVEL, é imprescindível a utilização de DPS Classe III, nos
cabos de comunicação de dados e na alimentação elétrica.
A EMBRASTEC possui DPS para todos os tipos de protocolos, seja:
PROFIBUS DP, PROFIBUS PA, DeviceNetTM, Foundation FieldbusTM, HART TM, AS-Interface 3.0, MODBUS DIRECT
ou MODBUS FIELDNET.

Além da Norma ABNT 5410:2004 que preconiza a instalação de DPS na Linha de Sinais (Dados), outras normas
específicas também indicam a sua instalação, veja abaixo um exemplo:

Descrição Técnica de 2009 da Associação PROFIBUS Brasil America Latina ( página 29)
Supressor de Transientes
Toda vez que se tiver uma distância efetiva maior que 100m na horizontal ou 10m na vertical entre dois pontos aterrados,
recomenda-se o uso de protetores de transientes, no ponto inicial e final da distância. Na prática, na horizontal, entre 50 e
100m recomenda-se o seu uso.

DPS Classe III DPS Classe III


RSsystem RSsystem

Host

Comprimento
do tronco > 50m Nó >10m

Fonte
de
Alimentação

DPS Classe III


RS system

DPS Classe III


Eletricsystem

DPS Classe III


RS system

Atenção: Para equipamentos que são alimentados no local, utilizar DPS Eletricsystem quando for
corrente alternada ou DPS DCsystem quando for corrente contínua.

Modelos Utilizados:
Dimensões
48 mm
71 mm

m
90 m DPS Classe III DPS Classe III DPS Classe III
20 mm
Eletricsystem DCsystem RS system
Peso aproximado: 110g (pag. 34) (pag.34) (pag.37)

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 37
Os protetores da Linha Profissional Antenas, foram desenvolvidos para proteger a comunicação de
dados, vídeo, voz e demais sinais de diversos equipamentos, via antenas, seja vhf, uhf ou rádio fequência.
Disponível em vários modelos, conforme abaixo:

ANTENASYSTEM CN-RF SYSTEM

Aplicação: Indicado para proteger antenas coletivas em Finalidade: Proteção para comunicação via rádio frequência (RF),
condomínios e correlatos, com padrão 75 ohms, devendo ser conexão “N’ UHF, Mini-UHF, TNC ou BNC.
instalado no quadro de distribuição. Deverá ser utilizado um protetor
para cada cabo, não tendo limite de protetores, os quais também Aplicação: Indicado para proteger rádio amadores, celulares rurais e
deverão ser plugados em um trilho aterrado. Para proteção da rede demais equipamentos com transmissão de dados/voz, através de sinais
elétrica utilize o modelo Eletricsystem. de RF.

MISTURADOR
CN-RF System
ENTRADAS

EQUIPAMENTO
SAÍDA

aterramento

Modelo:
Eletricsystem Proteger a alimentação
da rede elétrica utilizando
os protetores:
Eletro 2000 ou Eletricsystem
Rede Elétrica (100 a 240 Vca) Divisor

Aterramento
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
GABINETE: MATERIAIS TRATAMENTOS
CÓDIGO CORPO: LATÃO NIQUELADO
ISOLANTES: TEFLON -
N503002 DPS Antenasystem
CONTATO FÊMEA: BRONZE FOSFOROSO OURO
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS FREQÜÊNCIA DE TRABALHO < 2,4 GHz
CONEXÃO (sinal) Conector ‘‘F’’ CÓDIGO: 515001 516001 516001M 517001 518001
CONEXÃO “N” “UHF” “Mini-UHF” “BNC” “TNC”
CONEXÃO (aterramento) Cabo flexível de 2,5mm²
TENSÃO NOMINAL -
FREQÜÊNCIA DE TRABALHO < 5,8 ghz
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 45V CÓDIGO: 515581 516581 516581M 517581G 518581G
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000 A @ 8/20 ms CONEXÃO “N” “UHF” “Mini-UHF” “BNC” “TNC”
TEMPO DE RESPOSTA < 100ns MÁXIMA CORRENTE DE SURTO (10/350ms) 20 kA
CONDUTORES PROTEGIDOS 2 condutores (Cabo coaxial) MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 300VCC
NÍVEL DE PROTEÇÃO 600V TENSÃO RESIDUAL @ 20 kA < 600V
CAPACITÂNCIA 2pF TEMPO DE RESPOSTA < 100ns
ATENUAÇÃO ATÉ 1,2GHz 0,8dB CAPACITÂNCIA < 2pF
ATENUAÇÃO ATÉ 2,4GHz 1,0dB ATENUAÇÃO ATÉ 2,4 GHz < 1,0dB
TEMPERATURA DE OPERAÇÃO -40ºC até 80ºC TEMPERATURA DE OPERAÇÃO -40ºC até 80ºC
RESISTÊNCIA DE ISOLAÇÃO 5Gohms RESISTÊNCIA DE ISOLAÇÃO 5 Gohms

Acessórios: CÓDIGO CONEXÃO


Dimensões:
60 mm 67 mm
CONECTOR
DUPLO MACHO 515099 ‘‘N’’

516099 ‘‘UHF’’
60 mm
25 mm
25 mm
60 mm

® ®

518099 ‘‘TNC’’

“F” / “BNC” / “TNC” / “Mini-UHF” “N” / UHF

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 38
NEW RACK - Linksystem Patch Panel NEW RACK - Linksystem PoE
APLICAÇÃO: Indicado para proteger comunicação de dados e
alimentação PoE - Power Over Ethernet via cabo UTP. Pode ser
utilizado em tecnologias Ethernet, Fast Ethernet e Gigabit Ethernet.
Disponível com proteção para 12, 16, 20 e 24 portas. O protetor
deverá ser aterrado. Para a proteção da rede elétrica, utilize o
modelo Eletricsystem ou Eletro2000.

NEW RACK - Linksystem CAT5 e CAT6 !Tecnologia Plug-In: Os módulos de proteção internos ao
HUB, ROTEADOR OU SWITCH equipamento possuem a tecnologia PLUG-IN, ou seja, os
módulos são plugáveis e podem ser substituídos pelo próprio
usuário, quando terminar a sua vida útil.
Modelo:
Eletricsystem - Gabinete em Alumínio/ Metal com pintura eletrostática
- Grau: V0 UL94
CÓDIGO
Nº de Portas PoE+ 30Vcc PoE+ 60Vcc
aterramento Rede Elétrica
(100 a 240 Vac) 12 Portas N505012P30 N505012P60
16 Portas N505016P30 N505016P60
APLICAÇÃO: Indicado para proteger comunicação de dados via 20 Portas N505020P30 N505020P60
cabo UTP, nos padrões Cat5 e Cat6, possibilitando a utilização em 24 Portas N505024P30 N505024P60
tecnologias Ethernet, Fast Ethernet e Gigabit Ethernet.
Disponível com proteção para 12, 16, 20 e 24 portas. O protetor CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
deverá ser aterrado. Para proteção da rede elétrica utilize o modelo
Eletricsystem ou Eletro2000. PROTEÇÃO Módulo - Linksystem Plug-IN PoE
CONEXÃO (dados) Conector RJ 45 Fêmea
CÓDIGO
Nº de Portas Modelos Cat5 Modelos Cat6 CONEXÃO (aterramento) Terminal de aterramento ou
cabo flexível de 1,5mm²
12 Portas N505012 N505012e MÓDULOS DE REPOSIÇÃO LINKSYSTEM PoE+ 30Vcc ( N205P30 )
16 Portas N505016 N505016e LINKSYSTEM PoE+ 60Vcc ( N205P60)
20 Portas N505020 N505020e
24 Portas N505024 N505024e TENSÃO NOMINAL (DADOS) 15 Vcc
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 15 Vcc
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
TENSÃO NOMINAL (PoE) PoE+ 30Vcc PoE+ 60Vcc
PROTEÇÃO Módulo - Linksystem Plug-IN Cat5/ Cat6 30Vcc 60Vcc
CONEXÃO (dados) Conector RJ 45 Fêmea MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 35Vcc 65Vcc
CONEXÃO (aterramento) Terminal de aterramento ou MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000A @ 8/20 ms
cabo flexível de 1,5mm² TEMPO DE RESPOSTA < 1ns
MÓDULOS DE REPOSIÇÃO LINKSYSTEM CAT5 ( CÓDIGO: N205002 ) CONDUTORES PROTEGIDOS Pinos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8
LINKSYSTEM CAT6 ( CÓDIGO: N20500e ) PRINCIPAIS PADRÕES E 802.3, 802.3u, 802.3ab, 802.3z, 802.3x, 802.1p
PROTOCOLOS IEEE 802.1q, 802.1d, 802.1w, 802.1s, 802.1ax,
TENSÃO NOMINAL 15 Vcc 802.3ad, 802.3af e 802.3at
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 15 Vcc
CABEAMENTO SUPORTADO 10BASE-T Cabo UTP categoria 3, 4, 5
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000A @ 8/20 ms 100BASE-TX Cabo UTP categoria 5, 5e
1000BASE-T Cabo UTP categoria 5e, 6
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns DIMENSÕES 1U
CONDUTORES PROTEGIDOS Pinos 1, 2, 3 e 6 para modelo Cat5
Pinos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8 para modelo Cat6
DIMENSÕES:
PRINCIPAIS PADRÕES E 802.3, 802.3u, 802.3ab, 802.3z, 802.3x, 802.1p
44mm

PROTOCOLOS IEEE 802.1q, 802.1x, 802.1d, 802.1w, 802.1s, 802.1v


802.3ac, 802.1ax e 802.3ad
CABEAMENTO SUPORTADO 10BASE-T Cabo UTP categoria 3, 4, 5
100BASE-TX Cabo UTP categoria 5, 5e
1000BASE-T Cabo UTP categoria 5e, 6

DIMENSÕES 1U
483
mm m
m
1 50

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 39
NEW RACK - CAMERASYSTEM
Aplicação: Indicado para proteger camêra, multiplexadores,
quads e monitores. Estes modelos estão disponíveis em 12
ou 16 portas, com conectores (“BNC” ou “ F ”) ou bornes (para
CAMERASYSYEM - CONEXÃO “F” cabo UTP). Compatível com as principais tecnologias:
HDCVI, HDTVI, AHD E SD. Deverão ser utilizados quantos
protetores forem necessários, lembrando que as duas
extremidades deverão ser protegidas. Os protetores deverão
ser aterrados. Para a proteção da rede elétrica utilize o
modelo Eletricsystem ou Eletro2000.

CAMERASYSTEM - CONEXÃO “BNC”

Tecnologia Plug-In: Os módulos de proteção internos ao


equipamento possuem a tecnologia PLUG-IN, ou seja, os
módulos são plugáveis e podem ser substituídos pelo próprio
usuário, quando terminar a sua vida útil .

- Gabinete em Alumínio/Metal com pintura eletrostática;


- Grau: V0 UL94

MULTIPLEXADOR/QUAD ou
MONITOR

Modelo:
Eletricsystem

CAMERASYSTEM - CONEXÃO “UTP”

Rede Elétrica
(100 a 240 Vac)

NewRack Camerasystem aterramento

CÓDIGO
Nº de Portas Conexão BNC Conexão UTP Conexão F

12 Portas N512012 N512212 N513012


16 Portas N512016 N512216 N513016

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
CONEXÃO (sinal) Conector BNC, F ou Borne
DIMENSÕES
CONEXÃO (aterramento) Terminal de aterramento ou
cabo flexível de 1,5mm²

MÓDULOS DE REPOSIÇÃO CAMERASYSTEM BNC/ F N212002


44mm

CAMERASYSTEM UTP N212003


TENSÃO NOMINAL 2Vpp
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 7,1Vcc
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20.000A @ 8/20 ms
TEMPO DE RESPOSTA < 1ns
48
3m DIMENSÕES 1U
m m
0m TECNOLOGIAS COMPATÍVEIS HDCVI, HDTVI, AHD e SD
15 CONDUTORES PROTEGIDOS 2 Condutores por porta

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 40
RACK - ELETRICSYSTEM
A Embrastec tem o prazer de lançar o primeiro Filtro de Linha com DPS do Brasil, produzido completamente de
acordo com a Norma ABNT 16188, publicada em agosto de 2013, em conjunto com a Norma ABNT 61643 (Dispositivos
de Proteção contra Surtos) .
Buscando aumentar a segurança do usuário e proporcionar proteção para os equipamentos eletrônicos, a nova
norma estipulou parâmetros mínimos a serem seguidos, para que os filtros de linha produzidos no Brasil atuem de
maniera adequada.
Dentre as principais exigências, podemos destacar:
A chave liga/desliga deverá ser bipolar, para quando estiver na posição desligada, isolar completamente o filtro;
Os fúsiveis deverão contemplar as duas fases ou fase e neutro;
Possuir componentes internos capazes de atenuar 40dB (faixa de 150kHz a 100 Mhz);
Quando incorporar DPS (proteção contra surtos) informar capacidade de exposição à surtos;
Gabinete deverá ser anti-chama;

Versão com 4 tomadas Fusível Duplo(*)


(Fusíveis para as duas fases)
Muito mais segurança!!
Exigência Norma ABNT NBR 16188

DPS Classe III incorporado Novo Padrão de Plugs e


(proteção contra surtos) Tomadas ABNT 14136
Filtro de Linha
(Atenuação de 40dB)

Tomadas Separadas para


utilização de carregadores

Versão com 8 tomadas

APLICAÇÃO:
Indicado para proteger alimentação elétrica de equipamentos instalados em racks padrão 19’.

MODELO RACK ELETRICSYSTEM - 4 Tomadas RACK ELETRICSYSTEM - 8 Tomadas

CÓDIGO N501004 N501008

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
POTÊNCIA 1200W ( 127V )/ 2200W ( 220V )
TENSÃO NOMINAL 100 A 240Vac @ (50/60Hz)
FUSÍVEIS 10A (Um por fase)
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO 275Vac/ 350Vcc
NÍVEL DE PROTEÇÃO < 698V
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO 20 kA @ 8/20 ms
TEMPO DE RESPOSTA < 25ns
ATENUAÇÃO 40dB (Faixa de 150kHz a 100 MHz)
MODO DE PROTEÇÃO / FILTRO (F-N)/ (F-T) / (N-T) Ligação Monofásica
(F1-F2)/ (F2-T) / (F2-T) Ligação Bifásica
CONEXÃO - NBR 14136 - Cabo de 1.2 metro com plug 2P+T (entrada)
Tomada 2P+T (saída)

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 41
A Embrastec tem o prazer de lançar o primeiro Filtro de Linha do Brasil, produzido completamente de acordo com a
Norma ABNT 16188, publicada em agosto de 2013 .
Buscando aumentar a segurança do usuário e proporcionar proteção para os equipamentos eletrônicos, a nova norma
estipulou parâmetros mínimos a serem seguidos, para que os filtros de linha produzidos no Brasil atuem de maniera adequada.

Dentre as principais exigências, podemos destacar:

A chave liga/desliga deverá ser bipolar, para quando estiver na posição desligada, isolar completamente o filtro;
Os fúsiveis deverão contemplar as duas fases ou fase e neutro;
Possuir componentes internos capazes de atenuar 40dB (faixa de 150kHz a 100 Mhz);
Quando incorporar DPS (proteção contra surtos) informar capacidade de exposição à surtos;
Gabinete deverá ser anti-chama;

Indicado para computadores, impressoras, roteadores, televisores, DVD, Blu-Ray, e demais equipamentos com
consumo até 1200 Watts (110V) ou 2200 Watts (220V).
Na figura abaixo demonstramos as principais características que fazem do Filtro de Linha Embrastec incomparável:

Novo Padrão de Plugs e Contatos das tomadas através


Injetado em ABS
Tomadas ABNT 14136 de barramento em Latão
(anti-chama V0 - UL94)

Sinalização visual
de funcionamento

DPS Classe III incorporado


(proteção contra surtos)
de acordo com NBR_IEC 61643-1:2007
Filtro de Linha
(Atenuação de 40dB) Placa de Circuito Impresso
Fusível Duplo(*) Anti-Chama
(Fusíveis para as duas fases) Chave Liga/Desliga Bipolar (*)
Muito mais segurança!! Conforme exigência
Exigência Norma ABNT NBR 16188 Norma ABNT NBR 16188 (*) Para modelos bifásicos (220V)

MODELO Filtro de Linha Filtro de Linha - DPS 7,5kA Filtro de Linha - DPS 20kA

COR Branco Preto Branco Preto Branco Preto

CÓDIGO 906000 916000 906207 916207 906220 916220

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
TENSÃO NOMINAL 100 - 240V~ @ (50/60 Hz) 100 a 240V~ @ (50/60 Hz) 100 a 240V~ @ (50/60 Hz)
MÁXIMA TENSÃO DE OPERAÇÃO (Uc) --- 275Vac/ 350Vcc 275Vac/ 350Vcc
NÍVEL DE PROTEÇÃO (Up) --- < 698V < 698V
MÁXIMA CORRENTE DE SURTO (total) --- 7.5 kA @ 8/20ms 20 kA @ 8/20ms
TEMPO DE RESPOSTA --- < 25ns < 25ns
POTÊNCIA 1200W ( 127V )/ 2200W ( 220V )
FUSÍVEIS 10A
ATENUAÇÃO 40dB (faixa de 150kHz a 100 MHz)
MODO DE PROTEÇÃO / FILTRO (F-N)/ (F-T) / (N-T) Ligação Monofásica
(F1-F2)/ (F1-T) / (F2-T) Ligação Bifásica
CONEXÃO - NBR 14136 - 6 tomadas 2P+T ( saída )
Cabo de 3 x 0,75mm x 1,20m* com Plug 2P+T ( entrada )
* - opcional 1,8m / 3,0m / 5,0m

Dimensões 39 13
285

54 37 27 32

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 42
Os protetores da Linha Profissional Master, foram projetados para proteger a rede elétrica de instalações
de pequeno, médio e grande porte, em empresas, indústrias, hospitais, condominios residenciais, etc.
Pode ser instalado em quadros de distribuição, quadro geral de entrada ou para proteger equipamentos com consumo
acima de 5kVA até 500 kVA. Potências superiores à 500 kVA, sob encomenda.
Esta linha se subdivide em dois modelos: Eletro Master e Eletro Master DG.
Consulte nossa central de atendimento sobre a sua configuração e seu código.
ELETRO MASTER
Os protetores da Linha Profissional Eletro Master estão disponíveis em várias versões: 5
kVA, 7.5 kVA, 10 kVA,15 kVA (monofásico, bifásico ou trifásico), 20 kVA, 30 kVA, 40 kVA e 50
kVA (somente trifásico).
A sua instalação é em série, simplesmente conectando-o entre a rede elétrica e o quadro ou
equipamento a ser protegido.

ELETRO MASTER DG
O protetor Eletro Master DG é indicado para proteção da alimentação elétrica de
equipamentos com consumo de 50 kVA até 500 kVA. Sua instalação é feita em paralelo com o
equipamento. Veja no esquema abaixo a sua instalação. Esta linha mesmo instalada em
paralelo, é composta de três estágios de proteção, dispostos no modo comum e tranverso.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E MECÂNICAS


Caixa plástica ABS, não propagante à chama Proteção para instalações ao tempo contra radiações UV,
GABINETE Grau : VO- Ul94 Acessórios: Dois furos de 3/4”cada um, de entrada e saída de cabos na base inferior.
MODELOS Monofásico 127ou220 Volts Bifásico 220 Volts Trifásico 220 Volts Trifásico 380 Volts Trifásico 480 Volts
DISJUNTORES COM Unipolar Bipolar Tripolar Tripolar Tripolar
CURVA “C”
entre 10 In e 20 In entre 10 In e 20 In entre 10 In e 20 In entre 10 In e 20 In entre 10 In e 20 In
Tipo de Proteção F-N / F-T / N-T F1-F2 / F1-T / F2-T F1-F2-F3 / F1-T / F2-T/F3-T F1-F2-F3 / F1-T / F2-T/F3-T F1-F2-F3 / F1-T / F2-T/F3-T
Corrente máxima de surto 90 kA 90 kA 90 kA 90 kA 90 kA
- onda 8/20 ms -
175 VCA para 127 volts
Tensão de disparo
275 VCA para 250 volts
275 VCA 275 VCA 385 VCA 485 VCA
515 Vp para 127 Volts
Tensão Residual - 20 kA
688 Vp para 220 Volts
688 Vp 688 Vp 1300 Vp 1600 Vp
Tempo de resposta <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns <25 ns

Modelos 5 kVA 7.5 kVA 10 kVA 15 kVA 20 kVA 30 kVA 40 kVA 50 kVA Master DG
50 A para 127 V 70 A para 127 V 80 A para 127 V
Trifásico Bifásico Monofásico

Disjuntor 70 A 32 A
25 A para 220 V 30 A para 220 V 50 A para 220 V
Bornes 10 mm2 para 127 V 16 mm2 para 127 V 16 mm2 para 127 V
16 mm2 16 mm2
6 mm2 para 220 V 6 mm2 para 220 V 10 mm2 para 220 V

Disjuntor 25 A 30 A 50 A 70 A 32 A
Bornes 6 mm2 6 mm2 10 mm2 16 mm2 16 mm2

Disjuntor 15 A 20 A 25 A 40 A 50 A 80 A 100 A 125 A 32 A


Bornes 6 mm2 6 mm2 6 mm2 6 mm2 10 mm2 16 mm2 25 mm2 35 mm2 16 mm2

Dimensões: ELETRO MASTER ELETRO MASTER DG


90 mm
altura
(Trifásico instalado em série) (Trifásico instalado em paralelo)

Módulo Módulo Módulo Módulo


de de de de
Proteção Proteção Proteção Proteção
Transverso Longitudinal Transverso Longitudinal
234mm

Entrada Saída
Fase 1
Fase 2
Fase 3
Fase 1
Fase 2 Fase 3
Fase 2 Neutro
Fase 3
174 mm Fase 1
largura Aterramento Neutro Aterramento

Qualidade Comprovada. Laudos emitidos por:


100%

CTEC INPE

UNICAMP
página 43
ABNT NBR 5410:2004 - Instalações Elétricas de Baixa Tensão;
ABNT NBR 5419:2015 - Proteção de Estruturas contras Descargas Atmosféricas
NBR IEC 61643-1:2007 - Dispositivos de Proteção contra Surtos em Baixa Tensão - Parte 1
IEC 61643-11 - Part 11: Surge protective devices connected to low-voltage power systems
IEC 61643-21 - Part 21: Surge protective devices connected to telecommunications and signalling networks
IEC 61643-31 - Part 31: Requirements and test methods for SPDs for photovoltaic installations
EN 50539-11 - Surge protective devices for sppecific application including d.c. Part 11: Requirements and tests for SPDs
in photovoltaic applications.
IEC 62305-4:2003 - Protection against Lightning - Part 4: Electrical and electronic systems within structures
Descrição Técnica de 2009 da Associação PROFIBUS Brasil America Latina
Manual para Instalação de Dispositivos de Proteção contra Surtos - DPSs - Eng.º Jobson Modena

NOTA: Esse manual trata-se apenas de um resumo das normas técnicas, com a finalidade de facilitar a
compreensão das mesmas. Portanto vários conceitos foram descritos de maneira simplificada, objetivando
esclarecer as dúvidas mais freqüentes.

Rua Tambaú 2295, Vila Elisa


100%

Ribeirão Preto - São Paulo


CEP: 14075-010
Tel.: +55 16 3103 2021