Você está na página 1de 26
A Norma ISO 14064 – Mudanças Climáticas Vitor Feitosa Coordenador do SC-09 da ABNT/CB-38
A Norma ISO 14064 – Mudanças Climáticas Vitor Feitosa Coordenador do SC-09 da ABNT/CB-38
A Norma ISO 14064 – Mudanças Climáticas Vitor Feitosa Coordenador do SC-09 da ABNT/CB-38

A Norma ISO 14064 – Mudanças Climáticas

Vitor Feitosa Coordenador do SC-09 da

ABNT/CB-38

ISO WG5 – Mudanças Climáticas ISO TC 207 - Environmental Management Working Group 5 Mudanças
ISO WG5 – Mudanças Climáticas ISO TC 207 - Environmental Management Working Group 5 Mudanças
ISO WG5 – Mudanças Climáticas ISO TC 207 - Environmental Management Working Group 5 Mudanças

ISO WG5 – Mudanças Climáticas

ISO TC 207 - Environmental Management

ISO TC 207 - Environmental Management

Mudanças Climáticas ISO TC 207 - Environmental Management Working Group 5 Mudanças Climáticas  Implantado em

Working Group 5 Mudanças Climáticas

Implantado em 2002

Coordenação da Malásia-Canadá

Desenvolver nova Norma Internacional para quantificação, relato e verificação em organizações e projetos de emissões e remoções de GEE

Internacional

e projetos de emissões e remoções de GEE Internacional Nacional Comitês Nacionais “Espelhos” - Governos

Nacional

Comitês Nacionais “Espelhos”

Comitês Nacionais “Espelhos”

- Governos

- Consultorias

- Indústria

- ONGs

 ISO/TC207/WG5 - Pressão da comunidade internacional para a normalização  Criado o SC-09 -
 ISO/TC207/WG5 - Pressão da comunidade internacional para a normalização  Criado o SC-09 -
 ISO/TC207/WG5 - Pressão da comunidade internacional para a normalização  Criado o SC-09 -

ISO/TC207/WG5 - Pressão da comunidade internacional para a normalização

Criado o SC-09 - Sub-Comitê de Mudanças Climáticas do CB-38 da ABNT Coordenação: FIEMG

O ISO/TC207/WG5 - 9 reuniões internacionais (Bali, Joanesburgo, Berlim, Kuala Lumpur, Londres, Toronto, Buenos Aires, Sidney e Madri). A negociação envolve cerca de 70 países.

O processo levou a uma boa coleta de opiniões de especialistas em mudanças climáticas no Brasil, visando a formatação da posição brasileira

Setembro 2005 - Plenária Anual da ISO em Madri. Resultado: Indicação para estágio FDIS.

Processo de construção das Normas ISO Estágio Preliminary Work Item New Work Item Proposal Working
Processo de construção das Normas ISO Estágio Preliminary Work Item New Work Item Proposal Working
Processo de construção das Normas ISO Estágio Preliminary Work Item New Work Item Proposal Working

Processo de construção das Normas ISO

Estágio Preliminary Work Item New Work Item Proposal Working Draft Committee Draft Draft of International Standard Final Draft of International Standard International Standard

Sigla

Significado

WI

Análise do tema

NP

Votação para Norma Internacional

WD

Primeira minuta de trabalho

CD

Minuta com aprovação do comitê

DIS

Projeto de Norma Internacional

FDIS

Minuta final aprovada

IS

Versão final aprovada e publicada

ISO 14064 – Gases de Efeito Estufa (1 Norma em 3 Partes) Part 1: Specifications
ISO 14064 – Gases de Efeito Estufa (1 Norma em 3 Partes) Part 1: Specifications
ISO 14064 – Gases de Efeito Estufa (1 Norma em 3 Partes) Part 1: Specifications

ISO 14064 – Gases de Efeito Estufa (1 Norma em 3 Partes)

ISO 14064 – Gases de Efeito Estufa (1 Norma em 3 Partes) Part 1: Specifications with
ISO 14064 – Gases de Efeito Estufa (1 Norma em 3 Partes) Part 1: Specifications with
Part 1: Specifications with guidance at the organization level for quantification and reporting of GHG

Part 1:

Specifications with guidance at the organization level for quantification and reporting of GHG

emissions and removals

1: Specifications with guidance at the organization level for quantification and reporting of GHG emissions and
Part 2: Specifications with guidance at the project level for quantification, monitoring and reporting of

Part 2:

Specifications with guidance at the project level for quantification, monitoring and reporting of GHG emissions reductions or removals enhancements

at the project level for quantification, monitoring and reporting of GHG emissions reductions or removals enhancements
Part 3: Specifications with guidance for the validation and certification of GHG assertions

Part 3:

Specifications with guidance for the validation and certification of GHG assertions

Part 3: Specifications with guidance for the validation and certification of GHG assertions

ISO 14065 - Acreditação de Entidades Operacionais Designadas

Principais Características e Princípios Direcionadores: • Interação com os relatórios do IPCC. • Norma neutra
Principais Características e Princípios Direcionadores: • Interação com os relatórios do IPCC. • Norma neutra
Principais Características e Princípios Direcionadores: • Interação com os relatórios do IPCC. • Norma neutra

Principais Características e Princípios Direcionadores:

• Interação com os relatórios do IPCC.

Norma neutra (aplicável a todos os tipos de programas ou regimes).

Rigor técnico pois há conceitos novos e de difícil aferição e medição.

• Ampla participação de países.

• Compatibilidade e consistência com:

– Protocolos de GEE do WBCSD e WRI; – Mecanismos de flexibilização de Kioto

O Caminho da Série ISO

14064

O Caminho da Série ISO 14064 Part 1 of ISO 14064 Design and Develop Organizational GHG
Part 1 of ISO 14064

Part 1 of ISO 14064

Design and Develop Organizational GHG Inventories

Design and Develop Organizational GHG Inventories
14064 Design and Develop Organizational GHG Inventories Part 2 of ISO 14064 Design and Implement GHG

Part 2 of ISO 14064

Design and Implement GHG Projects

GHG Inventory GHG Project Documentation Documentation and Reports and Reports GHG Assertion Level of assurance
GHG Inventory
GHG Project
Documentation
Documentation
and Reports
and Reports
GHG Assertion
Level of assurance
consistent with
needs of intended
user
GHG Assertion
Verification
Validation and/ or
Verification

Part 3 of ISO 14064

Verification Process

Validation and Verification Process

program specific
program
specific
Validation and Verification Process program specific program specific Specifications for Validation or

program

specific

Specifications for Validation or Verification Bodies

Specifications for Validation or Verification Bodies Conformidade adicional com requisitos aplicáveis de

Conformidade adicional com requisitos aplicáveis de Programas específicos, legislações ou padrões já existentes

Aplicação das ISO 14.064 e 14.065 Organismo Acreditador de Programas • Acreditadores • Administradores ISO
Aplicação das ISO 14.064 e 14.065 Organismo Acreditador de Programas • Acreditadores • Administradores ISO
Aplicação das ISO 14.064 e 14.065 Organismo Acreditador de Programas • Acreditadores • Administradores ISO

Aplicação das ISO 14.064 e 14.065

Organismo Acreditador
Organismo
Acreditador
Aplicação das ISO 14.064 e 14.065 Organismo Acreditador de Programas • Acreditadores • Administradores ISO

de Programas

Acreditadores

Administradores

de Programas • Acreditadores • Administradores ISO 14065 Organismo Verificador Inventário ou Projeto de

ISO 14065

ISO 14065
Organismo Verificador
Organismo
Verificador
Inventário ou Projeto de GHG

Inventário ou Projeto de GHG

14065 Organismo Verificador Inventário ou Projeto de GHG ISO 14064 Parte 3 ISO 14064 Parte 1

ISO 14064

Parte 3

ISO 14064 Parte 3

ISO 14064 Parte 1 or 2

ISO 14064 Parte 1 or 2
• Validadores/Verificadores

Validadores/Verificadores

3 ISO 14064 Parte 1 or 2 • Validadores/Verificadores • Entidades Verificadoras • Organizações •

• Entidades Verificadoras

1 or 2 • Validadores/Verificadores • Entidades Verificadoras • Organizações • Proponentes de Projetos
1 or 2 • Validadores/Verificadores • Entidades Verificadoras • Organizações • Proponentes de Projetos
1 or 2 • Validadores/Verificadores • Entidades Verificadoras • Organizações • Proponentes de Projetos

Organizações

• Proponentes de Projetos

ISO 14064 Parte 1: Conteúdo 1. Escopo 2. Definições 3. Princípios 4. Planejamento e
ISO 14064 Parte 1: Conteúdo 1. Escopo 2. Definições 3. Princípios 4. Planejamento e

ISO 14064 Parte 1: Conteúdo

ISO 14064 Parte 1: Conteúdo 1. Escopo 2. Definições 3. Princípios 4. Planejamento e

1.

Escopo

2.

Definições

3.

Princípios

4.

Planejamento e Desenvolvimento de Inventários de GEE

4.1 Limites Organizacionais

4.2 Limites Operacionais

4.3 Quantificação de Emissões e Remoções de GEE

9

Componentes do Inventário de GEE

5.1 Emissões e Remoções de GEE

5.2 Atividades da Organização para reduzir emissões ou ampliar remoções de GEE

5.3 Ano-base do Inventário de GEE

1

Gerenciamento da informação de inventários de GEE

6.1 Gerenciamento da informação de GEE e monitoramento

6.2 Retenção de documentos e dados

2

Relatórios de GEE

7.1 Planejamento

7.2 Conteúdo

7.3 Formato

7.4 Distribuição

8

Verificação (1 a parte)

ISO 14064 Parte 1: Consolidação dos GEE

C o n s o l i d a ç ã o d o s G
C o n s o l i d a ç ã o d o s G

Emissões e Remoções da Organização (br uto)

Fonte 1,1

Unidade 1

Fonte 1,n

Sumidouro

1,1

Sumidouro

1,n

Fonte x,1

Unidade x

Fonte x,n

Sumidouro

x,1

Sumidouro

x,n

Fonte x,1 Unidade x Fonte x,n Sumidouro x,1 Sumidouro x,n Nota:As emissões e remoções de GEE

Nota:As emissões e remoções de GEE são agregados das quantificações de fontes e sumidouros de cada Unidade da Organização.

x = número de Unidades dentro dos limites organizacionais n = número de fontes e sumidouros de GEE de cada Unidade da Organização

Limites da Organização

Relação entre fontes, sumidouros e Unidades operacionais

ISO 14064 Parte 1: Principais Aspectos

ISO 14064 Parte 1: Principais Aspectos Objetivo • Requisitos gerais para proponentes (“o que”, não
ISO 14064 Parte 1: Principais Aspectos Objetivo • Requisitos gerais para proponentes (“o que”, não
ISO 14064 Parte 1: Principais Aspectos Objetivo • Requisitos gerais para proponentes (“o que”, não

Objetivo

Requisitos gerais para proponentes (“o que”, não “como”).

Neutralidade quanto a regime, tamanho ou tipo.

Estrutura

Requisitos para tratar emissões e remoções de GEE em organizações.

Anexos informativos complementam os requisitos.

Princípios

- Completeness

- Transparency - Relevance

- Consistency

- Accuracy

Limites

Definidos pela Organização em relação a suas Unidades.

Organizacionais

Métodos: 1) Controle operacional, 2) Participação acionária, 3) Controle financeiro ou administrativo

Emissões / Remoções diretas

Originadas dentro dos limites organizacionais definidos

Emissões indiretas no uso de energia • Originadas das emissões decorrentes da geração de energia
Emissões indiretas no uso de energia • Originadas das emissões decorrentes da geração de energia
Emissões indiretas no uso de energia • Originadas das emissões decorrentes da geração de energia

Emissões indiretas no uso de energia

Originadas das emissões decorrentes da geração de energia (elétrica, térmica ou outras emissoras).

Outras

Emissões que são consequência das atividades da Organização mas que ocorrem a partir de fontes controladas por outra Organização (ex. transporte de produtos, viagens de empregados, etc.)

emissões

indiretas

Quantificação de emissões e remoções de GEE

1)

Identificação de fontes e sumidouros Seleção da metodologia de quantificação Seleção e obtenção dos dados Seleção ou determinação dos “fatores de emissão” Cálculo das emissões e remoções de GEE

2)

3)

4)

 

5)

Reduções e Remoções de GEE

Emissões devem ser quantificadas por operação

Para remoções isso é um indicativo

As reduções/remoções totais devem ser agregadas por operação

Redução de Emissões ou Aumento de Remoções • Foco no melhoramento contínuo • Em ações
Redução de Emissões ou Aumento de Remoções • Foco no melhoramento contínuo • Em ações
Redução de Emissões ou Aumento de Remoções • Foco no melhoramento contínuo • Em ações

Redução de Emissões ou Aumento de Remoções

Foco no melhoramento contínuo

Em ações de controle direto do proponente

Ganhos no tempo correlacionáveis a ações ou programas específicos

Ano-base do inventário

Deve-se estabelecer um ano-base histórico

Ano, média geométrica ou médias móveis de anos

 

Pode-se trocar o ano-base, justificando e documentando

Qualidade da informação do inventário GEE

Aplicar procedimentos de gerenciamento da informação em GEE

Registros e Documentos

Relato de GEE

1)

Mandatório (ex. Sumáraio dad organização, período, limites organizacionais, emissões diretas/indiretas e relacionadas, ano-base, metodologia de quantificação, declaração de verificação) Sugestivo (ex. Missão, políticas e estratégias em GEE, gerenciamento das informações de GEE e práticas de monitoramento)

(Conteúdo do Relatório)

2)

Potenciais Benefícios da ISO 14064 – Parte 1 • Internos: – Prover orientação técnica –
Potenciais Benefícios da ISO 14064 – Parte 1 • Internos: – Prover orientação técnica –
Potenciais Benefícios da ISO 14064 – Parte 1 • Internos: – Prover orientação técnica –

Potenciais Benefícios da ISO 14064 – Parte 1

• Internos:

Prover orientação técnica

Assegurar consistência para um Programa de Gerenciamento de GEE

• Externos:

– Aumentar a credibilidade de determinada abordagem no gerenciamento de GEE (ex. comunicações com stakeholders)

– Aumentar a compatibilidade com requisitos externos

ISO 14064 Parte 2: Conteúdo 1 Escopo 2 Definições 3 Princípios 5 Introdução aos projetos
ISO 14064 Parte 2: Conteúdo 1 Escopo 2 Definições 3 Princípios 5 Introdução aos projetos
ISO 14064 Parte 2: Conteúdo 1 Escopo 2 Definições 3 Princípios 5 Introdução aos projetos

ISO 14064 Parte 2: Conteúdo

1

Escopo

2

Definições

3

Princípios

5

Introdução aos projetos de GEE

6 Requisitos para projetos de GEE Anexo A

Anexo B Bibliografia

ISO 14064 Parte 2: Aplicação ISO 14064-2 (Norma com requisitos auditáveis) Boas Práticas (ex. critérios,
ISO 14064 Parte 2: Aplicação ISO 14064-2 (Norma com requisitos auditáveis) Boas Práticas (ex. critérios,
ISO 14064 Parte 2: Aplicação ISO 14064-2 (Norma com requisitos auditáveis) Boas Práticas (ex. critérios,

ISO 14064 Parte 2: Aplicação

ISO 14064-2 (Norma com requisitos auditáveis)

Boas Práticas (ex. critérios, metodologias e ferramentas reconhecidos) Outros Padrões Relevantes (ex, critérios,
Boas Práticas (ex. critérios,
metodologias e ferramentas
reconhecidos)
Outros Padrões Relevantes
(ex, critérios, regras,
metodologias e equipamentos
reconhecidos)
O proponente do projeto
deve considerar estas
relações para planejar e
implementar um projeto de
GEE:
Mercado para os créditos
Programa de GEE específico (ex, requisitos, critérios, regras e políticas adicionais)
Programa de GEE
específico (ex, requisitos,
critérios, regras e políticas
adicionais)
requisitos, critérios, regras e políticas adicionais) Consultas públicas a stakeholders Legislação aplicável

Consultas públicas a stakeholders

Legislação aplicável

A Parte 2 estabelece princípios e especifica requisitos de processo ao invés de prescrever critérios específicos e procedimentos.

ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves Princípios - Completeness - Transparency - Relevance - Conservativeness
ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves Princípios - Completeness - Transparency - Relevance - Conservativeness

ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves

ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves Princípios - Completeness - Transparency - Relevance - Conservativeness -

Princípios

- Completeness

- Transparency - Relevance - Conservativeness

- Consistency

- Accuracy

Fontes e Sumidouros de GEE

Controlados pelo projeto

Relacionados ao projeto (fluxos de energia e materiais)

Afetados pelo projeto (leakage)

Limites

Não especifica fronteiras para os GEE, mas requer a que as fontes e sumidouros do projeto sejam comparáveis ao da linha de base.

Baseline (Linhas de Referência)

Especifica requisitos para se selecionar ou definir um cenário de referência e métodos de quantificação

Não especifica procedimentos para definição de baseline ou “como” quantificar.

Adicionalidade

Obriga a definição e aplicação de critérios que demonstrem que o projeto resulta em redução de emissões ou aumento de remoções que são adicionais ao que ocorreria na ausência do projeto.

Relatórios

Devem ser validados e/ou verificados

Deve haver um relatório do projeto que fique disponível ao público, contendo requisitos mínimos.

ISO 14064 Parte 2: Benefícios • Aumentar a credibilidade, consistência e transparência de relatórios de
ISO 14064 Parte 2: Benefícios • Aumentar a credibilidade, consistência e transparência de relatórios de
ISO 14064 Parte 2: Benefícios • Aumentar a credibilidade, consistência e transparência de relatórios de

ISO 14064 Parte 2: Benefícios

Aumentar a credibilidade, consistência e transparência de relatórios de projetos de gerenciamento de GEE;

Assegurar a integridade ambiental da quantificação de GEE;

Encorajar a abordagem conservadora no desenvolvimento de cenários de referência (baselines);

Promover o desenvolvimento e a implementação de projetos de GEE;

Facilitar a geração e comercialização de créditos de carbono derivados da redução de emissões ou aumento de remoções.

ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves • Assegurar a abrangência adequada na quantificação de todas
ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves • Assegurar a abrangência adequada na quantificação de todas
ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves • Assegurar a abrangência adequada na quantificação de todas

ISO 14064 Parte 2: Aspectos Chaves

Assegurar a abrangência adequada na quantificação de todas as reduções de emissões e aumento de remoções relevantes;

Rastrear os “vazamentos” das atividades relacionadas ao projeto (leakage);

Identificar a adicionalidade ambiental das reduções de emissões ou do aumento das remoções devidas a projetos;

Promover a transparência através da garantia de acesso público às informações relevantes do projeto.

ISO 14064 Parte 2: Usos Futuros A Norma deverá servir de referência e um guia
ISO 14064 Parte 2: Usos Futuros A Norma deverá servir de referência e um guia
ISO 14064 Parte 2: Usos Futuros A Norma deverá servir de referência e um guia

ISO 14064 Parte 2: Usos Futuros

A Norma deverá servir de referência e um guia de boas práticas para:

• Implementação de projetos, independente do tipo de Programa de redução de emissões em que se pretenda operar;

• Validadores de projetos de mitigação de GEE;

• Idealizadores e gestores de Programas;

• Investidores e financiadores em busca de suporte documental na avaliação de projetos.

ISO 14064 Part 3: Conteúdo 1 Escopo 2 Definições 3 Princípios 4 Requisitos de Validação
ISO 14064 Part 3: Conteúdo 1 Escopo 2 Definições 3 Princípios 4 Requisitos de Validação
ISO 14064 Part 3: Conteúdo 1 Escopo 2 Definições 3 Princípios 4 Requisitos de Validação

ISO 14064 Part 3: Conteúdo

ISO 14064 Part 3: Conteúdo 1 Escopo 2 Definições 3 Princípios 4 Requisitos de Validação e

1 Escopo

2 Definições

3 Princípios

4 Requisitos de Validação e Verificação

4.1 Geral

4.2 Seleção do validador or verificador

4.3 Objetivos, escopo, critérios e nível de incerteza da validação ou verificação

4.4 Abordagem da validação ou verificação

4.5 Avaliação do sistema de informações e seus controles

4.6 Avaliação das informações e dados de GEE

4.7 Avaliação contra critérios de validação ou verificação

4.8 Avaliação da Declaração sobre os GEE

4.9 Declaração de validação e verificação

4.10 Registros da validação ou verificação

ISO 14064 Parte 3: Benefícios • Aumenta a credibilidade, consistência e transparência das Declarações de
ISO 14064 Parte 3: Benefícios • Aumenta a credibilidade, consistência e transparência das Declarações de
ISO 14064 Parte 3: Benefícios • Aumenta a credibilidade, consistência e transparência das Declarações de

ISO 14064 Parte 3: Benefícios

Aumenta a credibilidade, consistência e transparência das Declarações de GEE;

Facilita o desenvolvimento e implementação de sistemas de gerenciamento de informações para organizações ou projetos;

• Habilita o rastreamento de performance

Identifica riscos e responsabilidades no contexto de GEE

Aumenta a transparência de relatórios financeiros e identificação de passivos ambientais

• Aumenta a confiança do investidor

Facilita a obtenção e comercialização de créditos de carbono

Aumenta a integridade ambiental

ISO 14064 Parte 3: Aplicações Futuras • Inventários de GEE de Organizações • Projetos de
ISO 14064 Parte 3: Aplicações Futuras • Inventários de GEE de Organizações • Projetos de
ISO 14064 Parte 3: Aplicações Futuras • Inventários de GEE de Organizações • Projetos de

ISO 14064 Parte 3: Aplicações Futuras

• Inventários de GEE de Organizações

Projetos de GEE

Requisitos mandatórios para regulamentações ou mercado

Inventários nacionais

• Treinamento de validadores e verificadores

• Auditoria para outros dados ambientais

Uso Potencial da ISO 14064 • Organizações: – No caso de grandes corporações transnacionais, auxílio
Uso Potencial da ISO 14064 • Organizações: – No caso de grandes corporações transnacionais, auxílio
Uso Potencial da ISO 14064 • Organizações: – No caso de grandes corporações transnacionais, auxílio

Uso Potencial da ISO 14064

• Organizações:

No caso de grandes corporações transnacionais, auxílio no gerenciamento das emissões de GEE, incluindo-se sistemas internos de comércio de emissões e inventários;

Gerenciamento responsável dos impactos ao clima e preparação para o “mercado verde”;

Identificação de aspectos relativos a GEE na cadeia de suprimentos;

Avaliações de potenciais projetos para CDM ou JI;

Suporte às empresas de serviços (certificadoras de inventários, brokers de projetos de GEE, etc.)

Outros tipos de organizações tais como instituições internacionais de financiamento (ex. Banco Mundial).

Uso Potencial da ISO 14064 • Políticas Nacionais e Internacionais: • Qualquer política que requeira
Uso Potencial da ISO 14064 • Políticas Nacionais e Internacionais: • Qualquer política que requeira
Uso Potencial da ISO 14064 • Políticas Nacionais e Internacionais: • Qualquer política que requeira

Uso Potencial da ISO 14064

• Políticas Nacionais e Internacionais:

Qualquer política que requeira quantificação e relato de emissões de GEE;

Implementação de programas de comércio de emissões

Desenvolvimento de estratégias nacionais em CDM e boa avaliadora de pré-eligibilidade de projetos

• Desenvolvimento de “fundos de investimentos verdes”

Conecta abordagens diferentes (Kioto e não-Kioto)

Dá suporte a iniciativas voluntárias de gerenciamento e relato de GEE (ex. Global Reporting Initiative)

A publicação da ISO 14064 é prevista para Fevereiro de 2006 .
A publicação da ISO 14064 é prevista para Fevereiro de 2006 .
A publicação da ISO 14064 é prevista para Fevereiro de 2006 .
A publicação da ISO 14064 é prevista para Fevereiro de 2006 .
A publicação da ISO 14064 é prevista para Fevereiro de 2006 .

A publicação da ISO 14064 é prevista para Fevereiro de 2006 .

A publicação da ISO 14064 é prevista para Fevereiro de 2006 .

Interesses relacionados