Você está na página 1de 50

Fenômenos Térmicos e Ópticos

Aula 05
 Nosso mundo está repleto de oscilações, nas quais os
objetos se movem repetidamente de um lado para
outro. Muitas são simplesmente curiosas ou
desagradáveis, mas outras podem ser perigosas ou
economicamente importantes.
Oscilações
 Vamos discutir um tipo básico de oscilação
conhecido como movimento harmônico simples.

2
 A Fig. mostra uma partícula que está oscilando nas
vizinhanças da origem de um eixo x, deslocando-se
alternadamente para a direita e para a esquerda de
uma mesma distância xm. A frequência f da
Oscilações oscilação é o número de vezes por unidade de tempo
que a partícula descreve uma oscilação completa
(um ciclo). O tempo necessário para completar um
ciclo é o período T da oscilação...

3
Uma propriedade importante do movimento
oscilatório é a frequência (f) e a sua unidade no SI é o
hertz (Hz) = 𝒔−𝟏 = oscilação por segundo.

O período T, é o tempo necessário para completar


uma oscilação completa (ciclo):
1
Oscilações 𝑇=
𝑓
Todo movimento que se repete a intervalos regulares
é chamado de movimento periódico ou movimento
harmônico.
MHS (Movimento Harmônico Simples)

4
 O MHS é um tipo de movimento no qual o
deslocamento da partícula em relação a origem é
dado por uma função do tempo na forma:
amplitude

𝑥 𝑡 = 𝑥𝑚 cos(𝜔𝑡 + 𝜑)

MHS Fase
Deslocamento no instante t

𝜔: Frequência angular
t: Tempo
𝜑:Ângulo de fase

5
Oscilações

6
Oscilações

7
Oscilações

8
M
Oscilações

9
𝜔 𝑡 + 𝑇 = 𝜔𝑡 + 2𝜋

𝜔𝑇 = 2𝜋

Assim a frequência angular é:


MHS
2𝜋
𝜔= = 2𝜋𝑓
𝑇

𝜔: [rad/s]

10
M
Oscilações

11
 A velocidade do MHS

𝑑𝑥(𝑡) 𝑑
MHS 𝑣 𝑡 =
𝑑𝑡
= [𝑥𝑚 cos(𝜔𝑡 + 𝜑)]
𝑑𝑡
Ou
𝑣 𝑡 = −𝜔𝑥𝑚 sen(𝜔𝑡 + 𝜑)

12
 A aceleração do MHS

𝑑𝑣(𝑡) 𝑑
𝑎 𝑡 = = [−𝜔𝑥𝑚 𝑠𝑒𝑛(𝜔𝑡 + 𝜑)]
MHS 𝑑𝑡 𝑑𝑡
Ou
𝑎 𝑡 = −𝜔²𝑥𝑚 cos(𝜔𝑡 + 𝜑)
𝑎 𝑡 = −𝜔2 𝑥(𝑡)

13
Oscilações

14
𝑎 𝑡 = −𝜔2 𝑥(𝑡)

 Características marcantes do MHS:


(1) A aceleração da partícula tem sempre o sentido
contrário ao do deslocamento (daí o sinal
Oscilações negativo);
(2) A aceleração e o deslocamento estão relacionados
por uma constante (ω²).

15
M
Oscilações

16
A Lei da Força para o Movimento Harmônico Simples
Uma vez conhecida a relação entre a aceleração e o
deslocamento no MHS, podemos usar a segunda lei de
Newton para determinar qual é a força que deve agir
sobre a partícula para que ela adquira essa aceleração:
Pela 2ª lei de Newton:
Oscilações 𝐹 = 𝑚𝑎 = − 𝑚𝜔2 𝑥 = −𝑘𝑥
Onde 𝑚𝜔2 = 𝑘

Relacionando a constante elástica k (uma medida da


rigidez da mola) à massa do bloco e à frequência do
MHS...

17
𝑘
𝜔=
𝑚
Assim, podemos escrever
𝑚
𝑇 = 2𝜋
𝑘
MHS

https://www.vascak.cz/data/android/physicsatschool/template
img.php?s=kv_ocilatory&l=pt
18
 Movimento harmônico simples é o movimento
executado por uma partícula sujeita a uma força de
Oscilações módulo proporcional ao deslocamento da partícula e
orientada no sentido oposto.

19
Um bloco cuja massa m é 680 g está preso a uma mola cuja
constante elástica k é 65 N/m. O bloco é puxado em uma
superfície sem atrito por uma distância x = 11 cm a partir da
posição de equilíbrio em x = 0 e liberado sem velocidade
inicial no instante t = 0.
 (a) Determine a frequência angular, a frequência e o
período do movimento.
 (b) Determine a amplitude das oscilações.
Oscilações  (c) Determine a velocidade máxima vm do bloco e o local
em que se encontra o bloco quando tem essa velocidade.
 (d) Determine o módulo am da aceleração máxima do
bloco.
 (e) Determine a constante de fase ϕ do movimento.
 (f) Determine a função deslocamento x(t) do sistema
bloco-mola.

20
 A Energia do Movimento Harmônico Simples
A energia de um oscilador linear é transformada
repetidamente de energia cinética em energia
potencial, e vice-versa, enquanto a soma das duas — a
energia mecânica E do oscilador — permanece
Oscilações constante.
A energia potencial de um oscilador linear
inteiramente associada à mola; seu valor depende do
grau de alongamento ou compressão da mola, ou seja,
de x(t).

21
A energia cinética do sistema está inteiramente
associada ao bloco; seu valor depende da rapidez com
a qual o bloco está se movendo, ou seja, de v(t).
Podemos obter a seguinte expressão para a energia
Oscilações cinética:

22
A energia mecânica:

Oscilações

23
Oscilações

24
Oscilações

25
Muitos edifícios altos possuem amortecedores de massa, cuja
finalidade é evitar que os edifícios oscilem excessivamente por
causa do vento. Em muitos casos, o amortecedor é um grande
bloco instalado no alto do edifício, que oscila na extremidade de
uma mola, movendo-se em um trilho lubrificado. Quando o
edifício se inclina em uma direção (para a direita, por exemplo), o
bloco se move na mesma direção, mas com certo retardo, de
modo que, quando o bloco finalmente oscila para a direita, o
edifício está se inclinando para a esquerda. Assim, o movimento
do bloco está sempre defasado em relação ao movimento do
Oscilações edifício.
Vamos supor que o bloco possui uma massa m = 2,72 × 105 kg e
que foi projetado para oscilar com uma frequência f = 10,0 Hz e
com uma amplitude xm = 20,0 cm.
(a) Qual é a energia mecânica total E do sistema massa-mola?
(b) Qual é a velocidade do bloco ao passar pelo ponto de
equilíbrio?

26
 O Oscilador Harmônico Angular Simples
A Fig. mostra uma versão angular de um oscilador
harmônico simples.
O dispositivo recebe o nome de pêndulo de torção.

Oscilações
 Quando fazemos girar o disco, produzindo um
deslocamento angular θ a partir da posição de
equilíbrio (na qual a reta de referência está em θ = 0),
e o liberamos, o disco passa a oscilar em torno dessa
Oscilações posição em um movimento harmônico angular
simples.
 A rotação do disco de um ângulo θ em qualquer
sentido produz um torque restaurador dado por
 Que é a forma angular da lei de Hooke... Portanto
podemos alterar a equação que fornece o período do
MHS linear, na equação para o período do MHS
angular: Substituímos a constante elástica k pela
constante equivalente, a constante κ, e substituímos
a massa m pela grandeza equivalente, o momento
Oscilações de inércia I do disco. Essas substituições levam a
 A Fig. (a) ao lado mostra uma barra fina cujo
comprimento L é 12,4 cm e cuja massa m é 135 g,
suspensa em fio longo pelo ponto médio. O valor do
período do oscilador harmônico angular formado
pela barra e o fio é Ta = 2,53 s. Quando um objeto de
Oscilações forma irregular, que vamos chamar de objeto X, é
pendurado no mesmo fio, como na Fig. (b), e o valor
do período aumenta para Tb = 4,76 s. Qual é o
momento de inércia do objeto X em relação ao eixo
de suspensão?
 Pêndulos
Voltamos agora nossa atenção para uma classe de
Oscilações osciladores harmônicos simples nos quais a força de
retorno está associada à gravitação e não às
propriedades elásticas de um fio torcido ou de uma
mola alongada ou comprimida.
Considere um pêndulo simples, composto por uma
partícula de massa m (chamada de peso do pêndulo)
suspensa por um fio inextensível, de massa
Oscilações desprezível e comprimento L, como na Fig.
O peso está livre para oscilar no plano do papel, para a
esquerda e para a direita de uma reta vertical que
passa pelo ponto de suspensão do fio.
 O Torque Restaurador

Oscilações
 A componente tangencial produz um torque
restaurador em relação ao ponto de suspensão do
pêndulo porque sempre age no sentido oposto ao do
deslocamento do peso, tendendo a levá-lo de volta
ao ponto central.
 O ponto central (θ = 0) é chamado de posição de
equilíbrio porque o pêndulo ficaria parado nesse
Oscilações ponto se não estivesse oscilando.
Como as equações tem a mesma forma, concluímos
Oscilações que a frequência angular é a raiz quadrada das
constantes que multiplicam o deslocamento angular:
 Período. Substituindo a expressão de ω em ω =
2π/T, obtemos uma expressão para o período:

Oscilações  Toda a massa de um pêndulo simples está


concentrada na massa m do peso do pêndulo, que
está a uma distância L do ponto de suspensão.
Assim, sendo I = mr² para escrever I = mL² como o
momento de inércia do pêndulo:
 O Pêndulo Físico
Ao contrário do pêndulo simples, um pêndulo real,
frequentemente chamado de pêndulo físico, pode ter
uma distribuição complicada de massa...

Oscilações
Sob todos os outros aspectos, a análise do pêndulo
físico é idêntica à análise do pêndulo simples,
alterando apenas L por h.
Assim, para pequenos valores de um, o movimento é,
aproximadamente, um MHS.
Substituindo L por h
Oscilações

I é o momento de inércia do pêndulo em relação ao


ponto O. Embora I não seja mais igual a mL² (pois
depende da forma do pêndulo físico), ainda é
proporcional a m.
 A todo pêndulo físico que oscila com um período T
em torno de um ponto de suspensão O corresponde
um pêndulo simples de comprimento L0 com o
mesmo período T. O ponto do pêndulo físico situado
a uma distância L0 do ponto O é chamado de centro
de oscilação do pêndulo físico para o ponto de
suspensão dado.
Oscilações  Medida de g
Um pêndulo físico pode ser usado para verificar qual é
a aceleração de queda livre g em um ponto específico
da superfície da Terra.
 Movimento Harmônico Simples e Movimento
Circular Uniforme
Em 1610, usando o telescópio que acabara de
construir, Galileu descobriu os quatro maiores satélites
de Júpiter. Após algumas semanas de observação,
constatou que os satélites estavam se deslocando de
Oscilações um lado para outro do planeta no que hoje
chamaríamos de movimento harmônico simples; o
ponto médio do movimento coincidia com a posição
do planeta.
Mas o que, exatamente, está oscilando? Afinal de
contas, um satélite não pode estar se deslocando para
um lado e para o outro...
 O verdadeiro movimento não é um movimento
harmônico simples, e sim um movimento circular
uniforme. O que Galileu viu, e que o leitor pode ver
com um bom binóculo e um pouco de paciência, foi a
Oscilações projeção do movimento circular uniforme em uma
reta situada no plano do movimento. As notáveis
observações de Galileu levam à conclusão de que o
movimento harmônico simples é o movimento
circular uniforme visto de perfil...
Oscilações O
 Posição

 Velocidade

Oscilações
 Aceleração
 Movimento Harmônico Simples Amortecido
Um pêndulo oscila apenas por pouco tempo debaixo
d′água, porque a água exerce sobre ele uma força de
arrasto que elimina rapidamente o movimento. Um
Oscilações pêndulo oscilando no ar funciona melhor, mas, ainda
assim, o movimento ocorre durante um tempo
limitado, porque o ar exerce uma força de arrasto
sobre o pêndulo (e uma força de atrito age no ponto
de sustentação), roubando energia do movimento do
pêndulo.
 Quando o movimento de um oscilador é reduzido
por uma força externa, dizemos que o oscilador e o
movimento do oscilador são amortecidos.

 A energia mecânica do sistema bloco-mola diminui


com o tempo, à medida que a energia mecânica é
convertida em energia térmica do líquido e da placa.
Oscilações
 Vamos supor que o líquido exerce uma força de
amortecimento Fa proporcional à velocidade v:
 Oscilações Amortecidas. A força exercida pela mola
sobre o bloco é Fm = –kx.
A aplicação da segunda lei de Newton, nós dá:

Oscilações Equação diferencial:

Cuja solução:
Oscilações O
 Oscilações Forçadas e Ressonância
Uma pessoa que se balança em um balanço sem que
ninguém a empurre constitui um exemplo de
oscilações livres. Quando alguém empurra o balanço
periodicamente, diz-se que o balanço está executando
Oscilações oscilações forçadas.
No caso de um sistema que executa oscilações
forçadas, existem duas frequências angulares
características, que são: (1) a frequência angular
natural ω; (2) a frequência angular ωf, da força
externa.
 Um oscilador forcado desse tipo oscila com a
frequencia angular ωf da forca externa, e seu
deslocamento x(t) e dado por

Oscilações
em que xm e a amplitude das oscilações e é uma
função complicada de ω e ωf.
A amplitude da velocidade vm das oscilações é mais
simples de descrever; é máxima para
Oscilações O