Você está na página 1de 2

Direito penal em sentido material

Ao falarmos de noção material temos em vista uma perspectiva de conteúdo (o que


caracteriza) tais conceitos.

Segundo Silva (2001, p. 28) em termos materiais, o Direito Penal é o sistema de normas que
descrevem os crimes e os seus agentes, os estados de perigosidade criminal e as pessoas
criminalmente perigosas e as consequências jurídicas da prática dos crimes e dos estados de
perigosidade criminal. Já o crime será o comportamento humano que lesa ou põe em perigo
de lesão bens jurídicos necessários a tal convivência.

O Direito Penal neste sentido, através das sanções, afecta a liberdade do ser humano bem
como valores intrínsecos ao mesmo tais sejam a vida e honra “pelo carácter simbólico de
reprovação social que comporta a qualificação como criminoso de um dado comportamento
humano” de forma a proteger a normal convivência na sociedade.

Correia (2010, p. 10) argumenta que o DP é um ramo do Dto público porque regula relações
que se estabelecem não entre particulares, mas entre o Estado, como titular do jus puniendi,
por um lado e os particulares por outro.

Entretanto, o poder de punir reservado ao Estado, excepcionalmente (casos previstos na lei)


pode-se delegar aos particulares, por exemplo em casos de legitima defesa, estado de
necessidade…

Destes conceitos se frisam os seguintes termos:

 Crimes: que consiste num facto voluntário punível pela lei penal, conforme definido no
art. 1º do Código Penal;

 Agentes dos crimes: que são os autores, cúmplices ou encobridores, tal como
apresentado no art. 20º do Código Penal;

 Estados de perigosidade criminal

 Consequências jurídicas dos crimes

 Estados de perigosidade criminal: segundo o site Enciclopédia Jurídica, este consiste


no Estado de falta de ajustamento ou adaptação do indivíduo ao meio familiar ou
social, à comunidade, à ordem política ou econômica vigente, levando-se a acreditar
que ele venha novamente a cometer a mesma falta, crime ou outra qualquer violação
que envolva penalidade. A perigosidade enseja a aplicação da medida de segurança. É
o exemplo de reincidentes e doentes mentais, mencionados no 74 e ss do Código
Penal.

Consequências jurídicas dos crimes e dos estados de perigosidade criminal – sanções (penas
e medidas de segurança – arts. 54º e 70º, respectivamente do CP).

Diferenças entre Direto Penal Formal e Material


Formal Material
Dto Penal Conj/sistema de normas: Descrevem
Fixam pressupostos de • Crimes e agentes
aplicação das reacções • Estados de perigosidade Criminal
criminais – penas e medidas • Pessoas criminalmente perigosas
de seg. • Conseqs. jurídicas dos crimes e tais
estados.
Crime Sentido Formal Sentido material
• Desobediência a Comportamento humano que lesa ou poe em
lei penal perigo de lesão bens juridicos necessários à
• Facto voluntário normal conv. na sociedade.
punível pela lei
penal – Art. 1 CP
Natureza Jurídica Ramo do Dto Público por ser tutelado pelo Estado. O jus puniendi não se
do DP delega a particulares salvo em casos previstos na lei (ex. legitima defesa)