Você está na página 1de 29

Engenharia de Telecomunicações (3º Ano – 6º Semestre)

Circuitos de Rádio Frequência


Docente: Eliseu Cafuma

ISUTIC - Instituto Superior de Tecnologias de Informação e Comunicação


Aula 8:
Osciladores LC, a cristal e VCO
Introdução
Osciladores são circuitos electrónicos que geram sinais de tensão
ou corrente alternada a partir de uma tensão contínua de
alimentação, sem a necessidade da aplicação de um sinal
externo.
Aplicações:
• Transmissores e receptores de rádio;
• Geradores de sinais;
• Osciloscópios;
• Equipamentos de radar, etc.
A função de um oscilador em geral é de proporcionar uma tensão
alternada de determinada frequência (que nem no diagrama de blocos
abaixo).

Estágio de entrada de um típico receptor AM.


Teoria da oscilação senoidal
Para construir um oscilador senoidal, precisamos de um amplificador
com uma realimentação positiva. A ideia consiste em usar o sinal de
realimentação no lugar de um sinal de entrada.
Ganho e fase de malha
Seja a figura:
A tensão de saída amplificada é

A tensão de realimentação que volta ao ponto x é

Em que A é o ganho do a amplificador, B- factor de realimentação e AB


é o ganho de malha.
Se o desvio de fase através do amplificador e do circuito de
realimentação for 0º, então, ABvin estará em fase com o sinal vin que
alimenta os terminais de entrada do amplificador.
Admita que ligamos o ponto x ao ponto y e simultaneamente retiramos a
fonte de tensão vin. Logo, ABvin alimenta os terminais de entrada do
amplificador, conforme a figura:
Se 𝐴𝐵 < 1, o sinal na saída desaparecerá, como na figura a seguir.

Se 𝐴𝐵 > 1, o sinal na saída crescerá, como na figura a seguir.

Se 𝐴𝐵 = 1, o sinal na saída será uma onda senoidal estável, como na


figura a seguir.
Portanto, os critérios para a produção de oscilações auto-sustentadas são:
• Fonte de alimentação;
• Ganho;
• Esquema que determina a frequência;
• Realimentação, que deve ser positiva (realimentação em fase;
ganho de malha fechada do sistema=1).
A realimentação de um circuito oscilador obedece dois critérios,
chamados critérios de Barkhausen:
• O sinal de realimentação deve estar exactamente em fase com
o sinal de entrada original no ponto de fechamento da malha;
• O ganho em estado estacionário geral da malha de
realimentação deve ser exactamente igual à unidade (AvB=1).
Osciladores LC
São aqueles que utilizam circuitos ressonantes formados pela
combinação de indutores e capacitores como parte integrante do
elo de realimentação positiva. Os mesmos podem ser utilizados
para frequências entre 1 até algumas centenas de MHz.
Geralmente um transistor bipolar ou um FET é usado para a
amplificação.
Oscilador Colpitts em emissor comum
Seja o circuito:
Frequência de ressonância
Para um Q maior que 10, a frequência de ressonância
aproxima-se em

Em que
Com base nos critérios para oscilação vem:
ou
O ganho de tensão A nesta expressão é o ganho de tensão na frequência
de oscilação.
Do circuito obtem-se

A análise feita até aqui é uma análise aproximada, ou seja, é uma análise
sem considerar as alterações do circuito devido as altas frequências. A
seguir é feita uma análise considerando tais factores em um oscilador
colpitts base comum.
Oscilador Colpitts em base comum
Seja o circuito:
Cb- Capacitor bypass, é grande o suficiente para garantir o
aterramento da base na frequência de oscilação.
A corrente de polarização Icq é calculada considerando a
excursão de sinal no coletor, usando a expressão:

Em que Vm é a amplitude do sinal no coletor, e RL é a restência


equivalente no coletor.
Abrindo a malha de realimentação do circuito vem:
Substituindo o TBJ pelo seu modelo re para pequenos sinais, o
circuito anterior fica:

Em que: e .
A função de transferência do circuito é:

Usando algumas transformações matemáticas e olhando os


critérios de Barkhausen obtem-se:
e

e .
Cujo comportamento gráfico é:

Olhando novamente para os critérios de Barkhausen, e com base


ao gráfico tem-se:
Igualando e , obtém-se a condição onde
é próximo do seu valor óptimo:

A frequência de oscilação é:
Cristais de quartzo
A propriedade que torna o cristal de quartzo útil para a electrónica
é o efeito piezoeléctrico, a enunciar:
“Ao aplicar uma tensão ca através deles, eles vibram na frequência da tensão
aplicada. Inversamente, se você forçá-lo a vibrar mecanicamente, eles geram
uma tensão ca”.
Para ser utilizada em electrónica, o cristal na sua forma natural
deve ser cortada em fatia rectangular de espessura t e, é
montada entre duas placas metálicas (ver as figuras abaixo).
Frequência fundamental
A frequência fundamental de um cristal é

Onde K é uma constante que depende do corte e de outros factores e t é a


espessura do cristal.
Circuito equivalente ca
Quando não está vibrando o cristal é equivalente a uma capacitância Cm.

Cm é conhecido como a capacitância de montagem.


Quando o cristal está vibrando, ele se comporta como um circuito
sintonizado (como o circuito abaixo).

Valores típicos são L, em henrys, Cs, em fração de um picofarad, R, em


centenas de ohms, e Cm, em picofarads.
Ressonância em série e em paralelo
Frequência de ressonância série Frequência de ressonância paralelo

A corrente no ramo LCR é máxima. A corrente na malha é máxima.

Como Cloop é menor do que Cs, portanto fp é maior do que fs.


Oscilador a cristal colppits
Seja o oscilador:
O cristal se comporta como um indutor que entra em ressonância
com C1 e C2. A frequência de oscilação situa-se entre os valores
de ressonância série e paralelo.

Estudar “Oscilador controlado por tensão (VCO)”-Boylestad, cap.17.


Fim da aula 8!