Você está na página 1de 2

​ om o paciente em psicoterapia

Estabelecimento de ​Rapport c

Estabelecer o ​Rapport ​é permitir a criação de vínculos, é saber conquistar o


paciente, que é estabelecido em toda sessão, e não apenas na inicial. É criar uma
relação, é trazer de volta. Ele é possível de ser estabelecido através da modalidade
virtual onde as conversas são realizados por vídeo. Cabe ao psicólogo: criar laços
de empatia, quebrar a resistência do paciente. O julgamento em um processo
terapêutico é o que cria resistência, portanto é necessário
A terapia online permite algo que o presencial não proporciona: a observação
do ambiente da pessoa, os elementos da casa, isso diz muito do que ela é.
Preencher uma ficha não faz com que a pessoa se sinta acolhida, portanto podemos
realizar a triagem de uma forma fluída, colocando as perguntas no meio de uma
conversa, pois as pessoas querem ser acolhidas e ouvidas, não querem preencher
formulários. Durante as sessões, caso o paciente diga algo que chamou a atenção e
precisa ser anotado, pode-se dizer “isso que você me falou é muito importante então
eu vou anotar exatamente o que você falou aqui para lembrar mais tarde”.
Mostrar o quanto você está ali, está conectada (balançar a cabeça
concordando: “eu estou te acolhendo, te afirmando”), é essencial para o bom
estabelecimento do vínculo, porque assim a pessoa se sente acolhida e validada
nos seus sentimentos. É preciso mostrar que está ali para ajudar a pessoa a ser
levada a um processo que ela consiga caminhar sozinha, e não que está julgando
se o que ela passou é certo ou errado, bom ou mau.
Nunca supor que a pessoa sabe o que você está pensando e qual o caminho
que ela pode seguir, se não ela não estaria ali, portanto podemos fazer as nossas
pontuações para clarificar algumas coisas e ajudá-la no percurso da sua vida.
Deixar a pessoa falar é importante, mas que haja interação nessa fala para que ela
não sinta que apenas está ali para desabafar. Pequenas pontuações de
identificação podem ser utilizadas, como “muito bonito o seu quadro”, isso ajuda no
vínculo, ou até mesmo “eu também passei pelo luto da minha mãe”, mas é preciso
ter ​feeling ​para usar com moderação e nas horas certas.
Como falar por horas parecendo que foram poucos segundos? O ​Rapport é
entrar em sintonia com a pessoa, entrar na perspectiva de mundo do paciente,
procurar ver como ele. Não precisa concordar com a visão de mundo da outra
pessoa, mas saber acolher o mundo do outro, entender, deixar que o outro esteja
confortável com você.
Em relação a comunicação, ela precisa ser clara e assertiva, o processo
terapêutico é uma relação transparente e sincera, isso também auxilia no
estabelecimento da confiança. Comunicação não verbal transmite muitos
conteúdos, tanto na percepção do terapeuta para o paciente quando o contrário,
dessa forma, além de estar atenta aos sinais emitidos pelo paciente, é preciso
cuidar com os próprios sinais, como olhar em outra direção, arregalar os olhos,
entre outros. O contato visual estabelece confiança, no online é o olhar com atenção
ao vídeo e voltar o corpo em direção ao aparelho utilizado.
Se o terapeuta estiver calmo, ele atrai o paciente para a mesma frequência
que ele. O espelhamento auxilia no estabelecimento do ​Rapport:​ copiar lentamente
os movimentos da pessoa, com o tempo a paciente também irá espelhar os
movimentos do terapeuta, isso demonstra a conexão.
Para se conectar com o paciente, é preciso se despojar da soberba e da
arrogância. Como eu gostaria que fizessem comigo? Algumas dicas práticas para
acolher o paciente são 1) sorrir; 2) tratar o outro pelo nome, perguntar como quer
ser chamado; 3) não pensar em problemas, mais soluções; 4) ser tolerante; 5)
conectar-se.