Você está na página 1de 5

LISTA DE VERIFICAÇÃO PARA CONTROLO DO RISCO FÍSICO - RADIAÇÕES IONIZANTES

Informação geral

Empresa:      

Estabelecimento:      

Setor de atividade :      

RISCOS FÍSICOS – RADIAÇÕES IONIZANTES

Itens a verificar Sim Não N/A Comentários

1. Proteção dos trabalhadores contra os perigos


resultantes das radiações ionizantes
1.1 - O limite máximo da dose efetiva para os trabalhadores
     
expostos ultrapassa os 20 mSv por ano?
1.2 - São respeitados os limites de dose equivalente por ano
fixados para o cristalino, para a pele e para as
     
extremidades?

1.3 - Existe a possibilidade de trabalhadoras grávidas se


encontrarem expostas a radiação ionizante?      

1.4 - Os trabalhadores expostos são sistematicamente


monitorizados por dosimetria individual por um serviço      
reconhecido pela autoridade competente?
1.5 - Para os trabalhadores da categoria A, a monitorização por
     
dosimetria individual tem uma periodicidade mensal?

1
Itens a verificar Sim Não N/A Comentários
1.6 - Para os trabalhadores da categoria B, a monitorização por
dosimetria individual tem uma periodicidade no máximo      
trimestral?
1.7 - São tomadas todas as medidas necessárias para que os
trabalhadores expostos a radiação ionizante recebam doses
     
tão baixas quanto possível e sempre inferiores aos limites de
referência estabelecidos?
1.8 - Existem instruções de trabalho escritas adaptadas ao risco
     
radiológico associado às fontes e às práticas desenvolvidas?

1.9 - São utilizados todos os meios para eliminar estes riscos?      

1.10 - Foi feita uma avaliação de riscos?      


1.11 - É garantido aos trabalhadores expostos, aos aprendizes ou
estudantes com idade igual ou superior a 18 anos uma
avaliação prévia de segurança, uma otimização da proteção
     
contra radiações associadas ao seu trabalho, vigilância de
saúde bem como formação?

1.12 - As condições de exposição e proteção operacional dos


aprendizes e estudantes com idade entre 16 e 18 anos são      
equivalentes às dos trabalhadores expostos da categoria B?

1.13 - Existe um programa de inspeção, de verificação e de


manutenção preventiva de máquinas, de equipamentos e de      
ferramentas de trabalho?

1.14 - Existe um responsável pelo cumprimento do programa de


inspeção, pela verificação e manutenção das máquinas, dos      
equipamentos e das ferramentas de trabalho?

2
Itens a verificar Sim Não N/A Comentários

2. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO

2.1 - Estão definidas zonas controladas e/ou zonas vigiadas?      


2.2 - As zonas controladas encontram-se delimitadas e sujeitas a
controlo de acesso nos termos do regulamento interno e as      
zonas vigiadas encontram-se sinalizadas?

2.3 - É realizada a monitorização dos locais de trabalho?      

2.4 - Os trabalhadores têm formação e informação adequadas


sobre os potenciais riscos que a exposição a radiações      
ionizantes representam para a sua saúde?

2.5 - Os trabalhadores expostos encontram-se informados sobre as


precauções e os procedimentos gerais de proteção contra      
radiações a adotar de modo a prevenir os riscos identificados?

3. VIGILÂNCIA DA SAÚDE

3.1 - Encontra-se implementada a vigilância de saúde nos


trabalhadores expostos a radiação ionizante, nomeadamente,      
a realização de exames periódicos?

3.2 - Os registos da monitorização individual de cada trabalhador


     
são disponibilizados aos respetivos trabalhadores?

REQUISITOS LEGAIS APLICÁVEIS E/OU OUTROS

Decreto-Lei n.º 108/2018, de 3 de dezembro (alteração pela Declaração de Retificação n.º 4/2019, de 31 de
janeiro)
Estabelece o regime jurídico da proteção radiológica transpondo a Diretiva 2013/59/EURATOM, do Conselho, de 5 de novembro,

3
que fixa as normas de segurança de base relativas à proteção contra os perigos resultantes da exposição a radiações ionizantes.

Decreto-Lei n.º 156/2013, de 5 de novembro


Estabelece quadro legal e regulador para a gestão responsável e segura do combustível irradiado e dos resíduos radioativos
transpondo a Diretiva 2011/70/EURATOM, do Conselho, de 19 de julho, que estabelece um quadro comunitário para a gestão
responsável e segura do combustível irradiado e dos resíduos radioativos.

Decreto-Lei n.º 30/2012, de 9 de fevereiro (alteração pelo Decreto-Lei n.º 135/2017, de 20 de outubro)
Estabelece um quadro comunitário para a segurança nuclear das instalações nucleares, e cria a respetiva autoridade reguladora
competente, estabelecendo o seu âmbito e atribuições transpondo a Diretiva 2009/71/EURATOM, do Conselho, de 25 de junho,
que estabelece um quadro comunitário para a segurança nuclear das instalações nucleares.

Decreto-Lei n.º 262/2012, de 17 de dezembro (alteração pelo Decreto-Lei n.º 135/2017, de 20 de outubro)
Estabelece as obrigações dos titulares de licenças de instalações nucleares.

Decreto-Lei n.º 227/2008, de 25 de novembro


Define o regime jurídico aplicável à qualificação profissional em proteção radiológica, transpondo a Diretiva 96/29/EURATOM, do
Conselho, de 13 de maio, que fixa as normas de segurança de base relativas à proteção sanitária da população e dos
trabalhadores contra os perigos resultantes das radiações ionizantes.

Decreto-Lei n.º 102/2009, de 10 de setembro (alteração pelo Decreto-Lei n.º 3/2014, de 28 de janeiro e pelo
Decreto-Lei n.º 42/2012, de 28 de agosto)
Aprova o regime jurídico da promoção e prevenção da segurança e da saúde no trabalho, de acordo com o previsto no art.º
284º do código do trabalho.

Portaria n.º 987/93, de 6 de outubro


Estabelece as prescrições mínimas de segurança e saúde nos locais de trabalho.

Propostas de medidas a implementar

     

4
Observações

     

Local e data:       O Técnico:      

Você também pode gostar