Você está na página 1de 29

Matheus

no mundo da
DISLEXIA
Marília Piazzi Seno

3 n 8
S
4 F Z
W Q j
L b b
A c

Ilustração: Stephanie Luna


Marília Piazzi Seno

MATHEUS NO MUNDO DA DISLEXIA

3 n 8
S
4 F Z
W Q Ilustrado
j por Stephanie Innocencio Luna
L b b
A c

- 2020 -

Ilustração: Stephanie Luna


APOIO:
Sobre a Autora:

Marília Piazzi Seno (CRFa 2-9535),


Fonoaudióloga. Pedagoga. Psicopedagoga.
Especialista em Audiologia e Fonoaudiologia
Educacional pelo Conselho Federal de Fonoau-
diologia – CRFa.
Mestre em Fonoaudiologia (UNESP-Marília/SP).
Doutora em Educação (UNESP-Marília/SP).
Escritora, palestrante e consultora educacional.

Contato: mariliaseno@hotmail.com

Educativa Assessoria e Consultoria

Sobre a Ilustradora:

Stephanie Innocencio Luna,


Ilustradora e Designer, formada pelo Centro
Universitário Belas Artes de São Paulo e pela
Escola Panamericana de Arte e Design.
Pós Graduada em Gestão de Marketing na
Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP)
de São José de Campos.

Contato: steilustra@gmail.com

ste.ilustra
DEDICATÓRIA:

Dedico este livro aos meus amados sobrinhos Laurinha,


Manu, Felipe, Léo, Lelê, Vitão, Isa e Adam.
PREFÁCIO

Esse livro é muito importante para pais, professores e para pessoas com Disle-
xia. O número de crianças, jovens e adultos com Dislexia é enorme e, infeliz-
mente, a desinformação ainda é muito grande. Marilia Piazzi Seno, você me
emocionou, eu, por décadas envolvida nesta missão, gostei muito do seu livro,
pois com uma linguagem accessível e cativante você nos mostra de maneira
clara os sintomas deste transtorno de aprendizagem. Nos pontua como é
importante a hereditariedade e os diversos sinais da Dislexia, onde o mais
importante é a dificuldade com a leitura e a escrita.
Outros sinais acompanham ou não o quadro, como as memórias de curto e
longo prazo, disnomias, processamento auditivo muitas vezes alterado e ainda
existem as comorbidades que podem estar presentes (discalculia, TDAH, ansie-
dade, depressão). Não existe um disléxico igual a outro. Este livro também
mostra a importância do professor em perceber alguma dificuldade, em enca-
minhar para uma avaliação realizada por uma equipe multidisciplinar e depois
acolher este disléxico (com a orientação do profissional que acompanha esta
criança). Quanto mais cedo este diagnóstico for realizado evitará que as pessoas
disléxicas tenham um quadro emocional como consequência de suas dificulda-
des escolares.
Pessoas com Dislexia que são avaliadas precocemente e contam com interven-
ções adequadas chegam muitas vezes mais longe do que as pessoas sem dificul-
dades. Nossa grande missão estará sempre em avaliá-los, fazer a intervenção e
fazê-los acreditar de que são capazes.

Maria Ângela Nogueira Nico


Presidente | Associação Brasileira de Dislexia - ABD
Sócia-Diretora | Centro Especializado em Distúrbios de Aprendizagem – CEDA
Fonoaudióloga | Psicopedagoga clínica | Pesquisadora
APRESENTAÇÃO

A dislexia é um transtorno específico da aprendizagem, de origem


neurobiológica, que não tem cura. Acomete entre 3 e 15% das crianças em
idade escolar apesar da inteligência normal, da ausência de problemas sen-
soriais ou neurológicos, da instrução pedagógica adequada e de oportunida-
des socioculturais suficientes.
Como consequência dessa disfunção, os disléxicos adquirem e pro-
cessam informações de maneira diferente, devido a um déficit no componen-
te fonológico da linguagem. A capacidade para aprender habilidades acadê-
micas especificas está comprometida evidenciando prejuízos na leitura,
escrita e matemática.
É possível levantar sinais de risco para a dislexia desde os primeiros
anos do Ensino Fundamental, uma vez que as habilidades preditoras da alfa-
betização (consciência fonológica, orientação espacial e temporal, aspectos
motores, visuais e auditivos) podem apresentar-se alterados.
A partir do diagnóstico, que envolve uma equipe multidisciplinar, é
possível iniciar o processo de intervenção, que deve focar o estímulo das ha-
bilidades prejudicadas. Quanto mais cedo isso ocorrer menores serão as
consequências acadêmicas e emocionais.
À escola cabe a responsabilidade de garantir a inclusão desse aluno
respeitando seus direitos e providenciando todas as adaptações curriculares
indicadas a cada caso assegurando que tenham a mesma oportunidade de
acesso ao conteúdo que seus demais colegas de sala.
Este livrinho foi escrito com o objetivo de compartilhar as informa-
ções sobre a dislexia com o maior número de pessoas possível contribuindo
para o diagnóstico precoce e a efetiva inclusão dessas crianças no sistema
educacional.

Desejo a todos uma ótima leitura!

Marilia Piazzi Seno


Contato: mariliaseno@hotmail.com
Educativa Assessoria e Consultoria
OLÁ!
EU SOU O MATHEUS,
ESTOU NO TERCEIRO
ANO E TENHO
DISLEXIA.

VOU CONTAR UM POUQUINHO DA MINHA


HISTÓRIA PARA VOCÊS.
RECEBI O DIAGNÓSTICO
AOS 8 ANOS DEPOIS DE PASSAR
POR VÁRIOS PROFISSIONAIS...

FUI EM MÉDICOS,
NO PSICÓLOGO,
NA FONOAUDIÓLOGA
E NA PSICOPEDAGOGA.

ELES FIZERAM UNS TESTES BEM


LEGAIS COMIGO PORQUE QUERIAM
ENTENDER MELHOR DE QUE
JEITO EU APRENDO.
EXPLICARAM TUDO DIREITINHO PARA
MINHA MÃE E PARA O MEU PAI.

mudou
a vida
do papai!

FOI ENGRAÇADO PORQUE


O PAPAI DESCOBRIU QUE
TAMBÉM É DISLÉXICO!!!

ELE DISSE QUE SE SENTIU


ALIVIADO COM A NOTÍCIA E
QUE ISSO EXPLICAVA MUITAS
SITUAÇÕES DIFÍCEIS QUE PASSOU
NA ÉPOCA DA ESCOLA E
DA FACULDADE.
A DISLEXIA NÃO É UMA DOENÇA.

APRENDI QUE É UMA CONDIÇÃO NEUROBIOLÓGICA; OU SEJA, A


GENTE NASCE COM ELA E NÃO TEM CURA.

SE ALGUÉM NA FAMÍLIA TIVER DISLEXIA É PRECISO


FICAR ATENTO PORQUE ESTE É UM IMPORTANTE FATOR
DE RISCO E OUTRAS PESSOAS PODEM TER TAMBÉM!

Minha Família

vovô com
dislexia
papai com
dislexia

eu com
dislexia

O TRATAMENTO COM PROFISSIONAIS


ESPECIALIZADOS AJUDA BASTANTE!
EXISTEM TRÊS TIPOS DE DISLEXIA:

1. DISLEXIA AUDITIVA: QUANDO OS


SONS PRONUNCIADOS DE FORMA PARECIDA
SÃO CONFUNDIDOS. TIPO: FACA E VACA,
PATO E BATO, GATO E CATO, CHATO E JATO.
ÀS VEZES EU TROCO UMAS LETRAS ASSIM:

JACARÉ, GOLEIRO,
VARINHA, DINHEIRO

Matheus

xacaré,
coleiro,
farinha,
ISSO ACONTECE NA HORA
DO DITADO, POR EXEMPLO. tinheiro
2. DISLEXIA VISUAL: QUANDO AS LETRINHAS
COM FORMATO PARECIDO SE CONFUNDEM NA HORA
DE LER OU AO COPIAR DA LOUSA.
a–o m–n u–v q–p b–d u- n w – m l - i

Corri para a casa


da minha tia quando
começou a chover ontem
à tarde.

QUANDO FAÇO CÓPIA, COSTUMO PULAR LINHAS E CONFUNDIR


ALGUMAS PALAVRAS... PARECE QUE ELAS FICAM SE MEXENDO
NA MINHA FRENTE. OLHA SÓ O QUE FIZ OUTRO DIA!

Matheus
Corri na casa da tia TROQUEI UMAS
LETRAS, MUDEI
UMAS PALAVRAS,
quadro começou a ENGOLI OUTRAS.

chover ontem à trade.


3. DISLEXIA MISTA: QUANDO ESTÃO PRESENTES AS
CARACTERÍSTICAS DA DISLEXIA AUDITIVA E DA VISUAL.
É ESSA QUE EU TENHO.

ACHO TÃO DIFÍCIL SABER QUANDO A PALAVRA


TERMINA COM “ÃO” OU “AM”!

Estavam Comam
Coração São
E A HISTÓRIA DAS VOGAIS
ABERTAS E FECHADAS?
COMO VOU SABER DE QUE
JEITO TEM QUE FALAR SE
ELAS NÃO TÊM ACENTO??
POR QUE NA PALAVRA PETECA
DEVO FALAR “TÉ” SE NÃO TEM
ACENTO AGUDO?

POR QUE NA BOLA O


“O” TEM UM SOM E NO
BOLO TEM OUTRO SE
É A MESMA LETRA???
JÁ PERCEBERAM QUE PARA PRONUNCIAR
ALGUNS SONS NOSSA BOCA MEXE
EXATAMENTE DO MESMO JEITO??

XXXXXX
E JJJJJJ

FFFFFFF
E VVVVVV

SSSSSS
EZZZZZZ
MINHA FONO ENSINOU QUE OS SONS TÊM
UM MOTORZINHO E SE FOREM LIGADOS
SE TRANSFORMAM EM OUTROS SONS !!!

ESSAS LETRAS, POR


EXEMPLO, REPRESENTAM
SONS COM MOTOR
DESLIGADO.
CFP
QTX

ESSAS LETRAS
REPRESENTAM

BDJ
SONS QUE TÊM
O MOTOR LIGADO.

MNVZ
O CÉREBRO DOS DISLÉXICOS PROCESSA AS
INFORMAÇÕES DE UMA FORMA DIFERENTE!

É POR ISSO QUE ÀS


E
VEZES TENHO
DIFICULDADE PARA
N
V
ENTENDER O QUE T
ESTOU LENDO.
P
C
X F

D S
B

W
J

TAMBÉM DEMORO UM POUCO MAIS QUE MEUS


AMIGOS PARA FAZER OS EXERCÍCIOS NA CLASSE
E AS TAREFAS DE CASA.
DEPOIS QUE DESCOBRIMOS O QUE EU
TINHA, TUDO FICOU MAIS FÁCIL.

- MINHA APOSTILA É
ESCRITA SÓ COM LETRAS
MAIÚSCULAS,

- O ESPAÇO ENTRE AS
LINHAS É MAIOR,

- FAZEM OS ENUNCIADOS
MAIS CURTOS PARA MIM.

POSSO ACOMPANHAR A LEITURA COM O DEDO E SÓ LEIO EM VOZ ALTA


PARA SALA TODA SE EU QUISER.

FIQUEI TÃO ALIVIADO !


AGORA TENHO MAIS TEMPO PARA FAZER AS PROVAS
E NINGUÉM DESCONTA MINHAS NOTAS POR CAUSA
DOS ERROS NA ESCRITA.

ISSO NÃO É ÓBVIO? SENÃO EU NUNCA PODERIA


TIRAR UM 10 COMO MEUS COLEGAS E ISSO NÃO
SERIA JUSTO, JÁ QUE EU SEI A MATÉRIA !

Matheus

Corri n a c
10
a s a d a tia
ou a
quadro começ
r o n t e m à t r ade.
AH! SE EU chove
PRECISAR DE
AJUDA A
PROFESSORA
PODE LER A
QUESTÃO DA
PROVA PARA MIM!
E TENHO ATÉ
DIREITO A FAZER
PROVAS ORAIS.
O NOME DE TUDO
ISSO É ADAPTAÇÃO
CURRICULAR E
MUDOU A MINHA VIDA!!!
COMECEI A IR NA FONO E NA PSICOPEDAGOGA TODA
SEMANA. MINHA LEITURA JÁ MELHOROU BASTANTE.
ELAS ME ENSINAM ALGUMAS ESTRATÉGIAS QUE ME
AJUDAM A APRENDER MELHOR.

SÃO DICAS!
A MÃE DA MINHA AMIGA GABI ESTÁ ACHANDO QUE ELA
TAMBÉM TEM DISLEXIA E PEDIU O TELEFONE DA MINHA
FONO PARA A MAMÃE.

ELA ESTÁ COM AS MESMAS DIFICULDADES QUE EU


TINHA E QUANDO A PROFESSORA SUGERIU QUE LESSE
O TEXTO NA MINHA APOSTILA ELA FOI SUPER BEM!

SABIA QUE É POSSÍVEL PERCEBER OS SINAIS DE RISCO PARA


A DISLEXIA DESDE O 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL I?
FIQUEM ATENTOS
SE A CRIANÇA:

- DEMOROU PARA
FALAR OU APRESENTOU
TROCAS PERSISTENTES
DE SONS NA FALA
DURANTE A EDUCAÇÃO
INFANTIL.

- NÃO SABE O PERÍODO EM QUE


ESTUDA, OS DIAS DA SEMANA, OS
MESES DO ANO OU A DATA DE ANIVERSÁRIO.

- NÃO CONSEGUE RECONTAR UMA HISTORINHA OBEDECENDO A


SEQUÊNCIA DOS FATOS.

- TEM DIFICULDADES PARA PERCEBER AS PALAVRAS QUE


COMEÇAM OU QUE TERMINAM COM O MESMO SOM.

- DEMORA PARA TERMINAR AS ATIVIDADES.

- CONFUNDE LETRAS COM NÚMEROS.

- ACHA DIFÍCIL SOLETRAR PALAVRAS.

- NÃO CONSEGUE APRENDER O NOME DAS LETRAS.

AH! PERGUNTE SE ALGUÉM NA FAMÍLIA TEVE AS


MESMAS DIFICULDADES NA ESCOLA.
VOU DAR UMA SUGESTÃO DE BRINCADEIRAS QUE APRENDI
NA TERAPIA:

QUAIS PALAVRAS TERMINAM COM O MESMO SOM QUE ESSAS?

AVIÃO CANELA
JOELHO RATO
E QUAIS COMEÇAM COM O MESMO SOM QUE ESSAS?

GELADEIRA BATERIA
CHUVA SALADA
LEMBREM-SE QUE ESTAMOS FALANDO DOS SONS E NÃO DAS LETRAS!

OUTRA COISA QUE DESCOBRI É QUE ENTRE 5 E 15% DAS CRIANÇAS EM


IDADE ESCOLAR TEM DISLEXIA.

ELA ACOMETE MAIS MENINOS DO QUE MENINAS.


SABEM QUE NO MEIO DO ANO PASSADO, QUANDO RECEBI O
LAUDO DE DISLEXIA, ESCUTEI A VIZINHA FALAR PARA MINHA
MÃE QUE ELA NÃO DEVERIA MOSTRAR O DOCUMENTO PARA A
“PRO” PORQUE SENÃO ELA IA DESISTIR DE MIM.

NÃO ENTENDI DIREITO O QUE QUERIA DIZER, MAS QUANDO A TIA


LARISSA SOUBE QUAL ERA A CAUSA DO MEU “FRACASSO ESCO-
LAR” (ERA ASSIM QUE OS ADULTOS CHAMAVAM) PERCEBI QUE
ELA MUDOU O JEITO DE ME ENSINAR AS COISAS PARA MELHOR.

- ME COLOCOU PARA SENTAR NA CARTEIRA DA FRENTE.

- SEMPRE PERGUNTAVA SE EU TINHA ENTENDIDO


A EXPLICAÇÃO.

- ANOTAVA AS COISAS IMPORTANTES NA MINHA AGENDA.

- ME SUGERIA OUTRAS FORMAS DE ESTUDAR AQUELA


MATÉRIA: ASSISTINDO VÍDEOAULAS, VENDO FILMES,
MONTANDO MAQUETES....

- BAIXOU AUDIOBOOKS NO CELULAR DA MINHA MÃE PARA


EU ESCUTAR A HISTÓRIA E ACOMPANHAR NOS LIVROS.

- ME ENSINOU A FAZER MAPAS MENTAIS!


FICOU MUITO MAIS FÁCIL APRENDER DESSE JEITO!

EU VOLTEI A GOSTAR DE IR PARA A ESCOLA E ATÉ


FIZ MAIS AMIGOS.

Posso dizer que


agora sou
um menino feliz!
“ESA É A MINHA ISTÓRIA E SEI QUE NEIM TODAS TEM
UM FINAU TAM LEGAU.

QUERIA QUE AS PESSOAS PORCURASEM SABER UM


POQINHO MAIS SOBRE A DISLEXIA PRA PERSEBEREM QUE NÃO
É FALTA DE VOUNTADE DAS CRIANSSAS.

ALGUNAS COIZAS NOSSO CÉREBRO REALMENTE NÃO CONSSE-


GUI PROCESSAR IGUAL AOS OTROS, MAS SE TIVEREM PACIEN-
ÇA E NOS ENSINAREM DE OUTRAS FORNAS PODE FACILITAR
BASTÃTE.

ESPERO QUE ESSE LIVRINHO AJUDE MUITA GENTE!!!”

NOS ESTADOS UNIDOS


EXISTEM MUITAS
“CHECKLISTS” CRIADAS
ESPECIALMENTE PARA
OS PROFESSORES
IDENTIFICAREM OS
SINAIS DE RISCO PARA
A DISLEXIA E JÁ
ENCAMINHAREM PARA
OS ESPECIALISTAS.
Prezados Educadores,

SE NOTAREM DIFICULDADES PERSISTENTES


DURANTE O PERÍODO DE ALFABETIZAÇÃO
NÃO ESPEREM!

O TEMPO É PRECIOSO NOS CASOS DOS


TRANSTORNOS DA APRENDIZAGEM.
ENCAMINHEM PARA UMA AVALIAÇÃO
ESPECIALIZADA.

QUANTO MAIS CEDO A INTERVENÇÃO TIVER


INÍCIO, MENORES SERÃO AS CONSEQUÊNCIAS
NO ÂMBITO PEDAGÓGICO E EMOCIONAL.

COM ORIENTAÇÕES DIRECIONADAS É POSSÍVEL


REALIZAR AS ADAPTAÇÕES CURRICULARES
INDICADAS PARA CADA CASO E OFERECER,
DESSA FORMA, UM AMBIENTE ESCOLAR
INCLUSIVO PARA ESSES ALUNOS POSSIBILITANDO
AS MESMAS OPORTUNIDADES DE ACESSO AO
ENSINO QUE OS SEUS PARES.
NOSSOS CONTATOS:

ESCRITORA:

@mariliaeducativa

@mariliaseno

Marília Seno
Fonoaudióloga e Psicopedagoga

Entre no nosso grupo

www.educativacursos.com.br

ILUSTRADORA:

@ste.ilustra

www.steilustra.com