Você está na página 1de 18

Material de Estudo: Conhecendo as

competências gerais da base

Site: Ambiente Virtual de Aprendizagem


Curso: O ensino híbrido e as metodologias ativas
Livro: Material de Estudo: Conhecendo as competências gerais da base
Impresso por: Wania Soares
Data: terça-feira, 1 out 2019, 09:14

/
Sumário
O que são as competências gerais da BNCC?
Quais são as competências gerais da BNCC?
Vídeo institucional do MEC
Competência 5 da BNCC
BNCC: Como a tecnologia aparece na Base?
Gêneros textuais
Sugestões de ferramentas digitais

/
O que são as competências gerais da BNCC?
Para iniciar, assista ao vídeo abaixo, disponível no
site  http://basenacionalcomum.mec.gov.br/  e conheça a Base
Nacional Comum Curricular.

 Video: O que é a Base Nacional Comum


Curricular?

O que é a Base Nacional Comum Curricular?

O que são as competências gerais da base?

Na BNCC, competência é definida como a mobilização de


conhecimentos (conceitos e procedimentos), habilidades (práticas,
cognitivas e socioemocionais), atitudes e valores para resolver
demandas complexas da vida cotidiana, do pleno exercício da
cidadania e do mundo do trabalho.

Consultando as publicações  da Nova Escola e da Fundação Lemann,


que realizaram um trabalho intitulado "BNCC na prática", disponível no
site  https://bncc.novaescola.org.br,      foram inseridos alguns pontos
importantes para embasamento dos conceitos que serão vistos neste
curso.
Veja abaixo:
-Mas o que a definição dada pela BNCC significa, na prática?
Ela aponta para a necessidade de os alunos serem capazes de utilizar
os saberes que adquirirem para dar conta do seu dia a dia, sempre
respeitando princípios universais, como a ética, os direitos humanos, a
justiça social e a sustentabilidade ambiental. Ela também indica que
as escolas promovam não apenas o desenvolvimento intelectual, mas
também o social, o físico, o emocional e o cultural, compreendidos
como dimensões fundamentais para a perspectiva de uma /
educação integral. Isso as diferencia das habilidades, que são mais
focadas no desenvolvimento cognitivo.

IMPORTANTE: A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um


documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e
progressivo de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem
desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação
Básica, de modo a que tenham assegurados seus direitos de
aprendizagem e desenvolvimento, em conformidade com o que
preceitua o Plano Nacional de Educação (PNE). Este documento
normativo aplica-se exclusivamente à educação escolar, tal como a
define o § 1º do Artigo 1º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação
Nacional (LDB, Lei nº 9.394/1996)1 , e está orientado pelos princípios
éticos, políticos e estéticos que visam à formação humana integral e à
construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva, como
fundamentado nas Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação
Básica (DCN).

/
Quais são as competências gerais da BNCC?
Para compreender melhor as competências gerais previstas na BNCC
assista ao vídeo abaixo com Ana Penido, que fala da parte introdutória
da Base ( https://bncc.novaescola.org.br/ ).

 Video: As competências gerais da base.

As Competências Gerais da BNCC

Anna Penido é diretora do Inspirare, instituto familiar cuja missão é inspirar inovações para melhorar a educação brasileira. Jornalista formada
pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), com especialização em Direitos Humanos pela Universidade de Columbia e em Gestão
Social para o Desenvolvimento pela UFBA. Em 2011, participou do programa de formação de lideranças para impacto social da Universidade
de Harvard. Fundou e dirigiu a CIPÓ – Comunicação Interativa. Coordenou o escritório do UNICEF para os Estados de São Paulo e Minas
Gerais. Faz parte da rede Ashoka de Empreendedores Sociais.

Veja as 10 competências gerais da BNCC com comentários da Nova


escola e Fundação Lemann. Para facilitar o entendimento, elas
ganharam um título que sintetiza suas principais características:

1- Conhecimento: Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente


construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para
entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar
para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Comentário:
Ela traz a proposta de um aluno ativo, que consegue não apenas
compreender e reconhecer a importância do que foi aprendido, mas,
principalmente, refletir sobre como ocorre a construção do
/
conhecimento, conquistando autonomia para estudar e aprender em
diversos contextos, inclusive fora da escola.

2- Pensamento científico, crítico e criativo: Exercitar a curiosidade


intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a
investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a
criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses,
formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas)
com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

Comentário:
Trata do desenvolvimento do raciocínio, que deve ser feito por meio de
várias estratégias, privilegiando o questionamento, a análise crítica e a
busca por soluções criativas e inovadoras.

3- Repertório cultural: Valorizar e fruir as diversas manifestações


artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de
práticas diversificadas da produção artístico-cultural.

Comentário:
Estabelece como fundamental que os alunos conheçam,
compreendam e reconheçam a importância das mais diversas
manifestações artísticas e culturais. E acrescenta que eles devem ser
participativos, sendo capazes de se expressar e atuar por meio das
artes.

4- Comunicação: Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-


motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –,
bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e
científica, para se expressar e partilhar informações, experiências,
ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que
levem ao entendimento mútuo.

Comentário:
Aponta que, para se comunicar bem, crianças e jovens necessitam
entender, analisar criticamente e saber se expressar utilizando uma
variedade de linguagens e plataformas. Enfatiza a importância de que
a comunicação ocorra por meio da escuta e do diálogo.

/
5- Cultura digital: Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de
informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e
ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se
comunicar, acessar e disseminar informações, produzir
conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria
na vida pessoal e coletiva.

Comentário:
Ela reconhece o papel fundamental da tecnologia e estabelece que o
estudante deve dominar o universo digital, sendo capaz, portanto, de
fazer um uso qualificado e ético das diversas ferramentas existentes e
de compreender o pensamento computacional e os impactos da
tecnologia na vida das pessoas e da sociedade.

6- Trabalho e projeto de vida: Valorizar a diversidade de saberes e


vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências
que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do
trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao
seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e
responsabilidade.

Comentário:
Compreende a capacidade de gerir a própria vida. Os estudantes
devem conseguir refletir sobre seus desejos e objetivos, aprendendo a
se organizar, estabelecer metas, planejar e perseguir com
determinação, esforço, autoconfiança e persistência seus projetos
presentes e futuros. Inclui a compreensão do mundo do trabalho e seus
impactos na sociedade, bem como das novas tendências e profissões.

7- Argumentação: Argumentar com base em fatos, dados e


informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias,
pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os
direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo
responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento
ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.

Comentário:
Aqui o destaque é para a capacidade de construir argumentos,
conclusões ou opiniões de maneira qualificada e de debater com
respeito às colocações dos outros. Ela inclui a consciência e a
valorização da ética, dos direitos humanos e da sustentabilidade social
e ambiental como referências essenciais no aprendizado dessa
competência para orientar o posicionamento dos estudantes /
8- Autoconhecimento e autocuidado:  Conhecer-se, apreciar-se e
cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na
diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros,
com autocrítica e capacidade para lidar com elas.

Comentário:
Trata do aprendizado que crianças e jovens devem adquirir a respeito
de si mesmos, sendo capazes de identificar seus pontos fortes e
fragilidades, lidar com suas emoções e manter a saúde física e o
equilíbrio emocional.

9- Empatia e cooperação: Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução


de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o
respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e
valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus
saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de
qualquer natureza.

Comentário:
Aborda o desenvolvimento social da criança e do jovem, propondo
posturas e atitudes que devem ter em relação ao outro. Fala da
necessidade de compreender, de ser solidário, de dialogar e de
colaborar com todos, respeitando a diversidade social, econômica,
política e cultural.

10- Responsabilidade e cidadania: Agir pessoal e coletivamente com


autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação,
tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos,
inclusivos, sustentáveis e solidários.

Comentário:
Ela estabelece a necessidade de desenvolver na criança e no jovem a
consciência de que eles podem ser agentes transformadores na
construção de uma sociedade mais democrática, justa, solidária e
sustentável.

Para aprofundar o assunto:  A Nova Escola produziu um e-book sobre a


Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Como o ensino em todos os
anos e em todos os componentes curriculares serão norteados pelas
Competências Gerais, sugerimos a leitura do documento "BNCC NA
/

Á
PRÁTICA" para ajudá-los na compreensão dos conceitos
previstos e na implementação da base.

/
Vídeo institucional do MEC
Para fixar ainda mais os conceitos contidos na BNCC, assista ao vídeo
institucional do MEC destacado abaixo:

Vídeo: BNCC - As 10 competências gerais

BNCC - As 10 competências gerais

Disponível no site do MEC: http://basenacionalcomum.mec.gov.br 

/
Competência 5 da BNCC

A BNCC deu importante foco na tecnologia nas salas de aula, tanto na


forma de utilização (competência 4 – o meio digital como uma
linguagem para ser utilizada como uma das formas de comunicação),
quanto na compreensão a respeito de seu uso com senso crítico
(competência 5), mostrando aos estudantes uma forma de uso
acompanhado de compreensão, responsabilidade e criatividade.

O que a BNCC diz: 


5- Cultura digital: Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de
informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e
ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se
comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos,
resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e
coletiva.

A BNCC prevê o uso das tecnologias na educação, dando ênfase às


questões referentes a inovação, linguagens e cultura digital nas diversas
práticas sociais, incluindo as escolares.
 
Mas como desenvolver nas escolas essa competência?
O infográfico abaixo apresenta um conjunto de competências, tão
importantes em nossa sociedade tecnológica:

      (Imagem - pág 79 - da publicação Inova escola/Práticas para quem quer inovar na educação -
Fundação Telefônica/Vivo)

/
Estamos diante de um desafio, não é mesmo? Não temos apenas de
incorporar as tecnologias nas práticas dos professores, mas também,
incluir nos seus planejamentos  as habilidades e competências para lidar
com estas tecnologias, reconhecendo que hoje nossos estudantes
crescem usando múltiplos meios tecnológicos.
Esse desafio passa pelo entendimento de que introduzir tecnologias na
escola é para fazer coisas novas e pedagogicamente importantes,
onde o estudante, utilizando metodologias adequadas, poderá utilizar
estes recursos na integração de matérias estanques, tornando a escola
um lugar mais interessante do ponto de vista da interação, do
desenvolvimento de um espírito de colaboração, de autonomia e de
autoria.

/
BNCC: Como a tecnologia aparece na Base?
A competência 5 da BNCC trouxe em seu contexto a importância da
tecnologia e o quanto o estudante precisa dominar o universo digital no
decorrer da educação básica. Para melhor compreensão assista o
vídeo, disponibilizado na Nova escola, onde Lúcia Dellagnelo, Diretora
do Centro de Inovação para Educação Brasileira - CIEB, esclarece
como a tecnologia está sendo abordada na base.

Vídeo: BNCC - Como a tecnologia aparece na


Base?

BNCC: Como a tecnologia aparece na Base?

Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=NT9Whez23gE 

Portanto, os alunos precisam desenvolver até o fim do Fundamental:


 
- Utilização de ferramentas digitais:  precisam ser capazes de usar
ferramentas multimídia e periféricos para aprender e produzir.
-  Produção multimídia:  utilizar recursos tecnológicos para desenhar,
desenvolver, publicar e apresentar produtos (como páginas de web,
aplicativos móveis e animações, por exemplo) para demonstrar
conhecimentos e resolver problemas.

/
- Linguagens de programação:  usar linguagens de programação para
solucionar problemas. 
Domínio de algoritmos: compreender e escrever algoritmos, utilizar os
passos básicos da solução de problemas por algoritmo para resolver
questões.
- Domínio de algoritmos:  compreender e escrever algoritmos, utilizar os
passos básicos da solução de problemas por algoritmo para resolver
questões.
-  Visualização e análise de dados:  interpretar e representar dados de
diversas maneiras, inclusive em textos, sons, imagens e números.
- Mundo digital:  entender o impacto das tecnologias na vida das
pessoas e na sociedade, incluindo nas relações sociais, culturais e
comerciais.
- Uso ético:  utilizar tecnologias, mídias e dispositivos de comunicação
modernos de maneira ética, sendo capaz de comparar
comportamentos adequados e inadequados.

Com base em: https://novaescola.org.br/bncc/conteudo/9/cultura-digital-tambem-e-competencia-


presente-na-bncc 

/
Gêneros textuais
A colunista do site Nova escola, Débora Garofalo, escreveu um artigo
intitulado "Cultura Digital: o que é e quais ferramentas podem ser
utilizadas", publicado no site da Nova escola em 2018. Vamos destacar
aqui a parte que trata dos gêneros textuais advindos da web. Confira
abaixo:

"A cultura digital é ampla e contempla diversidade advinda dos


multiletramentos que mescla diferentes mundos e culturas, que podem
ser originadas do impresso (mas com adaptações). É importante
entender e compreender as mudanças ocorridas com a web 2.0, que
deram origens aos novos gêneros do discurso e práticas de linguagens
próprias da cultura digital.
Os gêneros textuais passaram por transmutação ou reelaboração
devido às novas mídias e hipertextual, novas de forma de interação e
reconfiguração do papel do leitor, que também passa a ser produtor –
o que amplia as possibilidades de participação e interação com os
multiletramentos. Observe abaixo a mudança do gênero digital que é
originada de um gênero impresso:

Vivenciar esses gêneros na escola torna-se fundamental para


desenvolver uma compreensão ativa dos textos. A BNCC não
contempla ferramenta digital, mas, é possível utilizá-las (inclusive do
celular). Compartilho algumas sugestões que permitem gerar empatia,
colaboração e interatividade para as aulas.

Blogs: é um gênero textual digital veiculado na internet que serve como


meio de comunicação virtual. O termo  é uma abreviação da palavra
inglesa “weblog” que surge da união dos vocábulos “web” (teia) e
“log” (diário de bordo). Para trabalhar com este gênero é possível criar
um específico que contenham a multimodalidade, ao integrar foto,
texto e vídeo. Entre os programas se destacam
o Wordpress, Tumblr, Blogger, todos gratuitos.

Meme/charge digital: o gênero atrai muito os jovens pela forma irreverente.


O  termo é bastante conhecido e utilizado no "mundo da  internet",
referindo-se ao fenômeno de "viralização" de uma informação. Ou seja:
qualquer vídeo, imagem, frase,   ideia,   música, que  se espalhe entre
vários usuários rapidamente, alcançando muita  popularidade  e pode
ser criado a partir de ferramentas gratuitas e intuitivas como o Canva e
o meme mania. /
Vídeo-minuto: os alunos se identificam muito com este gênero, pela
possibilidade de internalizar e oralizar acontecimentos. Além dos
programas disponíveis como aplicativo de celular, também é possível
trabalhar no computador com o  Windows movie maker, que é bem
simples e intuitivo e possui ferramenta de edição.

Fanfic: é um gênero voltado para leitura e escrita de histórias. Para


tornar mais prazeroso o trabalho com fanfics, é possível usar o playfic,
que é um site com uma programação simples. Ele possibilita o
desenvolvimento de habilidades de leitura e escrita, em que o usuário
pode criar sua narrativa e possibilitar que os leitores escolham o final da
história. 

Mobilizar práticas de cultura digital em diferentes linguagens, gêneros,


mídias e ferramentas digitais é importante para expandir e produzir
sentidos no processo de compreensão e produção dos alunos. Ao
refletir sobre o mundo e realizar diferentes projetos autorais, o aluno
participa ativamente da construção do conhecimento."

Confira o artigo completo de Débora Garofalo


em:  https://novaescola.org.br/conteudo/12552/cultura-digital-o-que-e-
e-quais-ferramentas-podem-ser-utilizadas 

/
Sugestões de ferramentas digitais
Para finalizar, seguem algumas sugestões de ferramentas digitais que
colaboram com o desenvolvimento das competências tecnológicas:

POSTER OVEN  -  é outro ótimo recurso para a criação


de cartazes online. Há diversos templates (modelos)
que podem ser utilizados. Além disso, é possível
conectar a produção às principais redes sociais
existentes.

QRCODE MONKEY  - é um dos mais populares


geradores de código QR online gratuitos com milhões
de códigos QR já criados. A alta resolução dos
códigos QR e as poderosas opções de design fazem
dele um dos melhores geradores, podendo ser usados
para fins comerciais e impressos.

FÁBRICA DE APLICATIVOS  - Plataforma que permite ao


usuário criar um aplicativo utilizando a linguagem HTML5
mesmo sem entender nada de programação. O objetivo
do serviço é proporcionar aos interessados uma
tecnologia que permita a criação de apps de forma
simples e gratuita.

WORDLE  - gera "nuvens de palavras" do texto que você


fornece. As nuvens dão maior destaque às palavras que
aparecem mais frequentemente no texto original. Você
pode ajustar suas nuvens com diferentes tipos de letra,
layouts e esquemas de cores. 

CRIADOR DE INFOGRÁFICOS  - Como criar infográficos


online grátis? Os infográficos estão revolucionando a
forma como nós vemos gráficos, tabelas e dados. De
uma forma simples, objetiva e bonita, é possível transmitir
informações a respeito de um tema, de uma situação ou fato e muito
mais. 

PIC COLLAGE  - Como usar e fazer montagens


criativas com suas fotos? É um aplicativo prático
para quem gosta de tirar fotos com o celular e
postar nas redes sociais. O recurso oferece opções para montagem
divertidas com as imagens, além de ferramentas de edição com
stickers, adesivos, grades coloridas e mais. 
/
Seguir para: 
Material de estudo: As ferramentas digitais e as competências
socioemocionais.

Você também pode gostar