Você está na página 1de 3

ESTUDO PARA AGRUPES

ACEV C.G. – AGRUPE


Série: No monte com Jesus (Mt 5)
Estudo 6 – As Escrituras e o Espírito

Graça e paz, amada família. Estamos partindo para o sexto estudo da série “No monte com Jesus”, para
nossos Agrupes em Família. A partir do Sermão do Monte, vamos entender como o crente, que é bem-aventurado
deve comportar-se diante do mundo baseado naquilo que o Senhor Jesus nos deixou como seu “novo
mandamento”. Você que vai conduzir estes estudos faça isso de forma que todos participem fazendo perguntas e
dando suas opiniões.

Dicas de Louvor: Tua Palavra – Paulo César Baruk. Santo Espírito – Paulo César Baruk. Se não tiver alguém
que toque um instrumento, vocês podem colocar a música no Youtube ou Spotify.

INTRODUÇÃO
Estamos estudando o Sermão do Monte, que é o maior discurso contínuo de Jesus registrado nas Escrituras.
Ele está cheio de ensinos profundos acerca do relacionamento do cristão com o mundo e com as pessoas ao seu
redor, bem como com a pessoa de Deus. Desde o início da fé cristã, muitas pessoas têm utilizado das Escrituras
para o seu próprio deleite, deturpando os seus mandamentos a fim de fazê-los atender aos interesses pessoais e
individuais, e a porção do Sermão do Monte não escapa dessa realidade. Muitos atribuem a ele a função de
“manual de ética”, onde se deduz que se todas as pessoas o seguissem, o mundo poderia ser restaurado e
viveríamos em paz. O que as pessoas se esquecem é justamente do primeiro ensinamento de Jesus desse
sermão: precisamos reconhecer que somos pobres de espírito, e que por nós mesmos não conseguimos cumprir
essas atribuições. Contudo, somente em Cristo temos a restauração verdadeira. Não é possível para o homem
por si só possuir as qualidades evidenciadas nas bem-aventuranças, e muito menos entender e viver a
profundidade do restante do sermão, que só podem ser praticadas por quem de fato nasceu de novo.
Isso de fato acontece por causa do mal que em nós habita desde Adão: o pecado. E na busca por identidade
e sentido para a vida, o homem tenta voltar-se para algo eterno e sobrenatural a partir de seus próprios métodos,
e por isso existem tantas religiões no mundo, onde cada cultura, distanciando-se de Deus, foram acrescendo e
criando seus próprios métodos na tentativa de adorar. Percebemos um certo padrão em todas as religiões criadas:
a tentativa de criar um conjunto de regras a fim de realizar boas obras para agradar ao divino. O Cristianismo
destaca-se em meio a todas elas, pois revela que “pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós,
é dom de Deus. Não de obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2:8,9), ou seja, não alcançamos o favor divino por
obras, mas unicamente pela fé.

Perguntas: Como você entende o cristianismo?


Você consegue perceber Jesus como um caminho para a verdadeira liberdade?

Na semana passada, vimos que os fariseus e escribas, mesmo fazendo parte do que se conhecia como
povo de Deus, se comportavam de forma leviana, fazendo da Lei um instrumento de tentar justificar-se e passar
para as pessoas uma aparência de santidade e superioridade. Este nunca foi o propósito de Deus com a Lei.
Apegaram-se aos pormenores da Lei, esquecendo-se dos seus princípios: amar a Deus e ao próximo.
Valorizaram o conhecimento e esqueceram-se do amor.

Perguntas: A que você mais tem se apegado na Bíblia? Nos detalhes que podem gerar discussões tolas e
secundárias ou ao ensino essencial, que gera vida?
Você encara a Bíblia como uma série de regras do que fazer e não fazer ou deixa que o Espírito Santo
fale com você através dela, para te dar vida?

No estudo de hoje veremos como devemos agir com relação às verdades reveladas a nós nas Escrituras.

DESENVOLVIMENTO DO ENSINO
Leitura Bíblica: Mt 5:21.a, 27.a, 31.a, 38.a, 43.a
“Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados...”
Mt 5:22.a, 28.a, 32.a, 39.a, 44.a
“Eu porém vos digo...”
1
ESTUDO PARA AGRUPES

No capítulo 5 de Mateus, dos versículos 21 ao 48, veremos Jesus dando seis exemplos de como os fariseus
interpretaram de forma superficial e equivocada a Lei, fazendo até acréscimos ilegítimos em algumas ocasiões.
Se não estivermos atentos, podemos estar cometendo o mesmo equívoco com a Bíblia, inclusive no próprio
Sermão do Monte. Estavam mais atentos aos rudimentos literais e à lei cerimonial do que ao espírito submisso e
obediente para segui-la como sinal de amor a Deus.
Se nos limitamos apenas ao que a maioria das pessoas acham sobre o assunto ou apenas porque “o pastor
disse”, ou porque “os meus pais ensinaram assim”, podemos estar trilhando um caminho às cegas, sem um
fundamento seguro para viver, e quando nos depararmos com situações diferentes em nossas vidas, não
saberemos lidar de forma correta. Somente a Bíblia é inerrante e um firme fundamento o qual podemos nos apegar
para enfrentar todas as tempestades, e precisamos vivê-la com o amor, que é fruto do Espírito Santo.

Cit.: “24. Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a
sua casa sobre a rocha. 25. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela
casa, e ela não caiu, porque tinha seus alicerces na rocha.” Mateus 7:24,25

Cit.: “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Efésios 4:15

É muito mais cômodo para nós recebermos uma série de regras fechadas pré-estabelecidas para seguir.
Muitos de nós parecem gostar de viver sob jugo de escravidão e cheios de regras do que pode e do que não pode.
A Lei, apesar de ser pormenorizada em 613 mandamentos no total, Jesus revela que ela era toda pautada em
princípios, o qual Jesus deixa bem claro no Novo Testamento qual é o principal: o amor.
Gostamos das regras “mastigadas” porque temos preguiça de ir aos princípios. É mais trabalhoso
conhecer o princípio e desenvolver comportamentos a partir dele do que receber tudo pronto. Custa mais
para nós conhecer o Autor da Lei para obedecê-Lo, é mais demorado, e isso torna-se cada vez mais verdadeiro
na sociedade contemporânea, que tem pressa para “fazer”, e pouca importância com o “ser”.
Isso revela-se em coisas simples do cotidiano: não nos interessa saber como a água chega até nós, só
queremos que ela chegue em nossas torneiras. É claro que não nascemos todos para sermos químicos e
especialistas em recursos hídricos. Porém, se entendêssemos um pouco mais dos princípios acerca da água,
poderíamos usá-la de forma mais racional e tomar medidas mais concretas para a preservação desse recurso.
Não precisamos tanto entender os princípios da água, mas os princípios da vida, é fundamental. E para isso,
precisamos ir até o Autor da Vida.

A Bíblia nos revela que é importantíssimo o conhecimento:


Cit.: “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento. "Uma vez que vocês rejeitaram o conhecimento, eu
também os rejeito como meus sacerdotes; uma vez que vocês ignoraram a lei do seu Deus, eu também ignorarei
seus filhos. Oséias 4:6

Cit.: “Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. João
17:3
Porém, o conhecimento sem amor é inútil. (1 Co 8:1-3; 1 Co 13). Jesus no Sermão do Monte não vem nos
deixar uma série de regras fechadas do que devemos praticar religiosamente, mas ensinar os princípios de
interpretação verdadeira da Lei, que conduzem à uma vida em amor que agrada a Deus. Jesus, sendo Deus,
revelou que Ele se importa não somente com o cumprimento literal da Lei, mas com a motivação com a qual a
cumprimos, baseado no princípio do amor.

Perguntas: Por que você cumpre os mandamentos deixados por Jesus?


A motivação do seu coração é ser bem-sucedido ou agradar a Deus?

Se nosso desejo é agradar a Deus, precisamos nos esforçar para cumprir os seus mandamentos em amor,
e não somente cumprir por cumprir, cumprir por obrigação ou por mera conveniência. Deus quer nos ter por inteiro,
todo o nosso ser. O amor a Deus não pode ser só de boca, mas em ação e em verdade (1 Jo 3:18). É preciso
amá-lo com todas as forças, alma, entendimento e coração (Dt 6:5,6). A Lei não pode estar escrita somente em
nossas Bíblias, mas ela precisa ser impressa em nosso interior.

2
ESTUDO PARA AGRUPES

Para isso, Jesus nos deixa o Espírito Santo, que nos capacita a entender seus princípios e a desenvolver
comportamentos em todas as áreas da vida. Não há na Bíblia, especificamente, regras de como se comportar na
escola, em um restaurante, por exemplo. Contudo, encontramos na Bíblia pelo Espírito Santo os princípios para
viver de forma a agradar a Deus e fazer a sua vontade em todas as circunstâncias da vida, inclusive nos mais
diversos ambientes e contextos. Além disso aqueles que nasceram de novo tem o Espírito Santo habitando em
seus corações e lhes dando poder e graça para em amor cumprirem a Palavra de Deus em todos os
relacionamentos e situações de suas vidas.

Perguntas: Quem é o seu guia nas suas escolhas do dia-a-dia? O que você utiliza para saber o que é certo e
errado em todas as coisas do seu cotidiano? Onde e a quem você pede direção para tomar decisões na vida?

Os pobres de espírito, que foram perdoados e nasceram de novo, tem a Palavra como regra de fé e prática
e o Espírito Santo como mestre e guia que os ilumina para entenderem a Palavra e lhes dá graça para praticá-la.

CONCLUSÃO
Que busquemos sempre os princípios que Deus tem para nós e não nos apeguemos a detalhes superficiais
que muitas vezes só geram divisões no meio do povo de Deus. O conhecimento da Bíblia e o fervor, poder e
iluminação do Espírito Santo não podem andar separadamente. Precisamos dessas duas asas na vida cristã para
alçarmos longos voos em nossa vida espiritual para a glória de Deus.

Pedidos de Oração:
1. Oreemos pedindo que Deus nos encha de amor por Ele e por Sua Palavra.
2. Ore para que o Espírito Santo nos encha de luz na mente e fogo no coração. Que tenhamos vidas cheias de
conhecimento da Bíblia e fervor no coração. E sejamos ouvintes e praticantes da Palavra de Deus por amor.
3. Ore para que Deus derrame um verdadeiro avivamento sobre a vida da igreja, a começar por você e pela
ACEV Catolé.
4. Diante do caos que vivemos hoje no mundo temos que reconhecer nossa fraqueza e clamar a Deus que nos
livre da pandemia do coronavírus e coloque um fim neste mal.
5. Façam seus próprios pedidos de oração entre família e tenham um momento de oração uns pelos outros.

AVISOS: Durante este período de quarentena participe da nossa dinâmica como Família ACEV:
• Domingo às 18h teremos nosso Culto Online. Participem conosco via internet aí na sua casa.
• Domingo às 9h30 teremos a nossa Classe de Escola Bíblica dos Jovens
• Toda quarta-feira, às 19h30min faremos nossos Cultos Familiares.
• Todo sábado faremos nossos Agrupes em Família.
• Os Agrupes de Jovens, Adolescente e Pré, também se reunirão durante a semana por meio de
aplicativos online, promovendo comunhão e edificação.
• Rede de OrAção – Conclamamos a toda Família ACEV Catolé para estarmos juntos intercedendo por
nossas famílias e por todas as pessoas do Brasil e do mundo. Todos os dias às 7h da manhã.

Obs.: O Pr. Wostenes e equipe enviam os estudos bíblicos e pedidos de oração para toda essa dinâmica.
Conclamamos a toda Família ACEV Catolé para estarmos juntos intercedendo uns pelos outros, por nossas
famílias e por todas as pessoas do Brasil e do mundo.
Além de todos os canais online pelos quais você pode se conectar com a gente, lembre-se que você pode
contar com todo o apoio da sua Equipe Pastoral, do Conselho da Igreja, da Equipe Diaconal, e do seu Líder de
Agrupe e de Ministério. Precisando de ajuda e/ou de oração, entre em contato com nossa Equipe Pastoral. Pr.
Wostenes (99634-8516), Pr. Jânio (99613-6148), Miss. Gleydice (99813-7941). Você pode agendar gabinete
online com nossa Secretária Ivoneide (98810-3834).

ACEV Catolé, C. Grande, 20/06/2020


Fonte: “Estudos no Sermão do Monte” de Martyn Lloyd-Jones.
Adaptação: Thyago Nóbrega.
Revisão: Pr. Wostenes Santos
Deus nos abençoe e lhes dê muitos frutos para o louvor da Sua glória!

Você também pode gostar