Você está na página 1de 5

SOMOS A JUSTIÇA DE DEUS

“Aquele que não conheceu pecado, Ele O fez pecado por nós; para que, nEle, fôssemos
feitos justiça de Deus.” (II Coríntios 5:21)

INTRODUÇÃO

O apóstolo Tiago declara uma promessa de Deus que é poderosa e maravilhosa para nossa
vida de crente vencedor:

“... orai uns pelos outros para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica
do justo” (Tiago 5:16).

O justo, quando suplica, pode ter certeza, que sua súplica é eficaz e pode muito
mesmo. Quando o justo ora, recebe a cura, pois sua súplica tem a eficácia necessária.

MAS, POR QUE, MUITOS E MUITOS E MUITOS CRISTÃOS NÃO DESFRUTAM DESSA
PROMESSA PODEROSA?

Contudo, muitos e muitos crentes em Cristo não se apegam a esta palavra pois ficam
debaixo da acusação do diabo, que lhes diz:

“preste atenção! É a súplica do justo que é eficaz e pode muito! Não é o seu caso,
pois você não é justo! Você não passa de um pecador! Por isso, sua súplica nunca
será eficaz e nada poderá. Olhe para você. Você é pecador e não justo.”

São palavras ditas diretamente do inferno ao seu coração. Por isso, muitos irmãos não
querem ser líderes, não se sentem à altura para orar por si e pelos outros, não se chama
capazes de gerar vidas para Jesus, pois estão debaixo desta horrenda acusação.
Contudo, a Palavra de Deus diz ao contrário. Esta Palavra do Senhor, que Paulo falou aos
Coríntios, é uma revelação poderosa na vida dos salvos em Cristo. Quando nos
convertemos a Jesus, além de todas as grandiosas bênçãos que recebemos do Senhor,
como o perdão, a restauração à comunhão com o Pai, a alegria da certeza absoluta da
salvação em Cristo, a purificação total de todos os pecados, a mudança de vida, a
transformação do caráter, enfim, além de todas as bênçãos que já recebemos
imerecidamente, somente pela graça mediante a fé, nós fomos declarados justos diante de
Deus.
Muitos cristãos, infelizmente, muitos mesmo, sofrem de sentimento de inferioridade
espiritual implantados pelo diabo em nossa mente, e se sentem aquém do que realmente
são! Tais irmãos, não se reconhecem como Deus os vê! Eles se veem com o diabo os vê:
inferiores, pecadores, derrotados.
CALMA! “A Verdade liberta” (João 8:32). Hoje, quero ministrar sobre sua vida, um PRINCÍPIO
ESPIRITUAL LIBERTADOR: CRISTO É NOSSA JUSTIÇA! E, por isso, SOMOS A JUSTIÇA DE DEUS!
Então, nós não precisamos mais ficar debaixo da opressão e da acusação do diabo, pois não
somos mais pecadores, aos olhos de Deus e, sim, justos em Cristo Jesus. Aliás, é bem mais
que isso: SOMOS A JUSTIÇA DE DEUS!

VAMOS ENTENDER MELHOR ESTE PRINCÍPIO LIBERTADOR

“Aquele que não conheceu pecado, Ele O fez pecado por nós; para que, nEle,
fôssemos feitos justiça de Deus.” (II Coríntios 5:21). PEÇO A DEUS QUE VOCÊ TENHA
REVELAÇÃO DESTA PALAVRA LIBERTADORA!

Temos que entender com a luz da Palavra de Deus que, na cruz, aconteceu uma grande
troca. Ao invés do homem pecador ir para a Cruz, foi o Deus Homem perfeito pagar o
pecado que o homem pecador deveria pagar. Houve substituição perfeita, completa e total.
No Velho Testamento, lemos que a serpente de bronze representava Cristo (Números
21:4-9), que substituiu os israelitas em seu castigo. Quando um israelita murmurador era
picado por serpentes, bastava olhar para a serpente de bronze levantada no deserto, que
era curado imediatamente. Cristo foi levantado na cruz, em nosso lugar. “E do modo por
que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja
levantado, para que todo o que nele crê tenha a vida eterna.” (João 3:14, 15)
Ele pagou em nosso lugar pelo nosso pecado. Então, nós, hoje, em Cristo, somos justos.

Quando aplicada a nós, a palavra “justo” não significa perfeito, mas significa justificado
em Cristo, declarado justo em Cristo.
“Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor
Jesus Cristo;” (Romanos 5:1).
Não somos justos em nós mesmos. Somos justos em Cristo. Em Cristo, ou seja, porque
Cristo está em nós, Deus não nos vê mais, quando nos olha, mas vê a Cristo. Somos justos
porque Deus nos vê justificados em Cristo. Nós somos justiça de Deus.
“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados
gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus;”
(Romanos 3:23, 24)
Não há porque nos gloriarmos disso: pois foi Deus quem nos fez justos gratuitamente,
pela graça, em Cristo.
“Onde, pois, a jactância? Foi de todo excluída. Por que lei? Das obras? Não; pelo
contrário, pela lei da fé. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé,
independentemente das obras da lei.” (Romanos 3:27, 28)
ENTÃO, O QUE É SER JUSTIÇA DE DEUS?

Significa que nós somos tão justos quanto o próprio Deus. Que revelação bombástica.
Significa que, assim como Jesus é justo, nós somos tão justos quanto o próprio Jesus. Não
tem como crescermos MAIS em justiça. Já somos TÃO JUSTOS agora QUANTO seremos no
céu! Nós somos justos.

COMO ISSO PODE? Leia a Palavra de Deus. É a Palavra de Deus quem o declara: “Aquele
que não conheceu pecado, Ele O fez pecado por nós; para que, nEle, fôssemos feitos
justiça de Deus.” (II Coríntios 5:21). Em Cristo, fomos feitos justiça de Deus. Em Cristo, Deus
nos fez justiça dEle.

“Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, O qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e
justiça, e santificação, e redenção,” (I Coríntios 1:30).

Cristo se tornou, para nós, justiça. Ele é a nossa justiça. E como recebemos isso?

“Se pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a
abundância da graça e o DOM DA JUSTIÇA reinarão em vida por meio de um só, a saber,
Jesus Cristo.” (Romanos 5:17). Recebemos como um dom, uma dádiva, um presente. Esta
justiça que temos e somos não foi conquistada, sob nenhuma hipótese, pois não a
merecíamos e nem a merecemos ainda e jamais a mereceremos. Ela foi dada mediante a
abundância da graça em Cristo. Recebemos gratuitamente o dom da justiça.

TEMOS QUE TER A REVELAÇÃO DISSO PARA TERMOS A CONSCIÊNCIA DA JUSTIÇA


As pessoas que querem pagar pelos seus pecados, fazendo penitências ou sacrifícios
não receberam a revelação maravilhosa da graça de Deus. Ficam querendo “completar” a
obra de Cristo através de seus merecimentos, de suas boas obras, de seus méritos pessoais
e morais. Não entenderam que Jesus já completou a Obra e que foram perdoados de seus
pecados PASSADOS, PRESENTES e até dos pecados FUTUROS. “Jesus, porém, tendo
oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de
Deus, ... Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo
santificados. (Hebreus 10:12, 14). Não precisamos mais de nenhum outro sacrifício, pois o
de Cristo foi inteiramente suficiente, completamente suficiente.

O Senhor Jesus derramou Seu sangue na cruz para nos tornar dignos, justos, diante de
Deus! Por isso, temos que parar de ter uma postura de coitadinhos, de indignos: isso
desonra o sacrifício do SENHOR!

O Apóstolo Paulo declara: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder


de Deus para a salvação de todo aquele que crê, ...” (Romanos 1:16). Quando ele emprega
o termo “salvação”, ele vai além da eternidade depois da morte. Ele emprega o termo
Salvação e um sentido que abrange nossa vida aqui também. É como se ele estivesse
utilizando o neologismo “completação”, ou seja, o salvo vai tornar-se completo em todos os
sentidos. Portanto, ser salvo, liberto, curado, protegido, abençoado, próspero, completo.
Cristo fez uma Obra completa.

QUEREMOS CRESCER NA GRAÇA, MEDIANTE A FÉ

A justiça de Deus é dada pela graça mediante a fé para todos os que creem! Ouça
Paulo: “visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito:
O justo viverá por fé.” (Romanos 1:17). A justiça de Deus não vem de nós mesmos. Vem da
boa nova da salvação em Cristo, pela graça, recebida mediante a fé. Evangelho é isso: a
justiça de Deus se revela no evangelho. Recebemos pela fé e continuamos experimentando
somente pela fé, pois o justo – o justificado em Cristo – vive esta experiência pela fé.

QUAIS SÃO ALGUMAS DIMENSÕES, NAS QUAIS SE MANIFESTA,


JUSTIÇA DE DEUS!?

1° NOSSOS PECADOS FORAM PERDOADOS!

“Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus
Cristo;” (Romanos 5:1). Temos paz porque não devemos mais nada de pecado. Cristo já
pagou meu pecado e estou justificado em Cristo. Não há e nem haverá mais nada a ser
pago por mim, pois Cristo já pagou todo o meu pecado.

2°. NOSSOS PECADOS FORAM ESQUECIDOS!

Amnésia santa do nosso Deus gracioso: “Pois, para com as suas iniquidades, usarei de
misericórdia e dos seus pecados jamais me lembrarei;” (Hebreus 8:12). Qualquer acusação
depressiva hoje vem do diabo, pois Deus já se esqueceu de todos os nossos pecados.
CRENTE NÃO TEM PASSADO!

3° FOMOS PURIFICADOS DOS NOSSOS PECADOS

Deus perdoa. Deus limpa e Deus lava completamente. Você está lavado pelo sangue. “Eu, eu
mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não
me lembro.” (Isaías 43:25)

A melhor tradução, do grego para o português, deste texto seria: “O sangue de Jesus nos
purifica e continua nos purificando de todo pecado.” (I João 1:7). É um lavar continuo,
ininterrupto, pois o sangue de Jesus continua fazendo a obra de purificação dos nossos
pecados.

4°. NOSSA NATUREZA PECAMINOSA FOI SUBSTITUÍDA PELA JUSTIÇA DE DEUS!

Vejamos o caso de Abraão: “Ele creu no SENHOR, e isso lhe foi imputado para justiça.”
(Gênesis 15:6). Quando Deus olha para nós, Ele vê a Sua natureza, a Sua justiça. Pela fé –
isso é pura graça – a justiça de Cristo nos foi imputada, atribuída, posta em nós. Deus pôs a
justiça de Cristo em nós, quando cremos em Cristo como Senhor e Salvador.

CONCLUSÃO

EU NÃO MAIS SOU UM PECADOR QUE QUER MELHORAR um pouquinho de vida...

EU SOU JUSTO EM CRISTO QUE, ACIDENTALMENTE PODE PECAR, MAS QUE ESTÁ
AVANÇANDO NA GRAÇA, MEDIANTE A FÉ!

EU ERA UM PECADOR! HOJE, EU SOU JUSTO EM CRISTO JESUS, justificado, declarado justo,
perdoado.

Esta é a grande diferença. Eu posso gerar frutos para Deus, posso orar, posso crer na
cura, na restauração, na libertação, na renovação de minha vida e da vida das pessoas por
quem eu orar. Posso orar, sim, crendo que minha súplica muito pode, por sua eficácia, pois
eu sou justo. Nãos mais sou um pecador perdido, mas um justo, justificado, declarado justo
em Cristo Jesus. Posso gerar na célula. Posso ministrar. Posso ser usado. Posso ser canal de
bênçãos. Posso agir na Obra. Posso, pois não sou pecador que precisa de arrependimento.
Sou um justo que, por vezes, infelizmente, por acidente, cometo pecado, mas eu me
arrependo, confesso, peço perdão e deixo o pecado e tudo continua normal diante de Deus,
pois Ele vê, não a mim, mas a Cristo e, por isso, sou justo diante dEle.

Você também pode gostar