Você está na página 1de 1

Resenha Crítica

O que é conhecimento? Sintetizando epistemologia, metodologia e teoria de sistemas


em – uma nova proposição. Reinaldo Cherubini Neto

O conhecimento tem sua utilidade na manutenção, diferenciação e crescimento das


organizações, e não somente isso, mas também é um importante recurso competitivo e
possibilita a sobrevivência da empresa.
Tomando como base uma teoria econômica de que os recursos são escassos, o autor nos
apresenta “de um modo geral, que o conhecimento seria algo de pouco valor. Pois este
provavelmente todas as pessoas têm um pouco, é cumulativo e cresce
exponencialmente”. No entanto, ainda que o autor utilize de forma generalista a ideia de
que “todas as pessoas” tem conhecimento, é a finalidade que esse conhecimento produz
que indicará o seu valor, não apenas a quantidade ou sua posse – ainda que ínfima.
Após declinar alguns autores de pensamento ocidental e oriental, salienta, o autor, uma
não concordância uniforme entre estes, uma vez que se mostra complexa a tarefa de
conceituar conhecimento, pois cada autor elencado apresenta uma premissa distinta.
Ao se apresentar uma tipificação acerca do conhecimento é feita uma “divisão em
quatro níveis distintos, a saber: conhecimento popular, conhecimento teológico,
conhecimento filosófico e científico”, e que ao surgirem outras divisões seriam
consideradas como “variações ou subdivisões destes quatro níveis”.
Antes de procurar iniciar uma definição de conhecimento, o autor se baseia na definição
“tradicional” ou “padrão” de “crença verdadeira justificada” de Platão, como ponto de
partida, para motivar o porquê da sua iniciativa. Além disso, apresentam-se
“afirmativas” (dados, informação, contexto e crença), relacionadas a pergunta do artigo,
antes de o autor elaborar sua definição. Atrelada a essas afirmativas estão outros fatores,
expostos pelo autor, tais como: “compromissos, memória, linguagem, valores,
percepção e fatores que influenciam a cognição”.
Com vistas a cumprir a proposta tencionada pelo autor, tem-se que “conhecimento é o
produto de informações processadas sob a influência de fatores – método, linguagem,
fatores psicológicos, sociais e outros conhecimentos já acumulados – informações estas
que advém de dados percebidos no ambiente sob e através da influência destes fatores
de percepção e processamento”. Assim, de forma mais globalizada – ou por que não
holística, diferentemente dos autores arrolados, o autor apresenta sua definição de
conhecimento; como um reflexo de fatores internos e externos, os quais somados
produzem o conhecimento.