Você está na página 1de 25

Caderno de Análise

Amit Vaghela;Vincent Gossep;Walter Neto;Miguel Lampreia

Faculdade Lusófona de Humanidades e Tecnologias


Licenciatura de Informática de Gestão
Turma 1N1
Trabalho Prático de Grupo:
Amit Vaghela;
Vincent Gossep;
Walter Neto;
Miguel Lampreia
Esta página foi deixada
intencionalmente em branco.

Página 2
(…) a dificuldade é trabalhar
com sistemas dinâmicos, dai
que a informática é uma
actividade nobre e
inteligente(…)

Anónimo

Página 3
1. Índice
1. ÍNDICE 4
2. DECLARAÇÃO DE CONFIDENCIALIDADE 5
3. CONTACTOS E ESCLARECIMENTOS 6
4. SUMÁRIO EXECUTIVO 7
5. ÂMBITO DO PROJECTO 8
6. METODOLOGIAS E FERRAMENTAS UTILIZADAS 9
7. ESTRUTURA DA ORGANIZAÇÃO 10
8. EQUIPA DO PROJECTO 11
9. FASES & PRESSUPOSTOS DO PROJECTO 12
10. PROCESSOS MACRO DO NEGÓCIO 15
11. ARQUITECTURA DO SISTEMA 16
12. ARQUITECTURA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO 17
12.1. Desenho da relação da actividade “Inscrição em Disciplinas” 17
12.2. Desenho da relação da actividade “Inscrição em Exames”: 18
12.3. Desenho da relação da actividade “Lançamento de Notas”: 19
12.4. Desenho da relação da actividade “Lançamento de Sumários”: 20
12.5. Desenho da relação da actividade “Requerimentos on-line”: 21
12.6. Desenho da relação da actividade “Candidatura”: 22
13. MATRIZ DE CRUD 23
14. DICIONÁRIO DE DADOS 24

Página 4
2. Declaração de Confidencialidade
Este documento contém informações confidenciais e privadas. Todos os dados
submetidos são fornecidos sob condição de que o destinatário não os utilize ou revele, excepto
nas suas relações empresariais com os proprietários do mesmo.

O destinatário deste documento concorda em informar os seus actuais e futuros


funcionários, que recebem e têm acesso à informação contida neste documento, da sua
natureza confidencial, e em dar instruções a cada um dos funcionários de que não deverão
revelar a terceiros quaisquer informações relativas a este documento, excepto nas situações
em que as mesmas sejam do conhecimento público e estejam disponíveis para utilização pelo
mesmo.

O destinatário deste documento compromete-se a não copiar ou permitir a cópia por


terceiros de qualquer matéria aqui contida, excepto para o seu uso pessoal e interno.

Ao aceitar este documento o destinatário fica obrigado a cumprir as declarações acima


mencionadas.

Página 5
3. Contactos e Esclarecimentos

Toda a equipa está à inteira disposição dos elementos da Universidade Lusófona de


Humanidades e Tecnologias, que irão analisar esta documentação, para qualquer tipo de
esclarecimentos conducentes à melhor das suas apreciações.

Os pedidos poderão ser efectuados para os seguintes contactos, tendo em


consideração o âmbito e natureza dos mesmos:

Responsabilidade Nome Contacto E-Mail


Project Manager Miguel Lampreia 961725346 n.miguel.lampreia@gmail.com
Solutions and Development Manager Vincent Gossep 929010161 vincent.ricardo@gmail.com
IT Support Manager Walter Neto 964046135 walter_rumaliza@hotmail.com
Quality and Information Manager Amit Vaghela 969582800 amit.d.vaghela@gmail.com

Página 6
4. Sumário Executivo

“A educação superior fornece muitas das respostas para os desafios que enfrentamos hoje em
dia.” Presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, 2010

Aumento de inscrição, retenção e sucesso do aluno são fundamentais. Instituições, no


entanto, enfrentam muitos desafios em aproveitar estas oportunidades. Executando uma
organização sem um objectivo desperdiça tempo e recursos, mas afirmando que o objectivo na
forma de uma estratégia ou missão não é suficiente. Focalizando toda a organização em torno
da estratégia e execução da estratégia são essenciais.

Para colmatar esta lacuna e alinhar todas as unidades e os indivíduos com os


objectivos estratégicos de uma forma inclusiva que suporta as normas académicas, as
instituições devem reduzir o custo e/ ou a dificuldade de acesso e fornecer informações
relevantes para o funcionamento da organização.

A maioria das instituições tem investido dinheiro significativo nos sistemas de dados e
tem muitos bancos de dados. Eles muitas vezes, no entanto, que leva ainda mais tempo,
dinheiro e energia para obter os dados dessas fontes em formas de organização podem
realmente usar. Aceder, analisar e fornecer os dados e transformá-lo em informação útil - pode
se tornar proibitivamente caro e demorado como as pessoas correm ao redor para recuperar
dados.

O que as instituições precisam é uma maneira de aceder imediatamente todos os


dados, a qualquer hora, e colocá-la nas mãos de quem precisa. A pessoa que usa a
informação não tem que compreender a processo de recolha de
dados ou como trabalhar com o software, eles simplesmente
precisam de apontar, clicar e ter a informação de que
necessitam.

Página 7
5. Âmbito do Projecto

A gradual e constante procura pelo ensino superior na Universidade Lusófona de


Humanidades e Tecnologias (mais á frente designada por ULHT), tem sobrecarregado os
actuais sistemas de gestão utilizados pelos utilizadores-alvo, nomeadamente alunos,
funcionários, docentes e cibernautas.

Consequência também de políticas de gestão assentes na inovação e desenvolvimento


tecnológico em vigor na ULHT, acrescida às necessidades de implementar um sistema que
permita promover a continuidade da “webização”dos principais processos académicos.

Neste âmbito, é desenvolvido ao longo deste Caderno de Análise, a proposta de


desenho de uma arquitectura de sistema de informação que permita colmatar as actuais
necessidades dos utilizadores de uma forma eficaz e eficiente, os seguintes processos
académicos identificados:

 Inscrição em disciplinas;
 Inscrição em exames;
 Lançamento de notas;
 Lançamento de sumários;
 Requerimentos on-line.

Página 8
6. Metodologias e Ferramentas utilizadas

As metodologias utilizadas na análise e concepção do sistema


de informação via Web, por escolha estratégica identificam-se pelo Equipa do
SSADM - Structured System Analysis and Design Methodology.
Projecto
Considera-se uma metodologia bastante eficiente, aplicando

técnicas de diagramas de fluxos de dados numa perspectiva de
funcionalidade.

Actualmente é usado e considerado norma padrão em


indústrias internacionais, empresas das TI’s, e inclusive entidades
governamentais. ´

Amit Vaghela

Nascido a 02 de Julho de 1986, em


Portugal.

Aos 8 anos regressou ao país de


origem de seus pais, a Índia, onde
estudou até aos 14 anos.

Regressa aos 15 anos; reside no


distrito de Lisboa, em Chelas até
aos dias de hoje.

Conta com cerca de 4 anos de


experiência na área das
Tecnologias de Informação e
Comunicação, desde helpdesk a
suporte e apoio de utilizadores.

Adquiriu experiência em empresas


como a SoftLimits e a PT Contact

Actualmente como realização


pessoal e profissional encontra-se
a frequentar a Licenciatura de
Informáticas de Gestão na
Faculdade na Universidade
Lusófona de Humanidades e
Tecnologias.

Página 9
7. Estrutura da organização

Encontra-se definida a seguinte Estrutura de Organização


orientada para o projecto.
Equipa do
Projecto


 A estrutura “Project Management”, assume a responsabilidade Vincent Gossep


de garantir a execução e coesão dos vários recursos envolvidos Nascido a 03 de Junho de
no projecto, assegurando que o objectivo definido é atingindo, 1983, em Holanda.
agindo sempre que necessário interna e externamente em prol
Conheceu Portugal aos 6 anos,
do mesmo; onde se encontra a viver no
distrito de Lisboa, no concelho
de Loures.
 A estrutura “Development & Solutions”, envolve-se no desenho
e desenvolvimento da solução propriamente dita, ou seja, foca- Conta com cerca de 10 anos de
se na programação, envolvendo as boas práticas e técnicas de experiência na área das
Tecnologias de Informação e
programação necessárias. Tem a seu cargo corresponder a
Comunicação, desde helpdesk
análise de requisitos versus expectativas; a desenvolvimento de software.

Adquiriu experiência em
 A estrutura “IT Support & Troubleshooting”, assegura durante e empresas como o Grupo
após a implementação da solução, o correcto acompanhamento Tecnidata, GesPos, Fnac e
dos principais utilizadores, assim como assume o ónus de Unilever.

formar e informar os mesmos; Actualmente como realização


pessoal e profissional encontra-
se a frequentar a Licenciatura
 A estrutura “Quality & Information Management”, tem a
de Informáticas de Gestão na
responsabilidade de recolher, validar e assegurar toda a Faculdade na Universidade
qualidade da informação necessária e cuja solução e seu Lusófona de Humanidades e
Tecnologias.
desenvolvimento dependem, para o sucesso do projecto.

Página 10
8. Equipa do Projecto

A actual equipa de projecto envolvida e destacada para a Equipa do


elaboração do presente Caderno de Análise é composta pelos seguintes
elementos: Projecto
 Amit Vaghela

 Walter Neto
 Vicent Gossep
 Miguel Lampreia

Correspondendo directamente á actual estrutura definida para o projecto:

Walter Neto
Nascido a 16 de Agosto de 1979,
em Itália.

Meses após ter nascido, emigra


para o país de origem de seus
pais, Angola.

Em 1999 vem para Portugal,


onde se encontra a viver no
distrito de Lisboa, em Massamá.

Conta com cerca de 6 anos de


experiência na área das
Tecnologias de Informação e
Comunicação, na actividade de
redes, cablagens e infra-
estruturas.

Adquiriu experiência na empresa


DuoLux.

Actualmente como realização


pessoal e profissional encontra-
se a frequentar a Licenciatura de
Informáticas de Gestão na
Faculdade na Universidade
Lusófona de Humanidades e
Tecnologias.

Página 11
9. Fases & Pressupostos do Projecto

Para o projecto em questão foram definidas as seguintes


fases, que pretendem corresponder respectivamente ao ciclo de
vida do mesmo.
Equipa do
Projecto
Seguem enumeradas:

 Fase I - Levantamento de Requisitos
o Objectivos:
 Enumerar e descrever detalhadamente
os requisitos e constrangimentos do
actual sistema;
o Descrição: Miguel Lampreia
 Inventariação junto das várias entidades Nascido a 02 de Novembro de
informacionais e dos principais 1977, reside no distrito de
utilizadores dos actuais processos e das Lisboa, no concelho de
Odivelas, onde nasceu.
suas funcionalidades;
 Quantificação das necessidades dos Conta com cerca de 10 anos
de experiência na área das
utilizadores e sondar as especificações
Tecnologias de Informação e
preliminares das TIC; Comunicação, desde helpdesk
 Reuniões, entrevistas, preenchimento á gestão de centro de
de inquéritos e análise da operações.

documentação existente. Adquiriu experiência em


empresas como o Grupo
Multiopticas; HP; Siemens;
 Fase II – Análise e desenho funcional
Fujitsu e recentemente
o Objectivos: Convex.
 Análise e desenho funcional:
Actualmente como realização
 Da arquitectura do sistema de pessoal e profissional
informação; encontra-se a frequentar a
 Processos de negócio Licenciatura de Informáticas
de Gestão na Faculdade na
o Descrição:
Universidade Lusófona de
 Desenho da arquitectura do SI, Humanidades e Tecnologias.
processo de alto nível, implica a sua
definição e caracterização no que
respeita ás suas funcionalidades,

Página 12
tecnologias de informação, relação entre componentes, processos e
recursos.
 Fase III – Construção do sistema
o Objectivos:
 Desenvolver e elaborar os componentes do sistema.
o Descrição:
 Construção das bases dados necessárias e pré definidas;
 Construção das aplicações informáticas de suporte necessárias e pré
definidas;
 Construção das funcionalidades necessárias e predefinidas para o
interface de utilização;

 Fase IV – Construção da infra-estrutura


o Objectivos:
 Adquirir, instalar e configurar a infra-estrutura tecnológica.
o Descrição:
 Corresponde á aquisição, instalação e configuração mínimas
necessárias da infra-estrutura tecnológica necessária e predefinida.

 Fase V – Ensaio
o Objectivos:
 Testar em ambiente real da solução, funcionalidades técnicas e
opções tecnológicas desenvolvidas.
o Descrição:
 Consiste na implementação de um sistema de qualidade onde os
principais utilizadores podem testar em ambiente controlado a solução
com todas as funcionalidades e opções desenvolvidas.

Página 13
 Fase VI – Análise e Medição do Ensaio
o Objectivos:
 Analisar e medir os resultados dos ensaios e testes da solução em
ambiente controlado de qualidade.
 Se necessário, efectuar alterações.
o Descrição:
 Avaliar a exequibilidade da solução;
 Corrigir inconsistências detectadas;
 Proceder com novos desenvolvimentos;

 Fase VII – Go Live


o Objectivos:
 Implementação e arranque oficial da solução em ambiente de
Produção.
o Descrição:
 Consiste em implementar e proceder com o arranque oficial da solução
em ambiente de Produção junto das entidades informacionais e/ou
principais utilizadores;
 Se necessário, envolve um período de formação e acompanhamento
no local e/ ou á distância.

Fase I Fase II Fase IV


Fase III Construção
Levantamento de Análise e Desenho do sistema Construção da infra-
Requisitos Funcional estrutura

Fase VI
Fase VII Fase V
Análise e Medição
Go Live Ensaio
do Ensaio

Página 14
10. Processos Macro do Negócio

Designam-se processos de negócio, ou processos organizacionais, ao conjunto de


actividades organizadas, através da qual uma organização deve ser estruturada, com o
objectivo de produzir valor (output) para os seus “clientes”. Professor Vitor Santos, 2010

No levantamento dos principais Processos Macros do Negócio, definiu-se também o


cruzamento dos mesmos com as respectivas Entidades Informacionais.

Página 15
11. Arquitectura do Sistema

A Arquitectura do Sistema foi definida e estruturada graficamente da seguinte forma:

Página 16
12. Arquitectura do Sistema de Informação

“Identifica as Aplicações que fazem sentido ter. Nasce da relação entre os Processos e as
Entidades Informacionais clientes”. Professor Vitor Santos, 2010.

Neste capítulo pretende-se evidenciar o detalhe da descrição dos processos e relação


com as respectivas entidades, em simultâneo dar a conhecer também o fluxo da informação.

Respectivamente:

12.1. Desenho da relação da actividade “Inscrição em


Disciplinas”
O DFD referente á “Inscrição em Disciplinas” pretende ilustrar os distintos
procedimentos envolvidos com os processos interligados entre o “Aluno” e a “Secretaria”, no
que se concerne á inscrição e matrícula.

Página 17
12.2. Desenho da relação da actividade “Inscrição em
Exames”:
O DFD referente á “Inscrição em Exames” pretende ilustrar os distintos procedimentos
envolvidos com os processos interligados entre o “Aluno” e a “Secretaria”, no que se concerne
á inscrição de exames.

Página 18
12.3. Desenho da relação da actividade “Lançamento
de Notas”:
O DFD referente á “Lançamento de Notas” pretende ilustrar os distintos procedimentos
envolvidos com os processos interligados com a entidade “Professor”, no que se concerne ao
lançamento de notas.

Página 19
12.4. Desenho da relação da actividade “Lançamento
de Sumários”:
O DFD referente ao “Lançamento de Sumários” pretende ilustrar os distintos
procedimentos envolvidos com os processos interligados entre o “Professor” e a “Secretaria”,
no que se concerne ao lançamento de sumários.

Página 20
12.5. Desenho da relação da actividade
“Requerimentos on-line”:

O DFD referente ao “Requerimentos on-line” pretende ilustrar os distintos


procedimentos envolvidos com os processos interligados entre o “Aluno”, a “Secretaria” e o
“Professor”, no que se concerne aos requerimentos.

Página 21
12.6. Desenho da relação da actividade “Candidatura”:

Referente á “Candidatura” apresenta-se ilustrado o respectivo procedimento com os


seus processos interligados.

Página 22
13. Matriz de CRUD
Segue o exercício da Matriz de CRUD, sendo possível visualizar a acção dos
processos de negócio sobre as respectivas entidades informacionais.

Página 23
14. Dicionário de Dados
DFD Nível 2 - Inscrição em Disciplinas/Matricula

Entidades:
É uma Entidade Externa que já efectuou a sua candidatura, como se pode observar no DFD/1
"Candidatura" que o Cybernauta após o Pagamento passa a Aluno e a partir desse momento
Aluno
pode realizar a sua Matricula. Este efectua a Matricula e fica num repositório de dados para ser
posteriormente analisada pela Entidade externa a secretaria.
É uma Entidade Externa que interage com o Sistema, vai ao repositório de dados Matriculas
Secretaria
pendentes e analisa os mesmos dando um estado de aceite ou recusado, da mesma forma.

Processos:
Este processo é realizado pelo próprio sistema que valida uma matricula como
Validar Matricula
válida ou inválida.
Após a entidade secretaria anallisar no repositório de matrículas pendentes se
Aprovar Matricula a matricula estiver ok passa o estado para matricula aprovada e guarda no
repositório aluno o estado “Pendding Paymment”
Validar Inscrições O Sistema Valida a inscrição realizada pelo Aluno.
O aluno tem a possibilidade de aceder à sua área pessoal onde terá uma zona
Pagar Matricula de pagamentos e poderá efectuar o pagamento da sua matrícula que se
encontra no estado de pending payment.
Após a validação da matrícula pelo sistema o secretariado vai ao repositório de
Matricular Aluno matrículas pendentes e matricula o aluno passando para o repositório de
matrículas.
Este processo está relacionado com Matricula no semestre quando se está a
Pagar Disciplinas Inscritas matricular o aluno deverá optar também pelas cadeiras que irá escolher pois
isso depende da mensalidade.

Repositório de Dados
Este repositório tem as Matriculas de todos os alunos que se matricularam via Web,
Matriculas Pendentes este repositório tem como finalidade de alocar as matrículas efectuadas pelos alunos
via Web para a secretaria avaliar.
Este repositório contém todas as inscrições realizadas pelas entidades externas que
Iscrições Pendentes
ainda não foram validadas pela secretaria.
Aluno Este contém toda a informação sobre os processos do aluno.

Fluxos
Matricula Realizar a passagem da informação da matrícula para o repositório de dados.
Matricula Recusada
Este dá um alerta de matrícula recusada com um erro ao aluno.
Validar informação Este tem como objectivo validar a informação do lado do cliente (Client Side).
Devolver Informação
Este retorna a informação.
Matricula Aceite Realizar a passagem da informação da matrícula do repositório pendente para o
repositório de dados aluno.
Inscrição Disciplina Este processo inscreve o aluno numa disciplina.
Inscrição Recusada
Este tem como finalidade recusar uma inscrição.
Inscrição Aceite Este processa a inscrição.
Recibo Este fluxo emite um recibo após o pagamento.
Actualizar Este fluxo actualiza a informação após de modificada.
Envio Este envia a informação.

Página 24
Fim do Caderno de Análise

Página 25