Você está na página 1de 97

TEOLOGIA SISTEMÁTICA

(Bibliologia e Teologia)

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
PARTE I
BIBLIOLOGIA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
“Nunca se viu tanto analfabetismo
bíblico”

Você concorda com esta frase?


Onde se pode ver tal analfabetismo?
Quais as razões para o mesmo?

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Bíblia é mesmo um livro importante?

Nesta matéria se verá:


A. A formação da Bíblia
B. A relevância da Bíblia

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Parte A
A FORMAÇÃO DA BÍBLIA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A palavra “Bíblia” vem do grego biblos
(livro), nome que era dado à folha de papiro
preparada para a escrita. Um papiro de
tamanho pequeno era chamado biblion e
vários destes eram chamados de bíblia.
Literalmente, a palavra “Bíblia” quer dizer
“coleção de livros pequenos”.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Bíblia é composta de uma pequena
biblioteca de 66 livros, divididos em dois
grandes blocos: o Antigo Testamento, com
39 livros, e o Novo Testamento, com 27
livros.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A palavra “Testamento” significa “aliança”,
“acordo” ou “pacto”. Os livros que
compõem o “Antigo Testamento” foram
escritos antes de Cristo vir a esta terra para
consumar o plano de redenção, e os livros
que compõem o “Novo Testamento” foram
escritos depois de Cristo.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O Antigo Testamento foi escrito pela
comunidade judaica, e por ela preservada
por milênios antes de Cristo. Já o Novo
Testamento foi composto pelos discípulos
de Jesus Cristo durante o I século e.C.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Quando o primeiro livro Bíblico foi escrito? E
antes dele, como a Palavra de Deus era
transmitida?

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Pode-se afirmar com segurança que a Bíblia
Sagrada é a Palavra de Deus registrada por
homens ao longo da história.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Antes de haver sistema linguístico, no
período ágrafo, os hebreus contavam suas
histórias de geração em geração, de forma
oral (Hb 1:1).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A comunicação oral atendeu os propósitos
divinos por um tempo, mas Deus utilizou a
linguagem escrita para preservar sua palavra.
Geisler e Nix afirmam:

“Deus decidiu que sua palavra se tornasse algo permanente


e se imortalizasse por meio de um registro escrito (...). Tal
registro seria mais preciso, mais permanente, mais objetivo
e mais facilmente disseminável do que qualquer outro
meio”.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Todos esses livros foram escritos num
período de quase 1500 anos, em três
idiomas (hebraico, aramaico e grego), em
três continentes (Ásia, Europa e África), por
mais de 40 autores, de fazendeiros a reis,
em épocas e culturas diferentes.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
OS MATERIAIS USADOS

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os materiais usados
para escrever a Bíblia
são: Tabuinhas de barro
e pedra (Dt 27:2-3; Js
8:31-32; Ez 4:1).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os materiais usados para
escrever a Bíblia são:
Papiro, uma planta
aquática, que crescia nos
rios e lagos de pouca
profundidade. As tiras
eram extraídas e coladas
umas às outras até
formarem um rolo.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os materiais usados para
escrever a Bíblia são: o
pergaminho. Sua origem
estava nas peles de ovelhas e
cabras, entre outros animais.
Essas peles eram tosadas e
raspadas, para se obter um
material mais durável para a
escrita (2 Tm 4:13).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
OS IDIOMAS

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Quase todo o Antigo Testamento, que conta a
história do povo israelita, foi escrito em
Hebraico, uma língua que não traz nenhuma
vogal em seu alfabeto, que contém, apenas, 22
consoantes. Este era o idioma que os israelitas
falavam.

Só uma pequena parte do Antigo Testamento foi


escrita em Aramaico (partes do livro de Daniel,
Esdras e Jeremias), língua parecida com o
Hebraico, falada cotidianamente na época do
Novo Testamento pelos judeus.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Já o Novo Testamento todo foi escrito em um
único idioma: o grego. Temos algumas palavras
em aramaico, mas não trechos inteiros escritos
neste idioma. A razão para o Novo Testamento
ter sido escrito em grego é simples: este era o
idioma que a maioria das pessoas falava em todo
o mundo. Então, os seguidores de Jesus,
querendo que a mensagem do evangelho
chegasse a todos os lugares, escolheram esta
língua para escrever o Novo Testamento.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os apóstolos traduziram o aramaico, falado por
Jesus, para o grego. O grego usado era chamado
Koiné (comum), “forma cotidiana fácil de se usar,
enquanto que a forma escrita oficial tinha regras
complicadas. Os cristãos escreveram em grego
coiné porque eram pessoas simples”.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
AS DIVISÕES DA BÍBLIA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O Antigo Testamento de acordo com a Bíblia
Hebraica tem apenas três divisões:

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O Antigo Testamento de acordo com a Bíblia em português
tem mais divisões, pois seguiu o modelo da Septuaginta:

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Fatap Santana, Setembro de 2014
Eleilton William de Souza Freitas
Quanto aos 27 livros do Novo Testamento,
podem ser classificados em quatro
categorias: Evangelhos, com 4 livros (de
Mateus a João); História, com 1 livro, o de
Atos dos Apóstolos; Epístolas, com 21 livros,
que se subdividem em epístolas paulinas,
com 13 livros (de Romanos a Filemom) e
epístolas gerais, com 8 livros (de Hebreus a
Judas); Profecia, com 1 livro, o de
Apocalipse.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Fatap Santana, Setembro de 2014
Eleilton William de Souza Freitas
Tanto os livros do Antigo, quanto os do Novo
Testamento não foram escritos,
originalmente, em capítulos e versículos,
mas divididos posteriormente. Langston,
professor da Universidade de Paris, dividiu a
Bíblia em capítulos, no ano de 1227.
Stephanus, impressor parisiense,
acrescentou a divisão em versículos, nos
anos de 1551 e 1555.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Todos os autores foram inspirados por Deus. O
mesmo não se pode dizer dos 7 livros a mais
que aparecem em algumas versões bíblicas (1
e 2 Macabeus; Judite, Baruc, Tobias,
Eclesiástico, Sabedoria e um acréscimo de dois
capítulos em Daniel).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Estes livros são conhecidos por “apócrifos”,
palavra que significa “secreto”, pois seus
autores são desconhecidos. Não são livros
inspirados, pois foram escritos num período
em que Deus não se revelou aos seus profetas
(Período Interbíblico), contudo, retêm valor
histórico.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os próprios autores dos livros confessam
faltar inspiração (1 Macabeus 4:46, 9:27,
14:41; 2 Macabeus 2:38). Diferentemente dos
livros do AT, estes nunca foram citados no NT.
Há contradições nos ensinos: Tobias 12:9
afirma que a esmola nos livra da morte e nos
faz encontrar a vida eterna.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O CÂNON DA ESCRITURA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A palavra “Cânon” significa “vara de medir” ou
“régua”, e, aplicado a Escritura, indica o
“padrão que foi usado para avaliar que livros
foram inspirados e quais não foram”.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Quando ouvimos falar que tal livro é
“canônico” isto significa dizer que ele passou
no teste utilizado pelos líderes da igreja para
dizer que livros fariam parte da Bíblia. Estes
são os livros que devem ser usados como
norma de fé e de prática pelos cristãos. É
importante dizer que os concílios não
declararam que os livros da Bíblia provinham
de Deus, mas, simplesmente reconheceram a
autoridade que já estava presente nos
mesmos.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Igreja Cristã usou princípios muito rigorosos
para aprovar um livro. Mcdowell cita os
seguintes:

1. O livro revela autoridade? Veio da parte de Deus?


2. É profético, isto é, foi escrito por um homem de Deus?
3. É autêntico ou duvidoso?
4. É dinâmico? Muda vidas?
5. Foi aceito, guardado, lido e usado pela igreja?

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A decisão final sobre os livros do Antigo
Testamento que deveriam fazer parte do
Cânon do Antigo Testamento aconteceu em
Jâmnia, em 90 d.c. Já a decisão final sobre o
Cânon do Novo Testamento aconteceu em
Cartago, em 397 d.C. Sendo assim, depois
desta data a Bíblia ficou completa, e nenhum
livro pode mais ser acrescentado aos 66 que
fazem parte dela.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
AS TRADUÇÕES DA BÍBLIA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A primeira tradução da Bíblia para outra
língua aconteceu por volta dos anos 280-150
a.C., quando foi traduzido o Antigo
Testamento hebraico para o grego. Esta
tradução é conhecida como Septuaginta. No
início fora traduzido somente o Pentateuco.
Não se sabe ao certo quando a versão final
com todo o Antigo Testamento foi finalizada.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A primeira tradução da Bíblia, completa,
aconteceu quando o latim era a língua comum
da maioria das pessoas, no século IV. Ela foi
traduzida por Jerônimo para o latim, tradução
que ficou conhecida como Vulgata. Esta
tradução reinou mais de mil anos como
soberana.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Bíblia em nossa língua, o português, surgiu
mais de cem anos depois, em 1681, em
Amsterdã, quando foi publicado o Novo
Testamento traduzido por João Ferreira de
Almeida. Foi o primeiro traduzido para o
português. Logo após a publicação Almeida
iniciou a tradução do Antigo Testamento, até
morrer em 6 de agosto de 1691, ele havia
traduzido até Ezequiel 41:21.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Em 1748, o pastor Jacobus Op Den Akker, da
Batávia, reiniciou o trabalho interrompido por
Almeida e, cinco anos mais tarde o concluiu.
Em 1753 foi impressa a primeira Bíblia
completa em Português, em dois volumes.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Parte B
A RELEVÂNCIA DA BÍBLIA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Bíblia é a nossa única regra de fé e de
prática. Ela é suficiente como única fonte
confiável e completa de conhecimento e
orientação de toda a verdade divina. O
motivo? Ela é a palavra de Deus; não apenas
contém ou se torna. A Bíblia não depende do
testemunho humano para ter autoridade,
porque a sua autoridade vem diretamente de
Deus.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Ao folhearmos as páginas das Escrituras,
direta ou indiretamente, encontraremos,
aproximadamente, 1500 referências à própria
Bíblia como a palavra de Deus que subsistirá
eternamente (Is 40:8). Os profetas
consideravam suas profecias como palavras de
Deus (Dt 18:18-20; 1 Sm 10:8, 13:13; 1 Re
20:35-36; Jr 1:9; 14:14).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os escritores do Novo Testamento também
entendiam que seus próprios escritos eram
palavra de Deus (cf. 1 Co 14:37; 1 Ts 4:15; 2 Pe
3:2; Ap 22:18). Veja o que Paulo disse, em sua
primeira carta à igreja de Corinto: Também
falamos dessas coisas, não com palavras
ensinadas pela sabedoria humana, mas com
palavras ensinadas pelo Espírito Santo (2:13).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Pedro, em sua segunda carta, ao se referir aos
escritos de Paulo, dizendo que ele escrevia
coisas difíceis de entender, afirmou que os
ignorantes e inconsistentes os distorcem,
como fazem com as demais Escrituras (3:15-
16). Observe que Pedro, de forma clara,
considerava os escritos de Paulo Escritura, isto
é, eles tinham autoridade, como todos os
outros livros do Antigo Testamento.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
E porque a Bíblia tem tanta autoridade?

Por causa de sua inspiração


(2 Tm 3:16; 2 Pd 1:21).

“Inspiração é o ato de Deus insuflar ou soprar


sua vontade na mente do escritor”.

- Ela é verbal
- Ela é plenária
- Ela é autoritativa
- Ela é inerrante

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Não acreditamos em...
1. Inspiração mecânica
2. Inspiração natural
3. Inspiração conceitual
4. Inspiração mística
5. Inspiração parcial

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Não acreditamos que...
1. A Bíblia contém a palavra de Deus (posição
da teologia liberal).

2. Não acreditamos que a Bíblia se torna a


palavra de Deus (posição da Neo-Ortodoxia).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Igreja Adventista da Promessa crê e prega a
posição “ortodoxa” de que a Bíblia é a Palavra
de Deus inspirada, única regra de fé e de
prática para o ser humano, de todos os
tempos e lugares, conhecer a vontade de
Deus.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Características da Bíblia...
1. A Bíblia é clara

Toda pessoa tem o direito de ler e interpretar


a palavra de Deus. Entretanto, esse direito não
excluiu a necessidade de haver estudiosos na
igreja (At 8:30-31).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Características da Bíblia...
2. A Bíblia é necessária

Para conhecer Jesus a Bíblia é totalmente


necessária. Imagine estes dois mil anos de
história sem a Bíblia? Em que Cristo
acreditaríamos?

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Características da Bíblia...
3. A Bíblia é suficiente

A Bíblia contém todas as palavras de Deus


que precisamos para a salvação, para que, de
maneira certa, nele possamos confiar e a ele
obedecer.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Características da Bíblia...
4. A Bíblia é autoridade

Não crer na Bíblia é não crer em Deus.


Desobedecer aos seus ensinos é desobedecer
a Deus. Por ser palavra de Deus, seu conteúdo
vem acompanhado da autoridade do próprio
Deus.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A PRATICIDADE DA BÍBLIA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Bíblia não é meramente um livro teórico,
com regras antiquadas, com normas
superadas. Ela é um livro prático, que traz
princípios aplicáveis às pessoas de todos os
tempos e lugares: ... por que tudo que dantes
foi escrito, para o nosso ensino foi escrito (Rm
15:4).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A Bíblia é útil e proveitosa por dois motivos.
Em primeiro lugar, porque ensina a doutrina
certa. O texto de 2 Timóteo mostra que a
Escritura Sagrada é útil para ensinar a verdade
(3:16).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Em segundo lugar, a Bíblia é também útil para mostrar
a conduta certa. As mudanças têm acontecido com
muita rapidez na sociedade. Todos os dias, somos
impactados com novos conceitos e novos costumes.
Por isso, é importante conhecermos as Escrituras. Elas
são o nosso perfeito código ético-moral, que serve
para nos orientar e nos corrigir, em todas as áreas da
nossa vida. Ela nos foi dada para nos fazer
compreender o que está errado nas nossas vidas; ela
nos endireita e nos ajuda a fazer o que é correto (2 Tm
3:16 – BV).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Que a palavra de Deus, que é viva e eficaz e
mais cortante do que qualquer espada de dois
gumes (Hb 4:12), e que pode nos tornar sábios
para salvação mediante a fé em Cristo Jesus (2
Tm 3:15), dirija a nossa vida.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
PARTE II
TEOLOGIA

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O que é teologia?

Teologia é o estudo das coisas relativas a


Deus, à sua natureza, obras e relações aos
homens (Champlin).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O que é teologia?

Teologia é a descoberta, sistematização e a


apresentação das verdades acerca de Deus
(Ryrie).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O que é teologia?

Especificamente nesta matéria, usamos


teologia como o estudo dos atributos de
Deus, sua pessoa, como a Bíblia o descreve.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Podemos conhecer a Deus?

Grudem diz que, se quisermos conhecer a


Deus, precisamos primeiro que ele se revele
a nós (Mt 11:27).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Uma definição de “Deus”

Deus é, ao mesmo tempo Espiritual e Pessoal; é


auto-existente em três pessoas distintas e iguais
em essência; é perfeitamente bom, onipotente e
eterno. Com santo amor criou, sustenta e dirige
tudo. Revelou-se e fez-se conhecer aos seres
humanos na pessoa do Pai, do Filho e do Espírito
Santo.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Imanência e transcendência

Por imanência queremos dizer que Deus


está presente e ativo dentro de sua criação e
dentro da raça humana, mesmo naqueles
membros que não creem nele ou não lhe
obedecem (Jr 23:23-24; At 17:27).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Imanência e transcendência

Por transcendência queremos dizer que Deus não


uma mera qualidade da natureza ou da
humanidade; ele não é simplesmente o mais
elevado dos seres humanos. Ele não é limitado a
nossa capacidade de compreendê-lo (Is 55:8-9).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A espiritualidade de Deus

Deus é um ser de natureza espiritual. Seu ser


não é formado por matéria, como os
homens e os animais.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A espiritualidade de Deus

Ele tem um corpo e sentimentos humanos?


(Ex 3:20; Is 66:1; Dt 33:27; 2 Sm 22:9; Gn 6:6;
Sl 91:4).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A espiritualidade de Deus

- Linguagem antropomórfica
- Linguagem antropopática
- Zoomorfismo

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A espiritualidade de Deus

Deus é espírito (Jo 4:24; Lc 24:39)

Deus é ser pessoal – tem intelecto,


sensibilidade e vontade

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A espiritualidade de Deus

E a imagem e semelhança? (Gn 1:27)

Não diz respeito ao aspecto físico?

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A espiritualidade de Deus

Podemos nos aproximar dele (Sl 73:28) e


também nos distanciar dele (Jr 17:13). Como
pode ser isto se Deus não é um ser
corpóreo? Por ser onipresente encontra-se
em cada ponto do universo. Na verdade,
estas palavras expressam relacionamento.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A infinitude de Deus

Ele é infinito em relação ao espaço


Ele é infinito em relação ao tempo
Ele é infinito em relação ao seu eterno poder

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A infinitude de Deus

Não existe texto melhor para entender a


infinitude de Deus do que Romanos 11:33-
36.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A infinitude de Deus

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos de Deus

“Quando falamos dos atributos de Deus,


estamos nos referindo àquelas qualidades
de Deus que constituem o que ele é. São as
próprias características da sua natureza”
(Erickson).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
A classificação dos atributos de Deus

Os atributos de Deus, segundo Grudem,


podem ser classificados em comunicáveis e
incomunicáveis. Os primeiros são aqueles
exclusivos de Deus, que ele não comunica a
nós. Os segundos, são aqueles encontrados
em nível relativo ou limitado nas pessoas,
são atributos que Deus “comunica” a nós.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos incomunicáveis

A onipotência – Deus pode todas as coisas,


pode fazer tudo o que deseja, é soberano
sobre todas as coisas (Gn 17:1; 2 Co 6:18; Ap
1:8; Lc 1:37).

Ele só não faz coisas que são incompatíveis


com o seu caráter, como mentir por
exemplo (Tt 1:2).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos incomunicáveis

A onipresença – Deus não tem tamanho e nem


dimensões espaciais e está presente em cada
ponto do espaço com todo o seu ser; ele, porém,
age de modo diverso em lugares diferentes (1 Rs
8:27; Sl 139:1-10)

Não confundamos esta definição com a doutrina


panteísta de que “tudo é Deus e Deus é tudo”.
Deus está presente em toda a criação, mas é
distinto dela.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos incomunicáveis

A onisciência – Deus conhece todas as


coisas. As que já aconteceram, as que
acontecem e as que acontecerão. Deus
nunca precisa aprender coisa alguma e nada
lhe surpreende. Ele conhece todos os
motivos, intenções, pensamentos e ações de
todas as pessoas (Jó 34:21; At 1:24; Hb 4:13).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos incomunicáveis

A eternidade – Deus não tem começo e nem


fim, sua existência é eterna. Ele nunca foi
gerado ou veio a existir. Ele é infinitamente
auto-existente (Sl 90:2).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

A sabedoria – além de conhecer todas


as coisas, todas as suas decisões são
sábias (Jó 12:13; Rm 16:27).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

A santidade – Deus é separado do


pecado e dedica-se a buscar sua própria
honra (Lv 20:7-8; 1 Pd 1:16).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

A justiça – Deus sempre age segundo o


que é justo, e ele mesmo é o parâmetro
definitivo do que é justo (Dt 32:4)

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

A fidelidade – suas palavras são sempre


verdadeiras. Podemos confiar de fato
em Deus e em suas promessas. Ele
sempre fará o que disse (Nm 23:19).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

A misericórdia – é bondade divina para


os angustiados e aflitos. Está ligado
com a graça de Deus, sua bondade para
os que merecem castigo (Sl 103:8; Ex
34:6).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

O amor de Deus – Grudem diz que dizer que


Deus tem o amor como um atributo é dizer
que ele se doa eternamente aos outros. A
ideia é o amor como doação de si mesmo
em benefício dos outros (1 Jo 4:10; Rm 5:8;
Jo 3:16).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

A bondade – Deus é o parâmetro


definitivo do que é bom, e tudo o que
Deus é e faz é digno de aprovação (Sl
100:5; 106:1; 107:1; 34:8).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
Os atributos comunicáveis

A bondade – Deus é o parâmetro


definitivo do que é bom, e tudo o que
Deus é e faz é digno de aprovação (Sl
100:5; 106:1; 107:1; 34:8).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O Deus criador

Deus criou todo o universo do nada, e


este era originalmente muito bom, e
ele o criou para glorificar a si mesmo
(Gn 1:1; Sl 33:6,9; Ap 4:11).

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O Deus Provedor

Além de criador, Deus também


preserva e governa todo o universo.
Isso é o que chamamos de doutrina da
providência divina (At 17:28; Nm 9:6)

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O mal e o mundo de Deus

Quem criou o mal? Eis um tema que


não é fácil de se argumentar. O fato é
que o mal existe.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O mal e o mundo de Deus

Ao conceder livre-arbítrio aos anjos e


depois a Adão, Deus assegurou a
possibilidade da existência do mal.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O mal e o mundo de Deus

Deus criou um mundo no qual o mal


era possível, e isso para demonstrar a
sua glória pelo fato de ele saber lidar
com isso, e ao final conduzir tudo para
um fim bom.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas
O mal e o mundo de Deus

O mal não terá continuidade na criação


de Deus. Esta é uma certeza que
podemos ter. No mundo vindouro ele
não será mais uma possibilidade.

Fatap Santana, Setembro de 2014


Eleilton William de Souza Freitas