Você está na página 1de 8

Plano Nacional de Leitura

A Princesa Malcriada
De Mariana Magalhães

Objectivos:
1. Promover a leitura, assumindo-a como factor de desenvolvimento individual e de
progresso nacional
2. Inventariar e valorizar práticas pedagógicas e outras actividades que estimulem
o prazer de ler
3. Criar instrumentos que permitam definir metas cada vez mais precisas para o
desenvolvimento da leitura

4. Consolidar e ampliar o papel da Rede de Bibliotecas Públicas e da Rede de


Bibliotecas Escolares no desenvolvimento de hábitos de leitura

Em parceria com a Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Professor Abel


Salazar e em articulação com o 1º ano do primeiro Ciclo iremos trabalhar a História “A
Princesa Malcriada” de Mariana Magalhães.
É uma história pedagógica que desenvolve e estimula nas crianças valores sociais
importantes no desenvolvimento e formação pessoal.

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 1


Plano Nacional de Leitura

O que propomos fazer?

ÁREAS CONTEÚDO ACTIVIDADES


História “A Princesa Malcriada” de Mariana
Magalhães em formato digital
Área Formação Pessoal e Social Malcriada é ………….
Sinto-me triste quando …..
Sinto-me alegre quando …..
Linguagem Oral Recontar a História
e Abordagem à Inventar a conclusão da história
escrita Identificar e representar emoções
Identificar os personagens da história
Caracterizar fisicamente os personagens da história
Divisão silábica
Descoberta de palavras começadas pelo Fonema “P”
Matemática Representar quantidades
Área das
Formar pares
Expressões
Formar conjuntos (meninos, meninas)
Contagem e representação gráfica dos fonemas das
personagens da história
Expressões Representar graficamente a história
Representar graficamente as emoções
Dramatizar a história
Dramatizar emoções
Elaborar máscaras do cão, gato, rã e coroas
Onde vivo?
Área do Conhecimento do Com quem vivo?
Mundo A minha casa
Os palácios

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 2


Plano Nacional de Leitura

O que estamos a desenvolver?

Depois de ler a história em formato digital passamos à descoberta de:


Princesa – é uma pessoa que mora no castelo. A mãe da princesa chama-se rainha e o
pai rei (Inês)
Malcriada – a mãe manda fazer uma coisa e a princesa não faz (Emanuel)
o Não empresta nada aos amigos (Inês)
o Não faz nada (José Diogo)
o Diz pecados (Beatriz)
o Anda à luta com os amigos (Eduardo)
o Só faz o que lhe apetece (Diogo)
o Desarruma e depois não arruma (Vitor Hugo)
Personagem principal – A Princesa e depois temos o rei, a rainha e o mágico (Vitor
Hugo)
Como era a Princesa – Malcriada porque não fazia o que os pais mandava (Emanuel),
puxava o rabicho ao gato (Joana), atirava coisas ao cão (Francisco), fazia birra para ir
para a cama (Inês), desarrumava e não arrumava (Vitor), fazia caretas às pessoas
(Emanuel)
O que fez o feiticeiro? – Transformou a princesa em rã (Francisco) porque ela puxou-
lhe as barbas

Até parecem as regras da nossa sala diz a Inês.


Relembramos as regras negociadas durante o mês de Setembro e se estavam a ser
cumpridas:

COMPROMISSO

- Não bater nos amigos


- Não gritar
- Falar baixo
- Não andar à luta
-Levantar o braço quando quer falar
-Não brincar na mantinha

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 3


Plano Nacional de Leitura

Conclusão da História

Temos que meter lá um príncipe diz o José Diogo


Era uma vez um príncipe (Inês) que morava num lindo castelo (Diogo).
Foi passear pelo bosque (Inês) e ouviu o barulho de uma rã (Francisco).
Ficou curioso e foi espreitar (Inês)
Viu uma rã com uma coroa e muito triste a chorar (Vitor Hugo)
Pegou na rã na mão (Vitor Hugo) e fez-lhe miminho (Beatriz)
A rã ficou contente (Ana Luísa)
À despedida deu-lhe um beijo (Inês)
Grande surpresa! A rã transformou-se em princesa. Deixou de ser princesa malcriada
para ser uma princesa simpática (Inês) e linda (Joana)
Nunca mais fez birras (Eduardo); nunca mais fugiu (Inês); nunca mais bateu nos
animais (Beatriz); fazia tudo o que a mãe dizia (José Diogo)
Ficou a ser conhecida pela Princesa Simpática.

Registo gráfico da História

5 Anos
5 Anos

3 Anos
4 Anos

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 4


Plano Nacional de Leitura

Ainda no Domínio da Linguagem Oral e Abordagem à escrita, descobrimos palavras


que iniciavam com o fonema “P”:
Princesa; Pai, Pedro, Pêra, Pavão, Pato, Padrinho, Passarinho, Parque, Pão, Pau,
Palhaço, Prato, Preto, Pintar.
Aproveitamos para fazer a divisão silábica destas palavras acompanhada de palmas.
No domínio da Matemática, fizemos a contagem das sílabas, por exemplo, prin-ce-sa
(3 palmas que correspondem ao número 3).
No seguimento da actividade, fizemos a divisão silábica dos nossos nomes e fizemos
corresponder o número à quantidade de palmas.
Exploramos as noções de grande/pequeno; maior do que …/menor do que …
No domínio da Expressão Plástica, elaboramos as máscaras do cão, do gato e da rã,
utilizando a técnica do balão.

Construímos castelos nas actividades livres com os legos e outros materiais.

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 5


Plano Nacional de Leitura

Na Área de Conhecimento do Mundo descrevemos a nossa casa e pesquisamos


castelos na internet.
Os castelos e a nossa casa

Articulação com a Família

Foi proposto às famílias de cada criança que elaborassem a conclusão da História,


dando as seguintes sugestões:
1. Ler a História ao seu filho (a)
2. Deixar que o seu filho (a) reconte a história
3. Como acha que esta história pode terminar.

A aderência foi total. Todos os encarregados de educação colaboraram. O difícil foi


seleccionar a conclusão para colocar aqui.
Todas as conclusões foram lidas em voz alta e democraticamente foi escolhida esta:
“Acho que a princesa devia habituar-se ao novo mundo e ser conquistada por um sapo
e constituir família, vivendo feliz num lindo lago ….
Mas o Mundo de fantasia e o tradicional deve manter-se e torna-se agradável o Mundo
da Magia …..
Depois de ser transformada, a princesa começou logo a fazer birras. Veio o cão que ela
tanto chateou e deu-lhe um empurrão que foi parar dentro do lago do palácio

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 6


Plano Nacional de Leitura

Pois aí teve que se habituar às novas regras da nova vida.


Havia lá um sapo, chamado Tobias que queria ser seu amigo, mas a princesa birrenta
não deixava.
Anos depois, Tobias insistia na sua amizade, mas malcriada recusava sempre.
Então, um dia a princesa estava a admirar a festa que se realizava no palácio onde ela
não podia estar, pois já não pertencia aquele mundo, começou a chorar, a chorar tanto
que Tobias saltou logo para o pé dela e disse-lhe:
- Agora tu pertences aqui.
E deu-lhe um beijinho. A princesa até gostou.
Ao segundo beijo, zás caiu sobre eles um grande clarão e eles viram-se na festa do
palácio.
O rei viu a sua filha ao lado de um lindo cavalheiro e gritou:
- Voltaste minha querida filha!
Abraçaram-se e a partir daquele dia a princesa tornou-se numa linda mulher, muito
brincalhona, pois tinha aprendido a lição.
Dias depois, houve um lindo casamento. Tiveram lindos meninos e viveram no palácio
felizes para sempre”

Articulação com o 1º ciclo

A sequencialidade entre as várias etapas do percurso educativo, fundamental para o


sucesso educativo, implica a articulação entre os educadores e os professores do 1.º
ciclo na transição do jardim-de-infância para a escola do 1.º ciclo.

Entre as estratégias facilitadoras de articulação entre o jardim-de-infância e a escola


do 1.º ciclo contam-se os momentos de diálogo envolvendo docentes, pais e crianças,
o desenvolvimento de actividades conjuntas ao longo do ano lectivo, bem como a
organização de visitas guiadas aos respectivos estabelecimentos.

Uma destas actividades contempla o Plano Nacional de Leitura com a História da


Princesa Malcriada para o 1º Período.

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 7


Plano Nacional de Leitura

Para operacionalizar o proposto, as crianças do 1º ano de escolaridade da EB1 de


Vermil, deslocaram-se ao Jardim de Infância para verem o teatro encenado pelas
crianças do pré-escolar. Foram momentos de alegria, pois a maior parte destas
crianças frequentaram este Jardim de Infância, tendo oportunidade de confraternizar
com os colegas que ainda cá estão.

As crianças do 1º ano recontaram a história e quiseram encontrar uma solução para a


sua conclusão, juntamente com as crianças do pré-escolar.

Maria das Dores Oliveira – JI Calçada Vermil Página 8