Você está na página 1de 1

“Servidão Bambuzal”

Com suas imagens, sons e signos, o curta “Servidão Bambuzal” retrata nossa indignação contra
a queimada dos bambus que dão nome à rua homônima, situada no Campeche, em
Florianópolis, SC. O objetivo do filme é denunciar e refletir, coletivamente, sobre a queimada
de parte dos bambuzais desse rincão no mês de outubro de 2019. Vale lembrar que o
bambuzal queimado formava um túnel verde e muita sombra para os habitantes desse lugar,
principalmente para os animais construtores desse microbioma: passarinhos diversos, cobras-
corais, micos, aracuãs e outros. O túnel de bambuzais emprestava à servidão uma dignidade
socioambiental e uma certa identidade ao bairro. De repente, um grupo de homens, armados
com foices e outros equipamentos, começou a derrubada dos bambus. Sob protestos de
alguns moradores, pararam a derrubada. No entanto, num belo dia de domingo, chegaram
sorrateiros e tocaram fogo em tudo, galho por galho, haste por haste e, em seguida, fugiram,
deixando a área coberta de fogo e fumaça, matando assim diversos animais e colocando sob o
risco de incêndio as casas do entorno. Até hoje não se sabe quem foi o mandante; se foi o
dono do terreno ou a imobiliária. O fato é que esse triste e lamentável episódio ocorreu em
um terreno que estava à venda sob a responsabilidade de determinada imobiliária. Nesse
sentido, este curta metragem se propõe a refletir sobre a responsabilidade de cada cidadão e
cidadã, no sentido de buscar uma vida coletiva, na qual cada quintal individual possa ser
considerado não uma propriedade privada, mas sim um espaço de convivência, de construção
humana e humanizante do meio ambiente, aqui compreendido para além da mercadoria e da
especulação, a partir da premissa ética e política de que cada habitante desta “menina terra”
(“Terra”, canção de Caetano Veloso) é um guardião ou uma guardiã das árvores e dos animais
de qualquer rua, beco, servidão, avenida e outros espaços de passagem para a vida, e não para
a morte ou a devastação. Esperamos que este filme possa ser debatido nas rodas de conversa,
nas escolas, em movimentos sociais, em OnGs, em instituições públicas e privadas, nas
campanhas eleitorais e em outras instituições e eventos educativos.
EXPEDIENTE:

Direção:......

Etc.