Você está na página 1de 7

9/10/16

VIGIE SEU CORAÇÃO


Jeremias 17.9,10

Série: Guarde seu coração

 Prosseguindo com a nossa série de mensagens Guarde Seu Coração, eu convido você a
abrir sua Bíblia em Jeremias 17.9-10. Estamos pensando juntos sobre os assuntos do
coração. Estamos olhando para os textos bíblicos que falam sobre o coração, e orando para
que Deus use Sua palavra para trazer a cura para alguma doença cardíaca espiritual que
sofremos e para molda-lo de tal forma que seja um coração como o de Jesus.

No último domingo falei que devemos guardar o nosso coração, com base em Provérbios
4.23 “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.” Lembre-se
que falei que coração se refere ao nosso ser interior, nossos pensamentos, sentimentos,
vontade. Você deve guardar o seu coração. Ele não pode ficar por aí desprotegido. Quando
você saiu de casa, você trancou a porta, porque tem coisa valiosa lá dentro. Quando você
está dentro de casa, você não abre a porta para qualquer um. E a Palavra de Deus afirma
que devemos guardar o coração acima de qualquer coisa, porque é a nossa vida que está
em jogo. Gostei muito de uma frase que li nesta semana: "A nossa vida é aquilo que os
nossos pensamentos fizerem dela". Foi dita por Marco Aurélio, o último dos cinco bons
imperadores romanos.

Hoje eu quero dizer que você deve vigiar o seu coração.

Vamos ao texto:

9 “Quem pode entender o coração humano?

Não há nada que engane tanto como ele;

está doente demais para ser curado.

10 Eu, o SENHOR, examino os pensamentos

e ponho à prova os corações.

Eu trato cada pessoa conforme a sua maneira de viver,

de acordo com o que ela faz.”

I O CORAÇÃO ENGANA
9 “Quem pode entender o coração humano?
Não há nada que engane tanto como ele;

está doente demais para ser curado.

‫הלב עקב‬ akob halleb = “tortuoso”; “enrolado”; “traiçoeiro”; “pérfido”; “vive armando ciladas” “recorre
a todas as circunstâncias favoráveis para satisfazer sua propensão ao orgulho, ambição, desejo
maligno e a corrupção de todos os tipos.”

Deus deu a Jeremias uma tarefa difícil: pregar para o povo de Deus que tinham se desviado
do seu caminho. Eles eram um povo que tinha os olhos vendados para o que estava
acontecendo ao seu redor. A nação de Judá estava na iminência de ser conquistada e
escravizada pelo império babilônico. Mas o os falsos profetas e sacerdotes diziam que não.
Que eles era o povo de Deus e que venceria. O típico “me engana que eu gosto”. Mas
Jeremias colocou o dedo na ferida: "Não! Seus pecados, suas injustiças, suas idolatrias se
acumularam diante de Deus como um monte de lixo fedorento. Arrependam-se, pois a
destruição está a caminho. "

 E como aprendemos em nosso texto, o cerne de seu problema é exatamente esse: o


coração. Não são apenas as coisas que eles fazem. As coisas que eles fazem têm origem
surgem do seu interior. Olhe para a forma como Jeremias descreve o coração no contexto
da nossa passagem:

 • No v 1 - O SENHOR Deus diz:

1 O SENHOR Deus disse:

— Povo de Judá, o seu pecado está escrito com ferro pontudo; está gravado com uma
ponta de diamante no seu coração e nos cantos dos seus altares. 2 Os seus filhos lembram
dos altares e dos postes que foram levantados para a deusa Aserá, perto das árvores
verdes, no alto dos morros 3 e nas montanhas que estão no interior do país. Farei com que
os inimigos de vocês levem embora todas as suas riquezas e tesouros por causa dos
pecados que vocês cometeram em toda esta terra.

No versículo 5:

“Eu amaldiçoarei aquele que se afasta de mim,

que confia nos outros,

que confia na força de fracos seres humanos.” 

• E, em seguida, no nosso texto no verso 9 - “Não há nada que engane tanto como ele;
está doente demais para ser curado."

 Tossimos. Tossir é o sintoma de um mal mais profundo: uma bactéria em nosso


organismo. Da mesma forma, nós pecamos porque somos pecadores. Nossos pecados são o
sintoma de um mal mais profundo: um pecado que se enraíza em um coração enganoso
que está desesperadamente doente. O pecado está impresso em nossos corações. Nós
nascemos com uma inclinação para o pecado. Será que alguém precisa ensiná-lo a pecar?
Você descobriu isso tudo por si mesmo, não é? E mesmo quando estamos com idade
suficiente para saber o que é melhor, pecamos por opção. Pecadores por natureza,
pecadores por escolha.

Mas, como o coração nos engana, nós o tratamos como uma coisa corriqueira, trivial, sem
importância. Preocupação, inveja, medo, mágoa, cobiça, ansiedade, mentiras, ilusões,
lascívia ficam amontoados em nosso ser.

Certa vez uma senhora começou a frequentar nossa igreja. Inclusive foi batizada. Eu sempre
sabia onde ela estava, porque ao seu redor ficava um clarão. Ela não gostava de tomar
banho. Descobrimos que ela acumulava lixo dentro de casa. Tentamos ajuda-la, mas ela
não permitiu.

Bill Hybels, que é pastor da igreja Willow Creek, em Chicago, compartilha uma conversa
que teve com alguém no início da vida daquela igreja. Depois de um sermão sobre o
pecado, uma pessoa veio até ele depois do culto e disse: "Toda essa conversa sobre o
pecado está me fazendo sentir muito mal. Eu, pelo menos não me considero tão pecador ".

"Bem, talvez você não seja. Deixe-me fazer-lhe algumas perguntas: Você está casado a
vinte e cinco anos. Você foi absolutamente cem por cento fiel a sua esposa o tempo todo? "

 Ele riu e disse: "Bem, você sabe, eu tabalho em vendas. Eu viajo muito." Ambos sabiam o
que ele estava admitindo.

 "Ok", disse Bill. "Quando você preencheu o relatório de despesas, você acrescentou
despesas que não tinham a ver com o trabalho?"

 "Todo mundo faz isso", ele respondeu.

 "Ok", disse Bill. "E quando você está lá fora, vendendo seu produto, você nunca exagerou,
dizendo que iria fazer algo que não pretendia fazer ou promessa que não poderia cumprir?
terça?"

O cara respondeu: "Isso é comum na indústria."

 Em seguida, Bill olhou para ele e disse: "Você percebe o que você acabou de me dizer?
Você acabou de me dizer que você é um adúltero, um trapaceiro e um mentiroso." Os olhos
do sujeito se esbugalharam, ele virou com raiva e disse: "Essas palavras são muito fortes!
Você não pode usá-las. Eu só disse que havia um pouco de algo sobre o lado, um pouco
disto e um pouco daquilo." E Bill disse: "Amigo, não se ganha nada por suavizar as palavras.
Basta dize-las como elas são. Você é um adúltero, um trapaceiro e um mentiroso. "

Tive uma experiência semelhante quando chamei uma mulher de difamadora.

 Como nós tendemos a subestimar o nosso pecado, diluí-lo, para nos convencermos de ele
que não é tão grande ou tão ruim quanto o pecado do nosso vizinho! A Judá de Jeremias
estava fazendo isso. Nós fazemos isso. E Jeremias está apenas apontando a verdade óbvia
para qualquer pessoa que queira olhar para ele honestamente: ".

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o


conhecerá?”

 II O CORAÇÃO É INCURÁVEL

 9 “Quem pode entender o coração humano?

Não há nada que engane tanto como ele;

está doente demais para ser curado.

‫הוא ואנש‬ veanush hu

Pode ser traduzido por "incurável”.

Eu conheço pessoas que receberam uma palavra dura de seu cardiologista afirmando que
seu coração não tinha cura. Não havia mais nada a fazer. A cirurgia, stents, marca passo,
medicamentos não teriam efeito. Seus corações estão desesperadamente doentes. Eram
incuráveis . Felizmente isto só afeta certas pessoas na população.

 Mas no reino espiritual esta enfermidade afeta a cada um de nós. O seu coração, o meu
coração, nossos corações são enganosos acima de todas as coisas e desesperadamente
doentes. Nossos corações pecaminosos são incuráveis. O médico não pode curá-lo. Os pais
não podem curá-lo. Você não pode curá-lo. Uma boa dieta não pode curá-lo. Exercício não
podem curá-lo. O pastor não pode curá-lo. Frequência à igreja não pode curá-lo. As boas
ações não podem curá-lo. Não há nada que você possa fazer para curá-lo.

Em Romanos 7.18,19 temos um exemplo claro disso. Olha o testemunho do apóstolo Paulo:

“... mesmo tendo dentro de mim a vontade de fazer o bem, eu não consigo fazê-lo. 19 Pois
não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu faço.”
E o prognóstico é a morte. Não apenas a morte física quando o coração para de bater, mas
a morte espiritual: o que Romanos 3.23 descreve como a separação de Deus agora é para
sempre. O prognóstico é a morte, e o destino é o inferno, um lugar horrível descrito na
Bíblia como tormento, trevas, fogo, isolamento e separação de tudo o que é bom:
separação de Deus ... para sempre.

 III O CORAÇÃO É INCOMPREENSÍVEL


 “Quem pode entender o coração humano?

Não há nada que engane tanto como ele;

está doente demais para ser curado.

O nosso coração se esconde de nós mesmos. Ele nos leva por caminhos tortuosos sem que
percebamos. E, muitas vezes, quando percebemos, já é tarde demais.

Quantas vezes a gente vê um namoro e está patente que não vai dar certo. Mas o casal vai
em frente. Um vício... Um investimento... Uma conduta...

Mas o coração é incompreensível - para nós. Porque Deus, somente Deus, pode
compreendê-lo.

10 Eu, o SENHOR, examino os pensamentos

e ponho à prova os corações.

Eu trato cada pessoa conforme a sua maneira de viver,

de acordo com o que ela faz.”

Em Atos 1.24, no contexto da escolha do substituto de Judas para o apostolado, lemos:

24 Em seguida oraram, dizendo:

— Senhor, tu conheces o coração de todos. Mostra agora qual dos dois escolheste

E só Deus pode curá-lo. Jeremias aponta para essa correção mais no capítulo 31, quando
Deus diz através do profeta:

31 O SENHOR Deus diz:

— Está chegando o tempo em que farei uma nova aliança com o povo de Israel e com o
povo de Judá. 32 Essa aliança não será como aquela que eu fiz com os antepassados deles
no dia em que os peguei pela mão e os tirei da terra do Egito. Embora eu fosse o Deus
deles, eles quebraram a minha aliança. Sou eu, o SENHOR, quem está falando.33 Quando
esse tempo chegar, farei com o povo de Israel esta aliança: eu porei a minha lei na mente
deles e no coração deles a escreverei; eu serei o Deus deles, e eles serão o meu povo. Sou
eu, o SENHOR, quem está falando.

34 Ninguém vai precisar ensinar o seu patrício nem o seu parente, dizendo: “Procure
conhecer a Deus, o SENHOR.” Porque todos me conhecerão, tanto as pessoas mais
importantes como as mais humildes. Pois eu perdoarei os seus pecados e nunca mais
lembrarei das suas maldades. Eu, o SENHOR, estou falando.

Você notou como Deus corrige nosso coração enganoso? Deus o trata como se fosse o
disco rígido de um computador que é formatado. Se no versículo 1 Jeremias diz que o
pecado ficou talhado em nosso coração com um cinzel com ponta de diamante , agora Deus
escreve um novo pacto sobre essa gravação pecaminosa, perdoando nossos pecados e não
se lembrando mais deles. Aqui, no Antigo Testamento, Jeremias aponta para alguns séculos
adiante, quando em uma colina fora dos portões de Jerusalém, Jesus Cristo, o Filho de
Deus, morreria na cruz pelos meus pecados e também pelos seus.

 Nós não podemos curar o nosso coração enganoso. Nossas tentativas são como tentar
limpá-los com um pano sujo. A cura para o nosso coração enganoso deve vir de fora de nós.
Deus provê a cura. Deus pega todo o pecado que o nosso coração enganoso pode sonhar,
pensar e fazer, Deus coloca tudo em Cristo na cruz. Porque Jesus tinha um coração puro,
porque Jesus nunca havia pecado, pode levar os nossos pecados sobre si, e acabar com sua
penalidade e poder sobre nós uma vez por todas.

 E para provar que o sacrifício foi aceito, Deus ressuscitou Jesus dos mortos no terceiro dia.
Sim, Jesus é o Filho de Deus. Sim, Jesus, é o sacrifício perfeito, eficiente e aceitável para os
nossos pecados. Sim, Jesus sozinho, pode proporcionar a cura para o nosso coração
enganoso. Seu sangue cobre os nossos pecados. Ele reescreve em nosso coração a nova
aliança em que Deus perdoa nossos pecados e não se lembra mais deles.

 E, mais. Ele envia Espírito Santo para se morar em nossos corações. Um coração enganoso
que estava morto em sua transgressão e pecados, torna-se vivo em Jesus Cristo, o Senhor.
Quando confiamos no que Jesus fez na cruz por nós, quando cremos em nossos corações
que Jesus morreu por nossos pecados e professam com a nossa boca que Deus o
ressuscitou dentre os mortos, somos salvos. Nascemos de novo. Temos um novo começo e
um novo coração que vai viver na presença de Deus, agora e para sempre. "Pois o salário do
pecado é a morte, mas o presente gratuito de Deus é a vida eterna, que temos em união
com Cristo Jesus, o nosso Senhor." (Rom. 3.23). 

Hoje vamos celebrar a ceia. Cada vez que nos apresentamos diante da mesa do Senhor,
pegamos o pão, que simboliza o corpo de Cristo e o cálice, que representa o Seu sangue
derramando para perdão dos nossos pecados, somos lembrados da graça de Deus que cura
o nosso coração enganoso e pecaminoso. Somos lembrados que podemos ser honestos
sobre os nossos pecados mais profundos, porque a graça de Deus e o seus perdão são mais
profundos ainda. Na ceia somos lembrados que quando confiamos em Cristo e recebemos
sua graça, todos os nossos pecados – passados, presente e futuros – são coberto pelo Seu
sangue e perdoados para sempre.

Só Deus pode curar o coração enganoso. Ele faz isso em um nível espiritual. Mas ele teve a
gentileza de fornecer esses símbolos que estão na mesa. O único medicamento que pode
nos fazer bem: o corpo e o sangue de Cristo derramado na cruz para perdão dos nossos
pecados.

CONCLUSÃO
 Há uma frase de John Newton, muito pertinente para este momento. No final de sua vida
este antigo comerciante de escravos se tornou um pastor cristão disse: "Minha memória
está quase desaparecendo; mas lembro-me duas coisas: que eu sou um grande pecador, e
que Cristo é um grande Salvador "

 Ao participar da ceia, lembre-se disso também.

 E,  enquanto nos preparamos para a celebração da Ceia do Senhor, quero deixar três
passagens da Bíblia para sua reflexão e decisão:

 "15 O ensinamento verdadeiro e que deve ser crido e aceito de todo o coração é este:
Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior."
(1 Tim. 1:15). Diga: "Eu creio."

  "Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o
que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade."
(1 Jo 1: 9.). Diga: "Eu confesso".

  "12 Porém alguns creram nele e o receberam, e a estes ele deu o direito de se tornarem
filhos de Deus.

13 Eles não se tornaram filhos de Deus pelos meios naturais, isto é, não nasceram como
nascem os filhos de um pai humano; o próprio Deus é quem foi o Pai deles."(Jo. 1: 12-13).
Diga: "Eu recebo".

Você também pode gostar