Você está na página 1de 32

CADERNO DDS

SSMA
2019
Período: 01/10 a 31/10/2019
01 Outubro

DIA INTERNACIONAL DO IDOSO


O Dia do Idoso é comemorado no Brasil em 1º de outubro. Essa data faz
referência ao dia da aprovação do Estatuto do Idoso, em 2003, e busca
conscientizar as pessoas de que todas irão envelhecer ao passar dos anos.
Além disso, como os brasileiros estão vivendo mais, é importante pensar na
longevidade com saúde, segurança e dignidade.

Entre os principais princípios do estatuto em defesa do idoso estão:

-Aproveitar as oportunidades para o total desenvolvimento das suas


potencialidades.
-Ter acesso aos recursos educacionais, culturais, espirituais e de lazer da
sociedade.
-Viver sem ser objeto de exploração e maus-tratos físico ou mentais.
-Ser tratado com justiça, independentemente da idade, sexo, raça, etnia,
deficiências, condições econômicas ou outros fatores.
O grande segredo da longevidade com saúde, conforme especialistas é:
-Prevenir doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, diabetes tipo 2,
problemas precoces nas articulações e alguns tipos de câncer.
-Melhorar a força, equilíbrio e disposição física para mais independência.
-Aumentar as defesas imunológicas contra vírus sazonais e oportunistas.
-Aumentar a capacidade de recuperação contra doenças, especialmente
infecções.
-Liberar na corrente sanguínea endorfinas importantes, tais como: ocitocina,
noradrenalina, dopamina e até histamina.

02 Outubro
OUTUBRO ROSA -CÂNCER DE MAMA
O Outubro Rosa é um movimento popular internacionalmente conhecido e comemorado em todo o
mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de
mama. Ele começou nos Estados Unidos e hoje várias empresas, entidades, hospitais e pessoas
autônomas comemoram a data, com o objetivo de alertar em relação aos riscos sobre a doença.

Você já apoiou e levou sua mãe ou esposa ao médico para avaliação médica?

Diversos fatores estão relacionados ao câncer de mama:

Fatores ambientais e comportamentais:


•Consumo de bebida alcoólica.
•Obesidade e sobrepeso após a menopausa.
•Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X).
•Sedentarismo (não fazer exercícios).

Fatores da história reprodutiva e hormonal:


•Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.
•Primeira gravidez após os 30 anos.
•Não ter amamentado.
•Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos.
•Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos.
•Não ter tido filhos.
•Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona).

Fatores genéticos e hereditários*:


•Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.
•Vários casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos.
•História familiar de câncer de ovário e de câncer de mama em homens.
03 Outubro

COMISSÃO INTERNA
DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES -CIPA
Cabe ao empregador proporcionar aos membros da Cipa os meios necessários ao desempenho de suas atribuições,
garantindo tempo suficiente para a realização das tarefas constantes do plano de trabalho.

Qual o papel dos empregados ?

-participar da eleição para escolher os representantes da Cipa.


-colaborar com a gestão eleita.
-indicar as situações de risco à Cipa, à empresa e ao SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em
Medicina do Trabalho) da companhia.
-apresentar sugestões para melhoria das condições de trabalho.
-observar e aplicar no ambiente de trabalho as recomendações relacionadas à prevenção de acidentes e doenças
decorrentes do trabalho.

Qual o papel do presidente da Cipa?

-convocar os integrantes da Comissão para as reuniões e coordená-las.


-encaminhando ao empregador e ao SESMT as decisões da comissão.
-manter o empregador informado sobre os trabalhos da Cipa.
-coordenar e supervisionar as atividades de secretaria.
-delegar atribuições ao vice-presidente.

Qual o papel do o vice-presidente?

-executar atribuições que lhe forem delegadas.


-substituir o presidente em eventuais ausências.

Tanto o presidente quanto o vice devem:


-cuidar para que a Cipa tenha condições para o desenvolvimento de seus trabalhos.
-coordenar e as atividades para o alcance dos objetivos propostos.
-delegar atribuições aos outros integrantes da Comissão.
-promover o relacionamento da Cipa com o SESMT.
-divulgar as decisões da Cipa no ambiente interno da empresa.
-encaminhar os pedidos de reconsideração das decisões da Comissão.
04 Outubro

SENSO DE DONO PELA SEGURANÇA

O que é “SENSO de Dono”?

É uma expressão cada vez mais comum no ambiente corporativo, geralmente


associada ao sentimento profundo de envolvimento com um projeto, uma causa ou um
negócio.

O que é “SENSO de dono” pela segurança?

Implica em um envolvimento genuíno com os valores ligados às diretrizes de


segurança. O funcionário com “SENSO de dono pela segurança” é um parceiro da
organização, sentindo realmente que a vida é um bem inegociável.

Como despertar esse sentimento nas pessoas?

Um bom começo é criar um clima de confiança entre todos os integrantes das equipes,
demonstrar preocupação com as pessoas, fazendo com que cada colaborador de sinta
único. Essa sensação de confiança se reflete no engajamento da equipe, na liberdade
de criar e busca por melhores maneiras de prevenção de incidentes e acidentes.
Conselho:
-Delegar responsabilidades, desenvolver autonomia e oferecer as diretrizes de atuação
são formas eficientes para criar confiança, num ambiente propício à inovação e ao
desenvolvimento da “dor de dono pela segurança” nas pessoas.
Resultados
-Um funcionário com “dor de dono” é mais eficiente, mais criativo e comprometido, o
que contribui não só para o seu desenvolvimento pessoal, mas também para a criação
de procedimentos de alto padrão, fortalecimento e diferenciação da empresa no
mercado.
05 Outubro

Ferramentas Manuais- PD 4012

OBJETIVO

Definir práticas de trabalho seguras para a utilização, empréstimo, conservação, manutenção,


inspeção, armazenamento e aquisição das ferramentas manuais, além de itens proibitivos.

Ferramentas manuais

São consideradas ferramentas manuais todas aquelas que requerem o apoio das mãos diretamente
sobre a mesma para realização das atividades de manutenção/operação, devendo estar em perfeito
estado de conservação e serem devidamente controladas.
As ferramentas manuais incluem chaves de fenda, martelos, limas, chaves fixas, extratores manuais,
chaves combinadas, chaves estrela, estiletes, enxadas, machado, picareta, facão e demais
ferramentas utilizadas pelos profissionais de manutenção/operação na realização dos trabalhos
diários.

Ferramentas individuais

Ferramentas disponibilizadas ao colaborador de uma área específica, registradas em termo de


responsabilidade.
Exemplo: Alicates, Chaves de Fenda, Chave Combinada, Martelo, Multímetros, Chave Allen, Alicate
de Pressão, Chave de Regulagem.

Ferramentas de uso coletivo

Ferramentas que poderão ser utilizadas por todos os colaboradores treinados na sua utilização.
Exemplo: Furadeira, Martelete Pneumático, Lixadeira, Tifor, Talha Manual, Serra Tico Tico, Marretas,
Pá, Enxadas.
06 Outubro

FIQUE ATENTO COM VAZAMENTOS DE


ÓLEO 

De acordo com dados divulgados pelo Ministério do Meio Ambiente, a gestão de


resíduos em uma obra deve seguir as diretrizes do Manual de Gestão de Resíduos
Perigosos, necessário para a implementação de todo e qualquer subprojeto.

Os efeitos desses resíduos perigosos sobre o solo e a saúde apresentam crescente


preocupação, pois, se negligenciados ao longo do tempo, acarretam passivos
ambientais significativos.

As diretrizes são que, em caso de vazamento de óleos combustíveis e lubrificantes, a


prioridade imediata é a contenção. Ele deve ser mantido no local, sempre que possível.
Procedimentos de limpeza devem ser iniciados assim que o derramamento for contido.

Você tem conhecimento de algum local que esteja ocorrendo vazamento de óleo?
Quais as primeiras providências a serem tomadas no caso de vazamento ou
derramamento de óleo?
Você tem ciência dos malefícios que o vazamento pode causar ao meio ambiente ?
07 Outubro

IMPORTÂNCIA DO CHECK LIST

O Check-list é um cuidado preventivo com o equipamento. Ele é um verdadeiro


aliado da manutenção, conservação e organização de nossos equipamentos,
máquinas, processos e procedimentos.

O Equipamento em perfeito estado e em pleno funcionamento torna o serviço mais


fácil, mais prazeroso em operá-lo e com reflexos positivos na qualidade. Prazos de
entrega exatos, qualidade no produto final e satisfação do cliente, são exemplos
nítidos de que tudo anda bem, e se o equipamento não estiver em ordem, nenhum
destes três itens poderão acontecer.

Os Check-lists são fichas de acompanhamento e inspeção para equipamentos e


veículos usados em nossa unidade, quais são entregues aos seus respectivos
operadores responsáveis. Assim que preenchido, o supervisor deverá conferir e se
caso encontre uma anomalia, deverá programar a manutenção para que possa ser
corrigida!
08 Outubro

PROTEÇÃO CONTRA POEIRA


Um ambiente de trabalho poeirento pode produzir uma situação de risco aos
trabalhadores expostos e, considerando os efeitos da poeira sobre o organismo
humano, recomenda-se a eliminação deste risco atuando em três pontos:

1 – Sobre a geração, com o objetivo de impedir sua formação, por exemplo: 

 emprego de métodos úmidos; 


 enclausuramento do processo; 
 Ventilação local através da exaustão; e 
 Manutenção. (Ex. empoeiramento da sinterização).

2 – Sobre o meio pelo qual se difunde, para impedir que se estenda e atinja níveis
perigosos no ambiente de trabalho, por exemplo:

 limpeza; 
 Ventilação geral exaustor ou diluidora; 
 Aumento de distância entre o foco e receptor. (Ex. vedação do prédio de
britagem e peneiramento de coque).

3 – Sobre o receptor: protegendo o trabalhador para que a poeira não penetre em seu
organismo e orientando-o sobre os cuidados necessários, treinamento e educação,
limitação do tempo de exposição, equipamento de proteção individual, exames médicos
pé-funcional e periódicos. (Ex. uso adequado do respirador para pós e névoas que deve
ser usado como complementação de medidas de controle ao nível de pessoal).
09
L.E.R. e DORT
Outubro

O que é LER?
As lesões por esforços repetitivos (LER) representam uma síndrome de dor nos
membros superiores que podem causar lesões no sistema tendíneo, muscular e
ligamentar, causadas principalmente por atividades que exigem movimentos repetitivos,
em alta freqüência e em postura forçada.
O que é DORT?
Assim como em LER, o distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho (DORT) é
caracterizado por esforços repetitivos, porém, nesse caso, são alterações que se
manifestam principalmente no pescoço, braços, punhos e demais membros superiores
em decorrência do trabalho.
10 Outubro

COMO EVITAR ACIDENTES EM ESPAÇOS


CONFINADOS?
1º Conhecimento
Espaço confinado é considerado um ambiente de alto risco, a prática de entrar neste local não
apropriado para circulação de pessoas, deve-se seguir uma série de recomendações como capacitar
os colaboradores por funções, sendo elas Trabalhadores Autorizados (entrantes), Vigia e Supervisor
de Entrada, conforme previsto na Norma Regulamentadora supracitada.
2º Testes, Avaliação e monitoramento.
 Falta de ventilação natural;
 Atmosfera deficiente em oxigênio;
 Atmosfera explosiva / inflamável,
 Liberação inesperada de energias perigosas,
 Entrada e saída limitada
 Presença / mistura de contaminantes perigosos;
 Barreiras / limitações do movimento;
 Instabilidade do produto armazenado.
Com isso, é fundamental que o colaborador seja capacitado a monitorar de forma continua com
equipamento apropriado a possível mudança da atmosfera local em virtude do trabalho que está
sendo executado no ambiente.
3º Planejamento
Procedimentos para salvamento devem ser estabelecidos antes da entrada e devem ser específicas
para cada tipo de espaço confinado. O espaço deve ser avaliado por pessoa com conhecimentos
suficientes para assegurar atmosfera propícia para os trabalhos. Do lado externo, sempre deve haver
uma pessoa (Vigia/Supervisor) atenta a qualquer desvio que, por ventura, ocorra durante a realização
das atividades. Deverá ter profissional preparado com os devidos equipamentos de resgate (aparelho
respiratório, roupas de proteção, botas, etc) para atender qualquer ocorrência.
Seja qual for a atividade, nenhuma é tão importante a ponto de ignorarmos a nossa segurança.
11 Outubro

DIA MUNDIAL DE PREVENÇÃO DA


OBESIDADE

A ideia é unir esforços para comunicar de forma intensa o impacto da


obesidade na vida das pessoas, nos sistemas de saúde e na economia. A
obesidade é um dos maiores problemas de saúde atualmente e para o
futuro. Crianças obesas poderem ser adultos obesos, com mais probabilidade
de desenvolver diabetes, doença cardíaca, cânceres e outros problemas de
saúde.

Dicas:

-Estimule campanhas prevenção à obesidade.


-Incentive o debate sobre o tema e ações para melhorar a sua qualidade de
vida e de seus amigos e familiares.
-Incentive mudanças de hábitos alimentares e prática de atividade física.
-Cuide bem das alimentações das crianças, oferecendo a elas alimentos
saudáveis.
-Beba bastante água e durma cerca de 8 horas por dia.
-Tenha em mente que “Gordura na barriga, perigo à vista!”
Cintura aumentada é sinal de elevação de riscos de doenças cardiovasculares
e diabetes. Entre as mulheres, o problema atinge cerca de 52,1% contra
21,8% para homens.
12 Outubro

DIA MUNDIAL PARA A PREVENÇÃO DE


DESASTRES NATURAIS
O objetivo dessa comemoração é alertar as pessoas e gerar uma reflexão sobre a
responsabilidade de cada um em prol da preservação do meio ambiente, diminuindo ou
eliminando os hábitos maléficos, de modo a orientar as diferentes formas de prevenção,
criando uma sociedade mais consciente e responsável.

Seguem abaixo algumas dicas úteis de prevenção contra os desastres naturais:

-Preserve as áreas verdes e ciliares.


-Denuncie ocupação em área de risco, desmatamentos e queimadas.
-Evite enchentes. Mantenha limpos os ralos e calhas.
-Não jogue lixo ou entulho nas ruas, nos bueiros, rios e galerias.
-Se estiver chovendo forte, por muitos dias ou por muitas horas seguidas, fique alerta
para o risco de inundação, quedas de árvores e deslizamentos.
-Ao viajar para o litoral, não jogue lixo na praia. Estimule pessoas a fazerem o mesmo.
Fique ligado! Esteja atento aos boletins meteorológicos e às notícias de rádio e TV de
sua região. Em caso de acidentes, entre em contato com a Defesa Civil de sua região.
13 Outubro

COLISÃO FRONTAL

A colisão frontal ou colisão frente a frente é uma das classificações para


acidentes de trânsito que costuma resultar em sérios ferimentos,
normalmente com vítima fatal. Em poucos segundos os veículos se
transformam em ferro torcido, envolvendo os motoristas e ocupantes de tal
maneira que raramente escapam com vida. Vários são os fatores a levarem
ao choquem, mas a maioria está relacionada ao descumprimento das leis de
trânsito ou de normas de direção defensiva.
Ingestão de bebida alcoólica, excesso de velocidade, dormir ao volante, falta
de manutenção do veículo e distração do motorista são apenas alguns dos
motivos. Veja algumas sugestões para evitá-los:

Evite as ultrapassagens perigosas


-Não ultrapasse veículos nas curvas e em locais proibidos e de pouca
visibilidade.
-Verifique sempre se o tempo e o espaço de que você dispõe são suficientes
para realizar a ultrapassagem com segurança, caso for permitida.
Cuidado com as curvas
-Velocidade, tipo de pavimento, ângulo da curva, condições do veículo e
motorista são fatores que podem retirar o veículo da sua faixa de direção,
indo chocar-se com quem vem do sentido contrário. Nas curvas, reduza
sempre a velocidade e mantenha-se atento.
Atenção nos cruzamentos
-Esses acidentes ocorrem nas manobras, não observando o semáforo ou a
preferência de passagem no local, assim como a travessia de pedestres. Não
tenha pressa, somente realize a manobra nos locais permitidos e com
segurança.
14 Outubro

MANUTENÇÃO DO LOCAL DE
TRABALHO
A ordem, arrumação e limpeza são indispensáveis para a prevenção de acidentes e
manutenção da saúde nos locais de trabalho. Também significa ter livre acesso quando
acontece alguma emergência de primeiros socorros e necessidade de utilização de
equipamentos de combate a incêndio. Portanto:

-Determine lugares para armazenagem de materiais, equipamentos e peças que não


serão utilizadas.
-Empilhe corretamente materiais e máquinas.
-Guarde chaves, cadeados e ferramentas em locais apropriados.
-Mantenha os painéis elétricos desobstruídos.
-Realize todo trabalho usando 5S.
-Mantenha os extintores em locais com bom acesso.
-Faça a limpeza imediatamente ao derramamento de produtos.
-Nunca deixe nenhum objeto onde possam causar tropeços.
-Não permita área de trabalho com sujeira ou água.

O bom resultado da arrumação, organização e limpeza, não são obtidos por mutirões. E
sim o resultado de um esforço diário.
15 Outubro

ESCAVAÇÃO

Quais são os documentos necessários para realização de Escavação?


Resposta: APR, PT E LISTA DE VERIFICAÇÃO.
16 Outubro

MOTORISTA EXEMPLO

Conduzir um veículo, transportando cargas requer experiência,


responsabilidade e conscientização sobre os procedimentos de segurança.

Lembre-se de:

1. Portar o passaporte de segurança e cumprir os procedimentos e regras


estabelecidas neste documento.
2. Assegurar a correta operação com todos os modelos de caminhões, seguindo
sempre as instruções do manual do veículo e fabricante, assim como os
procedimentos de Segurança da Votorantim Cimentos.
3. Compartilhar os conhecimentos sobre segurança com os colegas de trabalho e
até com os familiares.
4. Abrir um Registro de Incidente diante de qualquer possibilidade de acidente
percebida.
5. Solicitar a APR (Análise Preliminar de Risco) para atividades que não possuem a
Lição Ponto a Ponto (LPP).
6. Cumprir rigorosamente as orientações das LPPs.
7. Exercer o Dever de Recusa sempre que necessário.
8. Não arriscar a vida, adotando sempre um comportamento seguro e preventivo.
9. Estar sempre concentrado nas tarefas, observando o ambiente ao redor as
condutas requeridas para realizar a atividade.
10. Participar dos Minutos de Segurança e Diálogos Diários de Segurança (DDS).
11. Comunicar imediatamente o responsável da unidade sobre toda e qualquer
ocorrência, sejam incidentes ou acidentes.
12. Encaminhar sugestões de melhorias aos responsáveis caso as tenha.
13. Ter em mente que todo acidente pode ser evitado.
14. Promover atitudes que contribuam para o Zero Acidente.
15. Entender que o comportamento seguro começa com cada um de nós.
17 Outubro

TRABALHO A QUENTE PD-3435

18 Outubro

ESPAÇO CONFINADO- PD 3406


1. OBJETIVO

Estabelecer métodos seguros para Permissão de Entrada e liberação de trabalhos em áreas de risco
caracterizadas como espaços confinados, de forma a garantir permanentemente a segurança e saúde
dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente nestes espaços.

2.APLICAÇÃO

Em todas as Unidades Operacionais da Votorantim Cimentos para atividades em espaço confinado,


com funcionário próprio ou contratado.

4.1 Espaço confinado

Qualquer área não projetada para a ocupação humana contínua, a qual tem meios limitados de
entrada e saída e na qual a ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes perigosos
que e possam existir ou desenvolver deficiência ou enriquecimento de oxigênio.

Sumarizando entendimento para caracterização de Espaço Confinado: Tem que ser os 3 itens
abaixo concomitantes, ou seja, (A+B+C).
A – Qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua
+
B – Que tem meios limitados de entrada e saída
+
C – Cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes
ou Onde possa existir ou desenvolver deficiência ou enriquecimento de O2

19 Outubro

Diálogo Diário de
O objetivo desta ferramenta é a existência de uma sistemática de reuniões diárias de Segurança e
Saúde Ocupacional, acontecendo no início das jornadas, junto às frentes de trabalho.
Através dos DDS´s, de forma participativa, as pessoas podem relembrar, revisar, discutir e construir as
melhores práticas referentes à execução segura das atividades a serem executadas ao longo do dia
de trabalho.

Recomenda-se que os DDS´s sigam a seguinte sequência:

 O facilitador da reunião obtém a atenção dos presentes;


 Faz um breve aquecimento e alinhamento de atenções,
 Revisa e relembra o assunto tratado no dia anterior;
 Introduz o novo assunto de segurança relacionado preferencialmente com as atividades do dia;
 Discute o novo tema, envolvendo os presentes a participarem do diálogo e a construírem as ações
de segurança frente ao assunto abordado;
 Após a participação, faz o fechamento do assunto, durante o qual devem ser sanadas eventuais
dúvidas, envolvendo todos os presentes e destacando os pontos mais significativos.

Recomenda-se que o Diálogo de Desenvolvimento de Segurança dure em média de 5 a 10 minutos.


Deve-se, ao final, formalizar a participação de todos por meio de lista de presença.

20 Outubro

Trabalho em altura
Definição: Todo trabalho executado em diferença de nível acima de 2,00 m.
Capacitação: Os treinamentos terão a validade de 2 anos, podendo ser alterado no caso de
alteração do padrão ou legislação.
Quais são os documentos mínimos necessários para trabalho em altura além da APR?
Equipamentos, sistemas e dispositivos para trabalho em altura
Elementos provisórios ou definitivos utilizados para acesso: entre níveis, diferentes ou não; entre
superfícies/apoios, contíguos ou não; topo/lateral de edificações
Exemplos: Escadas portáteis e/ou fixas, passarelas, passagens, plataformas elevatórias, rampas e
andaimes.

Pontos de Ancoragens
Pontos destinados a suportar carga de pessoas para a conexão de dispositivos de segurança, tais
como: cordas, cabos de aço, trava-quedas e talabartes.

Cinto de Segurança (Tipo paraquedista)


É o que possui tiras de tórax e pernas, com ajuste e presilhas; nas costas possui uma argola para
fixação de corda de sustentação.

Trava-quedas
Dispositivo automático de travamento destinado à ligação do cinto de segurança ao cabo de
segurança.

Absorvedor de energia
Dispositivo destinado a reduzir o impacto transmitido ao corpo do trabalhador (a força de frenagem
aplicada não pode ultrapassar a 600 kgf) e sistema de segurança durante a retenção da queda.

Cabo-Guia ou de Segurança (Linha de Vida)


É o cabo ancorado à estrutura, onde são fixadas as ligações dos cintos de segurança.

Fator de Queda
Razão entre a distância que o trabalhador percorreria na queda e o comprimento do equipamento
que irá detê-lo.

Andaimes
Elementos estruturais metálicos, fixos ou móveis, utilizados para trabalhos que não podem ser
realizados a partir do piso, e cuja duração e/ou condições não justifiquem a utilização de escadas.

21 Outubro

RESPEITO A SINALIZAÇÃO
Você acha a sinalização de segurança importante para a empresa?
Será se vale a pena investir em placas, faixas e luzes? Se sim, porque?
O que é sinalização de segurança?
A sinalização de segurança é um conjunto de estímulos visuais e sonoros que servem para informar e
orientar os indivíduos dentro da empresa sobre a melhor forma de agir perante uma situação
desconhecida, como um novo setor ou uma rota de fuga ou fora do controle como um princípio de
incêndio ou explosões, por exemplo.
O alarme está soando. O que fazer? Como chegar no ponto de encontro no escuro?
A melhor e correta forma de se orientar é seguir as indicações de rota de fuga, orientando-se pelos
pictogramas (aquelas setas e placas com bonecos que indicam o caminho).
22 Outubro

NORMA REGULAMENTADORA 01 (NR-


01)
As NRs relativas à segurança e medicina do trabalho são de observância obrigatória pelas empresas
privadas e públicas e pelos órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como pelos órgãos dos
poderes legislativo e judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho
-CLT.

Cabe ao empregador:

a) cumprir e fazer cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho.
b) elaborar ordens de serviço sobre segurança e saúde no trabalho, dando ciência aos empregados por
comunicados, cartazes ou meios eletrônicos.
c) informar aos trabalhadores:
I -os riscos profissionais que possam originar-se nos locais de trabalho.
II -os meios para prevenir e limitar tais riscos e as medidas adotadas pela empresa.
III -os resultados dos exames médicos e de exames complementares de diagnóstico aos quais os próprios
trabalhadores forem submetidos.
IV -os resultados das avaliações ambientais realizadas nos locais de trabalho.
d) permitir que representantes dos trabalhadores acompanhem a fiscalização dos preceitos legais e
regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho.
e) determinar os procedimentos que devem ser adotados em caso de acidente ou doença relacionada ao
trabalho.

Cabe ao empregado:

a) Cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e saúde do trabalho, inclusive as


ordens de serviço expedidas pelo empregador.
b) Constitui ato faltoso a recusa injustificada do empregado ao cumprimento do disposto no item anterior.
c) O não cumprimento das disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho
acarretará ao empregador a aplicação das penalidades previstas na legislação pertinente.
d) As dúvidas suscitadas e os casos omissos verificados na execução das Normas Regulamentadoras -NR
serão decididos pela Secretaria de Segurança e Medicina do Trabalho –SSMT
23 Outubro

GERENCIAR ANDANDO NA ÁREA –GANA

GANA é uma ferramenta com foco em avaliação comportamental. O


papel da liderança junto aos colaboradores, reforçando os
procedimentos de segurança, proporciona mais engajamento e
identificação dos pontos fracos e fortes, resultando na elaboração de
planos de ação para melhorias ou mesmo o reconhecimento dos pontos
positivos.

Uma equipe multifuncional de gestores deve discutir e definir a


sistemática de realização do GANA para toda a unidade, obedecendo às
diretrizes já estabelecidas.

As diretrizes reúnem as Áreas, Rotas, Gerenciamento da Rotina,


Manutenção, Padronização, Sistema de Gestão de Qualidade, SISSMA
(Sistema Integrado de Saúde, Segurança e Meio Ambiente), Agenda,
Checklist Gana, Sistemática das Inspeções, KPI, além de
responsabilidades do coordenador ou responsável pela área.

Recomendações:
•Utilize o Guia GANA de Segurança –um guia de bolso –como lembrete
dos principais pontos a serem observados.
•Todas as áreas da fábrica, em atividades que representam riscos para
a vida, devem ser inspecionadas, pelo menos uma vez a cada três
meses.

Lembre-se de não marcar:


•Nenhuma reunião, call ou qualquer outra atividade, às sextas-feiras, às
10 horas.
24 Outubro

POLÍTICA DE SEGURANÇA NO VOLANTE

Essa Política se aplica a todas as operações da Votorantim Cimentos. Ela


tem como objetivo estabelecer diretrizes para garantir o alcance e
manutenção de elevados padrões de Segurança na condução de veículos
leves, pesados, máquinas e equipamentos.
Além disso, se compromete a eliminar ou minimizar os acidentes de trânsito
e trajeto por meio de regras e controles, junto aos funcionários, terceiros e
parceiros comerciais, reforçando as boas práticas de segurança no volante.

Cabe aos líderes:

-Cumprir as diretrizes da Política


-Dar o exemplo.
-Orientar suas equipes
-Gerar condições para a realização das atividades de forma segura.
-Reportar quaisquer condições inseguras.

Todos os funcionários:

-Cumprir com as diretrizes da Política


-Zelar pela sua segurança e de seus colegas de trabalho
-Reportar quaisquer condições inseguras.
25 Outubro

BLOQUEIO DE ENERGIAS EM VEÍCULOS


Bloqueio com Calços
Os calços para pneus de caminhões devem ser colocados na roda tratora. Sua
função é garantir que o caminhão não se desloque. Podem ser utilizados diversos
tipos: triangulares, de carrinho e ou colocados pela empilhadeira.

Bloqueio de Chaves
Sua função é garantir que o veículo não será ligado a partir do acionamento da
chave na ignição e não se deslocará no momento da operação. São três tipos de
bloqueios: suporte para chaves (claviculário), haste presa à porta do lado de fora do
veículo e caixa com cadeado.
26 Outubro

PERMISSÃO DE TRABALHO -PT


A Permissão de Trabalho é o documento que especifica o tipo de trabalho que será
realizado e quem o autoriza. Ao realizar tarefas que apresentam risco, é
fundamental ter a PT. Ela determina os riscos, define procedimentos seguros e
especifica as precauções necessárias para controlar acidentes e incidentes.
Você sabe de cor em quais situações é solicitado o documento de Permissão de
Trabalho (PT)? Aproveite para rever as atividades e refletir se você já desempenhou
serviços em áreas que são necessárias o preenchimento da PT:

• Içamentos acima de 10 toneladas


• Ao utilizar o andaime.
• Trabalhos em eletricidade de alta tensão
• Trabalhos a quente
• Trabalho em altura, superior a dois metros.
• Ao entrar em espaços confinados

Lembre-se que, para garantir a sua segurança, é necessário utilizar os EPIs


recomendados para cada tipo de função e local.
27 Outubro

BLITZ DE CONDIÇÕES DE SEGURANÇA

A Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) tem também


como funções realizar blitz e inspeções em diversos ambientes. O
objetivo é garantir a segurança do trabalhador e o bom
funcionamento de espaços e equipamentos.

Quando e onde ocorreu?

Janeiro de 2016. No refeitório da Unidade de Imbituba.

Qual o motivo?

Verificar as condições de segurança na cozinha do refeitório,


administrada pela empresa terceirizada Sodexo, além do uso
adequado dos EPIs pelos seus funcionários.
Resultado:
No momento da blitz, colaboradores estavam utilizando os EPIs
indicados e de maneira correta (bota emborrachada, calça
comprida, camiseta e touca na cabeça).
Outros EPIs que estavam em ordem:
-Óculos de segurança utilizados para cozinhar e fritar alimentos.
-Luvas de malha de aço utilizadas para cortar alimentos.
-Luvas térmicas para pegar objetos com alta temperatura.
-Placa para sinalizar piso escorregadio.
-Extintor de incêndio em estado e local apropriados
28 Outubro

TÉCNICA DE ANÁLISE SISTEMÁTICA DE


CAUSAS -METODOLOGIA TASC
O que é?

É uma metodologia que tem como principal objetivo o de conduzir


com eficiência e eficácia investigações assertivas de acidentes e
incidentes. Normalmente é dirigida a profissionais das áreas de
Sistemas de Gestão de Segurança e Saúde do Trabalho, Qualidade
e Meio Ambiente. Ela visa alertá-los para:
Como deve ser a reação inicial a um acidente.
-Coletar, identificar e usar as evidências dos quatro Ps (Posição,
Pessoas, Partes e Papéis).
-Alcançar entrevistas efetivas.
-Aplicar o Modelo de Causalidade de Perdas.
-Identificar as perdas, os contatos, as causas imediatas, as causas
básicas e a falta de controle no acidente.
-Desenvolver as ações corretivas associadas ao sistema de gestão
da empresa.
-Elaborar relatório de investigação de incidentes sucinto e eficaz.
29 Outubro

CARGAS SUSPENSAS

Deve haver um sistema formal de manutenção para garantir que todos os


equipamentos estejam operando em condições seguras. As manutenções
devem ser concluídas, cadastradas, retidas para revisão e realizadas por
inspetores qualificados.
-Verificar se a unidade possui um plano de manutenção definido com datas e
designação dos responsáveis.
-Verificar se os profissionais de manutenção próprios e das contratadas, que
realizam a manutenção em equipamentos e periféricos, estão capacitados e
habilitados formalmente para o trabalho.
-Verificar se os equipamentos em uso apresentam condições ou defeitos
aparentes, que afetem a operação segura.
-Verificar se existe acesso seguro ao equipamento ou viga de rolamento.
-Verificar se existe autorização do supervisor da área e do operador do
equipamento para a operação do mesmo.
-Verificar se todos os dispositivos de segurança estão projetados e
dimensionados para a operação necessária.

Você sabia que?

É necessário existir um plano ou método de saída de emergência, incluindo


controle de queda disponível em todas as pontes rolantes elétricas e
guindastes de pórtico, os quais precisam de pessoal de manutenção ou de
operação posicionados no guindaste ou em plataforma de trabalho.
30 Outubro

SEGURANÇA NAS ÁREAS PERIFÉRICAS

São consideradas Áreas Periféricas:


-Estacionamento de caminhões.
-Pátios abertos de insumos.
-Armazéns de insumos.
-Locais de “desatrelamento” de caminhões.

Tipos de atividades:
-Embarque de matéria-prima.
-Carregamento de produto terminado.
-Descarga de insumos (em pátio aberto ou armazém).
-“Desatrelamento” ou atrelamento de carretas.

Principais riscos críticos:


-Bloqueio mecânico (calços nas áreas de estacionamento de
“desatrelamento”).
-Nivelamento dos pátios (manutenção dos pisos nas áreas de insumos).
-Iluminação das áreas no período noturno.

Principais medidas de prevenção:


-Sinalização e iluminação adequadas.
-Organização das cargas e de fluxo de veículos.
-Inspeção de segurança.
-Piso nivelado para garantir estabilidade ao caminhão.
-Bloqueio dos veículos (calço ou chaves, dependendo da operação).
31 Outubro

MOVIMENTAÇÃO MANUAL
DE CARGAS

A movimentação manual de cargas é uma atividade susceptível de envolver vários


riscos não só adjacentes ao trabalho físico desenvolvido pelo trabalhador para
movimentar as cargas, mas também relacionados com a própria composição dessas
mesmas cargas – muitas vezes constituídas por diversificados materiais, nem sempre
completamente inofensivos.

A movimentação manual de cargas pressupõe a utilização do corpo do trabalhador


como próprio “instrumento” de trabalho.

No processo de movimentação de cargas, o peso dos segmentos corporais juntamente


com a carga transportada correspondem à resistência e a força muscular exercida pelo
trabalhador para realizar o trabalho corresponde à força de potência.

Desta forma, os vasos sanguíneos são comprimidos em consequência da contracção


dos músculos, o fluxo sanguíneo fica reduzido, com a correspondente falta de oxigénio
para a combustão do açúcar muscular.