Você está na página 1de 7

Objetivos desta apresentação

 Custo de estoque

Planejamento e Controle de Estoque  Política de gestão de estoque


Aula 8 – parte 2
 Plano de pedido
Mauro Osaki
 LEC (Lote Econômico de Compra)
TES/ESALQ-USP
Pesquisador do Centro de Estudos  Ponto de reabastecimento
Avançados em Economia Aplicada
Cepea/ESALQ/USP

Fone: 55 19 3429-8841

Fax: 55 19 3429-8829

E-mail: mosaki@usp.br

http://www.cepea.esalq.usp.br

32 33 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Referencial teórico Modelo geral da administração da produção

 BALLOU , R.H. Logística Empresarial: transporte, administração Ambiente


Objetivos
estratégicos da
de materiais e distribuição física. São Paulo Atlas 2003 – Cap 10. produção

Input
 BOWERSOX, D.J.; CLOSS, D.J. Logística empresarial: o Recursos a serem Estratégia da
transformados produção Papel e posição
processo de integração da cadeia de suprimento. São Paulo Atlas competitiva da
Matérias produção
2001 – Cap 8. Informações
Estratégia de
Produção
Consumidores
 CHASE, R. B, JACOBS, F.R., AQUILANO, N.J. Administração da
Administração
Bens
produção para a vantagem competitiva. 10ed. Porto Alegre: Input Projeto da produção Melhoria Output e
Serviços
Bookman, 2006
Planejamento e
 SLACK, N., CHAMBERS, S., HARLAND, C., JOHNSTON, R., Instalações
Pessoais Controle

Administração da produção. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2002 -


Input
CAP12 Recursos de
transformação
Ambiente

Fonte: Slack et. al (2002)

34 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 35 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Decisão de ESTOQUE Composição de custo de estoque

 Quanto pedir?
– O reabastecimento deve ter tamanho (volume). Pedido
 Quando pedir? Custo estoque

– O momento que o pedido de reabastecimento deve Manutenção

ocorrer.
Capital
 Como controlar o sistema?
Armazenagem
– Rotina e procedimento deve ser implantado para Falta de estoque
controlar e ajudar a tomar decisões. Obsolescência

 O que pedir? Ineficiência de produção


Serviço de estocagem
– Prioridade que devem ser atribuídas para diferentes
itens de estoque.

36 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 37 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

1
Custo de pedido Custo de Capital de giro

O que é O que é

Cada reabastecimento de pedido é Cada reabastecimento de pedido é necessário um


necessário algumas transações que fundo financeiro para manter o estoque no intervalo
entre pagar os fornecedor e receber dos
representam custo para a empresa.
consumidores.

Transações: Tipo de custo associado:


• Manutenção interna de registro; • Juros de empréstimo do banco;
• Custos associados com manutenção do sistema necessário para rastrear os
pedidos. • Custo oportunidade do capital;
• Custo de transporte da mercadoria;
• Custo de inspecionar mercadoria
• contagem e conferência de pedido;
• Custo administrativo do pedido (preparo e documentação)

38 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 39 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Custo de armazenagem (espaço) Custo de falta de estoque

O que é O que é

Custo associado a armazenagem FÍSICA do bens. Custo da falha da empresa no fornecimento de


produto para seus consumidores devido ao erro de
cometido na quantificação do pedido.

Tipo de custo associado:


• Locação Tipo de custo associado:
• Taxa cobrada por peso e tempo; • Perda de cliente;
• Climatização (Produtos perecíveis) ou secagem • Gera ineficiência no processo seguinte - tempo ocioso;
• Iluminação
• Controle de pragas (cereais)

40 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 41 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Custo de obsolecência Custo de ineficiência de produção

O que é O que é

Refere-se ao produto estocado por longo tempo no Custo referente ao alto nível de estoque no qual
qual corre o risco de tornar obsoleto ou fora de moda. impede a observação de uma completa extensão do
problema.

Tipo de custo associado: Tipo de custo associado:


• Mudança de moda; • Custo oportunidade de estoque;
• Mudança de estação e tendência; • Desperdício;
• Vencimento da validade do produto;

42 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 43 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

2
Custo de serviço de estocagem

O que é
Política de gestão de estoque
Custo referente à manutenção de estoque por meio
do seguro e imposto. O seguro cobre sinistro como
incêndio, tempestade e roubo. Os impostos são
calculados sobre os níveis dos estoques
existentes.

44 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 45

Política de Gestão de estoque Demanda Independente X Demanda Dependente

Quanto de estoque para?


Independente
Custo de capital de giro
Demandas pelos vários itens não são relacionados entre si.
MANUTENÇÃO Custo de transação necessária para gerar pedido

Lote econômico de compra (LEC)  Produtos acabados


 Peças e materiais de reposição
Depende da INCERTEZA da demanda

REPOSIÇÃO Variabilidade da demanda e do lead time1 de fornecimento

Tipo de cliente (compra produto caro e pouco tempo) Dependente


Classificação ABC A necessidade para qualquer item é o resultado direto da
Princípio de pareto
necessidade para outros itens.
CONTROLADO
Sistema de informação eficiente - TI
 Matérias primas
• registro de estoque  Peças para montagem
• geração de pedido
• geração de relatório de status
• previsão de demanda

46 1 Tempo decorrido entre a adoção de uma providência e sua concretização Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 47 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Sistema de Estoque de períodos múltiplos

Demanda dependente
 4 rodas
 4 pneus + estepe
 2 faróis, etc..

Quantidade fixas
Estoques
Demanda independente Tempo Fixo
 Vendas realizadas nas
concessionárias

48 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 49 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

3
Perfil de Estoque – quantidade fixa Determinação de Plano de pedido – Quantidade fixa

Para determinar qualquer plano de pedido


O que é
Representação visual do estoque ao longo do tempo

Se a área a = área b Q D
Então Q pode ser dividido por 2 Custo de manutenção = Ce x Custo de Pedido = Cp x
Q Demanda constante 2 Q
e previsível (D)
Q2 Logo: Q Cp=Custo do pedido por unidade
Q1 Estoque médio = Ce=Custo de manutenção de estoque por unidade
2 Q = Quantidade a ser pedida D/Q=número de pedido
Nível de Estoque

Q/2=estoque médio
a

b Declividade ou
Taxa de
demanda Custo total = Custo de manutenção + custo de pedido

Tempo Cp D
Ce Q
Q Custo total = +
D 2 Q
D Entrega instantânea à taxa
por período Q
Intervalo de demanda
entre entrega

50 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 51 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Determinação de Plano de pedido - Cont LEC - Lote econômico de compra

Dado que:
O que é
Custo total = Custo de manutenção + custo de pedido

Ce Q Cp D Refere-se a quantidade de estoque que deve ser


Custo total = +
2 Q reabastecida

Derivando por Q, tem-se a taxa de mudança de custos

dCt Ce Cp D 2 Cp D
= + Q0 = LEC =
dQ 2 Q2 Ce

dCt Onde
O ponto de menor custo ocorre =0
dQ Q0 = Lote econômico de compra
Cp = Custo totais de colocação de pedido
Ce = Custo de manutenção de estoque por unidade
Ce Cp D 2 Cp D D= Demanda
0 = + Q0 = LEC =
2 Q2 Ce

52 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 53 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Exercício Resultado

Demanda (D) = 1000 unidades por ano


Custo de manutenção de estoque (Ce) = R$1,00 por unidade
Custo de colocação de pedido (Cp) = R$20,00 por pedido Quantidade de pedido (Q) Ce Cp CT
Custo de = Ce x Q D
manutenção
2
Custo de = Cp x
Pedido Q
50 R$ 25,00 R$ 400,00 R$ 425,00
t Qtide de pedido (Q) C. Manut C. pedidos Ct 100 R$ 50,00 R$ 200,00 R$ 250,00
1 50 150 R$ 75,00 R$ 133,33 R$ 208,33
2 100 200 R$ 100,00 R$ 100,00 R$ 200,00
3 150 250 R$ 125,00 R$ 80,00 R$ 205,00
4 200 300 R$ 150,00 R$ 66,67 R$ 216,67
5 250 350 R$ 175,00 R$ 57,14 R$ 232,14
6 300
400 R$ 200,00 R$ 50,00 R$ 250,00
7 350
8 400
Lote economico 200
a) Determine o custo de manutenção
b) Determine o custo de pedidos 2 Cp D
c) Calcule o LEC LEC =
Ce
54 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 55 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

4
Quantidade econômica de pedido

R$ 450,00
R$ 400,00
LEC
R$ 350,00 Ponto de reabastecimento
R$ 300,00
Custo total
R$ 250,00
Custo

R$ 200,00
Custo de
R$ 150,00 armazenagem

R$ 100,00
Custo de pedido
R$ 50,00
R$ 0,00
50 100 150 200 250 300 350 400
Quantidade

56 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 57

Ponto de reabastecimento (R) Modelo básico de estoque

 O modelo assume que a demanda e o Lead time de Nível máximo de


estoque restaurado
entrega são constantes, então não é necessário
nenhum estoque de segurança. Q Q1 Q2
Nível de Estoque

 O ponto de reabastecimento, R, é simplesmente: a


Pedido
feito

R
R = d LT
Onde LT LT Tempo
d = Demanda média diária
LT = Lead time em dias Q Q
D D

Intervalo entre pedidos Intervalo entre pedidos

LT = Lead Time (Prazo médio de entrega)

58 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 59 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Modelo básico de estoque: quantidade fixa Exemplo

Demanda (D) = 1000 unidades por ano


 Monitora-se continuamente o nível de estoque e faz o
novo pedido quanto o estoque atinge um certo nível, Demanda média diária (d) = 1000 /365
que denomina-se ponto de reabastecimento (R). Lead Time (LT ) = 5 dias
 O modelo corre risco de falta de estoque apenas
durante Lead Time (período entre quando o pedido é a) Determine o ponto de reabastecimento
feito e quando ele é recebido);

R = d LT
Onde
d = Demanda média diária
LT = Lead time em dias

1000
R= (5) = 13,69 unidades
365

Quando o nível de estoque atingir 14 unidades, faça o pedido de 200 unidades.


60 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 61

5
Exercício

Encontre a quantidade econômica do pedido


 Demanda anual: 1000 unidades
 Média da demanda diária (d) = 1000/365 dias Curva ABC
 Custo de pedido = R$ 5 por pedido
 Custo de manutenção: R$ 1,25 por unidade por ano;
 Lead time (L): 5 dias
 Custo por unidade: R$ 12,50

A) Qual a quantidade econômica (LEC)?


B) Qual o ponto de reabastecimento (R)?

62 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 63

Pareto Curva padrão ABC

 Introduziu o conceito de ótimo de


pareto e ajudou o desenvolvimento
da microeconomia com a ideia de  Grupo A: trata-se de item
curva de indiferença. que forma o grupo de
volume financeiro alto;
 Estudou sobre distribuição de
riqueza e descobriu que 20% da  Grupo B: refere-se ao
população controlavam 80% da item que forma o grupo
Vilfredo Pareto riqueza. de volume financeiro
(1848 – 1923)
moderado;
 Lei de PARETO: a lógica de
poucos tendo maior importância e  Grupo C: é o grupo de
muitos tendo pouca importância. item de volume financeiro
baixo.
Regra 80 por 20, que significa 80% do valor são
responsáveis por 20% de todos itens estocados.
64 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 65 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

Conceito de Curva ABC Conceito de Curva ABC

 Utilizado para qualquer estoque que Curva de Pareto ou curva ABC ou curva 80-20

contenha mais de um item em estoque. 100


% acumulada de valor de uso

90 20% do item
representa 80%
 Discriminam diferentes itens de estoque 80
do valor total
70

de acordo com sua movimentação. 60


30% do item
representa 10% do
50% do item representa
10% do valor total do
valor total do item item estocado
– Movimento de valor (R$) alto => controle cuidadoso 50
estocado
40

– Movimento de valor baixo => controle menos 30

rigoroso 20
Região Região Região
10 A B C

0
25 50 75 100
itens (%)

Poucos Itens Importância Muitos itens menos


importantes média importantes

66 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP 67 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP

6
Exercício

A lista de itens de produtos estocados por valor

Numero de item Valor monetário (R$)


3 15000
19 80
22 95000
23 425
27 25000
36 1500
41 225
54 7500
68 75000
82 13000
A) Classifique os itens estocados pela curva ABC;
B) Quais são os itens importantes (Grupo A), Moderados (Grupo B) e pouco
importante (Grupo C)? Quanto cada grupo representa monetariamente e
percentualmente?
C) Faça um gráfico com o eixo da ordenada porcentagem do valor total do
estoque e a abscissa a porcentagem do total da lista e itens diferente do
estoque.

68 Mauro Osaki - TES/ESALQ-USP