Você está na página 1de 5

SEGURANÇA DO TRABALHADOR

Veja também: Saúde, Meio Ambiente

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

A empresa utiliza vários recursos para proteger suas propriedades. Existem


dispositivos e equipamentos que visam a sua proteção. Entretanto, eles o protegerão
apenas se você quiser. Não há nenhum dispositivo automático para proteção dos
olhos. Os óculos e outras proteções têm valor apenas quando você os utiliza a forma
como foram projetados para serem usados.
O uso de alguns equipamentos é exigido pelas normas internas, outros tipos são
apenas recomendados. O ideal é que você utilize não só os exigidos como também os
recomendados. É você quem ganha com isto! Mantenha trancadas as portas dos
acidentes que poderiam acontecer com você.

PROTEJA SUAS MÃOS


Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

A maioria dos ferimentos ocorridos no trabalho envolvem dedos e mãos. Suas mãos
são essenciais para seu trabalho e seu bem estar.
Eis aqui alguns procedimentos sensatos para ajudar a evitar ferimentos com as mãos:
1. Lembre-se que o uso correto de luvas pode prevenir tais acidentes.
2. Não fique com as mãos ou dedos em lugares onde possam ser esmagados ou
apertados.
3. Certifique-se de que as proteções para as mãos e dedos e outros dispositivos de
segurança nas ferramentas, equipamentos e maquinários estão no lugar e são
operantes.

CONDIÇÕES INSEGURAS
Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

São falhas ou irregularidades no meio ambiente ou nos locais de trabalho que


comprometem a segurança do trabalhador, expondo-o a riscos eminentes de se
acidentar.
Entre as condições inseguras podemos citar as máquinas com dispositivos de
segurança defeituosos ou desprovidas deles; máquinas ou ferramentas defeituosas;
ventilação imprópria ou inadequada; piso defeituoso ou escorregadio; equipamentos
de proteção individual inadequados; extintor de incêndio com carga vencida; material
espalhado próximo ao local de trabalho; iluminação imprópria; vidros quebrados ou
trincados; escadas improvisadas; lâmpadas sem proteção; piso molhado; uso de
benjamins; equipamentos geradores de calor sem placas de identificação;
equipamentos sem aterramento adequado; frascos sem devidas identificações;
prateleiras com excesso de peso; tampar incorretamente bombonas, tambores ou
outros recipientes contendo produtos químicos, entre outras.
Qualquer situação que possa comprometer nossa segurança e também de nossos
colegas, deve ser comunicado ao superior, desta forma estamos contribuindo de
maneira eficiente para um ambiente de trabalho com menores índices de acidentes.
COMO MANUSEAR SOLVENTES INFLAMÁVEIS
Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

Siga estes cuidados sempre que você precisar usar solventes inflamáveis:
• Proteja os tanques de limpeza de acordo com o padrão recomendado. Isto significa
instalar “esguichos (sprinklers)” automáticos, sis-temas de proteção fixos, drenos de
nível superior, ventilação especial e isolamento de logo.
• Use recipientes de segurança para pequenas operações manuais de limpeza.
• Use esguicho ventilado para operações de limpeza onde o solvente deve ser
esguichado no trabalho. Ventile o tanque de solvente para o lado externo, se
necessário, equipe o respiro de ventilação com abafador de fogo.
• Não use solvente inflamável em equipamento desengraxante a vapor.
• Coloque, no local, extintores de incêndio para fogo em liquido inflamável.
Posicione-os cm locais apropriados.
• Evite fumar próximo a fontes de ignição.
• Ventile para evitar a formação de misturas explosivas.
• Se possível use solventes com pontos de ignição acima (até 450C e não os aqueça
acima de 30C abaixo do ponto de ignição.
• Mantenha a quantidade de solvente cm uso no mínimo necessário para o trabalho.
• Arranje recipientes metálicos tampados para trapos de limpeza usados e remova-os
do local de trabalho ao final do dia.
• Use ferramentas que não soltem fagulhas (feitas de alumínio, latão ou bronze).

COMO PODEMOS PREVENIR INCÊNDIOS


Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

Os três ingredientes fundamentais essenciais a todos os incêndios comuns são:


1.Combustível: papel, madeira, óleo, solventes, gás, etc.
2.Calor: o grau necessário para vaporizar o combustível, de acordo com sua natureza.
3.Oxigênio: normalmente, deve haver pelo menos 15% de ar para sustentar um
incêndio. Quanto maior for a concentração, mais brilhante será a brasa, e mais rápida
será a combustão.

Para extinguir um incêndio, é necessário remover apenas um dos itens essenciais para
sua manutenção. Isto pode ser feito por:
1.Arrefecimento (controle da temperatura e do calor)
2.Sufocação (controle do oxigênio)
3.Isolamento (controle do combustível)
4.Interrupção da reação química em cadeia, em certos tipos de incêndio.
Os incêndios são classificados de acordo com o que estão queimando.
Os incêndios de classe A envolvem combustíveis em geral, como a madeira, tecidos,
papel ou entulhos. Geralmente este tipo de incêndio é controlado por arrefecimento.
Por exemplo:

Eis aqui algumas formas que podem ajudar a evitar incêndios:


1. Manter uma área de trabalho limpa, evitando o acúmulo de entulhos.
2. Colocar trapos sujos de óleo e tinta em recipientes metálicos tampados.
3. Observar os avisos de “NÃO FUMAR”.
4. Manter todos os materiais combustíveis afastados de fornalhas ou outras fontes de
ignição.
5. Relatar qualquer risco de incêndio que estejá além do nosso controle -
especialmente os riscos elétricos.

TRABALHANDO COM ÁCIDOS


Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

Um dos ácidos mais perigosos é o Ácido Sulfúrico (H2SO4) que é classificado como
irritante primário.
Ele tem ação corrosiva sobre a pele provocando queimaduras graves e destruição dos
tecidos. Em contato com os olhos produz severa inflamação das mucosas.
Alguns cuidados na manipulação devem ser observados:
Antes de manusear qualquer tipo de ácido, busque orientações sobre seus riscos e os
cuidados a serem tomados. O local onde irá trabalhar deve ser aberto e arejado. Use
equipamentos de proteção individual como roupas adequadas, luvas e óculos de
segurança, evitando assim o contato do produto com a pele ou mucosas. Certifique-se
de que haja chuveiro de emergência e lava-olhos próximo para casos de emergência.
Pessoas com problemas respiratórios, renais, de pele ou no sistema nervoso central
devem ter orientação médica para a manipulação de ácidos;
Os recipientes que contém ácidos devem ser mantidos hermeticamente fechados e
com rótulos de identificação.
Se houver necessidade, devem ser utilizados respiradores com filtro químico,
específicos para cada ácido.

O VALOR DO CAPACETE DE SEGURANÇA


Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

Ao longo dos anos, as pessoas têm dado várias desculpas para não usar o capacete de
segurança:
• Ele é muito pesado
• Ele me dá dor de cabeça!
• Ele machuca meu pescoço!
• Ele é muito frio para ser usado!
• Ele é muito quente para ser usado!
• Eu não consigo enxergar quando estou usando-o.
• Não consigo ouvir direito usando-o!

Suponha que alguém acima de você deixe cair uma chave de boca. Levará meio
segundo até que esta pessoa perceba que deixou cair a chave e gritar: “Cuidado com a
cabeça!”. Levará mais um segundo para você ouvir o grito e reagir a ele (se é que
você vai ouvir). Mesmo que você ouça o grito, você só vai saber para que lado deve
mover sua cabeça depois de olhar para cima. Isto pode levar mais meio segundo.
Se a tal chave tiver caído de uma altura de 24 metros acima do solo, ela está a um
metro da sua cabeça, a uma velocidade de 60 km/h, antes que você possa vê-Ia. Você
nunca saberá que tipo de surpresa pode aguardar você acima da sua cabeça, portanto,
use seu capacete de segurança.

PREVENÇÃO DE QUEDAS
Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO
As quedas ocorrem por motivos diversos e você deve ter alguns cuidados para evitar
que ela ocorram dentro da empresa. Em qualquer área da empresa o procedimento
correto é “andar” e nunca “correr”, portanto, ande sempre pelos corredores. Não corte
caminho passando entre máquinas. Se houver objetos, dispositivos ou ferramentas no
caminho, retire-os, pois podem provocar tropeções e quedas. Aberturas ou obstruções
no piso devem ser protegidas, sinalizando-as de alguma forma. Se perceber pingos de
óleo ou outros líquidos no chão, remova-os imediatamente.
Ao subir escadas, use sempre o corrimão e suba os degraus um a um. Não esqueça do
“cinturão de segurança”. Lembre-se: “Ele é obrigatório”. Não improvise escadas com
uso de caixotes, tambores, máquinas, cadeiras entre outros, pois são equipamentos
inadequados.
Quando perceber qualquer condição insegura, comunique sempre o seu superior.

ESCADAS PORTÁTEIS
Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

Toda escada a ser usada deverá estar em perfeita condição de uso, além de adequada
à altura que deve ser alcançada. Preste atenção:

A escada deve estar em ângulo correto, de forma que a distância entre sua base e a
parede seja ¼ do comprimento da escada. Exemplo: Se a escada mede 4 metros de
altura, deve ser posicionada com base a um metro da parede.
A base deve estar bem fixa ao solo, além disso, uma outra pessoa deve permanecer
segurando-a na base, enquanto a outra sobe na escada. Se esse procedimento não for
possível, a escada deve ser amarrada no ponto de apoio superior ou inferior.
Nunca coloque a base da escada sobre caixas, recipientes, equipamentos móveis. Se a
escada não alcança altura necessária, procure outra maior. Tenha cuidado ao subir e
descer da escada, permaneça sempre de frente para ela. Não ultrapasse os dois
últimos degraus e se necessário o transporte de matérias, faça-o por meio de uma
corda. Se a escada for do tipo cavalete, deve estar aberta totalmente e apoiada sobre
os quatro pés.
Se necessário o trabalho de duas pessoas, somente poderão utilizar escadas de abrir.

SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS
Fonte: Apostila de Treinamento DDS – COMPORTAMENTO

A segurança em laboratórios é de fundamental importância. Devido ao avanço


tecnológico, desenvolvimento de máquinas e equipamentos mais sofisticados,
descobertas de novos produtos Químicos, Físicos e Biológicos, cada vez mais, há o
perigo de explosão e riscos dentro dos laboratórios. Pode-se evitar dois terços destes
acidentes se os equipamentos utilizados no dia a dia forem dotados de sistema de
segurança efetivos e seus usuários tiverem o mínimo de treinamento para manuseá-
los.
Práticas de segurança são necessárias para não expor pessoas a situações perigosas,
com risco à saúde, e prevenir perda de produção com acidentes e danos, de ordem
humana e material.
Entre as causas de Acidentes em Laboratórios estão as Operações com Vidrarias,
Montagem de aparelhagens de vidro e introdução de tubos em rolhas, Choques
Térmicos em Vidrarias, Aquecimentos de Líquidos em Tubos de Ensaio, Transporte
de Vidrarias no Laboratório, Armazenagem de produtos, Queimaduras químicas.
Todas as substâncias utilizadas em laboratório são tóxicas, portanto nunca confie no
aspecto físico de uma droga. Procure conhecer suas propriedades para manipular
adequadamente. Evite distrações e não execute ações que possam envolver riscos,
quando estiver sob tensão emocional.
Em caso de queimaduras químicas enxágüe a pele por pelo menos 20 minutos em
água corrente.
Remova anéis, cintos, sapatos e roupas antes que o corpo inche. Remova a roupa
contaminada e evite que o produto químico se espalhe por outras áreas. Se os olhos
forem afetados, enxágüe em água corrente. Remova as lentes de contato
imediatamente. Procure auxílio médico imediatamente.