Você está na página 1de 8

Há o tempo das escrituras e o tempo da pessoais e, progressivamente, como resultado ✦ nas tramas do texto

Gênero:
Árvores e tempo de leitura memória, e a leitura está no meio, no inter-
valo, no diálogo. Prática enraizada na expe-
de uma série de experiências, se transforma
em um processo interno. Palavras-chave: • Compreensão global do texto a partir de
Áreas envolvidas: reprodução oral ou escrita do que foi lido
MARIA JOSÉ NÓBREGA riência humana com a linguagem, a leitura ou de respostas a questões formuladas pelo
é uma arte a ser compartilhada. Somente com uma rica convivência com ob- Temas transversais:
Público-alvo: professor em situação de leitura comparti-
jetos culturais — em ações socioculturalmente lhada.
A compreensão de um texto resulta do res- determinadas e abertas à multiplicidade dos • Apreciação dos recursos expressivos em-
O que é, o que é,
gate de muitos outros discursos por meio da modos de ler, presentes nas diversas situações pregados na obra.
Uma árvore bem frondosa PROPOSTAS DE ATIVIDADES
Doze galhos, simplesmente memória. É preciso que os acontecimentos ou comunicativas — é que a leitura se converte em • Identificação e avaliação dos pontos de
Cada galho, trinta frutas os saberes saiam do limbo e interajam com as uma experiência significativa para os alunos. vista sustentados pelo autor.
palavras. Mas a memória não funciona como Porque ser leitor é inscrever-se em uma comu- a) antes da leitura • Discussão de diferentes pontos de vista e
Com vinte e quatro sementes?1
o disco rígido de um computador em que nidade de leitores que discute os textos lidos, Os sentidos que atribuímos ao que se lê opiniões diante de questões polêmicas.
se salvam arquivos; é um espaço movediço, troca impressões e apresenta sugestões para dependem, e muito, de nossas experiências • Produção de outros textos verbais ou ainda
PEDRO BANDEIRA cheio de conflitos e deslocamentos. novas leituras. anteriores em relação à temática explorada de trabalhos que contemplem as diferentes lin-
guagens artísticas: teatro, música, artes plásticas
Enigmas e adivinhas convidam à decifra- Alegórica árvore do tempo… pelo texto, bem como de nossa familiaridade
Trilhar novas veredas é o desafio; transfor- com a prática leitora. As atividades sugeridas etc.
Empregar estratégias de leitura e descobrir
Pânico na Escola ção: “trouxeste a chave?”.
Encaremos o desafio: trata-se de uma
A adivinha que lemos, como todo e qual-
quer texto, inscreve-se, necessariamente, em
quais são as mais adequadas para uma de- mar a escola numa comunidade de leitores é neste item favorecem a ativação dos conhe-
cimentos prévios necessários à compreensão ✦ nas telas do cinema
terminada situação constituem um processo o horizonte que vislumbramos.
árvore bem frondosa, que tem doze galhos, um gênero socialmente construído e tem, e interpretação do escrito.
portanto, uma relação com a exteriorida- que, inicialmente, se produz como atividade • Indicação de filmes, disponíveis em DVD,
que têm trinta frutas, que têm vinte e qua- externa. Depois, no plano das relações inter- Depende de nós. que tenham alguma articulação com a obra
tro sementes: cada verso introduz uma nova de que determina as leituras possíveis. O • Explicitação dos conhecimentos prévios
espaço da interpretação é regulado tanto necessários à compreensão do texto. analisada, tanto em relação à temática como
informação que se encaixa na anterior. à estrutura composicional.
pela organização do próprio texto quanto __________ • Antecipação de conteúdos tratados no texto
Leitor fluente — 6o e 7o anos do Ensino Fundamental Quantos galhos tem a árvore frondosa? pela memória interdiscursiva, que é social, In Meu livro de folclore, Ricardo Azevedo, Editora Ática. a partir da observação de indicadores como
1
2
A Bíblia de Jerusalém, Gênesis, capítulo 2, versículos 9 e 10, 16 e 17.
Quantas frutas tem cada galho? Quantas histórica e cultural. Em lugar de pensar que título da obra ou dos capítulos, capa, ilustração, ✦ nas ondas do som
sementes tem cada fruta? A resposta a cada a cada texto corresponde uma única leitura, informações presentes na quarta capa etc.
• Explicitação dos conteúdos da obra a partir • Indicação de obras musicais que tenham
uma dessas questões não revela o enigma. Se é preferível pensar que há tensão entre uma
dos indicadores observados. alguma relação com a temática ou estrutura
for familiarizado com charadas, o leitor sabe leitura unívoca e outra dialógica.
da obra analisada.
que nem sempre uma árvore é uma árvore, Um texto sempre se relaciona com outros
um galho é um galho, uma fruta é uma fruta, DESCRIÇÃO DO PROJETO DE LEITURA pertence, analisando a temática, a perspec- b) durante a leitura
produzidos antes ou depois dele: não há como ✦ nos enredos do real
uma semente é uma semente… Traiçoeira, a ler fora de uma perspectiva interdiscursiva. tiva com que é abordada, sua organização São apresentados alguns objetivos orienta-
PROJETO DE LEITURA árvore frondosa agita seus galhos, entorpece- UM POUCO SOBRE O AUTOR estrutural e certos recursos expressivos em- dores para a leitura, focalizando aspectos • Ampliação do trabalho para a pesquisa de
-nos com o aroma das frutas, intriga-nos com Retornemos à sombra da frondosa árvore pregados pelo autor. que auxiliem a construção dos sentidos do informações complementares numa dimen-
Coordenação: Maria José Nóbrega as possibilidades ocultas nas sementes. — a árvore do tempo — e contemplemos Procuramos contextualizar o autor e sua obra Com esses elementos, o professor irá iden- texto pelo leitor. são interdisciplinar.
Elaboração: Luísa Nóbrega outras árvores: no panorama da literatura brasileira para tificar os conteúdos das diferentes áreas do
O que é, o que é? jovens e adultos. • Leitura global do texto. DICAS DE LEITURA
Deus fez crescer do solo toda conhecimento que poderão ser abordados,
Apegar-se apenas às palavras, às vezes, é os temas que poderão ser discutidos e os • Caracterização da estrutura do texto.
espécie de árvores formosas de ver • Identificação das articulações temporais e
deixar escapar o sentido que se insinua nas RESENHA recursos linguísticos que poderão ser explo- Sugestões de outros livros relacionados de
e boas de comer, e a árvore da vida lógicas responsáveis pela coesão textual. alguma maneira ao que está sendo lido, esti-
ramagens, mas que não está ali. no meio do jardim, e a árvore do rados para ampliar a competência leitora e
Que árvore é essa? Símbolo da vida, ao Apresentamos uma síntese da obra para escritora dos alunos. • Apreciação de recursos expressivos empre- mulando o desejo de enredar-se nas veredas
conhecimento do bem e do mal. (…) gados pelo autor. literárias e ler mais:
mesmo tempo que se alonga num percurso que o professor, antecipando a temática, o
E Deus deu ao homem este manda-
vertical rumo ao céu, mergulha suas raízes na enredo e seu desenvolvimento, possa avaliar QUADRO-SÍNTESE
mento: “Podes comer de todas as c) depois da leitura ◗ do mesmo autor;
terra. Cíclica, despe-se das folhas, abre-se em a pertinência da adoção, levando em conta
árvores do jardim. Mas da árvore do ◗ sobre o mesmo assunto e gênero;
flores, que escondem frutos, que protegem as possibilidades e necessidades de seus O quadro-síntese permite uma visualização São propostas atividades para permitir melhor
conhecimento do bem e do mal não ◗ leitura de desafio.
sementes, que ocultam coisas futuras. alunos. rápida de alguns dados a respeito da obra compreensão e interpretação da obra, indican-
comerás, porque no dia em que dela
comeres terás de morrer”.2 e de seu tratamento didático: a indicação do, quando for o caso, a pesquisa de assuntos Indicação de título que se imagina além do
“Decifra-me ou te devoro.” COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA do gênero, das palavras-chave, das áreas e relacionados aos conteúdos das diversas áreas grau de autonomia do leitor virtual da obra
Qual a resposta? Vamos a ela: os anos, que Ah, essas árvores e esses frutos, o temas transversais envolvidos nas atividades curriculares, bem como a reflexão a respeito analisada, com a finalidade de ampliar o
se desdobram em meses, que se aceleram em desejo de conhecer, tão caro ao ser hu- Apontamos alguns aspectos da obra, consi- propostas; sugestão de leitor presumido para de temas que permitam a inserção do aluno no horizonte de expectativas do aluno-leitor,
dias, que escorrem em horas. mano… derando as características do gênero a que a obra em questão. debate de questões contemporâneas. encaminhando-o para a literatura adulta.

2 3 4

Enc Parte Comum.indd 1 7/16/13 8:15 AM


Há o tempo das escrituras e o tempo da pessoais e, progressivamente, como resultado ✦ nas tramas do texto
Gênero:
Árvores e tempo de leitura memória, e a leitura está no meio, no inter-
valo, no diálogo. Prática enraizada na expe-
de uma série de experiências, se transforma
em um processo interno. Palavras-chave: • Compreensão global do texto a partir de
Áreas envolvidas: reprodução oral ou escrita do que foi lido
MARIA JOSÉ NÓBREGA riência humana com a linguagem, a leitura ou de respostas a questões formuladas pelo
é uma arte a ser compartilhada. Somente com uma rica convivência com ob- Temas transversais:
Público-alvo: professor em situação de leitura comparti-
jetos culturais — em ações socioculturalmente lhada.
A compreensão de um texto resulta do res- determinadas e abertas à multiplicidade dos • Apreciação dos recursos expressivos em-
O que é, o que é,
gate de muitos outros discursos por meio da modos de ler, presentes nas diversas situações pregados na obra.
Uma árvore bem frondosa PROPOSTAS DE ATIVIDADES
Doze galhos, simplesmente memória. É preciso que os acontecimentos ou comunicativas — é que a leitura se converte em • Identificação e avaliação dos pontos de
Cada galho, trinta frutas os saberes saiam do limbo e interajam com as uma experiência significativa para os alunos. vista sustentados pelo autor.
palavras. Mas a memória não funciona como Porque ser leitor é inscrever-se em uma comu- a) antes da leitura • Discussão de diferentes pontos de vista e
Com vinte e quatro sementes?1
o disco rígido de um computador em que nidade de leitores que discute os textos lidos, Os sentidos que atribuímos ao que se lê opiniões diante de questões polêmicas.
se salvam arquivos; é um espaço movediço, troca impressões e apresenta sugestões para dependem, e muito, de nossas experiências • Produção de outros textos verbais ou ainda
PEDRO BANDEIRA cheio de conflitos e deslocamentos. novas leituras. anteriores em relação à temática explorada de trabalhos que contemplem as diferentes lin-
guagens artísticas: teatro, música, artes plásticas
Enigmas e adivinhas convidam à decifra- Alegórica árvore do tempo… pelo texto, bem como de nossa familiaridade
Trilhar novas veredas é o desafio; transfor- com a prática leitora. As atividades sugeridas etc.
Empregar estratégias de leitura e descobrir
Pânico na Escola ção: “trouxeste a chave?”.
Encaremos o desafio: trata-se de uma
A adivinha que lemos, como todo e qual-
quer texto, inscreve-se, necessariamente, em
quais são as mais adequadas para uma de- mar a escola numa comunidade de leitores é neste item favorecem a ativação dos conhe-
cimentos prévios necessários à compreensão ✦ nas telas do cinema
terminada situação constituem um processo o horizonte que vislumbramos.
árvore bem frondosa, que tem doze galhos, um gênero socialmente construído e tem, e interpretação do escrito.
portanto, uma relação com a exteriorida- que, inicialmente, se produz como atividade • Indicação de filmes, disponíveis em DVD,
que têm trinta frutas, que têm vinte e qua- externa. Depois, no plano das relações inter- Depende de nós. que tenham alguma articulação com a obra
tro sementes: cada verso introduz uma nova de que determina as leituras possíveis. O • Explicitação dos conhecimentos prévios
espaço da interpretação é regulado tanto necessários à compreensão do texto. analisada, tanto em relação à temática como
informação que se encaixa na anterior. à estrutura composicional.
pela organização do próprio texto quanto __________ • Antecipação de conteúdos tratados no texto
Leitor fluente — 6o e 7o anos do Ensino Fundamental Quantos galhos tem a árvore frondosa? pela memória interdiscursiva, que é social, In Meu livro de folclore, Ricardo Azevedo, Editora Ática. a partir da observação de indicadores como
1
2
A Bíblia de Jerusalém, Gênesis, capítulo 2, versículos 9 e 10, 16 e 17.
Quantas frutas tem cada galho? Quantas histórica e cultural. Em lugar de pensar que título da obra ou dos capítulos, capa, ilustração, ✦ nas ondas do som
sementes tem cada fruta? A resposta a cada a cada texto corresponde uma única leitura, informações presentes na quarta capa etc.
• Explicitação dos conteúdos da obra a partir • Indicação de obras musicais que tenham
uma dessas questões não revela o enigma. Se é preferível pensar que há tensão entre uma
dos indicadores observados. alguma relação com a temática ou estrutura
for familiarizado com charadas, o leitor sabe leitura unívoca e outra dialógica.
da obra analisada.
que nem sempre uma árvore é uma árvore, Um texto sempre se relaciona com outros
um galho é um galho, uma fruta é uma fruta, DESCRIÇÃO DO PROJETO DE LEITURA pertence, analisando a temática, a perspec- b) durante a leitura
produzidos antes ou depois dele: não há como ✦ nos enredos do real
uma semente é uma semente… Traiçoeira, a ler fora de uma perspectiva interdiscursiva. tiva com que é abordada, sua organização São apresentados alguns objetivos orienta-
PROJETO DE LEITURA árvore frondosa agita seus galhos, entorpece- UM POUCO SOBRE O AUTOR estrutural e certos recursos expressivos em- dores para a leitura, focalizando aspectos • Ampliação do trabalho para a pesquisa de
-nos com o aroma das frutas, intriga-nos com Retornemos à sombra da frondosa árvore pregados pelo autor. que auxiliem a construção dos sentidos do informações complementares numa dimen-
Coordenação: Maria José Nóbrega as possibilidades ocultas nas sementes. — a árvore do tempo — e contemplemos Procuramos contextualizar o autor e sua obra Com esses elementos, o professor irá iden- texto pelo leitor. são interdisciplinar.
Elaboração: Luísa Nóbrega outras árvores: no panorama da literatura brasileira para tificar os conteúdos das diferentes áreas do
O que é, o que é? jovens e adultos. • Leitura global do texto. DICAS DE LEITURA
Deus fez crescer do solo toda conhecimento que poderão ser abordados,
Apegar-se apenas às palavras, às vezes, é os temas que poderão ser discutidos e os • Caracterização da estrutura do texto.
espécie de árvores formosas de ver • Identificação das articulações temporais e
deixar escapar o sentido que se insinua nas RESENHA recursos linguísticos que poderão ser explo- Sugestões de outros livros relacionados de
e boas de comer, e a árvore da vida lógicas responsáveis pela coesão textual. alguma maneira ao que está sendo lido, esti-
ramagens, mas que não está ali. no meio do jardim, e a árvore do rados para ampliar a competência leitora e
Que árvore é essa? Símbolo da vida, ao Apresentamos uma síntese da obra para escritora dos alunos. • Apreciação de recursos expressivos empre- mulando o desejo de enredar-se nas veredas
conhecimento do bem e do mal. (…) gados pelo autor. literárias e ler mais:
mesmo tempo que se alonga num percurso que o professor, antecipando a temática, o
E Deus deu ao homem este manda-
vertical rumo ao céu, mergulha suas raízes na enredo e seu desenvolvimento, possa avaliar QUADRO-SÍNTESE
mento: “Podes comer de todas as c) depois da leitura ◗ do mesmo autor;
terra. Cíclica, despe-se das folhas, abre-se em a pertinência da adoção, levando em conta
árvores do jardim. Mas da árvore do ◗ sobre o mesmo assunto e gênero;
flores, que escondem frutos, que protegem as possibilidades e necessidades de seus O quadro-síntese permite uma visualização São propostas atividades para permitir melhor
conhecimento do bem e do mal não ◗ leitura de desafio.
sementes, que ocultam coisas futuras. alunos. rápida de alguns dados a respeito da obra compreensão e interpretação da obra, indican-
comerás, porque no dia em que dela
comeres terás de morrer”.2 e de seu tratamento didático: a indicação do, quando for o caso, a pesquisa de assuntos Indicação de título que se imagina além do
“Decifra-me ou te devoro.” COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA do gênero, das palavras-chave, das áreas e relacionados aos conteúdos das diversas áreas grau de autonomia do leitor virtual da obra
Qual a resposta? Vamos a ela: os anos, que Ah, essas árvores e esses frutos, o temas transversais envolvidos nas atividades curriculares, bem como a reflexão a respeito analisada, com a finalidade de ampliar o
se desdobram em meses, que se aceleram em desejo de conhecer, tão caro ao ser hu- Apontamos alguns aspectos da obra, consi- propostas; sugestão de leitor presumido para de temas que permitam a inserção do aluno no horizonte de expectativas do aluno-leitor,
dias, que escorrem em horas. mano… derando as características do gênero a que a obra em questão. debate de questões contemporâneas. encaminhando-o para a literatura adulta.

2 3 4

Enc Parte Comum.indd 1 7/16/13 8:15 AM


Há o tempo das escrituras e o tempo da pessoais e, progressivamente, como resultado ✦ nas tramas do texto
Gênero:
Árvores e tempo de leitura memória, e a leitura está no meio, no inter-
valo, no diálogo. Prática enraizada na expe-
de uma série de experiências, se transforma
em um processo interno. Palavras-chave: • Compreensão global do texto a partir de
Áreas envolvidas: reprodução oral ou escrita do que foi lido
MARIA JOSÉ NÓBREGA riência humana com a linguagem, a leitura ou de respostas a questões formuladas pelo
é uma arte a ser compartilhada. Somente com uma rica convivência com ob- Temas transversais:
Público-alvo: professor em situação de leitura comparti-
jetos culturais — em ações socioculturalmente lhada.
A compreensão de um texto resulta do res- determinadas e abertas à multiplicidade dos • Apreciação dos recursos expressivos em-
O que é, o que é,
gate de muitos outros discursos por meio da modos de ler, presentes nas diversas situações pregados na obra.
Uma árvore bem frondosa PROPOSTAS DE ATIVIDADES
Doze galhos, simplesmente memória. É preciso que os acontecimentos ou comunicativas — é que a leitura se converte em • Identificação e avaliação dos pontos de
Cada galho, trinta frutas os saberes saiam do limbo e interajam com as uma experiência significativa para os alunos. vista sustentados pelo autor.
palavras. Mas a memória não funciona como Porque ser leitor é inscrever-se em uma comu- a) antes da leitura • Discussão de diferentes pontos de vista e
Com vinte e quatro sementes?1
o disco rígido de um computador em que nidade de leitores que discute os textos lidos, Os sentidos que atribuímos ao que se lê opiniões diante de questões polêmicas.
se salvam arquivos; é um espaço movediço, troca impressões e apresenta sugestões para dependem, e muito, de nossas experiências • Produção de outros textos verbais ou ainda
PEDRO BANDEIRA cheio de conflitos e deslocamentos. novas leituras. anteriores em relação à temática explorada de trabalhos que contemplem as diferentes lin-
guagens artísticas: teatro, música, artes plásticas
Enigmas e adivinhas convidam à decifra- Alegórica árvore do tempo… pelo texto, bem como de nossa familiaridade
Trilhar novas veredas é o desafio; transfor- com a prática leitora. As atividades sugeridas etc.
Empregar estratégias de leitura e descobrir
Pânico na Escola ção: “trouxeste a chave?”.
Encaremos o desafio: trata-se de uma
A adivinha que lemos, como todo e qual-
quer texto, inscreve-se, necessariamente, em
quais são as mais adequadas para uma de- mar a escola numa comunidade de leitores é neste item favorecem a ativação dos conhe-
cimentos prévios necessários à compreensão ✦ nas telas do cinema
terminada situação constituem um processo o horizonte que vislumbramos.
árvore bem frondosa, que tem doze galhos, um gênero socialmente construído e tem, e interpretação do escrito.
portanto, uma relação com a exteriorida- que, inicialmente, se produz como atividade • Indicação de filmes, disponíveis em DVD,
que têm trinta frutas, que têm vinte e qua- externa. Depois, no plano das relações inter- Depende de nós. que tenham alguma articulação com a obra
tro sementes: cada verso introduz uma nova de que determina as leituras possíveis. O • Explicitação dos conhecimentos prévios
espaço da interpretação é regulado tanto necessários à compreensão do texto. analisada, tanto em relação à temática como
informação que se encaixa na anterior. à estrutura composicional.
pela organização do próprio texto quanto __________ • Antecipação de conteúdos tratados no texto
Leitor fluente — 6o e 7o anos do Ensino Fundamental Quantos galhos tem a árvore frondosa? pela memória interdiscursiva, que é social, In Meu livro de folclore, Ricardo Azevedo, Editora Ática. a partir da observação de indicadores como
1
2
A Bíblia de Jerusalém, Gênesis, capítulo 2, versículos 9 e 10, 16 e 17.
Quantas frutas tem cada galho? Quantas histórica e cultural. Em lugar de pensar que título da obra ou dos capítulos, capa, ilustração, ✦ nas ondas do som
sementes tem cada fruta? A resposta a cada a cada texto corresponde uma única leitura, informações presentes na quarta capa etc.
• Explicitação dos conteúdos da obra a partir • Indicação de obras musicais que tenham
uma dessas questões não revela o enigma. Se é preferível pensar que há tensão entre uma
dos indicadores observados. alguma relação com a temática ou estrutura
for familiarizado com charadas, o leitor sabe leitura unívoca e outra dialógica.
da obra analisada.
que nem sempre uma árvore é uma árvore, Um texto sempre se relaciona com outros
um galho é um galho, uma fruta é uma fruta, DESCRIÇÃO DO PROJETO DE LEITURA pertence, analisando a temática, a perspec- b) durante a leitura
produzidos antes ou depois dele: não há como ✦ nos enredos do real
uma semente é uma semente… Traiçoeira, a ler fora de uma perspectiva interdiscursiva. tiva com que é abordada, sua organização São apresentados alguns objetivos orienta-
PROJETO DE LEITURA árvore frondosa agita seus galhos, entorpece- UM POUCO SOBRE O AUTOR estrutural e certos recursos expressivos em- dores para a leitura, focalizando aspectos • Ampliação do trabalho para a pesquisa de
-nos com o aroma das frutas, intriga-nos com Retornemos à sombra da frondosa árvore pregados pelo autor. que auxiliem a construção dos sentidos do informações complementares numa dimen-
Coordenação: Maria José Nóbrega as possibilidades ocultas nas sementes. — a árvore do tempo — e contemplemos Procuramos contextualizar o autor e sua obra Com esses elementos, o professor irá iden- texto pelo leitor. são interdisciplinar.
Elaboração: Luísa Nóbrega outras árvores: no panorama da literatura brasileira para tificar os conteúdos das diferentes áreas do
O que é, o que é? jovens e adultos. • Leitura global do texto. DICAS DE LEITURA
Deus fez crescer do solo toda conhecimento que poderão ser abordados,
Apegar-se apenas às palavras, às vezes, é os temas que poderão ser discutidos e os • Caracterização da estrutura do texto.
espécie de árvores formosas de ver • Identificação das articulações temporais e
deixar escapar o sentido que se insinua nas RESENHA recursos linguísticos que poderão ser explo- Sugestões de outros livros relacionados de
e boas de comer, e a árvore da vida lógicas responsáveis pela coesão textual. alguma maneira ao que está sendo lido, esti-
ramagens, mas que não está ali. no meio do jardim, e a árvore do rados para ampliar a competência leitora e
Que árvore é essa? Símbolo da vida, ao Apresentamos uma síntese da obra para escritora dos alunos. • Apreciação de recursos expressivos empre- mulando o desejo de enredar-se nas veredas
conhecimento do bem e do mal. (…) gados pelo autor. literárias e ler mais:
mesmo tempo que se alonga num percurso que o professor, antecipando a temática, o
E Deus deu ao homem este manda-
vertical rumo ao céu, mergulha suas raízes na enredo e seu desenvolvimento, possa avaliar QUADRO-SÍNTESE
mento: “Podes comer de todas as c) depois da leitura ◗ do mesmo autor;
terra. Cíclica, despe-se das folhas, abre-se em a pertinência da adoção, levando em conta
árvores do jardim. Mas da árvore do ◗ sobre o mesmo assunto e gênero;
flores, que escondem frutos, que protegem as possibilidades e necessidades de seus O quadro-síntese permite uma visualização São propostas atividades para permitir melhor
conhecimento do bem e do mal não ◗ leitura de desafio.
sementes, que ocultam coisas futuras. alunos. rápida de alguns dados a respeito da obra compreensão e interpretação da obra, indican-
comerás, porque no dia em que dela
comeres terás de morrer”.2 e de seu tratamento didático: a indicação do, quando for o caso, a pesquisa de assuntos Indicação de título que se imagina além do
“Decifra-me ou te devoro.” COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA do gênero, das palavras-chave, das áreas e relacionados aos conteúdos das diversas áreas grau de autonomia do leitor virtual da obra
Qual a resposta? Vamos a ela: os anos, que Ah, essas árvores e esses frutos, o temas transversais envolvidos nas atividades curriculares, bem como a reflexão a respeito analisada, com a finalidade de ampliar o
se desdobram em meses, que se aceleram em desejo de conhecer, tão caro ao ser hu- Apontamos alguns aspectos da obra, consi- propostas; sugestão de leitor presumido para de temas que permitam a inserção do aluno no horizonte de expectativas do aluno-leitor,
dias, que escorrem em horas. mano… derando as características do gênero a que a obra em questão. debate de questões contemporâneas. encaminhando-o para a literatura adulta.

2 3 4

Enc Parte Comum.indd 1 7/16/13 8:15 AM


Há o tempo das escrituras e o tempo da pessoais e, progressivamente, como resultado ✦ nas tramas do texto
Gênero:
Árvores e tempo de leitura memória, e a leitura está no meio, no inter-
valo, no diálogo. Prática enraizada na expe-
de uma série de experiências, se transforma
em um processo interno. Palavras-chave: • Compreensão global do texto a partir de
Áreas envolvidas: reprodução oral ou escrita do que foi lido
MARIA JOSÉ NÓBREGA riência humana com a linguagem, a leitura ou de respostas a questões formuladas pelo
é uma arte a ser compartilhada. Somente com uma rica convivência com ob- Temas transversais:
Público-alvo: professor em situação de leitura comparti-
jetos culturais — em ações socioculturalmente lhada.
A compreensão de um texto resulta do res- determinadas e abertas à multiplicidade dos • Apreciação dos recursos expressivos em-
O que é, o que é,
gate de muitos outros discursos por meio da modos de ler, presentes nas diversas situações pregados na obra.
Uma árvore bem frondosa PROPOSTAS DE ATIVIDADES
Doze galhos, simplesmente memória. É preciso que os acontecimentos ou comunicativas — é que a leitura se converte em • Identificação e avaliação dos pontos de
Cada galho, trinta frutas os saberes saiam do limbo e interajam com as uma experiência significativa para os alunos. vista sustentados pelo autor.
palavras. Mas a memória não funciona como Porque ser leitor é inscrever-se em uma comu- a) antes da leitura • Discussão de diferentes pontos de vista e
Com vinte e quatro sementes?1
o disco rígido de um computador em que nidade de leitores que discute os textos lidos, Os sentidos que atribuímos ao que se lê opiniões diante de questões polêmicas.
se salvam arquivos; é um espaço movediço, troca impressões e apresenta sugestões para dependem, e muito, de nossas experiências • Produção de outros textos verbais ou ainda
PEDRO BANDEIRA cheio de conflitos e deslocamentos. novas leituras. anteriores em relação à temática explorada de trabalhos que contemplem as diferentes lin-
guagens artísticas: teatro, música, artes plásticas
Enigmas e adivinhas convidam à decifra- Alegórica árvore do tempo… pelo texto, bem como de nossa familiaridade
Trilhar novas veredas é o desafio; transfor- com a prática leitora. As atividades sugeridas etc.
Empregar estratégias de leitura e descobrir
Pânico na Escola ção: “trouxeste a chave?”.
Encaremos o desafio: trata-se de uma
A adivinha que lemos, como todo e qual-
quer texto, inscreve-se, necessariamente, em
quais são as mais adequadas para uma de- mar a escola numa comunidade de leitores é neste item favorecem a ativação dos conhe-
cimentos prévios necessários à compreensão ✦ nas telas do cinema
terminada situação constituem um processo o horizonte que vislumbramos.
árvore bem frondosa, que tem doze galhos, um gênero socialmente construído e tem, e interpretação do escrito.
portanto, uma relação com a exteriorida- que, inicialmente, se produz como atividade • Indicação de filmes, disponíveis em DVD,
que têm trinta frutas, que têm vinte e qua- externa. Depois, no plano das relações inter- Depende de nós. que tenham alguma articulação com a obra
tro sementes: cada verso introduz uma nova de que determina as leituras possíveis. O • Explicitação dos conhecimentos prévios
espaço da interpretação é regulado tanto necessários à compreensão do texto. analisada, tanto em relação à temática como
informação que se encaixa na anterior. à estrutura composicional.
pela organização do próprio texto quanto __________ • Antecipação de conteúdos tratados no texto
Leitor fluente — 6o e 7o anos do Ensino Fundamental Quantos galhos tem a árvore frondosa? pela memória interdiscursiva, que é social, In Meu livro de folclore, Ricardo Azevedo, Editora Ática. a partir da observação de indicadores como
1
2
A Bíblia de Jerusalém, Gênesis, capítulo 2, versículos 9 e 10, 16 e 17.
Quantas frutas tem cada galho? Quantas histórica e cultural. Em lugar de pensar que título da obra ou dos capítulos, capa, ilustração, ✦ nas ondas do som
sementes tem cada fruta? A resposta a cada a cada texto corresponde uma única leitura, informações presentes na quarta capa etc.
• Explicitação dos conteúdos da obra a partir • Indicação de obras musicais que tenham
uma dessas questões não revela o enigma. Se é preferível pensar que há tensão entre uma
dos indicadores observados. alguma relação com a temática ou estrutura
for familiarizado com charadas, o leitor sabe leitura unívoca e outra dialógica.
da obra analisada.
que nem sempre uma árvore é uma árvore, Um texto sempre se relaciona com outros
um galho é um galho, uma fruta é uma fruta, DESCRIÇÃO DO PROJETO DE LEITURA pertence, analisando a temática, a perspec- b) durante a leitura
produzidos antes ou depois dele: não há como ✦ nos enredos do real
uma semente é uma semente… Traiçoeira, a ler fora de uma perspectiva interdiscursiva. tiva com que é abordada, sua organização São apresentados alguns objetivos orienta-
PROJETO DE LEITURA árvore frondosa agita seus galhos, entorpece- UM POUCO SOBRE O AUTOR estrutural e certos recursos expressivos em- dores para a leitura, focalizando aspectos • Ampliação do trabalho para a pesquisa de
-nos com o aroma das frutas, intriga-nos com Retornemos à sombra da frondosa árvore pregados pelo autor. que auxiliem a construção dos sentidos do informações complementares numa dimen-
Coordenação: Maria José Nóbrega as possibilidades ocultas nas sementes. — a árvore do tempo — e contemplemos Procuramos contextualizar o autor e sua obra Com esses elementos, o professor irá iden- texto pelo leitor. são interdisciplinar.
Elaboração: Luísa Nóbrega outras árvores: no panorama da literatura brasileira para tificar os conteúdos das diferentes áreas do
O que é, o que é? jovens e adultos. • Leitura global do texto. DICAS DE LEITURA
Deus fez crescer do solo toda conhecimento que poderão ser abordados,
Apegar-se apenas às palavras, às vezes, é os temas que poderão ser discutidos e os • Caracterização da estrutura do texto.
espécie de árvores formosas de ver • Identificação das articulações temporais e
deixar escapar o sentido que se insinua nas RESENHA recursos linguísticos que poderão ser explo- Sugestões de outros livros relacionados de
e boas de comer, e a árvore da vida lógicas responsáveis pela coesão textual. alguma maneira ao que está sendo lido, esti-
ramagens, mas que não está ali. no meio do jardim, e a árvore do rados para ampliar a competência leitora e
Que árvore é essa? Símbolo da vida, ao Apresentamos uma síntese da obra para escritora dos alunos. • Apreciação de recursos expressivos empre- mulando o desejo de enredar-se nas veredas
conhecimento do bem e do mal. (…) gados pelo autor. literárias e ler mais:
mesmo tempo que se alonga num percurso que o professor, antecipando a temática, o
E Deus deu ao homem este manda-
vertical rumo ao céu, mergulha suas raízes na enredo e seu desenvolvimento, possa avaliar QUADRO-SÍNTESE
mento: “Podes comer de todas as c) depois da leitura ◗ do mesmo autor;
terra. Cíclica, despe-se das folhas, abre-se em a pertinência da adoção, levando em conta
árvores do jardim. Mas da árvore do ◗ sobre o mesmo assunto e gênero;
flores, que escondem frutos, que protegem as possibilidades e necessidades de seus O quadro-síntese permite uma visualização São propostas atividades para permitir melhor
conhecimento do bem e do mal não ◗ leitura de desafio.
sementes, que ocultam coisas futuras. alunos. rápida de alguns dados a respeito da obra compreensão e interpretação da obra, indican-
comerás, porque no dia em que dela
comeres terás de morrer”.2 e de seu tratamento didático: a indicação do, quando for o caso, a pesquisa de assuntos Indicação de título que se imagina além do
“Decifra-me ou te devoro.” COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA do gênero, das palavras-chave, das áreas e relacionados aos conteúdos das diversas áreas grau de autonomia do leitor virtual da obra
Qual a resposta? Vamos a ela: os anos, que Ah, essas árvores e esses frutos, o temas transversais envolvidos nas atividades curriculares, bem como a reflexão a respeito analisada, com a finalidade de ampliar o
se desdobram em meses, que se aceleram em desejo de conhecer, tão caro ao ser hu- Apontamos alguns aspectos da obra, consi- propostas; sugestão de leitor presumido para de temas que permitam a inserção do aluno no horizonte de expectativas do aluno-leitor,
dias, que escorrem em horas. mano… derando as características do gênero a que a obra em questão. debate de questões contemporâneas. encaminhando-o para a literatura adulta.

2 3 4

Enc Parte Comum.indd 1 7/16/13 8:15 AM


que lhe ensinara a rodar pião quando era meni- 4. Chame a atenção para as páginas de 6 e 9, em reivindicações do movimento negro no país, index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_ LEIA MAIS... ◗ do mesmo assunto
no. Quem não sabe que a prisão não é espaço de que vemos a apresentação de cada um dos per- finalmente se admitiu com todas as letras que id=10363. Crianças na escuridão, de Júlio Emílio Braz. São
reabilitação, mas uma escola de brutalidade, um sonagens acompanhada de um pequeno texto. o Brasil é sim um país racista e que o racismo 6. Na narrativa de Pedro Bandeira, a atuação ◗ do mesmo autor Paulo: Moderna.
espaço de desumanização? O que é possível deduzir de cada personagem a encontra-se profundamente arraigado na estru- ousada da repórter Selene contribui para que a Anjo da morte. São Paulo: Moderna. Moleques de rua, de Roberto Freire. São Paulo:
Em Pânico na escola, Pedro Bandeira constrói uma partir dessa breve apresentação? tura social do país que começa a tomar medidas situação seja resolvida de modo menos trágico. De A droga da obediência. São Paulo: Moderna. Moderna.
narrativa com elementos realistas, que tocam em 5. Leia a seção “Autor e obra” para que saibam afirmativas para transformar a situação, como fato, a ação da mídia costuma ser determinante Droga de americana! São Paulo: Moderna. O diário da rua, de Esmeralda Ortiz. São Paulo:
alguns pontos delicados da situação sociopolítica um pouco mais a respeito da trajetória de Pedro a polêmica política das cotas em Universidades em casos como esse, mas poucas vezes de maneira A droga do amor. São Paulo: Moderna. Salamandra.
do país: a desigualdade social, a precariedade da Bandeira. Federais. Tais ações levam em conta um dos as- justa e/ou benéfica. Assista com os alunos ao filme
escola pública, a influência do tráfico na comuni- pectos mais graves da questão, tratada na narra- Ônibus 174, de José Padilha, que documenta o
dade, a desumanidade do sistema penitenciário, Durante a leitura tiva de Pedro Bandeira: o racismo institucional, episódio do sequestro de um ônibus por Sandro
a brutalidade da polícia etc. Ao mesmo tempo que que permeia órgãos como a mídia, a polícia e o Nascimento, sobrevivente da Chacina da Cande-
a violência dá o tom dos acontecimentos, o autor 1. Os capítulos do livro se sucedem uns aos outros sistema penitenciário – personificado, no livro, lária, no Rio de Janeiro. Em seguida, discuta com
tenta apontar para algumas possibilidades de de modo quase televisivo e/ou cinematográfico: na figura perversa do Major Rosas. Discuta com a turma a respeito do filme: como a cobertura
diálogo e alento em meio à brutalidade – a es- há cortes bruscos e alternância de cenários e nú- os alunos a respeito do assunto. De que maneira da mídia interfere nos acontecimentos (e muitas
perança, para ele, encontra-se não propriamente cleos de personagem. Proponha que os alunos eles percebem a presença do racismo no cotidia- vezes os distorce)?
PEDRO BANDEIRA nas instituições, mas sim na atuação dos jovens e
da mídia independente.
procurem reconhecer, a cada início de capítulo,
as indicações de lugar e de ponto de vista.
no? Traga para eles dados estatísticos e material
a respeito do assunto. No link http://www.ghc.
7. O protagonista do livro, Edu, sonha em ser
artista, admira os mestres da pintura clássica,
2. O livro trata de questões sociais bastante deli- com.br/portalrh/ é possível baixar o Guia de en- as variações de cor, e pensa em pintar grandes
Pânico na escola QUADRO-SÍNTESE
cadas, como o racismo, o preconceito de classe, a
precariedade do sistema penitenciário brasilei-
frentamento do racismo institucional preparado
por organizações de apoio às minorias.
quadros quando tiver dinheiro suficiente para
comprar tinta a óleo. Ora, se prosseguir no seu
ro, a brutalidade da polícia. Peça que atentem 3. O racismo encontra-se tão entremeado à estru- interesse pela arte, pode ser que em algum
Gênero: novela policial. para as passagens em que essas questões são tura da sociedade brasileira por conta da nossa momento Edu se depare com as múltiplas pos-
Leitor fluente — 6 e 7 anos do Ensino Fundamental
o o
Palavras-chave: violência, drogas, criminalida- abordadas. história fortemente marcada pela escravidão. O sibilidades de criação da arte contemporânea,
de, racismo. 3. Uma outra questão colocada pelo autor é o Brasil foi o país que mais recebeu escravos vin- que não se limitam ao objetivo de criar belas
Áreas envolvidas: Língua Portuguesa, História, papel determinante da mídia nas relações entre os dos da África e foi o último da América Latina obras, mas inovam nos formatos e abrem a
Geografia. criminosos e a polícia. Alguma situação do livro os a abolir a escravidão. A própria abolição da es- possibilidade de um discurso crítico. Apresente
Temas transversais: ética, pluralidade cultural. fez pensar em algum episódio recente que tenha cravatura, no modo como se deu no país, foi um aos alunos o trabalho do mineiro Paulo Naza-
Público-alvo: 6o e 7o anos do Ensino Funda- ocupado o noticiário televisivo? episódio no mínimo desastroso: a imensa parcela reth, um dos artistas brasileiros que vêm sendo
mental. 4. Proponha aos alunos que atentem para o título da população constituída pelos antigos escravos mais reconhecidos internacionalmente – em
UM POUCO SOBRE O AUTOR RESENHA
dos capítulos e sua relação com aquele momento viu-se de súbito sem moradia, sem trabalho e muitos dos seus trabalhos ele aborda a questão
Nascido em Santos, São Paulo, em 1942, Pedro Quando Vic estava por perto, Milton, que passava da narrativa. com condições absolutamente precárias de so- do racismo de maneira bem-humorada, ácida e
Bandeira mudou-se para a cidade de São Paulo a semana toda esculpindo seus músculos na acade- SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES 5. Chame a atenção para as ilustrações: elas, brevivência. Pode ser interessante assistir com a irônica. Estimule-os a notar o efeito de ironia
em 1961. Trabalhou em teatro profissional como mia, encontrava sempre uma maneira de humilhar bem como a fonte escolhida para o título dos turma a algumas passagens do filme Quanto vale que aparece em jogo na relação entre texto e
ator, diretor e cenógrafo. Foi redator, editor e Edu, que preferia desenhar a jogar futebol e jura- Antes da leitura capítulos, remetem à iconografia das narrativas ou é por quilo?, de Sérgio Bianchi (distribuído imagem e nos jogos com erros de ortografia
ator de comerciais de televisão. A partir de 1983 va que algum dia se tornaria um grande artista. em quadrinhos, reforçando a atmosfera de ação pela Riofilme), que traça analogias entre o Brasil e estrangeirismos no trabalho a seguir: http://1.
tornou-se exclusivamente escritor. Sua obra, dire- Acontece que, quando Xerife, Pocalípis e outros 1. Apresente o título do livro: Pânico na escola. O e expectativa presente no enredo. escravocrata e o Brasil contemporâneo. bp.blogspot.com/_p2dSIEtkB7g/TDPS-L13vkI/
cionada a crianças, jovens e jovens adultos, reúne presidiários foragidos resolveram tomar a escola que ele sugere a respeito do enredo? A ilustração 4. Ouça com os alunos a canção A carne, cantada AAAAAAAAA2A/9uifQLBeXTk/s1600/bunitu.jpg.
contos, poemas e narrativas de diversos gêneros. e fazer os alunos de reféns, o brutamontes mal da capa fornece alguma pista? Depois da leitura por Elza Soares e composta por Seu Jorge, Mar- Em seguida, leia com eles essa entrevista com o
Entre elas, estão: Malasaventuras — safadezas do podia conter seu ataque de nervos, enquanto o 2. Em que o pânico se diferencia de um medo co- celo Yuca e Wilson (letra e vídeo no link http:// artista, publicada na Folha de S.Paulo, em que
Malasartes, O fantástico mistério de Feiurinha, O pequeno Edu acabaria por revelar uma coragem mum? Proponha que os alunos procurem a defini- 1. Debata com os alunos: eles consideram a letras.mus.br/elza-soares/281242/). Em seguida, ele comenta como costuma ser barrado e revis-
mistério da fábrica de livros, Pântano de sangue, invejável. ção no dicionário e converse um pouco a respeito narrativa de Pedro Bandeira realista? Até que discuta com eles a letra, uma denúncia pungente tado em restaurantes chiques e entradas e saídas
A droga do amor, Agora estou sozinha..., A droga Muito rapidamente a escola é cercada por um do assunto. ponto? Por quê? Em que passagens o autor se da condição do negro no país. de vernissages: http://www1.folha.uol.com.br/
da obediência, Droga de americana! e A marca de batalhão da polícia, coordenado pelo sanguinário 3. Mostre aos alunos o sumário do livro e veja se atém a situações verossímeis, em que momentos 5. A letra de Seu Jorge comenta como o negro vai ilustrada/2013/04/1266830-paulo-nazareth-esta-
uma lágrima. Recebeu vários prêmios, como Jabuti, e preconceituoso Major Rosas. Tudo acabaria em notam como os títulos dos capítulos soam, quase o desenrolar dos acontecimentos soa como uma de graça para o presídio. Proponha que os alunos -reinventando-a-performance-com-caminhadas.
APCA, Adolfo Aizen e Altamente Recomendável, tragédia, não fosse a intrepidez de Edu e Vic, alu- todos, como falas de personagens – a maior parte “licença poética”? realizem uma pesquisa a respeito das condições shtml. Se os alunos tiverem vontade de saber
da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. nos do 9o ano, e da atrevida repórter Selene, que delas num tom inflamado, a julgar pelo uso da 2. Um dos temas mais graves colocados pelo das penitenciárias no Brasil, superlotadas e com mais sobre o trabalho de Nazareth, estimule-
A partir de 2009, toda a sua produção literária ganha a confiança dos criminosos, pressionando pontuação. Que personagem poderia ser o autor livro é a questão do racismo, preponderante na condições humanas degradantes. O texto a seguir -os a visitar suas páginas na internet: http://
integra com exclusividade a Biblioteca Pedro a polícia e tomando a frente das negociações. No de cada uma das falas? Um bandido, um policial, realidade brasileira. Depois de estudos realizados coloca a questão de maneira bastante contun- artecontemporanealtda.blogspot.com/ e http://
Bandeira da Editora Moderna. calado Gasolina, Edu reconhece Maicol, o garoto uma repórter, um aluno da escola? pela Organização das Nações Unidas (ONU) e de dente: http://www.ambito-juridico.com.br/site/ cadernosdeafrica.blogspot.com/.

5 6 7

Enc Panico na Escola.indd 1 7/16/13 8:15 AM


que lhe ensinara a rodar pião quando era meni- 4. Chame a atenção para as páginas de 6 e 9, em reivindicações do movimento negro no país, index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_ LEIA MAIS... ◗ do mesmo assunto
no. Quem não sabe que a prisão não é espaço de que vemos a apresentação de cada um dos per- finalmente se admitiu com todas as letras que id=10363. Crianças na escuridão, de Júlio Emílio Braz. São
reabilitação, mas uma escola de brutalidade, um sonagens acompanhada de um pequeno texto. o Brasil é sim um país racista e que o racismo 6. Na narrativa de Pedro Bandeira, a atuação ◗ do mesmo autor Paulo: Moderna.
espaço de desumanização? O que é possível deduzir de cada personagem a encontra-se profundamente arraigado na estru- ousada da repórter Selene contribui para que a Anjo da morte. São Paulo: Moderna. Moleques de rua, de Roberto Freire. São Paulo:
Em Pânico na escola, Pedro Bandeira constrói uma partir dessa breve apresentação? tura social do país que começa a tomar medidas situação seja resolvida de modo menos trágico. De A droga da obediência. São Paulo: Moderna. Moderna.
narrativa com elementos realistas, que tocam em 5. Leia a seção “Autor e obra” para que saibam afirmativas para transformar a situação, como fato, a ação da mídia costuma ser determinante Droga de americana! São Paulo: Moderna. O diário da rua, de Esmeralda Ortiz. São Paulo:
alguns pontos delicados da situação sociopolítica um pouco mais a respeito da trajetória de Pedro a polêmica política das cotas em Universidades em casos como esse, mas poucas vezes de maneira A droga do amor. São Paulo: Moderna. Salamandra.
do país: a desigualdade social, a precariedade da Bandeira. Federais. Tais ações levam em conta um dos as- justa e/ou benéfica. Assista com os alunos ao filme
escola pública, a influência do tráfico na comuni- pectos mais graves da questão, tratada na narra- Ônibus 174, de José Padilha, que documenta o
dade, a desumanidade do sistema penitenciário, Durante a leitura tiva de Pedro Bandeira: o racismo institucional, episódio do sequestro de um ônibus por Sandro
a brutalidade da polícia etc. Ao mesmo tempo que que permeia órgãos como a mídia, a polícia e o Nascimento, sobrevivente da Chacina da Cande-
a violência dá o tom dos acontecimentos, o autor 1. Os capítulos do livro se sucedem uns aos outros sistema penitenciário – personificado, no livro, lária, no Rio de Janeiro. Em seguida, discuta com
tenta apontar para algumas possibilidades de de modo quase televisivo e/ou cinematográfico: na figura perversa do Major Rosas. Discuta com a turma a respeito do filme: como a cobertura
diálogo e alento em meio à brutalidade – a es- há cortes bruscos e alternância de cenários e nú- os alunos a respeito do assunto. De que maneira da mídia interfere nos acontecimentos (e muitas
perança, para ele, encontra-se não propriamente cleos de personagem. Proponha que os alunos eles percebem a presença do racismo no cotidia- vezes os distorce)?
PEDRO BANDEIRA nas instituições, mas sim na atuação dos jovens e
da mídia independente.
procurem reconhecer, a cada início de capítulo,
as indicações de lugar e de ponto de vista.
no? Traga para eles dados estatísticos e material
a respeito do assunto. No link http://www.ghc.
7. O protagonista do livro, Edu, sonha em ser
artista, admira os mestres da pintura clássica,
2. O livro trata de questões sociais bastante deli- com.br/portalrh/ é possível baixar o Guia de en- as variações de cor, e pensa em pintar grandes
Pânico na escola QUADRO-SÍNTESE
cadas, como o racismo, o preconceito de classe, a
precariedade do sistema penitenciário brasilei-
frentamento do racismo institucional preparado
por organizações de apoio às minorias.
quadros quando tiver dinheiro suficiente para
comprar tinta a óleo. Ora, se prosseguir no seu
ro, a brutalidade da polícia. Peça que atentem 3. O racismo encontra-se tão entremeado à estru- interesse pela arte, pode ser que em algum
Gênero: novela policial. para as passagens em que essas questões são tura da sociedade brasileira por conta da nossa momento Edu se depare com as múltiplas pos-
Leitor fluente — 6 e 7 anos do Ensino Fundamental
o o
Palavras-chave: violência, drogas, criminalida- abordadas. história fortemente marcada pela escravidão. O sibilidades de criação da arte contemporânea,
de, racismo. 3. Uma outra questão colocada pelo autor é o Brasil foi o país que mais recebeu escravos vin- que não se limitam ao objetivo de criar belas
Áreas envolvidas: Língua Portuguesa, História, papel determinante da mídia nas relações entre os dos da África e foi o último da América Latina obras, mas inovam nos formatos e abrem a
Geografia. criminosos e a polícia. Alguma situação do livro os a abolir a escravidão. A própria abolição da es- possibilidade de um discurso crítico. Apresente
Temas transversais: ética, pluralidade cultural. fez pensar em algum episódio recente que tenha cravatura, no modo como se deu no país, foi um aos alunos o trabalho do mineiro Paulo Naza-
Público-alvo: 6o e 7o anos do Ensino Funda- ocupado o noticiário televisivo? episódio no mínimo desastroso: a imensa parcela reth, um dos artistas brasileiros que vêm sendo
mental. 4. Proponha aos alunos que atentem para o título da população constituída pelos antigos escravos mais reconhecidos internacionalmente – em
UM POUCO SOBRE O AUTOR RESENHA
dos capítulos e sua relação com aquele momento viu-se de súbito sem moradia, sem trabalho e muitos dos seus trabalhos ele aborda a questão
Nascido em Santos, São Paulo, em 1942, Pedro Quando Vic estava por perto, Milton, que passava da narrativa. com condições absolutamente precárias de so- do racismo de maneira bem-humorada, ácida e
Bandeira mudou-se para a cidade de São Paulo a semana toda esculpindo seus músculos na acade- SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES 5. Chame a atenção para as ilustrações: elas, brevivência. Pode ser interessante assistir com a irônica. Estimule-os a notar o efeito de ironia
em 1961. Trabalhou em teatro profissional como mia, encontrava sempre uma maneira de humilhar bem como a fonte escolhida para o título dos turma a algumas passagens do filme Quanto vale que aparece em jogo na relação entre texto e
ator, diretor e cenógrafo. Foi redator, editor e Edu, que preferia desenhar a jogar futebol e jura- Antes da leitura capítulos, remetem à iconografia das narrativas ou é por quilo?, de Sérgio Bianchi (distribuído imagem e nos jogos com erros de ortografia
ator de comerciais de televisão. A partir de 1983 va que algum dia se tornaria um grande artista. em quadrinhos, reforçando a atmosfera de ação pela Riofilme), que traça analogias entre o Brasil e estrangeirismos no trabalho a seguir: http://1.
tornou-se exclusivamente escritor. Sua obra, dire- Acontece que, quando Xerife, Pocalípis e outros 1. Apresente o título do livro: Pânico na escola. O e expectativa presente no enredo. escravocrata e o Brasil contemporâneo. bp.blogspot.com/_p2dSIEtkB7g/TDPS-L13vkI/
cionada a crianças, jovens e jovens adultos, reúne presidiários foragidos resolveram tomar a escola que ele sugere a respeito do enredo? A ilustração 4. Ouça com os alunos a canção A carne, cantada AAAAAAAAA2A/9uifQLBeXTk/s1600/bunitu.jpg.
contos, poemas e narrativas de diversos gêneros. e fazer os alunos de reféns, o brutamontes mal da capa fornece alguma pista? Depois da leitura por Elza Soares e composta por Seu Jorge, Mar- Em seguida, leia com eles essa entrevista com o
Entre elas, estão: Malasaventuras — safadezas do podia conter seu ataque de nervos, enquanto o 2. Em que o pânico se diferencia de um medo co- celo Yuca e Wilson (letra e vídeo no link http:// artista, publicada na Folha de S.Paulo, em que
Malasartes, O fantástico mistério de Feiurinha, O pequeno Edu acabaria por revelar uma coragem mum? Proponha que os alunos procurem a defini- 1. Debata com os alunos: eles consideram a letras.mus.br/elza-soares/281242/). Em seguida, ele comenta como costuma ser barrado e revis-
mistério da fábrica de livros, Pântano de sangue, invejável. ção no dicionário e converse um pouco a respeito narrativa de Pedro Bandeira realista? Até que discuta com eles a letra, uma denúncia pungente tado em restaurantes chiques e entradas e saídas
A droga do amor, Agora estou sozinha..., A droga Muito rapidamente a escola é cercada por um do assunto. ponto? Por quê? Em que passagens o autor se da condição do negro no país. de vernissages: http://www1.folha.uol.com.br/
da obediência, Droga de americana! e A marca de batalhão da polícia, coordenado pelo sanguinário 3. Mostre aos alunos o sumário do livro e veja se atém a situações verossímeis, em que momentos 5. A letra de Seu Jorge comenta como o negro vai ilustrada/2013/04/1266830-paulo-nazareth-esta-
uma lágrima. Recebeu vários prêmios, como Jabuti, e preconceituoso Major Rosas. Tudo acabaria em notam como os títulos dos capítulos soam, quase o desenrolar dos acontecimentos soa como uma de graça para o presídio. Proponha que os alunos -reinventando-a-performance-com-caminhadas.
APCA, Adolfo Aizen e Altamente Recomendável, tragédia, não fosse a intrepidez de Edu e Vic, alu- todos, como falas de personagens – a maior parte “licença poética”? realizem uma pesquisa a respeito das condições shtml. Se os alunos tiverem vontade de saber
da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. nos do 9o ano, e da atrevida repórter Selene, que delas num tom inflamado, a julgar pelo uso da 2. Um dos temas mais graves colocados pelo das penitenciárias no Brasil, superlotadas e com mais sobre o trabalho de Nazareth, estimule-
A partir de 2009, toda a sua produção literária ganha a confiança dos criminosos, pressionando pontuação. Que personagem poderia ser o autor livro é a questão do racismo, preponderante na condições humanas degradantes. O texto a seguir -os a visitar suas páginas na internet: http://
integra com exclusividade a Biblioteca Pedro a polícia e tomando a frente das negociações. No de cada uma das falas? Um bandido, um policial, realidade brasileira. Depois de estudos realizados coloca a questão de maneira bastante contun- artecontemporanealtda.blogspot.com/ e http://
Bandeira da Editora Moderna. calado Gasolina, Edu reconhece Maicol, o garoto uma repórter, um aluno da escola? pela Organização das Nações Unidas (ONU) e de dente: http://www.ambito-juridico.com.br/site/ cadernosdeafrica.blogspot.com/.

5 6 7

Enc Panico na Escola.indd 1 7/16/13 8:15 AM


que lhe ensinara a rodar pião quando era meni- 4. Chame a atenção para as páginas de 6 e 9, em reivindicações do movimento negro no país, index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_ LEIA MAIS... ◗ do mesmo assunto
no. Quem não sabe que a prisão não é espaço de que vemos a apresentação de cada um dos per- finalmente se admitiu com todas as letras que id=10363. Crianças na escuridão, de Júlio Emílio Braz. São
reabilitação, mas uma escola de brutalidade, um sonagens acompanhada de um pequeno texto. o Brasil é sim um país racista e que o racismo 6. Na narrativa de Pedro Bandeira, a atuação ◗ do mesmo autor Paulo: Moderna.
espaço de desumanização? O que é possível deduzir de cada personagem a encontra-se profundamente arraigado na estru- ousada da repórter Selene contribui para que a Anjo da morte. São Paulo: Moderna. Moleques de rua, de Roberto Freire. São Paulo:
Em Pânico na escola, Pedro Bandeira constrói uma partir dessa breve apresentação? tura social do país que começa a tomar medidas situação seja resolvida de modo menos trágico. De A droga da obediência. São Paulo: Moderna. Moderna.
narrativa com elementos realistas, que tocam em 5. Leia a seção “Autor e obra” para que saibam afirmativas para transformar a situação, como fato, a ação da mídia costuma ser determinante Droga de americana! São Paulo: Moderna. O diário da rua, de Esmeralda Ortiz. São Paulo:
alguns pontos delicados da situação sociopolítica um pouco mais a respeito da trajetória de Pedro a polêmica política das cotas em Universidades em casos como esse, mas poucas vezes de maneira A droga do amor. São Paulo: Moderna. Salamandra.
do país: a desigualdade social, a precariedade da Bandeira. Federais. Tais ações levam em conta um dos as- justa e/ou benéfica. Assista com os alunos ao filme
escola pública, a influência do tráfico na comuni- pectos mais graves da questão, tratada na narra- Ônibus 174, de José Padilha, que documenta o
dade, a desumanidade do sistema penitenciário, Durante a leitura tiva de Pedro Bandeira: o racismo institucional, episódio do sequestro de um ônibus por Sandro
a brutalidade da polícia etc. Ao mesmo tempo que que permeia órgãos como a mídia, a polícia e o Nascimento, sobrevivente da Chacina da Cande-
a violência dá o tom dos acontecimentos, o autor 1. Os capítulos do livro se sucedem uns aos outros sistema penitenciário – personificado, no livro, lária, no Rio de Janeiro. Em seguida, discuta com
tenta apontar para algumas possibilidades de de modo quase televisivo e/ou cinematográfico: na figura perversa do Major Rosas. Discuta com a turma a respeito do filme: como a cobertura
diálogo e alento em meio à brutalidade – a es- há cortes bruscos e alternância de cenários e nú- os alunos a respeito do assunto. De que maneira da mídia interfere nos acontecimentos (e muitas
perança, para ele, encontra-se não propriamente cleos de personagem. Proponha que os alunos eles percebem a presença do racismo no cotidia- vezes os distorce)?
PEDRO BANDEIRA nas instituições, mas sim na atuação dos jovens e
da mídia independente.
procurem reconhecer, a cada início de capítulo,
as indicações de lugar e de ponto de vista.
no? Traga para eles dados estatísticos e material
a respeito do assunto. No link http://www.ghc.
7. O protagonista do livro, Edu, sonha em ser
artista, admira os mestres da pintura clássica,
2. O livro trata de questões sociais bastante deli- com.br/portalrh/ é possível baixar o Guia de en- as variações de cor, e pensa em pintar grandes
Pânico na escola QUADRO-SÍNTESE
cadas, como o racismo, o preconceito de classe, a
precariedade do sistema penitenciário brasilei-
frentamento do racismo institucional preparado
por organizações de apoio às minorias.
quadros quando tiver dinheiro suficiente para
comprar tinta a óleo. Ora, se prosseguir no seu
ro, a brutalidade da polícia. Peça que atentem 3. O racismo encontra-se tão entremeado à estru- interesse pela arte, pode ser que em algum
Gênero: novela policial. para as passagens em que essas questões são tura da sociedade brasileira por conta da nossa momento Edu se depare com as múltiplas pos-
Leitor fluente — 6 e 7 anos do Ensino Fundamental
o o
Palavras-chave: violência, drogas, criminalida- abordadas. história fortemente marcada pela escravidão. O sibilidades de criação da arte contemporânea,
de, racismo. 3. Uma outra questão colocada pelo autor é o Brasil foi o país que mais recebeu escravos vin- que não se limitam ao objetivo de criar belas
Áreas envolvidas: Língua Portuguesa, História, papel determinante da mídia nas relações entre os dos da África e foi o último da América Latina obras, mas inovam nos formatos e abrem a
Geografia. criminosos e a polícia. Alguma situação do livro os a abolir a escravidão. A própria abolição da es- possibilidade de um discurso crítico. Apresente
Temas transversais: ética, pluralidade cultural. fez pensar em algum episódio recente que tenha cravatura, no modo como se deu no país, foi um aos alunos o trabalho do mineiro Paulo Naza-
Público-alvo: 6o e 7o anos do Ensino Funda- ocupado o noticiário televisivo? episódio no mínimo desastroso: a imensa parcela reth, um dos artistas brasileiros que vêm sendo
mental. 4. Proponha aos alunos que atentem para o título da população constituída pelos antigos escravos mais reconhecidos internacionalmente – em
UM POUCO SOBRE O AUTOR RESENHA
dos capítulos e sua relação com aquele momento viu-se de súbito sem moradia, sem trabalho e muitos dos seus trabalhos ele aborda a questão
Nascido em Santos, São Paulo, em 1942, Pedro Quando Vic estava por perto, Milton, que passava da narrativa. com condições absolutamente precárias de so- do racismo de maneira bem-humorada, ácida e
Bandeira mudou-se para a cidade de São Paulo a semana toda esculpindo seus músculos na acade- SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES 5. Chame a atenção para as ilustrações: elas, brevivência. Pode ser interessante assistir com a irônica. Estimule-os a notar o efeito de ironia
em 1961. Trabalhou em teatro profissional como mia, encontrava sempre uma maneira de humilhar bem como a fonte escolhida para o título dos turma a algumas passagens do filme Quanto vale que aparece em jogo na relação entre texto e
ator, diretor e cenógrafo. Foi redator, editor e Edu, que preferia desenhar a jogar futebol e jura- Antes da leitura capítulos, remetem à iconografia das narrativas ou é por quilo?, de Sérgio Bianchi (distribuído imagem e nos jogos com erros de ortografia
ator de comerciais de televisão. A partir de 1983 va que algum dia se tornaria um grande artista. em quadrinhos, reforçando a atmosfera de ação pela Riofilme), que traça analogias entre o Brasil e estrangeirismos no trabalho a seguir: http://1.
tornou-se exclusivamente escritor. Sua obra, dire- Acontece que, quando Xerife, Pocalípis e outros 1. Apresente o título do livro: Pânico na escola. O e expectativa presente no enredo. escravocrata e o Brasil contemporâneo. bp.blogspot.com/_p2dSIEtkB7g/TDPS-L13vkI/
cionada a crianças, jovens e jovens adultos, reúne presidiários foragidos resolveram tomar a escola que ele sugere a respeito do enredo? A ilustração 4. Ouça com os alunos a canção A carne, cantada AAAAAAAAA2A/9uifQLBeXTk/s1600/bunitu.jpg.
contos, poemas e narrativas de diversos gêneros. e fazer os alunos de reféns, o brutamontes mal da capa fornece alguma pista? Depois da leitura por Elza Soares e composta por Seu Jorge, Mar- Em seguida, leia com eles essa entrevista com o
Entre elas, estão: Malasaventuras — safadezas do podia conter seu ataque de nervos, enquanto o 2. Em que o pânico se diferencia de um medo co- celo Yuca e Wilson (letra e vídeo no link http:// artista, publicada na Folha de S.Paulo, em que
Malasartes, O fantástico mistério de Feiurinha, O pequeno Edu acabaria por revelar uma coragem mum? Proponha que os alunos procurem a defini- 1. Debata com os alunos: eles consideram a letras.mus.br/elza-soares/281242/). Em seguida, ele comenta como costuma ser barrado e revis-
mistério da fábrica de livros, Pântano de sangue, invejável. ção no dicionário e converse um pouco a respeito narrativa de Pedro Bandeira realista? Até que discuta com eles a letra, uma denúncia pungente tado em restaurantes chiques e entradas e saídas
A droga do amor, Agora estou sozinha..., A droga Muito rapidamente a escola é cercada por um do assunto. ponto? Por quê? Em que passagens o autor se da condição do negro no país. de vernissages: http://www1.folha.uol.com.br/
da obediência, Droga de americana! e A marca de batalhão da polícia, coordenado pelo sanguinário 3. Mostre aos alunos o sumário do livro e veja se atém a situações verossímeis, em que momentos 5. A letra de Seu Jorge comenta como o negro vai ilustrada/2013/04/1266830-paulo-nazareth-esta-
uma lágrima. Recebeu vários prêmios, como Jabuti, e preconceituoso Major Rosas. Tudo acabaria em notam como os títulos dos capítulos soam, quase o desenrolar dos acontecimentos soa como uma de graça para o presídio. Proponha que os alunos -reinventando-a-performance-com-caminhadas.
APCA, Adolfo Aizen e Altamente Recomendável, tragédia, não fosse a intrepidez de Edu e Vic, alu- todos, como falas de personagens – a maior parte “licença poética”? realizem uma pesquisa a respeito das condições shtml. Se os alunos tiverem vontade de saber
da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. nos do 9o ano, e da atrevida repórter Selene, que delas num tom inflamado, a julgar pelo uso da 2. Um dos temas mais graves colocados pelo das penitenciárias no Brasil, superlotadas e com mais sobre o trabalho de Nazareth, estimule-
A partir de 2009, toda a sua produção literária ganha a confiança dos criminosos, pressionando pontuação. Que personagem poderia ser o autor livro é a questão do racismo, preponderante na condições humanas degradantes. O texto a seguir -os a visitar suas páginas na internet: http://
integra com exclusividade a Biblioteca Pedro a polícia e tomando a frente das negociações. No de cada uma das falas? Um bandido, um policial, realidade brasileira. Depois de estudos realizados coloca a questão de maneira bastante contun- artecontemporanealtda.blogspot.com/ e http://
Bandeira da Editora Moderna. calado Gasolina, Edu reconhece Maicol, o garoto uma repórter, um aluno da escola? pela Organização das Nações Unidas (ONU) e de dente: http://www.ambito-juridico.com.br/site/ cadernosdeafrica.blogspot.com/.

5 6 7

Enc Panico na Escola.indd 1 7/16/13 8:15 AM


que lhe ensinara a rodar pião quando era meni- 4. Chame a atenção para as páginas de 6 e 9, em reivindicações do movimento negro no país, index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_ LEIA MAIS... ◗ do mesmo assunto
no. Quem não sabe que a prisão não é espaço de que vemos a apresentação de cada um dos per- finalmente se admitiu com todas as letras que id=10363. Crianças na escuridão, de Júlio Emílio Braz. São
reabilitação, mas uma escola de brutalidade, um sonagens acompanhada de um pequeno texto. o Brasil é sim um país racista e que o racismo 6. Na narrativa de Pedro Bandeira, a atuação ◗ do mesmo autor Paulo: Moderna.
espaço de desumanização? O que é possível deduzir de cada personagem a encontra-se profundamente arraigado na estru- ousada da repórter Selene contribui para que a Anjo da morte. São Paulo: Moderna. Moleques de rua, de Roberto Freire. São Paulo:
Em Pânico na escola, Pedro Bandeira constrói uma partir dessa breve apresentação? tura social do país que começa a tomar medidas situação seja resolvida de modo menos trágico. De A droga da obediência. São Paulo: Moderna. Moderna.
narrativa com elementos realistas, que tocam em 5. Leia a seção “Autor e obra” para que saibam afirmativas para transformar a situação, como fato, a ação da mídia costuma ser determinante Droga de americana! São Paulo: Moderna. O diário da rua, de Esmeralda Ortiz. São Paulo:
alguns pontos delicados da situação sociopolítica um pouco mais a respeito da trajetória de Pedro a polêmica política das cotas em Universidades em casos como esse, mas poucas vezes de maneira A droga do amor. São Paulo: Moderna. Salamandra.
do país: a desigualdade social, a precariedade da Bandeira. Federais. Tais ações levam em conta um dos as- justa e/ou benéfica. Assista com os alunos ao filme
escola pública, a influência do tráfico na comuni- pectos mais graves da questão, tratada na narra- Ônibus 174, de José Padilha, que documenta o
dade, a desumanidade do sistema penitenciário, Durante a leitura tiva de Pedro Bandeira: o racismo institucional, episódio do sequestro de um ônibus por Sandro
a brutalidade da polícia etc. Ao mesmo tempo que que permeia órgãos como a mídia, a polícia e o Nascimento, sobrevivente da Chacina da Cande-
a violência dá o tom dos acontecimentos, o autor 1. Os capítulos do livro se sucedem uns aos outros sistema penitenciário – personificado, no livro, lária, no Rio de Janeiro. Em seguida, discuta com
tenta apontar para algumas possibilidades de de modo quase televisivo e/ou cinematográfico: na figura perversa do Major Rosas. Discuta com a turma a respeito do filme: como a cobertura
diálogo e alento em meio à brutalidade – a es- há cortes bruscos e alternância de cenários e nú- os alunos a respeito do assunto. De que maneira da mídia interfere nos acontecimentos (e muitas
perança, para ele, encontra-se não propriamente cleos de personagem. Proponha que os alunos eles percebem a presença do racismo no cotidia- vezes os distorce)?
PEDRO BANDEIRA nas instituições, mas sim na atuação dos jovens e
da mídia independente.
procurem reconhecer, a cada início de capítulo,
as indicações de lugar e de ponto de vista.
no? Traga para eles dados estatísticos e material
a respeito do assunto. No link http://www.ghc.
7. O protagonista do livro, Edu, sonha em ser
artista, admira os mestres da pintura clássica,
2. O livro trata de questões sociais bastante deli- com.br/portalrh/ é possível baixar o Guia de en- as variações de cor, e pensa em pintar grandes
Pânico na escola QUADRO-SÍNTESE
cadas, como o racismo, o preconceito de classe, a
precariedade do sistema penitenciário brasilei-
frentamento do racismo institucional preparado
por organizações de apoio às minorias.
quadros quando tiver dinheiro suficiente para
comprar tinta a óleo. Ora, se prosseguir no seu
ro, a brutalidade da polícia. Peça que atentem 3. O racismo encontra-se tão entremeado à estru- interesse pela arte, pode ser que em algum
Gênero: novela policial. para as passagens em que essas questões são tura da sociedade brasileira por conta da nossa momento Edu se depare com as múltiplas pos-
Leitor fluente — 6 e 7 anos do Ensino Fundamental
o o
Palavras-chave: violência, drogas, criminalida- abordadas. história fortemente marcada pela escravidão. O sibilidades de criação da arte contemporânea,
de, racismo. 3. Uma outra questão colocada pelo autor é o Brasil foi o país que mais recebeu escravos vin- que não se limitam ao objetivo de criar belas
Áreas envolvidas: Língua Portuguesa, História, papel determinante da mídia nas relações entre os dos da África e foi o último da América Latina obras, mas inovam nos formatos e abrem a
Geografia. criminosos e a polícia. Alguma situação do livro os a abolir a escravidão. A própria abolição da es- possibilidade de um discurso crítico. Apresente
Temas transversais: ética, pluralidade cultural. fez pensar em algum episódio recente que tenha cravatura, no modo como se deu no país, foi um aos alunos o trabalho do mineiro Paulo Naza-
Público-alvo: 6o e 7o anos do Ensino Funda- ocupado o noticiário televisivo? episódio no mínimo desastroso: a imensa parcela reth, um dos artistas brasileiros que vêm sendo
mental. 4. Proponha aos alunos que atentem para o título da população constituída pelos antigos escravos mais reconhecidos internacionalmente – em
UM POUCO SOBRE O AUTOR RESENHA
dos capítulos e sua relação com aquele momento viu-se de súbito sem moradia, sem trabalho e muitos dos seus trabalhos ele aborda a questão
Nascido em Santos, São Paulo, em 1942, Pedro Quando Vic estava por perto, Milton, que passava da narrativa. com condições absolutamente precárias de so- do racismo de maneira bem-humorada, ácida e
Bandeira mudou-se para a cidade de São Paulo a semana toda esculpindo seus músculos na acade- SEQUÊNCIA DE ATIVIDADES 5. Chame a atenção para as ilustrações: elas, brevivência. Pode ser interessante assistir com a irônica. Estimule-os a notar o efeito de ironia
em 1961. Trabalhou em teatro profissional como mia, encontrava sempre uma maneira de humilhar bem como a fonte escolhida para o título dos turma a algumas passagens do filme Quanto vale que aparece em jogo na relação entre texto e
ator, diretor e cenógrafo. Foi redator, editor e Edu, que preferia desenhar a jogar futebol e jura- Antes da leitura capítulos, remetem à iconografia das narrativas ou é por quilo?, de Sérgio Bianchi (distribuído imagem e nos jogos com erros de ortografia
ator de comerciais de televisão. A partir de 1983 va que algum dia se tornaria um grande artista. em quadrinhos, reforçando a atmosfera de ação pela Riofilme), que traça analogias entre o Brasil e estrangeirismos no trabalho a seguir: http://1.
tornou-se exclusivamente escritor. Sua obra, dire- Acontece que, quando Xerife, Pocalípis e outros 1. Apresente o título do livro: Pânico na escola. O e expectativa presente no enredo. escravocrata e o Brasil contemporâneo. bp.blogspot.com/_p2dSIEtkB7g/TDPS-L13vkI/
cionada a crianças, jovens e jovens adultos, reúne presidiários foragidos resolveram tomar a escola que ele sugere a respeito do enredo? A ilustração 4. Ouça com os alunos a canção A carne, cantada AAAAAAAAA2A/9uifQLBeXTk/s1600/bunitu.jpg.
contos, poemas e narrativas de diversos gêneros. e fazer os alunos de reféns, o brutamontes mal da capa fornece alguma pista? Depois da leitura por Elza Soares e composta por Seu Jorge, Mar- Em seguida, leia com eles essa entrevista com o
Entre elas, estão: Malasaventuras — safadezas do podia conter seu ataque de nervos, enquanto o 2. Em que o pânico se diferencia de um medo co- celo Yuca e Wilson (letra e vídeo no link http:// artista, publicada na Folha de S.Paulo, em que
Malasartes, O fantástico mistério de Feiurinha, O pequeno Edu acabaria por revelar uma coragem mum? Proponha que os alunos procurem a defini- 1. Debata com os alunos: eles consideram a letras.mus.br/elza-soares/281242/). Em seguida, ele comenta como costuma ser barrado e revis-
mistério da fábrica de livros, Pântano de sangue, invejável. ção no dicionário e converse um pouco a respeito narrativa de Pedro Bandeira realista? Até que discuta com eles a letra, uma denúncia pungente tado em restaurantes chiques e entradas e saídas
A droga do amor, Agora estou sozinha..., A droga Muito rapidamente a escola é cercada por um do assunto. ponto? Por quê? Em que passagens o autor se da condição do negro no país. de vernissages: http://www1.folha.uol.com.br/
da obediência, Droga de americana! e A marca de batalhão da polícia, coordenado pelo sanguinário 3. Mostre aos alunos o sumário do livro e veja se atém a situações verossímeis, em que momentos 5. A letra de Seu Jorge comenta como o negro vai ilustrada/2013/04/1266830-paulo-nazareth-esta-
uma lágrima. Recebeu vários prêmios, como Jabuti, e preconceituoso Major Rosas. Tudo acabaria em notam como os títulos dos capítulos soam, quase o desenrolar dos acontecimentos soa como uma de graça para o presídio. Proponha que os alunos -reinventando-a-performance-com-caminhadas.
APCA, Adolfo Aizen e Altamente Recomendável, tragédia, não fosse a intrepidez de Edu e Vic, alu- todos, como falas de personagens – a maior parte “licença poética”? realizem uma pesquisa a respeito das condições shtml. Se os alunos tiverem vontade de saber
da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. nos do 9o ano, e da atrevida repórter Selene, que delas num tom inflamado, a julgar pelo uso da 2. Um dos temas mais graves colocados pelo das penitenciárias no Brasil, superlotadas e com mais sobre o trabalho de Nazareth, estimule-
A partir de 2009, toda a sua produção literária ganha a confiança dos criminosos, pressionando pontuação. Que personagem poderia ser o autor livro é a questão do racismo, preponderante na condições humanas degradantes. O texto a seguir -os a visitar suas páginas na internet: http://
integra com exclusividade a Biblioteca Pedro a polícia e tomando a frente das negociações. No de cada uma das falas? Um bandido, um policial, realidade brasileira. Depois de estudos realizados coloca a questão de maneira bastante contun- artecontemporanealtda.blogspot.com/ e http://
Bandeira da Editora Moderna. calado Gasolina, Edu reconhece Maicol, o garoto uma repórter, um aluno da escola? pela Organização das Nações Unidas (ONU) e de dente: http://www.ambito-juridico.com.br/site/ cadernosdeafrica.blogspot.com/.

5 6 7

Enc Panico na Escola.indd 1 7/16/13 8:15 AM

Você também pode gostar