Você está na página 1de 23

Teoria da

Aprendizagem e da
Alfabetização
Fundamentos e Métodos da Alfabetização
4º semestre 2020.2 | 60 (h/a) |07/ Out./2020
Profª. Andréia Aragão
Processo de
● Posição Empirista, Racionalista e Construtivista
Desenvolvimento ● Behaviorismo - Posição Empirista: Pavlov –
e Aprendizagem Skinner
● Posição Racionalista: Platão
● Posição Construtivista e Sociointeracionista:
Piaget, Lev Vygotsky, Emília Ferreiro
● Desenvolvimento Cognitivo e Aprendizagem:
Jean Piaget e Henry Wallon
Objetivos
★ Analisar o contexto histórico das pesquisas na área
de alfabetização e as diferentes formas, ao longo dos
anos, de conceber a escrita e seus processos de
aquisição pelas crianças.

★ Apresentar e discutir os conhecimentos profissionais


docentes necessários para a compreensão de tais
processos e para a intervenção neles.

FREQUÊNCIA
Memórias
Procure lembrar do tempo em que você aprendeu a ler e
escrever, recuperando os momentos marcantes, os
professores, as dificuldades, as conquistas, os desafios, os
sentimentos envolvidos... A partir dos fragmentos de suas
lembranças, escreva as memórias desse período.
O que é Método?

● Caminho para se chegar a um


fim;
● Modo ordenado de fazer as
coisas;
● Conjunto de procedimentos
técnicos e científicos.
Método de Alfabetização

● É um conjunto de saberes
práticos ou de princípios
organizadores do processo de
alfabetização, (re)criados pelo
professor em seu trabalho
pedagógico.
A História dos Métodos de Alfabetização
★ Segundo Mortatti (2006), a história da alfabetização tem sua
face mais visível na história dos métodos de alfabetização, que
desde o final do séc. XIX busca uma explicação para o
problema: a dificuldade de nossas crianças em aprender a ler
e escrever, especialmente na rede pública.

★ Com a proclamação da República no final do séc.XIX, a


educação ganhou destaque como uma das utopias da
modernidade. Saber ler e escrever se tornou instrumento
privilegiado de aquisição de saber/esclarecimento e
imperativo da modernização e desenvolvimento social.
Para refletir...
★ O que é tradicional?
★ Quando e por quê se inicia um tipo de ensino de leitura
e escrita que hoje chamamos de tradicional?
★ Como podemos explicar sua insistente permanência na
prática docente?
★ Como dialogam entre si a tradição e os repetidos
esforços de mudança em alfabetização?
★ Qual seria o melhor método para alfabetizar?
Que caminho tomar?

Não é possível ensinar


nada sem partir de uma
idéia de como as
aprendizagens se
produzem.

Antoni Zabala
1. Teoria condutista
2. Perspectiva construtivista
3. Perspectiva
sócio-interacionista
Métodos de Alfabetização
SINTÉTICO ANALÍTICO
● Método Alfabético ● Palavração
(Soletração)
● Sentenciação
● Método Fônico
● Global de
● Método Silábico Contos/Textos
Método Alfabético (Soletração)
Métodos Sintético
É considerado o mais antigo dos métodos. A
proposta é que o indivíduo aprenda os nomes
das letras, reconheça-as fora da ordem
alfabética e, por fim, tente redescobri-las em
palavras ou textos, a partir da soletração.

É muito mais utilizado tendo como princípio que


a leitura parte da decoração oral das letras do
alfabeto. A principal crítica a este método está
relacionada a repetição de exercícios.
Você Sabia???
Essa cartilha representa o método mais
tradicional e antigo de alfabetização,
conhecido como método sintético. Apresenta
primeiro as letras do Alfabeto (maiúsculas e
minúsculas ); (de imprensa e manuscritas).

Depois apresenta segmentos de um, dois e


três caracteres em ordem alfabética:
● a,e,i,o,u
● ba,be,bi,bo,bu, ai,ei oi,ui,
● bai,bei,boi,bui.
01 Método Fônico ou Fonético
Métodos Sintético
Consiste no aprendizado através de associação entre
fonemas e grafemas, ou seja, sons e letras basearem-se
no ensino do código alfabético, tem como crítica o
método da soletração.
Método Silábico
Métodos Sintético
Considera a sílaba a unidade linguística fundamental, já
que, na prática, só se pode pronunciar a consoante
juntamente com a vogal. Começa-se pelas sílabas
formadas por uma consoante e uma vogal, até chegar às
mais complexas.
Métodos de Alfabetização 02
Métodos Analítico
A segunda fase da alfabetização no Brasil
começou em São Paulo depois de 1890, com
professores que defendiam a importância da
pedagogia (o “como” se ensina) e dos métodos
analíticos. Essa visão moderna gerou uma
disputa acirrada entre esse grupo e os adeptos
das abordagens mais tradicionais (sintéticas). O
termo “alfabetização” foi criado mas o foco
permaneceu em ensinar os alunos a ler, a escrita
ainda estava muito ligada à caligrafia.
Método da Palavração
Métodos Análitico
Apresenta-se um grupo de palavras
que os alunos tentam reconhecer pelas
características gráficas. São propostas
atividades de memorização de
palavras, às vezes associadas a
imagens, exercícios de movimento de
escrita etc.
Método de Senteciação
Métodos Análitico

A proposta é partir de uma unidade de


significado mais completa, que é a
frase. O estudante deve reconhecer e
compreender o sentido de uma
sentença para só depois analisar as
suas partes menores (palavras e
sílabas).
Global / Textos / Contos
Métodos Análitico

Parte-se de um texto, trabalhado por


certo tempo, no qual o aluno memoriza
e entende o sentido geral do que é
“lido”. Só depois se analisam as
sentenças e se identificam as palavras,
comparando as suas composições
silábicas.
Perspectiva Construtivista/
Sócio Interacionista
Com início em 1980, a quarta fase da alfabetização
brasileira foi marcada por mudanças sociais e políticas que
resultaram na restauração da democracia. A “reinvenção
da alfabetização” surgiu em decorrência dos repetidos
índices de indicadores do fracasso da alfabetização no
Brasil. Nesse período, surgiu o construtivismo, um
paradigma muito diferente da tradição behaviorista.
Marcado pela alfabetização e letramento, estudos de
Magda Soares e a construção da escrita com Emília
Ferreiro e Ana Teberosky a partir da teoria da Psicogênese
da língua escrita estudos.
Ao aprendiz como sujeito
de sua aprendizagem
corresponde,
necessariamente,
um professor sujeito de
sua prática docente.

Telma Weisz
Atividade Complementar no QR código
Bibliografia
● MORTATTI. Maria Rosário Longo
História dos métodos de alfabetização
no Brasil;

● SCHWARTZ. Onaide /Mendonça e


outro. Percurso histórico dos métodos
de alfabetização.
Obrigada!
Profª. Andréia Aragão
andreia.aragao98@gmail.com
(85)9.9107.8049
CREDITS: This presentation template was created by
Slidesgo, including icons by Flaticon, and infographics
& images by Freepik.