Você está na página 1de 31

HUMANIVERSIDADE HOLÍSTICA

Massagem Indiana e Tântrica


Massagem Indiana de Filosofia Tântrica
Ela é parte da medicina integral da Índia, filha de um tempo em que o ser humano não era separado em
espírito e matéria, mas tratado como um microcosmo, uma unidade de vida regida pelas leis do Universo.
Principalmente com o enfoque holístico emergente neste final de era, a herança dos conhecimentos
tântricos tem sido resgatada por diferentes caminhos. É o caso da massagem tântrica ainda pouco
conhecida no Ocidente, mas que já desperta o interesse dos terapeutas corporais que nela encontram novos
horizontes para o seu trabalho.
“A massagem tântrica influenciou várias outras técnicas de massagem oriental”.
Há anos nós da Ordem Tântrica pesquisamos a medicina tântrica, em cujas práticas encontra-se essa
massagem que originalmente foi desenvolvida pelo povo Drávida - que vivia às margens do rio Indo por
volta de 3.000 a.C. - e integrava a primeira das três iniciações tântricas; as outras duas eram a ritualística e
a sensorial. Naquele tempo, o mestre tocava o discípulo para iniciá-lo, para apresentar o seu eu social ao
seu eu superior”.
Os sábios (rishis) dos tempos antigos aperfeiçoaram-na, inclusive com o uso de mantram extremamente
poderosos, e ela foi incorporada às práticas de sociedades iniciáticas que cultuam o corpo como um
templo divino, como uma via de acesso à consciência superior.
“Toda massagem tântrica é uma forma de iniciação, independente do massagista acreditar ou não. No
fundo, ele atua como instrumento das Egrégoras (as Tradições que se propagam pela continuidade),
ampliando o campo de força delas”.
No passado, membros da Ordem Tântrica fizeram sua primeira viagem à Índia, aproveitando para
consultar alguns mestres a respeito da massagem.
Às margens do sagrado rio Ganges, muitos deles receberam o conhecimento das Egrégoras e dos
templos eternos. O mestre Ananda Ram, confirmou-lhes que o Brasil é hoje uma indispensável fonte da
sabedoria esotérica. Isso redobrou nossa confiança fazendo com que nos últimos anos, tenhamos nos
dedicado a dar cursos para a formação de novos terapeutas corporais no País.

Prevenção e Prazer
A massagem tântrica dura em média uma hora e é sempre aplicada entre pessoas do sexo oposto (o
homem massageia a mulher e vice-versa), pois deve existir a troca de polaridades. É essencialmente
preventiva e age para restabelecer o equilíbrio físico-espiritual do indivíduo. Ela harmoniza os corpos
energéticos, previne doenças estimulando as defesas naturais do organismo, atua principalmente no
sistema glandular e endócrino (chakras), além de tratar fraquezas gerais do coração, fadiga, desequilíbrios
nervosos, perturbações mentais, emocionais e harmonizar a sexualidade.
Além de ser algo muito prazeroso, a massagem tenta elevar a energia kundalini até o chakra do coração
(anahata) para provocar a expansão da consciência. É quando se entra em contato com os "poderes do
yogue" (siddhis), entre eles o conhecimento superior, a consciência do karma, a telepatia e outros dons
psíquicos, a alegria e a justiça. Faz-se bastante alongamento na coluna, que é por onde a kundalini se
manifesta, e no mínimo a pessoa consegue ter insights dessa energia. Com o tempo, ocorre um aumento da
sua intuição, da clarividência e da clariaudiência, e mesmo viagens às dimensões internas e externas do
seu ser.
Kundalini é uma energia de vida com capacidade de provocar a elevação do ser. "Não acreditamos que
exista trabalho espiritualista sem ela". Kundalini alimenta todos os nossos chakras que são outro nível
muito trabalhado pela massagem tântrica.
Já a partir das mãos do massagista, encontra-se toda uma série de correspondências com planos
extrafísicos e níveis de consciência trabalhados pela massagem. As qualidades de cada dedo funcionam
com esse propósito, e de acordo com os problemas da pessoa. Ou seja: o polegar está relacionado com o
elemento éter e lida com a espiritualidade; o indicador, com o elemento ar e trabalha com o pensamento; o
dedo médio, com o elemento fogo e relaciona-se com a iniciativa; o dedo anular, com o elemento água e
lida com o amor, o sentimento; o dedo mínimo, com o elemento terra e trabalha com a sensação.

Usa-se bastante a imposição de mãos, sendo que a postura do massagista deve favorecer o seu estado
de meditação durante a prática, bem como a ativação dos seus próprios chakras - como se nota, há sensível
do corpo. Os perfumes servirão para estimular as glândulas e os mantras que serão insuflados no corpo
físico-energético farão o realinhamento dos chakras. Se necessário, o massagista fará oferenda de energia
para a pessoa, pela mentalização de cores (cromoterapia).Dependendo do seu grau de experiência poderá
recitar os mantras das pétalas dos chakras ou submantras, de caráter secreto.

Massagem Indiana
Essa massagem é firme e forte, porém o convite é seduzir o cliente ou a musculatura o corpo do
cliente entregar-se. Para executar as manobras, quanto mais confiança o terapeuta tiver e o cliente no
terapeuta tão bem sucedida será a massagem.
O convite é solte-se e entregue-se.
É muito importante antes de começar a massagem fazer o ritual de abertura, conectando-se com a
egrégora do Tantra.
Os Rituais atingem nosso cérebro superior. Atingimos os arquétipos simbólicos da repetição coletiva.
Assim potencializando e alinhando as práticas executadas.
Cliente de decúbito ventral (Barriga para baixo) e o terapeuta sentado atrás nos pés.

Instrumentos para a Massagem Indiana

Vela acesa, Incenso, Óleo para massagem à sua escolha, Copo com água, Cristal ou plantinha viva,
Música a sua escolha, de preferência mantram, 3 Lençóis; pode ser colorido, Colchonete grande,
Almofadas, 4 Fraldinhas ou Toalhas. Manter a sala aquecida se estiver frio, o óleo pode ser aquecido.

O terapeuta senta-se em semi-lótus (samanásana) ou de joelhos (vajnasana) e deixa o corpo se mover


em círculos em sentido horário ou anti-horário deixando fluir e começar o ritual interno (astanga) antes de
tocar no paciente.
Ritual da Massagem
Astha=oito, anga=parte, sádhana=prática
MUDRÁ Gesto reflexológico
PUJA Oferenda PUJA – Oferecer energia ao ambiente
PUJA – Oferecer energia ao paciente
PUJA – Oferecer energia para Shiva

MANTRA OM Namah Shivaya – 3º olho


vocalização OM Shiri Klim – Cardíaco
OM Shiri Gam – Básico

PRÁNÁYÁMA Respiração alternada


Domínio do prana Respiração completa, abdominal, intercostal, subclavicular
Respiração nasal rápida

KRYA Limpeza do ambiente – acender uma vela, copo de água, um cristal ou


Purificação orgânica uma planta viva, acender um incenso, música ambiente

ÁSANA Posição física


YOGANIDRA Técnica de relaxamento
DHIANA Meditação

Sintonização dos Mudrás

ÁTMA MUDRÁ

Sou uma semente com potencial de manifestação.

PRONAN MUDRÁ
Que venho do céu do universo

Manifesto-me na terra
(OM PRITÍVAYÊ NAMAH)

Manifesto-me no fogo
(OM AGNAYÊ NAMAH)
Manifesto-me no ar
(OM VAYUAYÊ NAMAH)

Eu sou a consciência Sol / Dia / Luz


Expansão

Eu sou a Lua / Noite / Sombra


Emoção / Recolhimento
E para entender o que é a relação homem / mulher e a polaridade

Tenho que compreender no coração

OM SHRI KLIM
Eu vou até os auspícios. Inconsciente coletivo

E volto com o conhecimento

Preciso de um tempo de silêncio e meditação


Devoção E conseqüentemente a perfeição

E volto para curar, doar, ensinar e compartilhar

OUTROS MUDRÁS

SHIVA MUDRÁ

LINGA MUDRÁ
SHIVALINGA MUDRÁ YONILINGA
PÉS
O terapeuta posiciona-se na altura dos pés do paciente que está deitado de barriga para baixo.

*Massagear do calcanhar, fazendo pressão com os polegares representa os chakra e em seguida continuar
em todo o pé com pressão e Fricção.
1º Aquecimento com deslizamento
2º Pressão com os dedos, do calcanhar até os dedos do cliente.
3º Fricção em toda sola do pé
4º Pressão e fricção com os polegares na zoa reflexa da coluna
5º Amassamento com os dedos das mãos no pé como se estivesse mordendo o pé (compressão).
6º Entrelaçar os dedos das mãos e trabalhar com as eminências no calcanhar.
7º Massagear com o nó dos dedos a região côncava dos pés.
8º Massagear entre os dedos e fazer pequenos movimentos pinçando os dedos dos pés.
9º Puxar os dedos dos pés alongando-os
10º Fazer vários movimentos de rotação nos pés com inversão e everção permitindo um alongamento do
tendão de Aquiles após pequenos pinçamentos no tendão(s) (evitando muito forte quando a cliente
estiver menstruada). Deslizamentos circulares com os dedos nos maléolos do cliente.
11º Compressão óssea utilizando as duas mãos em todo o pé.
PERNAS
Após a massagem nos pés fazer aquecimento com deslizamento do tendão de aquiles até a fossa poplítea
e da mesma até a região do glúteo, movimentos com a mão (em tubo de pasta) deslizamentos palmar
ascendentes na fossa poplítea trabalhando todos os músculos solio e gastroquinemio. Repetir 4 a 5 vezes
a mesma manobra.
1º Deslizamento palmar, mão amoldada na perna; deslizamento com pressão suave, média e profunda,
2º Utilizar dorso da mão,
3º Compressão óssea, comprimir o músculo com o osso e estimular,
4º Se a perna estiver muito tensa utilizar pressão circular com os polegares (repetir nas 2 pernas) (Evitar
manobras muito fortes em pernas com varizes),
5º Fazer movimentos em oito na fossa poplítea,
6º Deslizamento com a palma das mãos abertas amoldando as coxas, ou com o dorso da mão,
compressão óssea ou amassamento em toda a coxa até os glúteos.
Compressão óssea ao longo da perna do tendão de aquiles até a região glútea o Terapeuta pode estar
posicionado na lateral do cliente.

Variação da Perna com o Joelho dobrado para fora

Explorar os músculos externos e internos da coxa:


1º Dobrar a perna com o joelho projetado para fora e trabalhar na parte da frente da coxa com as 3
manobras (deslizamento palmar, dorso da mão e compressão óssea). Com delicadeza pressionar com as
pontas dos dedos os gânglios linfáticos na região da virilha.
O terapeuta posiciona-se na lateral do cliente e com a perna esticada fazer a compressão óssea do pé para
o glúteo, 2 vezes. Localiza, pressiona e estimula.
2º O terapeuta deve nesse momento fazer um ásana de alongamento. Para executar essa manobra sobre o
cliente.
3º Apóie suas eminências no calcanhar e alongue para fora com o peso do corpo.
4º Pressão com os polegares ou com as eminências tênares, ao longo das pernas iniciando pelos
calcanhares até os glúteos. Repetir 4 a 5 vezes esse movimento que é sempre ascendente.
12. Massagear o glúteo explorando varias manobras pressão fricção circular amassamento em toda
musculatura.
Alongamento Das Pernas
Escolha alguns alongamentos para a perna
1. Alongar as pernas, uma de cada vez e as duas juntas.
2. Para o centro do cóccix
3. Para o centro dos ísquios
4. Abrir mais para fora
5. Em lótus

MASSAGEM NA REGIÃO DAS COSTAS

O cliente pode estar com os braços ao longo do corpo ou a mão embaixo da testa. Como desejar.
Faça agora a massagem ao longo da coluna aquecendo toda a musculatura e as vértebras.
1º O terapeuta pode ser posicionar sobre o cliente com os 3 apoios joelho, pé e mão livres para utilizar o
peso do corpo.
2º Fazer movimentos circulares com os polegares na região dos forames sacrais conduzindo energia
ascendente ao longo da coluna.
4º Deslizamento palmar várias vezes conduzindo para cima
5º Utilizar o dorso da mão do cóccix até a cervical. Se a coluna estiver muito bloqueada ou em casos de
hiper lordose ou escoliose. Respeitar o limite da dor do cliente ao executar as manobras.
6º Massagear as vértebras com os polegares ou ponta dos dedos realizando movimento ascendente do
cóccix até a cervical
7º Trabalho com os polegares em vai e vem entre os discos vertebrais. Abrir os espaços intravertebrais é
importante localizar os espaços, pressionar e estimular.
8º Após trabalhar as vértebras, onde estimulamos os nadis píngala, ida e sushumna (VC e VG) podemos
descer com movimentos circulares ao longo do músculo paravertebral que dá sustentação para as
vértebras o movimento é executado do trapézio da região da sétima cervical, descendo em direção ao
sacro. Se esta região for muito tensa pode se fazer várias manobras, sempre descendentes ou no sentido
das fibras muscular, para lateral jogando a energia para frente, começando do trapézio. Repetir várias
vezes às manobras nessa região.
1. Pressão e fricção com os polegares
2. Movimentos circulares com as eminências ou pontas dos dedos.
3. Fricção com os polegares ou com a região ulnar permitindo que essa região seja alongada podendo
até utilizar a região ulnar da mão e do anti-braço se estiver muito rígido.
9º Agora conduzir a energia que foi levada pra o sacro com as manobras da paravertebral para a axila em
uma linha mais lateral das costas, e nas escapulas com deslizamentos suaves, pressões e balancinhos.
ESCAPULAS
1º Deslizar da região do sacro lombar até encaixar, se possível, com a região ulnar deslocando a
escápula, afastando-a; manter por alguns segundos. Pedir para o cliente respirar duas ou três vezes com
ênfase. Desfazer a manobra lentamente. Repetir do lado oposto.
2º Dobrar braços sobre a lombar para que seja mais fácil soltar a escapula, fazer um deslizamento do
punho para o cotovelo travando-o com uma das mãos e a outra fazer deslizamentos, pressões e suaves
fricções no músculo romboide e redendo tomando cuidado para não ferir ou causar uma dor insuportável.
Essa região esta relacionada com o coração chackras cardíaco, portanto sendo nas costas, temos muito
mais memórias do passado e continuamos apegados ao mesmo (passado e todos os dramas e tragédias
sentimentalistas).
1. Fazer pressão com os polegares abrindo a escápula.
2. Deslizar todo o contorno da mesma.
3. Pressão circular com o nó ou com a ponta dos dedos sobre a escápula.
4. Fazer um pinçamento nos ombros.
Portanto o deslocamento da escapula é de estrema importância para a conscientização do nosso cliente.
Os movimentos são ascendentes ao redor da escapula e sobre a escapula também pode se fazer
movimentos circulares com as pontas dos dedos e com os nós dos dedos.
Repetir na outra escapula é importante que o rosto esteja sempre virado para o lado oposto que se estiver
trabalhando.

REGIÃO CERVICAL

Solicite que o cliente coloque as mãos em baixo da testa para se trabalhar a cervical. Utilize pinsamentos
e pressão com os polegares. Ascendente até o osso occipital.
PARAVERTEBRAIS E MÚSCULOS INTERCOSTAIS

Com o cliente ainda em decúbito ventral (barriga para baixo) O terapeuta pode se posicionar na lateral do
cliente em posição semi-lótus, executar as manobras na região do glúteo conduzindo para a axila,
utilizando pressão contínua com os polegares localizando todos os espaços entre as costelas projetando o
movimento para frente.
1. Massagear com as pontas dos dedos fazendo pressão nas paravertebrais e músculos intercostais
iniciando a manobra a partir do ombro e descendo até a lombar.
2. Com os polegares ou a eminência tênar fazer uma pressão com leves balancinhos soltando os
glúteos.
3. Na seqüência realizar pressão e fricção com os polegares
4. O terapeuta coloca uma mão sobre a outra e com as pontas dos dedos realiza movimentos
circulares podendo utilizar também as eminências tênares.
5. Fricção com os polegares ou com a região ulnar permitindo que essa região seja alongada
podendo até utilizar a região do anti-braço se estiver muito rígido.
6. Não esquecer que estes movimentos são realizados sempre de cima para baixo.
7. Fazer pressão com os polegares na região do sacro, agora o movimento deverá ser realizado de
baixo para cima, partindo do sacro até a região das costelas, para esta manobra pode-se também
utilizar as eminências tênares.

Após trabalhar toda região das costas


1. Fazer várias vezes um movimento em oito vertical e horizontal com ambas as mãos ou em lazer
(uma sobre a outra).
2. Fazer percussão na região do sacro 3 ou 4 vezes fazendo mantras e projetando a energia para cima.

TERAPEUTA POSICIONADO NA PARTE SUPERIOR DA CABEÇA

O terapeuta se posiciona na parte superior da cabeça e puxa energia do sacro até a cabeça e espalhando
para os braços 3 ou 4 vezes.
BRAÇOS - CLIENTE DE BARRIGA PARA CIMA

Solicite que o cliente vire em decúbito dorsal (barriga para cima) e colocar uma almofada embaixo do
joelho para a coluna estar bem apoiada no chão e terapeuta estando ao lado em semi-lótus (atenção ao
movimento do corpo ou ao giro).
Continue a massagem a partir dos ombros, braço, mãos e esternos, pois toda essa região representa a
Chakra Cardíaco sendo ele o Intermediário entre os 3 superiores e os 3 inferiores.
Para mulheres pode-se dar preferência em iniciar no lado esquerdo e para homens no lado direito do
abdômen.
1. Começar pelo ombro do tronco para a mão na parte interna e não na parte externa.
2. Deslizamento em todo o braço.
3. Deslizamento do úmero até a mão 3 vezes.
4. Deslizamento em oito na articulação externa e interna do cotovelo.
5. Movimento de deslizamento circular no cúbito (cotovelo).
6. Fazer compressão óssea e rotação do cotovelo.
7. Trabalhar com o dorso da mão na parte externa do braço.
8. Nas mãos explorando todos os movimentos de pressão deslizamento.
9. Pode-se também deixar o braço apoiado no colchonete e fazer pressão com os polegares ou com as
eminências do ombro até a mão na região interna das mãos para os ombros na região externa.
10. Compressão óssea do ombro para a axila
11. Pinçamento suave nas axilas.
MÃOS

Puxar os nós dos dedos para fora, esticando-os bem.


Movimento da cadeirinha abrindo o chakra da mão.
Movimento com os polegares na palma da mão. Repetir no outro lado
Massagem as mãos alongando para fora para dentro (vibração para destencionar o pulso).
Fricção, deslizamento e pressão na palma da mão.
Alongamento dos dedos com o indicador e o dedo médio (movimento alicate).
Fricção com o polegar nas polpas dos dedos. Trabalhe também deslizando no dorso da mão após
executar as manobras para fora pode-se também executar tubo de pasta para dentro no tronco. Levando
das mãos até os ombros e trabalhar com o dorso da mão.

Primeiro conduzir o movimento da região do esterno para a mão conduzindo assim a energia de dentro
para fora isso representa a desobstrução da região do coração é como se estivéssemos limpando o
excesso de ressentimentos, mágoas, frustrações e abandono que normalmente causam a dificuldade de
respirar e a pressão na região do peito, logo após fazer manobras da mão em direção ao ombro e axila
aproveitando para trabalhar com os gânglios linfáticos, representando a nutrição na região do coração.
Com as pontas dos dedos ou palma fazer movimentos circulares na região do esterno (Ponto
relacionado ao cardíaco timo) 8 vezes no sentido horário e 8 vezes no sentido anti-horário, repetindo 3
vezes.
Deslizamento ascendente e para fora do centro dos mamilos, para os ombros várias vezes. Tubo de
pasta para fora nos braços massageando deltóide, bíceps, tríceps, flexores e extensores do braço.
Deslizamento em volta dos mamilos com se fosse esculpi-los.
1. Leve pressão com a parte ulnar da mão.
2. Movimento abrindo o peito para cima.
Repetir todas as manobras no outro lado.

ABDÔMEN

O terapeuta continua na lateral do paciente e começa a trabalhar o abdômen. Importante lembrar que
devemos sempre colocar almofada em baixo dos joelhos para executar massagem no abdômen para que
os músculos reto abdomoninal e as lipsoas estejam relaxadas.
1. Fazer movimentos circulares em todo o abdômen no sentido horário.
2. Esculpir da cintura até a axila com deslizamentos palmares nos dois lados.
3. Em toda a cavidade abdominal fazer percussão com os polegares lentas e profundas e com as
pontas dos dedos oblíquos podendo começar do umbigo pra fora ou oposto.
4. Movimentos circulares com o dorso da mão.
5. Movimentos de deslizamento com as duas mãos uma entrando na outra.
6. Movimento de empurra para um lado com as eminências e puxa com os dedos e depois para o outro
como se fosse uma onda.
7. Pressão com as pontas dos oblíquos em todos os centros pequenos vórtices.
8. Dar ênfase com pressão e movimentos circulares no chakra básico umbilical plexo cardíaco.
9. Deslizamento na lateral da cintura esculpindo-a. Repetir nos dois lados.
Tomar cuidado para não executar movimentos muito fortes e profundos em caso de hérnia Hiato e
miomas problemas específicos ou disfunções nessa área.
Fazer movimento circular 8 vezes repetindo de 3 a 4 vezes no 1º, 2º e 3º chakra cantando o mantram.

BRAÇOS E ESTERNO

O terapeuta posiciona-se na região da cabeça e puxa toda a energia para cima com deslizamentos suaves
da cintura até a cabeça.
1. Fazer massagem do esterno para o pescoço, ombros e cabeça com deslizamento.
2. Pescoço virar para lateral e fazer deslizamentos e pinsamentos suaves no externocleidomastoide até
occipital.
3. Repetir várias vezes até estar relaxado.
4. Repetir do outro lado.
5. Fazer fortes pressões com os polegares do ombro até a occipital e deslizamento.
6. Fazer massagem circular com as pontas dos dedos da 7º a 1º cervical, fazer leves pressões com os
dedos na occipital. E abertura dos espaços entre uma vértebra e outra.
7. Fazer alongamentos para a cervical.
8. Alonga o pescoço para todos os lados.
9. Movimento em oito na cervical.
10. Soltura da garganta, entoando o mantram com o deslizamento ascendente.
Leves pinçamentos no externoclidomastóideo e queixo.
CABEÇA E ROSTO

1. Massagear o rosto começando no 3º olho para fora e para cima.


2. Deslizando com os polegares.
3. Pinsamentos nas bochechas. Soltando toda a musculatura se estiver tensa.
4. Soltura da bochecha e da têmpora mandibular com leve pressão dos dedos
5. Pressão ou deslizamento do queixo até a temporal mandibular 1º de um lado depois do outro, se
preferir pode ser feito simultaneamente.
11. Fazer pressão com os polegares e pontas dos dedos em todo da cabeça. Região frontal temporal,
pariental e occipital e movimentos circulares com os dedos e um “Cafunezinho”.
12. Dar leves puxões de cabelo sem ferir.
13. Soltura das orelhas, puxando-as para todos os lados e leves batidinhas. Dobrando-as, explorando
deslizamentos leves e pinçamentos.
14. Massagear orelhas em todo o seu contorno. Fazer pequenas percussões na orelha e após no 3º olho
ãjna chakra e no cardíaco.
15. – Pressão no 3º olho e movimento circulares ou ascendentes, entoando o mantram.
16. – Fazer uma tração apoiando os dedos no occipital.
17. – Movimento em xampu como se estivesse lavando a cabeça.
18. – Movimento em volta dos olhos com a ponta dos dedos.
]

19. Leve pressão nos olhos de forma bem suave com as pontas dos dedos médio. Podendo se quiser
finalizar entoando os mantras do chakras e o OM SHIN GAM, OM SHIRI KLIM.
20. Friccionar as mãos uma contra a outra e fazer imposição das mãos sobre os chakras e em outras
partes entoando os mantram e visualizando os símbolos isso pode também ser feito ao longo de
todo o trabalho de massagem.
21. Pedir para o cliente ficar sentado e o terapeuta posiciona-se atrás e fazer o giro tantrico. Com
visualização e entoação do Mantram mão esquerda em cima e direita embaixo. Pode-se ficar ate 5 a
10 minutos no giro. (momento integração)
Podendo sentar-se ambos em semi-lótus de frente e o terapeuta pega as mãos o cliente, esquerda para
cima e direita para baixo fazendo o movimento do giro os dois juntos e entoando o mantram e
visualizando símbolos.
O terapeuta senta-se na lateral direita do cliente que está sentado de frente para o altar, e o terapeuta
coloca a mão esquerda atrás e a direita na frente em cima de cada chakra entoando os mantras e
visualizando os símbolos.

DECÚBITO LATERAL

Pedir para o cliente deitar-se de lado e uma perna deve estar projetada sobre uma almofada e a outra
deve estar reta e alinhada colocar também um travesseiro para apoiar o pescoço e o terapeuta ficar numa
posição confortável atrás do cliente para dar suporte ou se preferir pode sentar-se acima da cabeça.
Começar a massagem na região da articulação do ombro úmero e cervical alongar e fazer movimentos
circulares apoiando as mãos uma na clavícula e outra nas escapulas com firmeza e circular para frente e
depois para traz para um lado e para o outro isso é uma manobra e extrema importância para quem tem
escapulas muito rígidas pode-se também fazer deslocamento das escapulas colocando o braço projetado
para trás na lombar. E o terapeuta executa pressão com os polegares nos músculos que envolvem a
escapula. Após fazer pinsamentos no ombro em direção ao occipital e em todo o trapézio.
5. Fazer pressão com a região ulnar ou pontas dos dedos. No meio do esterno 8 vezes no sentido
horário e 8 vezes para o sentido anti-horário.Repetindo isso 4 vezes.
6. Esculpir os mamilos com suavidade.
7. Colocar o braço projetado para cima e para o lado e fazer massagem circular na axila suavemente.
8. Deslizamento na região lateral do corpo da axila ate o quadril projetando todos os deslizamentos
para a barriga. Dar atenção entre as costelas e no sentido das mesmas. Esculpindo toda essa região
os movimentos são firmes respeitando a dor do cliente.
9. Em seguida prosseguir para o glúteo dando atenção na articulação da coxa femoral e no trocanter e
deslizar as coxas até pé pelas pernas que está projetada sobre a almofada e subir pela outra que está
reta do pé até o cóccix e em seguida até a cervical. Repetir essa manobra 8 vezes se possível
podendo utilizar pressão com as eminências e deslizamentos profundos isso permite um
alinhamento do alto para baixo e sensações muito gostosas para o cliente.
10. Repetir todo o processo no outro lado. Começando nos ombros e cervical.
BARRIGA PARA CIMA
Pedir para o cliente deitar-se de decúbito dorsal. (barriga pra cima).
E o terapeuta senta-se em uma almofada entre as pernas do cliente e apoiando as mesmas sobre as suas
pernas deixando os joelhos bem relaxados não podem ficar esticados.
Massagear toda a parte interna da coxa dos maléolos internos até o joelho e do joelho até a virilha
(músculo).
Podendo projetar a perna dobrada em 90º graus sobre as pernas do terapeuta.

Fazer deslizamento palmar (tubo de pasta) dorso as mãos e amassamento.


Ao executar as manobras na região interna da coxa, próximo da virilha fazê-las com cuidado e
cautela para que os clientes não sintam-se invadidos, pois a região interna da coxa tem muitas memórias
de ordem sexual e às vezes não são agradáveis.
Pode-se também colocar as pernas do seu cliente sobre os seus ombros e explorar manobras e
alongamentos que sejam possíveis, utilize a criatividade com cautela.
Após trabalhar a massagem podemos executar rotação com movimentos circulares para flexibilizar
coxa femoral.
Massagear a virilha com as pontas dos dedos com cuidado e leveza.
4. Fazer movimentos circulares em toda a cavidade abdominal com as pontas dos dedos oblíquos.
5. Trabalho com o dorso das mãos.
6. Fazer pressão com os polegares e deslizamento circular do púbis até o estomago.
7. Deslizar com as palmas das mãos das cristas ilíacas até o peitoral várias vezes.
Pedir para o Cliente entrelaçar as mãos com as (suas terapeuta) e levantar o cliente trazendo se possível
para o seu colo ou sentados de frente um para o outro com as pernas entrelaçadas.
E o terapeuta persegue fazendo o giro tantrico de frente, permanecendo com a respiração suave porem
profunda e calma, podendo permanecer de 5 a 10 minutos e o terapeuta nesse momento visualiza os
símbolos e os mantras da terapêutica indiana.
Essa última parte da massagem pode ser adaptada, pois em consultório pode soar um tanto ousado sendo
que a massagem tantrica é mais utilizada para casais.
A ultima parte da Massagem
O cliente em contato com a Dhyana e Samadhi, ou êxtase ou êntase, a experiência é única depende da
entrega e da confiança depositada no terapeuta.
Se for praticar em casal após o giro de frente deixa a própria energia do tantra conduzir os
acontecimentos.

Pois essa massagem terapêutica é muito forte e seu intuito e prazer e despertar a energia Kundalini o
encontro com a sua consciência.
AGRADECIMENTO ESPECIAL A DANIELA VALER PELA PARTICIPAÇÃO NAS FOTOS