Meiose e Gametogênese Meiose Divisão celular na qual uma célula diplóide (2n) dá origem a quatro células haplóides (n).

A meiose, para formar quatro células, ocorre em duas etapas consecutivas denominadas meiose I e meiose II. Meiose I Esta fase também é chamada fase reducional (R!), pois uma célula diplóide (2n) dará origem a duas células haplóides (n). Meiose II As duas células haplóides (n) formadas durante a primeira etapa (meiose I) dão continuidade à divisão, dando origem, cada uma delas, a mais duas células também haplóides (n) o que dará, no fim das 2 etapas, um total de quatro células haplóides (n). A meiose II é denominada divisão equacional (E!), pois as células ao se dividem formam células-filha com o mesmo número de cromossomos. Observação: Entre a meiose I e a meiose II, existe um intervalo breve, que não é uma nova interfase, denominado intercinese. Esquema Geral A meiose ocorre em células de linhagem germinativa (células que darão origem aos gametas). Por meio da meiose, o número de cromossomos é reduzido à metade nos gametas, o que permite após a fecundação, a formação de um zigoto que mantém o número característico da espécie constante. Meiose I (R!) É divida em: Prófase I, Metáfase I, Anáfase I e Telófase I. Prófase I E subdividida em: Leptóteno, Zigóteno, Paquíteno, Diplóteno e Diacinese. Crossing-over (troca de segmento, genes, entre cromossomos homólogos), fenômeno que proporciona a variabilidade de características entre indivíduos de uma mesma espécie. Leptóteno Cromossomos pouco espiralizados. Raramente se observa a duplicação das cromátides. Podem-se observar os cromômeros (nódulos nos filamentos de DNA). Zigóteno Os cromossomos estão um pouco mais espiralizados Os cromossomos homólogos alinham-se lado a lado (pareamento ou sinapse) para que possa ocorrer o crossing-over. Assim, os homólogos separam-se (disjunção cromossômica) migrando para os pólos com o DNA ainda duplicado, reduzindo, assim, o número de cromossomos a metade. Telófase I 1. Os cromossomos chegam aos pólos da célula ainda com o DNA duplicado e em número haplóide (n). 2 Reaparecem a carioteca e o nucléolo. 3 Os centríolos individualizam-se. 4 O citoplasma dividi-se pelo movimento de citocinese.

b) Período de crescimento: as mitoses param e a espermatogônia cresce dando origem a uma célula maior. uma maior (óvulo) e outra menor (2. as gônadas são os testículos. b) Período de crescimento: as ovogônias aumentam de tamanho dando origem a células que agora são chamadas ovócitos I (primários ou de primeira ordem) Observação: O período de crescimento das ovogônias é maior que nas espermatogônias. dando origem a duas células. pois. e nas fêmeas. Nas fêmeas. de crescimento.º glóbulo polar). de maturação e espermiogênese. Este período ocorre (nos machos) durante a vida toda. Espermatogônia: célula germinativa masculina.Anáfase I Telófase I Gametogênese Representa o processo de formação de gametas masculino e feminino. Gônadas: são estruturas pertencentes aos órgãos genitais. formam os gametas). d) Espermiogênese: as espermátides sofrem um grande número de transformações. c) Período de maturação: Os ovócitos I entram em meiose I. Para se transformarem em espermatozóides passaram por processo de diferenciação. que agora recebe o nome de espermatócito I (primário ou de primeira ordem). (óvulo). de crescimento e de maturação. uma maior (n) (ovócito II ou secundário ou de segunda ordem) e outra menor (n) (1. . dando origem a duas células (n). precisam sintetizar o vitelo (substância nutritiva) que vai nutrir o embrião. este período ocorre durante o período embrionário e termina logo após o nascimento. No macho.º glóbulo polar dará origem a outros dois glóbulos polares.º glóbulo polar). o ovócito II dará origem a duas células (n). Períodos: germinativo. por meiose. Inicia-se então a meiose II. enquanto o 1. Períodos: germinativo. dando origem a várias outras gônias. As células germinativas também são chamadas gônias. a) Período germinativo: as espermatôgonias dividem-se por mitose. Ovogônia: célula germinativa feminina. a) Período germinativo: as ovogônias (2n) sofrem mitoses formando várias células. existem as células germinativas (células diplóides que. I – Espermatogênese: Processo de formação do gameta masculino (espermatozóide). quatro células (n). Os espermatócitos II (n) entram em meiose II formando assim. Observação: As espermátides não são gametas. c) Período maturação: o espermatócito I (2n) entra em meiose I. dando origem aos espermatozóides. II – Ovogênese Processo de formação do gameta feminino. os ovários. que agora são chamadas espermatócitos II (secundários ou de segunda ordem). as espermátides. Nas gônadas. O período germinativo também é chamado de período de multiplicação.

já e possível visualizar a duplicação do DNA. Observamos o final do crossing-over (terminalizacao dos quiasmas). sem ocorrer divisão dos centrômeros. Nesta fase. Os cromossomos homólogos em sinapse formam as tétrades ou bivalentes. O número de quiasmas revela o número de crossing-over ocorrido. Os centríolos já atingiram os pólos opostos. não e visualizado devido à proximidade dos homologos. neste momento podemos visualizar os pontos onde ocorre o crossing-over. ocorre o crossing-over. pois cada um se ligara a uma fibra que o tracionara para o pólo oposto ao seu homologo. os homólogos estão lado a lado (em sinapse. Os locais onde o crossing-over é visível é chamado Quiasma. Diplóteno Os cromossomos homólogos começam a se separar.ESPERMATOGÊNESE Leptóteno Zigóteno Paquíteno Devido ao grau de espiralização. porem. Os cromossomos homólogos espalham-se aos pares pelo citoplasma para se ligarem às fibras do fuso. e o fuso acromático já esta formado. No alinhamento. Metáfase I Os cromossomos atingem o grau máximo de espiralização e alinham-se na placa equatorial da célula. Paquíteno Diplóteno Diacinese Já desapareceram a carioteca e o nucléolo. Diacinese Metáfase I Anáfase I Os cromossomos são tracionados para o pólos da células. . pareados).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful