Você está na página 1de 9

Índice

1. Introdução....................................................................................................................................3
1.1. Objectivos.................................................................................................................................4
1.1.1. Objectivo Geral......................................................................................................................4
1.1.2. Objectivos Específicos...........................................................................................................4
1.2. Metodologia..............................................................................................................................4
2. Domicilio.....................................................................................................................................5
2.1. Mudança de Domicilio..............................................................................................................5
2.2. Artigo 775.º Mudança do domicílio do credor.........................................................................5
2.3. Classificação do Domicilio.......................................................................................................6
2.3.1. Artigo 82.º Domicílio voluntário geral (CC).........................................................................6
2.3.2. Domicílio de Pessoas Naturais...............................................................................................6
2.3.3. Domicílio Necessário.............................................................................................................6
2.3.4. Domicílio Contratual.............................................................................................................6
2.3.5. Artigo 84.º Domicílio electivo...............................................................................................7
2.3.6. Artigo 85.º Domicílio legal dos menores e interditos............................................................7
2.3.7. Artigo 86.º Domicílio legal da mulher casada.......................................................................7
2.3.8. Artigo 87.º Domicílio legal dos empregados públicos (CC).................................................7
2.3.9. Domicílio Profissional...........................................................................................................7
2.3.10. Domicílio de Pessoas Jurídicas............................................................................................8
3. Conclusão.....................................................................................................................................9
Bibliografia....................................................................................................................................10
3

1. Introdução

O termo domicílio é também empregado, excepcionalmente, no direito, para indicar a casa de


morada de pessoa.

A prova da intenção resultará do que declarar a pessoa às municipalidades dos lugares, que
deixa, e para onde vai, ou, se tais declarações não fizer, da própria mudança, com as
circunstâncias que a acompanharem. O domicílio da pessoa natural é o lugar onde ela estabelece
a sua residência com ânimo definitivo.

Portanto, tendo o Domicilio como titulo deste trabalho que esta organizado em títulos e
subtítulos, apresentando uma linguagem clara, científica e objectiva, vai se aprofundar com mais
detalhes para a clarificação do mesmo.
4

1.1. Objectivos

1.1.1. Objectivo Geral

 Perceber o Domicilio Judicial perante o Código Civil Moçambicano.

1.1.2. Objectivos Específicos

 Definir o conceito de domicílio;


 Citar os artigos que regem o código civil do tema causa;
 Intender os trâmites de mudança de domicílio;
 Identificar os tipos de classificação do Domicilio.

1.2. Metodologia

A pesquisa bibliográfica é elaborada a partir de material já publicado, constituído principalmente


de livros, artigos de periódicos e actualmente com material disponibilizado na Internet. Já a
pesquisa documental quando elaborada a partir de materiais que não receberam tratamento
analítico (LAKATOS & MARCONI, 2003. pp 174, 183).

Nesta ordem de ideia o presente trabalho teve como metodologias pesquisa bibliográfica e
pesquisa documental.
5

2. Domicilio

Segundo SGARBI (2007), No campo do direito, domicílio é o lugar ou a sede prefixado em lei
ou em contrato, onde poder-se-á encontrar a pessoa natural ou jurídica, para que a mesma possa
arcar com as suas obrigações legais.

Etimologicamente, vem do termo latino domus, que significa "casa". A definição legal, porém,
afastou-se desse significado para agregar dois elementos: um objectivo, que é a residência, e
outro subjectivo, que é o ânimo definitivo. Daí, então, não se confundir com a simples moradia,
embora esta também não seja desprovida, em alguns casos, de relevância jurídica.

O termo 'domicílio' é também empregado, excepcionalmente, no direito, para indicar a casa de


morada de pessoa

2.1. Mudança de Domicilio

Muda-se o domicílio, transferindo a residência, com a intenção manifesta de o mudar.

A prova da intenção resultará do que declarar a pessoa às municipalidades dos lugares, que
deixa, e para onde vai, ou, se tais declarações não fizer, da própria mudança, com as
circunstâncias que a acompanharem. (AMARAL, 2010)

2.2. Artigo 775.º Mudança do domicílio do credor

Se tiver sido estipulado, ou resultar da lei, que o cumprimento deve efectuar-se no domicílio do
credor, e este mudar de domicílio após a constituição da obrigação, pode a prestação ser
efectuada no domicílio do devedor, salvo se aquele se comprometer a indemnizar este do
prejuízo que sofrer com a mudança.
6

2.3. Classificação do Domicilio

2.3.1. Artigo 82.º Domicílio voluntário geral (CC)

1. A pessoa tem domicílio no lugar da sua residência habitual; se residir alternadamente, em


diversos lugares, tem-se por domiciliada em qualquer deles.

2. Na falta de residência habitual, considera-se domiciliada no lugar da sua residência ocasional


ou, se esta não puder ser determinada, no lugar onde se encontrar.

2.3.2. Domicílio de Pessoas Naturais

O domicílio da pessoa natural é o lugar onde ela estabelece a sua residência com ânimo
definitivo.

Se, porém, a pessoa natural tiver diversas residências, onde, alternadamente, viva, considerar-se-
á domicílio seu qualquer delas.

Ter-se-á por domicílio da pessoa natural, que não tenha residência habitual, o lugar onde for
encontrada.

2.3.3. Domicílio Necessário

Têm domicílio necessário o incapaz, o servidor público, o militar, o marítimo e o preso.

O domicílio do incapaz é o do seu representante ou assistente; o do servidor público, o lugar em


que exercer permanentemente suas funções; o do militar, onde servir, e, sendo da Marinha ou da
Aeronáutica, a sede do comando a que se encontrar imediatamente subordinado; o do marítimo,
onde o navio estiver matriculado; e o do preso, o lugar em que cumprir a sentença.

2.3.4. Domicílio Contratual

Nos contratos escritos, poderão os contratantes especificar domicílio onde se exercitem e


cumpram os direitos e obrigações deles resultantes.
7

2.3.5. Artigo 84.º Domicílio electivo

É permitido estipular domicílio particular para determinados negócios, contanto que a


estipulação seja reduzida a escrito.

2.3.6. Artigo 85.º Domicílio legal dos menores e interditos

1. O domicílio dos menores e interditos é o do respectivo representante legal, salvo quanto aos
actos em que possam intervir pessoalmente.

2. Não é aplicável o disposto no número anterior, se o representante residir no estrangeiro ou


numa província ultramarina ou estiver cumprindo pena de prisão, seja qual for a natureza desta.

2.3.7. Artigo 86.º Domicílio legal da mulher casada

A mulher casada tem o domicílio do marido, excepto se os cônjuges estiverem separados


judicialmente de pessoas e bens, ou se entretanto se verificar algum dos casos previstos nas
alíneas b) e c) do n.º 1 do artigo 1672.º ou, relativamente ao marido, no n.º 2 do artigo anterior.

2.3.8. Artigo 87.º Domicílio legal dos empregados públicos (CC)

1. Os empregados públicos, civis ou militares, quando haja lugar certo para o exercício dos seus
empregos, têm nele domicílio necessário, sem prejuízo do seu domicílio voluntário no lugar da
residência habitual.

2. O domicílio necessário é determinado pela posse do cargo ou pelo exercício das respectivas
funções.

2.3.9. Domicílio Profissional

É também domicílio da pessoa natural, quanto às relações concernentes à profissão, o lugar onde
esta é exercida. Se a pessoa exercitar profissão em lugares diversos, cada um deles constituirá
domicílio para as relações que lhe corresponderem.

Artigo 83.º CC: 1. A pessoa que exerce uma profissão tem, quanto às relações que a esta se
referem, domicílio profissional no lugar onde a profissão é exercida.
8

2. Se exercer a profissão em lugares diversos, cada um deles constitui domicílio para as relações
que lhe correspondem.

2.3.10. Domicílio de Pessoas Jurídicas

Quanto às pessoas jurídicas, o domicílio é:

I. Da União, o Distrito Federal;


II. Dos Estados e Territórios, as respectivas capitais;
III. Do Município, o lugar onde funcione a administração municipal;
IV. Das demais pessoas jurídicas, o lugar onde funcionarem as respectivas directorias e
administrações, ou onde elegerem domicílio especial no seu estatuto ou actos
constitutivos.

Tendo a pessoa jurídica diversos estabelecimentos em lugares diferentes, cada um deles será
considerado domicílio para os actos nele praticados.

Se a administração, ou directoria, tiver a sede no estrangeiro, haver-se-á por domicílio da pessoa


jurídica, no tocante às obrigações contraídas por cada uma das suas agências, o lugar do
estabelecimento, sito no Brasil, a que ela corresponder. Veja tópico Estabelecimento.
9

3. Conclusão

O autor conclui que domicílio é o lugar ou a sede prefixado em lei ou em contrato, onde poder-
se-á encontrar a pessoa natural ou jurídica, para que a mesma possa arcar com as suas obrigações
legais. O termo 'domicílio' é também empregado, excepcionalmente, no direito, para indicar a
casa de morada de pessoa e muda-se o domicílio, transferindo a residência, com a intenção
manifesta de o mudar.

A prova da intenção resultará do que declarar a pessoa às municipalidades dos lugares, que
deixa, e para onde vai, ou, se tais declarações não fizer, da própria mudança, com as
circunstâncias que a acompanharem. O domicílio da pessoa natural é o lugar onde ela estabelece
a sua residência com ânimo definitivo.

Têm domicílio necessário o incapaz, o servidor público, o militar, o marítimo e o preso. Nos
contratos escritos, poderão os contratantes especificar domicílio onde se exercitem e cumpram os
direitos e obrigações deles resultantes e é também domicílio da pessoa natural, quanto às
relações concernentes à profissão, o lugar onde esta é exercida.
10

Bibliografia

AMARAL, Luiz Octávio de Oliveira. Teoria Geral do Direito. São Paulo: Saraiva,3ª ed., 2010.

Código Civil Moçambicano, Aprovado pelo Decreto - Lei nº 47344 de 25 de Novembro de 1966.

KELSEN, H. Teoria geral do direito e do estado. Tradução de Luís Carlos Borges. São Paulo:
Martins Fontes, 2000

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. Trad. João Baptista Machado. 7ª ed. São Paulo:
Martins Fontes, 2006.

LAKATOS, Eva Maria & MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia


Científica. 5a Edição, editora ATLAS. São Paulo. 2003. pp 174, 183.

SGARBI, Adrian. Teoria do direito. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.

Você também pode gostar