Você está na página 1de 40

Semana da

Orientação Farmacêutica

✓ Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos


✓ Indicação de Medicamentos para gestantes
Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

• Para calcular a dosagem dos medicamentos, é imprescindível levar em


conta 4 fatores importantes:
1- Apresentação do medicamento → A apresentação do medicamento
está relacionada à forma farmacêutica e à dosagem que ele vai se
apresentar. Por exemplo:

Apresentação Paracetamol:
Solução oral em gotas 200mg/mL

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

2- Dose recomendada do medicamento → A dose recomendada do


medicamento você vai encontrar na bula. É muito importante que você
consulte sempre a bula oficial do medicamento, destinada aos
profissionais de saúde. Você encontra facilmente todas as bulas no
Bulário da Anvisa:

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

3. Peso do paciente → O peso do paciente é muito importante de você


saber, principalmente se for uma criança. Muitos farmacêuticos
confundem na hora de calcular a dose de medicamentos para crianças
porque acreditam que deve ser levado em conta apenas a idade. Na
verdade, o peso corporal é o fator mais importante para calcular a dose
de criança. Repare que a dose recomendada na bula sempre está
relacionada ao peso. Veja como exemplo a bula da ivermectina
comprimido 6mg.

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Aqui, mesmo para adulto, a dose está indicada conforme o peso. Uma pessoa com 95kg, teria que tomar:
200mcg ------ 1kg → primeiro você transforma mcg para mg, sabendo que 1mg tem 1000mcg:
1mg ------ 1000mcg
X ---------- 200mcg
X = 0,2g

Agora você efetua o cálculo por peso:


0,2g (200mcg) --------- 1kg
X ----------95kg
X = 19g
Cada comprimido tem 6g. Logo uma pessoa de 95kg tem que
tomar 3 comprimidos e meio.

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

4. Idade do paciente → O 4◦ fator importante é a idade. Na regra geral,


é considerado adulto para tomar medicamento a pessoa que tem acima
de 40kg. Isso vai ser uma pessoa de 12 anos, mais ou menos. Porém, há
casos de crianças de 8 anos com mais de 40kg. E nesse caso não poderá
ser considerada a dosagem de adulto. A capacidade do organismo de
assimilar uma dose de adulto exige uma certa “maturidade orgânica”.
Por isso que a idade é importante. Vai acontecer casos de medicamentos
que não devem ser administrados em pessoas com menos de 18 anos,
por falta de estudos. Assim, é sempre importante saber a idade e o peso
do paciente, para que o cálculo da dosagem seja feito de forma
adequada
Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86
Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

D = dose recomendada
P = peso da criança

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86
Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Cálculo de dosagem de medicamentos pediátricos

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Classificação de risco de medicamentos para
gestantes

Elaborado por Sarah Faria – CNPJ 36.720.038/0001-86


Desordens dermatológicas na gestação
• Alergias • O tratamento farmacoterapêutico é
• Micoses (fungos). realizado com medicamentos tópicos: anti-
hitamínicos, antifúngicos, antibióticos
• Hiperpigmentação locais.
• Melasma • Melasma e hiperpigmentação: usar
• Foliculite protetor solar. Podem ser tratados após a
gestação.
• Gengivites
• Gengivites: melhorar a higiene bucal
• Varizes
• Varizes: usar meias de compressão, ingerir
• Acne mais líquidos.
• Acne: ácido azelaico, peroxido de benzoíla
Hipertensão na gravidez
• O diagnóstico de hipertensão na gravidez é feito quando os níveis pressóricos
são iguais ou superiores a 140/90 mmHg.
• Pode complicar a gravidez de 4 formas:
1) Pré-eclâmpsia/eclampsia: ocorre após a 20a semana de gestação, mais
frequentemente próximo ao parto. Caracteriza-se pelo desenvolvimento
gradual de hipertensão, proteinúria, edema generalizado e, às vezes,
alterações da coagulação e da função hepática. A sobrevivência de convulsão
define uma forma grave chamada eclâmpsia.
2) Hipertensão crônica: a mulher já era hipertensa antes da gestação
3) Hipertensão com eclampsia: a mulher já era hipertensa ou se torna hipertensa
na gestação e pode entrar em eclampsia.
4) Hipertensão gestacional: a mulher não era hipertensa antes da gestação.
Hipertensão na Gravidez

TRATAMENTO ACOMPANHAMENTO DO FARMACÊUTICO


• Metildopa é a primeira escolha pela • Acompanhar a pressão arterial
maior segurança • Acompanhar sintomas
• Betabloqueadores podem ser • Acompanhar a farmacoterapia
utilizados: atenolol, propranolol.
• Alfabloqueadores podem ser • Elaborar relatórios para o obstetra
utilizados: doxazosina, prazosina. • Orientar sobre uso correto dos
• Inibidores da ECA devem ser medicamentos e sobre possíveis
evitados: captopril, enalapril. efeitos colaterais.
• Bloqueadores de receptores de
angiotensina devem ser evitados:
losartana
Diabetes gestacional

O QUE É FATORES DE RISCO


• É A INTOLERÂNCIA AOS CARBOIDRATOS, de • Idade superior a 25 anos
graus variados de intensidade, diagnosticada pela
primeira vez durante a gestação, podendo ou não • Obesidade
persistir após o parto. • Baixa estatura
• É o problema metabólico mais comum na gestação. • Ovário policístico
• Ganho de peso excessivo na gravidez atual
• Disposição central de gordura corporal
✓ Resultados de glicemia acima de 92mg/dL • História de diabetes em parentes de primeiro grau
associados a pelo menos dois fatores de risco • Crescimento fetal excessivo
indicam necessidade investigação. • Hipertensão na gravidez atual
✓ Um segundo valor a partir de 125 mg/dl,
• Antecedentes obstetrícios de morte fetal ou
assegurado o jejum de 8 horas, define o neonatal e diabetes gestacional.
diagnóstico de diabetes gestacional .
Diretrizes SBD 2019
Diabetes gestacional
ACOMPANHAMENTO DO
TRATAMENTO FARMACÊUTICO
• Orientação alimentar (controle • Acompanhar a glicemia
metabólico). • Acompanhar peso
• Insulina é a primeira escolha • Acompanhar sintomas
medicamentosa
• Acompanhar a farmacoterapia
• Metformina: toda a gestação
• Elaborar relatórios para o
• Glibenclamida: a partir do obstetra
segundo trimestre
• Orientar sobre uso correto da
insulina e dos medicamentos
DOR LOMBAR

POR QUE OCORRE O QUE NÃO PODE SER UTILIZADO


• Aumento de peso
• Anti-inflamatórios orais
• Centro gravitacional
• Relaxantes musculares
• Postura
O QUE PODE SER UTILIZADO ORIENTAÇÕES FARMACÊUTICAS

• Paracetamol, dipirona • Na crise: repouso, compressa quente,


(normalmente não ajudam muito). alongamento, fisioterapia
• Para evitar a crise: alongamento
• Pomadas, géis, aerrosois anti- diariamente, exercícios leves, não
inflamatprios ou analgésicos. pegar peso. Evitar ganhar peso.
Gripe e tosse na gestação

POR QUE OCORRE O QUE PODE SER UTILIZADO


• Ocorre devido à baixa • Soro fisiológico
imunidade. • Paracetamol
• Em decorrência de alergia • Dipirona
• Não é prejudicial para o bebê. • Lotatadina, cetirizina (tosse seca)
• Causa grande incômodo e • Hedera Helix (tosse com catarro)
desconforto para a mãe.
• Mel com agrião
• Vitamina C
Problemas ginecológicos na gestação

3- VAGINOSE BACTERIANA ORIENTAÇÕES FARMACÊUTICAS


• O tratamento é feito
• Realizar o tratamento
principalmente com
conforme prescrição.
metronidazol ou
clindamicina. Pode ser • Fazer higiene íntima
associado o tratamento adequada.
local com pomadas de • Lactobacillus acidófilos.
antibióticos.
Gripe e tosse na gestação

ORIENTAÇÕES FARMACÊUTICAS
• Atenção se a tosse durar mais de 3
• Aumentar a ingestão de água; dias, se causar dor no abdômen, se
• Fazer repouso; tiver sangue ou se houver febre.
• Aumentar o consumo de
alimentos com substâncias
antioxidantes;
• Cuidado com chás. Permitidos:
agrião, limão, mel, camomila,
tomilho, gengibre.
Infecção urinária na gestação
A Gravidez favorece o aparecimento de infecções
urinárias porque:
→Diminuem as contrações da bexiga;
→A bexiga sofre compressão;
→Com o aumento do hormônio progesterona, há um
relaxamento da musculatura da uretra, o que
encurta o caminho das bactérias até a bexiga e os
rins.
→Ocorre maior eliminação de glicose na urina.
→O aumento da circulação sanguínea favorece a
maior circulação de germes, que passam pelos rins
e podem provocar infecção.
→ Baixa no sistema imunológico.
→Alterações hormonais
Infecção urinária na gestação
• Cerca de 17 a 20% das gestantes irão • Muitos casos assintomáticos.
apresentar pelo menos 1 infecção • Muitos casos com sintomas difíceis
urinária durante a gravidez. de identificar.
• Quando acontece no primeiro • Casos com febre, dor no baixo
trimestre, há risco de aborto, pois o ventre, calafrios, dor nas costas,
embrião é muito sensível. ardência ao urinar e urgência de
• A partir do segundo trimestre, há urinar várias vezes.
risco de perda de líquido amniótico
ruptura de bolsa, podendo levar ao
parto prematuro.
• No terceiro trimestre, as toxinas
liberadas pelas bactérias no canal
urinário podem causar contrações
uterinas e, consequentemente, parto
prematuro.
Infecção urinária na gestação
TRATAMENTO FARMACOLÓGICO

• A antibioticoterapia é escolhida com base no exame de urina. Ele deve


reunir as seguintes características:
• máxima eficácia,
• atividade contra a maioria dos patógenos provavelmente envolvidos
• baixa taxa de resistências na população em causa
• bom perfil de segurança materno-fetal.
Infecção urinária na gestação

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO
• Os β-lactâmicos (amoxicilina, ampicilina, amoxicilina + clavulanato,
cefalexina) são os únicos antibióticos cuja inocuidade fetal está
comprovada.
• Fosfomicina → pode ser utilizado com segurança.
• Nitrofurantoína → pode ser utilizado com segurança.
• Sulfametoxazol + trimetoprima → não pode no primeiro trimestre
porque antagoniza o ácido fólico.
• NÃO PODE→ Fluoroquinolonas (Levofloxacino, Ciprofloxacino,
Norfloxacino) Eritromicina, Tetraciclina.
Infecção urinária na gestação

TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO


• Água
• Repouso
• Diminuir a ingestão de açúcar
• Consumir alimentos ricos em vitamina C
• Cramberry
Problemas ginecológicos na gestação

1- CANDIDÍASE SINTOMAS
• O aumento nos níveis de • Coceira intensa
estrogênio favorece o • Ardência ao urinar
crescimento da Candida
Albicans, o que pode resultar em • Corrimento branco tipo leite
candidíase. talhado.
• A candidíase é comum em • Região íntima inchada e
grávidas. avermelhada.
• Não prejudica o bebê, mas pode • Dor no momento das relações
ser transmitida no parto normal. sexuais.
Problemas ginecológicos na gestação

1- CANDIDÍASE ORIENTAÇÕES FARMACÊUTICAS


• O tratamento é feito inicialmente • Fazer banho de assento com 2 litros
de água morna + 1 xícara de
em nível local (sem aplicador), vinagre de maçã por 30minutos, 1x
com cremes de nistatina, ao dia. Alivia a coceira.
clotrimazol, miconazol, terconazol. • Diminuir ingestão de doces
• Lactobacillus acidófilos
• Lavar a vagina somente com água
ou com sabonete próprio
• Usar calcinha de algodão.
Problemas ginecológicos na gestação

2- TRICOMONÍASE SINTOMAS
• É uma infecção causada pelo • Corrimento abundante de cor
Trichomonas vaginalis (protozoário amarela ou amarelo-esverdeado,
flagelado) e tem como reservatório com cheiro forte, irritação local,
o colo uterino, a vagina e a uretra. dor.
• É considerada uma doença Quando ocorre na mulher durante a
sexualmente transmissível, pois é gravidez, pode ser um fator de risco para
transmitida através das relações um déficit intelectual no seu filho, de
sexuais ou contato íntimo com acordo com vários estudos. Além disso,
secreções de uma pessoa pode ocasionar infecção das vias
contaminada. respiratórias do recém-nascido.
Problemas ginecológicos na gestação

2- TRICOMONÍASE ORIENTAÇÕES FARMACÊUTICAS


• O tratamento
farmacoterapêutico é feito • O Parceiro precisa se
geralmente com tratar
metronidazol oral. Em • Não ter relação sexual
algumas situações, local, até remissão dos
mas sem aplicador. sintomas
• Usar preservativo
Problemas ginecológicos na gestação

3- VAGINOSE BACTERIANA SINTOMAS


• Distúrbio que afeta a flora vaginal, • Os principais sintomas são cheiro
elevando a quantidade de bactérias muito forte (peixe podre)
nocivas, como a Gardnerella vaginalis.
• Corrimento de cor acinzentado.
• Aparece na gravidez devido à baixa
imunidade e em decorrência do
• Ardência ao urinar.
estresse.
• Não é sexualmente transmissível.
• Não afeta o desenvolvimento do bebê,
mas pode levar a um parto prematuro.
Problemas ginecológicos na gestação

3- VAGINOSE BACTERIANA ORIENTAÇÕES FARMACÊUTICAS


• O tratamento é feito
• Realizar o tratamento
principalmente com
conforme prescrição.
metronidazol ou
clindamicina. Pode ser • Fazer higiene íntima
associado o tratamento adequada.
local com pomadas de • Lactobacillus acidófilos.
antibióticos.
Validação do Protocolo de atendimento
Validação do Protocolo de
atendimento
O protocolo de atendimento é validado a partir do momento que você
“confere se ele deu certo”. Isso exige e você um acompanhamento ao
paciente que você atendeu. Se você ainda não tem um programa de
atenção farmacêutica, ou mesmo um consultório clínico, aqui vão
algumas dicas de acompanhamento:
Se ele estiver se sentindo melhor, significa
2 dias após sua que sua indicação deu certo. Está
indicação, envie uma validada!
Ao dispensar o mensagem via
medicamento, solicite whatsapp e pergunte
o telefone do paciente, como ele sente, se está Se ele NÃO estiver se sentindo melhor,
de preferência celular tomando o pergunte se foi ao médico ou oriente a ir e
medicamento acompanhe qual foi a prescrição . Assim já
saberá o que fazer quando passar por uma
situação semelhante.
Validação do Protocolo de
atendimento
Ao invés de mandar mensagem, você pode telefonar. No entanto, a mensagem é
menos invasiva e dá oportunidade ao paciente de responder quando ele puder.
Você pode, ainda, agendar um retorno com o paciente e assim conversar
pessoalmente com ele.
Todas as vezes que você liga para o paciente ou envia uma mensagem, ao mesmo
tempo de demonstra atenção e confiança, consegue saber se o que você indicou
funcionou. Isso faz com que você aproveite bastante sua experiência.
➢Lembre-se sempre de anotar todas as observações;
➢Dedique um tempo para estudar os casos dos pacientes;
➢Procure ser sempre atencioso e bom ouvinte;
➢Coloque-se no lugar do paciente.
➢Fale uma linguagem que ele entenda. Evite termos técnicos, isso vai aproximar o
paciente de você!
Entre em contato

farmaceuticasarahfaria@gmail.com

27 99666 5512

@sarahbvfaria