Você está na página 1de 25

A vida secreta dos bebês

1
Bebês nascem com um buraco no coração
Em segurança dentro do útero de sua mãe, o bebê tem todas as suas
necessidades supridas. Mas tudo isso muda quando ele nasce. Sua
primeira respiração “do lado de fora” muda toda a sua vida. O fluxo de
sangue muda da placenta para os pulmões, fechando um buraco no
seu coração.

Em nós, adultos, isso só seria possível com uma cirurgia delicada, mas
nos recém-nascidos isso ocorre de forma mágica e natural. E esse é só
um dos milagres invisíveis que acontecem com o seu corpinho e que
garantem a sua sobrevivência.
2
Recém-nascidos já têm instintos apurados
Com apenas alguns minutos de vida, podemos imaginar que o bebê é
frágil e delicado. Mas você pode se surpreender. Por um reflexo
herdado dos nossos ancestrais macacos, os recém-nascidos são
capazes de apertar com muita força nossos dedos – e até se pendurar
neles caso a gente erga seus bracinhos. O mesmo acontece nos pés:
experimente apertar delicadamente a sola dos seus pés e verá que ele
encolhe os dedinhos, como se quisesse abraçar o dedo que está
pressionando o pé. 3
Outro instinto natural dos recém-nascidos faz com que eles procurem,
imediatamente após o nascimento, o rosto humano, especialmente o de
sua mãe. Quando encontra, com apenas 20 minutos de vida, ele já será
capaz de imitar os gestos que vê, como o ato de mostrar a língua, por
exemplo.

Mas o seu instinto mais forte é, com certeza, encontrar comida. Basta
um toque na bochecha para que ele procure, franzindo os lábios, o leite.
4
Bebês têm um choro para cada necessidade
Impossível não pensar em um bebê sem pensar em…choro! Afinal, essa
é a primeira e uma das mais eficientes formas dele se comunicar com o
mundo no início da vida. Mas o que os especialistas estão tentando
agora é decifrar o que cada choro, de fato, significa. Pra isso, eles
criaram uma teoria:

Um bebê cansado vai bocejar e o som do choro começa como o som de


um bocejo, com a boca bem aberta.
Já quando está com fome, o reflexo da sucção faz com que a língua
passe pelo céu da boca, produzindo um som parecido com um “né”, com
a língua dobradinha (como quando vão mamar). 5
Eles podem mamar e respirar ao mesmo tempo

Os bebês nascem com o aparelho vocal maior que a garganta, o que


deixa a traqueia mais acima do que nossa e a aproxima da cavidade
nasal. Por isso, os bebês tem uma habilidade que os adultos não
conseguiriam: eles podem mamar e respirar ao mesmo tempo.

6
Bebês são exímios nadadores
Essa anatomia peculiar do seu sistema respiratório também explica uma
outra surpreendente habilidade de sobrevivência de um bebê: a capacidade
de nadar. Parece incrível, mas os bebês ficam naturalmente à vontade
embaixo d’água, e isso pode ser facilmente demonstrado após um treino
básico em uma piscina. Mas como explicar o fato de eles conseguirem ficar
submersos por segundos sob a água? Isso acontece porque o reflexo os
fazem parar de respirar pelo nariz quando estão submersos e o aparelho
vocal permite abrirem bem a boca sem que a água entre no estômago ou nos
pulmões. 7
Ao colocar um bebê na água, você vai perceber que muito antes de
aprenderem a engatinhar ou andar, seus membros funcionam
instintivamente para impulsioná-los. Para os cientistas, essa habilidade
pode estar relacionada ao tempo que passamos “nadando” no líquido
amniótico da bolsa ou a um reflexo do nosso passado evolutivo. Mas é
claro, depois de alguns segundos submersos, os bebês nadadores
precisam da ajuda de um adulto para subirem e respirarem novamente.
8
A fofura dos bebês os ajudam a sobreviver

Os cientistas também revelaram que a beleza dos bebês é uma das


formas mais poderosas para sua sobrevivência. Estudos mostraram que
quando vemos aqueles olhos grandes, lábios e narizes pequenos e suas
expressões delicadas, a parte afetiva do nosso cérebro se ilumina. É um
impulso tão forte que os animais imitam essa capacidade. É por isso que
os achamos tão irresistíveis e cuidamos deles custe o que custar.

9
Bebês têm dupla visão
Para ver o mundo como uma única imagem, nosso cérebro junta a visão dos
dois olhos. Os recém-nascidos não são capazes de fazer isso. Por isso, os
cientistas acreditam que os bebês tem visão dupla. E até que os músculos dos
olhos se fortaleça, a maior parte do que eles veem é turvo, com um ponto
focal a uma distância de 20cm do seu rosto. Não por acaso, os olhos das
mães ficam a essa distância durante a amamentação. De alguma forma,
estamos destinados a saber disso. Todos nós nos inclinamos naturalmente ao
falar com os bebês, não é? Também fazemos caretas como os personagens de
desenho animado, para tirar a imagem turva. 10
Os olhos dos bebês só enxergam cores primárias
Você já se perguntou porque os bebês gostam tanto de brinquedos com
cores fortes e com alguns desenhos escalafobéticos que chegam a nos
dar dor de cabeça? É porque os olhos dos bebês respondem bem ao
contraste. Pra eles, quanto mais contrastantes forem as cores, melhor
(como um desenho em preto e branco, por exemplo). Bebês tem uma
percepção pobre das cores, por isso, eles só conseguem reconhecer as
cores primárias. Leva anos até que eles apreciem o extenso espectro de
cores que nós vemos. 11
Eles ouvem tudo como um eco
Ao contrário da visão, a audição dos bebês é excelente. Nascidos com o
ouvido interno totalmente formado, os recém-nascidos podem ouvir muito
bem. Isso os faz reconhecer na hora a voz de suas mães e de outros sons
familiares que eles ouviam desde a barriga da mãe, como o tema da novela,
por exemplo. Mas ela não é perfeita. Até que o cérebro aprenda a processar
o som que vem dos dois ouvidos em tempos diferentes, eles vão ouvir tudo
como um eco. Novamente, nós sabemos disso de forma instintiva ao
falarmos de uma maneira lenta, repetitiva e com aquela voz de bobo.
12
Bebês gostam de ruídos altos
Surpreendentemente, os bebês estão acostumados com barulhos altos.
Dentro do útero, o coração da mãe batia a 90 decibéis. Para se ter uma ideia,
isso é tão alto quando o barulho do motor de um desses carros esportivos. É
por isso que bebês adoram dormir em carros. O som constante e abafado do
carro recria a experiência do útero, sem falar que a vibração suave da
estrada aumenta ainda mais a familiaridade com o ambiente. Mas sem o
abafamento do líquido amniótico, um ruído repentino pode acordá-los
facilmente. Felizmente, eles costumam voltar a dormir logo.
13
Enquanto dormem, eles absorvem o humor das
pessoas ao redor
Durante os três primeiros meses, os bebês dormem cerca de 16 horas
por dia. Mas seus cérebros estão longe de estarem inativos. Estudos
mostram que eles sonham duas vezes mais que nós. Sonhar é como o
cérebro processa as coisas novas que eles encontraram em um mesmo
dia. Cientistas que monitoraram os cérebros de bebês dormindo
descobriram também que eles não têm o sono pesado como nós. Não
entendemos por que, mas eles podem ouvir durante o sono e até
absorvem o humor das pessoas aos seu redor durante o sono. 14
Como os pais sabem, esse sono todo não acontece ininterruptamente, e
nem sempre vem à noite. Mas não pense que é manha ou culpa dele: no
princípio, o bebê não tem a menor capacidade diferenciar quando está
de noite e é hora de dormir, ou quando amanheceu e é hora de acordar.
Mas eles devem dormir, pois o sono é crucial para o cérebro lidar com o
fluxo constante de novas informações. Nessa idade, cada nova
descoberta está mudando fisicamente o formato de seus cérebros.
15
Bebês podem cheirar o som
Ondas cerebrais mostram que, às vezes, partes do cérebro de bebês fazem
curvas incomuns. Então, um bebê pode ouvir um ruído alto e senti-lo nas
pontas dos dedos. Eles podem ver uma luz brilhante e experimentar a
sensação de cheirá-la. Isso ocorre porque as trilhões de conexões entre os
neurônios ainda não estão organizadas. Então, eles são capazes de provar as
cores e cheirarem o som. Isso por parecem ruim para eles, mas significa que
o cérebro, nessa idade, se adapta a qualquer situação, e isso é uma enorme
vantagem que os bebês levam sobre nós.
16
Nascemos com 70 ossos a mais
Conforme crescem, os bebês começam a explorar e interagir com o mundo
ao seu redor. É quando as coisas se tornam físicas. Mas para ajudar no
desenvolvimento físico, o esqueleto, ainda mole, precisa endurecer. Os bebês
nascem com cerca de 70 ossos a mais que um adulto. Com o tempo, alguns
se fundem, com os do crânio, formados por placas que se sobrepõem quando
a cabeça se espreme no canal vaginal durante o parto. Em outras partes do
corpo, ossos aparecem onde antes não havia nenhum. Ossos do pulso e do
tornozelo tornam-se visíveis e endurecem e, de maneira incrível, os bebês
nascem sem as rótulas. Só depois de alguns anos, quando pararem de cair e
aprenderem a andar, as cartilagens nos joelhos se transformam em osso. 17
Bebês triplicam o seu peso no primeiro ano
Os bebês crescem rapidamente. Eles alcançam metade da altura total
aos dois anos. Se continuassem a crescer desse jeito, seriam gigantes ao
chegarem à idade adulta. O peso corporal triplica no primeiro ano. E
todo esse crescimento exige uma quantidade enorme de energia. Por
isso o leite é tão importante. A gordura do leite é vital para os cérebros
em crescimento, estimulando novas conexões . Aos seis meses, eles têm
um décimo do nosso tamanho, embora precisem de um terço das
calorias de que precisamos. É a hora da comida sólida. 18
Quanto mais sujeira, mais rápido eles aprendem a
comer

Cientistas descobriram que quanto maior a bagunça na hora das


refeições, mais rápido eles aprendem a comer. Trata-se de
descobrir a diferença entre sólidos, líquidos ou apenas o que é
bom pra brincar.

19
Bebês têm medo de plantas, mas não de animais
selvagens
A fase de explorar o mundo pode ser bem perigosa para os bebês.
Então, como eles saberiam o que é seguro e o que não é? O método
“tentativa e erro” é o que vai mais fazer parte da sua vida nesta época,
mas também há coisas que eles evitam instintivamente. Talvez você não
tenha notado, mas a maioria dos bebês tem aversão a plantas. Cientistas
supõem que isso acontece para proteção contra plantas venenosas e
espinhos (e poderia explicar por que é tão difícil fazer com que eles
comam salada). 20
Bom, se eles têm medo de plantas, você deve concluir que, obviamente,
eles vão temer também animais perigosos ou venenosos. Aí é que vem a
surpresa. Eles não tem a menor noção de que animais podem
representar algum risco! Quando se trata dos animais, os bebês nascem
completamente inocentes. Eles só aprendem o que temer com a
experiência e conosco.

21
Bebês andam 110 km nos primeiros 2 anos

Isso explica o fato deles começarem a engatinhar de formas tão


peculiares e próprias. Alguns se arrastam de barriga, outros preferem
usar o bumbum ou os joelhos pra se deslocarem. Isso porque ele vai
usar as características de seus pais ou cuidadores ao andarem pra
arriscar esses primeiros movimentos. A vontade de irem de cá pra lá, de
lá pra cá é tanta que, aos dois anos, os bebês já terão percorrido uma
média de 110km!
22
Bebês ouvem o que falamos ainda no útero
Quando o assunto é comunicação, pesquisas recentes revelaram que os
bebês sabem muito mais do que aparentam. O processo de aprender a
falar é tão importante que começa antes mesmo deles nascerem. Os
bebês ouvem o que falamos ainda no ventre. Prova disso é que poucos
minutos após o nascimento, eles podem identificar a língua e o sotaque
das mães, o que os ajuda a reconhecer os membros de sua família.

23
Eles sorriem 300 vezes por dia
Depois de aprenderem a se comunicar pelo choro, os bebês descobrem
uma nova forma de interagir: com os sorrisos! Isso é inato, bebês cegos
sorriem mesmo sem ver um sorriso pra imitar. Bebês sorriem em média
300 vezes por dia. Mas não é só pela diversão. Ao completarem um ano
e meio os bebês fazem a maior descoberta de suas vidas: eles mesmos.
Eles começam a se reconhecer no reflexo e aí cada expressão pode ser
repetida dezenas de vezes.
24
Bebês identificam mais sons que os adultos
Sabemos que crianças aprendem idiomas mais rapidamente que nós,
mas como eles fazem isso? Nós, adultos, só conseguimos identificar os
cerca de 45 sons da nossa língua mãe, enquanto uma pesquisa mostra
que, aos seis meses, os bebês podem ouvir a diferença entre os 150 sons
que compõem todas as línguas do mundo. Ou seja, eles nascem
preparados para qualquer língua.

25

Você também pode gostar