Você está na página 1de 8

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ANÁPOLIS – UniEVANGÉLICA

CAMPUS CERES
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE ÁGUAS PLUVIAIS

GABRIELA ALVES CAMARGO


GEOVANNA RAFAELLA RODRIGUES
HIGOR LELES S. A. ANDRADE
JOÃO RICARDO DA SILVA
PABLO PATRICK PABLO
VICTHOR ANTÔNIO RODOVALHO DA SILVA

PROF. ME. LUANA DE LIMA LOPES

CERES, JUNHO DE 2020


CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ANÁPOLIS – UniEVANGÉLICA
CAMPUS CERES
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE ÁGUAS PLUVIAIS

GABRIELA ALVES CAMARGO


GEOVANNA RAFAELLA RODRIGUES
HIGOR LELES S. A. ANDRADE
JOÃO RICARDO DA SILVA
PABLO PATRICK PABLO
VICTHOR ANTÔNIO RODOVALHO DA SILVA

PROF. ME. LUANA DE LIMA LOPES

Memorial Descritivo entregue ao


Departamento de Engenharia Civil do
Centro Universitário de Anápolis –
UniEVANGÉLICA, Campus Ceres como
requisito parcial para a aprovação na
disciplina Instalações Prediais
Hidráulicas e Sanitárias.

CERES, JUNHO DE 2020


SUMÁRIO

1. APRESENTAÇÃO ............................................................................................................... 4

2. CARACTERÍSTICAS DA EDIFICAÇÃO ........................................................................ 4

3. DOCUMENTOS FORNECIDOS PELO CLIENTE ........................................................ 4

4. NORMAS TÉCNICAS DE REFERÊNCIA ....................................................................... 5

5. MEMORIAL DE CÁLCULO ............................................................................................. 5

6. DESCRIÇÃO DO PROJETO ............................................................................................. 5

7. DESCRIÇÃO DOS MATERIAIS ....................................................................................... 6

8. RELAÇÃO DE PLANTAS .................................................................................................. 6

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................................................... 7


1. APRESENTAÇÃO

Neste projeto foi realizado toda as etapas para um correto dimensionamento do sistema
de coleta, encaminhamento e descarte de efluentes da água da chuva. O projeto de “águas
pluviais” como é denominado tem etapas e regulamentações que devem ser seguidas para se
obter um correto funcionamento, proporcionando ao consumidor segurança e qualidade dos
serviços hidráulicos.
No presente estudo foi dimensionado o sistema de águas pluviais para uma edificação
de múltiplos pavimentos. O sistema predial pluvial é um projeto das instalações de drenagem
de águas pluviais, visando a garantir níveis aceitáveis de funcionalidade, segurança, higiene,
conforto, durabilidade e economia.
Trata-se do conjunto de condutos, instalações, e equipamentos que tem o objetivo de
coletar, transportar, condicionar e encaminhar somente as águas pluviais a uma disposição final
conveniente, de modo contínuo e higienicamente seguro.
Esse sistema pode ser subdividido em três segmentos para dimensionamento: Sistema
de coleta, Sistema de transporte e Sistema de dispositivos especiais.
Subsistema De Coleta: Calhas.
Subsistema De Transporte: Condutores verticais e horizontais.
Subsistema de dispositivos especiais: caixa de areia ou de inspeção.
O objetivo deste projeto é seguir as normas e aplicar os conceitos de dimensionamento
de tubulação, acessórios e sistema de drenagem que se referem as instalações prediais.
Apresentando neste memorial os conceitos, cálculos, normas e diretrizes utilizadas para
alcançar os resultados demonstrados.

2. CARACTERÍSTICAS DA EDIFICAÇÃO

A edificação é composta por 7 pavimentos, sendo o primeiro formado por 2


apartamentos com 3 quartos cada, hall de entrada, salão de eventos, cozinha, salas
administrativas e dois banheiros. Os outros 6 andares são compostos por 4 apartamentos, cada
apartamento com capacidade para até 6 pessoas. A edificação conta com uma área total
construída de 1962,46 m².

3. DOCUMENTOS FORNECIDOS PELO CLIENTE

Implantação Geral; Planta baixa subsolo;


Planta baixa térreo; Planta baixa pavimentos;
4
Planta de cobertura e locação; Fachada posterior;
Corte A-A; Fachada lateral direita;
Corte B-B; Fachada lateral esquerda;
Fachada frontal

4. NORMAS TÉCNICAS DE REFERÊNCIA

ABNT NBR 10844/1989 - Instalações prediais de águas pluviais.

Esta Norma fixa exigências e critérios necessários aos projetos das instalações de
drenagem de águas pluviais, visando a garantir níveis aceitáveis de funcionalidade, segurança,
higiene, conforto, durabilidade e economia.

5. MEMORIAL DE CÁLCULO

De acordo com as tabelas da ABNT 10844/1989 e de acordo com os aparelhos do local


foi determinado os diâmetros das tubulações para uma cobertura na cidade de Ceres, goiás.

5.1 Intensidade Pluviométrica:

T b c b1 b2 α β γ δ
5 0,92919 24,6 46,0204 52,1072 0,1471 0,22 0,09 0,6274

I (mm/min) 2,50 I (mm/h) 150,19

5.2 Dimensionamento das calhas:

Área Q proj h borda Am Pm Q calha


CALHA b (m) y (m) H (m) n i
(m²) (L/min) livre (m) (m²) (m) (L/min)
AP01 79,08 197,95 0,1 0,05 0,033 0,083 0,005 0,2 0,011 0,01 233,18
AP02 14,88 37,25 0,06 0,03 0,020 0,050 0,0018 0,12 0,011 0,005 42,23
AP03 79,08 197,95 0,1 0,05 0,033 0,083 0,005 0,2 0,011 0,01 233,18
AP04 79,08 197,95 0,1 0,05 0,033 0,083 0,005 0,2 0,011 0,01 233,18
AP05 79,08 197,95 0,1 0,05 0,033 0,083 0,005 0,2 0,011 0,01 233,18

5.3 Dimensionamento dos condutores verticais:

5
Q proj DN
CALHA H (mm)
(L/min) (mm)
AP01 197,95 83,33 75
AP02 37,25 50,00 75
AP03 197,95 83,33 75
AP04 197,95 83,33 75
AP05 197,95 83,33 75

5.4 Dimensionamento dos condutores horizontais:

Área de Contato Área de


I h muro Q pav i DN
Trecho influência com o influência Q trecho
(mm/h) (m) (L/min) (%) (mm)
CI (m²) muro (m) muro (m²)
01-02 150,19 135,81 3,00 21,10 31,65 419,17 652,35 1 150
02-03 150,19 21,25 3,00 7,15 10,725 80,04 774,61 1 150
03-04 150,19 20,77 3,00 8,22 12,33 82,85 1090,64 1 200
04-sarjeta 150,19 49,23 3,00 5,31 7,965 143,17 1233,81 1 200

6. DESCRIÇÃO DO PROJETO

6.1 Subsistema de Coleta


A coleta das águas pluviais é feita primariamente pelas calhas na cobertura, terraço ou
similar para ser conduzida aos elementos verticais. A norma indica três tipos principais de
calhas de acordo com seu local de instalação:
• Calha de água-furtada: Calha instalada na linha de água-furtada da cobertura.
• Calha de beiral: Calha instalada na linha de beiral da cobertura.
• Calha de platibanda: Calha instalada na linha de encontro da cobertura com a
platibanda.
5
6.2 Subsistema de Transporte
O sistema é responsável por encaminhar os efluentes desde a calha até as galerias de
águas pluviais no passeio público. São compostos por condutores verticais e horizontais.
• Condutor vertical: Tubulação vertical destinada a recolher águas de calhas,
coberturas, terraços e similares e conduzi-las até a parte inferior do edifício.
• Condutor horizontal: Canal ou tubulação horizontal destinado a recolher e
conduzir águas pluviais até locais permitidos pelos dispositivos legais.

6.3 Subsistema de dispositivos especiais


Refere-se aos dispositivos específicos para a limpeza, inspeção e manutenção dos
condutos horizontais, são colocados em pontos de mudança de direção ou de diâmetro nominal,
ou ainda a cada 20 metros de distância.
• Caixa utilizada nos condutores horizontais destinados a recolher detritos por
deposição.
Em alguns casos pode-se usar caixas de inspeção para esgoto, porém devem ser
individuais para cada sistema.

7. DESCRIÇÃO DOS MATERIAIS

Und. Qtd. Descrição dos Materiais


Metros 101 Tubo em PVC rígido soldável para esgoto ø75mm, TIGRE, ou equivalente
Metros 57 Tubo em PVC rígido soldável para esgoto ø150mm, TIGRE, ou equivalente
Metros 29 Tubo em PVC rígido soldável para esgoto ø200mm, TIGRE, ou equivalente
Peça 05 Joelho 90° soldável para esgoto ø75mm, TIGRE, ou equivalente
Peça 07 Caixas de areia

Na execução avaliar a necessidade de outras peças e elementos de ligação a depender do


terreno.

8. RELAÇÃO DE PLANTAS

Planta baixa do telhado;


Planta baixa do térreo;
Legenda das peças;
Fachada lateral direita condutores verticais;
Fachada lateral esquerda condutores verticais;
6
Detalhe das caixas de areia para águas pluviais

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 10844: Instalações


prediais de águas pluviais. Rio de Janeiro, 1989.

Proprietário: _____________________________________________________________

Projeto: _____________________________________________________________

Ceres, 23 de junho de 2020.

Você também pode gostar