PROPOSTA DE MENSAGEM DO GOVERNADOR À ALEPE

Honro-me neste momento poder vir a Assembléia Legislativa entregar a mensagem que, por determinação constitucional, me cabe fazer, de maneira pioneira poder vir aqui entregar a prestação de contas não só de mais um ano, mas de um ciclo de quatro anos. Portanto passo a ler, a partir desse momento, senhor Presidente, a mensagem, lhe passarei as mãos dentro de poucos minutos. Honrou-me o povo de Pernambuco com mais um mandato de Governador do Estado, cabendo-me, nessa condição, dirigir-me à esta Assembléia Legislativa para saudar aos seus eminentes integrantes, honrados Deputados ungidos pelas urnas, e apresentar o Relatório de Ações relativo ao exercício 2010, como cumprimento a os ditames constitucionais. Ressalto que não assino este documento síntese do governo ap enas como um dever de ofício, como uma obrigação formal. Compartilho com essa Casa Legislativa, daí a nossa presença aqui, um retrato de um período histórico para o Estado, no qual podemos registrar ao cabo de quatro anos, o encerramento de uma etapa dentro de um ciclo implementado em Pernambuco de desenvolvimento econômico com inclusão social. Uma linha nos guiou ao longo do exercício do Governo, de forma inabalável: o rigoroso cumprimento dos compromissos assumidos com o povo de Pernambuco. Na vida, quem descuida da própria palavra claudica em seus deveres fundamentais. O exercício do poder não é outra coisa senão a legitimação pelas obras e ações que afirmam o compromisso assumido. É indispensável exercer a política como instrumental da arte de servir. Por isso que nos animamos voltar a governar Pernambuco para consolidar as relevantes transformações que estão a ocorrer em todos os setores e em todas as regiões do Estado, em momento tão especial da vida brasileira . Para isso, implantamos um modelo de gestão inovador, que faz com que a máquina pública, com maior velocidade, opere em favor de quem dela precisa, assegurando políticas eficazes que impliquem alterações significativas na vida das pessoas. Relevante a constatação de que Pernambuco passa a exercer um protagonismo no cenário nacional, como um Estado de referência, na concepção e no desenvolvimento de políticas públicas efetivamente transformadoras. Este é um momento de consolidação de um Pernambuco vitorioso, confirmado por estatísticas e indicadores que revelam a vitalidade da nossa economia, mas, sobretudo, no depoimento espontâneo e cheio de esperança de quem vive a retomada da confiança no futuro que, juntos, haveremos de fazer melhor do que o presente.

Este é o grande desafio que se i mpõe: continuarmos sem desvios na rota que nos conduziu até aqui, atuando em sintonia com o sentimento das ruas e em harmonia com os princípios que, desde longa data, orientaram a caminhada dos que tiveram a responsabilidade e a honra de governar Pernambuc o. Cumprimos essa caminhada com o rigor do trabalho dedicado, infatigável, com transparência, foco em resultados, vigilância na pauta do povo, diálogo permanente, superando limites, para herdar ao futuro uma obra de valor, a maior delas: a melhoria da q ualidade de vida do povo pernambucano. A confiança demonstrada pela sociedade nos enche responsabilidade, a qual dispensaremos incansável e fiel atenção. de grande

Fiquem certos, Senhoras e Senhores Deputados, o Governador de Pernambuco não descansará diante do desafio de continuar a exercer o seu mandato em nome do povo e dos seus interesses, demonstrando que quando se voltam os olhos para compreender os clamores da sociedade e em que nela deseja ver espelhados os seus líderes, não faltarão nem recursos, nem projetos, nem soluções para os desafios da sociedade moderna e global, ainda mais nos países em desenvolvimento, com graves e complexos problemas sociais. A atitude do líder diante dos desafios é tudo. Há os que se deixam engolfar pelos problemas e por eles se deixam paralisar. Há os que enfrentam os problemas de frente, com espírito público, com coragem, com energia, juntando os homens e as mulheres de boa vontade, animados pela tarefa que a política, só a política, ela mesma, tão abundantemente aviltada, pode ensejar, vale dizer, um mundo justo, fraterno e solidário. O cenário que nos espera nesse segundo mandato exige ainda mais maturidade, competência, qualificação e a unidade dos pernambucanos. Ao lado da sociedade em suas mais diversas representações, formais e informais, reabilitamos o ³Estado do Fazer´, que, como sabemos não se opõe ao Estado do controle, mas com ele dialoga e nele se comple ta. Criamos as bases para a consolidação da ³Nova Economia´ que conduz Pernambuco a um patamar diferenciado no cenário brasileiro, com foco na ³Qualidade de Vida´. É gratificante alcançarmos os resultados que vimos alcançando e que se encontram enumerado s neste relatório que trazemos, com grande alegria, ao conhecimento dessa Egrégia Casa Legislativa. É chegada a hora de novos passos, marcados pela capacidade de superação que é um ativo de Pernambuco. Por isso, enquanto submetemos ao Parlamento Estadual o inventário legado do nosso Governo, reafirmamos o compromisso de aprofundar as mudanças e de fazer tremular, com raro brilho, a bandeira azul e branca do Leão do Norte. Ao longo de quatro anos, o enfrentamento de desafios históricos se deu com democratização das decisões e ações governamentais,

seguindo o Mapa da Estratégia traçada à luz da necessidade do povo, bússola que guiou os nossos passos e nos manteve a atenção no estado de alerta. Esta foi a forma de fazer que nos levou à resultados que ora ap resentamos, assegurando projetos estruturadores que viabilizam um novo Pernambuco, ao tempo em que garantimos a população um acesso a bens e serviços que devem seguir melhorando a sua qualidade. A ação do Governo de Pernambuco fez a máquina pública funcionar para quem dela mais precisa, com atenção especial à interiorização do desenvolvimento. Profissionalizamos o planejamento e a ação, instituímos instâncias de participação e ausculta social, bem assim promovemos uma transformação nas realidades econômica e social. O governo se valeu do planejamento e do acompanhamento das ações, com articulação política e demandas pactuadas, alavancou-se a captação de recursos da União e de organismos internacionais em quanto à qualidade do gasto público cresceu, sem perder o foco nos resultados. O resgate da competitividade do estado, com responsabilidade fiscal e social, recolocou Pernambuco com força no cenário econômico brasileiro, com ampliação das oportunidades para todos. Vamos seguir adiante com a firme determinação de assegurá-las. Tornamo-nos referência em gestão pública, porque garantimos que o Estado pode e deve funcionar de modo satisfatório, com saúde pública de qualidade, com educação pública em estado de reconstrução como vem ocorrendo no atual momento. O governo esteve comprometido com elevação progressiva do seu padrã o de eficiência, pensando o Estado e não apenas a transitoriedade das gestões, foram criados e estruturados mecanismos para consolidar a irreversibilidade dessa nova forma de administrar. O Pernambuco de hoje sabe muito bem para onde ir, e como seguir. E a grande prova deste sentimento está traduzida aqui, em conquistas e avanços, neste Relatório de Ações entregue ao Poder Legislativo. Um retrato fiel daquilo que se tornou já um patrimônio do povo pernambucano. Esta é a razão pela qual faremos um breve relato dos resultados consolidados nesses quatro anos de mandato. A área da educação teve avanço que são notáveis, oito mil novos profissionais contratados, a distribuição de 26 mil n otebooks para professores, a adoção do Bônus por Desempenho do professorado , a distribuição de mais de 2,8 milhões de Kits Escolares. O aumento no número Escolas de Referência foi de 1.100%. Mais educação também com as sete Escolas Técnicas e as 2.240 novas vagas e mais avanço do IDEB no Brasil (nos anos finais do Ensino Fundamental). Já em 2009, Pernambuco atingia as Metas do IDEB para o ano de 2011. Conseguimos reduzir em 28% a Distorção Idade -Série no Ensino Fundamental e em 25% no Ensino Médio. Foram realizadas 2 mil ações de recuperação nas escolas, com investimentos da ordem de R$ 350 milhões na restauração da estrutura física para o setor. Um futuro com mais saúde, traduzido nos 512 novos leitos disponibilizados na Rede de Saúde do Estado, sendo 66 de UTIs/UCIs, 2 Hospitais Metropolitanos e 11 UPAs já entregues, além dos 5 hospitais requalificados no interior. Foram ofertadas à população, a partir de 2009, mais 2,5 milhões de consultas, 2,2 milhões de diagnósticos e 11,8 mil cirurgias anuais. A mortalidade infa ntil teve uma redução de

9,5% em 2 anos. O futuro de Pernambuco também chega com mais segurança, são 10,4 mil novos profissionais contratados para as policias Civil e Militar, bombeiros e peritos criminais. O reforço na frota de veículos do setor chega a 2.500 novas unidades. Foram instaladas 237 câmeras de videomonitoramento na Região Metropolitana do Recife e realizadas 72 grandes operações de inteligência, com mais de mil homicidas presos. O Estado atingiu o 4º ano consecutivo de queda nos números de homicídios, com redução expressiva de 27,8% no Estado; de 34,5% na Região Metropolitana do Recife e de 40,3% na Capital, r etornando a taxa de homicídios dos patamares de 1996. O aumento nos investimentos anuais no setor atingiu 149%. Tornando o Pacto pela Vida programa de envergadura na área de segurança pública, fazendo com que o ministro de Estado da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmasse em alto e bom som que o Brasil precisa observar o que está acontecendo em Pernambuco. O Novo Pernambuco também está surgindo na área de recursos hídricos e Saneamento, com a realização do maior conjunto de obras hídricas da história: R$ 1,2 bilhão em investimentos, 3,5 milhões de pessoas fora do racionamento, aumento de 1000% nos aportes de capital na Compesa. São uma r ealidade as adutoras de Pirapama, Mundaú e Camevô, os Sistemas de Esgotamento em Moreno, Salgueiro, de Tamandaré, além de milhares de cisternas e 42 sistemas saneamento entregues nas vilas e distritos da Zona da Mata pernambucana . Com relação à habitabilidade, impõe-se registrar as 72 Academias das Cidades concluídas e outras 46 contratadas e conveniadas, as 13.399 Unidades Habitacionais entregues, além das 16.950 contratadas, os 30 mil títulos de posse da antiga COHAB, a urbanização de áreas no Recife e em Camaragibe, Olinda, Paulista, Serra Talhada e Petrolina, no escopo do PAC. Se o assunto é mobilidade, mais caminhos foram abertos pela expansão do SEI, com a entrega de 2 Terminais e mais de 233 mil passageiros agregados ao Sistema, deixando de pagar du as passagens ao ir e duas passagens ao vir de volta às suas casas. A requalificação da Estrada da Batalha e da Pan Nordestina estão em andamento. Já foi inaugurada a Ponte do Paiv a, uma parceria Público-Privada que afirma e consolida o modelo. Relevante ai nda a conclusão do programa de interligação das sedes municipais, com a universalização do acesso pavimentado a todas as sedes municipais do nosso Estado, dos municípios do nosso estado, ao lado da duplicação das BR 104 e 408 que ampliará o desenvolvimento econômico nas regiões beneficiadas. O Estado o estado tem a sua Política Pública de Cultura. Em quatro anos, 168 novos Pontos de Cultura abriram as portas, equipamentos culturais foram recuperados e dinamizados e os recursos do Funcultura cresceram 500%. Em Ciência e Tecnologia, foram multiplicados por três os investimentos médios anuais da FACEPE, com aumento histórico na concessão anual de bolsas para pesquisa s, formação de Mestres e Doutores: de 20 anuais e chegamos a 1041 bolsas de mestres e doutores nos setores portadores de futuro da nova economia de Pernambuco. Além disso, foi duplicado o orçamento da UPE, com a abertura de 50 novos cursos e a gratuidade concedida aos alunos da Universidade do Estado de Pernambuco.

Tantos avanços não teriam sido viabilizados sem um olhar permanente vigilante com a própria estrutura do governo, a sua capacidade de realizar. Isso implica contemplar, ao mesmo tempo, o número de pessoas, cuidar de receitas e despesas, valorizar o funcionalismo, para que o Poder Públi co efetivamente cumpra o seu dever. Nessa seara, os avanços foram muitos. O rendimento médio dos servidores de Pernambuco cresceu 51,6%, entre 2007 e 2010, mais do que a inflação do período que foi de 22,2%. O quantitativo de PCCVs implantados no período 2007/2010 foi quatro vezes maior do que todos os Planos introduzidos no Estado até então. Desde 2007, foram nomeados 20.450 servidores efetivos, oriundos de concursos públicos, recompondo as carreiras do Estado que possam formar uma burocracia que mantenham a máquina em pleno funcionamento, ampliando a presença do serviço público na vida da população . Com relação às finanças públicas, Pernambuco obteve um dos melhores resultados do País na arrecadação de ICMS, sem que houvesse qualquer aumento de alíquota. Durante os últimos quatro anos, foi a primeira vez na história recente da democracia brasileira que nós não vimos essa Assembléia votar um só Projeto de Lei de aumento de tributo e de carga tributária, pelo contrário, durante todos os anos, aqui remetemos Projetos de leis que reduziram a carga tributária, ampliando a base, favorecendo a geração de emprego e o crescimento econômico. Multiplicou-se por seis a captação de recursos de convênios e operações de crédito, chegando a R$ 1,9 bilhão em 2010. Foram econo mizados, ainda, R$ 325 milhões com a realização de cortes na despesa de custeio, com redução de preços unitários e a melhoria na forma de contratação. Quanto à recuperação de créditos da dívida ativa do Estado, fomos exemplares, afirmando a idéia de que é um mal negócio dever à Pernambuco. Saímos de um patamar de recuperação de R$ 28 milhões para R$ 117 milhões em 2010, fechando o ciclo de quatro anos recorde sucessivos nos quais foram arrecadados R$ 350 milhões daqueles que deviam ao Estado de Pernambuco. Se no aspecto econômico relativo ao funcionamento do governo, o Estado cumpriu de forma exemplar o dever de casa, os números d a Economia também surpreenderam. De 2007 a 2010, o crescimento da economia em Pernambuco passou a apresentar desempenho superior à média nacional. Em 2010, o PIB cresceu 7,8% no 1º trimestre, 12,4% no 2º trimestre e 8,4% no 3º trimestre, acumulando uma alta de 9,4% no ano passado, superior à do Brasil no período que foi de 8,4%. Mas o desenvolvimento econômico que procuramos construir e que seguiremos construindo deverá sempre vir acompanhado do progresso social, da inclusão cidadã e do respeito a natureza. O Programa Chapéu de Palha foi relançado e expandido também para o Sertão do São Francisco. Já o Programa Mãe Coruja atingiu 10 Regiões do Estado ± em 95 municípios foram estruturadas unidades do Canto Mãe Coruja. O Programa Vida Nova atende 4,6 mil beneficiários, em 39 municípios a população que foi cadastrada em situação de rua, pessoas que perd eram os vínculos familiares e que estão pelas ruas das cidades e que foram cuidadas pela ação articulada do Governo com organizações, inclusive, da sociedade que são parceiras desse Programa que tem grande êxito. A isenção de ICMS sobre energia elétrica pa ra os consumidores de baixa renda foi assegurada; além da isenção da Tarifa Social para o esgotamento sanitário e a redução no valor da Tarifa Social para abastecimento de água,

destinado também aos consumidores de baixa renda, cristalizando os valores imateriais do nosso governo, que tem entre suas marcas, uma que nos guia em todos os momentos, a preocupação com os que mais necessitam. E Pernambuco cresce com mais emprego, enquanto se prepara para tempos ainda melhores. Entre 2007 e 2010 foram geradas, anualmente, em média, 61.637 empregos, oportunidades de trabalho, com carteira assinada, registrada no Caged, o que representa o dobro da geração de emprego na última década. No mesmo período, mais de 96 mil pessoas foram beneficiadas pelos projetos de capa citação do Programa Qualifica Pernambuco. Porque o estado precisa estar pronto para a Nova Economia, hoje mais do que uma perspectiva, uma realidade anunciada pelos investimentos estruturadores já conquistados. Foi ampliado em 72,8% o quantitativo de indústrias instaladas em Suape, com investimentos privados 9,96 vezes maiores que os existentes até então . Em 2010, mais empreendimentos de grande porte confirmados: uma Montadora de Automóveis da Fiat, inicialmente um investimento estimado em R$ 3 bilhões ± ontem, tive uma reunião demorada com a direção da Fiat em Brasília e esses investimentos vão chegar, de fato, a R$ 8 bilhões para que a fábrica possa entrar em funcionamento em dezembro de 2013 - e uma Siderúrgica no valor de R$ 1,5 bilhão. E o desenvolvimento não se restringe à Região Metropolitana do Recife. Tem sido instaladas inúmeras novas empresas, obras estruturadoras e empreendimentos espalhados pela Zona da Mata, pelo Agreste e pelo Sertão pernambucano. Foram inaugurados 110 novos escritórios do IPA, a partir de 2007, com atendimento, em 2010, até o mês de outubro, a 73.319 agricultores familiares, com serviços de assistência técnica e extensão rural. Ressalta-se por fim que o ano de 2010 foi marcado ainda pela Operação Reconstrução que mobilizou tod o o Governo do Estado para o atendimento aos municípios, em especial da Mata Sul e parte do Agreste pernambucano, castigados pelas fortes chuvas do mês de junho fazendo com que fosse m implantadas medidas que possibilitaram ações de resgate e salvamento, de assistência humanitária, de abrigamento emergencial, de reconstrução da infraestrutura e habitações e da retomada das atividades econômicas. Pernambuco vai, assim, portanto, construindo o seu futuro. E renovando sua confiança frente aos novos desafios que se colocam, pela sua comprovada capacidade de empreender e de realizar. Hoje temos resgatada a credibilidade do Estado, a interlocução com a sociedade, a relação saudável e produtiva entre as esferas de poder, para que cumpramos o nosso papel . Destaque-se a relação republicana, respeitosa e harmoniosa que tivemos com os poderes constituídos, com o Poder Legislativo, com o Judiciário, com os prefeitos, com os vereadores, com a sociedade civil que estamos tendo com a presidente Dilma, com quem tivemos ainda na tarde de ontem uma longa reunião de trabalho, incluindo as áreas de planejamento do Governo Federal e do Governo do Estado, nosso Governo e com quem teremos o mesmo padrão de relacionamento que tivemos com o ex presidente Luis Inácio Lula da Silva, pautado pelo respeito mútuo e decidido apoio aos interesses do nosso Estado.

Estamos iniciando uma nova etapa desta caminhada. Vamos repactuar o s objetivos que vêm indicando o nosso rumo, para que possamos continuar esta obra de fôlego. Ainda nesse mês de fevereiro iniciaremos o Todos por Pernambuco que lastreará o debate do plano plurianual e a Lei orçamentária do ano vindouro, que será enriquecido com o debate inestimável e com a grande colaboração da Assembléia Legislativa do nosso Estado. Temos enraizada convicção de que a forma, a direção, o ritmo foram encontrados. O momento é de aprofundar a convergência de esforços, que já se mostrou decisi va, por exemplo, na relação entre o Poder Executivo e essa Casa Legislativa, bem assim no exercício da paz política que o nosso Estado citou como lição para os jovens, de que devemos nos unir em torno do fundamental.

O fundamental é Pernambuco, por isso, faço o chamamento da unidade de todos os pernambucanos, em momento tão rico da vida do nosso Estado, é certo que na democracia, as divergências são naturais e saudáveis, mas essas não devem comprometer o momento tão especial que Pernambuco vive, de grande s oportunidades, que reclama a unidade de todos, para que possamos transformar o desenvolvimento em progresso real, em transformação na vida das pessoas e assim reduzir as marcantes desigualdades que ainda se apresentam. Está provado que saberemos e poderemos ir além das expectativas, superar obstáculos antes considerados intransponíveis, abrir os novos horizontes a partir da ação governamental. Ao tempo em que agradeço a essa Assembléia Legislativa pelo apoio que recebi durante o meu primeiro Governo, apro vando todos os projetos, desejo que a legislatura que ora se inicia se faça sobre o ciclo de defesa intransigente os melhores e mais caros interesses de Pernambuco e que a bandeira dos confederados, símbolo dos símbolos, sirva de guia em nossa caminhada.

É com imensa satisfação que submeto à apreciação da Assembleia Legislativa de Pernambuco o resultado de um trabalho que envolveu milhares de pessoas e que buscou todos, que fez dia após dia de forma incessante, de modo incansável, durante quatro anos, esta metasíntese, ousada e redentora: a busca de uma vida melhor para os pernambucanos. Um Pernambuco para todos, largo, indomável, seguro do seu destino e de grandeza que estamos construindo a muitas mãos, sob a inspiração das tradições de lealdade, bravura e patriotismo do povo pernambucano.

Renovo a Vossa Excelência, deputado Guilherme Uchoa e a todos os deputados e deputadas, meus protestos de elevada estima e consideração, ao tempo que aqui sem distinguir quem é da base do Governo ou quem é da oposiç ão, tenho claro que a nossa missão será cobrada pela sociedade nesses quatro anos, é consolidar um só pensamento: o fundamental não são os lados nem os partidos, o fundamental nesse momento é Pernambuco, é aproveitarmos esse momento para servir aos que mais precisam e legar ao futuro, um Pernambuco mais justo, mais equilibrado, mais feliz, melhor para se trabalhar e para se viver. Contei com a Assembléia e sei que poderei contar nesses próximos quatro anos para que

possamos, daqui a quatro anos, com a mesma alegria, prestar contas à esta Casa, ao povo e a história.

Muito obrigado!

Atenciosamente,

Eduardo Henrique Accioly Campos Governador do Estado de Pernambuco

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful