Você está na página 1de 6

Escola Comunitária Margarida Naseau UNIDADE TEMÁTICA: A FORMAÇÃO DOS SISTEMA

Ficha de apoio e exercícios CAPITALISTA MUNDIAL (XV-XVIII)


Disciplina: História – 9ª Classe
Tempo de realização: 23/03/2020 – 23/04/2020
A PILHAGEM COLONIAL
EXPANSÃO MERCANTIL EUROPEIA E O COMÉRCIO COLONIAL A pilhagem colonial, iniciada no século XVI, constituiu um dos
principais alicerces para o estabelecimento do capitalismo industrial na
RESUMO Europa e também do comércio colonial. Assim chama-se pilhagem
colonial a forma do capitalismo europeu que consistia no saqueamento
No início do século XV, a Europa encontrava-se mergulhada numa profunda crise
ou em extorquir muitas riquezas do continente africano para o
económica. Tornava-se, assim imperioso, entre outras coisas, chegar directamente aos desenvolvimento das economias dos países europeus. A pilhagem
locais de origem de alguns dos produtos mais necessários: ouro e cereais da África e colonial consistia ainda na transferência de bens (riquezas) e mão-de-
obra e era caracterizada pelas trocas desiguais e pelo tráfico de escravos.
especiarias da Ásia. Por outro lado, algumas das razões que elevaram os navegadores
europeus dos séculos XV e XVI era a busca das melhores condições económicas. AS TROCAS DESIGUAIS
Calcula-se que durante os séculos XV a XVII a África ajudou a
Os instrumentos técnicos que permitiram as viagens marítimas resultaram do
desenvolver a Europa na mesma proporção em que a Europa ajudou a
aperfeiçoamento de técnicas anteriores, muitas delas vindo do mundo muçulmano e SUBDESENVOLVER a África. Da Europa para a África chegavam
da região da China. Assim, para iniciarem a expansão, os europeus fizeram-no com produtos de menor valor como quinquilharias, bebidas adulteradas,
roupas usadas, tecidos, missangas, etc., que serviam como moeda de
conhecimentos oriundos de outros povos.
troca com produtos de maior valor como ouro, marfim e o próprio
A abertura ao mundo trouxe uma maior partilha de conhecimentos novas formas de homem feito escravo.
pensar o mundo e o ser humano, e resultou numa renovação cultural que marcou a TRÁFICO DE ESCRAVOS
Europa nos séculos XV e XVI, como igualmente terá marcado outros continentes. O tráfico de escravos foi uma outra forma dolorosa e desumana que os
europeus encontraram para satisfazer suas necessidades de mão-de-obra
A expansão europeia teve como antecedentes a crise ocorrida na Europa no séc. XIV,
barata nas indústrias manufactureiras e nas plantações.
que se traduziu em êxodo rural, conflitos sociais, falta de cereais, escassez de ouro e
A obtenção de escravos em Moçambique era feita através de guerras,
prata, desvalorização da moeda, períodos de más colheitas, epidemias e longos razias ou conflitos interdinásticos fomentados pelos chefes locais.
períodos de guerras.
Os escravos eram levados para as colónias americanas, Comores,
Os Portugueses e os Espanhóis, gozam do pioneirismo na Primeira Expansão e Madagáscar e Mascarenhas, para o trabalho nas grandes plantações de
café, cacau e cana-de-açúcar. Estes produtos tinham como destino as
Penetração Mercantil Europeia. Sendo que, o ouro foi o principal motivo que levou os fábricas de transformação em expansão na Europa.
portugueses a fixarem-se em Moçambique.
CONSEQUÊNCIAS DA 1ª EXPANSÃO MERCANTIL EUROPEIA TEORIAS ECONÓMICAS DO ANTIGO REGIME

Várias consequências advieram da expansão mercantil europeia, tanto  MERCANTILISMO


para o continente africano como também para a europa. Das quais
Apesar de a actividade agrícola predominar na economia europeia do Antigo Regime
destacamos:
(refere-se ao período da história europeia entre os séculos XVI e XVIII que termina
 Modificação das estruturas políticas tradicionais das colónias.
com as revoluções liberais), denota-se também uma intensificação dos tráficos
 Estabelecimento de novas estruturas administrativas e políticas.
comerciais em resultado do movimento da expansão europeia, coadjuvada com a
 Em África os grandes impérios antigos como Monomotapa, prática da pilhagem colonial.
Shongai, Daomé e outros foram destruídos e foram implantados
novos regimes europeizados. Mercantilismo é uma doutrina económica que predominou entre os séculos XVII e
 A América, Ásia e Austrália sofreram a mesma situação. Na XVIII que defendia que a principal riqueza de um país dependia da quantidade de
Europa as monarquias feudais foram substituídas pelas
metais preciosos que o Estado possui. Os metais preciosos seriam segundo Colbert, o
monarquias absolutistas.
“sangue da economia” o sangue do próprio Estado.
 A nível económico, destacamos a Emergência do Capitalismo no
mundo, e a consequente fragmentação do Sistema Feudal. O mercantilismo exaltava o trabalho manufacturado, a prática comercial e a aventura
CONSEQUÊNCIAS TECNO-CIENTÍFICAS colonial e caracterizou-se pelo controlo da economia Estado e da balança comercial
No campo técnico científico podemos apontar as seguintes favorável.
consequências:
O PAPEL DO MERCANTILISMO NA PILHAGEM COLONIAL DAS
 Desenvolvimento das ciências naturais, sociais e da técnica em
quase todas as regiões do globo terrestre; COLÓNIAS E A ACUMULAÇÃO DE CAPITAIS NA EUROPA

 Divulgação da técnica, ciência, arte e cultura; O mercantilismo contribuiu para a pilhagem colonial das colónias. Segundo os
 Surgimento de uma nova mentalidade aberta da cultura moderna princípios desta teoria, as possessões colonias deveriam fornecer metais preciosos e
em oposição à mentalidade fechada da Idade Média; matérias-primas para alimentar a manufactura nacional na metrópole (sede ou país
 Formação do espírito científico baseado na experiência. colonizador).
Consequências sócio-culturais e religiosas Assim, segundo esta teoria, todos produtos que chegavam às colónias e delas saiam
 Formação de comunidades mestiças, cujos exemplos mais típicos tinham de passar pela metrópole, caraterizando-se desta forma a sujeição da colónia
são os casos do Brasil, Cuba e em quase todo o mundo.
face ao seu explorador. Desta feita, o papel das colónias era garantir lucros e rendas à
 Difusão da Igreja Católica e Protestante coroa e à burguesia europeia.
 MERCANTILISMO HOLANDÊS
TIPOS DE MERCANTILISMO
Apostou mais no desenvolvimento do comércio externo ou colonial. De facto, a
O principais tipos de mercantilismos que você estudou são :
Holanda desenvolveu-se economicamente graças à exploração dos recursos
1. Mercantilismo da Península Ibérica minerais das suas colónias com a criação e desenvolvimento da marinha; que mais
2. Mercantilismo Inglês tarde culminaria com a implantação das Companhias das Índias Orientais em
1602 e Índias Ocidentais em 1621.
3. Mercantilismo Holandês
 MERCANTILISMO FRANCÊS
4. Mercantilismo Francês ou Colbertismo
O mercantilismo francês é também conhecido pela designação de
 BULIONISMO OU METALISMO
COLBERTISMO, pelo facto de ter sido Jean-Baptiste Colbert o principal
Este tipo de mercantilismo desenvolveu-se na península ibérica (Portugal e defensor desta doutrina, ao lado de Cardeal Rechelieu. A aplicação desta
Espanha), consistiu na acumulação de metais preciosos (ouro e prata) doutrina, em França, teve o seu ponto mais alto durante o reinado de Luís XIV,
provenientes das colónias e na limitação da exportação dos mesmos. altura em que Jean-Baptiste Colbert, o teórico da doutrina, era Primeiro ministro.

I. Balança comercial favorável, que significa que a entrada de moeda Para conseguir a acumulação dos metais preciosos, o Mercantilismo Francês
no país deve sempre ser superior que a saída; defendia:

II. Proteccionismo, onde o Estado contro as leis de exportação e  Fomento industrial e a protecção da produção nacional com adopção de
importação; uma política alfandegária rigorosa, que estipulasse tarifas baixas para os
produtos nacionais e elevadas taxas para os produtos importados.
III. Monopólio, o comércio e a produção eram exclusivos do
 Forte controle da qualidade de produção, dos operários, devendo-se
Estado/burguesia. recrutar para os sectores estratégicos da economia, operários nacionais e
estrangeiros especializados.
MERCANTILISMO INGLÊS
 Dinamização, por todo o país, da construção de infra-estruturas sócio-
O mercantilismo inglês foi desenvolvido a partir do século XVI (1580),
económicas.
visando a exploração das riquezas nacionais agrícolas, minerais e
industriais. A Inglaterra, durante o Século XVI, protegeu fortemente a O Mercantilismo foi uma política económica que vigorou na Europa nos Séculos
moeda nacional, a Libra, mediante a concessão, pelo governo, de XVI e XVII, defendendo o enriquecimento dos países ou Estados Europeus, com
privilégios às empresas industriais e comerciais para conseguir
base nos metais preciosos.
competir com as dos outros países.
 FISIOCRATISMO As principais medidas defendidas pelos fisiocratas são:

Fisiocratismo foi uma política económica que surgiu na Europa, na 2ª metade  promoção do desenvolvimento da agricultara;
do século XVIII, cujos princípios se diferenciam do mercantilismo. O  valorização e estimulação do trabalho da terra;
Fisiocratismo, como política económica, defendia que a riqueza das nações só  supressão de todas as barreiras na exportação de produtos agrícolas.
poderia ser obtida com base na terra (agricultura como principal actividade), e
da sua produtividade industrial.
RENASCIMENTO
O fisiocratismo surgiu na Inglaterra e em reação ao mercantilismo, afirmando Renascimento foi um movimento intelectual e de renovação cultural, que
que a “riqueza de um país não depende dos metais preciosos”, MAS sim do surgiu na Itália nos séculos XIV e XV, tendo-se desenvolvido até ao século
XVI.
“valor das terras e da sua capacidade produtiva industrial.”
Este movimento integrava artistas e intelectuais.
Fronçois Quesnay foi o principal defensor do Fisiocratismo. Ele foi o
FACTORES DO SURGIMENTO DO RENASCIMENTO
primeiro que percebeu que no sistema económico das sociedades, defendia
 Expansão Europeia: a expansão europeia permitiu o conhecimento
que a terra era a única fonte de riqueza, considerando a agricultura como
por parte dos povos nela envolvidos de outras regiões do mundo, bem
fonte principal do Estado. como o contacto entre aqueles e os restantes povos. Por outro lado,
estas viagens tornaram possível difusão das culturas entre diferentes
CARACTERÍSTICAS DO FISIOCRATISMO povos do planeta.
 As nações devem promover o desenvolvimento da agricultura,
 Mecenato: É a protecção que se dava aos homens das letras e artes
colocando outros ramos económicos (comércio e indústria) no pelos reis e sábios, incentivando grande curiosidade para a invenção e
segundo plano; para a descoberta.
O desenvolvimento do comércio, da indústria e da banca, nas principais
 Os estados devem valorizar e estimular o trabalho da terra, a
cidades italianas (Veneza, Génova, Florença), proporcionou o
agricultura, porque cria riqueza e garante liberdade de concorrência, enriquecimento de príncipes e da Burguesia.
laisser fire laisser passer, ou seja, deixa fazer, deixa passar;  A redescoberta de antiguidades romanas: No contexto das
redescobertas, alguns elementos artísticos como as estátuas de
 Os governos devem suprimir todas as barreiras das exportações dos bronze, utensílios domésticos entre outras antiguidades atraíram a
produtos agrícolas. admiração dos próprios renascentistas, inspirando-os.
Portanto, a Grécia Antiga e Roma passaram a merecer a atenção dos
DEFENSORES: François Quesnay (1694- 1774), Adam Smith (1723-1790 e
renascentistas. Todas as obras inspiravam-se naquele passado inesquecível.
Anne-Robert-Jacques Turgot (1727-1781). As pinturas não ficaram esquecidas.
HUMANISMO E SUA DIFUSÃO
CARACTERÍSTICAS DO RENASCIMENTO
Humanismo é um movimento intelectual, característico do Renascimento, que
 Imitação da Antiguidade Greco-Romana nas obras literárias e
consistiu, fundamentalmente, na revalorização do homem e da sua personalidade,
artísticas.
baseando-se na tradição da época clássica. Razão pela, o Humanismo fez a
 Defesa da mudança da mentalidade: crença nos dogmas
religiosos para uma nova mentalidade assente no conhecimento redescoberta, reinterpretação e reedição das obras dos escritores dos tempos
científico. clássicos.
 Valorização do homem e das suas obras, considerando-o centro CARACTERÍSTICAS DO HUMANISMO
de reflexão do mundo.
 Individualismo e mudança do conceito de vida: o homem devia O Humanismo, como um movimento cultural que coloca o Homem no centro da
tentar viver intensamente a vida terrena, procurando libertar-se da criação, foi caracterizado por:
influência negativa da religião.
 Imitação e revivência da estética clássica, imprimindo um forte classicismo
PRINCIPAIS RENASCENTISTAS
em todas as formas ou tipos de manifestação artísticas e de pensamento. E
O movimento renascentista foi liderado pelos italianos, grandes
grande entusiasmo pelo estudo das obras da antiguidade.
admiradores da Antiguidade Clássica, e que desprezavam os tempos
medievais, considerando-os tempos obscuros, das trevas e do  Consideração do homem como criador, cuja intuição e investigação

obscurantismo. Podemos destacar os seguintes nomes, na lista dos explicam tudo e defesa da ideia de homem novo, como um ser dotado de

renascentistas e as respectivas obras: nova mentalidade, nova educação.

Principais Humanistas Entre os grandes humanistas, destacaram-se: destacaram-se


 Leonardo da Vinci – Percursor da mecânica e da ciência
os seguintes escritores: Erasmo de Roterdão (Holandês) Tomás More (Inglês)
modernas (autor da obra a Mona lisa)
Damião de Góis (Português) Miguel Ângelo (Italiano). Luís Vaz de Camões
 Erasmo de Roterdão – autor do poema “Elogios da loucura”. (Português) William Shakespeare (Inglês).

 Miguel Ângelo – arquitecto e construtor da Basílica de S. Pedro Valores do Humanismo: curiosidade e espírito crítico – os humanistas
de Roma. interessavam-se por tudo o que os cercava. Analisavam livremente todas as

 Nicolau Copérnico – autor da Teoria Heliocêntrica. questões, não hesitando em pôr em causa, mesmo, as teorias ou postulados já
existentes.
DIFUSÃO DO HUMANISMO 4. No Antigo Regime, a sociedade encontrava-se fortemente hierarquizada
em ordens ou estados.
A difusão do Humanismo na Europa ocorreu no Século XVI. Para
sucesso desta difusão contribuíram os seguintes meios e agentes: a) Caracteriza a estrutura da sociedade europeia no Antigo Regime,
destacando os privilégios de cada classe.
 Imprensa
5. Mesmo diante da intensificação do comércio devido a pilhagem colonial, a
A Imprensa permitiu uma rápida produção e respectiva distribuição de
agricultura continuava sendo a principal actividade económica.
livros, contribuindo, assim, para que as obras literárias, filosóficas e
científicas do Renascimento se espalhassem por muitas terras e pessoas. b) Justifica a afirmação.
Por outro lado, as oficinas de impressão constituíam importantes centros c) Caracteriza com três (3) aspectos a agricultura do Antigo Regime.
de reunião e de trabalho dos humanistas.
d) Apresenta duas (2) dificuldades que o comércio enfrenta nesta fase.
 Colégios e Universidades
6. Diga em que consistia a pilhagem colonial.
Conforme a definição os humanistas formavam a camada social mais
6.1. Calcula-se que durante os séculos XV e XVII, a Europa ajudou a
instruída da época. Razão pela qual, nos Colégios e Universidades
subdesenvolver a África.
europeias eram, em geral, eles que davam aulas, pesquisavam e mais
tarde publicavam os seus estudos. Ora, esse facto permitiu aos a) Comenta a afirmação tendo em conta o processo das trocas desiguais.
humanistas espalhar as suas ideias por várias regiões da Europa, e não
b) Qual foi o Papel do mercantilismo na pilhagem colonial?
só.
c) Descreve o mercantilismo francês.
UNIDADE TEMÁTICA: A FORMAÇÃO DO SISTEMA d) Define fisiocratismo
CAPITALISTA MUNDIAL (SÉCULOS XV-XVIII)
e) Diferencia o Fisiocratismo do Mercantilismo dando um exemplo
EXERCÍCIOS DE CONSOLIDAÇÃO concreto.
1. A formação do sistema capitalista mundial teve início na f) Apresenta dois representantes da cada teoria.
Europa nos finais do séc. XV e princípios do séc. XVI.
7. Menciona duas consequências da primeira expansão europeia para o continente
a) Quais são as grandes transformações na Europa e no mundo entre africano.
os séculos XV e XVIII
8. Apresenta três consequências do tráfico de escravos para Moçambique.
b) Define capitalismo.
9. Explica por palavras tuas as seguintes características do renascimento.
c) Quais as grandes características do sistema capitalista.
9.1. imitação da antiguidade clássica ou retorno aos ideias clássicos;
2. Define Antigo Regime
9.2. Regresso à natureza.
3. Identifica e caracteriza o Antigo Regime
10. Qual era o trabalho dos humanistas?

Você também pode gostar