Você está na página 1de 12

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO A DISTÁNCIA

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO

Licenciatura em Gestão Ambiental

Disciplina: Matemática aplicada

Tema: Estudo das consequências Ciclone Idai

Código do estudante: 21200201

1º Ano

2º Trimestre -2020

Discente: Fernando Mulungo Mujovo

Tutores:

Carlos Casimiro Matavele, Msc


Cristina Fernanda Chamussora Da Costa, Msc

---------- Maputo, Junho de 2020 ------------


Introdução

O aquecimento global aumenta a temperatura dos oceanos e da atmosfera. E numa a tmosfera


mais quente, há mais capacidade para armazenar vapor de água. Isto, por sua vez, resulta em
chuvas mais fortes, provocando inundações. 

As preocupações com o aquecimento global têm levado muitos a afirmar que o último ciclone
Idai é consequência de mudança climática.

O aumento da temperatura dos oceanos está directamente ligado às intervenções humanas, mas a
ocorrência de ciclones depende também de outros factores naturais.

Este trabalho tem como objectivo estudo das consequências Ciclone Idai, seus impactos
negativos e positivos. No entanto, Moçambique é historicamente um dos países mais afectados
pelos desastres.
II. OBJETIVOS

2.1. Objectivo Geral

 Reflectir sobre o Estudo das consequências do Ciclone Idai em Moçambique


.
2.1. Objectivos Específicos

 Descrever os pontos positivos e negativos do ciclone Idai;


 Reflectir nas principais causas de agravamento do ciclone idai;
Desenvolvimento

Conceito

Ciclone Idai

É formação, foto, fenómeno da natureza, furacão, tufão. Ciclone é um fenómeno atmosférico em


que os ventos giram em sentido circular, tendo no centro uma área de baixa pressão. No
hemisfério sul, o vento gira em sentido horário e no norte, no sentido anti-horário.

Moçambique é um dos Países de África e em particular da África Austral que tem enfrentado
várias ameaças relativas aos desastres naturais resultantes das mudanças climáticas. Devido à sua
morfologia e condições geográficas, o país está exposto a eventos extremos relacionados ao
clima, sendo os mais frequentes as cheias, ciclones e secas. Nos mais vulneráveis aos desastres
naturais devido à sua localização geográfica e nível de pobreza. Nos últimos 30 anos, pelo menos
14% da população foi afectada por uma seca, uma cheia ou uma tempestade tropical e mais de
metade dos eventos que resultaram em desastre (53%) desde 1970 ocorreram nas últimas duas
décadas. A vulnerabilidade face aos desastres resulta da sua localização na foz de nove rios
internacionais, a existência de zonas áridas e semiáridas, a longa extensão do território nacional,
que se localiza na zona de convergência intertropical sujeita a perdas e ganhos excessivos de
humidade, bem como a extensa zona costeira, que sofre a influência de ciclones tropicais, e a
existência de zonas sísmicas activas.
De acordo com o ponto de situação divulgado pelo Instituto Nacional de Gestão de Catástrofes
(INGC) de Moçambique, registaram-se ainda 1.641 feridos e mais de 146 mil pessoas estavam
instaladas em centros de acolhimento. O número de feridos representava um aumento de 118
relativamente aos 1.523 do anterior balanço, enquanto as pessoas que procuraram abrigo nos
centros de acolhimento subiram para 146.142 (mais 5.535). 
A estimativa de pessoas afectadas e cerca de 843.723 e o número de famílias beneficiárias de
assistência humanitária é de 29.291. O grupo de pessoas afectadas inclui todas aquelas que
perderam as casas, precisam de alimentos ou de algum tipo de assistência.
As autoridades actualizaram também o número de casas totalmente destruídas que ascende a
59.910, onde 33.925 parcialmente destruídas e 15.784 inundadas, sendo que a maioria são
habitações de construção precária.
Segundo o INGC, o ciclone Idai provocou ainda danos em 3.318 salas de aulas, com 150.854
alunos prejudicados.

Para fazer face as calamidades naturais provocadas pelo ciclone idai, Moçambique contraiu um
empréstimo de emergência junto do Fundo Monetário Internacional (FMI) no valor de 118,2
milhões de dólares (105 milhões de euros) destinados a apoiar Moçambique após a destruição
causada pelo ciclone Idai. Contudo, esse valor destina-se a suprir as lacunas de financiamento
orçamental e externo decorrentes das necessidades de reconstrução após o ciclone, que causou
perdas significativas de vidas humanas e danos nas infra-estruturas.
O governo de Moçambique, anunciou um pacote de medidas que visa minimizar os impactos
sociais, materiais e económicos no país, afectada pelo ciclone Idai . O pacote de medidas
aprovado pelo Governo inclui a redução de taxas em electricidade e transportes e assistência
médica gratuita, além de uma campanha de vacinação contra a cólera.
Na distribuição de electricidade, o valor da factura da indústria e comércio será reduzido para a
metade. Nos transportes ferroviários, o Governo moçambicano também vai reduzir em 50% as
tarifas para os passageiros, bem como no transporte de materiais de construção.
Para os alunos afectados, o Governo decidiu redistribuir livros e cadernos escolares. E os
agricultores vão beneficiar de uma distribuição gratuita de mil toneladas de sementes, além de
100 mil utensílios agrícolas, medidas essas que foram aplicadas nos distritos afectados.

Origem do ciclone idai


O ciclone Idai teve origem numa depressão tropical que se formou na costa leste de Moçambique
no início de Março e foi ganhando força à medida que seguiu rumo ao continente, alcançando
ventos até 177 quilómetros por hora e chegando ao litoral de Moçambique.

O ciclone Idai foi o ciclone tropical mais forte a atingir Moçambique desde Jokwe em 2008. A


décima tempestade nomeada e o sétimo ciclone tropical da temporada de ciclones no Índico
Sudoeste de 2018-2019, o Idai teve origem numa depressão tropical que se formou na costa leste
de Moçambique em 4 de Março. A depressão atingiu o país no final do dia e permaneceu como
um ciclone tropical durante toda a sua caminhada por terra.

Conclusão
Ao encerrar mais um volume desta colecção Riscos e Catástrofes, especificamente dedicado às
catástrofes naturais e aos riscos que lhe são inerentes, consideramos importante destacar a
relevância que o mesmo apresenta como ferramenta de divulgação e sensibilização da sociedade
para a problemática deste tipo de riscos e catástrofes, que afectam directa e indirectamente as
actividades humanas.

A ocorrência de fenómenos naturais de intensidade elevada coloca condicionalismos importantes


ao normal funcionamento das actividades antrópicas, conduzindo, em muitas situações, a
destruição de infra-estruturas, avultadas perdas económicas e, lamentavelmente, a perda de vidas
humanas, também de referir que as suas consequências para o Ser Humano são devastadoras,
afectando colheitas e provocando milhares de mortes.

Idai causou graves inundações em Moçambique, onde mais de 2,5 milhões de pessoas
experimentaram os efeitos directos do ciclone, com centenas de milhares precisando de ajuda.
Referências bibliográficas

PDNA Mozambique cyclone idai-post –disaster needs assessment full report-Maio 2019

 «Cyclone Idai: UK pledges £6m of aid for hundreds of thousands hit by cyclone in Mozambique
and Malawi». gov.uk. 18 de março de 2019. Consultado em 19 de março de 2019.

Google.link-A passagem do cyclone idai por Mocambique-March 2019  

«Intense Tropical Cyclone Idai Warning 26» (PDF). Meteo France La Reunion. 15 de março de
2019. Consultado em 15 de março de 2019. Cópia arquivada  (PDF)  em 15 de março de 2019.

 «Cyclone Idai: 'Massive disaster' in Mozambique and Zimbabwe». BBC. 19 de março de 2019.
Consultado em 19 de março de 2019

Pt.wikipedia.org/wiki/ ciclone idai

 «Cyclone Idai leaves scores dead in Zimbabwe, Mozambique».  DW. Consultado em 16 de


março de 2019.
1.Num certo bairro da cidade de Beira após o ciclone Idai, 120 voluntários trabalhavam de
manhã, 130 trabalhavam à tarde, 80 trabalhavam à noite, 60 trabalhavam de manhã e a tarde, 50
trabalhavam de manhã e a noite, 40 trabalhavam à tarde e a noite e 20 trabalhavam nos três
períodos.

a) Quantos voluntários trabalhavam em 2 períodos?

b) Quantos voluntários têm o bairro?

c) Quantos voluntários não trabalhavam á tarde?

d) Quantos voluntários trabalhavam só de manhã?

a) Os Voluntarios que trabalham em dois periodos são: 40 + 20 + 30 = 90.


b) Os Voluntarios que o bairro tem são: 39 + 40 + 50 + 30 + 20 + 20 + 10 =200.
c) Os Voluntarios que não trabalham a tarde são: 120 + 80 – 130 = 70.
d) Os Volutarios que trabalham so de manha são: 120 – 40 – 20 – 30 = 30.

2.Num Centro de Recurso de ISCED, há 104 alunos vindos das Escolas Secundárias. O curso de
Gestão Ambiental tem 70 estudantes. Matricularam-se 150 estudantes. Dado que 36 estudantes
nem vêm das Escolas Secundárias, nem estudam Gestão Ambiental, determine o número de
estudantes vindo das Escolas Secundárias, que estudam Gestão Ambiental.
R: Estudantes que vem das Escolas Secundarias e fazem Gestao Ambiental são: 104 + 70 + 36 –
150 = 60.

3.Um distrito da província de Cabo Delgado que foi devastado pelo ciclone Keneth tem 20.000
habitantes. Uma pesquisa feita com todos habitantes, constatou-se que 1.500 pessoas não
perderam nada, 1.950 pessoas perderem casas e outros bens, 4.570 pessoas perderem somente
casas. Qual é o número de pessoas que perderam somente outros bens.

2000 = 2600 + 1950 + X + 1500

X = 2000 – 6070 = 13930

4.Determine equação da recta que passa pela origem e que é perpendicular à recta
−2x+3y+14=0 .

s: -2x + 3y +14 = 0 recta r=?

−2
3y = 2x – 14m r = ; Ponto na origem (0;0)
3

2 14
y= x − r : y− y ° =m(x−x ° )
3 3

2 −3
ms = y−0= ( x−0 )
3 2

−3 3 −3
y= x x+ y=0 y−0= ( x−0 )
2 2 2

5.À medida que o ar seco move-se para cima, ele se expande e esfria. Se a temperatura do solo
for de 20 °C e a temperatura a uma altitude de 1 km for de 10 ºC, expresse a temperatura T (em
°C) como uma função da altitude h (em km), supondo que um modelo linear seja apropriado.
(a) Determine a expressão analítica da função e constrói o gráfico.

(b) O que a inclinação representa?

(c) Qual é a temperatura a 2,5 km de altura?

a) y = ax + b - modelo linear

T= ah + b h = 1, T = 10

h = 0, T = 20 →20 = a * 0 + b→ b=o

10 = a * 1 + 20

a = -10

T = -10h + 20

T(h)=-10h+20
40
30
Temperatura, (°C)

f(x) = − 10 x + 20
20 R² = 1 T(h)=-10h+20
10 Linear (T(h)=-
10h+20)
0
-2 -10 0 2 4

-20
Altitude (km)

b) A inclinacao representa que na medida que a altitude aumenta a Temperatura diminui( esfria-
se mais).

c) T(h) = -10h + 20

T(2.5) = -10 * 2.5 + 20 = -5°C.

6. Qual é o período e o contradomínio de f (x) = 3cos(2x) ?

f(x) = 3cos(2x)
Amplitude = 3; b = 2

2π 2π
Periodo = = =π
b 2

Contradominio: y ∈[-3 ; 3].

7.Resolva os seguintes limites:

x 4 −5 x 2 +4 lim √ x+ 8−3
a) lim b) x→ 1
x →1 x 2 + x−2 x−1

x 4 −5 x 2 +4 14−5∗12 +4 0
a) lim
x →1 x 2 + x−2
= 2
1 +1−2
=
0 []
lim x 4 −5 x 2 +4 lim ( x−2 ) ( x+ 2 )( x−1 ) ( x+ 1 )
x→ 1
= x→ 1 =¿
x 2 + x−2 ( x−1 ) ( x +2 )

¿ lim ( x −2 )( x +1 )=¿ (1 – 2)(1+1) = -1 * 2 = -2.


x →1

lim √ x+ 8−3
1+8−3 0
=√
b) x→ 1
x−1 1−1
=
0 []
lim ( √ x +8−3 )
x→ 1
lim √ x+ 8−3 ∗( √ x+ 8+3 )
x→ 1 ( x−1 )
= =¿
x−1 ( √ x +8+3 )

lim ¿ ¿
x →1

lim 1
x→1 1 1
= = .
( √ x +8+ 3 ) ( √ 1+8+3 ) 6

8.A função custo de produção de peças de máquinas de reciclagem plástico é dada


pela expressão f (x) =100+90x − x2 , onde f (x) é custo de produção e x a quantidade
de matéria-prima. Qual é o custo de produção maxima?
f(x) = 100+90 x + x 2

f '(x) = -2x + 90 ; f '(x) = 0


-2x + 90 = 0
-2x = -90
−90
x= =45
−2
O custo de producao maxima e 45.

Você também pode gostar