Você está na página 1de 97

6 ANO

simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova
1. Você está recebendo um Caderno de Questões de Geografia e uma Folha de Resposta.

2. O Caderno de Questões contém 25 questões.

3. Você terá 60 minutos para finalizar o simulado.

4. Preencha seu nome completo no Caderno de Questões e na Folha de Resposta.

5. Leia com atenção antes de responder às questões e marque suas respostas no Caderno de Questões.

6. Você poderá utilizar os espaços em branco do Caderno de Questões para rascunho.

7. Cada questão tem uma única resposta correta.

8. Procure não deixar questões sem resposta.

9. Reserve os últimos 10 minutos do simulado para preencher a Folha de Resposta, utilizando caneta
esferográfica de tinta azul ou preta.

10. Siga o modelo de preenchimento existente na própria Folha de Resposta.

11. Entregue a Folha de Respostas para o aplicador antes de deixar a sala.

12. Aguarde o aviso do professor para começar o simulado.


Depois da aula, Maria volta para casa sempre pelo mesmo caminho, passando pelas diferentes paisagens que tanto
admira. O caminho de Maria se inicia pela rua da escola, que tem grandes árvores. Depois, ela atravessa uma ponte
sobre um belo riacho e, por fim, contorna um morro, chegando em sua casa.
Nas paisagens, encontramos elementos naturais e culturais. O texto acima apresenta
(A) a rua e o morro como elementos naturais e a casa e a escola como elementos culturais.
(B) as árvores e rio como elementos naturais e a ponte e o morro como elementos culturais.
(C) o ponte e o rio como elementos naturais e a casa e o morro como elementos culturais.
(D) o rio e o morro como elementos naturais e a casa e a escola como elementos culturais.

Observe a foto do munícipio de Caxias do Sul no estado do Rio Grande do Sul.

Miriam Cardoso de Souza. Disponível em


https://pt.wikipedia.org/wiki/Serra_Ga%C3%BAcha#/media/File:Neve_Caxias_do_Sul_(3).jpg.
Acesso em 10 Abr. 2016.

Nesse município, no inverno, observam-se temperaturas muito mais baixas do que as da cidade do Rio de Janeiro.
Pode-se afirmar que essa diferença ocorre devido à
(A) maior longitude de Caxias do Sul.
(B) maior latitude do Rio de Janeiro.
(C) maior latitude de Caxias do Sul.
(D) menor longitude do Rio de Janeiro.
Fonte: REFERENCE atlas of the word 9 ed. London: Dorling Kindersley, 2013. p. xxviii – xxix.

De acordo com o mapa acima, as coordenadas geográficas da cidade de Cairo são


(A) 30º Sul e 31º Oeste.
(B) 30º Norte e 31º Oeste.
(C) 30º Sul e 31º Leste.
(D) 30º Norte e 31º Leste.
Observe o mapa do fuso horário brasileiro.

ATLAS geográfico escolar. 6. Ed. Rio de Janeiro. IBGE, 2012. p. 35. DSHO (Divisão Serviço da Hora).
Disponível em http://pcdsh01.on.br. Acesso em: 3 nov. 2014

De acordo com as informações contidas no mapa, podemos dizer que, quando o relógio marcar 15 horas em Fernando
de Noronha, em Manaus será
(A) 13 horas.
(B) 14 horas.
(C) 16 horas.
(D) 17 horas.
Observe mapa a seguir.

Fonte: ATLAS geográfico escolar. 6. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. p. 178.

Sabendo que a distância, no mapa, entre Coxim e Selvíria é de quatro centímetros, podemos afirmar que a distância
real entre as duas cidades é de

(A) 400 km.


(B) 200 km.
(C) 40 km.
(D) 4 km.
Fonte:TORREZANI, Neiva Camargo. Vontade de saber. Geografia. 2. ed. São Paulo: FTD, 2015. p. 101.

A imagem acima mostra uma falésia, na cidade de Tibau do Sul (RS). O principal agente causador desse processo
erosivo e o(a)
(A) vento.
(B) água do mar.
(C) ação humana.
(D) água da chuva.
Fonte:TORREZANI, Neiva Camargo. Vontade de saber. Geografia. 2. ed. São Paulo:
FTD, 2015. p. 103.

A imagem acima mostra uma voçoroca, um processo erosivo cujas causas são a(o)
(A) ação do vento e reflorestamento.
(B) desmatamento e ação da água.
(C) desmatamento e ação do vento.
(D) terremoto e desmatamento.
Fonte: pt.wikipedia.org.

A imagem acima mostra uma tragédia ocorrida em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro. Sobre esse acidente,
podemos dizer que se trata de um(a)
(A) tsunami, causado pelas chuvas fortes, e cujas consequências são agravadas pela ausência de estruturas
protetoras como muros de arrimo.
(B) erosão, causada pelo desmatamento, e cujas consequências são agravadas pela ausência de estruturas
protetoras como muros de arrimo.
(C) terremoto, causado pelo movimento tectônico, e cujas consequências são intensificadas pela presença de
construções residenciais irregulares nas encostas.
(D) deslizamento de terra, causado pelas fortes chuvas, e cujas consequências são intensificadas pela presença de
construções residenciais irregulares nas encostas.
Área de reflorestamento com plantação de Plataforma de extração de
eucaliptos (MG) petróleo (RJ)

João Prudente/Pulsar
João Prudente/Pulsar

Fonte:TORREZANI, Neiva Camargo. Vontade de saber. Geografia. 2. ed. São Paulo: FTD, 2015. p. 186.

As imagens acima mostram a utilização de diferentes recursos naturais. Sobre os recursos exemplificados nas imagens,
pode-se dizer que

(A) ambos os recursos são renováveis.


(B) ambos os recursos são não renováveis.
(C) a primeira imagem trata de um recurso renovável e a segunda de um recurso não renovável.
(D) a primeira imagem trata de um recurso não renovável e a segunda de um recurso renovável.

No Brasil coexistem dois tipos de agricultura: a tradicional e a moderna. Sobre esses dois tipos de produção, pode-se
afirmar que
(A) a agricultura moderna caracteriza-se pelo uso sementes selecionadas e de insumos agrícolas. A agricultura
tradicional caracteriza-se pela elevada produtividade e pelo uso de tração animal.
(B) a agricultura moderna caracteriza-se pelo uso de insumos agrícolas e pela elevada produtividade. A agricultura
tradicional caracteriza-se pelo uso de técnicas tradicionais e pelo uso de tração animal.
(C) a agricultura moderna caracteriza-se pelo uso de tração animal e de insumos agrícolas. A agricultura tradicional
caracteriza-se pelo uso de sementes selecionadas e pela mão de obra familiar.
(D) a agricultura moderna caracteriza-se pelo uso de técnicas tradicionais e sementes selecionadas. A agricultura
tradicional caracteriza-se pelo uso de tração animal e pela mão de obra familiar.
Observe a tabela abaixo.

Leite Suínos Feijão Mandioca

55% familiar 59% familiar 59% familiar 82% familiar

45% patronal* 41% patronal 41% patronal 18% patronal

Fonte: DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).


Disponível em www.iica.int/Esp/regiones/sur/brasil/ArquivosMultimidia/Estatstivas_do_Meio_2010-2011.pdf. Acesso em 5 Set. 2014.

* Patronal: denominação dada à produção proveniente de grandes produtores rurais, cujas propriedades são extensas e a produção alcança grandes
quantidades.

Sobre a produção agropecuária brasileira, pode-se dizer que a produção da agricultura


(A) familiar é responsável pela maior parte dos alimentos consumidos pela população brasileira.
(B) patronal é responsável pela maior parte dos alimentos consumidos pela população brasileira.
(C) familiar não é significativa para a alimentação da população brasileira.
(D) patronal não é significativa para a alimentação da população brasileira.

Felipe, Mariana e Carla são amigos e trabalham em diferentes áreas. Felipe se ocupa do plantio de feijão, Carla é
vendedora de sapatos e Mariana trabalha em uma indústria de automóveis. Felipe, Carla e Mariana trabalham,
respectivamente, nos setores
(A) primário, secundário e terciário da economia.
(B) secundário, terciário e primário da economia.
(C) terciário, secundário e primário da economia.
(D) primário, terciário e secundário da economia.

O Estado brasileiro é organizado pela articulação de três poderes: o Executivo, o Judiciário e o Legislativo. Os cargos
de prefeito, vereador e juiz estão associados, respectivamente aos poderes
(A) Legislativo, Judiciário e Executivo.
(B) Executivo, Judiciário e Legislativo.
(C) Executivo, Legislativo e Judiciário
(D) Legislativo, Executivo e Judiciário
O Estado, com “E” maiúsculo, é formado pela união de três Poderes de diferentes áreas: o Executivo, o Legislativo e o
Judiciário. Cada poder é encarregado de certas atribuições dentro da máquina pública.
Dentre essas atribuições, pode-se dizer que
(A) as negociações internacionais são de responsabilidade do Poder Judiciário.
(B) a elaboração de leis é realizada por membros do Poder Legislativo.
(C) ações criminais são julgadas por membros do Poder Executivo.
(D) a construção de escolas é de responsabilidade do Poder Judiciário.

O Poder Executivo é divido em três esferas: Federal, Estadual e Municipal. Dentre as atribuições de um prefeito está a
(A) criação de escolas estaduais.
(B) implementação de políticas habitacionais.
(C) manutenção da rede de transporte intermunicipal.
(D) promoção de acordos comerciais com países estrangeiros.

Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Crise_migratoria_na_Europa. Acesso em 11 maio. 2016.

A foto acima mostra a crise vivida por milhares de migrantes que fogem do norte da África e Oriente Médio rumo à
Europa. Essas ondas migratórias são motivadas
(A) pelas mudanças climáticas.
(B) por conflitos políticos e religiosos.
(C) pela baixa produtividade agrícola.
(D) pelo alto custo de vida nas cidades.
Disponível em https://en.wikipedia.org/wiki/Pride_parade. Acesso em 11 Mai. 2016.

A foto acima mostra a parada gay em Istambul, na Turquia. A população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e
transgêneros) brasileira também promove o mesmo evento anualmente em São Paulo e tem como objetivo
(A) promover a supremacia dos homossexuais.
(B) estimular a heterofobia.
(C) estimular o aumento da população LGBT.
(D) promover o reconhecimento dos direitos da população LGBT.

Leia o trecho:
“A primeira ideia que a maioria dos brasileiros tem sobre os índios é a de que eles constituem um bloco único,
com a mesma cultura, compartilhando as mesmas crenças, a mesma língua. O Tupinambá, o Goitacá, o Puri, o Coroado,
o Coropó deixam de ser Tupinambá, Goitacá, Puri, o Coroado, o Coropó para se transformarem no “índio”, isto é no
“índio genérico”. Ora, essa é uma ideia equivocada, que reduz culturas tão diferenciadas a uma entidade supra-étnica.
Hoje vivem no Brasil mais de 200 etnias, falando 188 línguas diferentes. Cada um desses povos tem sua forma
de expressão, sua religão, sua arte, sua ciência, sua dinâmica histórica própria, que são diferentes de um povo para
outro”
FREIRE, José Ribamar Bessa. A herança cultural indígena, ou cinco ideias equivocadas sobre os índios. In: Cineastas indígenas: um outro olhar:
guia para professores e alunos. Olinda, PE: Vídeo nas aldeias, 2010. p. 18

De acordo com o trecho, é correto afirmar que os índios


(A) constituem um povo homogêneo.
(B) têm uma unidade étnica diferente dos brasileiros.
(C) são compostos por uma grande diversidade com mais de 200 etnias.
(D) são apenas os Tupinambás que falam 188 línguas diferentes.
Leia o trecho:
“Quilombolas são os brasileiros descendentes de africanos escravizados que fugiram e se refugiaram em comunidades
chamadas quilombos.
Os quilombolas preservam grande parte das tradições culturais de seus antepassados, como religião, culinária e
também atividades econômicas”.
Fonte:TORREZANI, Neiva Camargo. Vontade de saber. Geografia. 2. 7 ano ed. São Paulo: FTD, 2015. p. 68.

A autora argumenta que os quilombolas


(A) não são brasileiros pois são descendentes de africanos escravizados.
(B) não possuem relação com o passado escravocrata brasileiro
(C) representam importância na riqueza cultural brasileira.
(D) não possuem conhecimentos que possam ser utilizados em atividades econômicas.

Observe a foto:

Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Tarifação_de_congestionamento.
Acesso em 11 Mai. 2016.

A foto mostra um problema constante nas grandes cidades. Um dos motivos que ocasionam o problema apresentado é
o fato de
(A) o número de veículos automotivos ter aumentado consideravelmente nas últimas décadas.
(B) a indústria automobilística ter se tornado menos sofisticada nas últimas décadas.
(C) a legislação rodoviária brasileira estabelecer limites de velocidade reduzidos.
(D) as leis de trânsito terem se tornado mais rigorosas.
Observe a foto:

Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_Passe_Livre. Acesso em 11 Mai. 2016.

O ano de 2013 ficou marcado por grandes manifestações populares. De acordo com os dizeres dos cartazes, pode-se
concluir que os manifestantes que aparecem na imagem acima reivindicavam
(A) criação de saneamento básico gratuito.
(B) aumento de salário.
(C) diminuição do preço do transporte público.
(D) redução das tarifas sobre transações bancárias.
Observe a foto:

Disponível em https://i.ytimg.com/vi/3DBOVb8KQwk/hqdefault.jpg. Domínio público.


Acesso em 11 Mai. 2016.

A imagem mostra uma das represas do Sistema Cantareira, no estado de São Paulo, durante a seca no ano de 2014.
A seca causou uma séria crise de abastecimento de água que se alastrou por todo o sudeste do país e ficou conhecida
como “crise hídrica”. Uma das medidas adotadas pelo poder público para minimizar os efeitos da crise foi a de
(A) promover campanhas para redução do consumo de água.
(B) aumentar o abastecimento de água para as áreas rurais.
(C) incentivar o consumo de água mineral engarrafada na produção agrícola.
(D) financiar a perfuração indiscriminada de poços artesianos.

A indústria atual possui capacidade de produção, diversidade de produtos e qualidade, em média, muito superiores às
de trinta anos atrás. Essas mudanças se devem, dentre outros fatores,
(A) ao maior empenho das pessoas no trabalho.
(B) às inovações tecnológicas na área da comunicação.
(C) ao uso de trabalho infantil, como forma de promover criatividade.
(D) à transferência dos polos industriais para as regiões rurais.
Leia o trecho:
“Frequentamos lugares diferentes em nosso cotidiano. Esses lugares podem estar próximos de onde moramos ou em
bairros mais distantes. Também nos relacionamos com lugares situados em outros municípios, estados e até mesmo
em outros países.”
Fonte:TORREZANI, Neiva Camargo. Vontade de saber. Geografia. 2. ed. São Paulo: FTD, 2015. p. 16.

A relação cotidiana que podemos ter com os lugares distantes é possível devido
(A) aos meios de comunicação tecnológica, como rádio, internet e televisão.
(B) aos meios de transporte como aviões e trens-bala.
(C) à comunicação usada por cartas pelos serviços de correio.
(D) à comunicação cotidiana com os vizinhos do bairro.

“O homem há de voar”
Frase de Alberto Santos Dumont, século, final do século XIX.

Desde que a frase acima foi proferida por Santos Dumont, o avião foi inventado, foi aprimorado e a aviação evoluiu
continuamente. Dentre os principais impactos promovidos pela aviação nas últimas décadas, podemos citar a(o)
(A) diminuição da expectativa média de vida em todo o planeta.
(B) redução dos níveis de ozônio na estratosfera.
(C) intensificação de um comercio globalizado entre os países do planeta.
(D) diminuição das reservas de petróleo pelo uso elevado de combustível na aviação militar.
simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova
7 ANO

simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova
1. Você está recebendo um Caderno de Questões de Geografia e uma Folha de Resposta.

2. O Caderno de Questões contém 25 questões.

3. Você terá 60 minutos para finalizar o simulado.

4. Preencha seu nome completo no Caderno de Questões e na Folha de Resposta.

5. Leia com atenção antes de responder às questões e marque suas respostas no Caderno de Questões.

6. Você poderá utilizar os espaços em branco do Caderno de Questões para rascunho.

7. Cada questão tem uma única resposta correta.

8. Procure não deixar questões sem resposta.

9. Reserve os últimos 10 minutos do simulado para preencher a Folha de Resposta, utilizando caneta
esferográfica de tinta azul ou preta.

10. Siga o modelo de preenchimento existente na própria Folha de Resposta.

11. Entregue a Folha de Respostas para o aplicador antes de deixar a sala.

12. Aguarde o aviso do professor para começar o simulado.


Assinale a alternativa que indica as principais atividades econômicas encontradas no meio rural.
(A) Comércio e prestação de serviços.
(B) Agricultura e indústria pesada.
(C) Pesca e pesquisa tecnológica.
(D) Pecuária e agricultura.

Os produtos de origem animal encontram-se nas imagens:


(A) 1, 2, 3 e 4.
(B) 1 e 2, apenas.
(C) 1 e 3, apenas.
(D) 2 e 4, apenas.

O Cerrado é um bioma brasileiro que conta com grande diversidade de fauna e flora. É o segundo maior do país, atrás
apenas da Floresta Amazônica. Mas apesar da sua importância, ele está sob ameaça. Sem o devido reconhecimento
como patrimônio nacional e uma lei de uso sustentável, a vegetação nativa perde cada vez mais espaço para o
agronegócio, que já ocupa pelo menos 50% do bioma. Esse cenário afeta não só a biodiversidade, como também os
povos e comunidades tradicionais que vivem na região.
ONG alerta para abuso na exploração do Cerrado. Disponível em http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/ong-alerta-para-abuso-na-exploracao-
do-cerrado-11092015. Acesso em 15 Fev. 2015.

O Cerrado, importante bioma encontrado no Brasil central, sofre pressão por conta das atividades agropecuárias. Em
relação à pecuária, a principal forma de criação bovina neste bioma brasileiro é o(a)
(A) nomadismo pastoril.
(B) transumância.
(C) sedentária extensiva.
(D) sedentária intensiva.
O secretário de Desenvolvimento Rural e presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Mato Grosso
(Famato), no Brasil, disse que esta situação se deve aos métodos utilizados, em especial às queimadas (prática que
utiliza o fogo de forma controlada), que continuam a ser uma das causas da deflorestação da mata e floresta brasileira.
http://www.meioambientenews.com.br/conteudo.ler.php?q%5B1%7Cconteudo.idcategoria%5D=44&id=290

A situação descrita no texto reforça a ideia de que, no Brasil,


(A) o uso das queimadas como método de limpeza de terrenos é uma prática bastante disseminada.
(B) as queimadas foram herdadas dos povos indígenas e estão perfeitamente adequadas para os dias de hoje.
(C) o desmatamento não é uma preocupação devido à existência de vastas áreas florestais.
(D) as práticas agrícolas sem qualquer uso de tecnologia são predominantes.

Um título apropriado para o mapa acima seria


(A) “São Paulo: a maior cidade das Américas.”
(B) “As megacidades que compõem São Paulo.”
(C) “ABCD: as cidades industriais.”
(D) “Região Metropolitana de São Paulo.”
Observe a imagem do bairro do Morumbi na cidade de São Paulo.

Disponível em https://mccorg50.files.wordpress.com/2014/01/gated-communities7.jpg.
Acesso em 11 Mai. 2015

A imagem mostra, principalmente,


(A) a pobreza, que prevalece nos países socialistas.
(B) a verticalização das cidades, que acontece no Brasil.
(C) as favelas, que existem nos países de economia emergente.
(D) as grandes diferenças sociais, que ocorrem no Brasil.
A imagem a seguir mostra uma importante vegetação encontrada, principalmente, na porção central do Brasil. Os
arbustos possuem troncos retorcidos e são circundados por uma vegetação rasteira. O solo é marcado pela acidez e o
clima é o tropical com duas estações definidas: verão chuvoso e inverno seco.

Disponível em
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/40/Cerrado_-_Campo_Sujo.JPG.
Acesso em 23 Mar. 2015

A vegetação descrita é conhecida por:


(A) Cerrado.
(B) Caatinga.
(C) Floresta Amazônica.
(D) Mata das Araucárias.
Observe as informações do gráfico a seguir.

População brasileira por região


80.353.724
72.412.411

53.078.137
47.741.711

27.384.815
15.865.678

25.107.616 14.050.340
12.900.704

11.636.728

Região Norte Região Nordeste Região Sudeste Região Sul Região Centro-Oeste

População em 2000 População em 2010

Em 2010, as regiões com maior e menor população absoluta no Brasil eram, respectivamente, as regiões
(A) Nordeste e Sul.
(B) Sudeste e Nordeste.
(C) Sudeste e Centro-Oeste.
(D) Nordeste e Sudeste.
A fotografia a seguir mostra uma região brasileira.

A população de imigrantes ao qual a imagem se refere, é a população dos


(A) poloneses.
(B) espanhóis.
(C) portugueses.
(D) alemães.
Matriz Modal do Brasil
Aquaviário;
11,40% Aéreoviário;
0,05%

Dutoviário;
3,40%

Ferroviário; Rodoviário;
19,50% 65,00%

Fonte: Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), 2010.

O gráfico acima mostra a porcentagem de carga movimentada por cada modal de transporte no Brasil, em 2010.
Com base nos dados, podemos dizer que a porcentagem de cargas transportada por vias fluviais ou cabotagem, naquele
ano, foi de
(A) 65,00%.
(B) 19,50%.
(C) 11,40%.
(D) 3,40%.

O país se esquece de que muitas das estatais que estão aí na lista da privatização nasceram da sucata deixada por
investidores estrangeiros, concessionários de serviços públicos que as levaram ao colapso. A Leopoldina Railway, por
exemplo, não passava de ferro-velho quando o governo brasileiro a comprou a preço de ferrovia. O Estado, no Brasil,
funciona mal porque ele existe para manter privilégios. Ele deveria ser desprivatizado, pois trabalha para poucos e por
isso o povo tem horror a ele.
CORRÊA, Marcos Sá. Veja, 27/09/95 Apud. PAULA, D. A. Estado, sociedade civil e hegemonia do rodoviarismo no Brasil. Revista Brasileira de
História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 142-156, jul.-dez 2010.

A fala acima foi pronunciada pelo historiador Nelson Werneck Sodré, em 1995. Segundo seu ponto de vista, o Estado
(A) guarda os interesses nacionais contra a cobiça de governantes estrangeiros.
(B) protege o patrimônio nacional contra a privatização para o capital estrangeiro.
(C) privilegia interesses particulares ao invés do interesse público nacional.
(D) compra empresas particulares para evitar o colapso das mesmas.
Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro: 2012.

O mapa acima mostra a distribuição das terras indígenas no país. Podemos concluir que os povos indígenas se
concentram, principalmente,
(A) na região da Amazônia Legal.
(B) na região Sul.
(C) na região Sudeste.
(D) na região nordeste.
Observe a figura.

Trecho norte da obra do Rodoanel, na Região Metropolitana de São Paulo.


Foto de governosp@flickr.com. Acessado em 11 mai. 2016.

A fotografia acima foi tirada durante a construção do Rodoanel, um projeto rodoviário que circunda a Região
Metropolitana de São Paulo. Podemos dizer que a forma de transporte representada na imagem
(A) tem sido substituída pelo transporte hidroviário, que se aproveita dos longos rios navegáveis do país.
(B) é a mais utilizada no Brasil desde a metade do século XX, quando os investimentos em ferrovias encolheram.
(C) é pouco explorada por causa das características física do Brasil, que são mais propícias ao transporte fluvial.
(D) é largamente utilizada nas regiões Sudeste e Sul, mas praticamente inexiste no restante do território.
Mapa do Desmatamento no Cerrado até 2010

Monitoramento do desmatamento nos biomas brasileiros por satélite. Ministério do Meio Ambiente; Instituto
Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis. Brasília, 2011.

O mapa acima mostra desmatamento no Cerrado. Esse fenômeno tem sido ocasionado, principalmente, pelo(a)
(A) progresso da urbanização e pelo crescimento populacional.
(B) lançamento de gases de efeito estufa e pela alteração climática.
(C) adoção de práticas sustentáveis e pelo aumento do reflorestamento.
(D) extração ilegal de carvão vegetal e pelo avanço da fronteira agrícola.
Fusos Horários

CHARLIER, Jacques (Org.). Atlas du XXI siècle. Paris: Nathan, 2013. Apud.
James Onnig Tamdjian, Ivan Lazzari Mendes. — 1. ed — São Paulo : FTD, 2015

O mapa mostra os fusos horários dos diferentes países do globo. Alguns países são cortados por vários fusos, como é
o caso de Rússia, EUA, Canadá e Brasil. Isso ocorre porque esses países apresentam
(A) território em dois hemisférios terrestres.
(B) grande extensão longitudinal.
(C) proximidade com a linha do equador.
(D) grande extensão latitudinal.
Parabolicamará
Antes mundo era pequeno
Porque Terra era grande
Hoje mundo é muito grande
Porque Terra é pequena
Do tamanho da antena parabolicamará
Ê, volta do mundo, camará
Ê, ê, mundo dá volta, camará

Antes longe era distante


Perto, só quando dava
Quando muito, ali defronte
E o horizonte acabava
Hoje lá trás dos montes, den de casa, camará
Ê, volta do mundo, camará
Ê, ê, mundo dá volta, camará
Gilberto Gil. Disponível em http://www.vagalume.com.br/.
Acessado em 30 abr.2016.

A canção de Gilberto Gil fala de tecnologia e das distâncias no mundo atual. A seu ver, as tecnologias de comunicação
(A) encurtam distâncias com a possibilidade de comunicação rápida.
(B) distanciam as pessoas, que se fecham no mundo virtual.
(C) criam um mundo novo de realidade paralela.
(D) prejudicaram a relação entre o homem e o meio ambiente.

Leia o trecho:
“ Enfiaram na cabeça da maioria dos brasileiros uma imagem de como deve ser o índio: Nu ou de tanga, no meio da
floresta, de arco e flecha, tal como foi descrito por Pero Vaz de Caminha. E essa imagem foi congelada. Qualquer
mudança nela provoca estranhamento. Quando o índio não se enquadra nessa imagem, vem logo a reação: “Ah! Este
aí não é mais índio, já está civilizado”. Na cabeça dessas pessoas, o “índio autêntico” é o índio da carta do Caminha,
não aquele índio de carne e osso que convive conosco, que está hoje no meio de nós. ”.
FREIRE, José Ribamar Bessa. A herança cultural indígena, ou cinco ideias equivocadas sobre os índios. In: Cineastas
indígenas: um outro olhar: guia para professores e alunos. Olinda, PE: Vídeo nas aldeias, 2010. p. 24

O autor defende que


(A) índio somente é índio se estiver nu ou de tanga.
(B) índio que usa roupa não pode ser considerado índio.
(C) não existem mais índios no Brasil
(D) índio que estabelece relações com diferentes culturas ainda é índio.
Observe o mapa a seguir.

Fonte:Hervé Théry; Neli Aparecida de Mello.


Atlas do Brasil: disparidades e dinâmicas do território. São Paulo: Edusp, 2005. p. 35.

A ocupação europeia no território brasileiro no século XVI se concentra


(A) no interior do Brasil, por conta do vasto território.
(B) na faixa litorânea, por conta do mercado de escravos.
(C) na faixa litorânea, por conta da extração de madeira e da plantação da cana-de-açúcar.
(D) no sul do Brasil, respeitando o Tratado de Tordesilhas.
Leia o trecho a seguir.
“O manguezal é um dos mais ricos ambientes do planeta, possui uma grande concentração de vida, sustentada por
nutrientes trazidos dos rios e das folhas que caem das árvores. Se você reparar bem, verá que ele tem ainda localização
privilegiada: quase sempre existem em regiões muito iluminadas pela luz do sol [...]. Por causa da quantidade de
sedimentos – restos de plantas e outros organismos – misturados à água salgada, o solo dos manguezais tem aparência
de lama. Mas dele resulta uma floresta exuberante capaz de sobreviver naquele solo inundado constantemente pela
maré e com muita concentração de sal.
[...] Apesar de toda a sua riqueza escondida, o manguezal é um ambiente muito frágil e ameaçado. A retirada
inconsequente de muitas espécies que compõem esse ecossistema, assim como a poluição das águas, pode
comprometer a sua existência [...].”

Maria do Socorro Viana do Nascimento. Você sabia que os manguezais podem ser considerados um dos habitats mais ricos
do planeta? Ciência hoje das crianças. Rio de Janeiro: SBPC/Instituto Ciência Hoje, n. 201, maio 2009. p. 19.

A autora argumenta que o manguezal é um ambiente ameaçado, principalmente, pelo(a)


(A) poluição da água e pela retirada predatória de suas espécies.
(B) extração de madeira e pelos sedimentos causados por essa atividade.
(C) pobreza em matéria orgânica e pela falta de iluminação solar.
(D) exposição à luz do sol e pela alta concentração de sal.
Fonte: Orlando Villas Bôas. História e causos. São Paulo: FTD, 2005.

Hoje, o que se chama de Parque Indígena do Xingu (PIX) é um território de 2.825.470 hectares, [...]. O PIX tem uma
taxa de desmatamento baixíssima e é a área mais preservada da região das cabeceiras do Xingu, formando uma
verdadeira ilha de floresta face ao desmatamento regional. Sua população é de aproximadamente 5.500 pessoas, com
elevadas taxas de crescimento populacional, e vive em 77 aldeias.
Almanaque Socioambiental Parque Indígena do Xingu - 50 anos / Instituto Socioambiental (ISA) .-- São Paulo : Instituto Socioambiental, 2011.

Considerando o mapa e o texto acima, sobre o Parque Indígena do Xingu, pode-se inferir que
(A) possui alta densidade demográfica e aldeias concentradas nas proximidades dos rios.
(B) possui baixa densidade demográfica e aldeias concentradas nas longe dos rios.
(C) possui baixa densidade demográfica e aldeias concentradas nas proximidades dos rios.
(D) possui alta densidade demográfica e aldeias concentradas nas longe dos rios.
Observe a imagem a seguir.
Fotomontagem por Maryane Vioto Silva/Shuterstock

Fonte: CENSO agropecuário 2006. Rio de Janeiro: IBGE, 2009 p. 107.

De acordo com as informações apresentadas, podemos dizer que


(A) as propriedades rurais ocupam menos de 10% da área agrícola.
(B) os estabelecimentos rurais com mais de 1000 hectares ocupam 45% da área agrícola do país.
(C) os minifúndios ocupam a 50% da área agrícola do país.
(D) a concentração fundiária no Brasil é desprezível, pois os latifúndios só correspondem a 1% da área rural.
Observe o gráfico sobre a participação feminina no mercado de trabalho brasileiro entre 1972 e 2013.

Fonte: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Extraído do site:


<ftp://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domicilios_anual/2
013/Sintese_Indicadores/sintese_pnad2013.pdf>. Acesso em: 2 out. 2014.

De acordo com o gráfico, podemos dizer que a participação feminina no mercado de trabalho brasileiro

(A) manteve-se constante nos últimos quarenta anos.


(B) apresentou seu maior crescimento entre 1982 e 1992.
(C) representa mais da metade da população economicamente ativa.
(D) cresceu em ritmo acelerado nos últimos dez anos.

A desindustrialização foi um processo que ocorreu na cidade de São Paulo na segunda metade do século XX.
Um dos principais motivos que levaram à desindustrialização da capital paulista foi a(o)
(A) dificuldade de transporte da produção industrial.
(B) escassez de recursos hídricos.
(C) falta de mão de obra qualificada.
(D) falta de infraestrutura tecnológica.
O MTST é um movimento que organiza trabalhadores urbanos a partir do local em que vivem: os bairros periféricos.
Não é nem nunca foi uma escolha dos trabalhadores morarem nas periferias; ao contrário, o modelo de cidade capitalista
é que joga os mais pobres em regiões cada vez mais distantes. Mas isso criou as condições para que os trabalhadores
se organizem nos territórios periféricos por uma série de reivindicações comuns. Criou identidades coletivas dos
trabalhadores em torno destas reivindicações e de suas lutas. Ao mesmo tempo, a organização sindical, no espaço de
trabalho, tem tido enormes dificuldades em organizar um segmento crescente de trabalhadores (desempregados,
temporários, terceirizados, trabalhadores por conta própria, etc.), a partir de transformações ocorridas no próprio
processo produtivo, que tornaram as relações trabalhistas mais complexas e diversificadas. Assim, o espaço em que
milhões de trabalhadores no Brasil e em outros países tem se organizado e lutado é o território. É aí que o MTST se
localiza: Somos um movimento territorial dos trabalhadores.
Quem somos? Disponível em http://www.mtst.org/quem-somos/. Acessado em 11 mai. 2016.

A capital paulista vem sofrendo, nas últimas semanas, com greves legais e ilegais, ocupações de terrenos e imóveis,
manifestações violentas e pacíficas e outras ações que paralisam o trânsito, tumultuam a vida da cidade, provocam
desgaste e revolta e castigam duramente a população, que assiste impotente ao cerceamento de seu direito de circular
livremente.
Essa situação se agravou com a atuação dos autointitulados "sem-teto" ligados ao MTST (Movimento dos Trabalhadores
Sem-Teto), que ocuparam um terreno nas proximidades da Arena Corinthians, invadiram as sedes das empreiteiras e
da empresa proprietária do terreno e promoveram manifestações com a participação, inclusive, de idosos e crianças,
colocando-os em risco.
AMATO, R. O MTST e o estado de anomia*. Disponível em http://folha.com/no1468883. Acesso em 12 mai. 2016

* Anomia: ausência de lei ou regra.

Dos textos acima, pode-se inferir que o MTST tem por objetivo a reinvindicação de (a)
(A) expansão dos direitos trabalhistas de seus membros, mas legalidade de seus métodos é contestada por parte da
população.
(B) moradia digna para os trabalhadores urbanos, mas a legalidade de seus métodos é contestada por parte da
população.
(C) moradia digna para os trabalhadores urbanos, e seus métodos obtém total apoio das autoridades e da população.
(D) expansão dos direitos trabalhistas de seus membros, e seus métodos obtém total apoio das autoridades e da
população.
Observe a tabela abaixo.

Produção de soja na região Norte

Área plantada em hectares Produção em toneladas

1995 2005 2013 1995 2005 2013

24.617 508.238 925.673 47.271 1.262.418 2.692.506


Fonte: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Disponível em www.sidra.ibge.gov.br. Acesso em: 20 fev. 2015.

A tabela mostra que as lavouras monocultoras de soja vêm ganhando destaque na região Norte. Da tabela pode-se
concluir que, referente a soja,
(A) a área plantada e a produção cresceram nas últimas duas décadas.
(B) a área plantada e a produção diminuíram nas últimas duas décadas.
(C) a área plantada cresceu, mas a produção diminuiu nas últimas duas décadas.
(D) a área plantada diminuiu, mas a produção cresceu nas últimas duas décadas.
simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova
8 ANO

simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova
1. Você está recebendo um Caderno de Questões de Geografia e uma Folha de Resposta.

2. O Caderno de Questões contém 35 questões.

3. Você terá 1 hora e 15 minutos para finalizar o simulado.

4. Preencha seu nome completo no Caderno de Questões e na Folha de Resposta.

5. Leia com atenção antes de responder às questões e marque suas respostas no Caderno de Questões.

6. Você poderá utilizar os espaços em branco do Caderno de Questões para rascunho.

7. Cada questão tem uma única resposta correta.

8. Procure não deixar questões sem resposta.

9. Reserve os últimos 10 minutos do simulado para preencher a Folha de Resposta, utilizando caneta
esferográfica de tinta azul ou preta.

10. Siga o modelo de preenchimento existente na própria Folha de Resposta.

11. Entregue a Folha de Respostas para o aplicador antes de deixar a sala.

12. Aguarde o aviso do professor para começar o simulado.


Observe a ilustração.

Meihy, Renan. Uso sob permissão. 2016

O esquema acima ilustra o balanço de energia da Terra, ou seja, o que acontece com a energia que recebemos do
Sol. Atualmente, muito tem se discutido sobre a existência do aquecimento global provocado pelas ações do homem.
Esse aquecimento do planeta ocorreria em decorrência do(a)
(A) diminuição da fração da energia solar absorvida pela superfície.
(B) aumento da fração da energia solar refletida para o espaço.
(C) diminuição da fração da energia solar recebida do Sol.
(D) aumento da fração da energia solar absorvida pela atmosfera.

Charles Moore escreve que a indústria se transformou desde os anos 1920, “quando mecanização significava
repetição” e tanto corporações, quanto cidades eram organizadas de forma centralizada e hierarquizada. As mídias
eletrônicas criaram novas cidades e indústrias niveladas e descentralizadas. Paolo Portoghesi [...] argumenta que
essa revolução tecnológica na informação e comunicação abriu espaço para uma sociedade pós-industrial. Tal
sociedade cria uma cultura pós-moderna que evita a padronização e a repetição em favor da diferenciação, imagem e
efemeridade.
GARTMAN, D. Postmodernism; or the cultural logico of post-fordism? The Sociological Quarterly, Volume 39, Number 1, pages 119-137. (adaptado)

A análise do autor identifica dois momentos marcados pelo(a)


(A) estágio tecnológico e pela cultura que surge dele.
(B) disposição das cidades e pelo nível de mobilidade urbana que surge dela.
(C) sistema político e pela estabilidade social que surge dele
(D) nível de industrialização e pela prosperidade que surge dele.
Observe os mapas.
Mapa 1 - Estado do Rio de Janeiro

Fonte: Atlas Escolar IBGE.

Mapa 2 - Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Fonte: Centro de Estudos da Metrópole - FFLCH/USP.

Os mapas apresentados mostram recortes diferentes de uma mesma área do país. Quanto à escala dos mapas, sabe-
se que o mapa 2 possui escala
(A) menor do que o mapa 1, pois apresenta maior detalhamento do terreno.
(B) maior do que o mapa 1, pois apresenta menor detalhamento do terreno.
(C) maior do que o mapa 1, pois apresenta maior detalhamento do terreno.
(D) menor do que o mapa 1, pois apresenta menor detalhamento do terreno.
Analise a tabela abaixo e responda à pergunta.

Ano População indígena total % da população total

1500 3.000.000 100

1825 360.000 9

2000 400.000 0,2

Fonte: AZEVEDO, M. M.. Índios no Brasil: quem são.


Disponível em: <http://www.funai.gov.br/index.php/indios-no-brasil/quem-sao>.

A Lei nº 6.001, sancionada em 1973 e conhecida como o Estatuto do Índio, traz entre seus objetivos o respeito à
cultura e ao modo de vida indígena, a manutenção de suas terras, a garantia de seus direitos civis e políticos e outras
determinações que visam a amparar essa população. Em vista dos dados contidos na tabela, conclui-se que essa lei
deve ser usada para
(A) controlar uma população que cresce rapidamente e está por se tornar dominante na nossa sociedade.
(B) proteger uma população vulnerável contra o seu desaparecimento e o de seu modo de vida.
(C) incentivar a imigração de pessoas de origem indígena que possam aumentar o número dessa população.
(D) auxiliar os povos indígenas a manter seu crescimento econômico progressivo e suas tradições.

“Governar é povoar; mas, não se povoa sem se abrir estradas, e de todas as espécies; governar é, pois, fazer
estradas.”
Trecho do discurso do ex-presidente Washington Luís, de 1920, apud. RIZZO, Garibaldi.
Os erros das políticas públicas no Brasil: a opção pelo rodoviarismo. Diário da Manhã, 20 maio 2014.

O discurso de Washington Luís reflete uma preocupação de governantes que ainda é atual. O objetivo de sua política
de construção de estradas é similar àquilo que se busca atualmente com o(a)
(A) desmantelamento da rede ferroviária construída ao longo dos séculos passados.
(B) incentivo ao transporte público coletivo e ao individual não motorizado nos centros urbanos.
(C) integração do território por meio de infovias e de terminais de tecnologia da informação.
(D) concessão de estradas federais à iniciativa privada para que sejam melhor administradas.
Começando em 1998, os fenomenalmente populares livros do Harry Potter catapultaram sua jovem autora J.k.
Rowling à fama global.
[...]
Os livros do Harry Potter são altamente cultos. Eles têm ecos de Charles Dickens, que era famoso por suas
descrições satíricas dos internatos britânicos em seu famoso romance Nicholas Nickleby.
Os livros do Harry Potter ainda possuem referências a mitos e contos de fada de todo o planeta e de épocas passadas,
tal como a pedra filosofal que os alquimistas medievais tentaram encontrar.
[...]
Enquanto isso, a cultura jovem ao redor do mundo é oferecida de bandeja a imensas companhias multinacionais.
Enormes segmentos da indústria de brinquedos, música, filme e fast food tanto incentivam, como também se
aproveitam da cultura jovem, americana principalmente, para vender bilhões de dólares em produtos e serviços.
The Globalist, 13 jan. 2002. Disponível em http://www.theglobalist.com/. Acessado em 04 mai. 2016. (adaptado)

No trecho reproduzido, o autor fala das qualidades da série Harry Potter como produto cultural infanto-juvenil. Em
seguida, ele comenta sobre a indústria cultural globalizada, afirmando que
(A) os produtos culturais recentes têm se caracterizado pela evolução de sua qualidade e profundidade.
(B) diversos produtos e serviços que circulam internacionalmente não apresentam a mesma qualidade.
(C) esse setor não tem visto bons resultados econômicos em razão das exigências de seu público-alvo.
(D) a série Harry Potter é uma exceção à tradição de alta qualidade dos produtos e serviços desse setor.
Mapa de IDH – 2013

Fonte: Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Relatório de desenvolvimento humano 2014.
Ilustração de E. Cavalcante.Vavy Pacheco Borges. Coleção Primeiros Passos.
O que é história. São Paulo: Brasiliense, 1993. p. 50.

O mapa contém informações sobre o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de quase todas as nações do planeta
para o ano de 2013. Sobre isso, sabe-se que o índice
(A) prioriza aspectos sociais que são mais valorizados no Ocidente, por isso os maiores IDHs se referem a países
localizados nessa parte do mundo.
(B) foca-se no desempenho econômico das nações e, por esse motivo, os maiores índices se encontram nas
maiores economias do mundo.
(C) procura traduzir em números o estado da saúde, da educação e da economia, sendo que os maiores índices se
encontram no Oriente.
(D) busca medir a situação do país quanto à saúde, à educação e à renda, sendo mais elevado nos países
desenvolvidos.
Mapa de deslocamentos pendulares na Região Metropolitana de São Paulo para a capital – 2000

Fonte: ARANHA, V. Mobilidade pendular na metrópole paulista.


São Paulo Perspec., São Paulo , v. 19, n. 4, p. 96-109, Dez.2005

No mapa, estão representados os deslocamentos de estudantes e trabalhadores que, diariamente, deixam suas
residências nas cidades da Região Metropolitana de São Paulo e se deslocam para a capital durante o dia, retornando
pela noite. Sobre o fenômeno das migrações, sabe-se que
(A) ocorre nas mais diversas escalas, desde a local até a internacional.
(B) é restrito aos deslocamentos de trabalhadores a curtas distâncias.
(C) tem desacelerado nas últimas décadas em razão de instabilidades políticas.
(D) se restringe a pessoas que se deslocam por motivos humanitários ou políticos.
Por muito tempo a pescaria [...] foi o meio de vida de Qantab, uma vila modesta nas proximidades da capital do Omã,
Mascate.
[...]
Agora, a estrada de dois quilômetros até a praia de Qantab está fechada e cercas apareceram ao redor da praia. A
construção de um hotel-resort logo começará. O ministério do turismo decidiu que o desenvolvimento da praia atrairia
mais visitantes e faria mais dinheiro. Parece provável que a maioria ou que todas as praias logo serão acessíveis
somente aos hóspedes dos hotéis.
The Globalist, 30 abr. 2016. Disponível em http://www.theglobalist.com/. Acessado em 04 mai. 2016. (adaptado)

O texto dá um exemplo de
(A) preservação de um meio de vida tradicional e de prevenção contra o agravamento de problemas sociais urbanos.
(B) coexistência sustentável entre modalidades tradicionais e modernas de atividades econômicas.
(C) práticas tradicionais modificadas pela circulação do capital e pela modernização econômica.
(D) melhoria da qualidade de vida da população por meio do desenvolvimento de áreas periféricas.

A partir de 1992, a Unesco adotou o conceito de paisagem cultural como uma nova tipologia de reconhecimento dos
bens culturais. Duas décadas depois, em 6 de julho de 2012, reconheceu o Rio de Janeiro como a primeira área
urbana do mundo a receber a chancela de paisagem cultural. Os locais da cidade valorizados com o título da Unesco
são o Pão de Açúcar, o Corcovado, a Floresta da Tijuca, o Aterro do Flamengo, o Jardim Botânico, a praia de
Copacabana, e a entrada da Baía de Guanabara. Os bens cariocas incluem ainda o Forte e o Morro do Leme, o Forte
de Copacabana e o Arpoador, o Parque do Flamengo e a Enseada de Botafogo.
Em consonância com a Unesco, o Iphan regulamentou a paisagem cultural como instrumento de preservação do
patrimônio cultural brasileiro em 2009, por meio da Portaria nº 127. Como definição, a chancela de Paisagem Cultural
Brasileira é uma porção peculiar do território nacional, representativa do processo de interação do homem com o meio
natural, à qual a vida e a ciência humana imprimiram marcas ou atribuíram valores.
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/. Acessado em 04 mai. 2016

Tanto os órgãos públicos, quanto os pesquisadores têm desenvolvido estudos que se referem ao aspecto cultural das
paisagens modificadas pelo homem. O conceito de paisagem cultural ressalta os elementos
(A) econômicos e produtivos da relação do homem com seu meio.
(B) políticos e institucionais da relação do homem com seu meio.
(C) simbólicos e históricos da relação do homem com seu meio.
(D) físicos e naturais de um determinado meio.
Os geógrafos W. M. Davis e E. de Martonne se tornaram notórios no campo da Geografia Física por seus estudos
sobre geomorfogênese (nascimento das formas do relevo) e evolução dos relevos, principalmente nos países de clima
temperado, já que realizaram a maior parte de suas pesquisas em seus países, respectivamente EUA e França. Davis
cunhou a conhecida comparação entre os estágios de evolução do relevo e as fases da vida humana, chamando-os
de jovens ou velhos.
Conhecendo o processo de formação dos relevos por meio dos movimentos tectônicos e dos processos erosivos,
sabe-se que um relevo “velho” é aquele que
(A) apresenta formas mais suaves, curvadas e desgastadas, com poucas escarpas.
(B) possui formas mais escarpadas e íngremes, com cumes bem demarcados.
(C) não possui ondulações e é totalmente aplainado, como nas planícies litorâneas.
(D) se localiza em formações rochosas antigas, independentemente de suas formas.

Integrantes do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens), indígenas e ribeirinhos aproveitaram a visita que a
presidente Dilma Rousseff fará a Belo Monte, no Pará, para fechar na manhã desta quinta-feira (5) a única rodovia
que dá acesso à usina.
Folha de S. Paulo, 05 mai. 2016. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/. Acessado em 05 mai. 2016.

A notícia informa o leitor de que três setores da sociedade paraense se uniram para se manifestar na ocasião da visita
da Presidente da República à usina hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu.
O fato de terem escolhido o dia da visita da presidente da república à usina foi importante pelo fato de
(A) apoiarem a luta da presidente contra o modelo de geração de energia renovável, predominante no país.
(B) defenderem a adoção de projetos sustentáveis de energia renovável, ao invés do aumento de hidrelétricas.
(C) protestarem contra os impactos da construção e operação dessa e de outras hidrelétricas em seus modos de vida.
(D) reivindicarem a aceleração da construção de usinas de energia em sua região, tradicionalmente ignorada.

Os humanos têm um alcance geográfico e ecológico maior do que a de qualquer outro vertebrado terrestre. Há cerca
de 60.000 anos o homem emergiu da África e rapidamente se espalhou pelo globo. Já há 10.000 anos atrás,
forrageadores [colhedores de forragem] ocupavam todos os habitats terrestres, com a exceção da Antártica, e
algumas ilhas remotas como Havaí, Islândia e Madagascar. Para alcançar esse feito sem paralelo de adaptação, os
humanos tiveram que rapidamente se adaptar a uma vasta gama de diferentes ambientes - desertos quentes e secos,
calorosas florestas improdutivas e a frígida tundra ártica.
BOYD, R.; RICHERSON, P.; HENRICH, J. The cultural evolution of technology: Facts and theories. In Cultural Evolution: Society, Technology,
Language and Religion. MIT Press, 2013. (adaptado)

Os autores argumentam, em seu texto, que o ser humano é capaz de desenvolver tecnologias que o permitiram, e
ainda permitem, adaptar-se a diversas condições ambientais. Um exemplo de aplicação da tecnologia para viabilizar a
vida em um determinado habitat é o(a)
(A) criação da rede mundial de computadores e a possibilidade de comunicação instantânea.
(B) dessalinização de água marinha para consumo humano e irrigação do deserto.
(C) transmissão de imagens e áudio ao vivo por meio de satélites para aparelhos televisores.
(D) construção de veículos automotores esportivos capazes de alcançar velocidades supersônicas.
ROSA, Marcel. Adaptativa Inteligência Educacional. 2016.

O objetivo da charge é o(a)


(A) crítica ao comportamento que valoriza o consumo exagerado como forma de realização social.
(B) incentivo às compras e ao gasto de dinheiro como forma de participação na sociedade atual.
(C) denúncia das desigualdades sociais no âmbito do modelo econômico capitalista.
(D) sátira do linguajar científico e de seus males para a sociedade atual.
Observe o cartaz do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Disponível em http://www.tse.jus.br/. Acessado em 05 mai. 2016.

O cartaz foi parte de uma campanha do TSE em comemoração ao Dia Internacional da Democracia (15 de setembro)
de 2015. Nessa campanha, a instituição promovia a participação popular direta na democracia como forma de
fortalecê-la e melhorá-la. Essa campanha faz parte do(a)
(A) interesse dominante no tribunal de garantir o poder ao partido político que cumpre o mandato atual.
(B) projeto de poder da elite política, que visa a manutenção da estrutura política atual sem participação popular.
(C) atuação do TSE como órgão do poder judiciário responsável pela fiscalização do Presidente da República.
(D) papel institucional do TSE como órgão independente do governo para a garantia da democracia.

Observe a imagem abaixo.

Cidade de Osasco após enchente em 2009. Foto de cbnsp@flickr.com. Licença CC BY. Acessado em 05 mai. 2016.

As grandes cidades brasileiras convivem com o problema das enchentes, concentradas no verão. Uma solução viável
para que esses episódios se tornem menos frequentes é o(a)
(A) proteção da população com a ocupação das várzeas dos rios.
(B) melhoria do escoamento com a menor impermeabilização do solo.
(C) diminuição dos danos através do assoreamento dos corpos d´água.
(D) desocupação das margens do rios e povoamento das encostas de morros.
A globalização é, de certa forma, o ápice do processo de internacionalização do mundo capitalista. Para entendê-la,
como, de resto, a qualquer fase da história, há dois elementos fundamentais a levar em conta: o estado das técnicas e
o estado da política.
SANTOS, M. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2008, p.23.

Acerca do estado das técnicas durante as primeiras décadas da globalização no século XX, ele configura o que o
Milton Santos chamou de
(A) ordem ambiental internacional, caracterizando o espaço produzido pelos movimentos ambientalistas.
(B) meio técnico-científico-informacional, caracterizando o espaço produzido pela Terceira Revolução Industrial.
(C) revolução urbano-industrial, caracterizando o espaço produzido pela Primeira Revolução Industrial.
(D) ciberespaço, caracterizando o espaço produzido pela Quarta Revolução Industrial.

Localização das áreas desérticas do planeta

Castellar, S. M. V. Geografia, 6º ano. São Paulo : Quinteto Editorial, 2015.

O mapa mostra a localização de áreas que se caracterizam por


(A) concentrar grande parte da biodiversidade mundial.
(B) receber pouca insolação ao longo do ano.
(C) apresentar baixos volumes de precipitação anual.
(D) sofrer com violentos episódios de chuva no período de monções.
Nos três dias de encontro [entre Nelson Mandela e os presidentes da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia e
Chile], além de discussões econômicas, foi assinado o chamado Protocolo de Ushuaia, que diz, entre outras coisas,
que “a plena vigência das instituições democráticas é condição essencial para o desenvolvimento dos processos de
integração entre os Estados Partes”.
Esta seria a semente que, 13 anos depois, permitiria ao Mercosul assinar novo acordo, desta vez prevendo a
suspensão de algum país membro diante de ‘rupturas democráticas’. Foi este mesmo o protocolo usado em 2012 que
vetou o Paraguai, após impeachment relâmpago do então presidente Fernando Lugo
Calle2, 14 abr. 2016. Disponível em http://calle2.com/mercosul-entre-a-cruz-e-a-espada/. Acessado em 05 mai. 2016.

O artigo explica como


(A) a união de algumas nações sul-americanas em um bloco regional tem objetivos políticos e econômicos.
(B) os interesses econômicos dos países mais fortes da América do Sul se sobrepõem aos dos mais fracos.
(C) o Mercosul já foi utilizado para mudar os rumos da política de uma nação independente.
(D) a união de países sul-americanos em um bloco econômico não significou aproximação política entre eles.

Pesquisadores do núcleo Escola do Futuro, da Universidade de São Paulo (USP) perguntaram a algumas pessoas a
seguinte questão: "Para você, inclusão digital é...?". Abaixo, seguem duas respostas dadas por entrevistados:
“É prover não somente o acesso [às tecnologias de informação e à internet], mas a educação para entender esse
acesso e as informações oriundas dela por todas as camadas da sociedade.”
“É uma questão de cidadania, de direito. Através da informática poderá ocorrer a integração do indivíduo à sociedade,
através do exercício de seu direito. A inclusão digital promove o ser humano, faz com ele se sinta integrante do mundo,
participante ativo.”
Disponível em http://www.cidec.futuro.usp.br/. Acessado em 09 mai. 2016.

As opiniões dos participantes refletem o(a)


(A) alto nível de domínio das novas tecnologias de comunicação pelos cidadãos da sociedade da informação.
(B) valorização da conectividade e das tecnologias de comunicação na chamada sociedade da informação.
(C) importância do acesso à informação como forma de inserção apenas no mercado de trabalho.
(D) importância do acesso à informação como forma de inserção apenas na vida política nacional.

[...] Embora grandes concentrações de petróleo ocorram em muitas áreas do mundo, mais de 50% de todas as
reservas comprovadas estão na região do Golfo Pérsico. [...]
Reed Wicander; James S. Monroe. Fundamentos de Geologia. Trad. Harue Ohara Avritcher. São Paulo: Cengage Learning, 2009. p. 47

O texto comenta uma característica marcante da região do Golfo Pérsico, no Oriente Médio. A afirmação acima ajuda
a explicar o(a)
(A) pequena desigualdade social na região.
(B) participação da indústria de alta tecnologia na economia da região.
(C) concentração de conflitos geopolíticos na região.
(D) elevado volume de refugiados de guerra recebidos pela região.
Primeiro, para fazer uma previsão precisa, o meteorologista precisa entender os processos que ocorrem na atmosfera
para produzir o tempo atual naquele local em que ele procura fazer a previsão. Isso é feito através da medição de
certos elementos da atmosfera, isto é, temperatura, pressão, direção e velocidade do vento, umidade, cobertura de
nuvens, precipitação, etc. Quanto mais completa a medição dos elementos que afetam o tempo através da superfície
terrestre e verticalmente na atmosfera, melhor ideia nós temos dos processos que produzem o tempo que estamos
experimentando. Observando as mudanças que ocorrem com esses elementos ao longo do tempo e comparando-as
com os padrões históricos, pode-se compreender as condições do tempo atmosférico no futuro.
Disponível em http://www.met.tamu.edu/. Acessado em 09 mai. 2016. (adaptado)

Segundo o que é explicado no texto, para realizar a previsão do tempo atmosférico, o meteorologista precisa medir os
elementos atmosféricos e
(A) selecionar aqueles que são mais importantes na definição do tempo
(B) alterá-los conforme as necessidades da população local.
(C) conhecer as características populacionais da região.
(D) conhecer as características climáticas da região.

Torrezani, Neiva Camargo. Vontade de saber geografia, 8º ano 2ª. ed. – São Paulo : FTD, 2015.

O mapa ilustra a divisão do mundo pensada pelo economista Alfred Sauvy, quando dividiu os países do mundo em 3
grupos, como mostrado na legenda do mapa. Sabe-se que, após o fim da União Soviética, o(a)
(A) vasta maioria dos países do antigo bloco socialista passaram a fazer parte do Terceiro Mundo.
(B) grupo dos países do Segundo Mundo passou por um significativo aumento.
(C) classificação de Sauvy foi deixada de lado, sem que essas expressões fossem utilizadas novamente.
(D) grupo dos países do bloco capitalista passou a fazer parte do Terceiro Mundo.
Por trás desse mal-estar está uma mudança estrutural na economia da cidade [de São Paulo] e do Brasil.
Comunicações ruins, tarifas protecionistas e inflação crônica significaram desde os anos 1950 fábricas concentradas
ao redor da cidade, apesar dos custos, já que era lá onde estavam os consumidores. Hoje, com um comércio mais
aberto, melhores estradas e inflação mais baixa muitas indústrias não precisam mais estar na cidade – e possuem
muitas razões para cortar custos fugindo dela.
Primeiro, novas fábricas começaram a aparecer em locais amplos nas agradáveis cidades do interior de São Paulo
que crescem rapidamente. Mais recentemente, e para o amargor de São Paulo, outros estados como Paraná, Rio
Grande do Sul e Minas Gerais têm oferecido cortes nos impostos para atrair grandes montadoras de carros.
The Economist, 21 mai. 1998. Disponível em http://www.economist.com/. Acessado em 09 mai. 2015. Adaptado.

O trecho acima foi retirado de um artigo da revista inglesa The Economist. Percebe-se, desde o final do século
passado, um movimento geográfico da organização da economia industrial brasileira. Esse movimento, que se
mantém ainda hoje, refere-se à
(A) desindustrialização da economia brasileira e adoção de um modelo econômico baseado nos serviços urbanos e
na importação de bens industrializados.
(B) desconcentração do parque industrial em direção a locais menos saturados do território nacional em decorrência
de melhorias na comunicação e transporte.
(C) industrialização de pequenas cidades do interior do território nacional em prejuízo dos tradicionais polos
industriais no Paraná, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.
(D) concentração geográfica da produção industrial ao redor da mais rica metrópole brasileira em razão da economia
de custos com impostos.
Mapa da Megalópole Europeia e de Densidade Populacional - 1994

Adaptado de nasa.gov. Sob domínio público.

O mapa revela a densidade populacional das províncias e países europeus em 1994. Na área tracejada está
destacada a “Banana Azul”, uma megalópole identificada em 1989 pelo geógrafo Roger Brunet. Como observado pelo
geógrafo, existe uma faixa de metrópoles próximas que se estende desde a Itália até o Reino Unido.
Uma megalópole, como a indicada, é caracterizada pelo(a)
(A) continuidade da área urbanizada e integração territorial da economia.
(B) diversidade cultural e pluralidade de crenças religiosas.
(C) predomínio de atividades agrícolas e semelhança cultural.
(D) concentração populacional e isolamento econômico.

Durante os debates presidenciais de 2016 nos Estados Unidos, o candidato Donald Trump ganhou repercussão
negativa internacionalmente quando respondeu a uma pergunta com a seguinte frase: “A coisa com os terroristas é
que você tem que acabar com as famílias deles.” Alguns dias após o infeliz episódio, o senador Rand Paul lembrou o
candidato de que os EUA são signatários das Convenções de Genebra, elaboradas após a II Guerra Mundial para
definir limites para os combates e os crimes de guerra.
Segundo um dos principais artigos das Convenções, pessoas que não são partes ativas dos combates “[...] devem ser
tratadas de forma humana em todas as circunstâncias [...]”. Esse mesmo artigo proíbe violência contra civis, tortura,
mutilação e tratamento cruel.
A polêmica gerada pela manifestação, do então candidato Trump, se originou do(a)
(A) sugestão de que os EUA devem tomar parte em conflitos armados contra o terrorismo.
(B) defesa da garantia dos direitos humanos durante a guerra contra o terrorismo.
(C) seu apoio ao cometimento de crimes de guerra e desrespeito a direitos humanos básicos.
(D) proposta dos EUA assinarem as Convenções de Genebra e assumirem seus compromissos.
“Meu nome é Nordeste”
Tenho seca tenho fome
tenho pressa companheiro
se o desprezo me consome
eu sou forte e verdadeiro
você vem mas logo some
sabe bem que eu tenho nome
sou Nordeste Brasileiro.

Guibson Medeiros.
Disponível em http://pensador.uol.com.br/.
Acessado em 01 mai. 2016.

O poeta versa sobre a histórica condição de retirante do nordestino. Quando escreve “Tenho seca tenho fome”, ele
trata da
(A) desigualdade social nas grandes cidades nordestinas.
(B) situação dos migrantes que chegam ao nordeste em busca de trabalho no sertão.
(C) falta de chuva que assola com frequência as capitais nordestinas.
(D) dificuldade da vida no campo no sertão em razão da falta de chuvas.

Na ponta da Espanha, beirando o Mar Mediterrâneo, existe uma pequena cidade bastante peculiar chamada Gibraltar.
Peculiar não só pela beleza das paisagens naturais que atraem milhares de admiradores; não só pela proliferação de
estabelecimentos de jogos de azar que atraem sortudos e azarados de dezenas de países; não só por não pertencer
ao país que a cerca por todos os lados ou pela facilidade de acesso a esse território que é parte da União Europeia e,
assim, conta com uma fronteira aberta para a Espanha e outra para o mar, por onde chegam muitos navios todo ano.
Gibraltar é um caso curioso porque, além disso tudo, é parte do Reino Unido, mesmo estando a mais de 2.000km de
distância por carro da fronteira sul das ilhas britânicas.
Contudo, esse território que conta com uns dos mais baixos impostos da União Europeia e enriquece com essa
estratégia pode ver seu destino mudado. Isso porque o Reino Unido está [em 2016] em processo de votação sobre se
continuará a fazer parte do bloco econômico e político europeu, o maior exemplo de integração regional já vista pelo
mundo. Enquanto isso não ocorre, os milhares de espanhois que entram no território britânico todos os dias para
trabalhar podem continuar a viver em paz.
Segundo a explicação dada pelo texto, a possível saída do Reino Unido da União Europeia
(A) beneficiará a economia de Gibraltar, que ganhará acesso a um mercado muito maior de consumidores europeus.
(B) complicará a economia de Gibraltar, que depende de trabalhadores e consumidores da União Europeia.
(C) beneficiará a política de Gibraltar, que poderá se integrar às decisões tomadas pelo bloco de países europeus.
(D) complicará a política de Gibraltar, que terá mais problemas com a abertura das fronteiras aos países europeus.
O mundo tecnologizado está nos tomando carentes de encontros pessoais, de relacionamentos gratuitos, sem
formalidades, sem cobranças, sem censuras. Estamos querendo contatos corpo a corpo.
Assim, o local de dança deixa de ser apenas uma sala de baile, o funk deixa de ser um movimento ou gênero musical
e passa a ser um espaço social. Um ambiente de encontro onde as pessoas se tocam, se vêem, se experimentam,
ainda que não possam conversar pelo barulho da música ou pelo ritmo alucinado das coreografias. Mas, no momento
da vivência isso pouco importa. O que interessa é estar junto, é estar lado a lado. E nesses ambientes, sabemos bem,
os corpos não estão apenas lado a Iado, muitas vezes estão colados um ao outro. É a expressão máxima da
necessidade de estar com.
SILVA FILHO, G. Z. Funk: Grito por espaços de convivência. Comunicação & Educação, São Paulo, (23): 43 a 48, jan./abr. 2002.

O autor comenta sobre o funk e o espaço dos bailes. Sua interpretação desses eventos é a de que
(A) cumprem o papel de espaço de socialização e convivência em uma época em que isso tem diminuído.
(B) ferem a imagem da mulher na sociedade com letras agressivas e vulgares, além de coreografias alucinadas.
(C) oferecem oportunidades para relacionamentos físicos gratuitos e passageiros, uma necessidade da juventude.
(D) contribuem para uma cultura de isolamento social e de limitação dos contatos interpessoais.

[...] A própria indústria cultural [dos Estados Unidos], que até então reinava sem contestação, foi obrigada a
redimensionar suas ambições. Pokémon desbancou Pato Donald e a indústria televisiva da comunidade europeia e
asiática (e mesmo latino-americana) deslocou a predominância das séries americanas para as ficções televisivas
locais. Permaneceu apenas a hegemonia dos filmes de Hollywood, sem esquecer porém que boa parte de seus
estúdios são hoje propriedade de capitais japoneses e europeus. Dificilmente poderíamos escrever, como o fez na
década de 70 Jeremy Thunstall (um ideólogo do domínio norte-americano), que a "media are American" (A mídia é
norte-americana). Neste momento, a preponderância dos Estados Unidos era indiscutível. Não quero com isso dizer
que o país já não tenha mais importância. Seria um equívoco. Mas as bases materiais para exercer sua dominação se
desfizeram.
ORTIZ, R. Violência e globalização. Comunicação & Educação, São Paulo, (23): 37 a 42, jan./abr. 2002.

O sociólogo Renato Ortiz escreveu o artigo acima nos primeiros anos do século XXI, discutindo um novo arranjo do
poder no mundo. O autor atribui o novo quadro político-econômico ao(à)
(A) surgimento de novas potências culturais no mundo subdesenvolvido.
(B) produção industrial nas últimas décadas e às inovações políticas e tecnológicas.
(C) ideologia de valorização das identidades nacionais e de fechamento à globalização.
(D) despontar dos Estados Unidos como grande potência mundial.
O Youtube nasceu há uma década como um repositório de vídeos. Depois de alguns milhares de virais, gatinhos e
bebês fofos, as pessoas passaram a entender o site como uma plataforma poderosa de distribuição de conteúdo
próprio, dando início a um processo sem volta de quebra de hierarquias e paradigmas no mercado de conteúdo.
Mais e mais pessoas passaram a usar o Youtube pra publicar conteúdo e gerar receita a partir deles. Foi a 1ª geração
de youtubers, pessoas como Cauê Moura, Felipe Neto, PC Siqueira, que desbravaram os caminhos da
profissionalização e se tornaram fenômenos de audiência, influência e business.
Seguindo os passos de quem já era referência em conteúdo, os teens foram conquistando espaço no Youtube e uma
2ª geração surgiu. Só que dessa vez, a coisa já começava a tomar proporções gigantescas, com a internet cada vez
mais onipresente no país, principalmente entre o público mais jovens (sic). Canais como o Eu fico Loko de Christian
Figueiredo ou 5inco Minutos de Kéfera Buchmann, passaram a tomar conta do site e da audiência, dando início ao
que membros da 1a geração de youtubers chamou carinhosamente de "Youtube Teen".
Disponível em https://youpix.com.br. Acessado em 10 mai. 2016. (adaptado)

A reportagem comenta sobre o uso da tecnologia como uma forma de


(A) controle social e vigilância política.
(B) busca por conhecimento e formação escolar.
(C) segregação social e exclusão da população mais jovem.
(D) influência cultural e geração de renda.

Em geral, os metais não são encontrados no subsolo “prontos para uso” [...].
A palavra mineral designa toda substância natural presente na crosta terrestre. Rochas são agregados naturais
formados por um ou mais minerais. [...] Assim podemos dizer que na natureza o elemento químico alumínio é
encontrado em substâncias compostas chamadas de minerais, que por sua vez estão presentes em rochas. [...]
Minério é [...] o nome dado a um mineral do qual se extrai, com vantagem econômica, uma substância química de
interesse industrial.
CANTO, Eduardo Leite do. Minerais, minérios e metais: de onde vêm? Para onde vão? São Paulo: Moderna, 2001. p.13-15.

O excerto cita o alumínio, retirado, entre outros minérios, da bauxita. O minério de alumínio é bastante comum no
Brasil. Outro minério muito comum no país e responsável por grande parte de toda atividade mineradora é o de
(A) ferro.
(B) soja.
(C) petróleo.
(D) diamante.
A COP 21, sediada em Paris, em 2015, procurou definir metas para a redução das emissões de gases do efeito estufa.
A meta é limitar o aumento da temperatura média do planeta a 1,5°C neste século. Um dos pontos que mais causou, e
ainda causa, polêmica é o princípio de que países desenvolvidos devem se comprometer com metas mais ambiciosas
de redução de gases do que as nações subdesenvolvidas.
Essa diferenciação entre países ricos e pobres, tem como fundamento o fato de que
(A) países com economias subdesenvolvidas não se utilizam de combustíveis fósseis e de outros recursos poluentes,
sendo suas economias sustentáveis e sem espaço para redução de emissões.
(B) países economicamente desenvolvidos têm maior margem para redução de empregos e cortes na produção
industrial para diminuir suas emissões do que os subdesenvolvidos.
(C) países economicamente desenvolvidos se utilizaram de mais combustíveis fósseis ao longo de seu processo de
industrialização, bem como possuem mais veículos e menor área florestada.
(D) países com economias subdesenvolvidas não possuem o conhecimento necessário para fazer a transição de
uma economia ambientalmente agressiva para um modelo mais sustentável.

O País Basco
Nome: País Basco (Euskadi, em basco)
Área: 7.620 km2
População: 2,13 milhões
Capital: Vitória
Principais cidades: Bilbao e San Sebastián
Língua: Espanhol e basco (sem parentesco conhecido com outras línguas europeias)
História: os ancestrais bascos viviam na região desde 8000 a.C. Desde então, eles se mantêm como uma etnia à
parte, com pouca influência das ocupações romanas posteriores. Anexadas pelo reino de Castela entre os séculos 13
e 15, as Províncias bascas passaram a integrar posteriormente a Espanha. O nome Euskadi foi criado no final do
século 19, com o surgimento do nacionalismo basco. A partir de 1979, a região adquire o estatuto de Comunidade
Autônoma, com Parlamento próprio. A oposição mais radical ao governo de Madri é feita pelo grupo terrorista ETA
(Pátria basca e Liberdade), fundado em 1959.
O País Basco. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/eta-pais_basco.shtml. Acessado em 10 mai. 2016.

As informações acima, retiradas do site da Folha de S. Paulo, tratam do País Basco, uma região do norte Espanha
que abriga movimentos nacionalistas há séculos. Esse fato ilustra como
(A) os Estados podem abrigar grupos com diferentes identidades nacionais.
(B) as fronteiras atuais se formaram com a independência de todos os grupos nacionais do planeta.
(C) o colonialismo continua a subjugar grupos étnicos e nacionais sob o poder da metrópole.
(D) a identidade de grupos continua a sofrer mudanças e novas nacionalidades continuam a aparecer.
Na literatura sociológica a palavra minoria tem sido utilizada frequentemente em dois sentidos. Significa primeiro, mais
amplamente, um grupo de pessoas que de algum modo e em algum setor das relações sociais se encontra numa
situação de dependência ou desvantagem em relação a um outro grupo, "maioritário", ambos integrando uma
sociedade mais ampla. [...] Segundo, exprime as denominadas "minorias nacionais", grupos raciais ou étnicos que, em
situação de minoria, cointegram juntamente com uma maioria um determinado Estado.
[...]
A minoria via de regra constitui um grupo quantitativamente inferior à maioria, como é o caso dos japoneses no Brasil,
dos negros nos Estados Unidos etc., mas a característica essencial desses grupos não se reduz a termos numéricos,
e sim a certas feições estruturais básicas nas inter-relações maioria-minoria, como v.g. [por exemplo] a relação de
poder, de acordo com a qual se verifica uma superioridade da "maioria" frente a uma minoria, inferior quanto ao poder.
CHAVES, M. L. G. Minorias e seu estudo no Brasil. Revista de Ciências Sociais, Vol. II, nº1, 1971, pp. 149-150.

O artigo, escrito em 1971, procura apresentar a problemática das minorias no estudo sociológico, isto é, na ciência
que estuda as sociedades. Segundo o que expõe o autor, um grupo minoritário
(A) pode não ser menor em número de pessoas do que um grupo maioritário, sendo que é a diferença de poder que
os diferencia.
(B) se caracteriza por reunir menos pessoas do que os outros grupos da sociedade, sendo, assim, numericamente
inferior.
(C) detém o poder político dentro de uma sociedade, em oposição ao grupo maioritário, que vive à margem do poder.
(D) reune pessoas com características marcantemente diferentes da média da sociedade e, por isso, numericamente
inferiores.
simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova
9 ANO

simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova
1. Você está recebendo um Caderno de Questões de Geografia e uma Folha de Resposta.

2. O Caderno de Questões contém 35 questões.

3. Você terá 1 hora e 15 minutos para finalizar o simulado.

4. Preencha seu nome completo no Caderno de Questões e na Folha de Resposta.

5. Leia com atenção antes de responder às questões e marque suas respostas no Caderno de Questões.

6. Você poderá utilizar os espaços em branco do Caderno de Questões para rascunho.

7. Cada questão tem uma única resposta correta.

8. Procure não deixar questões sem resposta.

9. Reserve os últimos 10 minutos do simulado para preencher a Folha de Resposta, utilizando caneta
esferográfica de tinta azul ou preta.

10. Siga o modelo de preenchimento existente na própria Folha de Resposta.

11. Entregue a Folha de Respostas para o aplicador antes de deixar a sala.

12. Aguarde o aviso do professor para começar o simulado.


Consumo de Energia no Mundo por Fonte em 2012

Fonte: Statistical Review of World Energy 2013. Institute for Energy Research, 2013.

O gráfico relaciona as principais fontes de energia empregadas no planeta atualmente. As fontes mais utilizadas são os
chamados hidrocarbonetos, os quais são combustíveis fósseis. A exploração desse grupo de combustíveis é
responsável pelo(a)

(A) geração de energia limpa e renovável.


(B) dependência dos rios planálticos para a geração de energia.
(C) aumento da concentração de gases estufa na atmosfera.
(D) instalação de parques eólicos no litoral do nordeste brasileiro.
Tóquio, Japão. Foto de aigle_dore@flickr.com. Licença CC BY. Acessado em 30 abril 2016.

A fotografia retrata parte da cidade de Tóquio, maior centro urbano do Japão. A paisagem capturada é produto das
relações sociais que a cidade abriga e deixa evidente o/a

(A) grande integração desse espaço à economia globalizada.


(B) modo de vida tradicional predominante na antiga cidade.
(C) modelo de economia agrária que impulsionou o país.
(D) diferença em relação às paisagens de outras grandes metrópoles.
Mapa do Índice de Risco aos Direitos Humanos no Mundo – 2014

Fonte dos dados: Human Rights Index. Maplecroft, 2013. Elaboração Adaptativa Inteligência Educacional.

O mapa foi elaborado com base em dados de pesquisa de uma agência de riscos britânica e classifica os países do
globo segundo o risco de violação dos direitos humanos básicos dentro de seus territórios. Segundo o mapa, os direitos
humanos

(A) são mais respeitados nas nações de histórico colonial.


(B) são desrespeitados com maior frequência no hemisfério ocidental.
(C) correm pouco risco de violação na maior parte do planeta.
(D) correm menor risco de serem violados em nações de elevada riqueza per capita.
Segundo o Censo 2000 do IBGE, há 4,5 milhões de domicílios residenciais urbanos desocupados no país. Destes, 2
milhões e 250 mil estão situados em aglomerados metropolitanos, nas áreas centrais. Para uma breve comparação, o
Censo de 1991 contou 2.962.815 imóveis urbanos vagos em todo o país (9,3% de todos os domicílios). Apenas na
cidade de São Paulo, havia 252.893 domicílios que poderiam hipoteticamente abrigar mais de um milhão de pessoas.
Além disso, conta-se em mais de seis milhões de trabalhadores sem-teto.
BUONFIGLIO,L. V. “A luta pelo direito à cidade: os sem-teto das capitais”. Disponível em
http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal11/Geografiasocioeconomica/Geografiaurbana/02.pdf. Acessado em 30 abr. 2016.

O direito à cidade é um conjunto de princípios políticos segundo os quais o espaço urbano deve ser de acesso igualitário
a todos os cidadãos, garantindo-se também direitos básicos como moradia. Com base nas informações do texto, conclui-
se que

(A) o direito à cidade avançou significativamente no Brasil entre 1991 e 2000.


(B) os movimentos sociais por moradia popular lutam também pelo direito à cidade.
(C) o direito à moradia já foi alcançado no Brasil desde 2000.
(D) a luta pelo direito à cidade não se preocupa mais com a questão da moradia.

Parabolicamará

Antes mundo era pequeno


Porque Terra era grande
Hoje mundo é muito grande
Porque Terra é pequena
Do tamanho da antena parabolicamará
Ê, volta do mundo, camará
Ê, ê, mundo dá volta, camará

Antes longe era distante


Perto, só quando dava
Quando muito, ali defronte
E o horizonte acabava
Hoje lá trás dos montes, den de casa, camará
Ê, volta do mundo, camará
Ê, ê, mundo dá volta, camará
Gilberto Gil. Disponível em http://www.gilbertogil.com.br/sec_disco_info.php?id=386&letra. Acessado em 30 abr.2016.

Na conhecida canção de Gilberto Gil, o artista faz uma relação entre

(A) crescimento populacional e ocupação do espaço.


(B) avanço tecnológico e aumento das desigualdades sociais.
(C) tecnologia da comunicação e encurtamento das distâncias.
(D) modalidades modernas de transportes e novas ambições turísticas.
Terras Indígenas no Brasil - 2010

Prismas Geográficos, 7º ano. James Onnig Tamdjian, Ivan


Lazzari Mendes. P. 183. 1. ed. São Paulo. FTD, 2015.
Dados extraídos de Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro: 2012.

O objetivo do mapa é informar a distribuição de terras indígenas demarcadas e ainda em disputa no território brasileiro.
Sua leitura revela que as terras indígenas

(A) estão concentradas na Amazônia Legal, região ecológico-econômica que abrange estados do Norte, Nordeste e
Centro-Oeste.
(B) concentram-se na região que, contraditoriamente, possui os maiores níveis de urbanização do país, isto é, a região
Norte.
(C) espalham-se sobretudo pelas áreas de povoamento mais escasso do país, isto é, as regiões Sul e Sudeste.
(D) aglomeram-se nas áreas com os maiores trechos de vegetação conservada do país, isto é, além dos limites da
Amazônia Legal.
O Espaço e o Tratado de Cooperação Schengen foram fundados com o Acordo Schengen de 1985. O espaço Schengen
representa um território no qual o livre movimento de pessoas é garantido. Os Estados signatários do acordo aboliram
todas as suas fronteiras internas em favor de uma só fronteira externa conjunta. Aqui regras e procedimentos comuns
são aplicados com relação aos vistos para períodos curtos, pedidos de asilo e controles de fronteira. Simultaneamente,
para garantir a segurança dentro do espaço Schengen, a cooperação e coordenação entre forças policias e poderes
judiciários foram intensificados.
O espaço e a cooperação Schengen,
Disponível em http://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/?uri=URISERV%3Al33020. Acessado em 30 abr. 2016.

O texto foi retirado de um dos sites da União Europeia e explica o funcionamento da chamada Área Schengen, na qual
os cidadãos dos diferentes países do bloco e turistas podem se movimentar sem restrições de fronteira. Essa área
engloba territórios de 26 países europeus e forma uma grande zona de integração, como explicado no texto.
O funcionamento desse acordo depende do(a)

(A) fortalecimento das fronteiras entre os países do bloco.


(B) boa relação entre os países vizinhos para cumprirem leis conjuntas.
(C) existência de uma moeda comum a todos os países do bloco.
(D) existência de somente um exército para todos os países do bloco.

A Grécia acelerou a operação de desmonte do campo improvisado de refugiados no porto de Pireus, vizinho a Atenas,
em meio a acusações de ONGs de ajuda humanitária de que as autoridades têm piorado as condições no local para
forçar a saída dos acampados.
O porto, que chegou a abrigar cerca de 5.000 refugiados no auge do fluxo para a Europa, tinha 2.158 nesta sexta (29)
[de abril], de acordo com o governo grego. O motivo da pressa é a chegada da Páscoa ortodoxa, principal feriado
religioso da Grécia, neste domingo (1º) [de maio].
A data também marca o início da alta temporada de turismo, quando cruzeiros de várias partes da Europa chegam a
Pireus.
Folha de S. Paulo, 30 abr. 2016. Disponível em http://folha.com/no1766372. Acessado em 01 mai. 2016.

O artigo ilustra a situação social e geopolítica de territórios do sul e leste europeu e do oeste asiático, encruzilhada das
principais rotas de refugiados atualmente. Segundo o que é noticiado no artigo, o governo grego tem

(A) buscado dar as mesmas condições de viabilidade a ambos os fluxos, migratório e turístico, em razão do
compromisso humanitário.
(B) privilegiado o fluxo migratório ao fluxo turístico, uma vez que a economia grega passou a depender do trabalho dos
refugiados.
(C) dado mais atenção ao fluxo turístico do que ao de capital internacional, pois o turismo é o principal setor da
economia nacional.
(D) priorizado o fluxo de capital internacional ao fluxo migratório, já que o turismo é a base da economia nacional.
[...] [A nação] é imaginada como uma comunidade, porque, apesar da desigualdade e exploração que, na verdade,
podem prevalecer em cada uma, a nação é sempre concebida como uma profunda e horizontal relação de
camaradagem.
ANDERSON, B. Imagined Communities. Londres: Verso, 1991, p.7.

O autor do célebre texto do qual o trecho foi retirado aponta para uma contradição aparente entre a concepção
harmoniosa de uma nação e sua verdadeira situação de desigualdade interna. Essa opinião indica a dimensão

(A) econômica da nação.


(B) militar da nação.
(C) ideológica da nação.
(D) folclórica da nação.

“Meu nome é Nordeste”

Tenho seca tenho fome


tenho pressa companheiro
se o desprezo me consome
eu sou forte e verdadeiro
você vem mas logo some
sabe bem que eu tenho nome
sou Nordeste Brasileiro.
Guibson Medeiros. Disponível em http://pensador.uol.com.br/autor/guibson_medeiros/. Acessado em 01 mai. 2016.

O poeta fala de uma região brasileira que sofre com a desigualdade social e com precários indicadores de nível de vida,
o Nordeste. No primeiro verso o poeta faz uma referência direta a uma parte dessa região, isto é, o (a)

(A) semiárido.
(B) zona da mata.
(C) planície costeira.
(D) Amazônia.
Renan Meihy Abdouni. Adaptativa Inteligência Educacional. 2016.

O primeiro mapa apresentado marca o território da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e o
segundo mostra a divisão daquele território em diversos países independentes após a queda do regime soviético, em
1991. A leitura conjunta dos dois mapas leva ao entendimento de que o (a)

(A) fim da URSS permitiu a entrada de diversas nacionalidades invasoras em seu território.
(B) URSS era um arranjo político que agrupava povos de diferentes nacionalidades.
(C) URSS era um Estado homogêneo e coeso, tanto culturalmente, quanto etnicamente.
(D) povo soviético permaneceu unido após o fim da URSS sob outro modelo de Estado.
Observe a fotografia de uma mina de cobre abandonada e leia o texto a seguir:

Mina de cobre de Falun, Suécia. Foto de stawarz@flickr.com. Licença CC BY. Acessado em 01 mai. 2016.

Os bens minerais têm uma importância significativa para a sociedade, a tal ponto que as fases de evolução da
humanidade são divididas em função dos tipos de minerais utilizados: idades da pedra, do bronze, do ferro, etc.
Nenhuma civilização pode prescindir do uso dos bens minerais, principalmente quando se pensa em qualidade de vida,
uma vez que as necessidades básicas do ser humano - alimentação, moradia e vestuário - são atendidas
essencialmente por estes recursos.

Uma pessoa consome direta ou indiretamente cerca de 10 toneladas/ano de produtos do reino mineral, abrangendo 350
espécies minerais distintas.
Serviço Geológico do Paraná. Disponível em: http://www.mineropar.pr.gov.br/. Acessado em 01 mai. 2016.

A imagem e o texto revelam os dois lados de uma mesma questão: a mineração. O princípio que busca equilibrar esses
dois lados retratados é o do(a)

(A) sufrágio universal.


(B) acumulação continuada.
(C) desigualdade social.
(D) desenvolvimento sustentável.
[...] de 430 casas visitadas [em Ilhéus, BA], 100% delas possuem rádio; 58% possuem fogão; 35% possuem geladeira
e apenas 10% possuem sanitários com banheiro. Como se vê, o rádio é muito mais que uma mídia. É também o mais
popular dos eletrodomésticos e, em muitos casos, o principal contato dos moradores destas áreas com o mundo
contemporâneo
ALBUQUERQUE, Eliana C. P. T. de. A Comunicação Impressa em áreas de Proteção Ambiental – o caso da APA da Lagoa Encantada, em Ilhéus -
Bahia. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente). UESC/PRODEMA, 2004

A pesquisadora traz à tona dados sobre a presença do rádio em domicílios do sul da Bahia no ano de 2003. Percebe-
se a predominância do rádio como aparelho de comunicação, como ressaltado pela pesquisadora. Essa função de meio
de contato com o mundo contemporâneo revela também o papel
(A) econômico do rádio, como forma de comercialização de produtos à longa distância através da publicidade.
(B) político do rádio, como meio de difusão de uma identidade nacional por meio de canções populares e de
informações sobre o governo.
(C) lúdico do rádio, como forma de entretenimento da população por meio de programação regional.
(D) de diferenciação social do rádio, como um eletrodoméstico de luxo e presente na casa de poucas pessoas
abastadas.

Marcel Rosa. Adaptativa Inteligência Educacional. 2016.

A charge faz uma crítica ao(à)

(A) comportamento atual que revela a valorização social do consumo.


(B) modelo de economia capitalista que privilegia a qualidade à quantidade.
(C) visão cientificista dos pesquisadores sobre o cotidiano.
(D) necessidade humana de consumir para se sentir bem consigo mesmo.
"Não aceitam que você se autodeclare mulher. Você não pode dar o seu nome. Exigem um profissional de saúde que
diga quem você é [...] Sua declaração é o que menos conta. A pessoa trans precisa que alguém ateste, confirme e
comprove que ela pode ser reconhecida por aquele nome."
Disponível em http://www.ebc.com.br/2015/08/transexuais-precisam-recorrer-justica-para-mudar-nome-e-genero. Acessado em 01 mai. 2016.

Esse relato é de uma advogada transgênero que defende pessoas que entram na justiça pelo direito a mudar de nome
e gênero, buscando se adequar à sua identidade real. Como no Brasil ainda não existe lei [até 2016] que regule essa
questão, os transexuais necessitam enfrentar um longo processo judicial. A regulamentação na forma de uma lei dessa
demanda dos brasileiros transexuais e transgêneros seria um passo em direção ao(à)

(A) segregação e ao aumento dos atos de intolerância.


(B) oposição ao que acontece internacionalmente nesse campo.
(C) reconhecimento da diversidade de identidades e à inclusão social.
(D) fechamento da sociedade a formas alternativas de sexualidade.

CAVACO, Francisco. Agricultura. Disponível em


https://pt.scribd.com/doc/44185073/Agricultura.
Acesso em 15 abr. 2016

A imagem descreve uma área rural na qual a agricultura é caracterizada principalmente pelo(a)

(A) utilização intensiva de tecnologia avançada.


(B) presença de técnicas arcaicas e modernas em uma mesma região.
(C) aplicação intensiva de fertilizantes químicos de última geração.
(D) falta de recursos hídricos necessárias para produção em larga escala.
Leia o texto a seguir.

Dez mil crianças morrem mensalmente na região do Chifre da África, região no nordeste do continente que reúne
quatro países. A seca que atinge a região ainda pode matar mais 12 milhões de pessoas.
Obter água é um dos principais desafios dos habitantes da região.

Muitos são forçados a abandonar suas casas. Em média, o campo de refugiado da cidade de Dadaab, no Quênia,
recebe cerca de 1.800 pessoas por dia, segundo estimativa da ONU (Organização das Nações Unidas). É o maior
campo de refugiados do mundo.
Doze milhões de pessoas estão à beira da morte na África. Disponível em http://noticias.r7.com/internacional/noticias/doze-milhoes-de-pessoas-
estao-a-beira-da-morte-na-africa-20110814.html. Acesso em 13 fev. 2016

A fome que assola grande parte do continente africano está associada, entre outros fatores

(A) ao grande crescimento demográfico que resulta em populações urbanas com acesso limitado a alimentos.

(B) à falta de tecnologia na agricultura de exportação e a grande fauna que não permite praticar a agricultura.

(C) às guerras locais, ao passado colonial e à prioridade dada ao atendimento do mercado externo.

(D) à falta de mão de obra especializada no campo e ao intenso calor nas áreas desérticas.

O que é o IDH?

O objetivo da criação do Índice de Desenvolvimento Humano foi o de oferecer um contraponto a outro indicador muito
utilizado, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, que considera apenas a dimensão econômica do desenvolvimento.
Criado por Mahbub ul Haq com a colaboração do economista indiano Amartya Sen, ganhador do Prêmio Nobel de
Economia de 1998, o IDH pretende ser uma medida geral, sintética, do desenvolvimento humano. Apesar de ampliar a
perspectiva sobre o desenvolvimento humano, o IDH não abrange todos os aspectos de desenvolvimento e não é uma
representação da "felicidade" das pessoas, nem indica "o melhor lugar no mundo para se viver". Democracia,
participação, equidade, sustentabilidade são outros dos muitos aspectos do desenvolvimento humano que não são
contemplados no IDH. O IDH tem o grande mérito de sintetizar a compreensão do tema e ampliar e fomentar o debate.
O que é o IDH? Disponível em http://www.pnud.org.br/idh/IDH.aspx?indiceAccordion=0&li=li_IDH. Acesso em 15 Jan. 2016

Os cálculos do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) levam em consideração, entre outros fatores:

(A) a saúde da população medida pela facilidade de acesso a atendimento médico gratuito.

(B) o grau de desenvolvimento industrial de um país.

(C) o PIB per capita por paridade de poder de compra.

(D) a disponibilidade de recursos energéticos que cada nação possui.


Uma pesquisa realizada pela Monday Morning Institute, que tem como parceria a própria ONU, entrevistou 5.500 líderes
globais e encontrou as cinco principais soluções para os riscos do mundo contemporâneo. São os riscos: desemprego,
pobreza, crises financeiras, fome e desnutrição, emissão de carbono na natureza, educação, dentre outros. Entre as
saídas: oportunidades para nosso futuro, todas elas estão vinculadas ao novo agronegócio.

Por exemplo: uma nova medicina de precisão para doenças passa pela dieta inovadora e qualidade da alimentação. A
redução do desperdício de alimentos para combater a fome e o abastecimento do planeta passa pela logística, e
educação dos consumidores sobre a qualidade dos alimentos, acima da sua beleza, preparar pessoas com
conhecimentos diversificados envolve integrar agronomia, veterinária, zootécnica com administração e o marketing da
alimentação saudável e de processos cada vez mais sustentáveis.
MEGIDO, J.L.T. Modernidade do agronegócio global. Disponível em http://www.capitalnews.com.br/opiniao/modernidade-do-agronegocio-
global/289117. Acesso em 12 Abr. 2016.

Segundo o autor, as atividades agrícolas são importantes, pois

(A) proporcionam o maior número de empregos no futuro.


(B) estabelecem os novos caminhos para a tecnologia no futuro.
(C) são primordiais para a qualidade de vida dos cidadãos num futuro próximo.
(D) educam as pessoas para que não ocorra desperdício de alimentos em países assolados por guerras.

A humanidade está fazendo um saque a descoberto sobre os recursos naturais da Terra. Estudo divulgado pela
organização não-governamental WWF (Fundo Mundial para a Natureza) mostra que o uso de recursos pelo homem
excedeu em 42,5% a capacidade de renovação da biosfera.
[...]
"Os estoques de peixe já estão em colapso, porque se pesca mais do que a capacidade de recuperação das espécies."
Dados do relatório mostram que, entre 70 e 99, 194 espécies de água doce sofreram um declínio de 50% em suas
populações. Espécies marinhas já teriam observado um declínio de 35%, no mesmo período.
ANGELO, C. Humanidade precisa de mais meia Terra. Disponível em http://www.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe2110200001.htm. Acesso em 10
Mar. 2016.

O principal motivo para a ameaça de espécies marinhas consiste principalmente no(a)

(A) aumento da renda da maioria da população mundial.


(B) direcionamento de dietas mais saudáveis a base de peixes e crustáceos.
(C) pesca predatória, causando a diminuição de cardumes e extinção de espécies.
(D) poluição de rios e mares que desencadearam a extinção de espécies de peixes pelo mundo.
Ativistas da Coreia do Sul devem lançar 10 mil DVDs ao longo da fronteira.Pyongyang considera ato "uma declaração de
guerra".
A Coreia do Norte advertiu neste domingo (22) que abrirá fogo contra os balões que vão transportar 10.000 DVDs do filme "A
Entrevista", e que devem ser lançados por ativistas sul-coreanos ao longo da fronteira.
Os ativistas planejam introduzir na próxima semana em território norte-coreano meio milhão de panfletos hostis ao regime e
cópias do filme de comédia americano "A Entrevista", sobre a morte fictícia do líder norte-coreano.
Coreia do Norte vai atirar em balões com o filme A Entrevista. Disponível em
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/03/coreia-do-norte-vai-atirar-em-baloes-com-o-filme-entrevista.html . Acesso em 3 Abr. 2016.

O regime ao qual o texto se refere corresponde ao

(A) regime autoritário centrado na idealização da figura de seus ditadores, deixando o país praticamente em
situação de isolamento político e econômico.
(B) socialismo de mercado, no qual se defende a estatização econômica e os progressos sociais, prática contrária
a da rival Coreia do Sul.
(C) neoliberalismo profetizado pelo ditador norte-coreano, que afirma que a única solução para o país é a abertura
do mercado, contrariando as autoridades sul-coreanas.
(D) modelo de abertura econômica apoiado pelos Estados Unidos, aliados da Coreia do Norte e que lançaram o
filme “A Entrevista”, com o propósito de homenagear o líder norte-coreano.
Observe a imagem e leia os textos 1 e 2.

NIEMEYER, O. A Grande Mão. 1988.

TEXTO 1

Suor, sangue e pobreza marcaram a história dessa América Latina tão desarticulada e oprimida. Agora urge reajustá-
la, uni-la, transformá-la num monobloco intocável, capaz de fazê-la independente e feliz.
NIEMEYER, O. Frase elucidatória da escultura “A Grande Mão”. 1988.

TEXTO 2

Há dois lados na divisão internacional do trabalho: um em que alguns países especializam-se em ganhar, e outro em
que se especializaram em perder. Nossa comarca do mundo, que hoje chamamos de América Latina, foi precoce:
especializou-se em perder desde os remotos tempos em que os europeus do Renascimento se abalançaram pelo mar
e fincaram os dentes em sua garganta. Passaram os séculos, e a América Latina aperfeiçoou suas funções.
Galeano, E. As Veias Abertas da América Latina. L&PM.

O título que melhor define a situação da América Latina, a partir das considerações dos textos e da imagem, é o
encontrado na alternativa:

(A) “A América Latina: exemplo de superação da dependência econômica.”


(B) “Lutas intensas atuais na América Latina: principais causas para o subdesenvolvimento da região.”
(C) “As marcas deixadas pelo passado histórico dificultam a recuperação socioeconômica da América Latina.”
(D) “Letargia econômica da América Latina: herança cultural dos grupos pré-colombianos.”
Leia o texto a seguir.

Quando surgiu a TV, a referência a ela como “telinha” se tornou corriqueira. Nos últimos dez anos, tanto no formato como no
conteúdo, ela deixou de ser diminutiva. Os canais da TV por assinatura se multiplicaram, e sua audiência começou a refletir
sobre as da rede aberta, já que oferece muito mais alternativas, como canais de jornalismo 24 horas, programas científicos e
culinários, filmes clássicos e recentes, seriados, partidas de futebol, etc. A produção independente e internacional foi estimulada,
e os documentários passaram a ter horários fixos nas grades de programação. Os televisores de plasma ou LED e a chegada
do HD (transmissão digital de alta definição) mudaram os ambientes e, aos poucos, também os conteúdos. Coberturas em
tempo real, como as dos atentados de 11 de setembro de 2001, do tsunami do Índico em 2004 e do resgate dos mineiros
chilenos em 2010, ganharam intensidade, sendo vistas por milhões de pessoas em todo o mundo durante horas seguidas.
Piza, Daniel. Dez anos que encolheram o mundo: 2001-2010. São Paulo: Leya, 2011. pp 68.

As inovações descritas no texto acima refletem a

(A) expansão do sistema capitalista na fase industrial, quando as grandes corporações de telecomunicações passaram a
estimular o consumo e os hábitos culturais pelo mundo subdesenvolvido.

(B) atual fase financeira do capitalismo, já que os investimentos nas áreas de telecomunicações foram capazes de expandir
os canais de TVs pagas pelos países emergentes, alterando o modo de vida de várias populações.

(C) dinâmica demográfica atual que permite um maior intercâmbio entre as populações de vários continentes, difundindo
hábitos culturais que até então eram inimagináveis em nações de grau de desenvolvimento tecnológico inferior.

(D) fase do capitalismo informacional, onde as inovações tecnológicas na área de telecomunicações foram fundamentais
para a expansão de produtos e serviços em vários países de economias emergentes ou subdesenvolvidos.
Observe a charge a seguir.

A charge discute financiamentos oriundos do Fundo Monetário Internacional (FMI) e o papel dessa instituição no
progresso econômico mundial. Nela, o autor Luigi Rocco
(A) alerta para o despreparo técnico dos governantes dos países financiados quanto ao competente uso dos recursos
adquiridos.
(B) critica os financiamentos internacionais normalmente condicionados a reformas favoráveis aos interesses dos
países financiadores do fundo.
(C) enaltece a grande quantidade de fundos disponibilizados para o financiamento do progresso de países em
desenvolvimento.
(D) ridiculariza a incapacidade dos governantes dos países agraciados pelos recursos em distinguir entre
empréstimos e investimentos.
A figura mostra a pirâmide etária de um determinado país no ano de 2016.

Pode-se dizer que essa pirâmide é característica de um país com

(A) alta taxa de natalidade e baixa expectativa média de vida.


(B) alta taxa de natalidade e alta expectativa média de vida.
(C) baixa taxa de natalidade e alta expectativa média de vida.
(D) baixa taxa de natalidade e baixa expectativa média de vida.
O mapa abaixo identifica a região conhecida como o Círculo de Fogo do Pacífico, uma área com elevada instabilidade
geológica localizada no Oceano Pacífico, abrangendo o Oeste das Américas e o Leste da Ásia e da Oceania.

CALDINI, Vera; ÍSOLA, Leda. Atlas Geográfico Saraiva. São Paulo: Saraiva,
2013. p. 169.

Dentre os países afetados pela atividade sísmica dessa região está o (a)

(A) Indonésia
(B) Índia
(C) Itália
(D) Guiana Francesa

Um aluno do 9º ano observou que em um determinado mapa, a distância entre duas cidades é igual a 3 cm.
Sabendo que a distância real entre essas duas cidades é de 3 km, podemos dizer que o mapa utilizado está
representado na escala numérica:

(A) 1 : 100.
(B) 1 : 1.000.
(C) 1 : 100.000.
(D) 1 : 1.000.000.
DISTRIBUIÇÃO DAS EMISSÕES TOTAIS DE CO2 NO MUNDO EM 2012

Vontade de saber geografia, 9º ano. Neiva Camargo Torrezani, p. 37. 2. ed. Arte E. Cavalcante. São Paulo : FTD, 2015.
Dados extraídos de EIA (U. S. Energy Information Administration). <www.eia.gov>. Acesso em: 2 abr. 2015.

O mapa acima mostra a distribuição das emissões de CO 2 no mundo em 2012. De acordo com o mapa, o país ou região
que emitiu a maior quantidade de CO2 naquele ano foi

(A) a China.
(B) os Estados Unidos.
(C) a União Europeia.
(D) a Austrália e a Nova Zelândia.
OS FLUXOS DE PETRÓLEO DO ORIENTE MÉDIO PARA O MUNDO EM 2014

Vontade de saber geografia, 9º ano. Neiva Camargo Torrezani, p. 118. 2. ed. Arte E. Cavalcante. São Paulo : FTD, 2015.
Dados extraídos BP (British Petroleum). Statistical Review of World Energy 2014. <www.bp.com/content/dam/bp/pdf/Energyeconomics/
statisticalreview-2014/BPstatistical-review-ofworld-energy-2014-fullreport.pdf>. Acesso em: 4 set. 2014..

O mapa acima foi elaborado com base no fluxo de petróleo comercializado no mundo. De acordo com o mapa, podemos
concluir que o (s)

(A) Oriente Médio exporta mais petróleo para a Ásia do que para todo o mundo ocidental.
(B) Japão é o maior exportador de petróleo para o Oriente Médio.
(C) Estados Unidos são os maiores exportadores de petróleo para o Oriente Médio.
(D) continente Africano e a Cingapura são os principais exportadores de petróleo para o Oriente Médio.
M APA DE AL-IDRISI, PRODUZIDO NO SÉCULO XII.

Abu Muhammad Al-Idrisi. Séc. XIX. Gravura, Biblioteca Nacional de Paris (França). Foto: ridgeman Images/Keystone.

O mapa acima foi elaborado no século XII pelo estudioso árabe Muhammad Al-Idrisi. Essa imagem evidencia que o
conhecimento cartográfico naquela época se concentrava principalmente nas terras

(A) dos extremos gelados do planeta.


(B) da Eurásia e da África.
(C) do Novo Mundo.
(D) da Arábia Saudita.
DISPONIBILIDADE DE ÁGUA NO PLANETA

Vontade de saber geografia, 9º ano. Neiva Camargo Torrezani, p. 135. 2. ed. Arte E. Cavalcante. São Paulo : FTD, 2015.
Dados extraídos de Le Monde Diploma_ique. Cartes. <www.monde-diploma_ique.fr/cartes/disponibiliteeau>. Acesso em: 30 mar. 2015..

O mapa acima ilustra a disponibilidade de água por habitante nas mais diversas regiões do planeta. A região do Oriente
Médio, em destaque, é uma das regiões com menor disponibilidade de água. Dentre as principais consequências,
podemos dizer que a escassez de recursos hídricos nessa região

(A) provocou o êxodo urbano para as regiões mais frias do planeta.


(B) causou a diminuição contínua da população nas áreas urbanas.
(C) desencadeou inúmeros conflitos entre os povos por territórios que possuam água.
(D) incentivou a criação de técnicas de produção agrícola que independem de água.
Genevieve Vallee, Alamy, Latinstock. Foto de paisagem do interior da Austrália, 2014.
Extraído de Vontade de saber geografia, 9º ano. Neiva Camargo Torrezani, p. 145. 2. ed. São Paulo : FTD, 2015.

A imagem acima, fotografada no interior da Austrália, mostra o tipo de clima

(A) árido, onde predomina uma vegetação rasteira.


(B) equatorial, onde predomina uma vegetação densa.
(C) temperado, onde predominam as Florestas Temperadas.
(D) mediterrâneo, onde predomina uma vegetação tropical.
Vontade de saber geografia, 9º ano. Neiva Camargo Torrezani, p. 162. 2. ed. Arte E. Cavalcante. São Paulo : FTD, 2015.
Dados extraídos de PLANETA sustentável. <http://planetasustentavel.abril.com.br/pops/info-a-espiral-fatal-do-degelo-veja.shtml>.
Acesso em: 19 maio 2015.

O gráfico acima indica a quantidade de degelo no Polo Ártico, de 1979 a 2013. A partir dos dados apresentados,
podemos dizer que o degelo nessa região polar tem
(A) aumentado e, portanto, a quantidade de gelo tem diminuído ao longo dos anos.
(B) aumentado e, portanto, a quantidade de gelo tem aumentado ao longo dos anos.
(C) diminuído e, portanto, a quantidade de gelo tem diminuído ao longo dos anos.
(D) diminuído e, portanto, a quantidade de gelo tem aumentado ao longo dos anos.
United Nations. World Urbanization Prospects 2015.
<http://esa.un.org/unpd/wup/unup/p2k0data.asp>.
Acesso em: 30 mar. 2015.

O gráfico acima mostra o crescimento populacional da China a partir da década de 50. A alta taxa de crescimento
observada fez com que o governo chinês implantasse políticas de

(A) controle de natalidade.


(B) incentivo à emigração para países estrangeiros.
(C) contenção do acesso à educação.
(D) racionamento de recursos hídricos.

Suponha uma bússola posicionada horizontalmente e sem sofrer interferências além daquelas exercidas pelo planeta
Terra. O polo norte dessa bússola é o que aponta para o polo
(A) norte magnético da Terra que é ligeiramente desalinhado com o polo norte geográfico terrestre.
(B) norte magnético da Terra que é ligeiramente desalinhado com o polo sul geográfico terrestre.
(C) sul magnético da Terra que é ligeiramente desalinhado com o polo sul geográfico terrestre.
(D) sul magnético da Terra que é ligeiramente desalinhado com o polo norte geográfico terrestre.
simulado para o
ENSINO FUNDAMENTAL II
Baseado na Matriz de Referência do SAEB

geografia
caderno de prova

Você também pode gostar