Você está na página 1de 21

CURSO TÉCNICO SUPERIOR DE SEGURANÇA E SAUDE NO TRABALHO

HIGIENE DO TRABALHO

PATRÍCIA ARAÚJO RODRIGUES


HIGIENE DO TRABALHO

• Fundamentos da Higiene do Trabalho

• Noções de toxicologia

• Metodologias e técnicas de avaliação e controlo de exposição aos agentes:

Ruído
• Físicos Vibrações
Radiações
• Químicos
Ambiente térmico

• Biológicos
RUÍDO

EXPOSIÇÃO AO RUÍDO - CONTROLO

Atuação sobre a fonte produtora ruído


Medidas construtivas
Actuação sobre as vias de propagação

Medidas organizacionais Actuação sobre a Organização do trabalho

Protecção individual Atuação sobre o receptor


RUÍDO

EXPOSIÇÃO AO RUÍDO - CONTROLO

Medidas construtivas

Atuação sobre a fonte produtora ruído:


Utilizar máquinas, aparelhos, ferramentas e instalações pouco ruidosos;
Aplicar silenciadores e atenuadores sonoros;
Utilizar chumaceiras, engrenagens e estruturas com menor emissão de ruído;
Evitar valores elevados, como os que aparecem, por exemplo, nos choques muito fortes ou frequentes
(pela utilização de material resiliente nas superfícies de impacte), quedas de grande altura ou fortes
resistências aerodinâmicas;
Assegurar o dimensionamento correcto (reforços da estrutura com blocos de inércia e elementos
antivibráticos), acabamentos à máquina (equilibragem e polimento de superfícies) e uma escolha
correcta dos materiais
Promover regularmente a manutenção dos equipamentos;
RUÍDO

EXPOSIÇÃO AO RUÍDO - CONTROLO

Medidas construtivas

Actuação sobre as vias de propagação:


Medidas para a redução da transmissão do ruído
Atenuação da transmissão de ruído de percussão, com reforço das estruturas;
Desacoplamento dos elementos que radiam o ruído da fonte, por exemplo pela utilização de
ligações flexíveis nas tubagens;
Isolamento contra vibrações;
Utilização de silenciadores nos escoamentos gasosos e nos escapes.
Medidas de redução da radiação sonora
Aumento da absorção da envolvente acústica e barreiras acústicas;
Encapsulamento das máquinas;
Separação dos locais, por:
i) Limitação da propagação do ruído, por exemplo pela compartimentação dos locais e pela
colocação de divisórias e de cabinas; ii) Concentração das fontes de ruído em locais de acesso
limitado e sinalizados.
RUÍDO

EXPOSIÇÃO AO RUÍDO - CONTROLO

Medidas organizacionais
Organização do trabalho:
Rotatividade dos postos de trabalho;
Execução dos trabalhos mais ruidosos fora do horário normal de trabalho ou em locais com o menor
número de trabalhadores expostos;
Limitação da duração do trabalho em ambientes muito ruidosos.

Proteção Individual

Selecão de um protector auditivo que proporcione a atenuação adequada: o trabalhador com este
protector correctamente colocado fica sujeito a um nível de exposição pessoal diária efectiva
inferior aos valores limite e, se for tecnicamente possível, abaixo dos valores de acção inferiores.
RUÍDO

TRABALHO PROPOSTO N.º 3


RUÍDO

PROTECTORES AURICULARES
RUÍDO

PROTECTORES AURICULARES
RUÍDO

PROTECTORES AURICULARES
RUÍDO

PROTECTORES AURICULARES – TIPO ABAFADORES

Alinhe a altura das conchas de acordo com o tamanho de sua cabeça, de modo que
as conchas cubram completamente o ouvido.

Retire o excesso de cabelo que estiver entre o abafador e o ouvido.

Certifique-se de que a vedação é satisfatória, sem a interferência de objetos


(como outros EPIs), de modo a obter melhor desempenho

As conchas devem ficar alinhadas verticalmente de modo a proporcionar a melhor


vedação. Nunca utilize com as conchas viradas para trás.
RUÍDO

PROTECTORES AURICULARES – TIPO TAMPÃO

Com as mãos limpas, aperte e role o protetor entre os dedos até obter o
menor diâmetro possível.

Para facilitar a colocação, puxe a orelha para cima e coloque o protetor no


canal auditivo.

Usando o dedo indicador mantenha-o nesta posição (aproximadamente por


30 segundos) até que ele tenha se expandido.
RUÍDO

SELECÇÃO DE PROTECTORES
RUÍDO

SELECÇÃO DE PROTECTORES
Dados de atenuação de um protector
auricular - exemplo

H = 29 dB, M = 23 dB e L=15 dB.

SNR = 26 dB

Os valores de atenuação de altas frequência (H), frequências médias (M) e baixas frequências (L) caracterizam o desempenho do protector
auditivo relativamente aos sons de alta frequência, média frequência e baixa frequência.

O IAG (=SNR) indica, em decibéis, a redução do ruído decorrente da utilização de protectores auditivos, por exemplo, IAG = 26 dB.
RUÍDO

SELECÇÃO DE PROTECTORES

a) Medir o nível de pressão sonora contínuo equivalente, ponderado A, em cada banda de oitava,
LAeq,f,Tk, do ruído a que cada trabalhador está exposto, para cada posto de trabalho que ocupa,
definindo assim o espectro correspondente ao ruído k a que o trabalhador está exposto durante Tk
horas por dia;

b) Determinar os níveis globais, em dB (A) por banda de oitava, L63, L125, ..., L8000, de acordo com a
seguinte equação:

dados obtidos na ficha


técnica do protector em
análise
RUÍDO

SELECÇÃO DE PROTECTORES

c) Com os níveis globais, obtidos como indicado na alínea b), calcular o nível sonoro contínuo equivalente,
LAeq,Tk,efect, de cada ruído que ocorra durante o tempo Tk, estando o trabalhador equipado com protectores
auditivos, pela equação:
RUÍDO

SELECÇÃO DE PROTECTORES

d) Aplicando ao conjunto destes valores, calculados como refere a alínea anterior, a equação dada no n.º
6 do anexo I para calcular a exposição diária, obtém-se a exposição diária efectiva, LEX,8h,efect, em dB (A),
de cada trabalhador que use protectores auditivos.

considera-se adequado o protector para o qual se obtenha: 60 dB ≥ LEX,8h, efect ≥ 70dB


RUÍDO

RISCO DE PERDA DE AUDIÇÃO


RUÍDO

QUADRO DE EXPOSIÇÃO PESSOAL AO RUÍDO

Dl 186/2006 - Anexo III


Quadro I
RUÍDO

QUADRO DE EXPOSIÇÃO PESSOAL AO RUÍDO

Dl 186/2006 - Anexo III


Quadro II
RUÍDO

TRABALHO PROPOSTO N.º 4