Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE DO MINDELO

CURSO DE REINSERÇÃO E CRIMINOLOGIA


DOCENTE:
DR. SIMÃO ALVES SANTOS
JUIZ DESEMBARGADOR
MESTRE EM DIREITO, CIÊNCIAS JURÍDICO-POLÍTICAS/DIREITO
CONSTITUCIONAL

PERGUNTAS SOBRE A MATÉRIA DA DISCIPLINA DIREITOS FUNDAMENTAIS

1. Referente aos primórdios dos tempos, fala-se da dignidade humana em dois sentidos, quais
são?
2. Segundo o Prof. Paulo Otero, no âmbito do mundo ocidentalizado, a origem da dignidade
humana assenta-se em quatro vertentes, quais são?
3. Comenta a seguinte afirmação: “do ponto de vista conceptual, a dignidade humana deve ser
entendida como sendo um conceito “aberto”.
4. Comenta a seguinte afirmação do Prof. Paulo Otero, “a centralidade da pessoa humana no
discurso filosófico e político não é produto resultante da Revolução Francesa”.
5. Comenta a seguinte afirmação: “na antiguidade, em sentido filosófico e político, a dignidade
humana estava sobretudo ligada ao “status”.
6. Porque é que se afirma que a filosofia estóica representou um ponto de viragem no
pensamento grego sobre a condição humana?
7. Comenta a afirmação segundo a qual, no sentido cristão espelhado no novo testamento, Cristo
transporta consigo a humanização da divindade e a divinização da humanidade.
8. Que razões levam a afirmar que com a concepção cristã e renascentista de Mirandola foram
lançadas as bases para o surgimento dos direitos fundamentais, tal como hoje são conhecidos?
9. Comenta a perspectiva kantiana segundo a qual “o ser humano jamais pode ser reconduzido à
condição de coisa”.
10. Comenta a seguinte afirmação de Kant «(…) a autonomia é, pois, o fundamento da dignidade
da natureza humana e de toda a natureza racional».
11. Comenta a seguinte afirmação: «A pessoa humana, com a sua dignidade, é o ponto norteador
do Estado e do Direito e, como tal, fundamento de validade constitucional e de toda a ordem
jurídica».
12. Comenta a seguinte afirmação: no contexto espiritual do iluminismo afirma-se a primazia do
indivíduo sobre o Estado e a sociedade.
13. Em atenção a outros sentidos na conceptualização da dignidade da pessoa humana, comenta o
art.º 1.º da DHDU, segundo o qual, “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em
dignidade e em direitos. São dotados de razão e de consciência e devem agir entre si num
espírito de fraternidade”.
14. Diga e explique a partir de que período se pode afirmar que a dignidade da pessoa humana
foi elevada formalmente a valor constitucional.
15. Mencione as Constituições do séc. XX pioneiras na salvaguarda dos direitos fundamentais,
inclusive de índole social.
16. Diga e justifique a partir de que período é que a pessoa humana começou a ser entendida
universalmente como sendo ser único e portador de valores próprios
17. Comente e justifique a seguinte afirmação: “Após a II G.M., o ser humano passa a ser sujeito
tanto de direito interno quanto de direito internacional, dotado em ambos de personalidade e
capacidade jurídicas.
18. Comenta e justifique a seguinte afirmação: “Após a II G.M., a dignidade da pessoa humana
surge como um valor indispensável e promissor para a instauração universal de verdadeiros
Estados de Direito Democrático”.
19. Enumera algumas Constituições que, após a II G.M., adoptaram o princípio da dph.
20. Identifique a consagração da dph na nossa Constituição atual
21. Como compatibilizar/conciliar a consagração da dph na nossa Constituição com a situação de
pessoas a viverem em lixeiras municipais do país.
22. Comente e justifique a seguinte afirmação: “a dignidade da pessoa humana surge na CRCV
como valor absoluto, que se sobrepõe ao próprio Estado”.
23. Comente e justifique afirmação que se segue: “a dignidade da pessoa humana surge na CRCV
como fundamento e valor absoluto do Estado e o princ. da dignidade da pessoa humana é
elevado ao patamar absoluto”.
24. Comente e justifique a afirmação que se segue: “a dph e o princ. dph são os fundamentos e
pressupostos de validade de todos os demais princípios e de todas as normas jurídicas.
25. Diga por que via se materializa a dignidade da pessoa humana na Constituição. ou
Comenta a afirmação segundo a qual é através dos direitos fundamentais que se materializa a
dph
26. Comente e justifique a seguinte afirmação: “O Estado de CV tem a incumbência de uma
constante e efectiva materialização da dignidade da pessoa humana”.
27. Comente e justifique a seguinte afirmação: “as normas constitucionais referentes aos direitos
fundamentais são de aplicabilidade direta e imediata”.
28. Diga se a dignidade da pessoa humana e os direitos fundamentais são a mesma realidade.
29. Indique passagens na CRCV que demonstram que a dph é realmente fundamento de toda a
ordem Constitucional cabo-verdiana, valor supremo da sociedade e do Estado.
30. Enumere as concepções de Direitos Fundamentais estudadas no Contexto da Evolução
Histórica.
31. Diga quais são as principais características da concepção liberal originária de Direitos
Fundamentais no Contexto da sua Evolução Histórica.
32. Diga quais são as principais características do processo de democratização de Direitos
Fundamentais no Contexto da sua Evolução Histórica.
33. Diga quais são as principais características dos fenómenos de socialização dos Direitos
Fundamentais no Contexto da sua Evolução Histórica.
34. Diga quais são as principais características das tendências actuais dos Direitos Fundamentais
no Contexto da sua Evolução Histórica.
35. Diga porque é que se afirma que o habeas corpus é uma espécie de direito fundamental
originário.
36. Enumera as principais características do conceito de Direito Fundamental.
37. No dizer do Prof. Melo Alexandrino, um direito fundamental pode definir-se como uma
situação jurídica das pessoas, perante os poderes públicos, consagrada na Constituição.
38. Enumera as características básicas de um direito fundamental, enquanto situação jurídica
ativa.
39. Diga, mediante justificação, se a LOPE estabeleceu e salvaguardou os direitos fundamentais
basilares dos cidadãos cabo-verdianos e se previu mecanismos para a sua garantia.
40. Apresenta justificações pelas quais a LOPE não estabeleceu, não salvaguardou os direitos
fundamentais basilares dos cidadãos cabo-verdianos e nem previu mecanismos para a sua
garantia.
41. Comenta a afirmação segunda a qual: “a demora por mais de cinco anos para a aprovação de
uma Constituição definitiva em Cabo Verde fez perigar os direitos fundamentais dos cidadãos
cabo-verdianos”.
42. Comenta a afirmação segunda a qual: “o princípio da unidade do poder, insensível ao sacro
princípio da independência do poder judicial, instituído pela Constituição de 80, não dava
garantias aos cidadãos cabo-verdianos de respeito pelos seus direitos fundamentais”.
43. Faça menção às características constantes da Constituição de 1980 alusivas aos direitos dos
cidadãos, inclusive os direitos fundamentais dos cabo-verdianos.
44. Diga em que circunstâncias a queda do n.º 1 do art.º 4.º da Constituição de 1980, que dizia
que o PAICV era a “força dirigente da sociedade e do Estado”, permitiu uma melhor
implementação dos direitos fundamentais no país.
45. Comenta a seguinte afirmação: “com a abertura política, Cabo Verde daria os primeiros
passos rumo à II República e fazia a entrada nessa fase, firmando-a sob o signo da democracia
assente nos princípios da soberania popular, no pluralismo político e de expressão, tendo
como novo núcleo fundador do Estado o “supra princípio da dignidade da pessoa humana”.
46. Comenta a afirmação segunda a qual: “a Constituição de 1992 implementou um verdadeiro
Estado de Direitos Fundamentais em Cabo Verde”.
47. Comenta a afirmação segunda a qual: “a Constituição cabo-verdiana de 1992 funda um
verdadeiro Estado de Direito Democrático, comprometido com os valores da Declaração
Universal dos Direito Humanos (DUDH)”.
48. Faça a identificação das partes da Constituição de 1992 consagradoras dos Direitos
fundamentais, bem assim como os preceitos a eles alusivos aos diversos títulos.
49. Em atenção a perspetiva jurídico-constitucional, faça a distinção entre matérias ou preceitos
de direitos fundamentais e direitos fundamentais como figura ou categoria jurídica.
50. Diga, mediante justificação, se o âmbito material dos direitos fundamentais se reconduz pura
e simplesmente ao catálogo contido na Parte II da Constituição.
51. Diga, mediante fundamentação, se poderão existir direitos fundamentais fora do catálogo
constitucional e, em caso afirmativo, a sua consagração legal.
52. Comenta a afirmação segunda a qual “o art.º 17.º, n.º 1 da Constituição de 1992 consagra uma
«cláusula aberta» ou o princípio da «não tipicidade» dos direitos fundamentais”.
53. Comenta a afirmação segunda a qual “o carácter fundamental dos direitos não corresponde ao
facto de estarem previstos ou especificados no texto constitucional”.
54. Diga, mediante fundamentação, se no nosso sistema os direitos fundamentais são apenas os
formalmente consagrados no texto constitucional ou, para além deles, haverá direitos
fundamentais apenas em sentido material.
55. Diga, mediante fundamentação, qual é o interesse prático da diferença entre direitos
fundamentais dentro e fora da Constituição.
56. Haverá ou não razões que justifiquem e fundem uma autonomia relativa dos direitos
fundamentais na Constituição, face aos demais direitos dela constantes?
57. Diga quais são os elementos nos quais, segundo Vieira de Andrade, assentam o critério
tríplice de autonomia dos direitos fundamentais.
58. Comenta a afirmação de Vieira de Andrade segunda a qual “a autonomia dos direitos
fundamentais como instituto jurídico-constitucional é, afinal, o reflexo da autonomia ética da
pessoa enquanto ser simultaneamente livre e responsável”.
59. Faça a enumeração de direitos fundamentais formalmente constitucionais fora do catálogo
constitucional.
60. Faça a indicação de direitos fundamentais internacionais.

Você também pode gostar