Você está na página 1de 9

WISC-III

• Os resultados obtidos numa escala de inteligência representam o sucesso do


indivíduo num determinado conjunto de tarefas.
• Os subtestes da WISC-III foram seleccionados de forma a abranger um leque
diversificado de aptidões mentais, procurando desta forma reflectir o funcionamento
intelectual global do indivíduo.
• Os subtestes fazem apelo a várias facetas da inteligência – raciocínio abstracto, memória,
determinadas capacidades perceptivas (ex.: relações espaciais),
etc.

• Uma série de outros factores, não intelectuais, exercem influência na manifestação das
aptidões intelectuais, como traços de personalidade, atitudes e outras características – p.ex,
impulsividade, entusiasmo, ansiedade, persistência, entre muitos outros (influenciam
sucesso do indivíduo, quer no teste, quer na vida
quotidiana)
• Na avaliação do QI há que considerar aspectos não intelectuais/cognitivos como a história
de vida do indivíduo (contexto social e historial médico) ou o reportório
linguístico e cultural.
• Na concepção de inteligência de Wechsler, a aptidão intelectual é apenas um d
dos aspectos da inteligência

WISC-III
SUBESCALAS E SUBTESTES DA WISC-III
1. Completamento de Gravuras 2. Informação
3. Código 4. Semelhanças
5. Disposição de Gravuras 6. Aritmética
7. Cubos 8. Vocabulário
9. Composição de objectos 10. Compreensão
11. Pesquisa de Símbolos ** 12. Memória de Dígitos *
13. Labirintos *
Realização Verbal
* Subteste opcional
** Subteste opcional que só pode substituir subteste Código. Este
subteste surgiu pela primeira vez na WISC-III.

A WISC-III
A partir destes subtestes pode determinar-se:

• QI EC (Escala Completa) _ subtestes Verbais e subestestes Realização


• QI V (Verbal) _ resultados obtidos em 5 subestes verbais
• QI R (Realização) _ resultados em 5 subestes de realização
E ainda 3 pontuações/índices factoriais (aferições portuguesa e francesa/belga)
Código
Pesquisa de Símbolos
Completamento de Gravuras
Disposição de Gravuras
Cubos
Composição de Objectos
Informação
Semelhanças
Vocabulário
Compreensão
Velocidade de Processamento Organização Perceptiva Compreensão Verbal
Nota: Versão EUA compreende mais um factor: Resistência à Distracção

A WISC-III
UTILIDADE, APLICAÇÃO EM CONTEXTO ESCOLAR
Enquanto medida do funcionamento intelectual geral, a WISC-III pode ser utilizada
em numerosos contextos, tais como:
- Avaliação psicopedagógica
- Orientação escolar
-Necessidades educativas especiais, nomeadamente dificuldades de aprendizagem, atrasos
de desenvolvimento, sobredotação
- avaliação clínica e neuropsicológica
- Investigação
aplicações + comuns no âmbito das NEE:
• Deficiência Mental
• Dificuldades de Aprendizagem
• Sobredotação

Informação que se pode extrair da WISC-III


QI da escala completa: representa uma pontuação total de inteligência. Esta
mostra correlação com outras medidas de inteligência e com o desempenho
escolar.
QI verbal:
- Habitualmente é um bom preditor do desempenho escolar.
- Reflecte a capacidade verbal e linguística do estudante, mas também a
familiariedade com a linguagem e cultura do país.
- Os subtestes da escala verbal incluem muitos itens relacionados com a educação e a
cultura, logo, para um bom desempenho na escala verbal o aluno
necessita de aptidões e conhecimentos que são adquiridos na escola, em casa
e através da exposição à cultura.

- Crianças que não entendam bem a língua, provenientes de outra cultura ou que
não tenham tido educação formal (escolar) ficam em clara desvantagem.
- Alunos com problemas auditivos, de fala, ou provenientes de ambientes pouco
estimulantes do ponto de vista verbal, também estão em desvantagem.
Nestes casos, o QI verbal pode não constituir uma boa medida da inteligência da
criança, devendo-se considerar o contexto ambiental e história prévia da criança p
para interpretar os resultados; o QI de realização pode, nestas situações, constituir uma
medida mais válida.
Informação que se pode extrair da WISC-III
QI realização:
- menos relacionado com conteúdos verbais e culturais
- é possível obter-se um QI de realização elevado sem proferir qualquer palavra
- o desempenho nos testes de realização não depende de factores culturais
(nesse sentido, a escala de realização pode constituir uma medida mais justa /
isenta);
- fornece uma estimativa da capacidade fluída (sobretudo testes Cubos; Código;
Pesquisa de Símbolos)
- alunos com problemas verbais, de linguagem ou de outros contextos culturais (≠
amostra aferição) podem obter QI realização superior ao verbal
- pouco (ou nada) relacionado c/ desempenho escolar – pois os itens não avaliam
capacidades habitualmente relacionadas com aprendizagens e tarefas escolares

Informação que se pode extrair da WISC-III


Índice Organização Perceptiva:
Testes: Completamento de Gravuras; Disposição de Gravuras; Cubos ;
Composição de Objectos (Wechsler, 2003a)
- Medida da dimensão perceptiva e organizativa; reflecte a capacidade para
interpretar e/ou organizar material visual.
- Podem interferir com as pontuações neste índice diversos problemas – exs:
visuais; nos membros; motores; vísuo-motores.
- Pontuação baixa pode indicar fracas capacidades de organização visual ou ser
um sinal da existência de um problema perceptivo (o que deve conduzir a uma
posterior avaliação médica da criança, sobretudo quando esta obtém um QI verbal
superior)

Informação que se pode extrair da WISC-III


Índice Velocidade de Processamento:
Testes: Código; Pesquisa de Símbolos [supl] (Wechsler, 2003a)
Envolve o processamento de informação não verbal; o aluno tem de processar
a informação num período de tempo limitado e tem de reconhecer um símbolo
ou número. O teste código exige também memória a curto prazo (Nicholson e
Alcorn, 1994)
Um resumo de estudos cits por Albuquerque e Simões (2000) indica que este
índice envolve:
- rapidez cognitiva e motora;
- capacidade de planificação;
- memória visual;
- coordenação visomotora;
- motivação para a realização;
- capacidade de atenção

- A velocidade ou rapidez é importante para um bom resultado nestes testes,


pelo que crianças mais lentas ficam em desvantagem. O desempenho no teste
pode ser influenciado negativamente pela ansiedade.
- Muitas actividades escolares envolvem a rapidez de processamento – exs.:
fazer correspondências entre palavras e objectos.
- Está indirectamente relacionado com a “distracção”, pois requer que o aluno
preste atenção e se concentre de modo a realizar os testes.
- Alguns itens da Pesquisa de Símbolos apresentam diferenças visuais subtis,
pelo que problemas de visão podem constituir um factor limitante
(Nicholson e Alcorn, 1994)

O que medem os subtestes?


Testes verbais
• Informação: cultura /conhecimento geral; educação; memória a longo-prazo (1);
assimilação de experiências (2)
•Semelhanças: capacidade para extrair relações entre coisas ou ideias (1);
compreensão; relações entre conceitos; pensamento abastracto e associativo (2)
• Aritmética: capacidade para realizar contas simples e cálculos aritméticos
mentalmente (1); concentração; raciocínio e cálculo numérico; manipulação
automática de símbolos (2)
• Vocabulário: conhecimento de palavras; fluência verbal; uso/emprego de
linguagem (1); riqueza e tipo de linguagem; compreensão verbal (2)
• Compreensão: conhecimento social prático; juízo social (1); compreensão de
situações sociais (2)
• Memória de Dígitos (supl): atenção; memória a curto-prazo verbal (1)/auditiva (2)

O que medem os subtestes?


Testes de realização
• Completamento de gravuras: capacidade para distinguir detalhes essenciais de
não essenciais (1); memória a acuidade visuais (2)
• Código: capacidade para aprender material não verbal (1); memória visual
imediata; previsão associativa; rapidez motora (2)
• Disposição de Gravuras: capacidade para antecipar e compreender sequências de acção
(1); percepção e compreensão de situações sociais; captar sequências
causais (2)
• Cubos: capacidade para construir desenhos abstractos a partir de partes (1);
percepção visual; relações espaciais; coordenação vísuo-motora (2)
• Composição de objectos: capacidade para visualizar e construir um objecto a partir das
suas partes (1); memória de formas; orientação e estruturação espaciais (2)
• Pesquisa de símbolos (supl): capacidade para identificar formas geométricas
idênticas (1)
• Labirintos: capacidade para prestar atenção, concentrar-se e antecipar a acção (1);detreza
motora; previsão perceptiva (2)

APLICAÇÕES EDUCATIVAS PARA


EDUCADORES/PROFESSORES
(contexto escolar)
Têm surgido vários trabalhos que procuram transpôr os resultados da avaliação da
inteligência para o domínio da intervenção educativa, nomeadamente sobre
as implicações educativas da WISC-III.
Ex.:
Nicholson, C. L., & Alcorn, C. L. (1994). Educational applications of the WISC-III.
A handbook of interpretive strategies and remedial reccommendations. Los
Angeles, CA: WPS.
Trata-se de um livro dirigido a educadores e professores.
Aplicações educativas (cont.)
Ex. de tópicos abordados no livro:
- como interpretar a informação proveniente dos relatórios psicológicos sobre a
aplicação da WISC-III
- em função dos resultados obtidos por uma dada criança nas escalas (QI R; QI V)
e nos vários subtestes, sugere um conjunto de estratégias e actividades
educativas a realizar com a criança , em função do seu padrão individual de
resultados
Contudo, N.B.:
“É impossível estabelecer uma correspondência directa e automática entre det
resultado na WISC-III e uma dada sugestão educativa” (Albuquerque &
Simões, 2000, p. 129).

Aplicações educativas (cont.)


- Parece não existir nenhum livro similar no que se refere ao uso dos resultados da
WPPSI-R para planificar intervenções e actividades educativas ao nível do
pré-escolar (Seabra-Santos, Março de 2006, Comunicação Pessoal).
- Uma solução possível é procurar fazer alguma transferência das sugestões
dadas no livro para o nível pré-escolar.
Referências (slides):
Albuquerque, C. P. & Simões, M. R. (2000). Escala de InteligÊncia de Wechsler para
Crianças-Terceira
edição (WISC-III): Validade dos resultados para a intervenção educativa. Psychologica, 25,
123-141.
Nicholson, C. L., & Alcorn, C. L. (1994). Educational applications of the WISC-III. A
handbook of
interpretive strategies and remedial reccommendations. Los Angeles, CA: WPS.
Seabra-Santos, M. J. (1996). A WPPSI-R: sua utilização em contecto escolar. Revista
Portuguesa de
Pedagogia, XXX (2), 221-243.
Seabra-Santos, M. J. (1999). A avaliação da inteligência em idade pré-escolar e escolar:
relação com as
apreciações dos professores. Revista Portuguesa de Pedagogia, XXXIII (2), 5-22.
Seabra-Santos, M. J. (2000). Avaliação psicológica em idade pré-escolar: O caso da
avaliação da
inteligência. Psychologica, 25, 143-162.
Wechsler, D. (2003a). WISC-III. Escala de Inteligência de Wechsler para Crianças -
Terceira Edição.
Manual. Lisboa: CEGOC-TEA.
Wechsler, D. (2003b). WPPSI-R. Escala de Inteligência de Wechsler para a Idade Pré-
Escolar e Escolar –
Edição Revista. Manual. Lisboa: CEGOC-TEA.
WISC-III
Escala de Inteligência de Wechsler para Crianças - 3ª edição

autor: D. Wechsler
versão: Portuguesa
população: Crianças e Adolescentes
aplicação: Individual
tempo de aplicação: +/- 90 min.
idade: 6-16 anos
preço: 2,055.47 € (IVA e portes de envio incluídos)

Descrição Técnica

Terceira edição da Escala de Inteligência para crianças de David Wechsler, completamente


revista e actualizada. Embora mantenha a mesma estrutura que a WISC e a WISC-R, a
WISC-III apresenta várias novidades, designadamente ao nível dos materiais (p.e.
estímulos visuais impressos a cores), dos conteúdos (p.e. substituição de itens que se
mostraram desactualizados), dos procedimentos de administração e da análise dos
resultados. A WISC-III inclui doze subtestes da WISC-R, bem como um novo subteste:
Pesquisa de Símbolos. O desempenho das crianças e adolescentes pode ser analisado em
termos de subtestes e de três resultados compósitos: QI Verbal, QI de Realização e QI da
Escala Completa. As várias análises factoriais, realizadas com base nos dados da amostra
de aferição da WISC-III, corroboraram ainda a presença de três factores. Assim, o
utilizador poderá igualmente recorrer ao cálculo dos seguintes Índices Factoriais:
Compreensão Verbal, Organização Perceptiva e Velocidade de Processamento. Constam
ainda do Manual técnico estudos comparativos entre a WISC-III outras medidas da
inteligência (p.e. WISC, WPPSI-R e Matrizes Progressivas Coloridas de Raven) e o nível
das aquisições escolares, assim como estudos com populações especiais (p.e. deficiência
mental, dificuldades de aprendizagem e inteligência superior).

Descrição Física

O jogo completo completo inclui: manual técnico, folhas de registo, caderno de estímulos,
caixa com cartões para o subteste Disposição de gravuras, cartão branco para o subteste
Aritmética, cartões com problemas aritméticos, caixa com cubos, puzzles para o subteste
Composição de objectos, biombo de apresentação, cadernos de Pesquisa de símbolos,
cadernos de Labirintos e grelhas de correcção.

Você também pode gostar