Você está na página 1de 57

Diretor Executivo

DAVID LIRA STEPHEN BARROS


Diretora Editorial
ANDRÉA CÉSAR PEDROSA
Projeto Gráfico
MANUELA CÉSAR ARRUDA
Autoras
GIOVANNA VALENZA
THALYTA MABEL NOBRE BARBOSA
Desenvolvedor
CAIO BENTO GOMES DOS SANTOS
Autoras
GIOVANNA VALENZA
Olá. Meu nome é Giovanna Valenza. Sou formada em Letras, com
experiência técnico-profissional na área de Produção de Texto e Língua
Portuguesa nos formatos Presencial e a Distância há mais de 10 anos. Faço
edição e revisão de textos para várias editoras e também sou autora de
materiais didáticos para EAD. Adoro dar aulas e escrever materiais, pois assim
posso compartilhar minha experiência e meu conhecimento com aqueles
que estão iniciando em suas profissões. Por isso fui convidada pela Editora
Telesapiens a integrar seu elenco de autores independentes. Estou muito feliz
em poder ajudar você nesta fase de muito estudo e trabalho. Conte comigo!

THALYTA MABEL NOBRE BARBOSA


Olá! Seja bem-vindo(a). Sou Thalyta Mabel. Graduada em Serviço Social
e Mestre em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte
(UFRN), tendo como objeto de estudo o Serviço Social na Previdência Social.
Possuo experiência como docente, na graduação e na pós-graduação, tanto
em instituições públicas quanto privadas, principalmente nas disciplinas de
Política de Previdência Social e Social, Fundamentos Teórico-Metodológicos
do Serviço Social, Trabalho de Conclusão de Curso, Metodologia Científica,
Docência no Ensino Superior, Introdução à Educação a Distância, Introdução
ao Ensino Superior e Tecnologias Educacionais.
A minha trajetória acadêmica-profissional está ligada à área da Educação
a Distância há aproximadamente 15 anos. Nessa larga trajetória atuo como
Designer Instrucional de materiais didáticos para a EaD, desde a sua orientação
pedagógica até o produto final, em Instituições de Ensino Superior (IES)
Públicas e Privadas e de Educação Corporativa, como autora e organizadora
de e-books e demais materiais didáticos, facilitadora de treinamento de
professores/autores/conteudistas quanto à escrita de conteúdo dos materiais
didáticos a serem utilizados na EaD nas IES e nas instituições de Educação
Corporativa e também como tutora. Para que possamos obter êxito nessa
caminhada rumo ao conhecimento acadêmico, recomendamos que você
esteja atento aos conceitos aqui apresentados. Vamos começar.
Iconográficos
Olá. Meu nome é Manuela César de Arruda. Sou a responsável pelo
projeto gráfico de seu material. Esses ícones irão aparecer em sua trilha
de aprendizagem toda vez que:

INTRODUÇÃO: DEFINIÇÃO:
para o início do desen- houver necessidade
volvimento de uma de se apresentar
nova competência; um novo conceito;

NOTA: IMPORTANTE:
quando forem as observações es-
necessários obser- critas tiveram que ser
vações ou comple- priorizadas para você;
mentações para o
seu conhecimento;
EXPLICANDO VOCÊ SABIA?
MELHOR: curiosidades e inda-
algo precisa ser gações lúdicas sobre
melhor explicado o tema em estudo, se
ou detalhado; forem necessárias;
SAIBA MAIS: REFLITA:
textos, referências se houver a neces-
bibliográficas e links sidade de chamar a
para aprofundamento atenção sobre algo
do seu conhecimento; a ser refletido ou
discutido sobre;
ACESSE: RESUMINDO:
se for preciso aces- quando for preciso
sar um ou mais sites se fazer um resumo
para fazer download, acumulativo das
assistir vídeos, ler últimas abordagens;
textos, ouvir podcast;
ATIVIDADES: TESTANDO:
quando alguma ativi- quando o desen-
dade de autoaprendi- volvimento de uma
zagem for aplicada; competência for
concluído e questões
forem explicadas;
SUMÁRIO
Os principais conceitos da educação a distância ..............11

Breve histórico da Educação a Distância no Brasil..........11

Modalidades......................................................................16

O Ensino presencial.................................................16

Ensino 100% EaD....................................................18

Ensino Semipresencial...........................................20

Ambientes virtuais de aprendizagem..................................24

Mediação...........................................................................27

Aluno...............................................................28

Professor...............................................................29

Tutor..............................................................31

Gerenciamento dos estudos na modalidade EaD............34

O que é necessário para estudar a distância? ........................34

Requisitos técnicos................................................35

Requisitos pessoais ................................................36

Gerenciando a autoaprendizagem..........................38

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).....................41

Acesso ao material...........................................................41
Fóruns de discussão...........................................................42

Atividades de fixação do conteúdo.....................................44

Produções textuais............................................................45

Recursos variados para auxílio nos estudos......................47

Muitas informações e diversas maneiras de acessá-las.......47

Artigos.................................................48

Livros.....................................................48

Vídeos ...................................................................49

Podcasts..................................................50

Imagens e infográficos...........................................51

Mapas conceituais..................................................51

Objetos de aprendizagem......................................52

Jogos educativos.....................................................52
8 Introdução à Ead

01
UNIDADE
Introdução à Ead 9

INTRODUÇÃO
Olá! Seja bem-vindo (a)! Você já estudou a distância? Se esta é a
sua primeira experiência, espero que esteja muito animado (a)! Estamos
aqui para te ajudar nessa jornada. Nesta unidade você vai conhecer tudo
o que precisa para iniciar os estudos nessa modalidade. Veremos um
pouco da história da educação a distância no Brasil, conceitos básicos e
alguns recursos importantes que estão presentes no ambiente virtual de
aprendizagem – e fora dele também. Além disso, você terá dicas de como
gerenciar seus estudos, habilidade importante que precisará desenvolver
a partir de agora.
Vamos começar?
10 Introdução à Ead

OBJETIVOS
Olá. Seja muito bem-vindo à Unidade 1. Nosso propósito é auxiliar
você no desenvolvimento das seguintes objetivos de aprendizagem até o
término desta etapa de estudos:

1. Identificar os principais conceitos da educação a distância


2. Saber gerenciar os estudos na modalidade de ensino a distância
3. Conhecer o ambiente virtual de aprendizagem
4. Conhecer os recursos que auxiliam os estudos

Então? Preparado para uma viagem sem volta rumo ao


conhecimento? Ao trabalho!
Introdução à Ead 11

Os principais conceitos da educação a


distância
OBJETIVO
Ao término deste capítulo, você estará por dentro do
significado de alguns termos relacionados à educação
a distância. É muito importante que você entenda esses
termos, pois vai se deparar com eles a todo o momento a
partir de agora. Vamos lá?

Breve histórico da Educação a Distância


no Brasil
Antes de falarmos sobre a história da Educação a Distância
(EaD) em nosso país, vamos tratar do conceito de educação e a sua
importância. Para você, o que significa educação? Você já se questionou
à respeito? Vamos refletir um pouco sobre isso. A educação se constitui
um direito fundamental dos seres humanos e há vários documentos que
atestam isso ao redor do mundo.
Voltando à definição de educação, Giusta (2003, p. 26) nos diz que
a educação é o “processo de formação humana, cujas finalidades podem
ser resumidas no preparo do aluno para o exercício da cidadania”. Há
outras definições sobre educação, mas o nosso objetivo, nesta unidade,
é apresentar a educação a distância. Então, é importante que você saiba
que, antes de tudo, a Educação a Distância é Educação.
Conforme lembram Sousan e Arafen (2010), a definição tradicional
que conhecemos de Educação a Distância apresenta pelo menos quatro
componentes: a educação (ensino e aprendizagem), a divergência
geográfica ou temporal, um meio de transmissão (tecnologia) e as
informações ou conteúdos de comunicação. Ou seja, a educação a
distância é uma modalidade de ensino mediada por tecnologias.
12 Introdução à Ead

VOCÊ SABIA
Saiba que essa é uma modalidade de ensino que não é
recente no país. Os fatos históricos indicam que o primeiro
marco da EaD no Brasil ocorreu no início do século XX e
que a principal tecnologia empregada era o papel, depois
veio a rádio e posteriormente a televisão (ALVES, 2009).

Você conhece ou já ouviu falar de alguém que tenha estudado


nessa época? Que tal perguntar aos seus parentes se eles tiverem
acesso a essa modalidade de ensino e realizar uma comparação com a
EaD executada atualmente?
A partir da década de 1970 até o final da década de 1980, houve
uma diminuição do ritmo de crescimento da EaD no Brasil.
Não podemos negar que o grande impulso para a expansão da
EaD foi a popularização de algumas tecnologias, tais como o rádio, o
VHS, o DVD, e o computador e a internet, mais recentemente.
A partir de 1990 e com o aumento das políticas de acesso e
inclusão ao ensino superior, houve um aumento bem significativo no que
se refere ao acesso a essa modalidade de ensino.
Você já teve a oportunidade de estudar a distância anteriormente?
Conhece alguém que já tenha tido essa oportunidade?
Se você nunca teve a oportunidade de estudar a distância, saiba
que, agora, faz parte dos milhões de alunos que se matriculam nessa
modalidade todo ano. No último Censo da ABED – Associação Brasileira
de Educação a Distância, constatou-se que somente em 2018, mais de
4 milhões de alunos se matricularam em cursos totalmente a distância e
semipresenciais (ABED, 2019).
Esse número tem aumentado a cada ano, pois essas pessoas
estão buscando aprimoramento profissional, ao mesmo tempo em que
precisam conciliar o tempo com o trabalho e os compromissos pessoais.
Nem todas as pessoas conseguem frequentar cursos presenciais, seja
pela carga horária exigida pela profissão que exercem, seja porque
não existem instituições de ensino nos locais onde vivem. Os cursos a
distância, portanto, tornam-se uma possibilidade de formação para os
mais variados perfis de alunos.
Introdução à Ead 13

Não só nos ambientes acadêmicos, mas também em empresas


a educação a distância representa uma nova forma de capacitação,
que permite otimizar o tempo e seguir com uma rotina de estudos que
melhor se adapte a cada realidade.
Vamos pensar na seguinte situação: pessoas que trabalham num
regime de trabalho 12 x 36, isto é, trabalham 12 horas seguidas e folgam
36 horas seguidas, assim sucessivamente. Para esses trabalhadores,
seria complicado manter uma rotina de ir até uma faculdade todos os
dias. Por outro lado, têm horas de descanso que poderiam ser utilizadas
para seu aprimoramento profissional. Pense também em uma mãe que
acabou de ter um filho e quer continuar estudando. Ela pode conciliar o
cuidado com o bebê e reservar algumas horas de estudo por dia para
ler, realizar atividades e interagir com outros alunos, tudo on-line. Agora
pense em alguém que mora numa cidade muito pequena, que não possui
instituição de ensino superior. Ela teria que mudar de cidade e deixar sua
família em busca de formação. Porém, se tiver um computador e acesso
à internet, pode fazer sua graduação em casa, dirigindo-se a um polo
presencial somente nas ocasiões em que deve realizar as provas. Isso
acontece com muitos alunos que vivem nas regiões norte e nordeste,
ou em locais afastados das capitais, desprovidos de faculdades. Outro
exemplo são as pessoas com dificuldade de locomoção, como idosos
ou cadeirantes. Para eles, torna-se mais confortável estudar em casa,
onde têm a infraestrutura necessária que muitas vezes não encontram
ao se deslocarem pela cidade.
Além dessas realidades apontadas anteriormente, a EaD também
tem sido utilizada em ambientes corporativos e públicos como forma de
qualificar os seus trabalhadores.
Porém, mesmo sendo uma modalidade de ensino com aspectos
bem positivos, é alvo de diversas críticas, tais como o isolamento dos
alunos e a falta do relacionamento interpessoal no processo de ensino
e aprendizagem, ou ainda a ideia de que é uma modalidade mais fácil
e que não requer comprometimento do aluno, já que ele realiza apenas
algumas atividades pelo computador.
Não se pode negar que a educação a distância é uma das
responsáveis pela democratização do ensino em nosso país, pois
14 Introdução à Ead

chegou aos locais onde a educação presencial ainda não tinha chegado
ou chegou mais tardiamente com a interiorização do ensino superior. O
crescimento exacerbado da oferta de cursos e do número de matrículas
no Brasil fez com que mesmo as instituições de ensino mais tradicionais
refizessem seu planejamento para incluir disciplinas a distância e cursos
de extensão em seus currículos, a fim de atender à demanda dos alunos.
Hoje é possível aprender uma língua estrangeira ou programação,
aprofundar-se em assuntos específicos dos mais variados temas,
preparar-se para processos seletivos e receber treinamento operacional
utilizando-se dessa modalidade de ensino. Percebemos que a EAD virou
uma realidade concreta e presente não apenas no ambiente acadêmico,
mas também no corporativo, empresarial e de qualificação profissional.
Um aspecto que merece destaque é que as mensalidades dos
cursos a distância tendem a ser inferiores às dos cursos presenciais, e
o aluno também evita os gastos com deslocamento e alimentação fora
de casa. Esse é outro ponto positivo que tem levado as pessoas a se
interessarem pela modalidade, além do tempo que se deixa de perder
no trânsito, por exemplo.
Mas quando essa ideia teve início no Brasil? Você já parou para
pensar sobre isso?
A modalidade de ensino a distância não é nova no nosso país.
O primeiro curso por correspondência no país, de Datilografia, data de
1904, ofertado em jornal. Esse tipo de curso contava com um material
impresso que era enviado ao aluno pelo correio.

SAIBA MAIS
Dependendo da geração da qual você faz parte, talvez
nem saiba o que é datilografar. Pois bem, aqui temos mais
um exemplo de ponto positivo da EAD: você pode agora
mesmo, procurar textos ou vídeos na internet sobre a
profissão do datilógrafo, muito comum algumas décadas
atrás.
Introdução à Ead 15

Os cursos por correspondência tinham como objetivo capacitar o


aluno para uma profissão, diferentemente do cenário atual, em que há
cursos a distância nos mais diversos níveis, desde o ensino fundamental
até programas de pós-graduação.
Na década de 1920, era possível estudar escutando a rádio, que
ganhava cada vez mais espaço nas casas dos brasileiros. Com a ajuda
de um material impresso, os alunos podiam estudar línguas estrangeiras
e aprimorar o português. Tal formato de ensino não durou muito tempo.
A partir das décadas de 1960 e 1970, era muito comum
acompanhar na televisão os telecursos, que traziam temas da educação
básica explicados por atores.

SAIBA MAIS
Várias dessas aulas foram exibidas até o ano de 2014 e
estão disponíveis na internet.
Acesse o link http://www.telecurso.org.br/ para conhecer
mais sobre o programa e para assistir às teleaulas.

Um grande marco com relação ao ensino a distância foi a Lei de


Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996, pois trouxe regras
para essa modalidade de ensino. Em seu artigo 8 está postulado que:
Art. 80. O Poder Público incentivará o desenvolvimento e a
veiculação de programas de ensino a distância, em todos os
níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada.
§ 1º A educação a distância, organizada com abertura
e regime especiais, será oferecida por instituições
especificamente credenciadas pela União.
§ 2º A União regulamentará os requisitos para a realização
de exames e registro de diploma relativos a cursos de
educação a distância.
§ 3º As normas para produção, controle e avaliação de
programas de educação a distância e a autorização para
sua implementação, caberão aos respectivos sistemas de
ensino, podendo haver cooperação e integração entre os
diferentes sistemas. [...] (BRASIL, 1996).
16 Introdução à Ead

Na mesma década, com o acesso à internet, os conteúdos


começaram a ser ofertados on-line, porém, para uma parcela pequena
da população. Hoje, no Brasil, há mais alunos matriculados em cursos a
distância do que em presenciais.

SAIBA MAIS
Se você tiver interesse de saber mais da legislação sobre
Educação a Distância, consulte o portal do MEC, no link:
https://bit.ly/2xylRZJ
Lá você terá acesso às principais leis e portarias voltadas
para a EaD no Brasil.

Perceba que a educação a distância é uma realidade nos


ambientes escolares, acadêmicos e corporativos. Faz parte do dia a
dia de milhões de brasileiros e possibilita o acesso à educação de uma
forma mais dinâmica e compatível com as necessidades dos alunos. Nos
capítulos seguintes, você vai entender como funcionam as engrenagens
da educação a distância.

Modalidades
Agora iremos estudar sobre as modalidades de ensino. Ao
apresentarmos as modalidades de educação, tradicionalmente,
apontamos os traços definidores de cada uma delas. Ao longo de sua
trajetória educacional você já teve contato com alguma delas. Vamos
conhecê-las ou rememorá-las.
Existem três modalidades de ensino com as quais você pode
ter contato ao longo de sua vida: o ensino presencial, a 100% EaD e a
semipresencial.

O Ensino presencial
É o ensino com o qual estamos mais acostumados, pois
frequentamos a escola desde pequenos. Há espécies diferentes de
ensino presencial, algumas mais tradicionais, com fileiras de carteiras
Introdução à Ead 17

onde se sentam os alunos e o quadro negro na frente da sala, que o


professor utiliza para passar o conteúdo. Outras que trazem abordagens
mais contemporâneas, como uma estrutura com mesas redondas em
que os alunos sentam em equipes e não há presença do quadro negro e
do professor na frente da sala, mas atuando como mediador na pesquisa
desenvolvida pelos alunos.
Tanto um como o outro processo de ensino e aprendizagem
explicados anteriormente pressupõe o deslocamento do aluno até a
instituição de ensino e a socialização presencial com os demais colegas.

Figura 1 – No ensino presencial, o aluno vai até a instituição de ensino.

Fonte: Freepik

Vejamos a seguir os aspectos positivos e negativos com relação a


essa modalidade de ensino.
• Pontos positivos: mais interação entre alunos e professores,
possibilidade de sanar dúvidas na hora da aula.
• Pontos negativos: para os alunos mais tímidos, pode ser difícil
realizar essa interação ou mesmo fazer questionamentos ao professor;
18 Introdução à Ead

tempo de deslocamento e gastos com transporte e alimentação;


distração (nem sempre o aluno está focado ou disposto).
Porém, é importante que você saiba que, diante do avanço das
tecnologias da informação e da comunicação, o ensino presencial pode
ser mediado pela tecnologia. Mas, você saberia dizer o que significa
mediação e tecnologia? Esses são dois conceitos fundamentais na
área da educação a distância. Para que possa ocorrer a aprendizagem
nessas modalidade de ensino, terá que ocorrer a mediação, que se dará
por meio da tecnologia. Mas esses são assuntos os quais veremos um
pouco mais a frente. Vamos seguir no tópico seguinte falando sobre o
Ensino 100% EaD.

Ensino 100% EaD


Nesta modalidade, o processo de ensino e aprendizagem se dá
por meio de tecnologias, e o aluno não vai até a instituição de ensino,
mas apenas para realizar algumas atividades avaliativas. Os professores,
alunos e tutores estão separados no que se refere ao espaço e ao
tempo. Mas o que significa isso? Você conseguiu compreender?
Isso significa que os atores envolvidos nessa modalidade de ensino
não estão presentes fisicamente, como na modalidade anterior. Eles
estão separados espacialmente e temporalmente, o que é algo bem
característico dessa modalidade de ensino. Então, como superar esse
desafio e como se adaptar a essa nova realidade? Você já se questionou
sobre isso? Esses são pontos sobre os quais iremos conversar nos
tópicos seguintes desta unidade.
Introdução à Ead 19

Figura 2 - No ensino 100% EAD o processo de ensino e aprendizagem é mediado pelas


tecnologias.

Fonte: Freepik

Na modalidade 100% EAD, o aluno estuda e faz as atividades no


computador (também é possível estudar em tablets ou smartphones),
que pode estar em sua casa, trabalho ou em um polo de ensino.
Mas o que seria um polo?
O polo é o local onde o aluno fará as avaliações, receberá
orientações dos tutores presencialmente, utilizará os laboratórios
de informática (laboratórios específicos a depender da disciplina) e
biblioteca. Ao ter a oportunidade, não deixe de ir ao polo para interagir
com os seus colegas e para usufruir de tudo o que a sua instituição lhe
fornece.
Muitos alunos da EAD se dirigem ao polo somente para realizar
as avaliações que têm maior peso quantitativo na disciplina, geralmente
elaboradas em formato de provas escritas. A instituição de ensino
oferece os materiais de estudo (textos escritos, e-books, videoaulas,
podcasts, biblioteca virtual) dentro de um ambiente virtual. É por meio
desse ambiente que o aluno também interage com os outros estudantes,
tutores e professores e realiza as atividades.
20 Introdução à Ead

• Pontos positivos: acesso à educação de qualquer lugar do país


em que haja uma rede disponível de internet (democratização do ensino),
inclusive para pessoas com dificuldade de locomoção, inclusão digital,
grande oferta de cursos de graduação e pós-graduação, possibilidade
de gerenciar o tempo de estudo e trilhar um caminho personalizado de
aprendizagem, gastos menores com mensalidade, otimização do tempo
e flexibilização de horários, de modo a conciliar os estudos com outros
compromissos pessoais e profissionais.
• Pontos negativos: menos interação presencial com professores
e alunos, isolamento nos períodos de estudo, dispersão por estar em um
ambiente on-line, necessidade de mais responsabilidade e disciplina
para com os estudos, impossibilidade de solucionar dúvidas com os
professores e alunos na hora, dependência constante de conexão com
internet. Como trata-se de um sistema de ensino novo, para muitas
pessoas, é necessário acostumar-se com ele.
Diante do que vimos anteriormente, é fundamental que o
aluno desta modalidade estabeleça sua rotina de estudos para que o
aprendizado seja proveitoso e que diante dos desafios que surgirem ele
procure alternativas e meios para superá-los.

Ensino Semipresencial
Também chamado de ensino híbrido, é uma proposta que
mistura atividades presenciais e a distância. Geralmente, a parte teórica
é disponibilizada em um ambiente virtual, assim como no ensino
100% a distância, mas as atividades práticas e vivências são realizadas
presencialmente, na maioria das vezes em grupos, com a presença de
todos os inscritos no curso. São comuns, neste formato, os cursos que
requerem alguma prática, tais como gastronomia, cursos que têm aulas
em laboratório, clínicas ou estágio obrigatório.
Introdução à Ead 21

Figura 3 – No ensino híbrido o aluno alterna momentos de estudo no ambiente virtual com
atividades presenciais mediadas pelos professores.

Fonte: Freepik

Conforme aponta Tori (2009, p. 121),


Dois ambientes de aprendizagem que historicamente
se desenvolveram de maneira separada, a tradicional
sala de aula presencial e o moderno ambiente virtual
de aprendizagem, vêm se descobrindo mutuamente
complementares. O resultado desse encontro são cursos
híbridos que procuram aproveitar o que há de vantajoso
em cada modalidade, considerando contexto, custo,
adequação pedagógica, objetivos educacionais e perfis
dos alunos.
Até mesmo em algumas escolas já existe a tentativa de
implementar a sala de aula invertida, metodologia que prevê que os
alunos estudem em casa os conteúdos curriculares e compareçam à
escola para tirar dúvidas e realizar atividades em grupos.
22 Introdução à Ead

SAIBA MAIS
Assista ao vídeo sobre sala de aula invertida em:
https://bit.ly/2vT5cjj

A seguir iremos apresentar os pontos positivos e os negativos da


modalidade de ensino semipresencial. É importante que você leia-os
e perceba que serão necessárias que você cumpra alguns horários e
estabeleça uma nova rotina.
• Pontos positivos: acesso à infraestrutura da instituição ou
polo de ensino (laboratórios, bibliotecas), grande oferta de cursos de
graduação e pós-graduação, otimização do tempo, inclusão digital,
troca de experiência com professores e alunos de maneira presencial,
exploração de habilidades e competências como a oralidade e resolução
de conflitos por meio de debates, tempo personalizado para se dedicar
à leitura da parte teórica e assistir às videoaulas, quando houver.
• Pontos negativos: horários fixos para a realização das atividades
presenciais, gastos com deslocamento e alimentação, pessoas mais
introspectivas podem não se sentir à vontade para realizar os trabalhos
propostos presencialmente.
É muito comum, tanto no ensino 100% EAD como no semipresencial,
a disponibilidade de acesso a bibliotecas virtuais com grande acervo de
obras sobre os temas estudados. Muitas dessas bibliotecas só podem
ser acessadas pelos alunos matriculados nos cursos. A economia que
o aluno tem com relação à compra de livros, impressões e fotocópias
(muito comuns no ensino presencial) é bastante significativa, pois nessas
modalidades, o conteúdo deve estar disponível para o aluno de modo
que ele possa acessá-lo integralmente on-line.
A inclusão digital é outro ponto positivo nas modalidades
EAD e semipresencial. Ainda que nem todos os brasileiros possuam
computadores ou acesso à internet (segunda a pesquisa TIC Domicílios
realizada em 2018, 70% têm acesso à internet em computadores ou
celulares, e há um aumento significativo desse acesso por parte das
classes D e E), o ensino a distância torna-se a melhor possibilidade para
um número muito grande de pessoas no país. Dessa maneira, configura-
se uma oportunidade de incluir digitalmente os cidadãos.
Introdução à Ead 23

TICs é a sigla para Tecnologias da Informação e Comunicação, isto


é, o conjunto de recursos integrados de tecnologia que são utilizados
para mediar a comunicação e a informação. As TICs facilitam o acesso
à educação por meio da disseminação de informações, permitindo a
comunicação nos mais diversos meios.
Segundo Formiga (2009, p. 39),
A EAD está intrinsecamente ligada às TICs por se constituir
setor altamente dinâmico e pródigo em inovação, que
transforma, moderniza e faz caducar termos técnicos
e expressões linguísticas em velocidade alucinante. A
sociedade da informação e do conhecimento reflete-se na
EAD pela apropriação célere dos conceitos e inovações,
que moldam a mídia e se refletem na própria EAD.

SAIBA MAIS
Leia o artigo sobre as TICs na educação: SILVA, R. F. da.;
CORREA, E. S. Novas tecnologias e educação: a evolução
do processo de ensino e aprendizagem na sociedade
contemporânea. Disponível em: https://bit.ly/3azJKi8

Conforme lembra Dias (2011, p. 80-81),


O que há de revolucionário na internet não é ela permitir
a comunicação em rede. A comunicação em rede sempre
existiu desde que os homens começaram a se relacionar
em grupos e em comunidades. Por serem flexíveis e
adaptáveis, as redes têm grandes vantagens sobre as
estruturas hierarquizadas. E por isso se expandiram na
sociedade e na economia. Seus limites, no entanto,
eram definidos pela dificuldade de coordenar funções,
de concentrar recursos para determinados objetivos e
mesmo de realizar tarefas, dependendo do tamanho
da rede. As tecnologias de informação e comunicação,
sobre as quais se baseia a internet, deram novo impulso
ao desenvolvimento das redes, pois puseram por terra os
24 Introdução à Ead

seus limites naturais ao permitirem o gerenciamento de


tarefas e a administração da complexidade. (Cf. CASTELLS,
2003, p. 7-8)
A internet, portanto, consegue potencializar essa comunicação
em rede, fazendo com que atinja um nível global pelo fato de os
computadores estarem interconectados. Continua Dias (2011, p. 81):
[...] E, ao criar esse ambiente de comunicação interconectada,
permite que todo cidadão que tenha acesso a ele possa
trocar informações, pesquisar conteúdos dos mais
diferentes tipos e procedências, participar de redes sociais,
baixar e subir arquivos, participar de produções em rede,
remixar e recriar conteúdos armazenados na rede, enfim,
se relacionar, se divertir e produzir nesse novo ambiente.
A partir desses pressupostos, a inclusão digital torna-se, portanto,
uma forma de inclusão social. É importante lembrar, também, que muitos
alunos que não teriam acesso ao ensino superior estão conseguindo um
diploma de graduação. Talvez seja esse o principal ponto positivo da
educação a distância no Brasil, um país com grandes abismos sociais.

Ambientes virtuais de aprendizagem


Agora vamos estudar sobre os ambientes virtuais de aprendizagem,
os mais conhecidos como AVAs. Você já utilizou algum AVA? Qual foi a
sua experiência? Você se recorda?
Os ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) são softwares
que hospedam e auxiliam a produção e disponibilização dos materiais
didáticos na internet para que você, aluno(a) na modalidade EaD, tenha
acesso.
Dentre os mais conhecidos ambientes de aprendizagem estão
o Moodle, TelEDuc, E-Proinfo, BlackBoard. Caso você tenha utilizado
algum AVA poderá ter se deparado com algum desses mencionados
anteriormente. O layout e interface deles são diferentes, mas possuem
basicamente as mesmas funcionalidades.
Os AVAS são ferramentas que minimizam a sensação de
isolamento e que, se utilizadas de maneira correta, de forma sistemática,
Introdução à Ead 25

contribuem de maneira significativa para a aprendizagem e a interação


com os professores e demais colegas.
Ao se matricular num curso a distância – e, quando usamos o termo
“a distância”, estamos nos referindo, neste material, às modalidades 100%
EAD e semipresencial –, o aluno é direcionado a um ambiente virtual em
que encontrará todos os materiais e recursos necessários para realizar
os seus estudos.
O AVA também é utilizado como apoio ao ensino presencial. É
comum, por exemplo, que os professores do ensino presencial usem
o AVA como repositório de material, e que se utilizem dele até mesmo
para receber trabalhos e realizar provas. Mas é no ensino 100% EAD e
semipresencial que ele ganha maior importância, pois será por meio
dele que todo o processo de ensino aprendizagem se dará. Então, é
fundamental que você, aluno(a) da EaD, conheça o seu ambiente virtual
de aprendizagem e as suas funcionalidades.
Além de ajudar os profissionais envolvidos na produção de
conteúdos, os AVAs permitem que professores organizem os materiais
de maneira didática e acompanhem o progresso dos seus alunos,
oferecendo recursos como relatórios de acesso e tempo utilizado pelos
participantes do curso, gráficos comparativos, divisão dos alunos em
grupos, sistema de registro de notas, entre outras funções.
É bastante simples fazer a gestão dos estudantes por meio desses
recursos, uma vantagem aos professores, que antes precisavam fazer a
chamada e registrar as notas à caneta em papel.
Algumas ferramentas facilitam a comunicação dos professores e
tutores com os seus alunos. Nos ambientes virtuais, há espaços para
chats, videoconferências, mensagens privadas e fóruns de discussão,
importantes canais de comunicação nessa modalidade de ensino.
Vale lembrar aqui, que os alunos estarão longe dos professores
e tutores, mas devem ter fácil e rápido acesso a esses canais de
comunicação para sanar dúvidas.
26 Introdução à Ead

Figura 4 – Os ambientes virtuais contêm muitos recursos que auxiliam o aluno em seu
processo de aprendizagem.

Fonte: Freepik

O estudante também pode fazer uso desses recursos, os quais


o auxiliam na gestão de seus estudos. Configurar o software para que
o avise sobre o prazo de entrega de uma atividade é uma das muitas
possibilidades que um AVA oferece.
Os AVAs integram as Tecnologias de Informação e Comunicação
em um só ambiente, contribuindo assim, para a disseminação de
informação e facilidade de comunicação entre os seus usuários, e
ainda para a construção coletiva do conhecimento, já que permitem o
compartilhamento de ideias. Dentro desses ambientes, os estudantes
têm acesso aos materiais selecionados por professores especialistas na
área, realizam as atividades propostas sobre os conteúdos trabalhados,
participam de debates, tendo a possibilidade ainda, de acompanhar o
seu progresso e a sua performance por meio de relatórios de atividades.
Tudo isso é feito no computador ou mesmo no celular. Alguns
Introdução à Ead 27

ambientes virtuais possuem aplicativos que permitem a sua utilização


em smartphones.

Mediação
Você sabe o que é mediação?
Este é outro conceito importante para quem está envolvido com
educação a distância. De acordo com a definição do Dicionário Michaelis,
mediação é o ato de servir como intermediário entre pessoas, grupos,
com o objetivo de sanar dúvidas ou resolver conflitos. No que se refere
à educação, essa mediação se configura uma atividade interposta entre
o aluno e o conhecimento.
Quem exerce esse papel de mediador na EAD é o tutor, por meio
das TICs. É ele que faz a ponte entre o aluno e o professor, ou o aluno
e a coordenação de curso, caso haja alguma dúvida ou problema cuja
solução não esteja ao seu alcance. Para isso, são utilizados os recursos
do próprio ambiente virtual, tais como e-mail, fóruns, chats e web
conferências.
É essencial que haja uma mediação efetiva para que o aluno
consiga com sucesso realizar tudo aquilo que é esperado no curso,
desenvolvendo as competências e habilidades necessárias à sua
formação.
Como afirma Longo (2009, p. 219):
A qualidade dos cursos à distância depende, em
grande parte, da qualidade da tutoria. Assim, a seleção,
a capacitação, o acompanhamento e a avaliação
dos professores-tutores são considerados atividades
estratégicas. Na prática, essa tradas, na capacidade de
organizar e orientar didaticamente o processo de ensino-
aprendizagem a distância e na utilização das ferramentas
tecnológicas que servirão de instrumento ao professor.
Mas qual seria, então, o papel de cada uma das pessoas
envolvidas na EAD? Qual a diferença entre tutor e professor? E o aluno,
é responsável pelo quê? Vamos conferir a seguir.
28 Introdução à Ead

Aluno
Vamos iniciar este tópico com um questionamento. Segundo
Palloff e Pratt, (2004) os cursos e programas on-line não foram feitos
para todo mundo. Por quê? Vamos refletir sobre isso.
Estudar sem a presença do professor e dos colegas desafia
o aluno a superar as suas limitações pessoais e a desenvolver sua
capacidade de aprender autonomamente, de aprender a aprender. Você
já pensou sobre isso? Você já se questionou sobre o quanto é desafiador
ser um estudante da EaD e quanto a ideia de ela ser uma modalidade de
ensino fácil não é correta?
Perceba que você tem um papel fundamental com relação à sua
aprendizagem e que, por isso, você é o protagonista nessa modalidade
de ensino.

Figura 5 – O aluno na educação a distância é o protagonista no processo de ensino e


aprendizagem.

Fonte: Freepik
Introdução à Ead 29

Na educação a distância, o aluno é o personagem principal no


processo de aprendizagem, pois toma a iniciativa e elabora um caminho
a ser seguido para apreender o que está previsto no currículo e no
cronograma da disciplina e desenvolver competências e habilidades
necessárias à sua formação.
Além das motivações já apresentadas que levam uma pessoa a
escolher a modalidade de ensino a distância, podemos apontar algumas
características do aluno da EAD:
• Está sozinho e, portanto, é responsável por gerir os seus estudos;
• Precisa de organização, dedicação, compromisso e disciplina
para dar conta de todas as tarefas propostas;
• Lê o conteúdo, assiste aos vídeos, participa dos fóruns e realiza
as atividades no seu ritmo (ao contrário do que acontece no ensino
presencial, em que o professor dá o ritmo a partir do coletivo) e, portanto,
pode voltar para reler o que não ficou claro, refazer os exercícios, planejar
suas interações;
• Interage com alunos e professores nos ambientes virtuais e,
portanto, deve saber de que maneira fazê-lo;
• Vai além do proposto pelo autor do material disponibilizado,
pois a partir do momento em que começa a estudar o conteúdo, tem
dúvidas e curiosidades e estar on-line lhe permite uma busca mais
rápida por respostas;
• Faz uma auto avaliação de como está sua compreensão do
conteúdo a partir da leitura e dos exercícios indicados e busca ajuda dos
tutores e professores quando acha necessário.
Perceba que o aluno assume para si a responsabilidade da sua
formação profissional de forma autônoma. Logo, o aluno se coloca como
sujeito do seu processo formativo, de apropriação e de construção do
seu conhecimento.

Professor
O professor conteudista é convidado a escrever o material didático,
bem como elaborar atividades para que o aluno consiga assimilar o
conteúdo referente à disciplina. O material didático é disponibilizado
30 Introdução à Ead

no ambiente virtual de aprendizagem, seguindo um cronograma


previamente agendado.
Ao elaborar o material didático, o professor conteudista pensa
também em estratégias de aprendizagem voltadas para a área da
Educação a distância e em quais recursos são pertinentes para cada
temática trabalhada.
O ideal é que o professor, nessa metodologia, tenha experiência
e conhecimento sobre EAD, pois a modalidade tem aspectos diferentes
e bem distintos de uma aula presencial e, portanto, o material didático
deverá obrigatoriamente seguir algumas diretrizes e referenciais.
As discussões, por exemplo, não são feitas pessoalmente entre
os alunos, portanto, o docente precisa pensar em como instigá-los, no
ambiente virtual e até mesmo no material didático, a pensar e debater os
assuntos mais importantes.
Algumas responsabilidades do professor do EAD podem ser
citadas:
• Planejar o seu conteúdo pensando sempre no perfil do aluno
que estudará a distância;
• Organizar o material de forma didática, estabelecendo uma
divisão hierárquica para apresentá-los;
• Junto com uma equipe multidisciplinar, transformar o conteúdo
em um material agradável para o aluno estudar, utilizando, além do texto,
recursos visuais ou sonoros que ilustrem e enriqueçam o conteúdo;
• Escrever o material de modo dialógico, linguagem utilizada na
EAD para que o aluno não se sinta isolado – ao mesmo tempo em que
o aluno está estudando sozinho, sabe que pode contar com o auxílio do
professor;
• Corrigir trabalhos e avaliações;
• Participar de fóruns, colaborando com as discussões;
• Estar atento à participação e progresso dos alunos no ambiente
virtual;
• Revisar e atualizar os materiais didáticos e atividades.
Perceba como, na educação a distância, o papel do aluno é tão
importante quanto o do professor.
Introdução à Ead 31

Tutor
O tutor é peça fundamental no acompanhamento do processo
de aprendizado dos alunos que estudam a distância. É ele que mantém
contato direto com os alunos, estimulando-os a realizar as leituras e
atividades e a participar dos fóruns, mediando as discussões propostas
pelo professor.
O trabalho do tutor, assim como o do professor, pode variar de
acordo com a instituição de ensino, mas é possível elencar algumas de
suas tarefas:
• Estabelecer contato direto com os alunos inscritos no curso;
• Lembrar os alunos das datas importantes no cronograma das
disciplinas do curso;
• Responder a dúvidas dos alunos referentes à utilização do AVA;
• Encaminhar dúvidas de alunos referentes a conteúdos para o
professor da área;
• Mediar as discussões nos fóruns;
• Incentivar os alunos que não estão acessando o AVA.
A interação dos alunos com os tutores e professores pode se dar
de maneira síncrona ou assíncrona, dependendo de cada ferramenta
utilizada para esse fim.
Os fóruns são ótimos canais de comunicação coletivos e,
geralmente, dentro deles, são destinados tópicos para as dúvidas dos
alunos. Assim, se um aluno posta no fórum uma dúvida que pode ser
também a de outro aluno, este não precisa perguntar novamente ao
tutor e professor, otimizando o tempo destinado aos estudos. Trata-se
de um recurso utilizado de maneira assíncrona porque a resposta não
é imediata – vai depender dos horários de trabalho de professores e
tutores. A vantagem é que, como todos os integrantes têm acesso a ele,
alguém que souber a resposta para a dúvida pode postá-la. O fórum
garante a construção coletiva do conhecimento, pois é um espaço
aberto para discussões e troca de ideias entre os participantes – além
de ser um importante instrumento de registro para o professor que, a
partir das dúvidas e comentários postados, poderá revisar e atualizar seu
material didático.
32 Introdução à Ead

Outra ferramenta de comunicação assíncrona é o e-mail, que


permite contato individual do aluno com o tutor, professor ou até mesmo
a coordenação. A desvantagem é que a dúvida pode demorar a ser
respondida.
Quantos às ferramentas síncronas existem dois exemplos que
são bastante utilizados na EAD, os chats e as web conferências. Para a
realização dos chats, combina-se um horário para que os participantes
do curso acessem o espaço de discussão a fim de tirar dúvidas ou
comentar sobre algum assunto que faz parte do conteúdo programático.
Muitas instituições contam com atendimento on-line via chat em vários
horários, possibilitando que os alunos sanem suas dúvidas de maneira
mais rápida. Esse tipo de atendimento se dá de forma individual – entre
tutor e aluno –, porém, os chats em grupo são mais interessantes por
ficarem disponíveis após seu encerramento; assim, quem não teve
condição de participar pode acessá-lo posteriormente.

Figura 6 – Chats e web conferências são importantes momentos para tirar dúvidas e trocar
experiências na EAD.

Fonte: Freepik
Introdução à Ead 33

Já a web conferência é uma oportunidade de o professor


apresentar-se aos alunos por meio de vídeo, o que contribui para
a sua aproximação, e pode ser o único momento em que se veem.
Normalmente, por conta do grande número de alunos, somente o
professor se mostra em vídeo. Porém, os alunos podem participar por
áudio ou texto (chat disponibilizado no momento da web conferência).
Trata-se de um encontro virtual realizado por meio de ferramentas
que permitem compartilhar textos, arquivos, áudios e vídeos. Ela pode
ser utilizada para se debater uma questão, para retomar conteúdos
importantes das aulas, como um momento de sanar dúvidas dos alunos,
ou ainda para revisar conteúdos antes de uma avaliação. Outra vantagem
da web conferência é que ela pode ser gravada para posterior consulta
pelos participantes de um curso.

RESUMINDO
Neste capítulo você pôde adentrar um pouco no mundo
da educação a distância, conhecendo as modalidades
de ensino, descobrindo como funciona um ambiente
virtual e quais são seus principais recursos e quem são os
componentes humanos da EAD – professor, tutor e aluno
–, entendendo o papel de cada um. Vimos também que
a mediação é fundamental para o sucesso dos estudos
nessa modalidade.
34 Introdução à Ead

Gerenciamento dos estudos na


modalidade EaD
OBJETIVO
Ao término deste capítulo você conhecerá os requisitos
técnicos e pessoais para estudar a distância. Isso é
importante para que você não tenha dificuldades durante
o curso. Muitos alunos acabam desistindo porque falta(m)
alguns desses recursos. Por isso, é essencial que você se
prepare nesse sentido!

O que é necessário para estudar a


distância?
Uma vez que estamos acostumados desde crianças a estudar
de um modo bastante tradicional, pode parecer até assustador ter de
mudar algumas práticas relacionadas aos estudos. Por exemplo: como
manter o foco na leitura do material didático quando se está em um
ambiente on-line? Essa é uma das principais justificativas para a falta
de comprometimento com os estudos na metodologia da EAD. “Não
consigo fazer as leituras ou assistir às videoaulas no computador nem no
celular porque a todo o momento aparecem notificações de mensagens
e eu não posso simplesmente ignorá-las”, dizem alguns dos estudantes.
Para dar conta de tudo isso, é fundamental que o aluno saiba
gerenciar os seus estudos. Muitos alunos não estão acostumados a isso,
pois passaram toda a vida escolar na dinâmica do ensino tradicional, em
que a escola ou o professor é que estabeleciam o que estudar, quando
estudar, de que forma estudar...
Mudar comportamentos é realmente difícil. Porém, se pararmos
para pensar em todos os pontos positivos da EAD que já citamos aqui,
poderemos encarar essa mudança como um desafio, algo que vai
realmente modificar até mesmo o modo como pensamos a educação.
Longe de querer competir com os livros de autoajuda, tentaremos,
ao menos, apresentar os requisitos mínimos para que você, aluno (a),
tenha sucesso nesta jornada que se inicia.
Introdução à Ead 35

Requisitos técnicos
Parece óbvio dizer que, para estudar a distância, o aluno precisa
de um aparelho que se conecte à internet: um computador, tablet ou
smartphone. Porém, nem todas as pessoas têm acesso a eles. Segundo
pesquisa do IBGE, a internet chega a três em cada quatro domicílios no
país.

ACESSE

Pesquisa do IBGE: https://bit.ly/39iOur3

Figura 7 – Os alunos do EAD podem estudar pelo celular.

Fonte: Freepik

O celular é hoje, o aparelho mais utilizado para acessar a internet.


Contudo, nem todos os alunos gostam de estudar no celular, seja pelo
tamanho da tela ou pela falta de recursos de que alguns não dispõem,
como leitores e editores de texto. Por isso, preferem utilizar tablets ou
computadores.
36 Introdução à Ead

Ainda que o aluno não tenha acesso a esses aparelhos, é provável


que em sua cidade ou perto dela haja os polos de ensino da instituição
em que está matriculado. Todo polo presencial de ensino precisa
disponibilizar aos alunos um laboratório de informática para garantir o
acesso aos materiais. Além disso, várias cidades possuem bibliotecas
públicas com computadores disponíveis.
Resumindo, para estudar a distância são necessários três
componentes: um dispositivo eletrônico com acesso à internet; um
navegador (Internet Explorer, Chrome, Firefox); e uma conexão com
internet (dependendo da velocidade de conexão, pode ser mais difícil
assistir a videoaulas). Munido desses três componentes, é só acessar o
AVA e iniciar os estudos!
Os ambientes virtuais de aprendizagem costumam ser bastante
intuitivos. Isso significa que a maioria dos alunos não apresenta
dificuldades para lidar com eles e, em caso de dúvidas, têm suporte da
equipe de Tecnologia da Informação e dos tutores para auxiliá-los no
que diz respeito a dúvidas sobre o software.
É desejado, também, que o aluno saiba utilizar algum navegador
e realizar pesquisas na internet. Para assistir às videoaulas e participar
de web conferências, talvez seja necessário um fone de ouvido ou um
microfone. As instituições de ensino podem indicar o que você precisa
ter como requisitos mínimos para conseguir acompanhar o curso a
distância no qual está matriculado.

Requisitos pessoais
É sabido que as pessoas aprendem de maneiras diferentes. Uns
absorvem melhor o conteúdo quando leem ou escrevem, alguns quando
assistem a vídeos, outros quando escutam áudios e há aqueles que
conseguem assimilar os conteúdos somente quando fazem atividades
práticas sobre o tema. São os chamados Estilos de Aprendizagem. Uma
das principais teorias acerca do tema divide os estilos em quatro: leitura/
escrita, visual, auditivo e cinestésico. Trata-se da Teoria VARK (sigla em
inglês para os nomes dos estilos: visual, auditive, reading, kinesthetic).
Introdução à Ead 37

Os estilos de aprendizagem são conceituados como


a preferência na forma como as pessoas recebem e
processam as informações sendo, portanto, habilidades
passíveis de serem desenvolvidas. Enquanto alguns
aprendizes tendem a focalizar mais os dados e programas,
outros conseguem aprender mais a partir de informações
verbais que tanto podem ser explicações orais ou escritas.
Há também quem prefira aprender por informações visuais
como figuras e esquemas, enquanto outras pessoas
se sentem mais confortáveis com teorias e modelos
matemáticos. Existem ainda os que preferem aprender as
informações de forma interativa, já outros indivíduos têm
uma abordagem mais introspectiva e individual na sua
forma de adquirir conhecimentos (SANTOS; MOGNON,
2010, p. 230)
De maneira resumida, podemos definir os quatro estilos de
aprendizagem a partir das características dos alunos que compõem
cada grupo:
Quadro 1– Estilos de aprendizagem

Recursos que
Estilo de
Características auxiliam a
aprendizagem
aprendizagem
Assimilam bem os
conteúdos lendo
ou escrevendo. Textos didáticos
Preferem listas, escritos, livros,
LEITURA/ESCRITA
livros e manuais. artigos, fóruns de
discussão.
Anotam tudo o que
o professor fala.

Assimilam bem
imagens, gráficos,
vídeos. Videoaulas, mapas
VISUAL conceituais,
Têm o costume infográficos, slides.
de desenhar sua
maneira de pensar.
38 Introdução à Ead

Assimilam bem
conteúdos que
escutam por meio Videoaulas,
de áudios ou podcasts, aulas
AUDITIVO quando alguém presenciais,
está lhe falando. palestras.
Preferem ouvir em
vez de anotar.
Assimilam
o conteúdo
colocando-o em Atividades práticas
prática. como questionários,
CINESTÉSICO
Fazem anotações jogos, objetos de
de acordo com seu aprendizagem.
raciocínio, indicando
exemplos práticos.
Fonte: Adaptado de Santos e Mognon (2010)

O ensino a distância apresenta diversos recursos para atender


a esses diferentes estilos de aprendizagem. Se você souber qual é o
seu estilo, poderá fazer uso desses recursos a seu favor. Há que se
considerar, também, que uma pessoa pode combinar estilos, o que
torna suas possibilidades de retenção do conteúdo ainda maiores.

SAIBA MAIS
Para descobrir qual é seu estilo de aprendizagem, busque
pelos testes VARK disponíveis na internet.

Gerenciando a autoaprendizagem
Outro ponto importante na gestão dos seus estudos é o
planejamento. Hoje existem diversas formas de organizar as tarefas
diárias. Utilizando a conhecida agenda de papel ou uma agenda digital,
o importante é que você não se esqueça de inserir datas importantes e
elabore um cronograma de estudos.
Introdução à Ead 39

Figura 8 – Gerenciar o tempo é fundamental para o aluno da EAD.

Fonte: Freepik

Muitos ambientes virtuais possuem aplicativos que enviam


lembretes de início e fim de prazo das unidades ou tarefas, o que auxilia
muito os estudantes que costumam esquecer-se de acessar o AVA.
Por mais incrível que pareça, essa é uma das justificativas para a não
realização das atividades on-line e evasão dos cursos a distância: “eu
esqueci”. Portanto, se você acha que isso pode acontecer, antecipe-
se, encontrando uma maneira de lembrá-lo, seja utilizando post-its ou,
programando sua agenda no celular.
Se você não tem essa disciplina para os estudos, pode ter
certeza de que é uma das habilidades que vai adquirir realizando as
tarefas propostas na EAD. E ela não auxiliará somente nos estudos, mas
também no planejamento de outros contextos de sua vida, pois acaba
por se tornar um hábito.
O prazo é algo extremante sério nos cursos ofertados a distância.
Assim como temos prazos para entregar documentos, realizar
solicitações, horários definidos para comparecer aos compromissos,
também na EAD existem regras. Quando é solicitada ao aluno a produção
de um texto, já está estabelecida a sua data de entrega. É muito comum
40 Introdução à Ead

os alunos deixarem para realizar a atividade no último dia – ou pior, na


última hora –, o que pode comprometer seriamente a qualidade do
trabalho.
Dessa forma, é imprescindível que haja, por parte do aluno, auto-
organização e disciplina. Existem muitos recursos que ajudam nesse
sentido. Eis algumas dicas:
• Construa um cronograma e divida-os dias em: dias para estudo
e dias para realização das atividades.
• Nos dias de estudo, faça a leitura do material e assista às
videoaulas com calma, voltando sempre que necessário. Pesquise na
internet sobre pontos específicos que não entendeu ou em que deseja
se aprofundar.
• Nos dias de atividades, tente realizá-las, em um primeiro
momento, sem consultar os materiais, para verificar o que realmente
foi assimilado. Depois, faça as consultas e realize as atividades com
empenho.
• Evite distrações que possam atrapalhar seus estudos.
Pesquise técnicas para isso, como estudar durante um período e fazer
pequenas pausas (existem plug-ins que bloqueiam as redes sociais por
determinado tempo, por exemplo).
• Elabore um resumo em forma de texto, vídeo, áudio, infográfico
ou apresentação em slides ao finalizar o estudo de cada unidade.
• Aproveite os espaços colaborativos do ambiente virtual para
trocar ideias e solicitar auxílio, bem como auxiliar aqueles que precisam.

SAIBA MAIS
Você conhece a técnica Pomodoro? Pesquisas apontam
que estudar/trabalhar por muitas horas ininterruptamente
é menos produtivo que combinar momentos curtos de
concentração com pequenas pausas. Leia a notícia que
trata do tema: https://bit.ly/3dyegLs
Introdução à Ead 41

RESUMINDO
Neste capítulo você aprendeu que é fundamental planejar
seus estudos para obter sucesso nos cursos ofertados a
distância. Existem alguns requisitos básicos técnicos aos
quais você deve estar atento antes de iniciar esse caminho
e outros requisitos pessoais, tais como organização,
disciplina e gestão do tempo. Se você ainda não possui
essas habilidades, agora é a hora de trabalhar para alcançá-
las!

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)


OBJETIVO
Ao final deste capítulo, você conhecerá diversas
funcionalidades do ambiente virtual de aprendizagem
que auxiliam tanto o professor, na disponibilização dos
conteúdos e atividades, como os alunos, em seus estudos
e compreensão. É fundamental que você conheça e utilize
essas funcionalidades para ter aproveitamento total no
curso.

Acesso ao material
Você já sabe o que é um ambiente virtual de aprendizagem. Agora
vai conhecer alguns recursos disponibilizados dentro dele. Vamos lá?
Ao entrar pela primeira vez em um ambiente virtual de
aprendizagem, o estudante vai se deparar com uma organização prevista
dos conteúdos a serem estudados. Se estiver matriculado em uma
graduação, por exemplo, haverá um módulo contendo determinadas
disciplinas, que vai cursar em um período estabelecido pela instituição
de ensino. Algumas instituições disponibilizam o módulo completo, com
todas as disciplinas, de uma só vez, para que o aluno faça sua própria
gestão do tempo. Porém, o mais comum é que as disciplinas sejam
disponibilizadas ao longo dos meses, com um período estabelecido
42 Introdução à Ead

para o aluno cursar cada uma delas, o que auxilia os discentes nesse
planejamento.
Dentro de cada disciplina, o aluno poderá encontrar os conteúdos
divididos em unidades ou capítulos. É extremamente importante que ele
esteja atento às datas de realização de atividades e entrega de trabalhos,
para que não estude de forma “atropelada” na véspera do encerramento
de uma unidade, por exemplo.
O acesso ao conteúdo geralmente se dá por meio de textos
escritos e disponibilizados em pdf, e-books ou diretamente dentro dos
módulos, sem haver necessidade de realizar o download do material.
No ensino a distância é muito comum que os conteúdos
não fiquem somente na linguagem verbal, mas que existam outras
linguagens utilizadas para facilitar a compreensão dos alunos, tais como
videoaulas, podcasts, infográficos, mapas conceituais, objetos interativos
de aprendizagem, jogos educativos, entre outros. Isso é essencial para
atender aos mais variados perfis de alunos que procuram a EAD.

Fóruns de discussão
Os fóruns são espaços ideais para a promoção de discussões
acerca dos temas estudados. Esse espaço, mediado pelo professor ou
tutor, é destinado à troca de informações e opiniões entre os estudantes.
É uma oportunidade de conhecer as pessoas que estão no mesmo curso
e que, muitas vezes, apresentam expectativas comuns. Permitem iniciar
um diálogo que pode ir além do fórum, dependendo dos objetivos de
cada um. Para os alunos que se sentem sozinhos ao estudar a distância,
são excelentes momentos de troca.
Conforme explicita Valenza (2017, p. 6), os fóruns:
[...] são importantes canais de comunicação e discussão
entre professores e alunos no ensino a distância e permitem
trabalhar diversas habilidades esperadas em um estudante
da EAD. Uma atividade proposta nessa ferramenta pode
buscar um ponto possível de debate nos conteúdos para
que inscritos discutam questões relevantes, proponham
soluções para os problemas apresentados e, juntos,
aprimorem suas práticas. Além disso, sabe-se que
Introdução à Ead 43

trabalhar em equipe é sempre uma experiência construtiva.


Em ambientes virtuais, esses momentos também têm
como função aproximar os alunos que estão fisicamente
separados.
Geralmente, os fóruns são utilizados para a discussão, sem que o
professor avalie a participação dos alunos. Contudo, é possível realizar
produções textuais e atribuir a elas nota, dependendo das características
e objetivos da disciplina, desde que os critérios de avaliação estejam
bem explícitos.
Para Faria e Souza (2013, p. 1.185) apud Valenza (2017, p. 6):
O fórum é uma poderosa interface para se proceder à
prática avaliativa por promover o diálogo, o que, por sua
vez, possibilita uma avaliação na dimensão dialógica. Nesse
sentido, a avaliação “não é um momento nem uma atividade
pontual dos processos de ensino e de aprendizagem, mas
um processo entrelaçado e intrinsecamente ligado aos
demais” (KRATOCHWILL, 2010 p. 4). Primo (2006) defende
que uma educação dialógica e problematizadora deve se
organizar considerando o contexto de desenvolvimento
dos alunos.
A principal atividade em grupo disponível no ambiente virtual
é o fórum de discussão. Contudo, existem outras ferramentas que
possibilitam a construção coletiva de texto, a depender de cada ambiente
virtual. As atividades em grupo, conforme lembra Palange (2009, p. 382),
[...] permitem ao aluno a interação com companheiros
e com o professor na discussão das atividades e nas
alternativas originais de solução. Nas atividades em
grupo é possível incorporar diferenças, assumir histórias,
abrindo a possibilidade da pluralidade e permitindo
que as diferenças possam adquirir novos significados. É
muito comum que nas atividades em grupo surjam novas
situações-problemas que são discutidas por todos daquele
grupo do qual o professor se torna mais um participante.
44 Introdução à Ead

Atividades de fixação do conteúdo


Um recurso extremamente importante no processo de
aprendizagem do aluno são as questões objetivas, pois auxiliam na
fixação do conteúdo trabalhado na aula. Nesse modelo de questão, o
professor cadastra a pergunta e as alternativas, bem como a resposta
correta e um comentário que a explica. Dessa forma, o aluno pode
verificar o quanto compreendeu daquilo que leu e estudou, fazendo
também uma auto avaliação de sua prática de estudo.
As questões de múltipla escolha são as mais utilizadas, contudo, há
outros modelos, como associação, verdadeiro ou falso, preenchimento
de lacunas etc. São disponibilizadas em grupos, aos quais se dá o nome
de questionário ou quiz. O sistema pode ser programado para sortear
questões, de modo que os questionários sejam diferentes para os
alunos, apresentando as respostas corretas e o texto de comentário logo
após o encerramento do questionário, dentre outras possibilidades. Isso
vai depender do planejamento do professor. Por exemplo: ele pode fazer
uma avaliação com questões objetivas e não disponibilizar as respostas
até que todos encerrem o questionário. Ele também pode separar as
questões por níveis de dificuldade e programar o questionário de modo
que sorteie um número x de questões fáceis, de nível intermediário ou
difíceis, para que a avaliação seja justa entre todos os participantes.
Além das questões objetivas, os alunos podem responder
a questões discursivas. Nesse modelo, há uma pergunta ou um
direcionamento elaborado pelo professor e uma caixa de texto em
que o aluno redigirá sua resposta. Esse tipo de questão exige correção
manual por parte do professor ou tutor. O professor geralmente deixa
orientações à tutoria do que espera como resposta, ou estabelece
critérios de avaliação.
Nos ambientes virtuais, o professor tem acesso, por meio de
relatórios e gráficos, a informações como: quanto tempo cada aluno
levou para responder às questões; quais foram as questões que os alunos
mais acertaram ou erraram – importante dado para verificar problemas
na elaboração das atividades ou revisar o material didático; quais turmas
(no caso de haver mais de uma) apresentaram desempenho melhor;
qual foi a nota de cada aluno e a média geral; entre outras.
Introdução à Ead 45

Produções textuais
É muito comum na EAD que sejam solicitadas atividades em
formato de texto, geralmente avaliativas. Podem ser produções textuais
simples ou mais elaboradas, como artigos acadêmicos. Existem,
basicamente, duas formas de entregar um texto: redigi-lo dentro de
uma caixa de texto, o que, em alguns ambientes virtuais, é chamado
de texto on-line – já que é necessário estar on-line para escrever –, ou
fazer upload do texto em formato Word ou pdf – nesse caso, o aluno
pode redigir o texto independentemente de estar conectado à internet,
necessitando dela somente para fazer o upload.

Figura 9 – Conhecer cada recurso do AVA é fundamental para ter um bom aproveitamento
dos conteúdos ofertados.

Fonte: Freepik
46 Introdução à Ead

A avaliação desses textos, assim como nas questões discursivas,


depende de critérios preestabelecidos pelo professor. O processo
avaliativo na educação a distância costuma ser bastante diferente
daquilo com que o professor está acostumado no ensino presencial.
Como lembra Ferreira (2013, p. 1.197),
[...] os professores devem ter uma postura de constante
reflexão e diálogo diante da avaliação, transformando-a um
processo de investigação, no qual o erro e as diferenças
sejam compreendidas como alguns passos na construção
do conhecimento. Assim, nesta modalidade, o erro pode
ser muito mais revelador do que quando comparado ao
ensino presencial. Através dele o professor pode chegar a
possíveis problemas no material didático, a inconsistências
nas ferramentas de avaliação e até mesmo em problemas
organizacionais da instituição de ensino.
Perceba que é essencial que você se aproprie dos recursos do AVA
e das suas funcionalidades. Como também adquira o hábito da leitura e
da escrita para que obtenha êxito na produção dos trabalhos acadêmicos
que lhe serão solicitados. Saiba que, os recursos tecnológicos e as
facilidades que temos ocasionadas por eles facilitam e muito o nosso
aprendizado, mas é importante que os alunos desta modalidade estejam
cientes que a produção textual será um dos aspectos fundamentais para
que alcance o proveito no seu aprendizado.

RESUMINDO
Neste capítulo você conheceu um pouco mais das
funcionalidades de um ambiente virtual: como acessar os
materiais, quais são os tipos de atividade possíveis, como
se dá a avaliação no EAD. A partir de agora, você está
pronto para lidar com tudo de melhor que um ambiente
virtual oferece!
Introdução à Ead 47

Recursos variados para auxílio nos


estudos
OBJETIVO
Ao final deste capítulo, você conhecerá recursos que,
dentro ou fora dos ambientes virtuais, auxiliam os alunos
no entendimento e fixação dos conteúdos trabalhados.
Muitos alunos não aproveitam a oportunidade de conhecer
várias maneiras de estudar. Não seja um deles! Certamente
você vai se surpreender e gostar de estudar utilizando os
recursos que vamos mostrar aqui.

Muitas informações e diversas maneiras


de acessá-las
O acesso à informação que temos hoje é algo que não era
possível imaginar há alguns anos atrás. Enquanto, há poucas décadas,
procurávamos por verbetes em enciclopédias – as quais eram atualizadas
e reimpressas todo ano – hoje basta digitar o início de uma palavra em
um buscador no navegador e temos como resposta um mundo de
resultados.
Faça o teste: digite “educação” e conte quantas sugestões de
busca são indicadas imediatamente. Temos até dificuldade de lidar com
tanta informação, não é mesmo? Qual é o melhor resultado para a minha
busca? Qual é a melhor resposta para a pergunta que digitei, dentre as
centenas, os milhares de resultados? Fica até difícil de decidir! E esse é
um ponto que devemos levar em conta quando estamos estudando a
distância. Pois em algum momento vamos nos deparar com um grande
número de artigos, livros, notícias, e saber escolher a melhor fonte é
algo extremamente importante.
Agora, vamos conhecer alguns dos recursos que podem auxiliar
os estudos e como escolher os mais pertinentes?
48 Introdução à Ead

Livros
Os materiais didáticos disponibilizados no AVA são escritos a partir
de pesquisas feitas pelos professores conteudistas. Esta é a primeira
dica quando se deseja procurar fontes confiáveis para aprofundar os
estudos: consulte a bibliografia da disciplina ou as referências utilizadas
pelo professor ao escrever o material (a lista geralmente vem ao final de
cada unidade). Certamente lá estarão as mais importantes e atualizadas
obras sobre o assunto. Existem livros clássicos sobre os conteúdos
abordados em cada disciplina, os quais o professor conteudista tem o
dever de apresentar aos alunos.
Observe ao final desta unidade que utilizamos, sobretudo, obras
cujo tema principal é a educação a distância. Não poderia ser diferente,
já que estamos tratando dessa modalidade de ensino e apresentando
suas características.
Antes de comprar algum livro em seu formato físico, verifique
se não está disponível na biblioteca virtual ou na biblioteca física da
instituição ou polo de ensino ao qual você está vinculado.
É possível, também, que esteja disponível para download na
internet, como é o caso da obra mais importante que temos no Brasil a
respeito da EAD, “Educação a distância: o estado da arte”, organizada por
LITTO e FORMIGA (2009/2012).

ACESSE

Os dois volumes da obra estão disponíveis para consulta e


download em: https://bit.ly/2UlyRec
É costume da comunidade científica que produz material
sobre EAD o compartilhamento de informações. Portanto,
torna-se fácil encontrar textos sobre o tema na rede.

Artigos
Os artigos publicados em revistas científicas constituem uma
excelente e confiável fonte de consulta e possibilitam o acesso aos
estudos mais recentes sobre o assunto em que se deseja aprofundar.
Introdução à Ead 49

Mesmo as revistas impressas possuem versão on-line para consulta e


ainda existem as revistas publicadas exclusivamente em formato digital.
Ao contrário dos livros, que tratam de assuntos mais abrangentes,
os artigos se debruçam sobre temas mais específicos. Trata-se de
um afunilamento dentro de uma determinada área do estudo para
quem deseja se aprofundar em um ponto específico. Observe na lista
de referências ao final desta unidade, que foram utilizados diversos
artigos como fontes de consulta. Os que estão disponíveis on-line
foram indicados junto com um link de acesso – por exemplo, o artigo
“Novas tecnologias e educação: a evolução do processo de ensino e
aprendizagem na sociedade contemporânea”, de SILVA e CORREA,
publicado na revista Educação e Linguagem
(disponível em: <https://bit.ly/2Jnl8NC>).

Vídeos
Os vídeos são recursos que combinam texto oral e/ou escrito com
linguagem audiovisual e existem em variados formatos de produção,
podem ser muito curtos até muito longos, conter muitos cortes ou
nenhum corte, podem ser produzidos por pessoas especializadas ou de
modo amador, até mesmo utilizando-se o celular.
As videoaulas são bastante utilizadas para atender principalmente
às expectativas daqueles alunos que não abrem mão do formato
tradicional do professor em frente da sala explicando os conteúdos,
de preferência utilizando o quadro negro ou apresentação em slides
para apresentar conceitos-chave ou deixar claro o seu roteiro de aula. A
diferença é que esta aula é gravada em estúdio, previamente roteirizada
para que tenha uma duração específica e dê conta de todo o conteúdo
previsto, que é apresentado de maneira exclusivamente expositiva.
Nesse formato de aula não há interação com o aluno, portanto, não é
exatamente uma reprodução do que acontece numa aula presencial.
Muitos alunos só conseguem assimilar o conteúdo assistindo a
videoaulas ou vídeos explicativos sobre o tema; já outros não aguentam
ver nem um minuto de vídeo. Isso é muito pessoal e depende também
do estilo de aprendizagem de cada um, como já falamos anteriormente.
Mas não se pode negar que hoje é muito fácil encontrar vídeos dos mais
50 Introdução à Ead

variados temas e que eles resolvem muitas dúvidas de maneira bastante


didática. Para confirmar, basta fazer uma simples busca no YouTube,
iniciando a frase com as palavras “como consertar um...”. Você vai se
surpreender com os resultados!
Para exemplificar, assista ao vídeo “Como aprender melhor e mais
fácil”, do Canal Nerdologia: https://bit.ly/39kePoJ

Podcasts
Podcast é um arquivo de áudio, de tamanho menor que o do
vídeo, o que facilita seu acesso e download. Muitas pessoas preferem
ouvir podcasts a assistir a vídeos, pois não precisam estar em frente à
tela para ter acesso a todo o conteúdo. Podem ouvir o arquivo enquanto
realizam outras tarefas, como quando estão no trânsito, seja dirigindo ou
no transporte público.
Existem podcasts sobre os mais variados temas e, se você é
falante de outra(s) língua(s), a lista aumenta consideravelmente. Você
pode baixar um arquivo individual sobre um tema que lhe interesse
ou assinar um podcast e ser avisado toda vez que um novo episódio é
disponibilizado na rede.

SAIBA MAIS
Existem muitos podcasts e uma busca na internet por temas
de seu interesse pode ajudar. Mas antes, confira essas duas
dicas de podcasts, um sobre temas relacionados a ciência
e pesquisa e outro sobre política:
http://www.ufrgs.br/frontdaciencia/.
https://xadrezverbal.com/tag/podcast/.

Quando é prevista a produção de um podcast para ser


disponibilizado aos alunos em um AVA, geralmente ele traz temas
relevantes sobre o conteúdo trabalhado ou um resumo da aula. Pode
ser gravado pelo professor conteudista, pelo tutor ou ter o formato de
entrevista com algum especialista da área.
Introdução à Ead 51

Imagens e infográficos
As imagens servem para ilustrar conteúdos trabalhados na aula.
Também podem servir como ponto de partida para uma problematização.
Os infográficos apresentam informações relevantes sobre
determinado conteúdo, utilizando linguagem verbal (textos concisos) e
não verbal (imagens ou símbolos). Trata-se de uma síntese ilustrativa de
um tema que não pretende esgotar o assunto, mas apresentar pontos
específicos, como conceitos, números relevantes, entre outros.
São bastante utilizados em revistas e jornais e facilmente
encontrados na internet.

Mapas conceituais
Um mapa conceitual é uma apresentação gráfica que auxilia na
organização das ideias a respeito de determinado assunto. Assim como
o infográfico, traz as informações de maneira esquematizada.
Nesta e em outras unidades você terá a oportunidade de conhecer
– se já não conhece – um mapa conceitual.

Figura 10 – Exemplo de um Mapa Conceitual

Fonte: Material didático da disciplina Educação Infantil (2020)


52 Introdução à Ead

Objetos de aprendizagem
São conteúdos interativos a respeito de determinado assunto que
utilizam imagens, textos, vídeos, áudios, animações para explicá-lo. São
usados, geralmente, para complementar e propiciar aprofundamento de
assuntos tratados na aula.

Jogos educativos
Existem diversos jogos digitais elaborados para ensinar ou
reforçar um determinado tema. No ambiente da educação, são bastante
utilizados os jogos cooperativos, em que o grupo tem um objetivo em
comum.
A depender do conteúdo que está sendo trabalhado em uma
unidade de estudo, você poderá utilizar esses recursos para auxiliá-lo
a entender algo que não ficou muito claro ou aprofundar algum ponto
que despertou seu interesse. Se você parar para pensar, já fazemos
isso diariamente: quando estamos em dúvida sobre uma palavra, um
conceito, uma declaração dada por alguém conhecido do público, um
assunto que está sendo comentado pelas pessoas... Para isso, basta
uma simples busca em um site de pesquisa e você tem acesso a uma
gama de resultados que trazem a resposta nos mais variados formatos:
uma notícia de jornal, um vídeo explicativo, uma imagem. Agora é
hora de trazer essa prática também para o contexto dos estudos. Não
deixe de buscar, pesquisar, se aprofundar. Lembre-se: você, aluno (a),
é o protagonista nessa modalidade pela qual decidiu se aventurar: a
educação a distância.
Introdução à Ead 53

RESUMINDO
Neste capítulo você conheceu alguns recursos que podem
auxiliar nos estudos na modalidade a distância: livros,
artigos, vídeos etc. É muito comum que vários deles já
estejam previstos no próprio material didático de uma
disciplina ofertada em EAD, mas você também pode contar
com uma busca na internet para ter acesso a eles. Só não
se esqueça de sempre optar por fontes confiáveis! Bons
estudos!
54 Introdução à Ead

BIBLIOGRAFIA
ABED – Associação Brasileira de Educação a Distância. Censo EAD.BR: relatório
analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2018. Curitiba: InterSaberes,
2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996.


Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www.
planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 4 mar. 2020.

ALVES, J. R. M. A história da EAD no Brasil. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (Orgs.).


Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil,
2009. v. 1. p. 9-13.

BIANCO, N. R. del. Aprendizagem por rádio. In: FORMIGA, M. A terminologia da


EAD. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da
arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009. v. 1. p. 56-64.

CAMILLO, C. M. Blended learning: uma proposta para o ensino híbrido. EaD e


Tecnologias Digitais na Educação, Dourados, v. 5, n. 7, p. 64-74, 2017.

CETIC.BR. TICs Domicílios. Disponível em: <https://www.cetic.br/pesquisa/


domicilios/>. Acesso em: 4 mar. 2020.

DIAS, L. R. Inclusão digital como fator de inclusão social. In: BONILLA, M. H. S.;
PRETTO, N. D. L. (Orgs.). Inclusão digital: polêmica contemporânea Salvador:
EDUFBA, p. 61-90, 2011. Disponível em: <http://books.scielo.org/id/qfgmr/
pdf/bonilla-9788523212063-05.pdf>. Acesso em: 4 mar. 2020.

FERREIRA, Leticia Palhares. Avaliação no ensino a distância: possibilidades e


desafios. 2013. V Seminário Educacional de Educação a Distância. Disponível
em: <https://www.ufmg.br/ead/seminario/anais/pdf/Eixo_6.pdf>. Acesso em:
16 out. 2016.

FORMIGA, M. A terminologia da EAD. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (Orgs.).


Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil,
Introdução à Ead 55

2009. v. 1. p. 39-46.

LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. 2. ed.


São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012. v. 2.

LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São


Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009. v. 1.

LONGO, C. R. J. A EAD na pós-graduação. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (Orgs.).


Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil,
2009. v. 1. p. 215-222.

LORENZONI, M. Sala de aula invertida: o que muda no trabalho do professor?


Disponível em: <https://www.geekie.com.br/blog/sala-de-aula-invertida/>.
Acesso em: 5 mar. 2020.

PALANGE, Ivete. Os métodos de preparação de material para cursos on-line.


In: LITTO, Fredric M.; Formiga, Marco (Orgs.). Educação a distância: o estado da
arte. São Paulo: Pearson, 2009. v. 1. (p. 379-385).

PALHARES, R. Aprendizagem por correspondência. In: LITTO, F. M.; FORMIGA,


M. (Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education
do Brasil, 2009. v. 1. p. 48-55.

SANTOS, A.; MOGNON, J. Estilos de aprendizagem em estudantes universitários.


Boletim de Psicologia, 2010, v. LX, n. 133, p. 229-241, 2010.

SILVA, R. F. da.; CORREA, E. S. Novas tecnologias e educação: a evolução do


processo de ensino e aprendizagem na sociedade contemporânea. Educação
e Linguagem, São Paulo, ano 1, n. 1, p. 23-35, 2014. Disponível em: <https://
fvj.br/revistaxwp-content/uploads/2014/12/2Artigo1.pdf>. Acesso em: 4 mar.
2020.

TORI, R. Cursos híbridos ou blended learning. In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M.


(Orgs.). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education
do Brasil, 2009. v. 1. p. 121-128.
56 Introdução à Ead

VALENZA, G. M. Gestão da avaliação em ambientes virtuais: as produções


textuais em fóruns de discussão. Trabalho de conclusão de curso (Especialização
em Gestão Estratégica em EAD). São Paulo, Centro Universitário Senac, 2017.
Introdução à Ead 57