Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE

FACULDADE DE DIREITO - EXTENSÃO DE NACALA

NOME DO ESTUDANTE:

ANO DE FREQUÊNCIA: TURMA:

EXAME DE DIREITO ADMINISTRATIVO I

Caso prático.

1. No caso em apreço, atribuição de bolsas tinha que ser procedido por um concurso
público dispõe o artigo 8 do decreto nr. 11/2018, de 12 de Maio. Não havendo, o
anúncio do concurso nota-se há violação do princípio da legalidade, visto que na
actuação das autarquias locais, devem obediência a lei e as demais normas
constitucionais, dispõe o artigo 248 conjugado o artigo 286 da CRM.

Nesta senda, a Berta devia tomar conhecimento através de concurso e não tipo pelo tio
que é vereador, nesta senda verifica-se que violei-te o princípio da igualdade, porque
segundo Prof. Diogo Freitas do Amaral, as autarquias locais devem tratar igualmente os
munícipes que encontram em situação objectivamente idêntica, dispõe o artigo 6 da
Lei nr. 14/2011, de 10 de Agosto.

No que concerne ao orçamento, a Assembleia Municipal não pode propor a construção


de 40 casas, enquanto, o município havido dado a proposta porque a Assembleia
Municipal é incompetente para o efeito, dispõe o artigo 62 da Lei nr. 2/97, de 18 de
Fevereiro.

O presidente do município, pode delegar poderes visto que a delegação de poderes


consiste num instrumento de difusão do poder de decisão uma organização pública, que
repousa na iniciativa dos órgãos superiores (FREITAS, Diogo: p. 245). Nesta senda, o
Presidente pode delegar poderes, porque existe uma previsão legal nesse sentido, dispõe
artigo 42 da Lei nr. 14/2011, de 10 de Agosto conjugado com artigo 63 nr. 1 da Lei nr.
2/97, de 18 de Fevereiro, concluindo-se que não nenhuma restrição o efeito.
No caso em aprecio, é de salientar que é requisito para delegação de poderes, a
publicação desta no Boletim da autarquia, e não o boletim da República, dispõe o artigo
44 nr. 2, 2a parte da Lei nr. 14/2011, de 10 de Agosto.

Sob outra perspectiva, é de referir que se for que vereador é de carácter permanente,
este pode acumular funções ou dirigir os dois pelouros, dispõe o artigo 51 nr. 4 da Lei
2/97, de 18 de Fevereiro.

Face ao indeferimento pode recorrer às garantias dos particulares para impugnar o acto,
que no em apreço, recurso hierárquico, dispõe o artigo 153 nr. 1 da Lei nr. 1r/2011, de
10 de Agosto.

O presidente do município, não pode cortar o trânsito em determinadas ruas e avenidas,


o que pode fazer é criar uma postura camarária que vai consistir no impedimento de
circulação de viaturas e veículos pesados, porque há previsão legal desse lado, dispõe o
artigo 56 nr. 1 al. p) da lei nr. 2/97, de 18 de Fevereiro.

No âmbito das autarquias locais, estas não tem competência de criar uma universidade,
dispõe o artigo 56 nr.1 da Lei nr. 2/97,de 18 de Fevereiro. Mas sim, este acto é da
competência do governo através do órgão que superintende a área da educação e ensino
superior.

Se Assembleia Municipal reuniu com a metade dos seus membros, é legítimo que, pois,
a lei preconiza que no artigo 42 nr. 1 al. b) da Lei nr. 2/97, de 18 de Fevereiro. Logo,
está reunião obedeceu o formalismo legal.

Por último, referir que a Assembleia Municipal é dissolvida pelos membros que a
constitui, dispõe artigo 289 nr.2 da CRM conjugado com artigo 35 da lei nr. 2/97, de 18
de Fevereiro. Logo, apesar do Estado exercer a tutela administrativa nas autarquias
locais, dispõe artigo 272 da CRM. Nesta senda, o primeiro-ministro é incompetente para
dissolver a Assembleia Municipal, dispõe o artigo 163 da CRM.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, Constituição da República, (2018) in


Boletim da República, I serie nº 115 de 12 Junho de 2018.
 REPÚBLICA DE MOCAMBIQUE, Código Civil de Moçambique, Plural
Editores, Maputo.
 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE, lei nº 14/2011, de 10 de Agosto, Normas de
Defesa de Direitos e Interesses dos Particulares in boletim da República I serie
32, de 10 de Agosto;
 DO AMARAL, Diogo Freitas do Amaral, Curso de Direito Administrativo,
Volume II, 3ª edição, Almedina, Coimbra, 2016.
 DO AMARAL, Freitas do Amaral, Direito Administrativo, Volume III, Lisboa,
1989.