Você está na página 1de 4

N-2135 REV.

B DEZ / 2002

DETERMINAÇÃO DA
ESPESSURA DE PELÍCULAS
SECAS DE TINTAS

Método de Ensaio
Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior.
Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação
do texto desta Norma. O Órgão da PETROBRAS usuário desta Norma é o
responsável pela adoção e aplicação dos seus itens.

Requisito Técnico: Prescrição estabelecida como a mais adequada e que


CONTEC deve ser utilizada estritamente em conformidade com esta Norma. Uma
eventual resolução de não segui-la ("não-conformidade" com esta Norma) deve
Comissão de Normas ter fundamentos técnico-gerenciais e deve ser aprovada e registrada pelo
Técnicas Órgão da PETROBRAS usuário desta Norma. É caracterizada pelos verbos:
“dever”, “ser”, “exigir”, “determinar” e outros verbos de caráter impositivo.

Prática Recomendada: Prescrição que pode ser utilizada nas condições


previstas por esta Norma, mas que admite (e adverte sobre) a possibilidade de
alternativa (não escrita nesta Norma) mais adequada à aplicação específica. A
alternativa adotada deve ser aprovada e registrada pelo Órgão da
PETROBRAS usuário desta Norma. É caracterizada pelos verbos:
“recomendar”, “poder”, “sugerir” e “aconselhar” (verbos de caráter
não-impositivo). É indicada pela expressão: [Prática Recomendada].
Cópias dos registros das “não-conformidades” com esta Norma, que possam
contribuir para o seu aprimoramento, devem ser enviadas para a
SC - 14 CONTEC - Subcomissão Autora.

Pintura e Revestimentos
As propostas para revisão desta Norma devem ser enviadas à CONTEC -
Anticorrosivos
Subcomissão Autora, indicando a sua identificação alfanumérica e revisão, o
item a ser revisado, a proposta de redação e a justificativa técnico-econômica.
As propostas são apreciadas durante os trabalhos para alteração desta Norma.

“A presente Norma é titularidade exclusiva da PETRÓLEO BRASILEIRO


S.A. – PETROBRAS, de uso interno na Companhia, e qualquer reprodução
para utilização ou divulgação externa, sem a prévia e expressa autorização
da titular, importa em ato ilícito nos termos da legislação pertinente,
através da qual serão imputadas as responsabilidades cabíveis. A
circulação externa será regulada mediante cláusula própria de Sigilo e
Confidencialidade, nos termos do direito intelectual e propriedade
industrial.”

Apresentação
As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas por Grupos de Trabalho
- GTs (formados por especialistas da Companhia e das suas Subsidiárias), são comentadas pelas
Unidades da Companhia e das suas Subsidiárias, são aprovadas pelas Subcomissões Autoras - SCs
(formadas por técnicos de uma mesma especialidade, representando as Unidades da Companhia e
as suas Subsidiárias) e homologadas pelo Plenário da CONTEC (formado pelos representantes das
Unidades da Companhia e das suas Subsidiárias). Uma Norma Técnica PETROBRAS está sujeita a
revisão em qualquer tempo pela sua Subcomissão Autora e deve ser reanalisada a cada 5 anos para
ser revalidada, revisada ou cancelada. As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas em
conformidade com a norma PETROBRAS N - 1. Para informações completas sobre as Normas
Técnicas PETROBRAS, ver Catálogo de Normas Técnicas PETROBRAS.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 3 páginas e Índice de Revisões


N-2135 REV. B DEZ / 2002

PREFÁCIO

Esta Norma PETROBRAS N-2135 REV. B DEZ/2002 é a Revalidação da norma


PETROBRAS N-2135 REV. A AGO/97, não tendo sido alterado o seu conteúdo.

1 OBJETIVO

1.1 Esta Norma tem por objetivo determinar a espessura de películas secas de tintas
aplicadas em instalações terrestres e marítimas, segundo as recomendações da norma
PETROBRAS N-13.

1.2 Esta Norma se aplica a métodos iniciados a partir da data de sua edição.

1.3 Esta Norma contém somente Requisitos Técnicos.

2 DOCUMENTO COMPLEMENTAR

O documento relacionado a seguir é citado no texto e contém prescrições válidas para a


presente Norma.

PETROBRAS N-13 - Aplicação de Tinta.

3 APARELHAGEM

3.1 Instrumentos para medição da espessura de película seca de tintas com as seguintes
faixas de medição:

a) 0 µm a 100 µm, com precisão de 5 µm;


b) 0 µm a 500 µm, com precisão de 5 µm;
c) 0 µm a 1 000 µm, com precisão de 10 µm.

3.2 Os instrumentos podem ser do tipo “elcometer”, “microtest” ou eletrônicos, todos


funcionando por princípio de emissão de campo magnético.

3.3 Todos os instrumentos necessários devem ser aferidos/calibrados.

4 EXECUÇÃO

4.1 A seleção do instrumento a ser usado deve obedecer aos seguintes critérios:

a) instrumento com faixa de variação 0 µm a 100 µm para medição de películas


com espessura total até 80 µm;
b) instrumento com faixa de variação de 0 µm a 500 µm para medição de
películas com espessura total maior do que 80 µm e até 400 µm;

2
N-2135 REV. B DEZ / 2002

c) instrumento com faixa de medição de 0 µm a 1 000 µm para medição de


películas com espessura total maior do que 400 µm e até 900 µm.

4.2 Zerar o aparelho em conformidade com as instruções do fabricante. Caso as instruções


do fabricante não estejam disponíveis, utilizar placa de aço jateada ao metal branco e, pelo
menos, 2 lâminas revestidas com espessuras conhecidas.

4.3 Selecionar as regiões de medição, de acordo com o estabelecido na norma


PETROBRAS N-13, em função do tipo do equipamento que está sendo pintado. Cada
região selecionada deve medir 200 mm x 200 mm.

4.4 Efetuar, pelo menos, 8 medições em cada região selecionada.

4.5 Abandonar o maior e o menor dos valores obtidos.

4.6 Obter a média aritmética dos demais valores.

4.7 A média aritmética obtida, representa a medida da espessura da película seca de tinta
da região selecionada.

_____________

3
N-2135 REV. B DEZ / 2002

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. A
Não existe índice de revisões.

REV. B
Partes Atingidas Descrição da Alteração
Revalidação

_____________

IR 1/1

Você também pode gostar