Você está na página 1de 2

Fichamento – Diplomacia de Henry Kissinger

A nova face da diplomacia – Wilson e o Tratado de Versalhes


 Primeira Guerra destrói a ordem mundial que coexistiu durante quase um século
 Objetivos do conflito: “acabar com todas as guerras” contando com o desarmamento
completo da Alemanha, disseminar o ideário democrático, com os EUA, exigindo o fim
das instituições internas alemãs e austríacas
 Inglaterra, defensora da segurança via equilíbrio de poder, encarou a necessidade de
impedir uma ameaça hegemônica da Alemanha (queria garantir a redução da Esquadra
Alemã de Alto-mar para não perder posicionamento político econômico).
 Alemanha manifestava seu interesse de ampliar sua influência e dominação no cenário
internacional (Weltpolitk): tornou a Polônia um estado independente sob uma
monarquia hereditária constitucional, Tratado de Brest-Litovsk anexando um terço da
Rússia Europeia e protetorado na Ucrânia.
 Vitória da Entente Ocidental com ajuda indispensável dos EUA, ator fundamental na
mudança do Concerto Europeu, apresentando-se como potência no palco
internacional
 Cenário pós guerra: desordem social, conflito ideológico que desemboca,
posteriormente, em outra guerra mundial.
 Ideal americano para a ordem internacional: democracia, segurança coletiva e
autodeterminação -> 14 pontos de Wilson consistia em um apanhado de ações para se
manter a paz. Julgava a natureza do homem como pacífica, boa vontade e união das
nações (alianças não militarizadas – LIGA DAS NAÇÕES) evitariam outro conflito
armado. Direitos iguais entre nações contra a agressão e o egoísmo excessivo “Não era
a ausência de um equilíbrio de poder que produzia instabilidade, mas a tentativa de
obtê-lo.” (p.197)
 Liga das Nações: Associação universal das nações, para manter a segurança inviolável
do caminho dos mares para o uso comum e livre de todas as nações do mundo, e para
impedir qualquer guerra que comece de maneira contrária a dispositivos de tratados
ou sem aviso, e total submissão das causas à opinião do mundo – uma garantia virtual
da integridade territorial e da independência política. Também invoca a DOUTRINA
MONROE como modelo
 Vai de encontro com a diplomacia europeia vigente, alianças se formavam na busca de
objetivos definíveis e específicos, não na defesa da paz. Potencias acreditavam que
Estados menores tinham que subordinar suas ambições nacionais aos interesses mais
amplos da paz (mantendo o equilíbrio europeu). Ex: receio da desintegração do
Império Otomano gerar nações menores que ameacem a ordem (rivalidades étnicas
endêmicas e fragilidade poderiam violar os limites definidos pelas grandes potencias),
França impedida de anexas Valonia da Bélgica, Alemanha estimulada a unir-se à
Áustria.
“O mundo que Wilson propunha teria base no princípio e não no poder; na lei, não no
interesse – do vencedor e do vencido; em outras palavras, uma inversão total da
experiencia histórica e dos métodos das grandes potencias.”
 Atribuía a competição entre estados por motivos econômicos e de autodeterminação,
mas historicamente existiam outros: engrandecimento nacional, exaltação do
governante
 Diferença entre Viena e Versalhes: pós Viena os promotores da paz permaneceram
unidos e formaram a Aliança Quádrupla, uma coalizão de quatro potencias fortes. Nos
pós Versalhes, os vencedores não permaneceram aliados, EUA e Rússia retiram-se
completamente e a Inglaterra mantinha uma visão desconfiada da França. Também
não contou com a presença dos países derrotados na Conferencia, diferente do que
aconteceu em Viena. Rússia também não estava presente pela Revolução
Russa/Guerra civil que atravessava (duas potencias fortes e com grandes populações,
Alemanha e Rússia, deixadas de lado)
 França, militarmente e demograficamente mais fraca que a Alemanha, apenas via
retomada do equilíbrio com a imposição de uma nova divisão da Alemanha e
restabelecer a Confederação Germânica do século XIX/ separar a Renânia da Alemanha
(republica renana independente como tampão desmilitarizado). Mas a unidade criada
por Bismarck preservou a Alemanha (EUA não apoiaria violação do princípio da
autodeterminação)
 Conferência de Paz de Paris (Wilson, Clemenceau, Lloyd George, Orlando): Wilson abre
mão (ajustes punitivos) de muitos termos do verdadeiro acordo para formar a Liga,
percebendo não muita transformação da ordem normativa internacional.
 França apenas via proposito na Liga como meio de ativar a assistência militar contra a
Alemanha se necessário, caso ela venha a revogar o tratado de Versalhes. Wilson não
aprova um exército militar, França cedeu por não ver alternativa se não apoiar os EUA,
nação que poderia auxiliar em caso de invasão. Retoma a pressão de desmembrar a
Alemanha (acordo para apaziguar FRA: EUA e UK entrariam em guerra se a Alemanha
violasse Versalhes)
 Esse acordo não respondia aos objetivos da Liga, com recusa do senado americano do
tratado de Versalhes fez com que esse acordo de destituísse, junto com a Inglaterra,
que se livrou do compromisso. Por fim, França reivindica as proposições da Liga
permanentemente.
 Tratado de Versalhes foi punitivo nas seções territoriais, econômicas e militares
 Alemanha ignora 14 pontos e realiza paz cartaginesa com a Rússia em Brest-Litovsk
 EUA não ratifica a liga
 Paradoxalmente, ampliou a vulnerabilidade francesa e a vantagem estratégica da
Alemanha (Alemanha lidava com vizinhos fortes a leste e o Oeste, com o tratado, não
tinha que se preocupar com a Russia, que já não fazia parte daquele jogo de interesses
do tratado)
 França tenta fortalecer estados no leste europeu para se aliar

Você também pode gostar