Você está na página 1de 3

UNIP – Universidade Paulista

Goiânia, 16 de novembro de 2017.


Aluna: Larissa Milena Alves
RA: C9904A-7
Curso: Administração
Turma: AD4/A42
Disciplina: Processos Organizacionais
Profº: Dirceu

O CICLO PDCA

O ciclo PDCA foi criado por Walter A. Shewart, na década de 20, um físico norte-americano
conhecido por ser pioneiro no controle estatístico de qualidade. Na década de 50 ele foi popularizado
no mundo todo por outro americano, o professor William Edwards Deming, conhecido como guru do
gerenciamento de qualidade. Por esse motivo, o ciclo PDCA ficou conhecido a partir da década de
1950 como ‘Ciclo Deming’. Através dessa teoria, cada processo da empresa passa por quatro fases.

Ele é uma metodologia usada para a contínua melhoria de processos e para a solução de
problemas nas empresas. Esse método é utilizado para solucionar problemas que não são facilmente
visualizados e que, geralmente, já sofreram diversas tentativas de solução. Suas finalidades são
acelerar e aperfeiçoar as atividades de uma empresa, por meio da identificação dos problemas, de suas
causas e das possíveis soluções.

A metodologia PDCA é largamente utilizada por corporações que desejam melhorar seu
nível de gestão através do controle eficiente de processos e atividades internas e externas,
padronizando informações e minimizando as chances de erros na tomada de decisões importantes.
Uma ferramenta completa e eficiente, o PDCA é um dos métodos mais conhecidos e utilizados para o
desenvolvimento do planejamento estratégico de forma eficiente nas empresas. A qualidade dos
serviços oferecidos pelas empresas é, cada vez mais, um diferencial necessário para o sucesso e o
destaque. Para isso, a eficácia dos processos se mostra como fator determinante no desenvolvimento
do negócio.

Ele é um método iterativo, é um tipo de processo que, a cada repetição, chega-se a um


resultado diferente, que será utilizado nas vezes seguintes de forma acumulativa. Dessa forma, pode-se
dizer que o PDCA é um ciclo que traz resultados diferentes e complementares a cada utilização, o que
faz com que ele seja um método de uso contínuo para maior sucesso na resolução de problemas.

Mas por que ele é importante? Porque possibilita a identificação de falhas, o que torna mais
simples o processo de reparação das mesmas. Além disso, o Ciclo PDCA prioriza a medição, fator
importante na gestão. É essencial medir seus resultados estatisticamente, com dados concretos, para
poder gerenciar e repetir os melhores processos ou evitar os que não geram resultados. Ele pode ser
usado tanto como método de implantação de novas ideias quanto para solução de problemas e pode ser
desdobrado em todos os níveis de uma organização, desde a direção até a operação.

A sigla PDCA significa Plan, Do, Check, Act, que se traduz como Planejar, Fazer, Verificar
e Agir. Esses são os 4 passos do ciclo, que normalmente começa pelo Planejamento. Existe a
possibilidade de utilizar variações, dependendo do tipo de objetivo procurado pela empresa. Veja
como se desenvolve o método em sua forma mais usual:

1ª etapa: PLANEJAMENTO

Sua ordem lógica começa com o PLAN, que foca na parte estratégica. O objetivo aqui é
levantar e analisar informações para estabelecer objetivos e metas.

É importante elaborar um plano/estratégia que resolva os problemas encontrados,


desenvolvendo-os com base nos valores e diretrizes políticas da empresa, para depois levar em
consideração o estabelecimento dos objetivos pretendidos com o ciclo, a escolha do caminho a ser
percorrido para que os objetivos sejam atingidos e a definição dos métodos que serão utilizados para
chegar a isso. Além dessas fases, é aqui que se escolhe a equipe que fará parte do processo,
escolhendo os líderes de cada processo executado.

Ele é dividido em 4 partes, sendo elas:

1. Identificação do problema
2. Observação do problema
3. Análise do problema
4. Plano de ação

2ª etapa: EXECUÇÃO

Na fase DO, é onde se coloca em prática tudo o que foi analisado pelo Planejamento. É
importante que o Planejamento tenha sido feito detalhadamente e com calma para que não ocorram
falhas no resto do processo. O Fazer é a execução do plano criado, e é também onde a equipe é
treinada para que o método funcione.

É uma das partes mais importantes do ciclo e deve ser analisada de perto para que não
ocorram falhas no método selecionado. É importante anotar todos os resultados (bons ou ruins) e a
data de quando ocorreram, além de comunicar e treinar os colaboradores selecionados para as ações e
seus prazos, podendo ser utilizadas técnicas de treinamento.
3ª etapa: VERIFICAÇÃO

No CHECK, é onde acontece a análise do que foi executado, ou seja, a verificação dos
resultados obtidos com o plano de ação escolhido. Essa fase pode ser desenvolvida durante todo o
ciclo do plano, já que serve para a verificação do trabalho (se ele está sendo executado de forma
correta) e também para seus resultados (quando se verifica estatisticamente seus dados, como falhas e
erros.)

É importante verificar se o que foi planejado já está sendo implantado, além de comparar os
resultados entre o antes e o depois e o desenvolvimento do atingimento da meta proposta. Se os
resultados colhidos na verificação não forem satisfatórios, é recomendado que se volte à fase de
Planejamento, na de Observação do Problema.

4ª etapa: AÇÃO

Por fim, no ACT, são tomadas as ações corretivas para solucionar os problemas que foram
verificados durante o processo. É onde se corrigem as falhas encontradas no processo anterior, para
que sejam investigadas suas causas, evitando que elas ocorram novamente. Depois de solucionar essas
falhas, o processo deve começar de novo. O Ciclo PDCA deve ser sempre retomado, para o constante
aprimoramento dos processos e práticas.

Essa fase é dividida em 2 partes:

1. Padronização
2. Conclusão

Você também pode gostar