Você está na página 1de 4

PRÉ-UNIVERSITÁRIO OFICINA DO SABER Monitoria 12

DISCIPLINA: História PROFESSORES: Ana Carolina Rocha, Diogo Alchorne Brazão, Fabrício Sampaio
Data: 20/10/2020

Monitoria 12 de História

1 – (ENEM) O alfaiate pardo João de Deus, que, na altura em que foi preso, não tinha mais do que 80 réis e
oito filhos, declarava que "Todos os brasileiros se fizessem franceses, para viverem em igualdade e
abundância".

(MAXWELL, K. Condicionalismos da independência do Brasil. SILVA, M. N. (Org.) O Império luso-brasileiro, 1750-1822.


Lisboa: Estampa, 1986)

O texto faz referência à Conjuração Baiana. No contexto da crise do sistema colonial, esse movimento se
diferenciou dos demais movimentos libertários ocorridos no Brasil por:

A) apresentar um caráter elitista burguês, uma vez que sofrera influência direta da Revolução Francesa,
propondo o sistema censitário de votação.
B) defender a igualdade econômica, extinguindo a propriedade, conforme proposto nos movimentos
liberais da França napoleônica.
C) defender um governo democrático que garantisse a participação política das camadas populares,
influenciado pelo ideário da Revolução Francesa.
D) propor a instalação de um regime nos moldes da república dos Estados Unidos, sem alterar a ordem
socioeconômica escravista e latifundiária.
E) introduzir no Brasil o pensamento e o ideário liberal que moveram os revolucionários ingleses na luta
contra o absolutismo monárquico.

2 – (ENEM)

Em 2008, foi comemorado o bicentenário da chegada da família real portuguesa ao Brasil.Nos textos, dois
importantes historiadores brasileiros se posicionam diante de um dos possíveis legados desse episódio para a
história do país. O legado discutido e um argumento que sustenta a diferença do primeiro ponto de vista para
o segundo estão associados, respectivamente, em:

A) Integridade territorial – Centralização da administração régia na Corte.


B) Desigualdade social – Concentração da propriedade fundiária no campo.
C) Homogeneidade intelectual – Difusão das ideias liberais nas universidades.
D) Uniformidade cultural – Manutenção da mentalidade escravista nas fazendas.
E) Continuidade espacial – Cooptação dos movimentos separatistas nas províncias.

3 – (ENEM)

Entre os séculos XVI e XIX, diferentes concepções sobreas relações entre Estado e economia foram
formuladas. Tais concepções, associadas a cada um dos textos, confrontam-se, respectivamente, na oposição
entre as práticas de

A) valorização do pacto colonial — combate à livre-iniciativa.


B) defesa dos monopólios régios — apoio à livre concorrência.
C) formação do sistema metropolitano — crítica à livre navegação.
D) abandono da acumulação metalista — estímulo ao livre-comércio.
E) eliminação das tarifas alfandegárias — incentivo ao livre-cambismo.

4)
Com base nos textos, a relação entre trabalho e modo de produção capitalista é:

A) baseada na desvalorização do trabalho especializado e no aumento da demanda social por novos postos
de emprego.
B) fundada no crescimento proporcional entre o número de trabalhadores e o aumento da produção de
bens e serviços.
C) estruturada na distribuição equânime de renda e no declínio do capitalismo industrial e tecnocrata.
D) instaurada a partir do fortalecimento da luta de classes e da criação da economia solidária.
E) derivada do aumento da riqueza e da ampliação da exploração do trabalhador.

5)
O ponto de convergência entre as realidades sociopolíticas indicadas nos textos consiste na ideia de que a

A) discussão de preceitos formais estabeleceu a democracia.


B) invenção de códigos jurídicos desarticulou as aristocracias.
C) formulação de regulamentos oficiais instituiu as sociedades.
D) definição de princípios morais encerrou os conflitos de interesses.
E) criação de normas coletivas diminuiu as desigualdades de tratamento.

Gabarito

1) C
2) A
3) B
4) E
5) E

Você também pode gostar