Você está na página 1de 21

ASSUNTO: Dilatometria

RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA


1. (Ufrgs 2017) Quando se fornece calor a
uma substância, podem ocorrer diversas
modificações decorrentes de propriedades
térmicas da matéria e de processos que
envolvem a energia térmica.

Considere as afirmações abaixo, sobre


processos que envolvem fornecimento de Pela análise do gráfico, o valor do coeficiente
calor. de dilatação do metal é
−5 −1
a) 1,05  10 C
I. Todos os materiais, quando aquecidos, −5 −1
expandem- se. b) 1,14  10 C
−5 −1
II. A temperatura de ebulição da água c) 1,18  10 C
depende da pressão. −5 −1
d) 1,22  10 C
III. A quantidade de calor a ser fornecida, por −5 −1
e) 1,25  10 C
unidade de massa, para manter o processo de
ebulição de um líquido, é denominado calor
latente de vaporização. ASSUNTO: Dilatação de Sólidos
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
Quais estão corretas? 3. (G1 - ifsul 2017) A cada ano, milhares de
crianças sofrem queimaduras graves com
a) Apenas I.
b) Apenas II. água de torneiras fervendo. A figura a seguir
c) Apenas III. mostra uma vista em corte transversal de um
d) Apenas II e III. dispositivo antiescaldante, bem simplificado,
e) I, II e III. para prevenir este tipo de acidente.

ASSUNTO: Dilatometria
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
2. (Pucrs 2015) Num laboratório, um grupo de
alunos registrou o comprimento L de uma
barra metálica, à medida que sua temperatura
T aumentava, obtendo o gráfico abaixo:

Dentro do dispositivo, uma mola feita com


material com um alto coeficiente de expansão e que a relação entre os coeficientes de
térmica controla o êmbolo removível. Quando dilatação linear seja α A  αB .
a temperatura da água se eleva acima de um
valor seguro preestabelecido, a expansão da Ao aumentar a temperatura da lâmina
mola faz com que o êmbolo corte o fluxo de bimetálica, é correto afirmar que
água. Admita que o comprimento inicial L da a) a lâmina A e a lâmina B continuam se
mola não tensionada seja de 2,40 cm e que seu dilatando de forma retilínea conjuntamente.
coeficiente de expansão volumétrica seja de b) a lâmina A se curva para baixo, enquanto a
66,0  10−6 C−1. lâmina B se curva para cima.
c) a lâmina A se curva para cima, enquanto a
Nas condições acima propostas o aumento no lâmina B se curva para baixo.
comprimento da mola, quando a temperatura d) tanto a lâmina A como a lâmina B se
da água se eleva de 30 C, é de curvam para baixo.
−3 e) tanto a lâmina A como a lâmina B se
a) 1,58  10 cm
−3 curvam para cima.
b) 4,74  10 cm
−3
c) 3,16  10 cm ASSUNTO: Dilatação de Sólidos
−3
d) 2,37  10 cm RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
5. (Pucrj 2017) Uma placa de vidro possui as
ASSUNTO: Dilatação de Sólidos dimensões de
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
1,0 m  1,0 m  1,0 cm
4. (Fatec 2017) Numa aula de laboratório do
curso de Soldagem da FATEC, um dos
exercícios era construir um dispositivo quando está à temperatura ambiente. Seu
−6 −1
eletromecânico utilizando duas lâminas coeficiente de dilatação linear é 9  10 C .
retilíneas de metais distintos, de mesmo
comprimento e soldadas entre si, formando o Se a placa sofrer uma variação de temperatura
que é chamado de “lâmina bimetálica”. de 10 C, de quanto será a variação de volume
Para isso, os alunos fixaram de maneira firme 3
da placa, em cm ?
uma das extremidades enquanto deixaram a −11
a) 7,3  10
outra livre, conforme a figura. −7
b) 7,3  10
−3
c) 9,0  10
−1
d) 9,0  10
e) 2,7

ASSUNTO: Dilatação de Sólidos


Considere que ambas as lâminas estão
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
inicialmente sujeitas à mesma temperatura T0 ,
6. (Upe- ssa 2 2016) Com base nos
conhecimentos acerca da expansão térmica
dos sólidos, sabe- se que, ao aquecer uma
esfera feita de alumínio, em 100C, o maior
aumento percentual vai ocorrer na (no)
a) sua área de superfície.
b) seu volume.
c) seu diâmetro.
d) sua densidade.
e) sua massa.
No momento da experiência, a temperatura no
ASSUNTO: Dilatação de Líquidos laboratório é 30 C, e o bulbo é totalmente
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA preenchido com álcool até a base do tubo.
7. (G1 - ifsul 2017) O que aconteceria se o Sabendo- se que o coeficiente de dilatação do
−4 −1
vidro de um termômetro expandisse mais ao álcool é 11 10 C e que o coeficiente de
ser aquecido do que o líquido dentro do tubo? dilatação do vidro utilizado é desprezível
a) O termômetro quebraria. comparado ao do álcool, a altura h, em cm,
b) Ele só poderia ser usado para temperaturas atingida pelo líquido no tubo, quando o
abaixo da temperatura ambiente. termômetro for utilizado em um experimento
c) Você teria que segurá- lo com o bulbo para a 80 C, é
cima.
a) 5,50
d) A escala no termômetro seria invertida,
b) 11,0
aproximando os valores mais altos de
c) 16,5
temperatura do bulbo.
d) 22,0
ASSUNTO: Dilatação de Líquidos
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA ASSUNTO: Dilatação de Líquidos
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
8. (Epcar (Afa) 2017) Em um laboratório de
física é proposta uma experiência onde os 9. (G1 - cftmg 2016) Para verificar se uma
alunos deverão construir um termômetro, o pessoa está febril, pode- se usar um
qual deverá ser constituído de um bulbo, um termômetro clínico de uso doméstico que
tubo muito fino e uniforme, ambos de vidro, consiste em um líquido como o mercúrio
colocado dentro de um tubo de vidro
além de álcool colorido, conforme a figura
abaixo. graduado, fechado em uma das extremidades
e com uma escala indicando os valores de
3 temperatura. Em seguida, coloca- se o
O bulbo tem capacidade de 2,0 cm , o tubo termômetro debaixo da axila e aguardam- se
−2
cm2
tem área de secção transversal de 1,0  10 alguns minutos para fazer a leitura.
e comprimento de 25 cm.
As afirmativas a seguir referem- se ao 08) A dilatação térmica de um corpo é
funcionamento do termômetro. inversamente proporcional ao coeficiente de
dilatação térmica do material que o constitui.
I. A temperatura marcada no termômetro 16) Dilatação aparente corresponde à
coincidirá com a temperatura de ebulição do dilatação observada em um líquido contido em
mercúrio do dispositivo. um recipiente.
II. A temperatura marcada na escala do
termômetro está relacionada com a dilatação ASSUNTO: Comportamento Anômalo da
térmica do mercúrio. Água
III. O tempo de espera citado acima refere- se RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
ao tempo necessário para que se atinja o 11. (Upe- ssa 2 2016) Por que os lagos
equilíbrio térmico entre o paciente e o congelam só na superfície?
termômetro.
IV. Se a substância do mesmo termômetro for Porque a camada de gelo funciona como uma
trocada por álcool, a temperatura indicada espécie de cobertor, impedindo que a água
será a mesma. mais profunda congele. "A capa gelada faz o
papel de isolante térmico. Como o gelo é um
As afirmativas corretas são mau condutor, ele evita que o resto da água
a) I e II. perca calor para a atmosfera", afirma o
b) I e IV. glaciologista Jefferson Cardia Simões, da
c) II e III. Universidade Federal do Rio Grande do Sul
d) III e IV. (UFRGS).

ASSUNTO: Dilatação de Líquidos Disponível em:


RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA http://mundoestranho.abril.com.br/materia/po
10. (Uepg 2011) Dilatação térmica é o r- que- os- lagos- congelam- so- na- superficie,
fenômeno pelo qual variam as dimensões acessado em:
geométricas de um corpo quando este
experimenta uma variação de temperatura.
Sobre esse fenômeno físico, assinale o que for O comportamento diferenciado da densidade
correto. da água em baixas temperaturas, quando
01) Em geral, as dimensões de um corpo comparada com outras substâncias, permite
aumentam quando a temperatura aumenta. que o fundo dos lagos não congele,
02) Um corpo oco se dilata como se fosse preservando a vida nesses ecossistemas, nos
maciço. períodos de inverno. Sobre isso, o gráfico que
04) A tensão térmica explica por que um melhor descreve a variação da densidade da
recipiente de vidro grosso comum quebra água, d, com a temperatura, T, está indicado
quando é colocada água em ebulição em seu na alternativa
interior.
interior.
02) Se a variação de temperatura for de 15 ºC
para – 5 ºC a garrafa não se romperá.
04) Sendo o coeficiente de dilatação da água
a) menor que o coeficiente de dilatação do vidro,
a dilatação observada na água não é real.
08) Aquecido o sistema, o volume interno da
garrafa aumenta, enquanto que o volume de
água permanece o mesmo.

b)
ASSUNTO: Comportamento Anômalo da
Água
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
13. (Pucrs 2010) As variações de volume de
certa quantidade de água e do volume interno
c) de um recipiente em função da temperatura
foram medidas separadamente e estão
representadas no gráfico abaixo,
respectivamente, pela linha contínua (água) e
pela linha tracejada (recipiente).
d)

e)

ASSUNTO: Comportamento Anômalo da


Água
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
12. (Uepg 2011) Considere uma garrafa de Estudantes, analisando os dados
vidro totalmente cheia com água, apresentados no gráfico, e supondo que a
hermeticamente fechada, submetida a água seja colocada dentro do recipiente,
alterações de temperatura. fizeram as seguintes previsões:
Nesse contexto, assinale o que for correto.
01) Diminuindo a temperatura do sistema, I. O recipiente estará completamente cheio de
desde que a água permaneça líquida, o água, sem haver derramamento, apenas
volume da água diminui em relação ao volume quando a temperatura for 4 C.
da garrafa, criando um espaço vazio no seu II. A água transbordará apenas se sua
temperatura e a do recipiente assumirem
simultaneamente valores acima de 4 C.
III. A água transbordará se sua temperatura e
a do recipiente assumirem simultaneamente
valores acima de 4 C ou se assumirem
simultaneamente valores abaixo de 4 C.

A(s) afirmativa(s) correta(s) é/são:


a) I, apenas.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

ASSUNTO: Comportamento Anômalo da


Água
RESOLUÇÃO EM TEXTO NA SEQUÊNCIA
14. (Enem cancelado 2009) De maneira geral,
se a temperatura de um líquido comum
aumenta, ele sofre dilatação. O mesmo não
ocorre com a água, se ela estiver a uma
temperatura próxima a de seu ponto de
congelamento. O gráfico mostra como o A partir do gráfico, é correto concluir que o
volume específico (inverso da densidade) da volume ocupado por certa massa de água
água varia em função da temperatura, com a) diminui em menos de 3% ao se resfriar de
uma aproximação na região entre 0ºC e 10ºC, 100ºC a 0ºC.
ou seja, nas proximidades do ponto de b) aumenta em mais de 0,4% ao se resfriar de
congelamento da água. 4ºC a 0ºC.
c) diminui em menos de 0,04% ao se aquecer
de 0ºC a 4ºC.
d) aumenta em mais de 4% ao se aquecer de
4ºC a 9ºC.
e) aumenta em menos de 3% ao se aquecer
de 0ºC a 100ºC.
Gabarito: coeficiente de dilatação linear do material α,
que é a terça parte do coeficiente volumétrico:
01. C γ 66,0  10−6 C−1
α= α=  α = 22,0  10−6 C−1
Resposta da questão 1: 3 3
[D]
Agora calculando a dilatação linear, temos:
Análise das afirmativas: ΔL = 2,40 cm  22,0  10−6 C−1  30 C
[I] Falsa. A água, por exemplo, possui uma  ΔL = 1,584  10−3 cm
dilatação anômala, ou seja, na faixa de 0 C a
4 C a água se contrai ao invés de se expandir Resposta da questão 4:
como a maioria dos materiais quando [D]
aquecidos.
[II] Verdadeira. A temperatura de ebulição de A lâmina de maior coeficiente (A) sofre maior
um líquido varia diretamente com a pressão, dilatação e tende a envolver a de menor
isto é, quanto maior a pressão, maior a coeficiente (B) e ambas se curvam para baixo,
temperatura de ebulição e vice- versa. como ilustrado na figura.
[III] Verdadeira. O calor latente de vaporização
da água é a energia necessária para vaporizar
uma unidade de sua massa. Esse valor é de
540 cal g.

Resposta da questão 2: Resposta da questão 5:


[E] [E]

ΔL 801 − 800 1 −4 2  102  1  V = 10 4 cm3


ΔL = L0 α Δ T  α = = = 0 = 10
= 0,125 V10  0
L0 ΔT 800 (110 − 100 ) 80.000
ΔV = 3  α  V0  Δθ  ΔV = 3  9  10−6  104  10  ΔV = 2,7 cm3
α = 1,25  10−5 C−1.

Resposta da questão 6:
Resposta da questão 3: [B]
[A]
Como o coeficiente de dilatação volumétrica é
A dilatação térmica da mola é dada por: maior que o linear e o superficial,o maior
ΔL = L0  α  ΔT aumento percentual ocorre no volume.

São dados o comprimento inicial da mola L0 , a Resposta da questão 7:


variação de temperatura ΔT e o coeficiente de [D]
expansão volumétrica γ. Este último dado é
uma “pegadinha”, pois necessitamos é do Neste caso, o aumento de temperatura
dilataria mais o vidro do que o fluido
termométrico, fazendo com que o valor da
escala diminuísse ao invés de aumentar. Resposta da questão 11:
Portanto, o bulbo deveria ser calibrado para a [B]
temperatura mais baixa, com a máxima
quantidade de fluido, e sua escala estaria De 0C a 4C a água sofre contração no seu
invertida. volume, portanto, aumento na densidade.
A partir de 4C ela sofre dilatação, causando
Resposta da questão 8: diminuição na densidade. Portanto, uma
[B] porção de água tem densidade máxima a 4C.

Dados: Resposta da questão 12:


−4 −2
3
V0 = 2cm ; γ = 11 10 ; A = 1 10 2
cm ; θ0 = 30 °C; θ = 80 C. 01.

Aplicando a expressão da dilatação Gabarito: 01.


volumétrica:
V0 γ (θ − θ0 ) 2  11 10−4 ( 80 − 30 )
ΔV = V0 γ ( θ − θ0 )  A h = V0 γ (θ − θ0 )  h =
A
=
1 10−2
 h = 11 cm. [01] Correta. A água tem maior coeficiente de
dilatação que o vidro, quando ocorre aumento
Resposta da questão 9: de temperatura do sistema, logo tem maior
[C] coeficiente de contração quando a
temperatura diminui.
[I] Incorreta. A temperatura indicada é a da [02] Incorreta. À temperatura de –5 °C, a água
axila do paciente. será congelada, aumentará de volume,
[II] Correta. Ao ser aquecido, o mercúrio dilata estourando a garrafa.
aumentando o comprimento da coluna. [04] Incorreta. A segunda parte dessa
[III] Correta. afirmativa é verdadeira: essa dilatação
[IV] Incorreta. O álcool e o mercúrio têm observada é chamada de dilatação aparente.
diferentes coeficientes de dilatação térmica, Porém, banca examinadora cometeu um
acarretando diferentes comprimentos para a deslize na primeira parte da afirmativa, pois o
coluna. coeficiente de dilatação da água é maior que
o do vidro. Caso fosse menor, como afirmado,
Resposta da questão 10: haveria uma contração aparente da água no
01 + 02 + 04 + 16 = 23 aquecimento e uma dilatação aparente no
resfriamento, tornando incorreta a afirmativa
Justificando a incorreta: 01.
[08] Incorreta. Tanto a água como a garrafa
08) A expressão da dilatação é: aumentam de volume.
V = V0  T. A dilatação é diretamente
proporcional ao coeficiente de dilatação Resposta da questão 13:
térmica do material que o constitui. [C]
Analisando o gráfico, notamos que o volume
da água e o volume do recipiente são iguais
apenas a 4 C. Portanto, se a água é colocada
no recipiente a 4 C, ela não transbordará. Em
qualquer outra temperatura, acima ou abaixo
desse valor, o volume da água é maior que o
volume interno do recipiente e, então, a água
transbordará. A palavra apenas elimina a
afirmativa [II].

Resposta da questão 14:


[C]

Analisando o gráfico, notamos que o volume


específico diminui de 0 °C até 4°C,
aumentando a partir dessa temperatura.
Aproximando os valores lidos no gráfico,
constatamos uma redução de 1,00015 cm3/g
para 1,00000 cm3/g de 0 °C a 4 °C, ou seja, de
0,00015 cm3/g. Isso representa uma redução
percentual de 0,015%, o que é menos que
0,04 %.
1. (Ufrgs 2018) Uma barra metálica de 1m de V0 = 20 mm3 a 25 C, e corresponde à figura (a).
comprimento é submetida a um processo de Quando colocado em contato com água
aquecimento e sofre uma variação de aquecida, o termômetro apresenta a leitura
temperatura. O gráfico abaixo representa a mostrada na figura (b). A escala está em
variação  , em mm, no comprimento da milímetros, a área da secção reta da coluna é
barra, em função da variação de temperatura A = 5,0  10−2 mm2 .
T, em C.
O aumento do volume, V,
produzido pelo acréscimo de temperatura T,
V
= γT.
V0
é dado por Se para o álcool
−3 −1
γ = 1,25  10 C , qual é a temperatura T da
água aquecida?

Qual é o valor do coeficiente de dilatação


térmica linear do material de que é feita a
−6
barra, em unidades 10 C?
a) 0,2.
b) 2,0.
c) 5,0.
d) 20.
e) 50.

2. (Unicamp 2018) Termômetros clínicos b) Os termômetros de infravermelho realizam


convencionais, de uso doméstico, a medida da temperatura em poucos
normalmente baseiam- se na expansão segundos, facilitando seu uso em crianças.
térmica de uma coluna de mercúrio ou de Seu funcionamento baseia- se na coleta da
álcool, ao qual se adiciona um corante. Com a radiação infravermelha emitida por parte do
expansão, o líquido ocupa uma parte maior de corpo do paciente. A potência líquida radiada
uma coluna graduada, na qual se lê a por unidade de área do corpo humano é dada
3 −8 2 4
temperatura. por Φ = 4 σ T0 T, sendo σ 6  10 W m K a
constante de Stefan- Boltzmann, T0 = 300 K a
a) O volume de álcool em um termômetro é T = Tcorpo − T0
temperatura ambiente e a
diferença entre a temperatura do corpo, que Abaixo, o gráfico representa a variação no
deve ser medida, e a temperatura ambiente. comprimento de três barras metálicas (A, B e
Sabendo que em certa medida de temperatura C) em função do aumento da temperatura.
2
Φ = 64,8 W m , encontre a temperatura do
paciente em C. Lembre- se de que Coeficiente de
θ(C) T(K) − 273. dilatação
Substância
linear
3. (Uece 2017) Considere a dilatação térmica (10−6 C−1)
de duas barras longas e finas, feitas de mesmo Chumbo 27
material. Uma delas tem o dobro do Alumínio 22
comprimento da outra: L1 = 2L2. Nos dois Ouro 15
casos, as barras sofrem uma mesma mudança Concreto 12
de temperatura, ΔT, e dilatam ΔL1 e ΔL2 . Platina 9
Assim, Vidro pirex 3,2
ΔL2 ΔL
= 2 1. Quartzo 0,6
L2 L1
a) Tabela: Coeficiente de
ΔL2 ΔL1
= . dilatação linear de alguns
L2 L1
b) materiais. [adaptada]
ΔL2 ΔL1
2 = .
c) L2 L1 Fonte: TORRES, C. M. A. et
ΔL2 ΔL
= 3 1. al. Física: Ciência e
d) L2 L1 Tecnologia. Volume único.
São Paulo: Moderna, 2001.
4. (Ifsc 2017) Quando a temperatura de uma
substância se eleva, suas moléculas ou
átomos passam, em média, a oscilar mais
rapidamente e tendem a se afastar uns dos
outros, resultando em uma dilatação da
substância. Com poucas exceções, todas as
formas de matéria normalmente se dilatam
quando são aquecidas e contraem- se quando
resfriadas. A variação das dimensões das
substâncias depende da variação da
temperatura, da sua dimensão inicial e do
coeficiente de dilatação do material com o
qual são feitas. A tabela a seguir mostra
alguns exemplos de materiais, com seus
respectivos coeficientes de dilatação linear.
Com base na tabela e no gráfico sobre a coeficiente de dilatação linear é igual a
dilatação linear apresentados acima, analise 22  10−6 C−1, tem um furo circular no seu
as afirmativas a seguir e assinale a soma da(s)
centro, cujo diâmetro é 5 cm, à 25 C. Se a
proposição(ões) CORRETA(S), considerando
chapa for aquecida até 125 C, afirma- se que a
que o aquecimento das barras é uniforme em
área do furo
todo o seu comprimento e que o comprimento
a) diminui e que o diâmetro passa a ser
inicial de cada barra é igual a 12,5 m. 4,985 cm.
01) O coeficiente de dilatação linear da barra
b) não se altera e que o diâmetro continua
C é maior que o coeficiente de dilatação linear
sendo 5,000 cm.
da barra B.
c) aumenta e que o diâmetro passa a ser
02) O coeficiente de dilatação linear da barra
5,011cm.
A é maior que o coeficiente de dilatação linear
d) diminui e que o diâmetro passa a ser
da barra B.
4,890 cm.
04) A barra B é de alumínio e a barra C é de
platina.
7. (Mackenzie 2017) Um cubo regular
08) A barra B é de alumínio e a barra C é de 20,0 cm
chumbo. homogêneo de aresta está
16) A barra A é de alumínio e a barra B é de inicialmente a 20,0 C. O coeficiente de
platina. dilatação linear médio do material com que foi
−5 −1
fabricado é 2,00  10 C . Aquecendo- se
5. (Unisc 2017) Duas barras metálicas uniformemente o cubo com uma fonte de calor
representadas por (A) e (B) possuem constante durante 50,0 s, a temperatura se
comprimentos iniciais L0A e L0B , coeficientes eleva para 120,0 C. A dilatação ocorrida em
de dilatação lineares α A e αB e sofreram uma das superfícies do cubo é
ΔTA ΔTB , −1 2
variações de temperatura e a) 4,00  10 cm
respectivamente. Sabendo que L0A = 5  L0B, −1
b) 8,00  10 cm
2

αB = 8  α A e ΔTA = 2  ΔTB , podemos escrever −1 2


c) 12,0  10 cm
que a razão entre as variações de −1 2
comprimento ΔL A
e ΔLB , ou seja, ΔLA ΔLB vale d) 16,0  10 cm
−1 2
a) 0,25 e) 20,0  10 cm
b) 0,50
c) 0,80 8. (G1 - cps 2017) A caminho da erradicação
d) 1,25 da pobreza, para poder contemplar a todos
com o direito à habitação, as novas edificações
e) 1,50
devem ser construídas com o menor custo e
6. (G1 - ifsul 2017) Uma chapa retangular, de demandar cuidados mínimos de manutenção.

lados 20 cm e 10 cm, feita de um material cujo


Um acontecimento sempre presente em
edificações, e que torna necessária a temperatura de +20 C e o maior sofrer uma
manutenção, é o surgimento de rachaduras. variação de +40 C, a variação da área da
Há muitas formas de surgirem rachaduras superfície do muro maior em relação à
como, por exemplo, pela acomodação do variação da área da superfície do muro menor,
terreno ou ocorrência de terremotos. Algumas é
rachaduras, ainda, ocorrem devido à dilatação a) quatro vezes menor.
térmica. b) duas vezes menor.
c) a mesma.
A dilatação térmica é um fenômeno que d) duas vezes maior.
depende diretamente do material do qual o e) quatro vezes maior.
objeto é feito, de suas dimensões originais e
da variação de temperatura a que ele é 9. (Fgv 2017) Um bloco metálico, maciço,
submetido. homogêneo, de capacidade térmica C, é feito
de um material de coeficiente de dilatação
Para um objeto como um muro, o acréscimo
linear α e ocupa um volume V0 à temperatura
ou decréscimo da área da superfície do muro
ambiente. Ele é colocado no interior de um
é calculado pela expressão:
forno quente e recebe uma quantidade de
calor Q até entrar em equilíbrio térmico com o
ΔS = S0  β  Δθ
forno sem sofrer mudança de estado físico.

Em que:
Como consequência, seu volume sofre uma
ΔS → representa a variação (acréscimo ou
dilatação V. Tal dilatação é diretamente
diminuição) da área da superfície que o muro
proporcional a V0 ,
apresentará;
S0 → a) α, C e 1 Q.
é a área original da superfície do muro,
antes de ocorrer a dilatação térmica; b) α, Q e 1 C.
β→
é uma constante que está relacionada c) C, Q e 1 α .
com o material que foi utilizado em sua d) α, 1 Q e 1 C.
construção; e) Q, 1 α e 1 C.
Δθ → é a variação de temperatura à qual o

muro é submetido. 10. (Pucpr 2017) Considere um recipiente de


vidro com certo volume de mercúrio, ambos
Considere dois muros feitos com o mesmo em equilíbrio térmico numa dada temperatura
material, sendo que o menor deles possui uma θ0 , conforme mostra a figura a seguir.
2
área de superfície igual a 100 m , enquanto O conjunto, recipiente de vidro e mercúrio, é
2 colocado num forno à temperatura θ, com
que o maior tem 200 m .
θ  θ0 .
Sejam os coeficientes de dilatação volumétrica
Se o muro menor sofrer uma variação de
do vidro e do mercúrio iguais,
−5 −1 −4 −1
respectivamente, a 1,2  10 C e 1,8  10 C .

Assumindo que todas as placas inicialmente


estejam em equilíbrio térmico entre si, o maior
De quantas vezes o volume do recipiente deve aumento na dimensão paralela ao eixo x e o
ser maior que o volume inicial de mercúrio, maior aumento na área ocorrem,
para que o volume vazio do recipiente respectivamente, nas placas
permaneça constante a qualquer a) A e B.
temperatura? b) A e C.
a) 11. c) B e A.
b) 12. d) C e B.
c) 13. e) C e A.
d) 14.
e) 15. 12. (Udesc 2016) Uma placa de alumínio com
um furo circular no centro foi utilizada para
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: testes de dilatação térmica. Em um dos testes
Considere o campo gravitacional uniforme. realizados, inseriu- se no furo da placa um
cilindro maciço de aço. À temperatura
ambiente, o cilindro ficou preso à placa,
11. (Pucrs 2017) As três placas de um mesmo ajustando- se perfeitamente ao furo, conforme
material metálico, A, B e C, representadas na ilustra a figura abaixo.
figura abaixo são submetidas a um mesmo
aumento na temperatura.
O valor do coeficiente de dilatação do alumínio Determine a variação necessária de
é, aproximadamente, duas vezes o valor do temperatura para que as duas bordas de uma
coeficiente de dilatação térmica do aço. das fendas
Aquecendo- se o conjunto a 200 C, é correto citadas na reportagem se unam.
afirmar que:
a) o cilindro de aço ficará ainda mais fixado à 14. (Uece 2016) Considerando a unidade de
placa de alumínio, pois, o diâmetro do furo da medida de temperatura o grau Celsius, a
placa diminuirá e o diâmetro do cilindro unidade de medida do coeficiente de dilatação
aumentará. térmica no Sistema Internacional de Unidades
b) o cilindro de aço soltar- se- á da placa de é
−1
alumínio, pois, em decorrência do aumento de a)  C .
−1
temperatura, o diâmetro do furo aumentará b) m  C .
mais que o diâmetro do cilindro. −1
c) (m  C) .
c) não ocorrerá nenhuma mudança, pois, o −1
conjunto foi submetido à mesma variação de d) m  C.
temperatura.
d) o cilindro soltar- se- á da placa porque 15. (Eear 2016) Um cidadão parou às 22h em
sofrerá uma dilatação linear e, em função da um posto de combustível para encher o
conservação de massa, ocorrerá uma tanque de seu caminhão com óleo diesel.
diminuição no diâmetro do cilindro. Neste horário, as condições climáticas eram
e) não é possível afirmar o que acontecerá, tais que um termômetro, bem calibrado fixado
pois, as dimensões iniciais da placa e do em uma das paredes do posto, marcava uma
cilindro são desconhecidas. temperatura de 10 C. Assim que acabou de
encher o tanque de seu veículo, percebeu o
13. (Uerj 2016) Fenda na Ponte Rio- Niterói é marcador de combustível no nível máximo.
uma junta de dilatação, diz CCR Descansou no mesmo posto até às 10h do dia
seguinte quando o termômetro do posto
De acordo com a CCR, no trecho sobre a Baía registrava a temperatura de 30 C. Observou,
de Guanabara, as fendas existem a cada 400 no momento da saída, que o marcador de
metros, com cerca de 13 cm de abertura. combustível já não estava marcando nível
oglobo.com, 10/04/2014. máximo.

Qual afirmação justifica melhor, do ponto de


Admita que o material dos blocos que vista da física, o que aconteceu? Desconsidere
constituem a Ponte Rio- Niterói seja o a possibilidade de vazamento do combustível.
concreto, cujo coeficiente de dilatação linear é a) O calor faz com que o diesel sofra
−5 −1 contração.
igual a 1 10 C .
b) O aumento da temperatura afeta apenas o
tanque de combustível.
c) O tanque de combustível tem coeficiente de
dilatação maior que o próprio combustível.
d) O tanque metálico de combustível é um
isolante térmico, não permitindo o
aquecimento e dilatação do diesel.
RESPOSTAS COMENTADAS da coluna de mercúrio: h = 13 mm.
Resposta da questão 1:
[D]

A dilatação linear é dada pela expressão:


ΔL = L0  α  ΔT

Onde:
ΔL = dilatação linear em metros;
L0 =
Comprimento inicial em metros;
−1
α= Coeficiente de dilatação linear em C ;
ΔT = Variação da temperatura em °C.

Do gráfico dado, escolhemos um ponto:

Substituindo os valores na expressão dada:


V Ah Ah 5  10 −2  13
= γT  = T − T0  T = T0 + = 25 + = 25 + 26 
V0 γ V0 γ V0 1,25  10 −3  20

T = 51 C.

3
σ  6  10−8 W m2K 4 ;
b) Dados: Φ = 4 σ T0 T;
Φ = 64,8 W m2 , T0 = 300 K = 3  102 K.
Substituindo valores na expressão dada
calcula- se a temperatura em kelvins:
Φ Φ 64,8
Φ = 4 σ T03 T  T − T0 = T= + T0 = + 300 
4 σ T03 4 σ T03
( )
3
−8
4  6  10  3  102

Juntando a expressão da dilatação linear ΔL  T = 10 + 300  T = 310 K.

com os dados fornecidos pelo enunciado e


pelo gráfico, temos: Passando para a escala Celsius:
ΔL 1,2  10−3 m T = 310 − 273  T = 37 C.
ΔL = L0  α  ΔT  α = α =  α = 20  10−6 C
L0  ΔT 1m  60 C

Resposta da questão 3:
Resposta da questão 2:
[B]
a) Dados:
ΔV
V0 = 20 mm3 ; T0 = 25 C; A = 5,0  10−2 mm2; γ = 1,25  10−3 C−1; = γ ΔT.
V0
A figura mostra a variação sofrida pela altura
 ΔL1 ΔLC 4,5  10−3 m
ΔL1 = L1 α ΔT  = α ΔT αC = =  α C = 9  10−6 C−1
 L1 ΔL2 ΔL1 L0C  ΔTC 12,5 m  40°C
  = .
ΔL = L α ΔT  ΔL2 = α ΔT L2 L1 Logo, a barra C se refere à Platina.
 2 2
L2

[08] Falsa. Conforme constatação dos cálculos
Resposta da questão 4: acima.
02 + 04 = 06.
[16] Falsa. Conforme constatação dos cálculos
[01] Falsa. O coeficiente angular das retas acima.
representadas no gráfico pelas barras A, B e
C são iguais aos respectivos coeficientes de Resposta da questão 5:
dilatação linear de cada material (α ),
portanto [D]
a reta com maior inclinação (mais íngreme)
tem o maior coeficiente de dilatação. Logo, A dilatação de cada barra é dada por:
α A  αB  αC . ΔLA = L0A  α A  ΔTA e
ΔLB = L0B  αB  ΔTB
[02] Verdadeira. Pelo motivo já exposto na
justificativa da proposição [01]. Dividindo as duas equações e substituindo os
valores informados, temos:
5  L0B  α A  2  ΔTB
[04] Verdadeira. Para confirmação, vamos L  α  ΔTA
ΔL A ΔLB = 0A A
L0B  αB  ΔTB
 ΔL A ΔLB =
L0B  8  α A  ΔTB
 ΔL A ΔLB = 1,25

calcular o coeficiente de dilatação linear de


cada material de acordo com os dados do
Resposta da questão 6:
gráfico a 40 C. [C]
Da expressão da dilatação: ΔL = L0  α  ΔT
Isolando o coeficiente de dilatação linear α : O furo responde a um aumento de
ΔL
α= temperatura do mesmo modo como se fosse o
L0  ΔT
metal, ou seja, aumenta sua área.

Para as barras A, B e C : O cálculo da área do furo pode ser feita com a


ΔL A 13,5  10−3 m equação da dilatação superficial:
αA = =  α A = 27  10−6 C−1
L0A  ΔTA 12,5 m  40°C
Logo, a barra A se refere ao Chumbo. ΔS = S0  β  ΔT = S0  2α  ΔT
π
 ( 5 cm )  2  22  10 −6 C−1  (125 − 25 ) C
2
ΔS =
−3
ΔLB 11,0  10 m 4
αB = =  αB = 22  10−6 C−1 π
L0B  ΔTB 12,5 m  40°C ΔS =  25 cm2  2  22  10 −6 C−1  100 C = 275 π  10 −4 cm2
4
Logo, a barra B se refere ao Alumínio.
ΔS = 2,75 π  10−2 cm2

A superfície final é a soma entre a superfície


inicial e a dilatação:
E sabendo que o calor sensível é dado por:
S = S0 + ΔS Q = mcΔT
25 π 25,11π
S= cm2 + 2,75 π  10−2 cm2  S = cm2
4 4
Isolando ΔT do calor sensível
Q
ΔT =
Portanto, o diâmetro final é: mc
D = 25,11D = 5,011cm
e a capacidade térmica
Resposta da questão 7: C=
Q
= mc
[D] ΔT
Q
ΔT =
C
ΔA = A 0  β  Δθ
β = 2α
ΔA = A 0  2α  Δθ
Então podemos juntar as equações e ter uma
dependência entre a dilatação com o calor e a
ΔA = 202  2(2,00  105 )  (120 − 20)
capacidade térmica:
ΔA = 16,0  10 −1 cm2

Finalmente, substituindo na primeira equação:


Resposta da questão 8: Q
ΔV = ΔV0  3α 
[E] C

Dilatação térmica do muro maior: Ficando claro que a dilatação volumétrica


2 2
ΔS1 = S01  β  Δθ1  ΔS1 = 200 m  β  40 C  ΔS1 = 8000 m  β depende
 C diretamente além de V0 também de
α e de Q e inversamente de C.
Dilatação térmica do muro menor:
Resposta
ΔS2 = S02  β  Δθ2  ΔS2 = 100 m2  β  20 C  ΔS2 = 2000 m2  β  C da questão 10:
[E]
A razão das dilatações térmicas será:
ΔS1 8000 m2  β  C ΔS1 As equações que representam as dilatações
=  =4
ΔS2 2000 m2  β  C ΔS2 volumétricas do vidro e do mercúrio são:
ΔVvidro = V0,vidro  α vidro  ΔT (1)

Portanto, a razão será 4 vezes maior.


ΔVHg = V0,Hg  αHg  ΔT ( 2)

Resposta da questão 9: As dilatações volumétricas tanto do vidro


[B] como do mercúrio devem ser iguais para
permanecer o volume de vazios constantes,
Da expressão da dilatação volumétrica, temos: portanto:
ΔV = ΔV0  3α  ΔT ΔVvidro = ΔVHg ( 3 )
comprimento é dada por:
Igualando as duas equações e simplificando ΔL = Lo  α  Δθ
as variações de temperatura: Δθ =
ΔL
Lo  α
V0,vidro  α vidro  ΔT = V0,Hg  αHg  ΔT ( 4)

Utilizando os dados fornecidos no enunciado,


Fazendo a razão entre os volumes iniciais e
pode- se escrever:
substituindo os coeficientes de dilatação
0,13
volumétrica para cada material, temos: Δθ =
V0,vidro αHg
( 400 )  (1 10−5 )
= (5) Δθ = 32,5 C
V0,Hg α vidro
V0,vidro 1,8  10−4 C−1 V0,vidro
=  = 15 Resposta da questão 14:
V0,Hg 1,2  10−5 C−1 V0,Hg
[A]
Resposta da questão 11:
A expressão da dilatação térmica linear é:
[E]
ΔL
ΔL = L0 α ΔT  α = .
L0 ΔT
A dilatação linear depende do comprimento
inicial, do material e da diferença de
Aplicando as unidades do Sistema
temperatura, portanto, como as placas são do
Internacional:
mesmo material e sofrem a mesma variação  m 
de temperatura, a dilatação depende do α  =   α  = K −1  .
 m K   
comprimento na direção paralela ao eixo x,
sendo assim as placas com maior Por falta de opções, adota- se a alternativa [A].
comprimento em x, as placa A e C, terão
maior dilatação neste eixo. E o maior aumento Resposta da questão 15:
de área depende da maior área inicial, sendo a [C]
placa A a que terá maior dilatação superficial.
Portanto, a resposta correta é a [E]. O tanque de combustível tem coeficiente de
dilatação maior que o próprio combustível.
Resposta da questão 12: Dessa forma o combustível irá se dilatar e o
[B] tanque irá se dilatar mais que o combustível.
Não havendo vazamento de combustível.
Como o coeficiente de dilatação do alumínio é
maior que o coeficiente de dilatação do aço, [A] O calor faz com que o diesel sofra
logo o alumínio irá se dilatar mais que o aço. contração dilatação.
[B] O aumento da temperatura afeta apenas o
Resposta da questão 13: tanque de combustível e o combustível.
Em uma dilatação linear a variação de [D] O tanque metálico de combustível é um
isolante condutor térmico, não permitindo o
aquecimento e dilatação do diesel.