Você está na página 1de 20

1.

O silício puro, Si, é um dos componentes de chips de computador. A etapa final


de sua obtenção envolve a reação entre o tetracloreto de silício, SiCl4, e o
magnésio, Mg, conforme a representação abaixo:

SiCl4(l) + 2Mg(s) → Si(s) + 2MgCl2(s)

Responda as questões que se seguem, sabendo que 500,0 g de SiCl4 foram


colocados para reagir com 500,0 g de Mg.

a) Qual é o reagente limitante da reação? Mostre com cálculos.


b) Calcule a quantidade, em mol, de cada uma das quatro espécies após o
termino da reação, considerando 100% de rendimento.
c) Calcule o rendimento percentual da reação quando forem obtidos 70,0 g de
Si.
Resolução:

SiCl4(l) + 2Mg(s) → Si(s) + 2 MgCl2(s)

500 g 500 g
a) MM 169,9 24,31

500
nSiCl 4 = = 2,94 mol de SiCl4 precisaria 2 x 2,94 = 5,88 mol de Mg
169,9

Temos
500
nMg = = 20,6 mol de SiCl4 , logo Mg está em excesso
24,3
SiCl4 é o limitante
b)
SiCl4(l) = 2,94 - 2,94 = 0 mol de SiCl4
Mg(s) = 20,6 - 5,88 = 14,72 mol de Mg
Si(s) = 0 + 2,94 = 2,94 mol de Si(s)
MgCl2(s) = 0 + 5,88 = 5,88 mol de MgCl2

c) 2,94 mol Si(s) → 82,6 g


1 mol  28,09

82,6  100%
70 → 84,7 ≈ 85%
2.

O cis-diaminodicloroplatina(II), Pt(NH3)2Cl2, é um quimioterápico amplamente


utilizado no tratamento de vários tipos de câncer. Comercialmente, esse
composto é conhecido como cisplatina e pode ser obtido segundo a reação:

(NH4)2PtCl4(aq) + 2NH3(aq) Pt(NH3)2Cl2(s) + 2NH4Cl(aq)

Na tentativa de se obter novas drogas, vários derivados do cisplatina têm sido


sintetizados, como, por exemplo, aquele contendo piridina, C5H5N, obtido
segundo a reação:

Pt(NH3)2Cl2(aq) + n C5H5N(aq) Pt(NH3)2Cl2(C5H5N)n(s)

onde n representa o coeficiente estequiométrico do reagente C5H5N(aq).

a) Calcule o volume de solução aquosa de amônia, NH3, 0,125 mol L-1,


necessário para obter 10,0 g de cisplatina, considerando 100% de rendimento.
b) Determine o valor de n no composto Pt(NH3)2Cl2(C5H5N)n, sabendo que
0,150 g de cisplatina foram reagidos completamente com 1,50 mL de piridina
(d = 0,979 g mL-1) e que, o excesso de piridina foi reagido com 37,0 mL de HCl,
0,475 mol L-1, conforme a reação:

C5H5N(aq) + HCl(aq) C5H5NH+(aq) + Cl-(aq)


Resolução:

Cálculo da quantidade, em mol, de Pt(NH3)2Cl2) (MM = 300 g mol L-1):

300 g  1 mol
10,0 g  x
x = 0,0333 mol

Para se obter 0,0333 mol de cisplatina são necessários 0,0666 mol de NH3. Em
termos de volume de solução, 0,125 mol L-1, tem-se:
0,125 mol  1,0 L
0,0666 mol  x
x = 0,533 L ou 533 mL

b) Cálculo da quantidade total de piridina:


m = d.V
m = 0,979 x 1,50 = 1,47 g
79 g  1 mol
1,47 g  x
x = 0,0186 mol

Cálculo da quantidade de piridina em excesso:


npiridina excesso = n HCl
n HCl = 0,475 x 0,037 = 0,0176 mol

Cálculo da quantidade de piridina que reagiu:


npir reagiu = npir inicial - npir excesso = 0,0186 – 0,0176 = 0,00103 mol
Cálculo do valor de n:
0,150
ncisplatina = = 0,00050 mol
300

ncis 0,00050 1
= = logo x = 2
npir 0,00103 2
3.
Uma solução aquosa inicial (1,00 L, d = 1,087 g mL-1) contém 10,0 g de NaCl,
6,00 x 10-1 mol de KNO3 e uma quantidade desconhecida de Pb(NO3)2. A essa
solução são adicionados 818,2 mL de solução aquosa de NaOH (d = 1,087 g
mL-1 e 8,00% de NaOH em massa) para reagir com o Pb(NO3)2 de forma
completa e estequiométrica, formando Pb(OH)2, segundo a reação abaixo.

Pb(NO3)2(aq) + 2NaOH(aq) → 2NaNO3(aq) + Pb(OH)2(s)

a) Calcule a concentração, em mol L-1, do Pb(NO3)2 na solução aquosa inicial.


b) Calcule a fração molar do NaCl na solução aquosa inicial.
c) Calcule a massa de Pb(OH)2 produzida na reação.

Obs. O NaCl e o KNO3 não reagem com NaOH.


Resolução:

a) A quantidade presente de Pb(NO3)2 na solução inicial pode ser conhecida


através do cálculo da quantidade de NaOH gastos para a reação completa de
formação de Pb(OH)2.

nNaOH gasto na reação = (VNaOH x d Sol.NaOH x %NaOH) / MMNaOH


= (818,2 mL x 1,087 g mL-1 x 8/100)/40 g mol-1 = 1,78 mol

Como a estequiometria de reação é de 1 mol de Pb(NO3)2 para 2 mol de


NaOH, a solução inicial continha 0,89 mol de Pb(NO3)2, o que implica na
concentração molar de 0,89 mol L-1 (para 1,00 L de solução).

b) Para se calcular a fração molar do NaCl deve-se considerar todos os


componentes que formam a solução inicial:

XNaCl = nNaCl/(nNaCl + nKNO3 + nPbNO3 + nH2O), onde:

nNaCl = 10,0 g / 58 g mol-1 = 0,172 mol


nKNO3 = 0,600 mol (60,6 g de KNO3 em 1 L de solução)
nPbNO3 = 0,89 mol (294,8 g de Pb(NO3)2 em 1 L de solução)
nH2O = [Vsolução x dsolução – (mNaCl + mKNO3 + mPb(NO3)2)] / MMH2O = (1.087 – 365,4)
g / 18 g mol-1 = 721,6/18 = 40,1 mol
Logo:

XNaCl = 0,172/(0,172 + 0,600 + 0,89 + 40,1) = 0,172/41,8 = 0,00411

c) A massa de Pb(OH)2 pode ser calculada por meio da quantidade de


Pb(NO3)2 reagido, pois a relação estequiométrica entre estas duas espécies é
de 1 mol para 1 mol. Assim, 0,89 mol de Pb(OH)2 são formados, o que equivale
a:

mPb(OH)2 = nPb(OH)2 x MMPb(OH)2 = 0,89 mol x 241,2 g mol-1 = 214,7 g.


4.

O etanol, C2H6O, pode ser obtido a partir da sacarose, C12H22O11, contida em


matérias primas como a cana de açúcar, segundo a reação abaixo:

C12H22O11(s) + H2O(l) → 4C2H6O(l) + 4CO2(g)

A cana de açúcar contém 20% em massa de sacarose. Para a produção de


etanol foi utilizado 2.190 kg de cana de açúcar e 30 L de água.

a) Defina reagente limitante e indique o reagente limitante da reação nas


condições acima descritas.
b) Qual é a quantidade máxima de etanol (em mol) que pode ser produzida?
c) Defina rendimento percentual de reação e calcule-o para a reação do
problema quando são produzidos 167 kg de etanol.
Dado:
Densidade da água = 1,0 g mL-1.
Resolução:
a) Reagente limitante é aquele que está presente na menor “quantidade” (em
proporção estequiométrica) na reação.

C12H22O11(s) + H2O(l) → 4C2H6O(l) + 4CO2(g)

Cana contém sacarose (20%) 30L H2O (d = 1 g mL-1)

100 kg cana  20 kg sacarose 1 g água  0,001L


2190 kg → 438 kg 30000 g ←30L
1 mol sacarose  342 g MM(H2O) = 18 g mol-1
1,281 x 103 ← 438000g Temos 1,666 x 103 mol H2O

A proporção estequiométrica é 1 sacarose: 1 água


Como temos 1,28 x 103 mol de sacarose e 1,666 x 103 de água, a SACAROSE
é o limitante, pois, está presente em quantidade inferior à necessária pela
estequiométrica, para reagir com toda água.

b) 1,28 x 103 mol de sacarose  x mol = 5124 mol


1 mol sacarose  4 mol etanol
valor experiment al
c) Rendimento percentual é dado pela formula x 100 ,
valor teórico
sendo, portanto a razão entre o valor obtido em um experimento dividido
pelo valor que seria esperado pela estequiométrica da reação,
multiplicado por cem.
3630
Teórico = 5124 mol de etanol Rendimento = x100 = 71%
5124
46 g 1 mol
experimento =
167 kg  3630 mol
5.

O hidróxido de ouro(lll), Au(OH)3, é usado para cobrir a superfície de metais


com uma camada de ouro. A reação que representa a obtenção de Au(OH)3 é:

2KAuCl4(aq) + 3Na2CO3(aq) +3H2O( ) → 2Au(OH)3(aq) + 6NaCl(aq) + 2KCl(aq) +


3CO2(g)

Supondo que foram utilizados 50,00 g de KAuCl4 e 62,50 g de Na2CO3,


responda as questões que se seguem, considerando que H2O é um dos
reagentes que está em excesso.

a) Qual é o reagente limitante na reação? Mostre com cálculos.


b) Qual é a quantidade (em mol) consumida na reação, do reagente que está
em excesso? Considere que este item não se refere ao reagente H2O.
c) Qual é a quantidade máxima (em massa) de Au(OH)3 que pode ser obtida na
reação?
d) Calcule o rendimento da reação considerando que foram obtidos 28,0 g de
Au(OH)3.
Resolução:

a) KAuCl4 + Na2CO3Au(OH)3

50,00g 62,50 g
MM 377,9 106,0

377,9 g  1 mol KAuCl4 106,0 g  1 mol Na2CO3


50,00 g → 0,132 62,50 g  0,590

A proporção estequiométrica é:
2 KAuCl4  3 Na2CO3
0,132 → 0,198 mol Na2CO3
ou 0,393 ← 0,590

Precisamos de 0,198 mol de Na2CO3 para reagir com todo KAuCl4


ou 0,393 mol de KAuCl4 para reagir com todo Na2CO3
Só temos 0,132 mol de KAuCl4

O reagente limitante é o KAuCl4 que está presente em quantidade (mol) menor


que a estequiométrica para reagir com todo o Na2CO3 disponível

b) Será consumido 0,198 mol de Na2CO3 conforme cálculos acima.

c) 0,132 mol KAuCl4 pode gerar x mol de Au(OH)3


Se 2 mol KAuCl4 geram 2 mol de Au(OH)3
0,132 mol de Au(OH)3 0,132 x 248 = 32,74 g
MM = 248

28,00
d) x100 = 85,52%
32,74
6.

Um método laboratorial para preparar cloro, fundamenta-se na reação


representada pela equação:

MnO2 (s) + 2 NaCl (aq) + 2H2SO4 (aq) → MnSO4 (aq) + Cl2 (g) + 2H2O ( ) + Na2SO4 (aq)

Responda as questões abaixo, sabendo que foram obtidos experimentalmente


3,90 g de gás cloro, medidos a 26 °C e 1,00 atm, quando 5,00 g de MnO2 foram
misturados com 25,00 mL de uma solução 50,0% em massa de H2SO4 com
densidade de 1,84 g mL-1 e com 200,0 mL de uma solução de NaCl 1,0 mol L-1
(Considere desprezível a solubilização do gás cloro no líquido presente).

a) Qual é a quantidade (em mol) adicionada de cada reagente?


b) Qual é o reagente limitante ?
c) Qual é a quantidade teórica máxima (em massa) produzida de gás cloro?
d) Qual é o rendimento percentual da reação?
e) Qual é a quantidade, em mol, de cada componente da reação (produtos e
reagentes) após o término da mesma? Considerando 100% de rendimento.
Resolução:
a)
5,00g
n MnO 2 = = 0,06 mol de MnO 2
86,94
nNaCl = 0,20 mol de NaCl 1,00mol  1L
n NaCl 0,200 L
n H2SO 4 = 0,23 mol de H2SO 4 1,84g  1L
m 0,025 L
m = 46,0 g
46,0 g  100%
m 50,0%
m = 23,0 g
23,0g
nH2SO 4 = = 0,23mol
98

b) O reagente limitante é o MnO2

c)
1 MnO 2  1Cl2
m(g)
0,06mol 0,06 mol nCl2 = mCl 2 = 0,06 x 71 = 4,26g
MM
d)
4,26  100%
3,90 x
x = 91,5%

e)
n MnO 2 = 0
n NaCl = 0,20 − (2 x 0,06) = 0,08 mol
n H2SO4 = 0,23 − (2 x 0,06) = 0,11mol
n MnSO 4 = 0,06 mol
n Cl2 = 0,06 mol
n H2O = 2 x 0,06 = 0,12 mol
n Na2SO4 = 0,06 mol
7.

Uma amostra pesando 1,2680 g do carbonato de um metal M de fórmula


MCO3, reage com 100,00 mL de H2SO4 0,1083 mol L-1, segundo a reação 1. O
gás CO2(g) é removido e o excesso de H2SO4 é neutralizado com 71,02 mL de
uma solução de NaOH(aq) cuja concentração é de 0,1241 mol L-1 (reação 2).

H2SO4(aq)+ MCO3(s) → MSO4(aq) + H2O( ) + CO2(g) reação1


H2SO4(aq) + 2 NaOH(aq) → Na2SO4(aq) + 2 H2O( ) reação 2

a) Calcule a massa molar do metal M e o identifique.


b) Quantos litros de CO2 gasoso foram produzidos sabendo-se que a
densidade do CO2 é 1,7990 g L-1?

Resolução:
nº de moles em excesso de H2SO4
0,1241 mol de NaoH 1 mol de H2 SO 4
71,02 mL de NaOH x x = 4,41 x 10 −3 moles
1000 mL 2 mol NaOH

nº de mol inicial de H2SO4


mol
0,100 L x 0,1083 = 10,83 x 10 −3 mol
L
nºde mol de H2 SO 4 que reagiu estequiome tricamente com MCO 3 =
nºde mol de MCO 3
10,83 x 10-3 moles – 4,41 x 10-3 moles = 6,42 x 10-3 mol
1,2680g
M M CO3 = 60,0092 g mol-1 MMMCO 3 = = 197,51g mol -1

6,42x10 − 3 moles
197,51 – 60,00 = 137,51 g mol-1 é o Bário

b) n CO3= nCO2 = 6,42 x 10-3 mol


44,0091 1L
6,42 x 10 -3 mol de CO 2 x x = 0,157L ≈ 157mL
1 mol 1,7990
8.

Um volume de 50,00 mL de tetracloreto de silício, SiCl4( ), cuja densidade é de


1,483 g mL-1, reage com excesso de gás sulfídrico, H2S(g), formando um
composto de fórmula HSSiC 3 e ácido clorídrico gasoso, HC (g), conforme a
reação:

SiCl4( ) + H2S(g) → HSSiC 3( ) + HC (g)

O ácido clorídrico gasoso formado é dissolvido em água. A solução obtida é


neutralizada com 8,0 mL de NaOH (aq), que tem d = 1,16 g mL-1 e 13,8% em
massa.
HCl(aq) + NaOH(aq) → NaCl(aq) + H2O(l)

Calcule o rendimento percentual da reação?

Resolução:

50mL ≅ 74,15 g SiC 4( )


1
nº moles SiC 4 ( ) = 74.15 g ⋅ mol ⋅ g −1 = 0,436 mol
170
Massa de NaOH → 1160 g . L-1 . 0,13 g = 160,1 g
160,1
nº de moles NaOH em 1 L = = 4,00 moles
40
nº moles NaOH que reagem = 4,0 mol . L-1 x 8 x 10-3 L
= 3,2 x 10-2 mol.

100  0,436 0,032 mol . 100 .


1
= 7,3%
0,436 mol

X  0,032

Rendimento: 7,34%
9.

Uma substância de fórmula geral HX reage com excesso de Ba(OH)2 segundo


a reação I abaixo:

Reação I: 2HX(aq) + Ba(OH)2(aq) → BaX2(s) + 2H2O(l)

Uma massa de 16,9 g do produto BaX2 é colocada em um frasco onde são


adicionados 17,9 mL de solução aquosa de H2SO4 (reação II).

Reação II: H2SO4(aq) + BaX2(s) → BaSO4(aq) + 2HX(aq)

A solução de H2SO4 utilizada na reação ll foi preparada pela mistura de 50,0


mL de ácido sulfúrico comercial (d = 1,80 g mL-1, 70,0 % de H2SO4 e 30,0% de
H2O ambos em massa) com 200 mL de água, formando um volume final de
250 mL.

O excesso de H2SO4 na reação II reage com exatamente 31,0 mL de solução


aquosa de NaOH 0,100 mol L-1, conforme a reação III:

Reação III: H2SO4(aq) + 2NaOH(aq) → Na2SO4(aq) + 2H2O(l)

a) Calcule a fração molar de H2SO4 no ácido sulfúrico comercial.


b) Calcule a concentração, em mol L-1, da solução de H2SO4 utilizada na
reação II.
c) Calcule a massa molar de HX.
Resolução:

a) Considerando 1000 mL de solução de H2SO4 comercial, a massa obtida é:


msoluto = Vsolução x d = 1000 mL . 1,8 g mL-1 = 1800g
desses 1800g, 70% é ácido sulfúrico (1260g) e 30% é água (540g)
logo:

n H s SO 4 1260g
98g . mol − 1
XHs SO 4 = = = 0,299
nHs SO 4 + nHs O 1260g
98g . mol − 1
+ 540g18g . mol−1

b) Para 1000 mL de solução tem-se 1260g de H2SO4, logo a molaridade de


H2SO4 na solução comercial é:

m 1260g
M= = −1
= 12,9 mol L−1
MM.V 98g mol . 1L
Diluindo 50 mL dessa solução com água para formar 250 mL de volume final
de solução, temos que a molaridade da solução resultante é:

12,9 mol L−1 x 50 mL


M= = 2,58 mol L−1
250 mL

c) Para se obter a massa molar do HX, precisa-se saber a massa molar do


BaX2. Assim precisa-se saber a quantidade de BaX2, em mol, que equivale os
16,9 g da substância.
Como a reação entre BaX2 e H2SO4 é 1 para 1 tem-se que:
nH2 SO 4 (reagido) = nBaX 2
mas
nH2 SO 4 (reagido) = nH2 SO 4 (adicionado) − nH2 SO 4 (excesso)
nH2 SO 4 (adicionado) = M.V = 0,179L−1 x 2,58 mol L−1 = 0,046 mol
1 1
nH2 SO 4 (excesso) = NaO 4 = (0,100 x 0,0031) = 1,55x10 − 3 mol
2 2
nH2 SO 4 (reagido) = 0,0046 − 0,00155 = 0,0446 mol
nBaX 2 = H2SO(reagidos) = 0,0446 mol
16,9g
MM BaX = = 378,9g mol −1
2
0,0446 mol
MM BaX − MMBa = MMX 2 = 378,9 − 137,3 = 241,6
2

MMX 2
MMx = = 120,8 g mol −1
2
Logo, MMHX = 120,8 + 1 = 122 g mol −1
10.
Na revelação de chapas fotográficas a base de sais de prata, como por
exemplo, o brometo de prata (AgBr), este é removido com uma solução aquosa
de tiosulfato de sódio, segundo a reação abaixo:

2 Na2S2O3(aq) + AgBr(s) → Na3[Ag(S2O3)2](aq) + NaBr(aq)

Considere uma chapa fotográfica que contém 940 mg de AgBr e responda as


questões abaixo:

a) Qual é a percentagem de AgBr que reage a 250 ml de uma solução com


0,50% em massa de tiossulfato de sódio e densidade 1,01 g mL-1?

b) Defina reagente limitante e indique qual é o reagente limitante no item (a)

c) Qual é a quantidade em mol do reagente que ficou em excesso?

Resolução:
0,940 g
a) Número de moles AgBr em 940 mg → = 5,0 x10 − 3 moles
158 g / mol

Concentração da solução de Na2S2O3


0,5
massa de Na2S2O3 em 1,0 L de solução → m = 1010 x = 5,05 g.L-1
100
5,05 g L−1
= 3,2 x 10 − 2 mol L−1
188 g mol −1
no de moles de em 250 mL: 0,25 L x 3,2 x 10-2 mol L-1 = 7,99 x 10-3 mol
Pela relação estequiométrica:
1 mol AgBr: 2 moles Na2S2O3
Logo, reagem 3,99 x 10-3 moles AgBr que corresponde a:
3,99x10-3
% AgBr = x 100 ≅ 80%
5x10-3
b) Reagente limitante é aquele que numa reação está presente em quantidade
inferior à estequiométrica.
No item a o reagente limitante é o Na2S2O3
c) O reagente em excesso é o AgBr
Quantidade inicial: 5,00 x 10-3 mol
Quantidade que reage: 3,99 x 10-3 mol
Quantidade em excesso: 1,00 x 10-3 mol
11.

A descoberta da cisplatina (cis-diamminodicloroplatina, ou cis-DDP) no início


de 1960 gerou uma enorme quantidade de pesquisa visando o entendimento
do mecanismo da droga na destruição das células cancerosas no corpo
humano.

(I)
Atualmente a cisplatina (I) é mundialmente conhecida como um agente
anticancerígeno usado no tratamento de tumores. Pode ser produzida pela
reação tetra-cloroplatinato de potássio (II) com amônia (III), de acordo com a
reação 1 abaixo:
reação 1 : K2PtCl4(s) + 2 NH3(aq) Pt(NH3)2Cl2(s) +2 KCl(aq)
(II) (III) (I)

a) Quantos gramas de cisplatina são formados pela reação de 0,240 mol de


K2PtCl4 com 0,588 mol de NH3 ?
b) Calcule o rendimento percentual quando 1,71 g de K2PtCl4 e 0,161 g de NH3
produzem 1,08 g de cisplatina.

100 mL de K2PtCl4, x mol L-1 reagem com 100 mL de NH3(aq) 0,50 mol L-1. A
solução aquosa de NH3 restante é separada e reage estequiometricamente
com 150 mL de uma solução aquosa de HCl 0,20 mol L-1 (reação 2).

c) Qual é a concentração inicial, x, em mol L-1 do reagente K2PtCl4


d) Qual a massa de cisplatina produzida, considerando-se rendimento de 90%?
reação 2: NH3(aq) + HCl(aq) → NH4Cl(aq)
Resolução:

a) 0,24 mol K2PtCl4 : 0,48 mol NH3


Logo, há excesso de 0,108 mol NH3
São formados 0,24 mol Cisplatina ≡ 72,0 g

1,71
b) nº de moles K2PtCl4 → n = = 4,12 x 10 −3
415,1
0,161
nº de moles NH3 → n = = 9,47 x 10 − 3
17
4,12 x 10-3 mol K2PtCl4 : 8,24 mol x 10-3 NH3
Logo são formados teoricamente 4,12 x 10-3 mol de cisplatina que corresponde
a 1,26 g
100% rendimento  1,26 g
X  1,08 g
X = 85,5 %

c) 1 mol K2PtCl4 : 2 mol NH3


0,1X Y (1)

nº moles NH3 em excesso: 0,15 x 0,2 = 3,0 x 10-2


nº moles NH3 inicial : 0,50 x 0,1 = 5,0 x 10-2
nº moles NH3 que reage : 2,0 x 10-2 = Y
substituindo o valor de Y em (1), tem-se: 2 x 0,1 X = 2,0 x 10-2 x 1 e
X = 0,1 mol L-1

d) nº moles cisplatina produzidos: 10-2 x 0,9


massa cisplatina = 300 x 0,9 x 10-2 = 2,7 g
12.

Um pequeno pedaço de zinco, Zn(s), é totalmente dissolvido em 50,00 mL de


uma solução 1,035 mol L-1 de HCI (aq).
Zn(s) + 2 HCI(aq) → ZnCI2(aq) + H2(g)
Quando a reação termina, a concentração de HCI(aq) nos 50,00 mL de solução
é 0,812 mol L-1. Qual a massa do pedaço de zinco dissolvido?

Resolução:

(1,035 mol.L-1 x 50 x 10-3 L) mol HCl = 5,175 x 10-2mol HCl (inicial)

(0,812 mol.L-1 x 50 x 10-3 L) mol HCl = 4,060 x 10-2 mol HCl (final)
∆n = 1,115 x 10-2 mol

Relação Molar

1 Zn  2 HCl
x  1,115 x 10-2
no moles Zn = 5,58 x 10-3
m = 5,58 x 10-3 x 65,38 = 0,3624 g