Você está na página 1de 2

(Identificação estabelecimento de ensino)

Cursos de Educação e Formação – Programa de Recuperação

O Guia de Orientações dos Cursos de Educação e Formação (Direção Regional de Qualificação


Profissional, DRQP, SRERH, abril 2014) regulamentados pelo Decreto Legislativo Regional n.º 17/
2005, de 11 de Agosto e pela Portaria n.º 118 / 2005, de 14 de Outubro, alterada pela Portaria n.º
72/2011 de 14 de Outubro, prevê que quando “detetadas as dificuldades na aprendizagem e
diagnosticadas as causas efetivas de insucesso, a equipa pedagógica propõe a estratégia de
recuperação mais ajustada que passa por: definição de um programa de recuperação, assente na
intensificação do processo individualizado de acompanhamento, bem como na definição e
desenvolvimento de estratégias pedagógicas diferenciadas;”

Seguidamente, enunciam-se algumas estratégias de possível utilização no programa de


recuperação supracitado. Estas deverão ser selecionadas, mediante as necessidades detetadas no/a
formando/a, pela equipa formativa/pedagógica.

Estratégias Elegíveis para um Programa de Recuperação

 Diminuir o tamanho e complexidade das tarefas atribuídas, faseando-as;

 Certificar-se que o/a formando/a compreende as tarefas solicitadas, individualizando o


acompanhamento da sua execução. Este procedimento poderá compreender:

 Ler e explicar tarefas ou questões individualmente;


 Prestar orientações durante a realização das tarefas.

 Simplificar as palavras colocadas nos materiais escritos (fichas/guiões de trabalho, testes, etc.);

 Variar formato das questões (fichas/guiões de trabalho, testes, etc.), permitindo respostas nos
moldes:

 Verdadeiro/Falso;
 Ligação elementos em colunas;
 Preenchimento de espaços lacunares;
 Escolha múltipla.

 Privilegiar questões de resposta direta em vez das de desenvolvimento;

 Diferenciar a cotação dos testes, privilegiando aptidões do formando(a);

 Aos formandos(as) com dificuldade acentuada na produção escrita, considerar a expressão oral
na realização das tarefas;

 Solicitar/valorizar a participação e tomadas de iniciativa na sala de aula;

 Promover a realização de trabalhos (ex.: resumos, pesquisas) e valorizar os trabalhos


apresentados por iniciativa própria e que sejam pertinentes para a disciplina/domínio;

1
(Identificação estabelecimento de ensino)

 Promover a realização de trabalhos a pares/grupos;

 Facultar aos formandos recursos (resumos, quadros, tabelas, esquemas, gráficos, definições,
fórmulas, mapas) para melhor aquisição de conteúdos;

 Explicitar quais os conteúdos para os testes e quais os recursos necessários para a sua
preparação;

 Facultar, quando necessário, um guião de preparação para os testes de avaliação, com questões
a resolver.

A Equipa Pedagógica é entendida como promotora da aprendizagem dos


formandos. No processo de avaliação, deverá centrar-se no progresso do(a)
formando(a), em vez, da sua comparação com o progresso do grupo turma.