Você está na página 1de 2

(Identificação estabelecimento de ensino)

Intervenção na Perturbação Disgráfica: Escola e Família

Na sala de aula, os professores devem:

Dificuldades no desenho das letras (disgrafia):


- Permitir que o aluno utilize o tipo de letra com que se sente mais confortável, cursiva de
imprensa ou maiúscula;
- Devido às dificuldades na escrita, dar tempo adicional para que o aluno possa concluir a
tarefa;
- A correção de erros de ortografia deve apenas incidir na(s) letra(s) e não em toda a palavra
(exemplo, ezacto e não ezacto);
- Em algumas provas, a correção ortográfica e o “aspeto” do traçado devem ser excluídos
dos critérios de avaliação;
- Encorajar a expressão através de diferentes materiais (plasticina, pinturas, lápis, cortes,
ligar pontos, seguir instruções, seguir tracejados). No sentido de trabalhar a motricidade
fina, todas as tarefas que impliquem o uso das mãos e dos dedos são positivas. As
disciplinas de EV e ET poderão ter um papel preponderante nestas concretizações;
- Quando possível, utilizar o teclado do computador;
- Ter uma especial atenção na sustentação do utensílio de escrita. A utilização correta do
utensílio de escrita favorece uma boa grafia. De igual modo, não deve ser desvalorizado o
impacto negativo das posturas erradas.

Erros da escrita que afetam as palavras (disortografia):


- Ler alto, à medida que o aluno escreve;
- Soletrar as palavras, antes de escrever, pois permite ao aluno chegar a uma representação
da imagem da palavra, importante para a configuração da mesma, com todas as suas
componentes fonéticas, e com a sua correspondência gráfica;
- Exercícios de formação de famílias de palavras.

Em casa, os pais podem trabalhar com o aluno:


- Inventários cacográficos - Elaboração de um inventário dos erros cometidos pelo aluno.
Este deverá copiar para um caderno todos os erros ortográficos que costuma cometer e,
ao lado, escrever corretamente a palavra. Este inventário será a base de algumas
atividades básicas tais como a memorização de palavras, o ditado de palavras, a formação
de frases com as palavras, classificações, formação de famílias lexicais, etc.

- Exercícios de reconhecimento e repetição de palavras de dificuldade e abstração


crescentes - Começa-se por palavras monossilábicas, depois dissilábicas e polissilábicas,
culminando com palavras difíceis por serem de utilização rara.

- Exercícios de exploração e conhecimento de textos - leitura prévia do texto seguida da


análise das palavras e da localização daquelas que considera mais difíceis para serem
trabalhadas através da memorização e da escrita. Estas palavras deverão ser
posteriormente incluídas num vocabulário de dificuldade ortográfica. Por outro lado, deve
recorrer-se frequentemente a uma análise rítmica das uniões- separações e, por último, a
uma análise dos sinais de pontuação. Uma vez terminado este processo de análise prévia
do texto, realiza-se o ditado, o que permite uma consolidação das palavras bem escritas,

1
(Identificação estabelecimento de ensino)

obriga a uma análise do que se escreve e impõe a sua leitura global. Dar a possibilidade ao
aluno de deixar um pequeno espaço em branco quando tem dúvidas sobre a escrita de
determinadas palavras. No fim, trabalhar essas lacunas (primeiro soletrar oralmente e
depois escrever).

- Exercícios de discriminação entre fonemas:


o Escutar os sons do par, destacando as diferenças de articulação;
o Escutar e distinguir pares de palavras que incluam os dois fonemas (por exemplo,
pala-bala, mesa-lesa);
o Ditar sílabas, palavras ou frases com ambos os fonemas, insistindo na distinção
entre eles e potenciando a atenção linguística.

- Elaboração de ficheiros cacográficos - Elaborar cartões com palavras que tenham um


determinado grau de dificuldade ortográfica e nas quais o aluno costuma errar. Na parte
da frente dos cartões deverá surgir a palavra corretamente escrita, e, no verso, figurar a
palavra incompleta, com omissão das letras em que radica a dificuldade ortográfica, para
que o aluno as preencha (exemplo, bu__aco). Para facilitar a memorização da ortografia, é
possível incluir nas fichas um desenho alusivo de carácter mnemotécnico).

Você também pode gostar