Você está na página 1de 8

1

Modelo Matemático para Cálculo do


Acoplamento Magnético entre os Sistemas de
Distribuição em 69 kV da COSERN e Redes de
Distribuição Urbana de Água e Gás
J. Tavares de Oliveira, DEE-UFR; M. Firmino de Medeiros Jr., DCA-UFRN, e Adonizedeque A. da
Silva Pires, COSERN

 direções e a permeabilidade magnética igual a do ar. A


Abstract-- This work aims to develop a computer program to consideração da permeabilidade do solo igual a do ar pode ser
calculate step, touch and transfer potentials caused by feita, exceto quando o solo possuir um alto teor de ferro.
electromagnetic induction, because of physical proximity
between a power distribution line and a metal duct. Besides
II. FUNDAMENTAÇÃO MATEMÁTICA
calculating these steady state parameters, it must provide
necessary information to allow analysis of voltages induction in Para ilustrar a afirmativa acima, considere uma linha de
transient state - using ATP -, as well. Other features to be transmissão trifásica aérea e uma tubulação de aço, de
analyzed are electrostatic induction and the voltages produced comprimento l sob a superfície do solo, paralela a linha de
by the resistive coupling due to injection of short circuit
transmissão na mesma faixa de passagem, conforme a Figura
currents in the structure grounding , both in steady state and
transient. It must be pointed out that some types of defects 01. Considere ainda que a linha está a uma altura H da
produce transient voltages of amplitude and duration more superfície do solo e a tubulação está colocada no solo a uma
significant than the corresponding steady state values, which in profundidade h. Na ocorrência de um curto-circuito fase-
turn may eventually be acceptable. The modeling presented in terra, no local mostrado da figura anterior, a tubulação será
this paper, therefore, is part of a more comprehensive and more
envolvida por linhas de fluxo magnético, circulares,
rigorous one, involving transient voltages and resistive coupling.
produzidas pela corrente de curto-circuito na extensão do
Index Terms— Magnectic coupling, power distribution, tubo, localizada paralelamente à linha de transmissão, como
water and gas supply installations. mostra a Figura 02.

I. INTRODUÇÃO

O S tipos de curto-circuito mais frequentes, que podem


ocorrer em uma rede elétrica, são: curto-circuito
trifásico, curto-circuito fase-fase, curto-circuito fase-fase-terra
e curto-circuito fase-terra. Dentre estes, o mais frequente é o
curto-circuito fase-terra, que será considerado na presente
modelagem, pelo fato de ser conhecido na literatura como o
que produz a maior tensão induzida por acoplamento Fig. 01 Tubulação de aço enterrada no solo, nas proximidades de uma linha
magnético, no sentido longitudinal, em condutores paralelos de transmissão.
ao condutor em condição de curto-circuito. A tensão induzida
pode servir para estudar a influência da tensão alternada em
dutos metálicos enterrados [7].
Na análise a seguir, o solo será considerado com
resistividade elétrica constante e uniforme em todas as

Esta pesquisa está sendo financiada pela Companhia Energética do Rio


Grande do Norte – COSERN, através de seu Programa de P&D, regulamentado
pela ANEEL.
J. T. Oliveira é Professor do Departamento de Engenharia Elétrica da
UFRN, 59078-900 Natal (e-mail: jtavares@ct.ufrn.br).
M. F. Medeiros Jr. é Professor do Departamento de Engenharia de
Computação e Automação da UFRN, 59078-900 Natal (e-mail:
Fig. 02 Tubulação de aço envolvido por uma linha de fluxo magnético,
firmino@dca.ufrn.br).
A. A. da Silva Pires é Engenheiro Senior da Companhia Energética do Rio produzida pela corrente de Curot-circuito
Grande do Norte – COSERN, Rua Mermoz, 150, 59.000 Natal (e-mail:
2

Assim, a resistência total é dada por:


O fluxo magnético produzido pela corrente
induzirá uma força eletromotriz devido à impedância
mútua existente entre o condutor da linha e a tubulação. Essa
força eletromotriz será no sentido longitudinal da tubulação. Dividindo a resistência total pelo comprimento da
Supondo que a tubulação seja constituída por um material tubulação, tem-se o valor da resistência por unidade de
condutor, com forma geométrica bem definida, com comprimento , dada na forma:
condutividade elétrica e permeabilidade magnética
conhecidas, a impedância Z da tubulação poderá ser
facilmente determinada.
Para calcular a impedância mútua entre o condutor elétrico e Essa tubulação pode ser substituída por um condutor maciço
a tubulação, adotar-se-á a equação de Carson, usualmente com mesma resistência e com um raio equivalente
adotada em cálculo de parâmetros de linhas de transmissão. de valor:
Essa equação foi simplificada e colocada na forma:

Essa simplificação foi publicada internamente no laboratório


da Bell, conforme se cita no livro “Transmission Line A impedância da tubulação Z é formada pela resistência
Reference Book, 345 kV and above”, Edição, página e pela reatância longitudinal calculada
414. considerando também a resistividade do solo, a partir da
A impedância mútua entre os condutores i e j, equação de Carson, na forma:
separados pela distância pressupõe a presença da terra
considerada como um solo real com resistividade , tendo em
vista que é dado por: Assim, a impedância Z será calculada por:

O condutor maciço de impedância Z substituirá a tubulação


para fins de simulação do comportamento elétrico e a
A impedância mútua é composta por uma parte
real e outra imaginária. Para um solo com a permeabilidade distância será a distância entre o condutor da linha de
magnética igual a do ar e a frequência f=60 Hz, a parte real transmissão que conduz a corrente de curto-circuito e o centro
pode ser desprezada diante da parte imaginária, para solos do condutor equivalente.
com resistividade acima de 1,0 . Apenas para A tubulação colocada no solo pode estar submetida a duas
exemplificar, o erro cometido para um solo com resistividade condições:
de 1,0 é de 7,6% e para um solo de 1000,0 é de 1. Tubulação nova, com revestimento sem
contato elétrico com o solo;
1,2 %. Quanto maior for a resistividade, menor será o erro.
2. Tubulação usada com contato elétrico com
Dessa forma, admite-se calcular a impedância mútua usando
o solo.
apenas sua parte imaginária. Portanto:
Para tubulação nova com revestimento, admite-se que a
tensão induzida não fará circular corrente no solo. Assim
sendo, o circuito elétrico equivalente da Figura 03 poderá
representar essa condição. Nesse circuito a tensão induzida
será representada no centro da tubulação e a impedância
Assim, a tensão induzida na tubulação provocada pela Z da tubulação dividida ao meio, com partes iguais
corrente de curto-circuito que circula no condutor da concentradas nas extremidades.
linha de transmissão, distante do centro da tubulação é
dada por:

Para calcular a impedância Z da tubulação, considere um


Fig. 03 Circuito elétrico equivalente da tubulação enterrada no solo,
tubo de aço com raio externo , raio interno , submetida à indução magnética sem contato elétrico com o solo.
permeabilidade magnética e condutividade . A área
útil da tubulação é: Para tubulação usada com contato elétrico com o solo,
existirá a resistência de terra da tubulação total , devido à
resistividade do solo.
3

A resistência de terra de uma tubulação metálica possuir centenas ou dezenas de centenas de metros. Como a
tensão induzida e a resistência de terra são uniformemente
condutora de raio externo , enterrada nas condições distribuídas ao longo da tubulação, o modelo de circuito com
como mostrada na Figura 02, é dada na forma original por: parâmetros concentrados não representa fielmente o
fenômeno físico. Para que isso aconteça, é necessário
considerar a tubulação representada por um circuito com
Ou parâmetros distribuídos. Para modelar a tubulação dessa
forma, a maneira mais simples é dividir a tubulação em
pequenos trechos e fazer a associação dos circuitos
Assim sendo, outro circuito elétrico equivalente poderá ser equivalentes, em cascata. Os parâmetros de cada trecho serão
idealizado para representar essa condição, como mostra a distribuídos conforme a Figura 07, com os valores de ,
figura abaixo. e proporcionais aos comprimentos de cada um e a
tensão transversal V na posição indicada.

Fig. 07 Circuito elétrico equivalente de cada trecho da tubulação.


Fig. 04 Circuito elétrico equivalente da tubulação enterrada no solo,
submetida à indução magnética, com contato elétrico com o solo. Considera-se então uma tubulação dividida em n
trechos, representados pelos seus circuitos equivalentes que,
Nesse novo circuito equivalente, metade da resistência de conectados em cascata, resulta no circuito representativo de
terra da tubulação será concentrada em cada extremidade do toda a tubulação, mostrado na Figura 08. A fim de verificar
circuito. Esses circuitos serão denominados de circuitos de as condições de segurança de pessoas em contato com o tubo,
parâmetros concentrados. deseja-se calcular o valor das tensões resultantes,
Aplicando transformação com de fontes ao circuito da Figura da tubulação, nos pontos 1, 2, 3 e n,
03, obtém-se o circuito da Figura 05. respectivamente, provocadas pela tensão magneticamente
induzida devido à corrente de curto-circuito que circula
na linha de transmissão.

Fig. 05 Circuito elétrico equivalente ao circuito da fig. 03, após


transformação de fonte de corrente em paralelo com a admitância.
Fig. 08 Circuito elétrico equivalente da tubulação dividida em n trechos
conectados em cascata.
Os valores de e de são calculados, respectivamente,
por: Em algumas tubulações enterradas podem existir
trechos que não ficam paralelos a linha de transmissão na
e
mesma faixa de passagem, eles se originam da fonte
A partir desse resultado, o circuito da Figura 04 pode ser abastecedora de gás ou de água e se destinam aos
transformado no circuito da Figura 06. consumidores conectando-se ao trecho paralelo a linha de
transmissão. Os trechos não paralelos da tubulação, a
esquerda E e a direita D, conforme mostrados na Figura 01,
serão representados por impedâncias equivalentes e
e conectados nas extremidades do circuito em cascata,
como mostra a Figura 08.
O circuito da Figura 08 pode ser resolvido usando
Fig. 06 Circuito elétrico equivalente da tubulação enterrada no solo técnicas clássicas da teoria de circuitos elétricos. No entanto,
submetido a indução magnética com contato elétrico com o solo existe uma forma mais simples e usual, empregada para
transformado em fonte de corrente em paralelo com a admitância. cálculo de redes elétricas em sistemas de energia elétrica, em
que o circuito em questão pode ser transformado no circuito
Essa metodologia de circuitos de parâmetros concentrados
equivalente da Figura 09.
pode ser aplicada para uma tubulação curta, na ordem de
grandeza de alguns metros. Na prática, essa tubulação pode
4

matriz, pode produzir elevados erros numéricos. A técnica


mais usada em sistemas de energia elétrica de grande porte é
obter a matriz diretamente, formando cada elemento
passo a passo. Essa técnica, também é bastante conhecida por
quem trabalha com análise de sistemas de potência e será
Fig. 09 Circuito elétrico equivalente da tubulação dividida em n segmentos usada neste trabalho.
transformados em fontes de correntes com as admitâncias em paralelo e
conectados em cascata.
O circuito elétrico equivalente visto pela impedância do corpo
Nesse circuito a fonte de corrente a admitância humano , que esteja conectada eletricamente ao segmento
são as mesmas do circuito da Figura 05 e, e i da tubulação, é o equivalente de Thévenin constituído por
uma fonte de tensão de valor eficaz , em série com a
são as admitâncias equivalentes vistas do ponto 1 e do ponto
n respectivamente. Aplicando Análise Nodal ao circuito da impedância própria da diagonal principal da matriz
Figura 09, obtém-se a equação matricial abaixo. , conforme mostra a Figura 10.

 I m  Yeq1  YS   YS 0  0  V1 
0    Y YP  2YS  YS  0   
   S  V2 
0    0  YS YP  2YS  0   V3 
     
        YS    
 I m  
 0 0 0  YS Yeqn  YS  Vn 
A matriz que relaciona o vetor de tensões da tubulação
Fig. 10 Circuito elétrico equivalente visto pela impedância de uma pessoa
com o vetor de corrente equivalente é a matriz admitância do conectada ao segmento i de uma tubulação.
circuito. Em forma compacta, essa equação pode ser escrita
na forma seguinte: De acordo com o circuito da Figura 10, a corrente que
I   YB  V  circulará através do corpo humano, , será dada por:

O vetor contém as injeções de corrente, é a matriz


admitância e é o vetor das tensões a serem calculadas.
Pode-se calcular o vetor das tensões por inversão da matriz Para todas as situações simuladas na seção seguinte, adotar-
, de acordo com: se-á o circuito equivalente da fig. 10, com Zh=1.000,00 ohms.
Além disso, o limite de corrente, a partir do qual ocorre
V   YB 1  I  fibrilação ventricular será considerado igual a 100 mA.
Quando for o caso, a resitência de isolamento será
considerada igual a 1,0 MΩ.
V   Z B  I 
III. SIMULAÇÃO E RESULTADOS
Expandindo em forma matricial, fica: Para aplicar a modelagem matemática desenvolvida,
adotou-se como exemplo um sistema elétrico constituído de
V1   Z 11 Z 12 Z 13  Z 1n   I m  um trecho de uma linha de transmissão de 69 kV e uma
V   Z  Z 2 n   0 
tubulação fictícia como mostra a Figura 11. A corrente de
 2   21 Z 22 Z 23
curto-circuito calculada no ponto indicado é de 1.122,8
V3    Z 31 Z 32 Z 33  Z 3n    0  A, considerando uma resistência de falta de 33,33 ohms. A
     
           resistividade do solo foi considerada igual 100 e
Vn   Z n1 Z n 2 Z n3  Z nn   I m  para a tubulação de aço, adotaram-se os seguintes dados:
1. Raio interno de 48,0 cm;
2. Raio externo de 50,0 cm;
Calcula-se então o valor da tensão em cada segmento ao
3. Permeabilidade magnética relativa igual a 10,0;
longo da tubulação por:
4. Condutividade do aço igual a ;

Vi  Z in  Z i1   I m
5. Comprimento da tubulação igual a 1.000,0 m.
.
Embora a matriz possa ser obtida por inversão de , Para o cálculo da tensão induzida na tubulação, devido ao
essa forma de cálculo requer um esforço computacional muito acoplamento magnético, foi desenvolvido um programa de
alto que, dependendo da dimensão e do condicionamento da computador digital em linguagem FORTRAN, usando o
5

programa livre FORCE [5], gerando arquivos para construção . Na condição 1, pelo fato de toda rede da tubulação está
de gráficos com os resultados calculados. Nessa fase inicial, isolada, a resistência é desprezível diante da resistência
os gráficos foram construídos através da plataforma gráfica
de isolamento da tubulação, que será considerada de 1,0 M .
do Scilab [6], software de domínio público.
A norma IEC 60479-1 que estabelece os padrões
Uma tubulação de aço que transporta fluidos como gás e
internacionais define o valor máximo de tensão de contato,
água tem suas origens e destinos em locais distantes da
em função do tempo de exposição. Esse mesmo valor é
mesma faixa de passagem da rede elétrica que está paralela à
adotado na norma NBR 14039. O valor máximo da tensão de
tubulação enterrada. Essa tubulação pode ser totalmente
contato que pode ser mantida indefinidamente, de acordo com
protegida (revestida), quando nova, em toda sua extensão, por
a IEC 60479-1, em condições especificadas de influências
um material isolante tornando-a um condutor isolado sob o
externas, é igual a 50 V em corrente alternada (valor eficaz) e
solo. Pode também possuir, trechos sem revestimento em
120 V em corrente contínua uniforme, nas instalações
contato direto com o solo tornando-a um condutor elétrico em
internas ou abrigadas, e 25 V em corrente alternada (valor
contato sem isolamento sob o solo. Esses trechos da tubulação
eficaz) e 60 V em corrente contínua uniforme, nas instalações
que estão fora da faixa de passagem da linha de transmissão
externas. Dependendo do tempo de exposição da tensão e do
serão representados por uma impedância equivalente , dano que possa causar, o valor da tensão de contato pode ser
colocada no lado esquerdo, e uma impedância equivalente maior, como por exemplo, 100 V, durante o tempo de 500
, colocada no lado direito do circuito equivalente ms, imposta ao ser humano com resistência de 1000 , faz
representativo da tubulação, dividida em n partes iguais, circular uma corrente de 100 mA, que é o limite de fibrilação
conforme mostra a Figura 08. ventricular. Esse será o limite máximo de corrente tomado
para designar o valor da tensão de contato em um ponto da
tubulação, energizado por indução magnética em todas as
condições.
A. Curto-circuito fora do trecho D-E

A condição 1 de locação e de aterramento, com a


tubulação isolada em toda sua extensão, representa a situação
de se ter uma rede totalmente nova com a tubulação revestida
com material anti-corrosivo, portanto isolada do solo. O
resultado dos valores da tensão induzida devido ao
acoplamento magnético, ao longo da tubulação, pode ser visto
Fig. 11 Exemplo de um sistema elétrico constituído de um trecho de uma
linha de transmissão de 69 kV e uma tubulação fictícia. no gráfico da Figura 12.

A geometria da linha de transmissão e da tubulação Verifica-se no gráfico da Figura 12 que o valor eficaz da
e as distâncias encontram-se mostradas na Figura 11. Para a tensão ao longo do tubo condutor, varia linearmente das
aplicação do modelo, algumas situações práticas foram extremidades E e D para o centro da tubulação de 190 V até 0
idealizadas, correspondentes a seis condições de locação da V. Os valores da tensão nos trechos situados à esquerda de E
tubulação e da resistência de aterramento, quais sejam: e à direita de D serão constantes e iguais a 190 V. Esses
trechos podem ter centenas ou milhares de metros de
1. Tubulação totalmente isolada em toda sua extensão comprimento o que pode chegar a uma localidade em que
desde a base até o final; uma pessoa possa tocar na tubulação em um ponto com
2. Tubulação isolada a partir da derivação e aterrada do revestimento comprometido (p.ex., por oxidação) ou em uma
lado esquerdo com resistência equivalente de 1 ohm; conexão mecânica, em contato com o aço, não isolada. Nessa
3. Tubulação isolada apenas no trecho paralelo a linha situação, a corrente máxima que circulará pelo corpo humano
de transmissão e aterrada nas duas derivações com será de 0,19 mA. Portanto, essa corrente não causará danos
resistência equivalente de 1 ohm; ao ser humano, já que a corrente que causa fibrilação
4. Tubulação sem isolação (em contato com a terra) e ventricular é de valor considerado acima de 100 mA.
isolada nas duas derivações;
5. Tubulação sem isolação (em contato com a terra) e
aterrada do lado esquerdo com resistência
equivalente de 1,0 ohm;
6. Tubulação sem isolação (em contato com a terra) e
aterrada nas duas derivações com resistência
equivalente de 1,0 ohm.
Exceto na condição 1, a impedância do circuito equivalente
de Thévenin, , será considerada desprezível diante da
impedância do corpo humano , para o cálculo da corrente
6

uma pessoa possa tocar na tubulação em um ponto descascado


(oxidado) ou em uma conexão mecânica, em contato com o
aço, não isolada. A partir do circuito equivalente de
Thévenin da Figura 10, calculam-se os valores das correntes
nos diferentes segmentos de tubo. Mesmo com a tubulação
isolada nesse trecho, supondo a corrente que
circulará pelo corpo humano poderá atingir 380 mA.
Portanto, pode se estabelecer uma corrente muito alta, que
poderá causar danos ao ser humano.

Na condição 3 de locação e de aterramento, supõe-se que


a tubulação esteja isolada entre as extremidades D e E,
portanto no trecho paralelo à linha de transmissão, e que o
trecho à esquerda de E esteja aterrado, com resistência de
aterramento , sendo a impedância equivalente
obtida com ; o trecho à direita de D considera-
Fig. 12 Gráfico da distribuição de tensão induzida ao longo da tubulação no
sistema da Figura 11 na condição 1. se aterrado com resistência de aterramento sendo a
impedância equivalente obtida com .
A condição 2 de locação e de aterramento, com a Essa condição representa a situação de se uma rede nova no
tubulação isolada em toda sua extensão à direita da trecho D e E com a tubulação revestida com material anti-
extremidade E, e considerando que toda a extensão à corrosivo, portanto isolada do solo e a esquerda de E e à
esquerda de E esteja aterrada, cuja resistência de aterramento direita de D uma rede antiga oxidada, com conexão elétrica
seja a impedância equivalente , com direta com o solo. O resultado dos valores da tensão induzida
. Essa hipótese corresponde à situação prática devido ao acoplamento magnético, ao longo da tubulação,
de se ter uma instalação nova a partir da direita de E com a pode ser visto no gráfico da Figura 14.
tubulação revestida com material anti-corrosivo, portanto
isolada do solo e a esquerda de E, uma rede antiga, oxidada,
com conexão elétrica direta com o solo. O resultado dos
valores da tensão induzida devido ao acoplamento magnético,
ao longo da tubulação, pode ser visto no gráfico da Figura
13.

Fig. 14 Gráfico da distribuição de tensão induzida ao longo da tubulação no


sistema da Figura 11 na condição 3.

Pode-se ver no gráfico que o valor eficaz da tensão ao


longo do condutor, varia linearmente das extremidades E e D
para o centro da tubulação, de 56 V até 0 V. Os valores da
Fig. 13 Gráfico da distribuição de tensão induzida ao longo da tubulação no tensão nos trechos da tubulação que estão à esquerda de E e à
sistema da Figura 11 na condição 2.
direita de D serão constantes e iguais a 56,0 V. Caso uma
Observa-se no gráfico da Figura 13 que o valor eficaz da pessoa toque na tubulação em um ponto descascado (oxidado)
tensão ao longo do condutor varia linearmente da ou em uma conexão mecânica não isolada, a corrente que
extremidade E até a extremidade D de 0 V a 380 V. Os circulará pelo corpo humano será no máximo de 56,0 mA,
valores da tensão nos trechos da tubulação que estão a que não causará danos.
esquerda de E serão constantes e iguais a 0 V e os valores das A condição 4 de locação e de aterramento admite a
tensões no trecho a direita de D são iguais a 380 V. O trecho tubulação aterrada entre as extremidades D e E, portanto no
a direita de D pode ter centenas ou milhares de metros de trecho paralelo à linha de transmissão, e que os trechos à
comprimento o que pode chegar a uma localidade em que esquerda de E e a direita de D estejam isolados. A resistência
7

de terra é considerada uniformemente distribuída ao longo do 67,50 V.


trecho paralelo à linha, de maneira que o valor da resistência
equivalente reproduza a resistência de terra de um eletrodo
disposto horizontalmente no solo. Essa condição representa a
situação de uma rede antiga oxidada com conexão elétrica
direta com o solo e à esquerda de E e à direita de D, uma rede
nova com a tubulação revestida com material anti-corrosivo,
portanto isolada pelo revestimento, mas com conexão elétrica
direta com o solo. A variação dos valores da tensão induzida,
ao longo da tubulação, é mostrada no gráfico da Figura 15.

Fig. 16 Gráfico da distribuição de tensão induzida ao longo da tubulação no


sistema da Figura 11 na condição 5.

Nesses trechos, a máxima corrente que circulará pelo


corpo humano poderá atingir 67,5 mA, portanto, inferior ao
limite de 100,0 mA, para de fibrilação ventricular.
A condição 6 supõe que a tubulação esteja aterrada entre
Fig. 15 Gráfico da distribuição de tensão induzida ao longo da tubulação no as extremidades D e E, portanto no trecho paralelo a linha de
sistema da Figura 11 na condição 4
transmissão, e que o trecho a esquerda de E esteja aterrado,
Verifica-se no gráfico da Figura 15 que o valor eficaz da com resistência de aterramento sendo a impedância
tensão ao longo do condutor varia das extremidades E e D equivalente , com , e que o trecho a
para o centro da tubulação de 67,5 V até 0,0 V. Entretanto, direita de D esteja aterrado com resistência de aterramento
essa variação é não linear. Isso ocorre devido à hipótese de sendo a impedância equivalente , com
resistência de aterramento equivalente variável, ao longo do . Essa condição representa a situação de se ter
tubo. Os valores da tensão nos trechos que se encontram à
uma rede integralmente antiga, com conexão elétrica direta
esquerda de E e à direita de D são constantes e iguais a 67,5
com o solo. O resultado dos valores da tensão induzida devido
V. Como a tubulação está totalmente isolada nesses trechos, a ao acoplamento magnético, ao longo da tubulação, pode ser
corrente que circulará pelo corpo humano poderá atingir 67,5
visto no gráfico da Figura 17.
mA, portanto, uma corrente baixa que não causará danos ao
ser humano.
Na condição 5, supõe-se a tubulação aterrada até a
extremidade D e que o trecho à esquerda de E esteja aterrado,
com resistência de aterramento , sendo a impedância
equivalente , com . Supõe-se ainda que
o trecho à direita de D esteja isolado. Essa condição
representa a situação de uma rede nova no trecho à direita de
D com a tubulação revestida com material anti-corrosivo,
portanto isolada do solo, e toda a tubulação à esquerda de D,
uma rede antiga e oxidada, com conexão elétrica direta com o
solo. O resultado dos valores da tensão induzida devido ao
acoplamento magnético, ao longo da tubulação, pode ser visto
no gráfico da Figura 16.
Observa-se no gráfico da Figura 16 que o valor eficaz da
tensão ao longo do tubo condutor varia, não linearmente,
das extremidades E e D para o meio da tubulação com valores Fig. 17 Gráfico da distribuição de tensão induzida ao longo da tubulação no
sistema da Figura 11 na condição 6.
máximos entre 35,0 V e 67,5 V. Os valores da tensão nos
trechos da tubulação que estão a esquerda de E podem atingir Pode-se ver no gráfico da Figura 17 que o valor eficaz da
até 35,0 V e da direita de D serão constantes e iguais a
tensão ao longo do condutor varia, não linearmente, das
8

extremidades E e D para o meio da tubulação com valores Adonizedeque Albuquerque da Silva Pires graduou-se
em Engenharia Elétrica – Ênfase Eletrotécnica em
máximos entre 34,0 V. Os valores da tensão nos trechos da 02/03/1989. É Engenheiro da Companhia Energética
tubulação que estão a esquerda de E e a direita de D atingir do Rio G. Norte - COSERN. As Áreas de Atuação são
até 34,0 V. Caso uma pessoa toque a tubulação em um ponto Análise de Projetos Rurais e Sistema de aterramento
MRT (Monofásico Retorno por terra). Possui
sem revestimento (oxidado) ou em uma conexão mecânica, experiência ainda em projeto e fiscalização de Obras
em contato com o aço, não isolada, a corrente máxima que de Linhas de Transmissão 69 kV e 138 kV.
circulará pelo corpo humano será de até 34,0 mA, o que não
causará danos ao ser humano. O circuito elétrico resultante Manoel Manoel Firmino de Medeiros Júnior was
Born in Macaíba - RN, Brasil, in July 11th, 1954. He
dessa condição pode ser dado por um equivalente de has graduated in Electrical Engeneering at Universidade
Thévenin; sendo uma fonte de tensão alternada de valor Federal do Rio Grande do Norte - Brazil in 1977. He
eficaz variável até 34,0 V em série com uma resistência obtained his M.Sc. degree in 1979, in the area of Power
Systems at UFPB- Brazil, and his Doctor degree in
equivalente vista do ponto do valor da tensão localizado na
1987, at Technische Hochschule Darmstadt - Germany.
tubulação. He is Professor at UFRN since 1977

IV. CONCLUSÕES
Pode-se verificar nos gráficos das Figuras 12 a 17 que,
em nenhuma condição, os valores das tensões não foram
superiores ao valor de 380 V na condição 2, cujos valores
estão no gráfico da Figura 13. Assim sendo, a pior situação a
ser considerada para fins de limite de tensão de contato na
tubulação é quando fluxo produzido pela corrente de curto-
circuito envolve a tubulação que se encontra paralela à linha
de transmissão na mesma faixa de passagem na condição 2.
Nessa condição, medidas mitigadoras precisam ser adotadas,
a fim de reduzir os valores da tensão de contato para valores
que não produzam danos ao ser humano.

V. AGRADECIMENTOS
Os autores agradecem à Companhia Energética do Rio Grande
do Norte – COSERN pelos suportes financeiro e técnico.

VI. REFERÊNCIAS BIBILOGRÁFICAS

1. Transmission Line Reference Book, 345 kV and Above/Second Edition,


1982. Electric Power Research Institute.
2. Paul M. Anderson. Analysis of Faulted Power Systems. IEEE PRESS,
1995.
3. Interferências Eletromagnéticas Devidas às linhas de Transmissão. Mário
Fabiano Alves,Ph.D e Elilson Eustáquio Ribeiro, M.S.c. SALTEE’96-
Seminário Avançado em Linhas de Transmissão de Energia. Belo
Horizonte-MG-out/1996.
4. ATP Alternative transients Program.www.emtp.org.
5. FORCE 2.0.9p. Fortran Compiler Editor. Guilherme Luiz Lepsch Guedes.
http://force.lepsch.com.
6. Scilab 5.3.3. The Free Platform for Numerical Computation .
www.scilab.org/products/scilab.
7. José Álvaro de Carvalho Albertini. Estudo da Influência da corrente
alternada na corrosão em dutos metálicos enterrados. Dissertação de
Mestrado. Escola de Engenharia de Mauá, São Caetano do Sul, 2008.

VII. BIOGRAFIAS

José Tavares de Oliveira nasceu em Patu - RN,


Brasil, em 20 de maio de 1953. Graduou-se em
Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Rio
Grande do Norte em 1977. Concluiu, em 1979, o
Mestrado na Área de Sistemas de Energia Elétrica, na
UFPB e o Doutorado, em 1993, na COPPE -UFRJ. É
professor Associado IV da UFRN desde maio de
2006.

Você também pode gostar