Você está na página 1de 82

Dados gerais

Descrição
- Datos gerais
- Índice geral
- Componentes principais
- Visão da máquina
- Carga da máquina
- Condições na fase de transporte
- Desmontagem da barra fixa
- Deslocamentos da máquina no canteiro
- Eletrosoldagem
- Limitador pantográfico
- Verticalidade do mastro
- Advertências importantes
- Características técnicas
- Normas de segurança para a utilização
- Advertências gerais
- Advertências para iniciar
- Advertências para operacionar
- Advertências para parar
- Bloco das eletroválvulas
- Cabine do operador
- Posição dos números de série
- Posição do contagiros
- Comandos do operador
- Quadro do motor a diesel
- Quadro do motor a diesel - Parte "A"
- Quadro do motor a diesel - Parte "B"
- Quadro dos mamômetros
- Quadro dos seletores
- Manipulador do guincho principal
Dados gerais

Descrição
- Painel das bombas de pressão
- Painel das movimentações
- Quadro elétrico
- Assento do operador
- Quadro do encaixe
- Quadro do material rodante
- Manipulador de rotação
Componentes principais

Roldanas do encaixe

Encaixe do poste

Extensão da antena Cabeçote da haste telescópica

Guia da haste

Cilindro pull-down

Antena

Corda do guincho de serviço

Haste telescópica

Corda do guincho principal

Mesa rotary

Cilindro de elevação da antena

Guincho principal
Triângulo
Guincho de serviço
Pantógrafo

Motor a diesel Cilindro de elevação do pantógrafo

Cabine do operador

Contrapeso
Giratória da torre

Material rodante
Visão da máquina

LADO DIREITO LADO ESQUERDO

FRENTE
Carga da máquina

ATENÇÃO: O carregamento da máquina sobre um caminhão deve ser feito assegurando-se que a
roda motriz do material rodante esteja na posição conforme mostra a figura.
Condições na fase de transporte

Máquina desmontada, pronta para o envio.

Máquina montada, pronta para as movimentações de canteiro a canteiro.


Desmontagem da barra fixa

ATENÇÃO! A barra fixa (indicada na figura com a letra "A") deve ser desmontada antes de elevar
o mastro.
Deslocamentos da máquina no canteiro

ATENÇÃO! Durante os deslocamentos, no canteiro, a máquina deve estar configurada


como relatado no desenho.
Eletrosoldagem

ATENÇÃO! Antes de executar qualquer operação de eletrosoldagem, na máquina, é necessário retirar


os polos positivo (+) letra (A) e negativo (-) letra (B) das baterias e retirar, também, os conectores com
6 polos (C) e (D) assim como aquele com 24 polos (E) localizados sob o painel dos manômetros dentro
da cabine do operador.

ATENÇÃO! É ESTRITAMENTE PROIBIDO executar soldas em elementos que estejam conectados


e/ou engatados ao gancho/corda do guicho de serviço. Essa operação reduz, de modo permanente,
a 1/3 a resistência da própria corda. Portanto, a GEOMECCANICA SRL. declina de qualquer
responsabilidade por danos a pessoas e/ou objetos derrivados dessa operação não consentida.
Limitador pantográfico
Verticalidade do mastro

O mastro é visualizado no TARALOG. Um sensor de inclinação fará a sua leitura (Fig. 1) tanto na configuração CFA como
naquela dos postes. O TARALOG alimentará as eletroválvulas dos dois cilindros do mastro em quatro saídas assim
dispostas:

EIXO Configuração dos postes Configuração CFA Eletroválvulas Canal

ligado ligado
desligado desligado

ligado ligado
desligado desligado

ligado ligado
desligado desligado

ligado ligado
desligado desligado

EIXO Configuração dos postes Configuração CFA Eletroválvulas Limitador

ligado ligado fechado


desligado desligado aberto

ligado ligado fechado


desligado desligado aberto
Verticalidade do mastro

Os dois limitadores, no mastro (fig. 2), limitarão o movimento do mastro para deslocamentos superiores a 4º tanto para
a direita como para a esquerda.

Na configuração CFA, o limitador FC7 localizado no mastro, para ler e controlar o movimento da rotary, possibilita abaixar
o mastro além dos 10º permitidos, apenas quando a rotary está totalmente abaixada. O mesmo limitador controla a
descida do guincho principal, de modo a parar a rotary na posição mais baixa, sem que esta última toque o trado
(hélice contínua).

Na configuração nos postes, o limitador FC7 é desabilitado, a fim de permitir a descida do mastro, desconsiderando a
posição da rotary.
Verticalidade do mastro

INCLINÔMETRO: CONFIGURAÇÃO NOS POSTES (FIG. 1)

Visor

Caixa do servo-inclinômetro. Posição de fixação


olhando deste ponto de vista.

Zona de fixação do servo-inclinômetro.

Zona de fixação do servo-inclinômetro.


Velocidade do mastro

INCLINÔMETRO: CONFIGURAÇÃO NOS POSTES (FIG. 1)

Visor

Caixa do servo-inclinômetro. Posição de fixação


olhando deste ponto de vista.

Zona de fixação do servo-inclinômetro.

Zona de fixação do servo-inclinômetro.


Verticalidade do mastro

OSCILAÇÃO DO MASTRO - CONTROLADA PELO TARALOG (FIG. 2)

Subida: EV3S ativada, EV2S ativada. O canal


A se desliga após o 3º.

Deslocamento à direita: EV4D ativada,


EV2S ativada. O canal C se desliga
após o 3º.

Deslocamento à esquerda: EV1D


ativada, EV3S ativada. O canal D
se desliga após o 3º.

Descida: EV4D ativada, EV1D ativada.


O canal B se desliga após o 10º
(apenas no modo CFA).

Dire
ita

Lad
o da
cab
ine
Ev1 Descida

Ev4 Descida
Ev3 Subida
Ev2 Subida

Esq
uerd
a

Cilindo esquerdo Cilindo direito


Verticalidade do mastro

OSCILAÇÃO DO MASTRO - CONTROLADA PELO LIMITADOR (FIG. 2)

SUBIDA

Deslocamento à direita: limitador FC2


permanece fechado e o limitador FC3
se abre. RDX se desativa, EV4D se
apaga, EV2S se apaga.

Deslocamento à sinistra: limitador FC3


permanece fechado, o limitador FC2 se
abre, RSX se desativa, EV1D se apaga,
EV3S se apaga.

DESCIDA

Dire
ita

Lad
o da
cab
ine
Ev1 Descida

Ev4 Descida
Ev3 Subida
Ev2 Subida

Esq
uerd
a

Cilindo esquerdo Cilindo direito


Advertência importante

ATENÇÃO

O equipamento TH deve ser utilizado unicamente como o relatado na descrição geral


e seguindo as instruções contidas no Manual de Uso e Manutenção.

Qualquer outro uso deve ser considerado indevido.

Os equipamentos dotados de guinchos complementares com rotary hidráulicas série


TH, não devem ser consideradas para levantamento de cargas; durante as fases de
montagem das máquinas, devem-se tomar todas as precauções necessárias para a
segurança pessoal.

Em caso de uso indevido, as condições de garantia podem não ser aplicadas e a


GEOMECCANICA SRL declina de qualquer responsabilidade sobre eventuais
consequências.
Características técnicas

PERFURADORA HIDRÁULICA TH 22 CFA

O modelo TH 22 CFA é composto por uma unidade base em esteira e por diferentes equipamentos de perfuração:
- mesa rotary hidráulica TRO conversível também para aplicações com postes;
- equipamento hidráulico para diafragmas da série KT e KG;
- aplicação de revestimento oscilador da série MG e MGN.

Características da perfuradora hidráulica TH 22 CFA


Unidade autoelevadora
A perfuradora hidráulica TH 22 CFA é do tipo autoelevadora, pronta para uso imediato, portanto não requer o emprego
de gru de serviço para a sua inicialização.

Esteiras retráteis
Permitem reduzir de dimensão na fase de transporte e aumentar a estabilidade da perfuradora

Estrutura de alta resistência


O modelo foi fabricado em aço especial eletrosoldado e projetado para resistir às mais altas solicitações em
fase de trabalho.

Componentes de alta qualidade


É dotada de componentes de altíssima qualidade selecionados após severos controles de confiabilidade.
Características técnicas

Potência de perfuração
A mesa rotary TRO 30 tem a capacidade de desenvolver um torque de 30.000 kgm. para perfurar até nos
terrenos rochosos mais compactos.

Diâmetro de perfuração
A mesa rotary TRO permite diâmetros de perfuração até 2.000 mm.

Profundidade de perfuração
Com o emprego da TRO é possível alcançar até 62 metros de profundidade.

Equipamento multifuncional
A mesma unidade da esteira pode ser utilizada para diferentes aplicações: equipamento para postes,
equipamento hidráulico para diafrágmas. O modelo TH 22 CFA está equipado com sistema hidráulico
adicional para alimentar um revestimento oscilador do tipo MG, evitando a necessidade do emprego
de uma central hidráulica separada.

Manobrabilidade
O modelo automontante TH caracteriza-se pela praticidade na utilização graças a estrutura pantográfica que
movimenta a antena de perfuração, ao sistema de inclinação da antena (+/- 3º laterais), (-3º +15º frontais) que
permite uma perfeita verticalidade de perfuração. São ainda, fornecidos de série, os aparelhamentos eletrônicos
para a medição da profundidade da escavação e para o controle da verticalidade.
Características técnicas

Hastes telescópicas
Os equipamentos são fornecidos com hastes telescópicas por fricção ou por bloqueio, do tipo standard ou
do tipo heavy duty, todas fabricadas em aço e ligas especiais para guias e juntas terminais. As hastes
telescópicas podem ter de 4 a 5 partes com comprimentos variáveis de até 17 metros, completas por
flange amortecedora em material antidesgaste e cabeçotes giratórios de ação com fluxo de até 15 toneladas.
Normas de segurança

NORMAS DE SEGURANÇA PARA UTILIZAÇÃO. ADVERTÊNCIAS GERAIS.

Leia atentamente estas normas antes de executar as operações de iniciar, operacionar e parar.

NÃO permita a pessoas não autorizadas a manipular o equipamento.

NÃO use anéis, relógios de pulso, joias, roupas rasgadas ou folgadas, pois podem se prender nas
peças em movimento. Aconselha-se, ao contrário, vestir roupas apropriadas com a segurança.
Consulte o responsável pela obra acerca das normas de segurança vigentes e os equipamentos
de proteção a acidentes.

MANTENHA o compartimento do operador, as prateleiras, os pedais e as alças de apoio sempre


limpos e livres de qualquer objeto estranho ou vestígios de óleo, graxa, lodo em geral, para reduzir,
ao mínimo, todo risco de escorregamento e de obstáculo.

NÃO suba ou desça do equipamento pulando. Mantenha sempre ambas as mãos e um pé ou


ambos os pés ou uma das mãos apoiadas, nas prateleiras e pedais, e segure-se nas alças de
apoio. Desça do equipamento apenas quando ele estiver totalmente parado.
Normas de segurança

NÃO utilize os comandos nem as tubulações como apoios; esses componentes são móveis e
não oferecem apoio estável. Além disso, um deslocamento involuntário de um comando pode
provocar a movimentação acidental da perfuradora e do seu equipamento.

NÃO dê a partida no equipamento se não estiver no posto de direção. Em qualquer situação é


de boa conduta estar sempre com todo o corpo dentro da cabine de direção para reduzir, ao
mínimo, as possibilidades de se expor aos eventuais perigos externos.

É DE BOA CONDUTA equipar a perfuradora com uma caixa de primeiros-socorros.


É DE BOA CONDUTA equipar a perfuradora com uma caixa de primeiros-socorros.
Normas de segurança

ADVERTÊNCIAS PARA INICIAR

NÃO inicie a perfuradora nem coloque em funcionamento o motor a diesel se ela estiver avariada.
Antes de usar a perfuradora, deve-se assegurar que qualquer eventual condição perigosa, para a
segurança, tenha sido devidamente eliminada.

INFORME ao responsável pela manutenção sobre qualquer irregularidade no funcionamento


do guincho ou do sistema.

ANTES de pôr em movimento a perfuradora, verifique, regule e trave no lugar o assento de modo a
garantir o máximo conforto na direção e utilização dos comandos.

ANTES de acionar a marcha ou o equipamento, assegure-se de não haver pessoas na zona


de trabalho ao redor.

ANTES de subir a bordo, inspecione a perfuradora. Acione a buzina.

NÃO verifique nem reabasteça o tanque de combustível, as baterias, o reservatório de óleo


hidráulico etc. próximo de chamas ou centelhas.
Normas de segurança

LEMBRE-SE que os líquidos especiais para iniciar são inflamáveis. Para sua utilização deve-se seguir,
obrigatoriamente, as instruções fornecidas no recipiente dos produtos.

OS RECIPIENTES não devem jamais ser perfurados ou queimados. Eles devem ser depositados em
locais frescos, bem ventilados e fora do alcance de pessoas estranhas.
Normas de segurança

ADVERTÊNCIAS PARA O FUNCIONAMENTO

NUNCA utilize a perfuradora em ambientes fechados, exceto se houver um eficaz sistema de


ventilação para o escapamento do gás combustível.

NÃO utilize a perfuradora para operações de transporte.

NÃO transporte pessoas a bordo da perfuradora.

NÃO utilize a rotary para levantar ou transportar pessoas.

NÃO utilize a perfuradora como plataforma de trabalho ou andaime, nem para outros
usos menos ortodoxos.

PARA SEGURANÇA PESSOAL não tente subir nem descer da perfuradora enquanto
estiver em movimento.

MANTENHA sempre uma visão clara de toda área ao redor da manobra ou do trabalho.
Os vidros da cabine devem estar sempre íntegros e limpos. Mantenha o equipamento para
cima durante as manobras a fim de ter uma melhor visibilidade.
Normas de segurança

MANOBRANDO em marcha à ré, olhe sempre na direção em que se move a perfuradora.


Preste atenção na presença de pessoas: se alguém ingressar na área de manobra, pare a perfuradora.

ANTES de iniciar os trabalhos, vá até um local mais alto e avalie cada possibilidade de risco ou perigo.

EXECUTANDO trabalhos em canteiros, deve-se prestar atenção no espaço, na altura e na largura da


perfuradora. É necessário também conhecer as limitações de carga do terreno, do pavimento,
das rampas etc. sobre os quais se de trabalhar.

QUANDO POSSÍVEL, evite atravessar ou transpor obstáculos como: fortes irregularidades do terreno,
troncos caídos, degraus, despenhadeiros e trilhos.

PRECISANDO superar sulcos profundos ou valas, abaixe a antena e somente depois coloque a
perfuradora, perpendicularmente, ao obstáculo e inicie a travessia apenas após ter certeza que
as condições do terreno permitem a manobra de modo seguro e sem riscos.

QUANDO se trabalha em declive e perto de fortes desníveis do terreno, deve-se evitar as áreas
de terra solta que poderão provocar a derrubada ou a perda de controle da perfuradora.
Em terrenos muito ásperos, deve-se proceder sempre com bastante cautela.
Normas de segurança

CASO não se possa fazer diferente, mova obliquamente, mas com muita atenção.
Mantenha-se em ponto de equilíbrio, equilibre a perfuradora no obstáculo e desça
com cuidado. Sendo possível, portanto, evite a marcha no sentido transversal à inclinação.

MOVA de cima para baixo e vice-versa. Se, na subida, a perfuradora deslizar lateralmente,
dirija imediatamente voltando a frente para baixo.

SE O MOTOR ficar muito lento ou parar sob carga, deve-se avisar imediatamente ao
responsável pela manutenção. Não utilize a perfuradora até que o problema seja resolvido.

É TOTALMENTE PROIBIDO usar a perfuradora para reboque.

QUANDO as condições de trabalho expuserem o operador a um nível de barulho elevado,


deve-se usar equipamento de proteção auricular.

NOS CASOS de cansaço ou mal-estar, não utilize a perfuradora: em todo caso, lembre-se
de prestar a máxima atenção até o fim do turno de trabalho.
Normas de segurança

ADVERTÊNCIA PARA PARAR

NÃO abandone jamais a perfuradora com o motor em funcionamento.

PARE a perfuradora em uma área aonde não operem outras máquinas e não haja tráfico de veículos.
Escolha um terreno sólido e plano. Onde isto não seja possível, coloque a perfuradora em posição
transversal à inclinação, assegurando-se de não haver nenhum perigo de deslizamento.

RETIRE sempre a chave da ignição do motor antes de executar qualquer trabalho na


perfuradora (limpeza, reparação, manutenção); faça o mesmo quando deixar a perfuradora
estacionada para evitar acionamentos acidentais e não autorizados.

FECHE, com a chave fornecida, a cabine de direção toda vez que a perfuradora for deixada sozinha.
Descrição do componente Descrição do serviço

Válvula Bomba de direção


Valve
Eletroválvula Rotação à direita da torreta
Electrovalve
Eletroválvula Rotação à esquerda da torreta
Electrovalve
Eletroválvula Rotação do limitador
Electrovalve Elevação do braço
Eletroválvula Limitador do guincho de
Electrovalve serviço (subida)
Eletroválvula Limitador do guincho
Electrovalve principal (subida)
Eletroválvula Rotação aumentada
Electrovalve
Eletroválvula Rotação aumentada
Electrovalve
Eletroválvula Aumento do guincho
Electrovalve principal (subida)
Eletroválvula Aumento do guincho
Electrovalve principal (descida)
Eletroválvula Direção do motor do guincho
Electrovalve principal
Eletroválvula Bomba de direção
Electrovalve
Eletroválvula Dobramento do encaixe
Electrovalve
Pino de travamento da torreta
Eletroválvula
Electrovalve Sopé do mastro
Eletroválvula
Electrovalve
Descrição do componente Descrição do serviço

Eletroválvula Reinicialização da 3ª bomba


Electrovalve
Eletroválvula Válvulas de contrapressão
Electrovalve
Alimentação do conjunto de
Eletroválvula rotação
Electrovalve
Eletroválvula Liberação da haste
Electrovalve
Eletroválvula Servocomandos /
Outras funções
Electrovalve
Eletroválvula Servocomandos das esteiras
Electrovalve
Eletroválvula Curto-circuito dos
Electrovalve servocomandos
Eletroválvula
Descida do mastro
Electrovalve
Eletroválvula Subida do mastro
Electrovalve
Eletroválvula Descida do mastro
Electrovalve
Subida do mastro
Eletroválvula
Electrovalve
Perfuradora Hidráulica sobre Esteira

COMANDOS DO OPERADOR
Posição dos números de série

Matrícula da máquina

Tipo da máquina Ano de fabricação

Modelo Matrícula Peso total em kg. Potência instalada em kW


Posição do contagiros

Contagiros/horas do motor a diesel


Comandos do operador

DESCRIÇÃO

Quadro do motor a diesel

Quadro dos seletores

Manipulador de rotação
da torrea

Quadro de pressões das


bombas

Quadro de movimentações

Quadro elétrico

Assento do operador

Quadro do encaixe

Quadro do material rodante


Manipulador pull-down

Sistema eletrônico TARALOG


Quadro do motor a diesel

Descrição do componente Descrição do serviço

Quadro do motor a diesel Parte "A"

Quadro do motor a diesel Parte "B"


Quadro do motor a diesel - Parte "A"

Descrição do componente Descrição do serviço

Caixa porta-fusíveis
Contagiros/horas motor
Contagiros/horas a diesel
Temperatura do óleo do motor
Termômetro

Pressão do óleo do motor


Manômetro

Temperatura da água do motor


Termômetro

Controle da integridade
Indicador vermelho
dos fusíveis
Quadro do motor a diesel - Parte "B"

Descrição do componente Descrição do serviço

1 Seletor preto Revestimento oscilador

Limpador de para-brisas
2 Alternador
Limpador de para-brisas
3 Indicador verde ligado

4 Indicador verde Farol orientável ligado

Farol orientável
5 Alternador
Luzes ligadas
6 Indicador verde
Luzes
7 Alternador
Luzes da cabine do operador
ligadas
8 Indicador verde
Luzes da cabine do operador
9 Alternador
Voltagem dos estabilizadores
10 Indicador verde Servocomandos ligados

11 Indicador verde Liberação da haste

12 Indicador verde Guincho e rotary ao mesmo


tempo
13 Indicador verde Parada de emergência da
rotary
14 Indicador vermelho
Aumento do gancho
15 Indicador verde Ativação do trado
(hélice contínua)
16 Indicador vermelho
Trado (hélice contínua)
17 Indicador verde livre

Rotação do trado (hélice contínua)


18 Indicador vermelho em sentido horário
Quadro do motor a diesel - Parte "B"

Descrição do componente Descrição do serviço

19 Botão de emergência vermelho Parada de emergência dos


servocomandos

20 Quadro de início Ignição do motor a diesel

21 Indicador vermelho Alarme dos fusíveis dos


servocomandos
Limitador de oscilação do
22 Indicador vermelho mastro
Limitador do guincho de serviço
23 Indicador vermelho
Limitador do guincho principal

24 Indicador vermelho Esteiras / Outras funções

Rotação da torreta habilitada


25 Indicador verde
Pino de travamento habilitado
26 Indicador verde
Alarme do sopé do mastro
27 Indicador verde Parada dos filtros hidráulicos

28 Indicador verde Alta temperatura da água do


motor
29 Indicador vermelho Pressão do óleo do motor

30 Indicador vermelho Baterias

Bomba de água do limpador


31 Indicador vermelho de para-brisa

32 Indicador vermelho Velocidade da perfuração

33 Botão preto

34 Seletor preto
Quadro dos manômetros

Descrição do componente Descrição do serviço

Pressão da bomba 1
1 Manômetro 600 bar
máx. 300 bar

Pressão da bomba 2
2 Manômetro 600 bar
máx. 300 bar

3 Manômetro 600 bar Pressão da bomba 3


máx. 300 bar

4 Manômetro 100 bar Servocomandos


máx. 40 bar

5 Manômetro 400 bar Radiador do óleo hidráulico


máx. 150 bar

6 Manômetro 600 bar Bomba de serviço


máx. 280 bar
Quadro dos seletores

Descrição do componente Descrição do serviço

Alarme de parada de
1 Indicador vermelho emergência do motor
2 Buzina Alarme de parada de
emergência do motor
3 Seletor vermelho
Postes / Sistema CFA
4 Seletor verde
Ligar/Desligar o TARALOG
5 Buzina
Alarme de dobramento do
6 Indicador vermelho mastro
7 Seletor preto Alarme de dobramento do
mastro
8 Seletor preto
Velocidade do guincho
9 Botão de emergência (manual/elétrico)
vermelho
Velocidade de perfuração

Parada de emergência
do motor
Manipulador do guincho principal

Descrição do componente Descrição do serviço

1 Botão vermelho Guincho e rotary ao


mesmo tempo
2 Botão amarelo
Liberação da haste
3 Botão vermelho
Guincho CFA
4 Botão amarelo
Aceleração do motor a diesel
5 Botão verde
Desaceleração do motor a dieses
6 Botão verde
Habilitação de rotação da torreta
7 Botão vermelho
2ª velocidade do guicho principal
A Manipulador Descida do guincho principal
B Manipulador Subida do guincho principal
C Manipulador Rotação da torreta esquerda
D Manipulador Rotação da torrea direita
Painel de pressão das bombas

Descrição do componente Descrição do serviço

1 Manipulador Velocidade de extração

Controle manual do guincho


2 Manômetro principal

Pressão da bomba de serviço


3 Manômetro
Pressão da bomba principal
Painel das movimentações

Descrição do componente Descrição do serviço

Oscilação / Subida e descida


1 Manipulador
do mastro
2 Manipulador
Subida e descida do pantógrafo
3 Manipulador
Controle manula do guincho
CFA
4 Manipulador
Estabilizador do sopé do
5 Manipulador
mastro

Oscilação / Subida e descida


do mastro
Quadro elétrico

Descrição do componente Descrição do serviço

Todos os detalhes referentes ao quadro elétrico estão descritos em:


"Sistema elétrico dos servocomandos"
Assento do operador

Descrição do componente Descrição do serviço

Habilitar / Desabilitar os
1 Sensor servocomandos

2 Alavanca Regulagem do assento


do operador
3 Assento

O sensor dos servocomandos, instalado dentro do assento, é ativado pelo peso do próprio operador.
Quadro do encaixe

Descrição do componente Descrição do serviço

1 Seletor preto Aquecimento

2 Manipulador elétrico Dobramento do encaixe


Quadro do material rodante

Descrição do componente Descrição do serviço

1 Manipulador Guincho de serviço

A - Descida do guincho
2 Seletor verde de serviço
B - Subida do guincho
de serviço
3 Manipulador hidráulico
Esteiras / Outras funções

4 Buzina Esteiras

A - Esteira esquerda dianteira


B - Esteira esquerda traseira
C - Esteira direita dianteira
D - Esteira direita traseira
A+C - Esteiras dianteiras
B+D - Esteiras traseiras

Alarme das esteiras


Dados gerais
Índice geral

Descrição

Dados gerais
Índice geral
Simbologia
Componentes principais
Visão da máquina
Eletrosoldagem
Manutenção. Normas de segurança para a manutenção
Normas para a manutenção do motor a diesel
Normas para a manutenção do sistema oleodinâmico
Normas para a manutenção do sistema elétrico
Normas de manutenção. Parte mecânica
Material rodante em esteira
Estabilizadores
Pantógrafo
Conjunto da giratória
Mastro de perfuração
Cabeçote de rotação
Guinchos
Elevação mediante guincho de serviço. Segurança
Cabeçote giratório da haste telescópica
Motor a diesel
Normas de manutenção. Parte hidráulica
Advertências gerais
Óleo hidráulico
Normas em respeito ao meio ambiente
Iniciação da máquina
Controles
Limpeza externa
Verificação dos filtros
Verificação da temperatura do óleo
Índice geral

Descrição
Bombas
Redutores
Troca de óleo dos redutores
Cordas
Critérios de verificação e substituição das cordas
Ruptura dos fios
Verificação trimestral das cordas da corrente
Tabela das cordas
Tabela de manutenção
Descrição das operações de manutenção
Pontos de graxa
Tabela comparativa dos lubrificantes
Simbologia

LISTA DOS SÍMBOLOS UTILIZADOS

Perigo Controle

Risco de obstáculo Troca

Acionar o botão Aplicar graxa

Probido o acesso a pessoas Limpeza


não autorizadas

Proibido o acesso Referências a outros manuais

Material inflamável
Perigo de incêndio
Componentes principais

Roldanas do encaixe

Encaixe da antena

Extensão da antena
Cabeçote da haste telescópica

Guia da haste

Cilindro pull-down

Antena

Corda do guincho de serviço

Haste telescópica

Corda do guincho principal

Mesa rotary

Cilindro de levantamento da antena

Guincho principal

Triângulo
Guincho de serviço
Pantógrafo

Motor a diesel
Cilindro de elevação do pantógrafo

Cabine do operador
Contrapeso

Giratória da torre

Material rodante
Eletrosoldagem

ATENÇÃO! Antes de executar qualquer operação de eletrosoldagem, na máquina, é necessário retirar os polos
positivo (+) letra (A) e negativo (-) letra (B) das baterias e retirar, também, os conectores com 6 polos (C) e (D)
assim como aquele com 24 polos (E) localizados sob o painel dos manômetros dentro da cabine do operador.

ATENÇÃO! É ESTRITAMENTE PROIBIDO executar soldas em elementos que estejam conectados e/ou engatados
ao gancho/corda do guicho de serviço. Essa operação reduz, de modo permanente, a 1/3 a resistência da própria
corda. Portanto, a GEOMECCANICA SRL. declina de qualquer responsabilidade por danos a pessoas e/ou objetos
derrivados dessa operação não consentida.
Normas de manutenção

MANUTENÇÃO. NORMAS DE SEGURANÇA PARA A MANUTENÇÃO

NÃO permita que pessoas não autorizadas utilizem a perfuradora.

RESPEITE os procedimentos dados para a manutenção e as informações recebidas do Serviço de Assistência Técnica.

O COMPARTIMENTO DO OPERADOR, os apoios, os pedais, devem estar sempre limpos e livres de qualquer objeto estranho.

NÃO SUBA nem desça da perfuradora pulando: apoie-se sempre com pelo menos três membros.

NÃO EXECUTE nenhuma atividade reparadora, na perfuradora, com alguém no assento, exceto se for um operador
habilitado e ajudando na operação realizada.

NUNCA TENTE pôr em funcionamento a perfuradora ou o equipamento de qualquer posição que não
seja aquela do assento da cabine.

ANTES DE INICIAR a perfuradora ou de acionar o equipamento, sinalize a manobra seja por voz ou mediante o uso
da buzina. Levante e mova os equipamentos lentamente.
Normas de manutenção

NUNCA alinhe os furos ou as fendas com os dedos: use sempre ferramenta adequada de centralização.
Elimine todo vestígio de arestas e rebarbas das peças substituídas.

NÃO execute nenhum serviço na perfuradora quando o motor estiver em funcionamento, exceto que isto esteja determinado.

QUANDO executar verificações com o motor em movimento, peça ajuda de outro operador, que deve ficar na cabine
de direção e ter sob controle visual constante a manutenção.

QUANDO a operação de manutenção requer o acesso às partes da perfuradora que não podem ser alcançadas do chão,
use uma escada ou plataforma conforme as normas de segurança.

DESCONECTE as baterias por meio de uma ferramenta adequada em intervenções com motor desligado.

NÃO VERIFIQUE ou reabasteça o tanque de combustível, as baterias etc. enquanto estiver fumando ou
na proximidade de chamas, por conta da inflamabilidade dos fluidos.

EM CASO DE NECESSIDADE use exclusivamente fontes de alimentação auxiliária de corrente elétrica aterrada.
Normas de manutenção

PRECISANDO ERGUER ou transportar partes pesadas, utilize guinchos ou similares com capacidade adequada.
Assegure-se que as correias sejam usadas corretamente. Verifique a presença de pessoas em volta.

SE POSSÍVEL não use gasolina, diesel ou outros líquidos inflamáveis no lugar de detergentes. Recorra a produtos
não inflamáveis e não tóxicos.

NUNCA despeje líquidos inflamáveis em recipientes abertos, largos e baixos.

USANDO ar-comprimido para a limpeza, proteja-se com óculos com protetores laterais. Limite a pressão a um
máximo de 2 bar (30 PSI).

NÃO acione a perfuradora em locais fechados sem a adequada ventilação.

NÃO use chamas como meio de iluminação quando executar operações ou para procurar objetos perdidos na perfuradora.

OS RECIPIENTES deve estar armazenados em locais frescos e ventilados e de maneira que não possam estar acessíveis
a pessoal não autorizado
Normas de manutenção

TRAVE SEMPRE com meios externos, se necessário, os braços e as peças da perfuradora que serão levantadas para
efetuar trabalhos estando por baixo. Não permita a ninguém de passar próximo ou mesmo embaixo do equipamento
levantado e destravado. Salvo estando em absoluta segurança, evite ficar embaixo do equipamento erguido,
mesmo se travado.

OS COMPONENTES devem ser manuseados com atenção, evitando-se colocar as mãos e os dedos nas fendas e
nas partes móveis.

NO CASO de intervenções fora da oficina, ponha a perfuradora no plano e trave-a. Caso uma intervenção com
inclinação seja inevitável, trave preventivamente a perfuradora e seu equipamento. Coloque-a no plano tão logo
seja possível.

O LOCAL onde se executa a manutenção deve estar limpo e seco. Não acumule panos com graxa ou óleo, eles representam
um risco de incêndio. Guarde-os, ao contrário, em um recipiente metálico com tampa.
Normas de manutenção

NORMAS PARA A MANUTENÇÃO DO MOTOR

Afrouxe a tampa do radiador lentamente, para liberar a pressão do equipamento, antes de retirá-lo.

Os reabastecimentos do líquido refrigerante devem ser efetuados com o motor desligado ou ao mínimo, se frio.

Não reabasteça com combustível enquanto o motor estiver em movimento, especialmente se frio, para evitar de
provocar um incêndio.

Não tente verificar ou regular a tensão da correia do alternador com o motor em funcionamento.

Não lubrifique a perfuradora com o motor ligado.

Evite de pôr o motor em funcionamento com os gabinetes abertos, sem proteções.

Normas de manutenção
Normas de manutenção

NORMAS PARA A MANUTENÇÃO DO SISTEMA OLEODINÂMICO

Um fluido sob pressão passando por um furo muito pequeno pode ser quase invisível e ter, portanto, força
suficiente para perfurar a pele. Em tal caso, precisando verificar a perda, utilize um papelão ou um pedaço
pequeno de madeira. Não use as mãos, se o fluido entrar em contato violentamente na pele, procure um
médico imediatamente.

Descarregue a pressão interna dos circuitos antes de remover cápsulas, tampas e coberturas.

Precisando verificar a pressão do sistema, utilize os instrumentos adequados. Observe sempre as instruções.
Toda vez que for preciso intervir nos componentes do sistema, é preciso travar, em posição de segurança,
os atuadores ou as partes envolvidas a fim de evitar movimentos descontrolados das peças da perfuradora.

Na cabine do operador, está instalado um alarme sonoro que sinaliza a paralização dos filtros de óleo hidráulico;
caso seja acionado, pare imediatamente a perfuradora, desligue o motor nos modos recomendados e
efetue a limpeza ou a eventual substituição dos cartuchos, antes de executar o trabalho.
Normas de manutenção

NORMAS PARA A MANUTENÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO

Precisando usar baterias auxiliares, lembre-se que ambas as extremidades devem estar conectadas aos terminais
no modo prescrito: (+) com (+), (-) com (-).
Evite provocar curtocircuito nos terminais.

O gás que se aprisiona nas baterias é bastante inflamável. Durante a recarga, deixe aberta a porta do
compartimento da bateria para possibilitar uma ventilação mais eficaz.

Nunca verifique o estado da carga das baterias apoiando objetos metálicos nos terminais.

Evite descargas elétricas na área da bateria.

Antes de qualquer intervenção, verifique que não há perda de combustível ou de eletrólito.


Elimine tais perdas antes de prosseguir com o trabalho.

Não carregue as baterias em ambientes fechados, assegure-se que a ventilação seja adequada para evitar a
possibilidade de explosões acidentais devido ao acúmulo de gás emanado durante a recarga.
Normas de manutenção

NORMAS DE MANUTENÇÃO. PARTE MECÂNICA

MATERIAL RODANTE
Verifique a cada 50 horas a tensão das correias. As correias devem estar sempre bem tensionadas.
A tensão deve também estar adequada ao tipo de terreno no qual se trabalha.

Verifique a cada 100 horas o nível do óleo nos redutores da roda. Passe graxa a cada 50 horas na junção
das travas e nos cubos das rodas dianteiras e nas folgas entre as esteiras e o quadro.

A cada lavagem lubrifique com óleo os rolamentos, as rodas e as guias de deslizamento do tensor da correia.

Estabilizadores
Verifique a cada 100 horas o estado do aperto que fixa os pistões aos respectivos suportes.
A cada lavagem lubrifique com óleo as junções.

Pantógrafo
Passe graxa a cada 50 horas em todas as articulações.
Normas de manutenção

Conjunto da giratória de rotação


Passe graxa a cada 50 horas em todos os pontos devidos.

Verifique a cada 100 horas o estado de aperto de todos os parafusos.

Substitua o óleo dos redutoes a cada 500 horas.

Mastro de perfuração
Passe graxa a cada 20 horas nas guias do mastro.
Passe graxa a cada 50 horas nos pinos dos encaixes
Normas de manutenção

ELEVAÇÃO MEDIANTE GUINCHO DE SERVIÇO NAS MÁQUINAS DE PERFURAÇÃO: SEGURANÇA

Os dispositivos de levantamento (guinchos) fornecidos com as perfuradoras foram projetados com o


objetivo de perfurar e escavar, com serviço de elevação apenas auxiliar e deve ser usado, exclusivamente,
para os objetivos propostos. Esta recomendação é direcionada, especificamente, para a segurança no uso
dos guinchos hidráulicos nas perfuradoras.

Condições do terreno. A superfície do terreno é estável? Em um terreno instável ou cedendo, as superfícies


de trabalho ou plataformas podem se abaixar e provocar um efeito de instabilidade na máquina. Isto pode,
inesperadamente, desequilibrar o centro de gravidade. Tenha, portanto, o máximo de cuidado quando a
máquina se encontrar em um terreno, uma superfíce de trabalho ou em uma plataforma instáveis.
A superfície do terreno está nivelada? A inclinação de um ou dois graus pode ter um efeito relevante
na capacidade de levantamento, portanto, tenha o máximo de cuidado quando o terreno, as superfícies
de trabalho ou as plataformas não estiverem niveladas.

Observação sobre a máquina. Todos os componentes usados para o levantamento de um objeto devem
estar em boas condições. Inspecionar constantemente esses componentes é essencial para a segurança
de todos os operadores. Verifique e documente a abertura do gancho quando novo e, em seguida, a intervalos
mensais. Devem estar instalados e em boas condições os prendedores de segurança. Devem ser inspecionados
também os cabos de levantamento, os freios e os conjuntos frenantes para verificar eventuais danos ou
deformações. Em nenhum caso devem ser utilizados cabos desgastados, ao contrário, eles devem ser
substituídos imediatamente.
Normas de manutenção

Geometria de levantamento. Cuidado adicional deve haver quando uma carga não for elevada verticalmente.
As cargas precisam ser elevadas lenta e uniformemente para prevenir instabilidade. Tenha atenção em
cargas oscilantes que podem levar a uma instabilidade inesperada devido ao movimento causado.

Configuração da máquina. Uma mudança na configuração da máquina pode provocar um drástico efeito
em sua estabilidade. Tenha muito cuidado quando levantar uma carga com o mastro na posição vertical.

Observações para os trabalhadores. Todos os operários no canteiro e os operadores devem conhecer o


correto alinhamento, a capacidade e o uso da máquina de levantamento. Operários e operadores devem
ter familiaridade e conhecimento do equipamento que estão usando. Preste atenção ao Manual do Operador.
Normas de manutenção

Cabeçote giratório da haste telescópica


Passe graxa diariamente.

Motor a diesel
Em relação ao uso, à manutenão e à reposição, convidamos a prestar a atenção ao prescrito na respectiva
documentação técnica fornecida pelo fabricante.
Aconselhamos, portanto, de:
- verificar, diariamente, o nível do óleo no cárter; a cada semana, retire o eventual depósito de lama
no tanque de combustível.
Todas as operações de manutenção simples podem ser realizadas pelo operador. Para todas as outras
intervenções de verificação nas peças do motor, o fabricante recomenda usar os serviços da oficina
especializada.
Normas de manutenção

Advertências gerais
A confiabilidade do sistema hidráulico e, portanto, da máquina está relacionada à qualidade do óleo e
à ausência de impureza no circuito. Por isso, na fase de manutenção, é necessário realizar as operações
de desmontagem e remontagem, em um ambiente limpo e sem poeira, removendo imediatamente as
sujeiras de todo tipo que poderiam entrar no circuito. As bombas, as tubulações e todos os componentes
hidráulicos devem estar com as saídas fechadas por tampas de proteção que serão retiradas apenas no
momento da conexão.

Com o aparelho montado é sempre bom reabastecê-lo com óleo hidráulico para assegurar a proteção das
suas partes internas, até o momento do reabastecilmento completo do sistema.

Além disso, é aconselhável providenciar a limpeza do sistema quando se substituem os componentes que
já tenham quebras ou danos relevantes. Na fase de trabalho, são necessárias uma manutenção cuidadosa,
para evitar a perda do óleo, e a substituição dos cartuchos dos filtros.

Óleo hidráulico
A troca de óleo deve ser realizada, a primeira vez, após 500 horas e, em seguida, a cada 2000 horas de
trabalho; se a máquina funciona em ambientes, particularmente empoeirados, aconselha-se efetuar a
primeira substituição após 200 horas e, em seguida, a cada 1600 horas, aproximadamente. Além disso,
a cada troca é oportuno substituir todos os cartuchos dos filtros do óleo hidráulico aplicados na perfuradora.

Nota. O reabastecimento e as trocas de óleo devem ser realizados segundo as modalidades prescritas e
usando sempre o mesmo tipo de óleo ou equivalente. Por especiais condições de trabalho (temperaturas
ambientes extremas, indisponibilidade no local dos óleos aprovados pela Geomecânica) e, em caso de
dúvidas, recomendamos contatar os nossos serviços de assistência técnica. A temperatura de funcionamento
do sistema hidráulico deve ser mantida entre os 60 e 70º C, se houver a sensação que o óleo esteja em
uma temperatura superior, deve-se verificar se o comutador de calor está funcionando e se o radiador
está parado.
Manutenção

Normas em respeito ao meio ambiente


Durante as operações de limpeza dos reservatórios do óleo hidráulico, diesel ou durante a troca de óleo dos
redutores, do motor etc., é absolutamente proibido descartar no solo os eventuais líquidos de sujeira, bem
como os fluidos residuais; eles devem ser recolhidos em recipientes adequados e conservados para descarte
segundo as normas vigentes. Quando se realizam operações como a troca dos filtros de óleo, deve-se deixar
escorrer o óleo em reservatório evitando assim a dispersão dele no terreno.

ATENÇÃO!
Evite totamente derramar óleo e combustível no terreno por motivos ecológicos; quando se realizam
operações de esvaziamento, deve-se colocar recipientes adequados debaixo da descarga.

ATENÇÃO!
O óleo velho deve ser recolhido e mantido em um recipiente adequado, a fim de que possa
providenciar o descarte segundo as normas nacionais, em relação a Itália, deve-se seguir o
Consorzio Obbligatorio Olii Esausti)
ATENÇÃO!
Quando se realizam operações nas baterias, deve-se evitar o contato do eletrólito com as mãos e,
portanto, utilizar luvas novas. É terminantemente proibido fumar. O descarte das baterias usadas
está sujeito às normativas ambientais.

NOTA. Os reabastecimentos e as trocas de óleo devem ser realizados segundo as modalidades prescritas e usando
sempre o mesmo tipo de óleo ou equivalente. Em condições especiais de trabalho (temperaturas ambientes extremas,
indisponibilidade no local dos óleos aprovados pela CMV) e, em caso de dúvida, recomendamos contatar o nosso serviço
de assistência.
Normas de manutenção

INÍCIO DA MÁQUINA

Se a manutenção da máquina fez necessário o esvaziamento do reservatório do óleo hidráulico,


antes de iniciá-la deve-se:
- reabastecer o sistema até o nível máximo e segundo as modalidades já mencionadas;
- reabastecer os corpos das bombas e dos motores hidráulicos (com o mesmo tipo de óleo)
através dos furos de drenagem ou dos conduítes de saida de ar das bombas principais,
através das tampas preparadas.

Em seguida:
- inicie o motor por impulsos para ajudar no reabastecimento das bombas ; é bom fazer funcionar a
máquina em regime reduzido por 5-10 minutos para permitir certa rodagem do sistema;
- verificar as indicações dos instrumentos.

Após alguns minutos de trabalho, verifique novamente o nível do óleo hidráulico e controle
cuidadosamente as juntas das vedações.

Nota. Quando a temperatura ambiente estiver muito baixa, pode acontecer que as bombas hidráulicas
apresentem dificuldades de funcionamento e ruídos; isso depende da excessiva viscosidade do óleo
hidráulico empregado. Nesses casos, é necessário pré-aquecer o óleo reduzindo o regime de rotação
do motor a diesel durante os primeiros 15-20 minutos de funcionamento.
Normas de manutenção

CONTROLES
A manutenção do sistema é composta das seguintes operações:

Limpeza externa: deve ser realizada semanalmente. Ela permite uma fácil localização de eventuais perdas
ou outras anomalias.

Controles dos filtros: os filtros do óleo hidráulico e do ar (respiradouro) devem ser verificados a cada 180
horas e substituídos a cada 340 horas, aproximadamente.

Controle da temperatura do óleo: é adequado verificar diariamente o funcionamento do comutador de calor.

Nota. O comutador de calor deve ser limpo uma vez por mês, aproximadamente; quando a máquina trabalha
em ambientes particularmente empoeirados, é adequado verificar diariamente, por conta da parada do radiador
do comutador.
Normas de manutenção

Bombas

Utilize óleo lubrificante em função da temperatura ambiente. Realize a primeira troca de óleo após 60-90
horas e, em seguida, a cada 160 horas ou pelo menos a cada 9 meses.

Redutores

A manutenção dos redutores consiste, fundamentalmente, em uma limpeza constante, em particular nos
ambientes empoeirados onde é mais provável a infiltração de corpos estranhos nas engrenagens.
Recomenda-se utilizar óleo para engrenagem com alta resistência ao envelhecimento e à temperatura
de funcionamento. Os períodos de troca do óleo devem ser sempre em função do tempo de aplicação
e uso.

Para cada redutor estão relacionadas, na tabela, as qualidades do óleo determinadas da seguine maneira:
para os redutores em eixo horizontal, reabastecer até a linha central; para aqueles com eixo vertical,
reabastecer até o nível determinado pelo indicador.
Normas de manutenção

Troca de óleo dos redutores

A troca de óleo, nos redutores, deve ser efetuada a primeira vez após 60-90 horas de funcionamento e,
em seguida, a cada 1600 horas ou pelo menos a cada 9 meses.

Verifique a cada 50 horas o nível de lubrificação: caso se note uma redução no nível, efetue o
reabastecimento depois de ter verificado a ausência de perda.

Cordas

Para os usos que comportam problemas de segurança, a substituição de uma corda é decidida com
base no número e na posição dos fios quebrados, de acordo com o grau de desgaste ou de corrosão
e outros danos relativos. No primeiro caso, devem-se contar os fios quebrados, visíveis por fora da
corda, considerando os mais gastos.

Outros sinais de desgaste são:

- fios soltos ou salientes com a corda sob tensão;

- amassados;

- torsões ou dobras permanentes;

- a ruptura de um fio ou a sua parte útil reduzida a 40% em relação ao original.


Normas de manutenção

Critérios de verifação e substituição das cordas.

Com referência à norma UNI ISO 4309, a segurança de trabalho de uma corda é garantida, em especial, pela
correta avaliação do quanto se segue:

- número de ruPturas e suas posições;

- desgaste dos fios;

- corrosão interna e externa;

- dano e deterioramento da corda.

RUPTURA DOS FIOS (segundo UNI ISO 4309/84)

Devem-se contar os fios quebrados, visíveis por fora da corda, considerando naturalmente a parte mais
gasta. Na tabela, está indicado o número máximo dos fios que podem ser tolerados em um comprimento
de corda igual a 6 ou 30 vezes o diâmetro da corda. A conta deve ser feita sobre todos os dois comprimentos
e se deverá substituir a corda se as rupturas superarem o mínimo indicado mesmo em um só dos
comprimentos.

O controle das cordas deve ser feito trimestralmente, segundo a normativa ISO 4309. As condições das
cordas devem estar relacionadas na tabela da pág. 21 do "Manual de Uso e Manutenção".
Verificação das cordas

VERIFICAÇÃO TRIMESTRAL DAS CORDAS E CORREIAS

(por parte do proprietário do equipamento)

CONDIÇÕES Observações e assinatura do responsável

Cordas Correias
Verificação das cordas

VERIFICAÇÃO TRIMESTRAL DAS CORDAS E CORREIAS

(por parte do proprietário do equipamento)

CONDIÇÕES Observações e assinatura do responsável

Cordas Correias
Normas de manutenção

TABELA DAS CORDAS

NÚMERO
DOS FIOS cruzados paralelos
Tabela de manutenção

TABELA GERAL DE MANUTENÇÃO


Tabela de manutenção

TABELA GERAL DE MANUTENÇÃO (horas trabalhadas)

Tipo de manutenção
Descrição dos componentes a cada
10 horas
a cada
50 horas
a cada
100 horas
a cada
250 horas
a cada a cada a cada
500 horas 1000 horas 2000 horas

MATERIAL RODANTE
- junta longitudinal
- cubos das rodas traseiras
- aperto das porcas e
parafusos da esteira
- nível do óleo dos redutores
de translação
- tensão das correias
- rolamentos da guia da
esteira
- rodas dianteiras do material
rodante
- estado do aperto dos
estabilizadores
- tensão das correias

TORRETA
- nível do óleo redutor de rotação
- aperto das porcas e parafusos
de fixação da giratória
- coroa dentada da giratória
- óleo redutor de rotação
- estado de aperto dos parafusos
da giratória
- pontos de graxa da giratória

PANTÓGRAFO
- articulações

MOTOR A DIESEL Consulte o manual do motor a diesel


- óleo

GUINCHOS
- aperto das porcas e
parafusos
- nível do óleo dos redutores

ACOPLADOR E BOMBAS
- óleo

ENCAIXE
- pinos das roldanas

MASTRO
- guias

HASTE TELESCÓPICA
- cabeçote giratório
Tabela de manutenção

TABELA GERAL DE MANUTENÇÃO (horas trabalhadas)

Tipo de manutenção
Descrição dos componentes a cada
10 horas
a cada
50 horas
a cada
100 horas
a cada
250 horas
a cada a cada a cada
500 horas 1000 horas 2000 horas

SISTEMA HIDRÁULICO
- sistema hidráulico e limpeza
do reservatório de óleo

- filtros do sistema hidráulico

- óleo hidráulico e filtro de ar

- comutador de calor

- 1ª troca do óleo hidráulico (1)

- óleo hidráulico (2)

- 1ª troca do óleo hidráulico (3)

- óleo hidráulico (4)

MESA ROTARY
- nível de graxa

CONTROLES GERAIS
(1)- Em
nível ambiente normal de trabalho
do óleo dos redutores
(2)- Em
óleo ambiente
hidráulico dosde trabalho empoeirado
redutores
- limpeza externa
(3) Em ambiente de trabalho empoeirado
(4) Em ambiente normal de trabalho

CILINDROS HIDRÁULICOS
- junta de vedação

SIMBOLOGIA

LIMPEZA LEITURA CONTROLE TROCA COLOCAÇÃO DE GRAXA PERIODICIDADE

NOTAS

(1) Em ambiente normal de trabalho


(2) Em ambiente de trabalho empoeirado
(3) Em ambiente de trabalho empoeirado
(4) Em ambiente normal de trabalho
Pontos de colocação de graxa

1 - Roldanas do encaixe

2 - Pinos. Todos os pinos são fornecidos


com bocal de lubrificação.

3 - Rolamento da guia da haste

4 - Mesa rotary

5 - Cilindros. Nas juntas superiores


e inferiores

6 - Guinchos. Lado oposto da cabine

7 - Torreta. Colocar graxa nos seguintes


pontos:

- redutor de rotação da torreta;


- pinos de travamento;
- giratória da torre.

- colocar graxa nas juntas do mastro e


no braço a cada 10 horas de trabalho

- controlar as guarnições dos cilindros


pull-down, mastro e pantógrafo a cada
10 horas de trabalho.

-
Redutores Sistema hidráulico Pontos de colocação de graxa Graxa da mesa rotary Motor a diesel Guinchos Acopladores
Tabela comparativa dos lubrificantes

Você também pode gostar