Você está na página 1de 5

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR FRANCISCANO - IESF

DIREITO CONSTITUCIONAL I – Prof. NILSON TAVARES

ESTUDO DIRIGIDO

Tendo em vista a continuidade do processo de ensino-aprendizagem, estes dispositivos


destinam-se a garantir o exercício prático dos conteúdos abordados na disciplina Direito
Constitucional I.
Preliminarmente, destaco a relação de conteúdos programáticos que compõe esta
disciplina, a fim de orientar os estudos:

1. Introdução ao Direito Constitucional: conceituações, organização estrutural do Direito,


classificações. Constitucionalismo: conceito, contexto histórico, características.
Neoconstitucionalismo.
2. História das Constituições brasileiras: contexto sócio-histórico. Análise de elementos
jurídico-normativos peculiares a cada Constituição em diferentes períodos.
3. A Constituição Federal de 1988: aspectos gerais de elaboração, contexto histórico, a
Assembleia Nacional Constituinte. Disposição organizacional da CF/88, classificação e
características.
4. Teoria do Poder Constituinte: poder constituinte originário, poder constituinte derivado
reformador e decorrente; poder constituinte revisor. Poder difuso. Limitações ao poder
constituinte. Cláusulas Pétreas.
5. Eficácia e aplicabilidade das normas constitucionais. Normas de eficácia plena, contida
ou limitada. Normas de caráter institutivo e programático.
6. Interpretação Constitucional: características, classificações, formas de interpretação
normativa. Hermenêutica constitucional.
7. Princípios Constitucionais Fundamentais: concepções introdutórias sobre os princípios,
características, classificações.
8. Dos Direitos e Garantias Fundamentais: concepções sócio-históricas, significado e
interpretação normativa.
9. Dos Direitos Sociais: concepções e características. A eficácia dos Direitos Sociais.
10. Da Nacionalidade: conceituações, características, aspectos normativos correlatos.
11. Dos Direitos Políticos: concepções e características. Do voto: requisitos, limitações e
obrigatoriedade.
12. Dos Partidos Políticos: concepções introdutórias, preceitos, garantias e vedações.
13. Da Organização do Estado: Da organização político-administrativa. Da União. Dos
Estados Federados. Dos municípios. Do Distrito Federal e dos Territórios.
Com base na análise dos conteúdos da disciplina, resolva as questões seguintes.

1. Atualmente a aplicação do preceito da dignidade da pessoa humana, conforme


previsão do inciso III, do art. 1º, da CF de 1988, tem se revelado relativamente constante
nas decisões provenientes do STF e STJ, assim como dos demais órgãos judiciários.
Sobre esse fundamento do Estado Democrático de Direito, é correto afirmar que:
a) Embora a dignidade da pessoa humana conste do rol dos direitos e garantias
fundamentais expressos na Magna Carta, foi também consagrada como princípio e
valor fundamental e, como tal, deve servir de norte ao intérprete, ao qual incumbe a
missão de assegurar-lhe a necessária força normativa;
b) A qualificação normativa da dignidade da pessoa humana como princípio fundamental
traduz a certeza de que o art. 1º, III, da Constituição contém apenas uma declaração
de conteúdo ético, na medida em que representa uma norma jurídico-positiva não
dotada, em sua plenitude, de status constitucional formal e material;
c) Pelo menos no que concerne à sua dimensão principiológica, a dignidade da pessoa
humana atua como uma espécie de mandado de otimização, ordenando a proteção e
promoção da dignidade da pessoa, a ser realizada na maior medida possível, ainda
que desconsiderando as possibilidades fáticas e jurídicas existentes;
d) A dignidade humana serve como elemento limitador dos direitos fundamentais, pois
age como justificativa para a imposição de restrição a estes, podendo também atuar
como limite aos limites desses mesmos direitos, ao exercer restrições à atividade
limitadora no âmbito dos direitos fundamentais, com o objetivo de coibir eventual abuso
que possa levar ao seu esvaziamento ou supressão;
e) Na sua atuação como limite à atuação estatal e da comunidade em geral, a dignidade
implica apenas que a pessoa não pode ser reduzida à condição de mero objeto da
ação própria e de terceiros, não provocando diretamente a adoção de medidas contra a
atuação estatal ou de terceiros que a violem ou ameacem o nascimento de direitos
fundamentais negativos.

2. À luz da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, em matéria de direitos e


garantias fundamentais e aspectos correlatos,
a) o uso de células-tronco embrionárias, ainda que em pesquisas científicas para fins
terapêuticos, autorizadas em lei federal, viola o direito à vida, pela potencialidade de
formação de pessoa humana, cuja dignidade recebe proteção máxima constitucional.
b) é compatível com a Constituição Federal a interpretação segundo a qual a interrupção
da gravidez de feto anencéfalo viola o direito à vida, recaindo na esfera de proteção
que a legislação penal outorga a esse bem jurídico, vedando sua prática.
c) a obrigatoriedade de aceitação de transferência de alunos entre universidades, ainda
que instituída por lei e observada a identidade de natureza jurídica das instituições de
ensino superior envolvidas, é incompatível com a Constituição, segundo a qual o
acesso aos níveis mais elevados do ensino é assegurado segundo a capacidade de
cada um.
d) admitem-se limitações ao livre exercício de atividade econômica, ainda que sob a
forma de cobrança indireta de tributos, desde que estabelecidas por lei e com vistas à
tutela de outros princípios constitucionais da ordem econômica, como a livre
concorrência e a redução das desigualdades regionais e sociais.
e) admitem-se limitações por lei ao livre exercício das profissões, sendo consideradas
legítimas quando o inadequado exercício de determinada atividade possa vir a causar
danos a terceiros e desde que obedeçam a critérios de adequação e razoabilidade.

3. Leia o trecho a seguir.


“Os direitos fundamentais assumem posição de definitivo realce na sociedade quando se
inverte a tradicional relação entre Estado e indivíduo e se reconhece que o indivíduo tem,
primeiro, direitos, e, depois, deveres perante o Estado, e que os direitos que o Estado tem
em relação ao indivíduo se ordenam ao objetivo de melhor cuidar das necessidades dos
cidadãos.” MENDES E BRANCO. In: Curso de Direito Constitucional.
Partindo da concepção de direitos fundamentais trazida no trecho anterior,
é incorreto afirmar:
a) A sedimentação dos direitos fundamentais como normas obrigatórias é resultado de
maturação histórica, o que também permite compreender que os direitos fundamentais
não sejam sempre os mesmos em todas as épocas, não correspondendo, além disso,
invariavelmente, na sua formulação, a imperativos de coerência lógica.
b) O conteúdo concreto e a significação dos direitos fundamentais para um Estado
dependem de numerosos fatores extrajurídicos, especialmente das peculiaridades, da
cultura e da história dos povos.
c) Direitos fundamentais são absolutos, no sentido de se situarem no patamar máximo de
hierarquia jurídica e de não tolerarem restrição, gozando de prioridade absoluta sobre
qualquer interesse coletivo.
d) A locução direitos fundamentais é reservada aos direitos relacionados com posições
básicas das pessoas, inscritos em diplomas normativos de cada Estado, vigentes numa
ordem jurídica concreta, sendo, por isso, assegurados na medida em que cada Estado
os consagra.

4. Acerca dos princípios da legalidade e da anterioridade insculpidos no art. 1° do Código


Penal e no art. 5°, XXXIX, da Constituição Federal, analise as alternativas a seguir e
assinale a correta.
a) Uma das funções do princípio da legalidade é permitir a criação de crimes e penas
pelos usos e costumes.
b) No Brasil, em um primeiro momento, a União Federal pode legislar sobre matéria
penal. No entanto, de forma indireta e urgente, leis estaduais podem impor regras e
sanções de natureza criminal.
c) A lei penal incriminadora somente pode ser aplicada a um fato concreto desde que
tenha tido origem antes da prática da conduta. Em situações temporárias e
excepcionais, no entanto, admite-se a mitigação do princípio da anterioridade.
d) Desdobramento do princípio da legalidade é o da taxatividade, que impede a edição de
tipos penais genéricos e indeterminados.
e) O princípio da legalidade afasta a aplicação da interpretação extensiva, mas permite a
aplicação da analogia de forma ampla e irrestrita.

5. No que diz respeito às disposições da Constituição Federal de 1988 sobre os


chamados "remédios constitucionais", analise as afirmativas abaixo.
I. Conceder-se-á habeas corpus sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de
sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso
de poder.
II. A Constituição Federal trata do mandado de segurança individual, mas não do
mandado de segurança coletivo.
III. Conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora
torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas
inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania.
Assinale a alternativa correta.
a) As afirmativas I, II e III estão corretas
b) Apenas as afirmativas I e II estão corretas
c) Apenas as afirmativas II e III estão corretas
d) Apenas as afirmativas I e III estão corretas

6. A Constituição Federal, no que diz respeito aos direitos sociais, determina que, aos
trabalhadores urbanos e rurais, é assegurado(a)
a) a proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os
profissionais respectivos.
b) a licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de 180
(cento e oitenta) dias.
c) o repouso semanal remunerado, obrigatoriamente aos domingos.
d) a jornada de 08 (oito) horas, como regra geral, para o trabalho realizado em turnos
ininterruptos de revezamento.
e) o aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo, no mínimo, de 45 (quarenta e
cinco) dias, nos termos da lei.

7. Analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta. O art. 1º da Constituição


Federal estabelece que a República Federativa do Brasil compõe-se de Estado
democrático de direito. O artigo dispõe que todo poder emana do povo, que o exerce por
meio de representantes eleitos ou diretamente. São poderes da União o legislativo,
executivo e judiciário, assim:
I. Ao poder Judiciário cabe julgar conflitos que surgem frente as Leis elaboradas pelo
Legislativo.
II. O poder legislativo regula as relações dos indivíduos entre si e com o próprio Estado,
mediante a elaboração de leis
III. São órgãos do Poder Legislativo o Supremo Tribunal Federal, o Superior Tribunal de
Justiça, os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais, os Tribunais e Juízes do
Trabalho, os Tribunais e Juízes Eleitorais, os Tribunais e Juízes Militares e os Tribunais e
Juízes dos Estados e do Distrito Federal
IV. O poder executivo governa o povo e administra os interesses públicos cumprindo as
ordenações legais e a Constituição
V. Poder Executivo aplica as leis a casos concretos, para assegurar a soberania da justiça
e a realização dos direitos individuais nas relações sociais
Assinale a alternativa correta
a) Todos os itens estão corretos
b) Estão corretos os itens I, II e IV
c) Estão corretos os itens III e IV
d) Estão corretos os itens I, III e V

8. Considere que o rio Alfa tenha sua nascente no estado da Bahia, a maior parte de seu
percurso sobre o estado de Minas Gerais e, ainda, deságue em outro rio maior com
nascente no estado do Espírito Santo. Na hipótese narrada, considerando o que dispõe a
Constituição Federal quanto aos bens públicos, o rio Alfa é considerado bem:
a) Da União.
b) Do estado da Bahia.
c) Do estado de Minas Gerais.
d) Do estado do Espírito Santo.
9. De maneira resumida, discorra caracterizando normas constitucionais de eficácia plena,
contida e limitada.

10. De maneira resumida, discorra conceituando os poderes constituintes originário e


derivado.