Você está na página 1de 14

Situação problema:

• Pobreza
• Desemprego
• Trabalho informal precarizado sem direitos
• Desorganização da rodoviária
• Perseguição para apreensão
• Violência policial
• Relação conflituosa com governo
Histórico de falsas soluções:

• Repressão comercial e física


• Deslocamento forçado para outras áreas
• Locais inadequados e sem fluxo
• Relações fragilizadas e sem transparência
• Promessas não cumpridas
Mobilização sem precedentes:
• Mobilização para diálogo com comando da PM + reunião
• Mobilização em frente ao Buriti + reunião
• Mobilização em frente à administração da Rodoviária + reunião
• 1ª Assembleia Popular pelo Direito ao Trabalho
• Abaixo assinado
• Funcionamento em comissões coletivas
• Decisões coletivas

• Reunião com comando da PM para tratar dos excessos


• Mobilização em marcha até a administração do Plano Piloto
• Reunião ampla com Administração do Plano Piloto
• 2ª Assembleia Popular pelo Direito ao Trabalho
A solução verdadeira:

• Regularização do trabalho
• Contribuição harmônica com a cidade e com as
pessoas
• Arrecadação de impostos para o GDF
• Relação harmônica entre governo e
trabalhadoras informais
• Solução digna durante a maior crise da vida
dessas pessoas
• Solução de conjunto para todas as pessoas que
estão nessa situação na área central e SCS
Área Central do Plano Piloto:
Área Central do Plano Piloto:

• Guarda-sol padrão
• Tripé móvel padrão

Distância segura
de 1 metro Estação a
cada 10 tripés

Álcool
gel e
EPI´s
Área Central do Plano Piloto:

• 175 famílias
• 9 estações de EPI
Área Central do Plano Piloto:

• 175 famílias
• 9 estações de EPI
Setor Comercial Sul:

• Mesma configuração:
espaçamento de 1
metro com estação
de saúde a cada 10
tripés
• Possibilidade de feira
itinerante semanal
entre as galerias
internas
Plataforma inferior da Rodoviária:

• Trabalho móvel de
balas
• Todas as famílias de
colete e crachá
• Atuação móvel com
carrinho padrão
Transformação na gestão:
• Entidade organizativa coletiva representativa de todas as
famílias trabalhadoras informais da região
• Sorteio inicial com rotatividade periódica dos pontos
individuais entre todas as pessoas (existe estabilidade de
área, mas não tem ponto fixo dentro da sua área)
• Proibição expressa de qualquer relação financeira de
cobrança de famílias trabalhadoras, exceto os impostos do
governo (ou vaquinhas eventuais com finalidade específica
aprovadas coletivamente em assembleia)
• Trabalho organizativo interno de cadastramento,
conscientização sobre horários acordados para o trabalho,
qualidade dos materiais, respeito à disposição dos tripés,
cuidados sanitários e quaisquer outras demandas
Pontos positivos:

• Solução digna no período da pandemia que permita o


trabalho e a sobrevivência das famílias
• Fim das ocorrências cotidianas com DF Legal e Polícia
Militar relacionada à repressão de trabalhadores, que traz
uma péssima imagem ao governo do Distrito Federal
• Neutralização interna de quaisquer práticas negativas na
relação com o trabalho de comércio informal a partir da
organização das próprias famílias
• Legado da gestão da Administração do Plano Piloto como
a que finalmente encontrou uma solução
• Solução rápida, a partir de um diálogo construtivo, que
conclua com sucesso toda a campanha e mobilização das
famílias em torno do direito ao trabalho
Como avançar daqui:

• Criação hoje de um Grupo de Trabalho com área


técnica da Administração do Plano Piloto e
representantes de todos os núcleos de comércio
informal da Área Central (incluindo assessoria)
• Cadastramento de todas as famílias a partir de critérios
acordados em assembleia e acompanhado nas listas
de presença das atividades
• Anúncio da solução emergencial na Assembleia
Popular do dia 25/09 às 10 horas para todas as famílias
• Semana de adaptação: 28/09 a 04/10
• Funcionamento pleno: 05/10

Você também pode gostar