Você está na página 1de 3

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Centro de Ciências, Agrárias, Ambientais e Biológicas

CCA203 – Genética e Melhoramento Vegetal e Animal


Docente: Simone Alves
Discente: Ellen Rayssa Oliveira

Relatório – Extração caseira de DNA da banana


Introdução
O ácido desoxirribonucleico (DNA) é um composto orgânico formado por
moléculas responsáveis pelas instruções genéticas que irão coordenar a fisiologia e o
metabolismo de todos organismos, sejam eles vegetais ou animais (CIAC, 2014).
Para o estudo da biologia molecular de qualquer organismo, inicialmente é
necessário realizar a extração de ácidos nucléicos (DNA e/ou RNA), sendo esta uma
etapa fundamental para conhecer o genoma do organismo foco do estudo.
A extração de DNA é realizada para a utilização do material genético na
biologia molecular, como PCR, digestão de enzimas e demais análises. Atualmente,
existem diversos protocolos para a realização desse procedimento descritos na literatura
e a escolha está em função da molécula que será extraída, o grau de pureza, além dos
recursos disponíveis para a realização (HENRIQUE et al., 2017).
Usualmente, esta prática é realizada em laboratórios, no entanto, devido a
pandemia do COVID-19, foi necessário reformular as metodologias de ensino e adaptar
a extração de DNA, de modo que fosse possível executá-la com materiais simples,
encontrados em casa. Dessa forma, foi utilizado o método de extração de DNA vegetal,
usando a técnica de maceramento, para romper a parede celular vegetal.
Materiais

 Álcool etílico 70º


 Detergente neutro
 Sal de cozinha
 Água
 Banana madura
 Saco plástico
 Colheres
 Copos
 Peneira

Procedimento
Para iniciar a extração do DNA da banana foi necessário descascar a fruta, cortar
um pedaço e colocar em um saco plástico. Em seguida, foi preciso esmagar a banana até
formar uma pasta homogênea, afim de promover o rompimento da parede celular.
Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
Centro de Ciências, Agrárias, Ambientais e Biológicas
O próximo passo é a preparação da solução de lise. Foi adicionado 1 colher de
sopa de detergente neutro em 150 mL de água, logo após adicionou-se também 1 colher
de chá de sal de cozinha.
Posteriormente, foi adicionado a solução de lise em um recipiente contendo a
polpa da banana, com o auxílio de um palito, foi feita uma mistura e então, deixou o
conteúdo descansar por 30 min.
Após o tempo estabelecido, a mistura da polpa da banana com a solução de lise
foi coada numa peneira. Em seguida, foi adicionado álcool etílico gelado, que permitiu a
aglutinação das moléculas de DNA.
Resultados e discussões
Foi realizada a maceração da polpa da banana pois era necessário que a parede
celular fosse rompida. O detergente foi utilizado, pois ele é o responsável para dissolver
as membranas biológicas, que possuem constituição lipídica, além de desintegrar o
núcleo e os cromossomos. Por sua vez, o sal de cozinha neutraliza as cargas elétricas do
DNA, o que permitiu sua aglomeração e precipitação.
Após a adição do álcool etílico em temperatura mais baixa, cerca de 3 minutos
depois, já foi possível visualizar grumos brancos na parte superior do recipiente, que são
os muitos filamentos do DNA. Vale salientar que, como o DNA é insolúvel em álcool
ocorre o isolamento das moléculas, o que permite a visualização de forma mais clara.
Considerações finais
Com a realização desse simples experimento foi possível a visualização do DNA
da banana, mesmo utilizando apenas utensílios domésticos, promovendo um
conhecimento mais prático sobre a estrutura do DNA, apresentado nas aulas teóricas
síncronas ministradas pela professora Simone Alves. Dessa forma, vale ressaltar que é
possível sim, adaptar as atividades práticas a novos formatos e adotar novas tecnologias
para o ensino, sem, no entanto, comprometer o aprendizado.

Referências bibliográficas
CIAC, Centro de Aprendizagem e Integração de Cursos. Extração de DNA da banana.
Disponível em:< https://www.docsity.com/pt/extracao-de-dna-da-banana-1/4894287/>.
Acesso em: 06 de out. de 2020.
HENRIQUE, A.; BUBNIAK, D. R.; MUCHINSKI, J. P.; GOMES, M. C. J.; LAU, M.
K. Extração de DNA da banana. Disponível em:<
https://www.passeidireto.com/arquivo/27295637/relatorio-extracao-do-dna-da-banana>.
Acesso em: 06 de out. de 2020.
Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
Centro de Ciências, Agrárias, Ambientais e Biológicas

Questões para serem respondidas pelos estudantes após (ou durante) a realização
da extração de DNA.
1. Por que é necessário macerar a banana?
Para promover a ruptura da parede celular vegetal e dessa forma ampliar a superfície
de contato com a solução de lise, utilizada para dissolver as membranas plasmáticas e
extrair o material genético presente no núcleo.
2. Em que etapa do procedimento ocorre o rompimento das membranas das
células da banana? Explique.
O rompimento das membranas celulares ocorre após a adição da solução de lise,
principalmente devido à presença de detergente. Sabendo que as membranas biológicas
são constituídas por lipídios, o detergente por apresentar propriedades anfipáticas, ou
seja, polar e apolar, assim como as membranas, é capaz de dissolvê-las.
3. Qual a função do sal de cozinha?
O sal de cozinha é responsável pela neutralização as cargas elétricas do DNA, o que
permite sua aglomeração e precipitação e precipitação.
4. Qual o papel do álcool?
Como sabemos o DNA é insolúvel em álcool. Sendo assim, quando adicionamos o
álcool na mistura, ele permite a aglutinação das moléculas de DNA.
5. Por que você não pode ver a dupla hélice do DNA extraído?
A dupla hélice da cada molécula de DNA é extremamente pequena, não sendo
possível a observação sem um microscópio. Por isso, com esse experimento, só é
possível visualizar os filamentos do DNA, uma vez que temos milhões de cadeias de
DNA aglomerados.
6. Considerando os procedimentos da extração do DNA genômico, você espera
obtê-lo sem quebras mecânicas e/ou químicas?
Isto não é possível, pois o DNA contido no núcleo está envolto por várias
membranas biológicas. Para que ele esteja acessível e seja extraído é imprescindível que
estas membranas sejam rompidas.